Dissertações/Teses

Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFS

2020
Descrição
  • GIVALDO SANTOS SENA
  • ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PEDAGOGIA NA UFS: OBSTÁCULOS E DESAFIOS NO SEU DESENVOLVIMENTO, NO USO DAS TECNOLOGIAS EDUCATIVAS, NA INICIAÇÃO À DOCÊNCIA, NA RELAÇÃO TEORIA E PRÁTICA.
  • Orientador : ELIANA SAMPAIO ROMAO
  • Data: 20/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho tem como mote o desenvolvimento e desafios do estágio supervisionado obrigatório no curso de pedagogia/UFS, com destaque ao uso das tecnologias educativas, a regência/docência, a relação teoria e prática. Tem como título “Estágio supervisionado em pedagogia na UFS: obstáculos e desafios no seu desenvolvimento, no uso das tecnologias educativas, na iniciação à docência, na relação teoria e prática”. E, apresenta como objetivo principal - compreender, a partir de seus obstáculos mais marcantes, em particular na relação teoria e prática, os principais da influência do estágio supervisionado obrigatório, sobretudo, durante a iniciação à docência, na formação do alunado de Pedagogia, e sem ficar à margem da importância das tecnologias educativas no seu desenvolvimento. O método de pesquisa é de cunho quali-narrativa e faz parte desse estudo de campo estagiárias do 7º período do curso de Pedagogia da UFS - do Campus Professor Alberto Carvalho em Itabaiana, Sergipe. Se utiliza de duas técnicas comuns a pesquisa qualitativa, quais sejam: observação e entrevistas narrativas. A metodologia utilizada para interpretação de dados é a análise crítica da narrativa, especificamente a categoria temática de Motta (2013). Elege como marco teórico, Arroyo, Pimenta, Freire, Levy, Romão, entre outros. O presente estudo mostra, o reconhecimento da importância do estágio, em particular, na experiência, ainda que breve, da iniciação à docência. Os resultados mostram, também, que as estagiárias – narradoras da presente pesquisa, no entanto, se queixam das dificuldades durante o período em que a busca da relação teoria e prática, por vezes, de difícil enfrentamento para quem não tem a licença para ensinar e intervir no cotidiano da escola. Mostra, ainda, que a realização do estágio em pauta, mesmo em meio as dificuldades de difícil enfrentamento e incertezas frente a permanência no curso em marcha, contribui significativamente para a qualidade da formação e a afirmação no magistério.

  • FABIO LUIZ OLIVEIRA DE CARVALHO
  • NARRATIVAS FÍLMICAS NA FORMAÇÃO DOCENTE DE PROFISSIONAIS DA SAÚDE EM PARIPIRANGA (BA)
  • Orientador : ELIANA SAMPAIO ROMAO
  • Data: 19/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa tem como objetivo investigar as práticas pedagógicas de professores do ensino superior que utilizam o filme como um dispositivo pedagógico na sala de aula. O trabalho apresenta quatro frentes: 1) contextualização da pesquisa com indicação da motivação que levou a sua formulação, bem como os apontamentos dos aspectos metodológicos necessários ao seu desenvolvimento; 2) revisão bibliográfica de como a arte fílmica surge e se insere na cultura ocidental, até adentrar os espaços escolares como um dispositivo pedagógico; 3) apresentação e análise dos dados obtidos a partir da pesquisa de campo com professores dos cursos de Enfermagem e Fisioterapia do UniAGES acerca dos usos do filme em sala de aula na educação superior; 4) considerações finais acerca da questão problematizadora a partir dos dados obtidos ao longo desta pesquisa. Utiliza-se como fontes as obras, os artigos e demais produções de pesquisadores como Pablo González Blastos, Vitor Reia-Batista, José Carlos Libânio, Dermeval Saviani e Eliana Romão. Esta pesquisa é classificada como um estudo quali-narrativo, pois tem como objetivo observar de forma mais crítica determinados acontecimentos descritos por meio de algum fenômeno, analisando de uma forma mais ampla, sem limitar-se apenas à descrição do fenômeno em si, mas analisar as suas causas e suas consequências, buscando, assim, entender a realidade em sua totalidade.

  • ALESSANDRA SANTANA PEREIRA
  • POLÍTICAS PÚBLICAS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL: CAMINHOS VIÁVEIS E FACTÍVEIS TRILHADOS PARA A IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA NACIONAL ESCOLAS SUSTENTÁVEIS NA REDE ESTADUAL DE ENSINO EM SERGIPE
  • Data: 19/02/2020
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • O Programa Nacional Escolas Sustentáveis (PNES) é uma proposta de política pública que busca promover a sustentabilidade socioambiental no ambiente escolar, para isso, estabelece três princípios fundamentais: o currículo, o espaço físico e a gestão. O presente estudo assume como objetivo explicitar os caminhos viáveis e factíveis trilhados para implementação do Programa Nacional Escolas Sustentáveis na rede estadual de ensino em Sergipe, buscando revelar os desafios e as dificuldades encontradas pelos sujeitos para o seu efetivo desenvolvimento, a partir da apropriação da realidade do ponto de vista prático e teórico. Em relação a investigação ao relato analítico dos resultados coletados a abordagem adotada foi a qualitativa por se tratar de uma pesquisa em educação, em que o procedimento metodológico aqui adotado foi de natureza exploratória e caráter descritivo. Para determinar o universo da pesquisa foi o realizado um levantamento prévio junto ao NEDIC/SEDUC para verificar o quantitativo de escolas estaduais contempladas com o PNES, chegando a uma amostra de 26 escolas distribuídas em 10 DRE’s, sendo 8 contempladas com o programa. Esse estudo foi realizado junto a DRE03 que fica localizada no agreste central sergipano, na cidade de Itabaiana, tendo como amostra do estudo as 12 escolas que receberam o recurso do PDDE Escola Sustentável. A investigação do estudo se fez através de 15 entrevistados dentre eles Coordenadora de Educação Ambiental do NEDIC, Coordenadora Pedagógica da DRE03, Técnica de Educação Ambiental da DRE03 e os diretores das escolas contempladas dirigidas pela respectiva DRE. As informações foram coletadas a partir de uma entrevista semiestruturada, além do mapeamento afim de localizar as escolas contempladas e a análise do PPP das escolas como também do Plano de ação. Os dados das entrevistas foram analisados a partir da análise de conteúdo, visando assim compreender o processo de implementação do programa na ótica dos atores sociais participantes da pesquisa. Dentre os resultados obtidos podemos observar a falta de conhecimento na implantação do programa, além do que, também podemos encontrar o comprometimento de alguns gestores para as questões socioambientais. Com isso esperasse contribuir para o entendimento de que forma o Programa chegou ao estado de Sergipe, e como aconteceu o processo de implementação nas escolas estaduais da DRE03. Além disso acreditasse que com o aporte teórico cientifico gerado, essa pesquisa possa contribuir para uma melhor compreensão e fortalecimento das escolas contempladas com o PNES.

  • ROBSON CLEDSON DE JESUS DIAS
  • IMPACTOS E DESAFIOS PARA ESCOLAS DO MUNICÍPIO DE SANTA LUZIA DO ITANHY/SE
  • Orientador : ELIANA SAMPAIO ROMAO
  • Data: 19/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa tem o objetivo geral analisar o processo de implantação do Projeto Aula Digital, ressaltando seus impactos e desafios para a Escola Municipal de Ensino Fundamental Edmar José da Cruz, em Santa Luzia do Itanhi, Sergipe. Tem como objetivos específicos: detectar quais as maiores dificuldades durante a implantação do projeto nas escolas; averiguar, a partir da voz dos professores, quais as expectativas sobre o projeto Aula Digital; e identificar, a partir do estudo das diretrizes do Projeto Aula Digital, os indicadores de impacto desse projeto na prática pedagógica do professor, sem ficar à margem de um breve panorama da cultura digital. A metodologia adotada é de índole qualitativa e tem estudo de caso como caminho para realização da pesquisa. Foram também utilizados documentos produzidos por órgãos internacionais, como também documentos oficiais que estruturam o Projeto Aula Digital. O método se vale de dois procedimentos, a saber: entrevista semiestruturados e observação. E tem como sujeitos professores da escola em pauta. As análises dos dados mostram que existe forte engajamento dos professores com essa tecnologia disponível. Destaca-se que a quantidade dos recursos disponibilizados são, de fato, necessários e contribuem notadamente para a prática pedagógica desenvolvida, mas ainda são (in)suficientes para atender à demanda dos professores, pois a falta de fone de ouvidos impede resultados mais satisfatórios. Os resultados mostram que os impactos são, portanto, de pequena proporção. Assim, o Projeto Aula Digital, contemplado nas políticas educacionais, contribui para melhoria das práticas educativas e sua implementação, potencializada por tecnologias digitais educativas, permite que o professor, tanto quanto possível, o domínio dessas tecnologias, ao mesmo tempo que a escola se afasta de práticas tradicionais e conservadoras, aproximando, assim, de práticas inovadoras. Tem como marco teórico Sancho, kenski, Santanella, Yin e Porto.

  • SHEILLA SILVA DA CONCEIÇÃO
  • SSC: UM DISPOSITIVO PARA ENSINO HÍBRIDO MEDIADO PELAS TECNOLOGIAS DIGITAIS NA CIBERCULTURA.
  • Orientador : HENRIQUE NOU SCHNEIDER
  • Data: 18/02/2020
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Esta tese apresenta como objetivo geral desenvolver um dispositivo para ensino híbrido mediado pelas Tecnologias Digitais da Informação e da Comunicação (TDIC). Para atingir este objetivo, elegeu-se os seguintes objetivos específicos: compreender o ensino híbrido em ambientes educativos multimodais por meio das experiências existentes; experienciar o dispositivo SSC no ensino fundamental dos anos finais para refletir sobre sua validação em processos híbridos de ensino-aprendizagem mediado pelas TDIC; analisar o processo de construção de conhecimento por meio do dispositivo SSC. O processo de desenvolvimento da tese constituiu-se da elaboração de uma fundamentação teórica sobre aprendizagem, mediação, metodologias híbridas e ensino híbrido na cibercultura, mediado pelas tecnologias digitais, a fim de que desse suporte à construção do dispositivo para ensino híbrido SSC e à análise da sua utilização por meio do método da Análise Textual Discursiva, sob a égide da pesquisa participante com base no princípio teórico teórico-metodológico da pesquisa-ação-intervenção. O processo de investigação fundou-se no seguinte problema: como articular o ensino híbrido aos processos de aprendizagem considerando as novas formas de acesso à informação, à comunicação, à interação, à colaboração, à cooperação, e os novos estilos de raciocínio e de conhecimento? Os sujeitos participantes da pesquisa foram alunos e professores de duas escolas da rede pública de ensino municipal em Aracaju/SE e São Leopoldo/RS. As análises confirmaram a articulação do ensino híbrido com os processos de aprendizagem, o que favoreceu a construção do conhecimento colaborativo, ao passo que provocou rupturas na prática pedagógica dos professores. Da análise textual discursiva dos processos de aprendizagem e das falas dos professores e alunos envolvidos na pesquisa, pode-se extrair as seguintes categorias. Dos professores: formação, interação, motivação, tecnologias, ensino híbrido e prática pedagógica do professor. Dos alunos: tecnologias, interação, relações interpessoais e prática pedagógica colaborativa. Portanto, a tese de que as práticas pedagógicas atuais dos professores inibem a aprendizagem colaborativa e a mediação no processo de ensino-aprendizagem pelas tecnologias digitais foi comprovada, ao passo que a utilização do dispositivo de ensino híbrido SSC pode vir ao encontro da solução para esse problema.

  • JULIANNA BRITTO OLIVEIRA SANTOS
  • NECESSIDADES E DIFICULDADES NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE DOCENTES DA EDUCAÇÃO INFANTIL NA REDE MUNICIPAL DE ARACAJU
  • Orientador : LUIZ ANSELMO MENEZES SANTOS
  • Data: 18/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A formação continuada tem configurado na atualidade importante campo de discussões sobre quais saberes específicos à docência necessita construir para o efetivo trabalho da ação educativa no ambiente escolar. O objetivo deste trabalho é refletir sobre as perspectivas dos docentes sobre processos de formação continuada vivenciados na educação infantil, dimensionando suas necessidades e dificuldades formativas na construção dos saberes profissionais qualitativos do ensino-aprendizagem da rede de ensino de Aracaju. A pesquisa é qualitativa descritiva, com aplicação de questionário exploratório para reconhecimento do perfil dos 265 docentes atuantes nas turmas de pré-escola/educação infantil da rede municipal. Em segundo momento, mediante os dados coletados nos questionários sobre os docentes será formado um grupo amostral de 44 docentes para realização de entrevistas individuais gravadas e 02 entrevistas coletivas vídeo-gravadas na própria Unidade Escolar. A análise de dados se constituirá referenciada pela análise do conteúdo em Bardin (2016) com tratamento e categorização das informações obtidas. A soma dos resultados apontam para critérios de consolidação de uma política de formação continuada que paute-se nas necessidades e dificuldades com perspectivas de viabilidade da formação continuada dos docentes que atuam na educação infantil da rede municipal de Aracaju. A escuta docente constitui imperioso mecanismo de orientação de ações e processos formativos como fator de qualificação da docência, promotoras do desenvolvimento profissional dos docentes bem como de toda a educação infantil.

  • DEIVESSON DE SOUSA LIMA
  • PRÁTICAS DE LEITURA NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES DE FÍSICA: UM ESTUDO NO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SERGIPE
  • Orientador : ALFRANCIO FERREIRA DIAS
  • Data: 18/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa tem como objetivo geral analisar as práticas de leitura no processo de formação inicial de professores de Física, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe (IFS), Campus Lagarto, com vistas à identificação das inter-relações entre o perfil leitor dos licenciandos e a formação de leitores. Partiu-se do pressuposto de que a leitura é um processo de compreensão de mundo que envolve características essenciais e singulares dos indivíduos, configurando-se como um elemento potencializador para a formação de leitores nos cursos de licenciaturas. Percebeu-se que os espaços de formação inicial docente, independente da área, são determinantes para promover aprendizagens com sentidos e significados, bem como a apropriação de conhecimentos e saberes disciplinares e curriculares, reforçando-se, dentre eles, a leitura e suas práticas. Tratou-se de uma investigação teórico-empírica, de natureza qualitativa, que se apoia no movimento de tese-antítese-síntese da dialética. Os sujeitos foram os estudantes matriculados no período letivo 2019.2, nas disciplinas do Eixo Pedagógico do Curso de Licenciatura em Física do IFS, que tiveram o ingresso pelo Sistema de Seleção Unificada (SISU), e participaram do Projeto ‘Letramento Acadêmico Reflexivo: trabalhando fala, leitura e escrita na língua do universitário’. Colaboraram como referentes para as discussões Koch e Elias (2008), Kleiman (1989; 2001), Cagliari (2003), dados da revista Retratos da Leitura no Brasil (2003; 2008; 2012; 2016), Silva e Silva (2016), Vasconcellos (2011), André (2001), Anastasiou (2005), Konder (2008), Barros e Gasparin (2012), Lakatos e Marconi (2011), Prodanov e Freitas (2013), Vergara (2013), Ludwuig (2014), IFS (2014, 2015, 2017), Brasil (1996; 1998; 2002; 2014; 2019), Moraes e Galiazzi (2006; 2007; 2011; 2016) dentre outros autores. Quanto aos instrumentos, foram utilizados questionários (online), atividades formativas de leitura e produção de memorial reflexivo. Com as informações coletadas, trabalhados à luz da análise textual discursiva, considerando as fases de desconstrução/unitarização, categorização e construção do metatexto, foram identificadas três categorias emergentes de leitores: leitor formado, leitor semiformado e leitor em formação, concluindo-se com a necessidade de fomento de ações que corroborem para a melhoria da leitura e suas consecuções, nas instituições formadoras.

  • ELAINE DOS REIS SOEIRA
  • Desvelando conexões entre docência na EaD e a dromoaptidão cibercultural: o caso do Instituto Federal de Alagoas.
  • Orientador : HENRIQUE NOU SCHNEIDER
  • Data: 18/02/2020
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Esta tese desenvolvida no âmbito do Programa de Pós-graduação em Educação, da Universidade Federal de Sergipe, área de concentração Educação, Comunicação e Diversidade, linha de Educação e Comunicação, teve por objeto de estudo a relação entre identidade profissional na EaD e o nível de dromoaptidão cibercultural dos estudantes. Os objetivos delineados para pesquisa foram: investigar a relação da identidade profissional com o nível de dromoaptidão cibercultural, nas práticas pedagógicas de ensino na EaD no IFAL, a partir das representações de estudantes, tutores e professores dos cursos de licenciatura, como objetivo geral; identificar o perfil dos estudantes, dos tutores e dos professores de cursos de graduação ofertados na EaD, em relação à dromoaptidão cibercultural e às habilidades ciberculturais; reconhecer elementos estruturais que embasam as representações sociais dos profissionais e dos estudantes sobre a docência na EaD; analisar como se constitui a relação entre a docência na EaD e o nível de dromoaptidão cibercultural dos estudantes, como objetivos específicos. Tratou-se de um estudo de caso, realizado no Instituto Federal de Alagoas, especificamente nos cursos de licenciatura em Letras/Português e Ciências Biológicas, ofertados a distância, sendo participantes da pesquisa estudantes, tutores e professores vinculados a estes cursos. A pesquisa foi de caráter qualitativo, exploratório-descritiva, com inspiração fenomenológica e estruturada a partir do referencial teórico-metodológico da abordagem societal das Representações Sociais. A coleta dos dados ocorreu por meio de um questionário online e a análise dos dados foi realizada com o apoio dos softwares IRAMUTEQ e SPSS. Teoricamente a pesquisa amparou-se nos seguintes conceitos: docência; identidade profissional; aprendizagem na EaD; dromocracia e dromoaptidão cibercultural. A investigação possibilitou traçar um perfil cibercultural dos profissionais e dos estudantes participantes da pesquisa, identificando o nível de dromoaptidão em que eles se encontram. Além disso, foi possível refletir sobre o processo de ensino-aprendizagem na EaD na instituição, discutir a docência e a identidade profissional a partir das representações dos profissionais e relacionar a identidade profissional e a dromoaptidão cibercultural. A questão de investigação “como se constitui a relação entre a identidade profissional na EaD em função do nível de dromoaptidão cibercultural dos estudantes”, foi respondida a partir da análise das representações dos estudantes e dos professores sobre o perfil cibercultural, o processo de ensino-aprendizagem e sobre docência, ficando explícito que o nível de desenvolvimento da dromoaptidão cibercultural dos estudantes implica na redefinição identidade dos profissionais que atuam na EaD, especialmente no caso dos tutores, pois as especificidades e demandas de aprendizagem dos estudantes requer intervenções mais aprofundadas, com a proposição de situações de aprendizagem, ultrapassando os limites do mero assessoramento aos professores.

  • LEONARDO LEITE DE ANDRADE
  • CASA LÍQUIDA: MÁQUINA NÔMADE
  • Orientador : DINAMARA GARCIA FELDENS
  • Data: 14/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Resumo: A partir de uma investigação cartográfica, acompanho uma ação performativa conhecida como Casa Líquida, situada na cidade de São Paulo onde inaugura uma ética e uma forma outra de habitar um espaço, abrigando diversos artistas e processos de criação. Neste contexto foram realizadas duas visitas ao campo, em 2018 e 2019 onde residi na casa a fim de pensar as tensões de alguns conceitos de Gilles Deleuze, Félix Guattari e Michel Foucault. O processo cartográfico debruça-se então nos conceitos de performance, máquina de guerra e heterotopia. Busca evidenciar a potencialidade da casa e da maneira como habitamos os territórios, o embaralhamento das esferas do público e do privado e a criação de um espaço outro que atualiza e produz subjetividades.

  • WELLINGTON ALVES DE ARAÚJO
  • TECNOLOGIAS DIGITAIS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NO ENSINO DE MATEMÁTICA: UM ESTUDO COM LICENCIADOS EM MATEMÁTICA NO IFS.
  • Orientador : VELEIDA ANAHI DA SILVA
  • Data: 14/02/2020
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa buscou investigar quais as concepções apresentadas por Licenciados em Matemática no IFS (2010 – 2014) para e ao utilizarem as Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação no ensino de Matemática. Esse estudo é de natureza qualitativa e constou de três momentos distintos: no primeiro, por meio de questionários, identificamos os Licenciados no IFS (2010 – 2014) que estavam atuando no magistério; no segundo, os professores que disseram utilizar as tecnologias responderam a outro questionário com o intuito de se apreender as concepções apresentadas por estes no que se refere ao uso das TDIC e para o uso das TDIC; e, por fim, no último momento, realizamos entrevistas semiestruturadas com os participantes com objetivo de complementar as informações obtidas com os questionário sobre as concepções apresentadas por estes no que se refere ao uso das TDIC e para o uso das TDIC. Para análise, organizamos as informações, os dados presentes tanto nos questionários quanto nas entrevistas em tabelas, para facilitar a visualização da totalidade das respostas. Noutro momento, empreendemos uma análise mais sistemática desses dados fazendo inferências, criando as hipóteses e dialogando com a literatura da área, buscando separar os dados que faziam inferência as condições para o uso das TDIC no ensino dos dados que indicavam as condições no uso das TDIC. Daí, construímos as categorias de análises que surgiram dos dados coletados. A discussão dos resultados evidenciou que a Licenciatura em Matemática do IFS – Campus Aracaju/SE proporcionou um contato dos formados com recursos tecnológicos para o ensino de Matemática, ainda que a discussão e a reflexão sobre a utilização das TDIC, esteja passiva de revisão de como acontece demonstrando a complexidade que permeia essa prática. Apesar da formação inicial ter abordado essa temática, nas vivências dos docentes foram identificados muitos dilemas e desafios a serem superados. Contudo, as diversas maneiras com que os participantes afirmam ter utilizado as tecnologias evidenciaram muita criatividade e clareza dos objetivos, e força de vontade para superar as dificuldades por vezes de ordem administrativa.

  • LUCAS DE OLIVEIRA CARVALHO
  • DA SOCIEDADE DISCIPLINAR À SOCIEDADE DE CONTROLE: PROTAGONISMOS E CAMINHOS DA EDUCAÇÃO DIANTE DAS MUDANÇAS DE REGIMES DE PODER
  • Orientador : DINAMARA GARCIA FELDENS
  • Data: 13/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho buscou trazer um exercício teórico do conceito de poder através da sociedade disciplinar de Michel Foucault e da sociedade de controle de Gilles Deleuze. Almejamos refletir como a escola, enquanto instituição da modernidade, está sendo impactada por essas alterações na lógica de funcionamento das relações de poder com a transição de uma sociedade disciplinar para uma sociedade de controle. E como isso tem penetrado e atingido a sua soberania. Tendo em vista que o poder no controle atua em modo aberto. Ou seja, fora da lógica de confinamento típica da sociedade disciplinar a qual a escola foi instituída. Buscamos através da análise da relação e das tensões institucionais entre a escola e a família, da produção e da regulamentação de novas formas de violência e da atuação de dois movimentos políticos, a escola sem partido e as recentes ocupações dos secundaristas, trazer alguns indícios quem têm caracterizado esse processo de transição e de transformação que tem permeado a escola.

  • CAMILO SILVA CANTANHEDE
  • Currículo em imanência: sobre o manejo afetivo das relações de aprendizagem.
  • Orientador : DINAMARA GARCIA FELDENS
  • Data: 13/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa se debruça sobre dados sistematizados de uma experiência pedagógica inusitada, afetada pelo que se convencionou chamar de Educação em Agroecologia. Realizada entre os anos de 2014 e 2017 no interior do Estado de Sergipe, a experiência territorializa o percurso investigativo que problematiza os efeitos da Ética, obra do filósofo Baruch de Spinoza (1632-1677), e da noção de currículo nômade, de Sandra Corazza, na concepção e organização de relações de aprendizagem como forma de intervenção na realidade que desejamos mudada. Iniciamos a tessitura do texto partindo da pergunta: como a arte de educar da Educação em Agroecologia pôde contribuir com a transformação de realidades que eram causa de tristeza e criar, ou potencializar, realidades outras, que afetavam de alegria os corpos discentes? Após discorrer sobre a noção de modernidade e sobre a influência de diferentes teorias e movimentos que afetaram o conceito de currículo, apresentamos aspectos da teoria do pensamento de Spinoza em composição com a noção de currículo aberta aos desejos e a singularidade dos corpos discentes e docentes. Localizamos a correspondência entre a experiência pedagógica estudada e epistemologias emergentes que trazem novos olhares para a diferença e para os herdeiros dos povos colonizados e mutilados. Apresentamos a ideia de manejo afetivo das relações de aprendizagem como condição para o currículo entrar em imanência, isto é, sintonizar as relações de aprendizagens nos desejos e demais afetos aos quais os corpos discentes e a comunidade escolar estão expostos. Por fim, demonstramos o funcionamento de um currículo em imanência ao explicar a experiência pedagógica a partir das obras e conceitos estudados. Trata-se, assim, de um estudo de filosofia aplicada, de inspiração cartográfica, com o qual explicamos conceitualmente como ocorreu o aumento efetivo da potência de agir dos corpos que transformaram as realidades que eram causa de tristeza.

  • JEYSON LUCENA DA SILVA
  • JUDICIALIZAÇÃO DAS RELAÇÕES ESCOLARES: Uma análise da produção científica de 2017 e 2018.
  • Orientador : VELEIDA ANAHI DA SILVA
  • Data: 12/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A escola necessita encontrar respostas às lides que emergem no contexto escolar com a implementação de políticas públicas que gradualmente estimulam os institutos da conciliação e mediação de conflitos, tal fato reflete na produção científica das áreas do direito e da educação. Assim, considerando o recorte temporal entre a reforma da LDB (Lei de diretrizes e bases) que instituiu a política de fomento para a implementação da educação em tempo integral (Lei 13.415/2017 de 16 de fevereiro de 2017) e a atualização das Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio por meio da Resolução n° 3 da Câmara de Educação Básica (CEB) do Conselho Nacional de Educação (CNE), publicada em 21 de novembro de 2018, o presente trabalho teve como objetivo geral analisar as perspectivas traçadas na produção científica constante nos congressos nacionais do CONPEDI (Conselho Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Direito) e da ANPED (Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação) quanto a judicialização das relações escolares, considerando o recorte temporal já mencionado. A utilização do método de análise textual discursiva a partir dos dados encontrados na construção do estado de conhecimento permitiu esclarecer nos resultados a existência de diferenças significativas sob a ótica dos pesquisadores da educação e do direito ante à intervenção do judiciário nas relações escolares.

  • ERICA DAIANE FERREIRA CAMARGO
  • ESTRATÉGIAS METODOLÓGICAS PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA: INCLUSÃO DE UM ALUNO AUTISTA NO ENSINO FUNDAMENTAL
  • Orientador : ROSANA CARLA DO NASCIMENTO GIVIGI
  • Data: 11/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O ensino e a aprendizagem de Matemática enfrentam muitos desafios na atualidade, apresentando um alto índice de reprovação nas escolas. No contexto da Educação Inclusiva, esse cenário é ainda mais complicado, sendo necessárias mudanças de paradigmas, técnicas, métodos, recursos e estratégias para que o aluno desenvolva o potencial de aprendizagem. Diante do exposto, o objetivo desta dissertação é analisar estratégias metodológicas necessárias à mediação do processo de ensino e aprendizagem no caso de um aluno com o diagnóstico de Transtorno do Espectro Autista (TEA). Trata-se de uma pesquisa qualitativa, cuja metodologia utilizada é a pesquisa-ação colaborativa-crítica. Foi realizada numa escola da rede regular de ensino, onde foram feitas visitas semanais durante 12 meses. Para a efetivação da pesquisa, os instrumentos de coleta de dados foram a observação participante, além de reuniões com professores e trabalho colaborativo em sala de aula. Para registro, o diário de campo foi o instrumento utilizado, seguido da elaboração de relatórios descritivo-analíticos. Como resultados, por sua vez, destacam-se: a necessidade de envolvimento da gestão da escola no processo inclusivo; há lacunas no diálogo entre o professor da sala de Atendimento Educacional Especializado e da sala de aula regular; são necessárias estratégias específicas e uso de recursos de Comunicação Alternativa; com estratégias diferenciadas, o aluno, independentemente de seu diagnóstico de autismo, pode adquirir conceitos matemáticos e desenvolver as funções mentais superiores; marcas históricas do preconceito sobre a capacidade de aprender da pessoa com deficiência precisam ser superadas, entre outras. Conclui-se que, ao compreender as dificuldades encontradas no processo de ensino e aprendizagem da Matemática e utilizar estratégias metodológicas, é possível que o aluno com TEA aprenda e esteja incluído no sistema escolar e na sociedade.

  • JIRLAN COSTA FONTES
  • A disciplina História da Civilização no Atheneu Sergipense entre os anos de 1938 a 1943
  • Data: 30/01/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo tem como objetivo investigar a cadeira de História da Civilização na instituição de Ensino Secundário Atheneu Sergipense, entre os anos de 1938 a 1943, de acordo a Reforma Educacional Francisco Campos. O recorte temporal inicial corresponde ao ano em que a cadeira foi ministrada em todas as séries do Ensino Secundário do Atheneu Sergipense. O ano final representa a extinção da cadeira no interior da instituição com a inclusão das disciplinas História do Brasil e História Geral, atendendo ao Decreto nº 4.244, de 4 de abril de 1942. A pesquisa utiliza conceitos de Disciplina Escolar de André Chervel (1990), e de Ensino de História, conforme Circe Maria Fernandes Bittencourt (1990; 2008; 2018). Para tal fim, foram utilizados como fontes, a legislação educacional, documentos pertinentes ao Atheneu Sergipense, como boletins, cadernetas, atas da Congregação, ofícios enviados e recebidos e jornais locais, de modo a identificar professores que ministravam a referida cadeira, a formação acadêmica e forma de ingresso, além de conhecer os Compêndios de História da Civilização de Joaquim Silva, que foram adotados para as aulas durante o período da pesquisa. Este estudo, destaca como a cadeira de História da Civilização contribuiu como um modelo de ensino que enaltecesse os valores pátrios e de construção de identidade.

  • ROBERTO CARLOS BASTOS DA PAIXÃO
  • A TRAJETÓRIA DE EUZÉBIO VANÉRIO NA INSTRUÇÃO PÚBLICA BRASILEIRA (1784-1852)
  • Orientador : LUIZ EDUARDO MENESES DE OLIVEIRA
  • Data: 24/01/2020
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A presente tese de doutorado investiga e analisa a trajetória de Euzébio Vanério na Instrução pública brasileira. Está relacionada à linha de pesquisa História, Sociedade e Pensamento Educacional, do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Sergipe. O conjunto metodológico apoia-se na consulta de bibliografia especializada e documentação, a exemplo da acessada no Arquivo Nacional e na Biblioteca Nacional, e, ainda, na concepção do método ou paradigma indiciário. O objetivo geral desta investigação é o de aprofundar o conhecimento sobre o professor e intelectual Euzébio Vanério, sua participação no cenário da introdução do ensino do idioma inglês no Brasil, sua trajetória na Instrução pública brasileira e seu legado como professor, tradutor, introdutor e divulgador do Método Lancasteriano de Ensino. O texto tem suporte teórico na história cultural, valendo-se também da historiografia e demais fontes documentais do período. O texto apresenta os resultados da análise da trajetória desenvolvida pelo professor Euzébio Vanério, desde a sua saída de sua terra natal, Funchal (Ilha da Madeira/Portugal), sua entrada no Brasil, o desenvolvimento de suas atividades diversificadas, até o seu falecimento. As conclusões deste estudo atestam a importância dos múltiplos fazeres de Vanério no campo da Instrução pública brasileira e no ambiente alfandegário pós-abertura dos portos “às nações amigas”, seu locus social e de suas práticas professorais e no âmbito do comércio, exercendo as funções de guarda-livros, Secretário do Governo Militar da Província de Sergipe d’El Rey e vedor escrivão da gente de guerra de Sergipe.

2019
Descrição
  • LUCIANO DA SILVA SANTOS
  • PROFICIÊNCIA EM LÍNGUA PORTUGUESA ESCRITA DE ALUNOS SURDOS DO CURSO DE LETRAS – LIBRAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE
  • Orientador : ALINE LIMA DE OLIVEIRA NEPOMUCENO
  • Data: 18/12/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho de pesquisa foi desenvolvido no período de 2018 a 2019 e traz como objeto de estudo a proficiência em língua portuguesa escrita de alunos surdos do Curso de Letras-Libras da Universidade Federal de Sergipe – UFS. Nosso objetivo principal era conhecer a proficiência em língua portuguesa de alunos surdos do Curso de Letras – Libras da UFS. A nossa pesquisa teve uma abordagem qualitativa e utilizou como metodologia, o estudo de caso. Alguns questionamentos nortearam a nossa pesquisa, tais como: Quais estudos já trabalharam com temas parecidos a esta pesquisa? Os alunos surdos ingressam no ensino superior letrados em língua portuguesa escrita? São capazes de acompanhar as aulas ministradas e de realizar os trabalhos acadêmicos em língua portuguesa escrita? Esses surdos são bilíngues de modo que consigam usar os livros em língua portuguesa presentes na biblioteca central (BICEN) da UFS? E que permitam interagir em língua portuguesa escrita com os alunos ouvintes? Quais as principais legislações que favoreceram os alunos surdos na sua jornada até entrada no curso superior de Letras – Libras? Quem são os alunos do curso de Letras – Libras da UFS? Quais habilidades da língua portuguesa são demonstradas por esses estudantes? Quais as percepções do aluno sobre o curso de Letras – Libras da UFS? Para ajudar a responder a esses questionamentos, primeiramente realizamos um levantamento do estado do conhecimento dentro da temática abordada, posteriormente abordamos a questão da alfabetização e do letramento em língua portuguesa e do ensino bilíngue, por fim, realizamos o estudo de caso aplicando os seguintes instrumentos de pesquisa: questionário socioeconômico; testes de conhecimento em língua portuguesa; observações e entrevistas. De maneira geral, evidenciamos que o conhecimento das palavras da língua portuguesa ainda é um problema para esse alunado. Acreditamos que os resultados das análises feitas possam contribuir para uma reflexão das necessidades dos alunos surdos do curso de Letras – Libras da UFS.

  • JOELZA DE OLIVEIRA SANTOS
  • MEMÓRIAS DE ESTUDANTES EGRESSOS DO GINÁSIO DE APLICAÇÃO DA FACULDADE CATÓLICA DE FILOSOFIA DE SERGIPE (1960-1968)
  • Orientador : JOAQUIM TAVARES DA CONCEICAO
  • Data: 05/12/2019
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Este estudo é uma abordagem histórica do Ginásio de Aplicação da Faculdade Católica de Filosofia de Sergipe e tem como objetivo principal compreender as percepções de estudantes egressos do Ginásio de Aplicação sobre as práticas educativas e culturais vivenciadas ao longo de suas carreiras escolares, no período compreendido entre 1960 e 1968. O trabalho está inserido no campo de estudo da História da Educação, na perspectiva da História Cultural, buscando aporte teórico em Chartier (1990), a partir dos conceitos de apropriação, representações e práticas, visando compreender o que foi rememorado através do discurso e das práticas culturais socialmente construídas, pautado em Bosi (1994) e Pollak (1992; 1989), quanto ao conceito de memória e identidade; Julia (2001), no que se refere à concepção de cultura escolar como categoria de análise; e em Bourdieu no (2002; 2007) no tocante aos conceitos de capital cultural e reprodução cultural no campo das lutas simbólicas para o alcance de prestígio social. Utilizou-se a metodologia da História Oral Temática, pautada em Alberti (2013; 2004) e Meihy (2011; 2013; 2015), estabelecendo relatos de memórias como fonte principal da pesquisa. Este estudo utiliza como fonte oito entrevistas do acervo audiovisual do Centro de Pesquisa, Documentação e Memória do Colégio de Aplicação (Cemdap), resultantes da execução do projeto “Percepções da realidade”: Memórias de estudantes egressos do Colégio de Aplicação (1960-1995), e oito realizadas pela autora desta pesquisa. Portanto, constitui-se em uma pesquisa de cunho memorialístico acerca da carreira escolar e da cultura assimilada pelos estudantes egressos do Ginásio de Aplicação da Faculdade Católica de Filosofia de Sergipe, instituição de ensino criada para servir como campo de estágio e de experimentação pedagógica, vinculada à Faculdade Católica de Filosofia de Sergipe, a qual permanece na memória de seus ex-alunos.

  • WALNA PATRICIA DE OLIVEIRA ANDRADE
  • HISTÓRIAS E MEMÓRIAS DE PRÁTICAS EDUCACIONAIS RELACIONADAS ÀS PESSOAS COM AUTISMO EM SERGIPE (1962-1993)
  • Orientador : JOAQUIM TAVARES DA CONCEICAO
  • Data: 26/11/2019
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa tem como objeto a história de práticas educacionais direcionadas às pessoas com autismo em Sergipe, no período entre 1962 a 1993. O objetivo principal foi compreender práticas educacionais relacionadas às pessoas com autismo neste Estado, no período do recorte temporal pesquisado. Os objetivos específicos foram: constituir um levantamento histórico sobre a construção do quadro clínico do autismo, desde os primeiros estudos científicos realizados até a utilização deste diagnóstico em Sergipe; identificar as práticas educativas das quais participou o público com esse transtorno; compreender o papel da família no processo educacional dessas pessoas e investigar como o Estado participou desse processo. Metodologicamente, esta é uma pesquisa histórica, na perspectiva da História Cultural, buscando aporte teórico em Chartier (1988), a partir da identificação de como uma realidade social pode ser construída e pensada; de cunho documental e conjugada com a História Oral Temática, pautada em Meihy e Holanda (2015), através de narrativas obtidas em entrevistas. A pesquisa utiliza como fonte 14 entrevistas, destas, 13 foram realizadas pela autora, e legislações, estatutos, atas de reuniões e regimentos coletados nas instituições pesquisadas, além de fotografias e jornais. As hipóteses suscitadas decorrem de que as ações que se efetivaram na possibilidade educacional das pessoas com autismo partiram de seus familiares e não de uma política pública com esse fim; que as práticas educacionais eram voltadas às atividades de vida diária e não existia uma relação com o currículo formal trabalhado nas escolas do ensino regular. Constatou-se que as pessoas que possivelmente tinham autismo participavam das mesmas práticas educacionais destinadas às pessoas com outros tipos de deficiência; que a busca pela possibilidade de inserção das pessoas com autismo no sistema educacional sempre partiu dos seus familiares e que no início desse processo houve poucas ações do governo nesse sentido.

  • ROSEMEIRE DOS SANTOS AMARAL
  • MERCEDES DANTAS E OS DISCURSOS SOBRE A VIAGEM PEDAGÓGICA AOS ESTADOS DO NORTE/BRASIL (1930)
  • Data: 30/09/2019
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente tese insere-se na linha de pesquisa História, Sociedade e Pensamento Educacional, junto ao Programa de Pós-graduação em Educação (PPGED) da Universidade Federal de Sergipe (UFS) e pauta-se nas discussões a respeito das viagens pedagógicas realizadas por intelectuais e profissionais da Educacão, tanto em âmbito internacional (Europa e Estados Unidos) quanto nacional, dentro de um circuito da História Intelectual da Educação. O foco é a professora Mercedes Dantas de Itapicurú Coelho (1900-1982) e os discursos sobre a viagem pedagógica aos Estados do Norte do Brasil em 1930, em especial nos impressos (jornais e revistas). O objetivo geral foi o de compreender quem foi a professora Mercedes Dantas e os discursos produzidos na imprensa sobre sua viagem pedagógica aos Estados do Norte, Brasil, em 1930. Como objetivos específicos: elaborar um perfil biobibliográfico de Mercedes Dantas, destacando os lugares institucionais e sociais que ocupou; elencar os discursos produzidos na imprensa sobre a viagem em cada Estado e, por fim, problematizar os referidos enunciados discursivos da viagem e a Reforma de Fernando de Azevedo e sua possível difusão nos Estados visitados. Os dados obtidos pelas informações dos excertos dos jornais impressos da década de 1920 e 1930 – A manhã (RJ), A Noite (RJ), A Província (PE), Correio da Manhã (RJ), Diário da Manhã (ES), Jornal do Brasil (RJ), Jornal do Comércio (RJ - AM), O Globo (RJ), O Paiz (RJ), Pequeno Jornal, Jornal Pequeno (PE), dentre outros – acessados por meio da Biblioteca Nacional Digital (BNDigital), de assinaturas digitais e de uma fonte histórica em particular, os “Cadernos de Lembrança” de Mercedes Dantas – uma coletânea de recortes de jornais e revistas elaborada e organizada cronologicamente por ela – foram investigados por intermédio das teorizações que constituem a Análise do Discurso (AD), seguindo a linha francesa, com base nos postulados do filósofo e historiador Michel Foucault (1926-1985). Autores como Azevedo (1927 ,1928, 1929, 1940), Boto (1996, 2003, 2012), Dantas (1927, 1930, 1933, 1935, 1942), Fischer (2001, 2012), Franciscato (2005), Freitas (2001, 2006), Foucault (1985, 1987, 1996, 2006, 2008), Mignot (2017) Mignot e Gondra (2007), Sobral (2012, 2016), Sodré (1996), Veiga-Neto (2016), Veyne (1982) e outros, conformam o embasamento teórico de tal perspectiva abrasando a discussão. A Tese apontou que a investigação a respeito da vida pessoal, produção intelectual e profissional da professora Mercedes Dantas - pela ausência de pesquisas que se debrucem sobre sua personagem ou por representar uma personalidade de destaque no campo educacional do Brasil, mas que se manteve “atrás das cortinas” ou ao menos “esquecida” pela historiografia brasileira - é um contributo valioso para a produção do conhecimento no campo de História da Educação e formação/atuação de professores e intelectuais nas décadas de 1920 e 1930. A viagem pedagógica de Mercedes Dantas aos Estados do Norte do Brasil, com base nos discursos extraídos dos impressos, por sua vez, configurou-se enquanto um acontecimento/evento de reconhecimento nacional e de suma importância para a renovação educacional do país, alicerçada na Reforma de Instrução Pública de Fernando de Azevedo, em especial, do ensino primário e da criação/filiação das associações ou sociedades de professores dos respectivos locais, como apresentado em “Lembrança”, onde foram destacadas as condições de produção e de emergência e o processo de internalização e aceitabilidade ou não, bem como o momento de ruptura dos discursos ligados a práticas institucionais e relações de poder.

  • MÔNICA ANDRADE MODESTO
  • PELA ESTRADA SE VAI COM ANSEIOS NO PEITO E PÉS NO CHÃO: POR ENTRE QUERERES E FAZERES DA (TRANS)FORMAÇÃO AMBIENTAL NA EDUCAÇÃO DO CAMPO
  • Data: 16/08/2019
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa busca compreender as proposições relacionadas à formação ambiental presentes na formação de sujeitos matriculados nos anos iniciais do Ensino Fundamental de escolas situadas na zona rural de Simão Dias-SE. O alcance do objetivo foi norteado pela seguinte questão: Como a escola contribui para a formação ambiental dos sujeitos do campo? Esse problema é decorrente da necessidade de aprofundamento dos estudos sobre a educação do campo enquanto dimensão educacional e a educação ofertada campo, que vem sendo cada vez mais invisibilizada por propostas curriculares e pedagógicas subjugadas aos interesses do sistema capitalista e, enquanto dimensão educacional, é contributa para a formação ambiental de sujeitos do campo. Nessa direção, a pesquisa está ancorada em aportes teóricos da Educação Crítica e em procedimentos metodológicos que oportunizaram a percepção da situação relacionada processo formativo de crianças matriculadas nos anos iniciais ofertados nas escolas localizadas na zona rural jurisdicionadas à Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Simão Dias-SE, tendo como foco a formação ambiental. A fim de atender a essa proposição, optou-se pela abordagem qualitativa da pesquisa que possibilita a análise interpretativa dos dados que, por sua vez, foram produzidos por meio de análise documental, tomando o Referencial Curricular do Estado de Sergipe, a Base Nacional Comum Curricular e os livros didáticos adotados pela rede municipal de ensino como fontes; de aplicação de questionários a diretores, coordenadores e professores das 20 escolas que compuseram a amostra da pesquisa e de realização de entrevistas semiestruturadas com os professores efetivos inscritos na amostra. Os dados foram analisados à luz da Análise do Discurso pecheautiana e apontaram a predominância de uma formação ambiental norteada pela concepção ingênua da educação, reverberada, por sua vez, nas concepções relativas à educação do campo e à educação ambiental e por ações pedagógicas simplistas no tocante ao objeto da pesquisa, mas que, em certa medida, apresentam potencialidades para a promoção de formação ambiental no locus investigado. Ao final, são elencadas possibilidades para o desenvolvimento de práxis pedagógicas direcionadas para a formação docente na perspectiva da formação ambiental, haja vista o fato de que o déficit formativo dos sujeitos pesquisados foi o aspecto que apresentou maior fragilidade e maior interferência nos resultados identificados. À vista disso, com esse estudo, espera-se contribuir para as searas da educação do campo e da educação ambiental, suscitando reflexões teóricas acerca dos seus pressupostos e novos problemas de pesquisa, bem como para a melhoria do processo formativo ofertado para crianças do campo no estado de Sergipe e no município de Simão Dias.

  • PEDRO PAULO SOUZA RIOS
  • O ESTRANHO QUE HABITA EM MIM: NARRATIVAS DE VIDA E FORMAÇÃO DE PROFESSORES GAYS NO SEMIÁRIDO BAIANO
  • Orientador : ALFRANCIO FERREIRA DIAS
  • Data: 29/05/2019
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente tese tem por objetivo analisar, por meio das narrativas (auto)biográficas, o discurso de professores gays do Seminário Baiano sobre a produção de si enquanto corpo estranho e as estratégias de desconstruir/fazer/negociar gênero e sexualidade ao longo de suas trajetórias escolar/acadêmica. A discussão teórica desta pesquisa é tecida com fundamento na teoria acerca dos estudos de gênero, sexualidade, homossexualidade e estudos queer, no que se refere ao conceito de estranho, a partir das trajetórias dos professores gays, por entendermos que as mesmas se constituem peça basilar na construção vivencial e conceitual da estranheza. Neste sentido, o estranho imposto àquele que é gay como uma marca identitária indissolúvel, nos faz perceber que temas como diferença sexual e de gênero, em pleno século XXI, estão imbuídos de inquietações, constituindo-se enquanto conceitos que precisam ser problematizados, suscitando o debate em torno de questões que foram historicamente “naturalizadas” e disseminadas como sendo a única forma de viver as subjetivações de gênero e sexualidade. Este estudo fundamenta-se na base epistemológica da pesquisa qualitativa em que o sujeito e a realidade formativa são concebidos como indissociáveis. A base investigativa desse estudo ancora-se na abordagem (auto)biográfica, que concebe a narrativa enquanto instrumento de produção de dados, uma vez que evidencia elementos da subjetividade do sujeito, sua trajetória de formação e experiências de vida. Os colaboradores da pesquisa foram seis (06) professores egressos dos cursos de Licenciatura em Matemática, Pedagogia e Biologia, da Universidade do Estado da Bahia – UNEB, Campus VII em Senhor do Bonfim/BA. A pesquisa evidenciou que a construção do estranho no corpo da criança viada é anterior a descoberta e a vivência da sexualidade e, tem por princípio basilar a diferença constatada no corpo que destoa da norma. É possível inferir, ainda, que corpos estranhos também se constituem enquanto discurso e transgridem a norma, demarcam fronteiras e se autodeclaram alforriados dos grilhões heteronormativos a que eram subjugados. Neste contexto, as narrativas sinalizam que foi necessária a criação de estratégias de enfrentamento às normas heterossexistas, por considerar que o enfrentamento, comumente, tem se constituído a única maneira de se viver as diferentes subjetivações de sexualidades e gênero. Sob esse prisma, se faz necessário pensar a formação docente de tal modo que assegure efetivamente a problematização de temas relacionados às questões de gênero e sexualidades. Entendemos, portanto, que além de pôr em debate questões relacionadas às práticas pedagógicas, é necessário que o currículo escolar seja reestruturado, no sentido de pensar as diferenças sem camuflar a homofobia, o racismo e toda forma de exclusão que perpassam tais práticas.

  • NIVIA MARIA DE VASCONCELLOS COUTO DOREA
  • PERCURSO HISTÓRICO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE: LUGAR DE FORMAÇÃO PARA O MAGISTÉRIO SUPERIOR?
  • Orientador : SILVANA APARECIDA BRETAS
  • Data: 28/02/2019
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • As formulações acadêmicas e legais para a formação de professores da educaçãosuperior através da pós-graduação stricto sensu da Universidade Federal de Sergipe –UFS, no contexto macro da pós-graduação brasileira, configura-se como objeto deestudo da presente dissertação. Nossa perspectiva é seu percurso histórico deconstituição como o nível mais elevado do ensino superior brasileiro, configurada comopossível lugar de formação para o magistério superior. Para tanto, esse trabalho temcomo objetivo analisar, do ponto de vista histórico, qual o lugar da formação docentenos cursos de pós-graduação da UFS. No sentido de apoiar os objetivos gerais, temoscomo objetivos específicos: descrever o processo de emergência e trajetória dosprogramas de pós-graduação da UFS; evidenciar se esses programas se constituemcomo lugar de formação para o magistério superior; e caracterizar os elementosindicativos dessa formação. Para facilitar a teorização da pesquisa, e atribuir umsignificado contextual à análise de conteúdo, escolhemos os termos espaço, lugar eterritório. Fazendo uma análise da relação entre eles podemos inferir que o fato de serespaço, não se constitui necessariamente um lugar, já que para se tornar lugar os
    espaços precisam ter alguma finalidade, alguma atividade realizada neles, ou seja,precisam ter um sentido atribuído; e tendo o território uma presunção de autoridade, umlugar só se torna território se existirem indicadores de legitimidade. Isso quer dizer queas universidades, através dos seus cursos de pós-graduação stricto sensu, se constituemcomo espaços que garantem a possibilidade de formação para o magistério superior,mas não garantem sua concretização, ou seja, não garantem ser um lugar onde de fato, aformação aconteça, e aqui surge a investigação desse trabalho. Assim, estabelecemoscomo critério de seleção os 43 programas acadêmicos de pós-graduação da FundaçãoUniversidade Federal de Sergipe – FUFSE, que foram avaliados pela CAPES noquadriênio 2013-2016. O método de abordagem é de pesquisa qualitativa, exploratória,com o recurso metodológico da análise de conteúdo, onde os dados coletados serãooriundos de análise documental. O material de análise faz parte dos documentos oficiaisdos programas de pós-graduação stricto sensu da Universidade Federal de Sergipe –UFS, dos documentos de avaliação da CAPES, dos dados do INEP, bem como, delegislações específicas que tratam dos cursos de pós-graduação stricto sensu no Brasil.A trama conceitual é fundamentada através de três eixos principais: histórico dos cursosde pós-graduação no Brasil e em Sergipe; políticas públicas de pós-graduação strictosensu para docência no ensino superior; e elementos indicadores que caracterizem oslugares de formação docente. A pesquisa demonstrou que mais da metade dosprogramas da UFS contemplam em seus objetivos a formação para o magistériosuperior, e já que possuem essa finalidade, pode-se dizer que se constituem comolugares de formação docente. Porém quando analisamos outros elementos indicativosde formação, constatamos que 63% destes não possuem disciplinas, nem atividadesobrigatórias na integralização dos estudos como condição para titulação de seusdiscentes, o que nos leva a questionar qual a concepção de formação docente para essesprogramas, e de que forma ela é efetivamente realizada pelos mesmos. Foi evidenciadotambém que alguns cursos de pós-graduação da UFS, em seus percursos históricos, sãomarcados por avanços e retrocessos, sobretudo em seus componentes curriculares, noque diz respeito à formação para o magistério superior, e isso pode estar relacionado aoacompanhamento das diretrizes estabelecidas nos PNPGs.

  • DÉRCIO CARDOSO REIS
  • Segunda Guerra, pracinhas e impressos: um estudo sobre o jornal O Cruzeiro do Sul (1945)
  • Orientador : DILTON CANDIDO SANTOS MAYNARD
  • Data: 28/02/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa analisa o jornal “O Cruzeiro do Sul” produzido pelo Serviço Especial da Força Expedicionária Brasileira. O periódico foi uma publicação regular, editada duas vezes por semana, produzido de 03 de janeiro a 31 de maio de 1945, totalizando 34 edições. No entanto, sua circulação ficou restrita à Itália. Foi o principal veículo impresso para formar a opinião dos soldados brasileiros sobre a Segunda Guerra Mundial.Em suas páginas encontram-se notícias do Brasil e do mundo, dos esportes, e também artigos dos correspondentes de guerra que acompanhavam a FEB, entre eles: Rubem Braga (do Diário Carioca); Egídio Squeff (O Globo); Joel Silveira (Diários Associados); Raul Brandão (Correio da Manhã) e Francis Hallawell (BBC de Londres) e principalmente do último ano da Segunda Guerra Mundial (1939-1945) e da Força Expedicionária Brasileira. O jornal era impresso em Florença e tinha uma tiragem estimada de 5.000 exemplares. Ao estudar o periódico “O Cruzeiro do Sul” procuro investigar como esses soldados se envolveram diretamente em um dos maiores conflitos da história da humanidade e como o jornal produziu representações da Guerra, dos soldados (pracinhas), do Brasil e do seu principal inimigo: o nazista. Vendo o jornal também como um suporte didático, Observamos um processo não-escolar, mas de formação da visão de mundo dos pracinhas sobre o conflito no qual se envolveram.

  • POLYANA LACERDA SANTOS
  • TURMA DA MÔNICA EM: O PROCESSO DE APRENDIZAGEM DA LÍNGUA PORTUGUESA PELA CRIANÇA SURDA
  • Orientador : RITA DE CACIA SANTOS SOUZA
  • Data: 28/02/2019
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa busca analisar o ensino de Língua Portuguesa, na modalidade escrita, naleitura e interpretação textual, para surdos por meio do gênero textual das histórias emquadrinhos da Turma da Mônica. Utilizamos como base teórica para fundamentaçãoautores como: Bari; Goldfeld; Quadros; Silva; Souza; Vergueiro. Trata-se de umapesquisa qualitativa descritiva, configurada em um estudo de caso. O campo depesquisa investigado foi uma turma do 4º ano do Ensino Fundamental de uma escola,localizada no município de Aracaju/SE, constituída por cinco alunos e uma professora.Os dados analisados foram produzidos com base na observação participante e atividadespedagógicas realizadas em sala de aula uma vez por semana. Foram realizadas tambémobservações das rotinas das aulas e recreios, compiladas no diário de campo, além deregistros de imagens por meio de fotografias, entrevistas audiogravadas com aprofessora e coordenadora pedagógica. A análise dos dados gerados foi realizadamediante os pressupostos da análise de conteúdo de Bardin (2011). Os dados apontamque os quadrinhos ao atuarem como ferramenta pedagógica, auxiliam os alunos surdosno ensino de português, permitindo-lhes uma compreensão maior do processo de leitura,escrita e interpretação textual, através da ludicidade e dos aparatos visuais existentes nashistórias, melhorando o desempenho dos alunos e tornando a leitura atrativa e acessívelpara as crianças.

  • AMANDA DE MATOS PEREIRA
  • MÉTODO HISTÓRICO, HISTORIOGRAFIA INGLESA E ENSINO DE HISTÓRIA (1894-1906)
  • Orientador : SILVANA APARECIDA BRETAS
  • Data: 28/02/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Nos estudos que tratam das primeiras historiografias gerais na Inglaterra, produzidas entre ofinal do século XIX e meados do século XX, ainda não há consenso sobre o que seria métodohistórico, e como tal método, fundamentaria uma proposta para o ensino de história naescolarização básica. Dito isso, essa pesquisa tem o objetivo de compreender os diferentes“conceitos” de método histórico utilizados no ensino da disciplina de História em periódicosde teoria e metodologia da História inglesa, usados na formação de profissionaisuniversitários na área (1894-1906). Como fontes, foram utilizados os periódicos: TheAncestor (1896-1904) pela (University of Toronto), The Commonwealth & Empire (1905-1906) também pela (University of Toronto) e The English Historical Review (1903-1906) pela(University of Oxford). Nessas revistas, que veiculavam reflexões metahistóricas, foramcatalogados os termos (designações) - “método” [Method], “metodicamente” [Methodically],“metódico” [Methodic], “método” [Methodical], “metodismo” [Methodism] e “metodista”[Methodist], no referido período. A busca pelos significados desses termos foi motivada pelodesconforto gerado pela falta de consenso, entre os historiadores, ao tentar fundamentar umaDidática da História no conceito de “método histórico”. Já nesse período, podemos perceber acrise de paradigmas que essa falta de consenso provocou no campo do ensino da Históriaentre os historiadores. Essa crise desencadeou debates sobre a história marcados pela
    proclamação de “mortes” e “fins”. Sendo que, esse fato correspondeu substantivamente, aopessimismo epistemológico, que alcançou o pós-modernismo, assim como também elevou amáxima importância dessa discussão no mundo ocidental, sobre o que o ensino estaria a devera epistemologia histórica, entre 1884 e 1904. Assim, passamos a refletir nessa pesquisa que,em meio ao momento de queda de concepções históricas no mundo ocidental, existia umacomunidade de historiadores ingleses, que insistiam na sobrevivência de um método universalque pudesse fundamentar a Didática da História, mas que, ao mesmo tempo, não conseguiamprovar a existência dessa. Tendo dito, nesse estudo são importantes conhecimentos em tornode temáticas como, Metodologia e Teoria da História, Didática da História, Sociologia dasProfissões, História das Ideias, Filosofia da História e Educação. Ao chegar aos resultados,após analisar as fontes nas quais contém as teses defendidas pelos historiadores dahistoriografia inglesa que tentavam fundamentar o ensino, sobre o objeto “método histórico”,foi enumerado que o conhecimento dos diferentes propósitos desses autores gerou caminhos(methodos) distintos, nomeados por listas de habilidades e valores designados por diferentestermos. Cabe ressaltar aqui a relevância da investigação das condições de possibilidades dosprocessos de replicação desses formatos e as implicações desses na constituição de um saberhoje chamado de Didática da História. Conclui assim, que essa pesquisa contribui para oentendimento sobre o processo ambicioso mais falho dos historiadores para fundamentar adidática ideal para o ensino de história. Em outras palavras, a pesquisa move a reflexão paraque os profissionais educadores possam pensar suas escolhas posteriores na fundamentação deprojetos de Didática da História, aprimorando conhecimentos educacionais técnicos e críticos.

  • EMILY MAISE FEITOSA ARAGÃO
  • O protagonismo social da criança em ações interativas com parceiros de idade e professora no contexto da Educação Infantil
  • Data: 28/02/2019
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • As relações sociais entre as crianças, seus companheiros de idade ea professora representam um contexto promissor de observação e análise dosmodos de ser da criança frente ao que é socialmente instituído no cotidianoescolar. Nesse sentido, o presente estudo tem como objetivo centralcompreender os modos de protagonismo da criança expressos em meio àsrelações sociais estabelecidas com os pares de idade e com a professora nocontexto da Educação Infantil. Buscamos refletir sobre o protagonismo socialde dezesseis crianças, com idades entre quatro e cinco anos, em meio àspráticas pedagógicas de uma instituição municipal de Educação Infantil dacidade de Aracaju/SE. A pesquisa está configurada em uma abordagemqualitativa, de cunho exploratório e descritivo, com dados produzidos a partir depremissas da etnografia, aportes da Sociologia da Infância e atuais DiretrizesCurriculares Nacionais para a Educação Infantil. Os dados foram produzidospartir da observação participante, organizados em sequências interativasdenominadas de episódios, os quais foram selecionados, descritos eanalisados em articulação com o referencial teórico eleito. Os resultados doestudo evidenciam que as crianças são socialmente competentes, capazes departicipar com criticidade e autonomia dos eventos interativos e situações quelhes dizem respeito. Os achados delineiam reflexões sobre a importância de asações sociais das crianças serem reconhecidas e valorizadas no contexto daEducação Infantil, sendo um meio propulsor para o desenvolvimento daautonomia que a criança conquista em suas experiências.

  • CLOTILDES FARIAS DE SOUSA
  • ASSOCIATIVISMO PEDAGÓGICO: A LUZ DAS “LIGAS CONTRA O ANALFABETISMO” DE PERNAMBUCO E SERGIPE (1916-1922)
  • Orientador : DILTON CANDIDO SANTOS MAYNARD
  • Data: 28/02/2019
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • As ligas pernambucana e sergipana contra o analfabetismo compreendem o objeto desta tese de doutoramento. Elas foram organizações civis, fundadas entre os anos de 1916 e 1922. Tinham como propósito principal propagar o ensino primário para garantia das condições necessárias à consolidação do estado nacional republicano. Analisar o papel desempenhado por essas associações na educação brasileira é o objetivo principal da presente pesquisa, com base em duas questões: a) Por que as ligas contra o analfabetismo são sociedades livres, se a literatura histórica denuncia que não havia lugar na Primeira República do Brasil para o desenvolvimento da cultura moderna e liberal? b) No contexto das sociedades livres, qual é a especificidade das ligas contra o analfabetismo, uma vez destituídas de conotação técnico-pedagógica ou científica segundo determinação do “entusiasmo pela educação”? Para problematização do objeto concorreu à descoberta de fontes jornalísticas como os impressos “Pela Pátria” e “Nova Cruzada”, órgãos oficiais das duas instituições pesquisadas. Além disso, a noção de “associativismo voluntário” proposta por Alexis de Tocqueville favoreceu a reflexão, uma vez complementada pelos conceitos de figuração de Norbert Elias, assim como pela “cultura escolar” de Dominique Julia. Tais ferramentas teóricas distanciam a análise empreendida do consenso instituído na historiografia educacional brasileira acerca do objeto. Segundo tal consenso, as instituições teriam sido mero instrumento ideológico burguês/militar e/ou simples expressão de um “entusiasmo pela educação”. Submetidas aos procedimentos relacionais da historia cruzada, as informações resultaram em intersecções válidas para construção da hipótese de que as experiências analisadas expressam o associativismo pedagógico, consentâneo da cultura liberal típica da então região Norte do Brasil. A favor dessa conclusão está a Pedagogia da Luz, categoria síntese do autoconceito das instituições pesquisadas e dos fins e meios correlacionados, especialmente pertinentes à escolarização. A Pedagogia da Luz é o elo principal dos discursos propagandísticos abordados neste texto.

  • LUCINEIDE ALVES DE OLIVEIRA
  • Pedagogia na UFS: o lugar da Educação Inclusiva numa realidade excludente
  • Orientador : VERONICA DOS REIS MARIANO SOUZA
  • Data: 28/02/2019
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa objetivou investigar de que maneira a formação de professores na perspectiva da educação inclusiva tem sido contemplada no curso de Pedagogia da Universidade Federal de Sergipe (UFS) da Cidade Universitária Professor José Aloísio de Campos em São Cristóvão, mediante análise do Projeto Pedagógico do Curso, da matriz curricular e das ementas dos componentes curriculares nesse curso. Para tanto, a proposta foi identificar como (e se) os aspectos da educação inclusiva estão sendo contemplados nos princípios que norteiam o Projeto Pedagógico do Curso de Pedagogia na Universidade Federal de Sergipe; identificar no currículo dos curso de Pedagogia da instituição os componentes curriculares que possibilitam o estudo da Educação Especial na perspectiva da educação inclusiva, por meio da análise das ementas e, nelas, identificar os componentes obrigatórios e optativos, conteúdos que possibilitem ao futuro professor, no decorrer do curso de Pedagogia, a formação para a educação inclusiva. De natureza qualitativa, a investigação teve como referência a análise documental e estudo de caso. A pesquisa do tipo estudo de caso, por debruçar-se especificamente na análise do curso de Pedagogia da Universidade Federal de Sergipe, do Campi de São Cristóvão, o que implica compreender o objeto nas suas especificidades, mesmo contendo elementos amplos acerca da formação de professores. Posteriormente foi aplicado um questionário com os alunos concluintes do curso, com 10 questões abertas e fechadas. Para tanto, os dados foram examinados através da análise de conteúdo. O referencial teórico partiu das temáticas acerca de formação de professores, currículo e inclusão de autores como Tardif, Libâneo, Arroyo, Severino, Demo, Sacristán, Vasconcelos e marcos legais pertinentes ao assunto. A relevância deste estudo é centrada no fato de ser um tema que suscita reflexão no arcabouço educacional da Instituição, para edificação de um curso de Pedagogia que possa, efetivamente, formar um professor para realidade inclusiva ou preparado para incluir numa realidade excludente. Os resultados indicaram que a Universidade, lócus da formação inicial docente, precisa se antecipar à realidade, dando uma resposta frente aos problemas da contemporaneidade, bem como preparar melhor os futuros professores e pesquisadores para a realidade escolar no contexto da inclusão.

  • AILA SANTANA DE AMORIM SILVA
  • COOPERAÇÃO ENTRE PROFESSORES:UM ESTUDO DESCRITIVO EM QUATRO ESCOLAS PÚBLICAS DA REDE MUNICIPAL DE LAGARTO-SERGIPE
  • Orientador : HEIKE SCHMITZ
  • Data: 28/02/2019
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esse estudo objetiva descrever as condições favoráveis para uma cooperação entre professores em âmbito escolar. A cooperação profissional de professores é vista como estratégia para aumentar a eficácia e eficiência da escola partindo do pressuposto de que a atuação isolada de profissionais da educação oferece menos oportunidades de um acompanhamento orientado no aluno. Por isso, se espera, por meio da cooperação dos profissionais de uma comunidade escolar, compensar a divisão em anos escolares e alinhar os esforços dos profissionais para alcançar os objetivos de aprendizagem (coletivamente) preestabelecidos. Exige-se uma cooperação entre professores diante de propostas como a progressão continuada, a inclusão de alunos com deficiências, e outras novas concepções de organização da educação e do trabalho pedagógico, assim como se exige uma cooperação multiprofissional diante da inserção de profissionais tais como psicólogo escolar, supervisor educacional, nutricionista, voluntários. Pesquisas realizadas nos últimos dez anos, revelam, no entanto, que o professor continua a trabalhar isoladamente. Isso criou a inquietação de saber quais as condições favoráveis para que uma cooperação (multi-)profissional dos professores se estabeleça, mas sendo aqui, neste momento, a cooperação dos professores entre si, o foco. Propõe-se especificamente, identificar os motivos da (não) cooperação dos professores em âmbito escolar; sistematizar o agir cooperativo dos professores; e identificar as condições favoráveis para a cooperação entre os professores na escola. Para isso é realizada uma pesquisa descritiva em quatro escolas que ofertam o primeiro e o segundo ciclo do ensino fundamental, mantidas pela rede municipal de ensino da cidade de Lagarto-Sergipe, sendo duas escolas de rurais e duas urbanas. Foram aplicados questionários semiabertos com todos os professores, e conduzidas entrevistas com as pessoas responsáveis pela coordenação pedagógica. Os dados a respeito da identificação do trabalho coletivo foram analisados conforme uma tipologia de Hargreaves (1998 apud BOY, 2011) e agrupados conforme a diferenciação de equipes de trabalho e grupos de trabalho, segundo Robbins (2004). Constatou-se que na maioria dos casos de trabalho cooperativos identificados trata-se de trabalho em grupo. Em comparação com as escolas urbanas, as escolas rurais têm mais cooperação na elaboração dos Projetos Político Pedagógico e as informações são mais acessíveis a todos. E os professores das escolas rurais demonstrou ter maior disponibilidade para cooperar com colegas do que os das escolas urbanas. Espera-se que os dados levantados nas escolas sergipanas contribuam na atualização do conhecimento a respeito.


  • ALEXSANDRO VIEIRA PESSOA
  • PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NA EDUCAÇÃO DOMICILIAR: UM ESTUDO DE CASO EM ARACAJU-SE.
  • Orientador : JOSE MARIO ALELUIA OLIVEIRA
  • Data: 28/02/2019
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A história da educação brasileira evidencia os conflitos que permeiam a instância escolar desde sua origem, demarcando a conjuntura conflituosa na qual que se insere o movimento em prol da educação domiciliar no Brasil. Diante disso, propôs-se, nesse estudo, adentrar no universo da educação domiciliar contemporânea e conhecer, a partir de uma ótica pedagógica, como essa modalidade educacional tem se desenvolvido, buscando reconhecer os elementos que constituem a prática educativa das famílias. No caminho investigativo, partiu-se da premissa de que as famílias envolvidas nesse processo realizavam uma transferência da estrutura e dos componentes da forma escolar para o âmbito da casa, ainda que rompendo com a instituição propriamente dita. É apresentado um panorama geral sobre as famílias que optaram por educação domiciliar em Aracaju com base nos resultados de questionários aplicados à amostra inicial de treze famílias, privilegiando, neste interim, uma explanação acerca dos métodos pedagógicos mais utilizados pelas famílias pesquisadas. Após delimitação da amostra inicial utilizando critérios pré-estabelecidos, encaminhou-se a análise mais aprofundada das rotinas e práticas pedagógicas de três famílias em especial, fazendo uso de questionários, entrevistas e de observação sistemática. Desse modo, com a inserção no campo e aproximação com a realidade imediata do objeto, novas percepções se apresentaram, ainda que alguns pressupostos também tenham se mostrado alinhados com a prática das famílias. Com isso, quer-se dizer que, embora no processo educacional da ED possam aparecer elementos escolares, a modalidade ainda propõe formas pedagógicas que extrapolam o roteiro escolar, principalmente na sua variante unschooling, que tenciona uma proposta educacional construída a partir do interesse da criança em contraposição à padronização dos programas escolares.

  • JOÃO ROGÉRIO MENEZES DE SANTANA
  • HISTÓRIA E MEMÓRIA DE GESTORES: POLÍTICAS PÚBLICAS DE INSERÇÃO DAS TECNOLOGIAS DIGITAIS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA EDUCAÇÃO BÁSICA EM SERGIPE (2000-2015)
  • Orientador : MARIA NEIDE SOBRAL
  • Data: 28/02/2019
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • As tecnologias digitais da informação e comunicação (TDIC) têm provocado mudançassignificativas em diferentes aspectos da vida contemporânea. Na educação, vem sendousada para estimular e apoiar os estudos e, mais recentemente, tem sido gestado emnovos modos de ensinar e de aprender. A partir dessa perspectiva, como pedagogo,procurei compreender, do ponto de vista histórico, como tem sido o processo deimplementação e funcionamento das políticas públicas de inserção das TDIC naEducação Básica no período de 2000 a 2015. Para essa compreensão busquei identificaros programas voltados para a inserção das TDIC às escolas públicas; descreverprocessos de implementação dessas políticas na Rede Estadual de Ensino de Sergipe –SEED e relatar discursos da equipe gestora e equipe técnica, responsáveis pela inserçãodas TDIC nas Diretorias Regionais de Educação (DRE), na Secretaria de Estado daEducação (SEED) e nos Núcleos de Tecnologias Educacionais(NTE), destacando oslimites e os desafios nesse processo. O recorte temporal inicial se justifica pelocompromisso em inserir as TDIC nas políticas educacionais no Brasil em razão deacordo firmado no Fórum Mundial de Educação em Dakar, no ano de 2000 e, no mesmoano, no Brasil, ocorreu a reformulação de projetos como o Programa de Informática naEducação (ProInfo). O recorte final (2015) é em razão da Lei de nº 8.025 de 2015(Plano Estadual de Educação para o decênio de 2015-2025), sancionada pelo governodo estado, quem tem na meta 7 o foco principal de análise, e mais 08 metas que, direta eindiretamente, mencionam as tecnologias como instrumento de possibilidades deavanço na qualidade do ensino no estado. A metodologia empregada para as análises é oArqueológico com base em Foucault na análise de discursos (2014a; 2014b; 2010;1999; 2007). O método utilizado é o histórico cultural em que História e Memória sãoreferências basilares. Para esse estudo utilizei referências como Halbwachs (1990), LeGoff (2000) e, Montenegro (2013). Para as fundamentações no que concerne asconcepções de História usei Certeau (2015), Bloch (2001), Barros (2010) e Foucault(2010), dentre outras. Como instrumento de obtenção de dados utilizei o questionário ea análise de documento/monumento sob a conceituação de Le Goff (2000) e Foucault(2014). O universo da pesquisa é a rede estadual de educação de Sergipe. A amostra sãoos NTE e as DRE com a participação de 13 gestores que atuaram e atuam nos referidosnúcleos e diretorias da SEED. Os enunciados discursivos foram também analisados em
    leis com amplitude nacional e local, que versam sobre o objeto aqui estudado edocumentos de setores e seções da SEED. Análises dos enunciados têm demostrado queo Estado de Sergipe tem operado de forma a recepcionar políticas de inclusão de TDICna educação, mantendo o status de Estado de Direito, porém, a implementação dessaspropostas somente se efetiva por ter coparticipantes de micro poderes na (re)constituição dessas propostas, que surgem, na forma aqui encontrada, como política deEstado e de governo realizadas pelo poder executivo.

  • THAMISA SEJANNY DE ANDRADE RODRIGUES
  • Bebês e professora em ações interativas de cuidado/educação na educação infantil: o banho e a alimentação em foco
  • Data: 28/02/2019
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A docência com bebês possui especificidades que se constituem no movimento de convívio, experiências e ações sociais com/entre os atores no cotidiano da Educação Infantil. A presente pesquisa tem por objetivo central compreender como são constituídas as ações de cuidado/educação entre bebês e sua professora, nos momentos destinados aos cuidados pessoais, em situações de alimentação e banho. Especificamente, buscou-se observar ações interativas de bebês e sua professora, de modo a analisar como essas ações se constituem enquanto práticas educativas na instituição de Educação Infantil. A partir disso, e considerando os momentos de alimentação e de banho, foi elencado como foco de análise: 1) as ações sociocomunicativas utilizadas pelos bebês em ocasiões de interações com sua professora; 2) as ações interativas iniciadas e mantidas pela professora diante das (re)ações sociais expressas pelos bebês; 3) os modos que os bebês reapresentam ações de cuidados pessoais recebidas durante o banho e a alimentação em interação com os pares de idade. O estudo possui abordagem qualitativa e caráter exploratório descritivo. Os sujeitos participantes da presente investigação são 7 (sete) bebês e uma professora, integrantes do agrupamento etário denominado berçário 1, de uma instituição municipal de Educação Infantil situada em Nossa Senhora do Socorro/SE. Para tanto, compuseram as principais fontes teóricas os estudos que se inserem na(s) chamada(s) Pedagogia(s) da(s) Infância(s). Como instrumentos de geração de dados, utiliza-se a observação participante, o registro em diário de campo, fotografias e videogravações de momentos destinados à alimentação e ao banho. Os dados foram analisados a partir de observação, seleção e descrição de episódios interativos que foram produzidos na articulação entre os dados empíricos emergentes do estudo à luz do referencial teórico eleito. Evidenciamos que os momentos relativos ao banho e à alimentação estão marcados, em geral, por significativas ações interativas entre bebês e sua professora, constituindo-se em práticas educativas importantes para o desenvolvimento integral dos bebês, que se materializam em ações que vão para além de necessidades dietéticas e de higiene corporal, que também são importantes, mas que neste estudo são revelados enquanto momentos de aprendizagens sociais, culturais, afetivas, que integram a indissociabilidade cuidar/educar a criança. As ações interativas entre bebês e companheiros de idade revelam que eles são potentes nos aprendizados que empreendem sobre os cuidados pessoais recebidos durante o banho e a alimentação.

  • CAROLINE DE ALENCAR BARBOSA
  • A TERCEIRA ONDA: HISTÓRIA, EDUCAÇÃO E FASCISMO NA CUBBERLEY SENIOR HIGH SCHOOL (1967)
  • Orientador : DILTON CANDIDO SANTOS MAYNARD
  • Data: 27/02/2019
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa em desenvolvimento na linha História da Educação do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Sergipe tem como questão central o que tornou possível a prática do fascismo dentro da instituição escolar a partir do caso The Third Wave (A Terceira Onda). A pesquisa usará como fontes privilegiadas o periódico estudantil The Catamount entendendo o jornal estudantil enquanto elemento formativo, além de ferramenta que demonstra as vivências educativas com o olhar discente. A Terceira Onda consistiu em um experimento realizado com alunos dos segundo, terceiro e sexto períodos da disciplina de História do Mundo Contemporâneo, ministrada pelo professor Ron Jones (1941-) na Cubberley Senior High School, localizada em Palo Alto, Califórnia, no ano de 1967. Jones pretendeu mostrar aos alunos a capacidade de persuasão de um grande líder ao educar as massas para a disciplina, seguimento de uma ideologia e a obediência utilizando como referência o partido nazista que, liderado por Adolf Hitler, conseguiu mobilizar a população durante os anos de governo do Terceiro Reich (1933-1945), no contexto da Segunda Guerra Mundial (1939-1945). O caso já foi abordado em duas produções fílmicas, uma produzida pelos Estados Unidos (1981) e outra de origem alemã (2008). Aqui, cabe ressaltar que o objetivo da presente pesquisa não é estudar as películas, mas analisar a experiência de Palo Alto. Para tanto, nesta pesquisa são de suma importância conhecimentos em torno de temáticas como fascismo, Segunda Guerra Mundial, nazismo e Educação. Concluímos que o fascismo está presente em nossa sociedade, necessitando somente de terreno fértil e pessoas dispostas a aceitá-lo. Portanto, compreende-se a educação como um espaço vital para o diálogo e esclarecimento dos discentes em torno de temas como o fascismo, seus reflexos em nossa sociedade e suas consequências, além do reforço do debate em torno da intolerância dentro e fora do ambiente escolar.

  • JÂNIO NUNES DOS SANTOS
  • O TRABALHO COM GÊNEROS TEXTUAIS NA FEITURA DE SI E DO OUTRO: MEMÓRIAS DE PROFESSORES ALFABETIZADORES EGRESSOS DO PNAIC
  • Orientador : ELIANA SAMPAIO ROMAO
  • Data: 27/02/2019
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Este trabalho consiste numa reflexão sobre as contribuições promovidas pelo “PactoNacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC) na prática de professorasalfabetizadoras, a partir do trabalho com gêneros textuais no processo de alfabetizarletrando ou letramundiando durante suas experiências no (PNAIC). Para isso, analisa osfalares em narrativas de os professores alfabetizadores, a partir de suas memóriasdecorrentes de anos de experiências no PNAIC, especificamente no campo de LínguaPortuguesa, no trato com gêneros textuais atrelados ao processo de alfabetização eletramento. Nesse cenário, atenta-se para o engendramento da leitura e da escrita nociclo de alfabetização com às práticas sociais. Constitui-se uma pesquisa de naturezaquali-narrativa, que se vale do método que privilegia a narratividade por meio deentrevistas narrativas. Para tanto, foram eleitos como participantes deste caminharcinco professoras de uma escola pública localizada na cidade de Igaci, agreste alagoano.Trabalha os conceitos de gênero textual, alfabetização e letramento a partir de autorescomo Freire, Ferreiro, Soares, Romão, Marcuschi, Bezerra, Barbosa e Rovai dentreoutros. E toca na questão formativa do professor alfabetizador no Brasil na esteira dospostulados de Saviani e Villela para discutir o programa de formação continuada aquiestudado (PNAIC). Tem como marco teórico para a trilha metodológica: Jovchelovitche Baue, Scholze, além de Motta que fundamenta a escolha de análise dos dadoscoletados, bem como as respostas neles imiscuídas.

  • ANDRÉIA BISPO DOS SANTOS
  • PRESERVANDO MEMÓRIAS, ESCREVENDO HISTÓRIAS: UM OLHAR SOBRE O ARQUIVO CENTRAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE (1998 – 2016)
  • Orientador : JOSEFA ELIANA SOUZA
  • Data: 27/02/2019
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A dissertação tem como objetivo geral historiar a criação e funcionamento do Arquivo Central daUniversidade Federal de Sergipe (AC/UFS), além de analisar a contribuição educativa, entre osanos de 1998 a 2016. Situado na Cidade Universitária Prof. José Aloísio de Campos, no Municípiode São Cristóvão, sua criação teve início em 1997 e foi inaugurado em 17 de dezembro de 1998,ano em que a UFS comemorou 30 anos de implantação. O AC/UFS teve como idealizadores, oentão Vice-Reitor Josué Modesto dos Passos Subrinho, os professores Beatriz Góis Dantas, ItamarFreitas de Oliveira, Terezinha Alves de Oliva, Verônica Maria Meneses Nunes, Lenalda AndradeSantos e a arquivista Zenilde de Jesus Silva membros da Comissão 30 anos/UFS – na SubcomissãoArquivo e Memória que perceberam a necessidade de criar um local apropriado e que garantisseguardar a memória documental da UFS. A luta pela criação foi iniciada no ano de 1993, masganhou força no ano de 1995, ano que marcou o encerramento das atividades de microfilmagem noCentro de Microfilmagem (CEMIC), uma vez que o prédio foi construído para essa finalidade,porém com a decadência dessa atividade, se pensou em construir um arquivo anexado ao antigocentro para a guarda dos documentos que se encontravam espalhados nos setores da universidade.Portanto, o recorte cronológico desse estudo tem como primeiro marco inicial o ano de 1998, quediz respeito a sua criação e o ano de 2016, por ser o ano de recebimento do último documento, ouseja, a partir dessa data o Arquivo não recebe mais a documentação produzida pela UFS, por não terespaço para abrigar os novos documentos, além de existir na Universidade o Sistema de Informaçãodos documentos, ou seja, são digitalizados. A abordagem da pesquisa é de cunho qualitativo, alémda utilização dos procedimentos documentais e bibliográficos. A metodologia deste estudo estápautada no uso da bibliografia afinada com a discussão, documentos impressos, fotografias einformações obtidas por meio das entrevistas realizadas. Neste estudo trabalhamos com as seguintescategorias e os respectivos teóricos para dar conta de conceitos como: “Arquivo permanente”(Belloto, 2006) “Documento” e “Memória” (Le Goff, 2003), “História oral” (Alberti, 2011) e“Intelectual engajado” (Sirinelli, 1996).Os locais de coletas foram sites como: Banco de Teses eDissertações da Capes, página virtual do Programa de Pós-Graduação em Educação daUniversidade Federal de Sergipe, Scielo, além dos locais físicos como: Arquivo Central da UFS,Biblioteca Central da UFS e Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe. Chegamos no ponto queacreditamos que seja um ponto final na narrativa dessa história, porém percebemos que não temcomo finalizar a história de um guardião de memórias, o AC/UFS nasce num momento de expansãoda Universidade Federal de Sergipe, onde um grupo de intelectuais preocupados com a preservaçãoda memória institucional se reúnem em prol da construção e implantação do Arquivo Central daUFS, para muitos seria apenas um local de depositar “papéis velhos”, mas para o grupo deintelectuais engajados era o início da guarda permanente dos documentos produzidos pelainstituição ao longo de 30 anos. Cabe destacar que inicialmente foi criado para atender anecessidade da administração do campus, mas os indivíduos envolvidos no processo de implantaçãoviu além dessa função, ou seja, via como um lugar que preservaria a documentação histórica e quepoderia servir aos pesquisadores que estudam a história da Universidade Federal de Sergipe ououtro tema ligado a História de Sergipe e do Brasil.

  • CRISLANE DIAS SANTANA
  • ENSINO DE HISTÓRIA E PERTENCIMENTOS NACIONAIS: NARRATIVAS DE ALGUNS JOVENS SERGIPANOS SOBRE O BRASIL
  • Orientador : MARIZETE LUCINI
  • Data: 27/02/2019
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa objetiva analisar as narrativas produzidas por jovens sobre os seus pertencimentos nacionais e as implicações destas no Ensino de História. A proposta de investigar narrativas sobre pertencimentos vincula-se a uma Pesquisa em rede também desenvolvida juntamente com outras instituições nacionais (UFRGS, UEPG, UFS e o IFG), denominada “O país e o mundo em poucas palavras: narrativas de jovens sobre seus pertencimentos - implicações para o ensino de história”. Consideramos que as narrativas sobre os pertencimentos nacionais estão permeadas por saberes que circulam socialmente e participam dos processos de ensinar e aprender história, por isso nos interessa saber quais são os conhecimentos históricos sobre o Brasil narrados por jovens sergipanas/sergipanos com 12 e 16 anos de idade e quais são as justificativas históricas referenciadas por elas/eles ao narrarem o processo de construção da democracia. Como instrumentos de pesquisa priorizamos a aplicação de questionário com duas questões abertas, realizadas em duas escolas públicas (A e B). A análise é desenvolvida a partir de alguns autores do campo da Didática da História entre eles, Rüsen (2006), Cerri (2010), Saddi (2012); da identidade, identidade nacional e ensino de História temos Woodward (2004) e Zamboni (2003). Nesse texto, as reflexões incidirão sobre uma parte dos dados coletados com 49 jovens, 27 com idade de 12 anos e 22 com 16 anos, do Colégio A. Os resultados preliminares nos possibilitam refletir que apesar das/dos alunas/alunos não externarem os conceitos de determinadas palavras/expressões, eles relacionam acontecimentos do passado com o presente, de modo linear e não linear e evidenciam também saberes que circulam socialmente em relação a alguns conhecimentos históricos.

  • JOSELENE TAVARES LIMA PEREIRA
  • O SMARTPHONE COMO DISPOSITIVO DE APRENDIZAGEM EM TEMPOS DE CONVERGÊNCIA E MOBILIDADE
  • Orientador : SIMONE DE LUCENA FERREIRA
  • Data: 27/02/2019
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Nos últimos anos vivenciamos um acelerado desenvolvimento e disseminação da telefonia móvel no mundo e no Brasil. Nesse contexto, surgem os “celulares inteligentes” ou smartphones, os quais possibilitam a convergência de diferentes mídias nos mais variados formatos e linguagens, ampliando demasiadamente o acesso e compartilhamento de informações. No campo educacional, esta tecnologia comunicacional também está presente em diversos espaçostempos do cotidiano escolar. Deste modo, questionamos: Como alunos do ensino médio podem aprender ao usar seus smartphones nos diferentes espaçostempos da escola? Como os alunos utilizam esses dispositivos móveis na sala e durante as aulas, no processo de aprendizagem e na produção do conhecimento? A presente pesquisa tem por objetivo geral compreender as aprendizagens dos discentes do ensino médio com os seus smartphones nos diferentes espaçostempos do cotidiano escolar. A metodologia utilizada é de abordagem qualitativa no campo da pesquisa-ação. Os praticantes culturais desta investigação são alunos da 1ª série do ensino médio de uma escola pública estadual, localizada no município de Nossa Senhora do Socorro - SE. Foram utilizados os seguintes dispositivos para a produção dos dados: oficinas pedagógicas, diário de pesquisa, registros fotográficos, gravações de áudio e vídeo das situações vivenciadas em sala de aula, ou seja, no cotidiano escolar dos praticantes culturais; por fim foram também realizadas rodas de conversa. A análise dos dados foi feita a partir da abordagem multirreferencial e dos estudos nos/dos/com os cotidianos, considerando os aspectos socioculturais e educacionais presentes nas narrativas dos sujeitos no contexto escolar. Os resultados evidenciam que os praticantes culturais desta pesquisa estão imersos na cibercultura e na cultura da mobilidade, tendo em vista que se utilizam dos smartphones para diversas finalidades durante as aulas e em todos os espaçostempos da escola, não apenas para realizar pesquisas acadêmicas e estudos das disciplinas, mas também para produzir informações e conhecimentos variados.

  • MARIA LUIZA PÉROLA DANTAS BARROS
  • O TRABALHO COM AS FOTOGRAFIAS NO ENSINO DA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL: UM ESTUDO COMPARADO DAS COLEÇÕES DO PNLD 2018
  • Orientador : DILTON CANDIDO SANTOS MAYNARD
  • Data: 27/02/2019
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta dissertação investiga, a partir de uma perspectiva comparada, como as fotografias que representam a Segunda Guerra Mundial, vistas aqui como fontes que colaboram na narrativa dos fatos, foram trabalhadas nos livros didáticos de História, aprovados pelo Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) 2018, e que teve por público alvo os alunos e professores do ensino médio das escolas públicas brasileiras. Para montar a categoria “fotografia de Segunda Guerra”, utilizada nesta pesquisa, agrupou-se as imagens a partir de alguns filtros: fotografias, tiradas entre os anos do conflito (1939-1945) que, dentro dos livros didáticos, se localizam nos capítulos relacionados à temática, e que direta/indiretamente retratam alguns de seus aspectos. Os livros didáticos utilizados foram os manuais do professor, que tanto comportam a parte destinada ao discente, quanto o suporte pedagógico ao docente, tendo em vista estes possibilitarem uma visão geral de cada obra. A partir disto, objetivamos compreender de que maneira as coleções aprovadas materializaram as exigências do Edital 2018, no que se refere ao trabalho destas fotografias em suas obras, a partir do conceito de ancoragem da imagem pelo texto, proposto por Barthes (1964;1990). A metodologia utilizada nesta pesquisa foi a História Comparada (KOCKA, 2003; BARROS, 2007; PONTE, 2007), tendo em vista fornecer condições para uma observação mais sistematizada do objeto em questão, no que se refere as semelhanças e, principalmente, as diferenças existentes no trato das fotografias por cada coleção, sujeitas, por sua vez, a um mesmo edital. Com esta pesquisa é possível perceber que, por mais que a polissemia existente em tais imagens seja impossível de ser esgotada na legenda, dada o caráter do livro didático ser uma obra de síntese, em alguns momentos isto se torna prejudicial ao entendimento de dimensões de suma importância no conflito, como o caráter marcadamente ideológico presente no trato dispensado, por exemplo, aos judeus pelos nazistas. Este ponto acaba por demonstrar que, diferente da proposta inicial do Edital 2018, no que se refere as fotografias serem tratadas pelas coleções como fonte no ofício de narrar os fatos históricos, por vezes algumas das coleções aprovadas acabaram negligenciando informações, prejudicando o entendimento de aspectos importantes do conflito em questão.

  • SALIM SILVA SOUZA
  • O CURSO DE BIBLIOTECONOMIA E DOCUMENTAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE (2008-2017): criação, implantação e funcionamento
  • Orientador : JOSEFA ELIANA SOUZA
  • Data: 27/02/2019
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Este estudo tem como objetivo geral analisar a trajetória histórica do Curso deBiblioteconomia e Documentação criado na Universidade Federal de Sergipe,examinando seu processo de criação, implantação e funcionamento no cenário do ensinosuperior sergipano. Definiu-se como marco temporal inicial 2008, ano que foiapresentado o projeto para a criação do curso e final 2017, ano que se inicia o primeirocurso de mestrado profissional em Gestão da Informação e do Conhecimento. Esseestudo justifica-se pelo seu caráter pioneiro no que tange a área da história daBiblioteconomia no Estado, e por sua contribuição no estudo da história da educaçãosuperior sergipana. Buscou-se explorar o potencial da pesquisa qualitativa, apresentandoa metodologia da História Oral como forma de contribuir na construção do pensamentosobre o objeto de estudo, por meio das vivências dos egressos, professores e ex-professores do curso, bem como seus fundadores, extraídas através de entrevistas.Foram reunidos diversos documentos, como atas do Conselho Departamental do cursode Biblioteconomia e Documentação, do Núcleo Docente Estruturante do DCI e doConselho do Colegiado do Centro de Ciências Sociais Aplicadas, além do ProjetoPedagógico do Curso, Portarias e Ofícios relevantes ao tema proposto encontrados pormeio de visitas ao Arquivo Central da UFS, a Secretaria do Departamento de Ciênciasda Informação, a Biblioteca Central da UFS e a Divisão de Métodos e Técnicas deEnsino da Pró-Reitoria de Graduação da UFS (DIMET). Para nortear esse estudobuscou-se respaldo na Nova História Cultural, que trabalha os conceitos de Memória eDocumento (LE GOFF, 2001; 2003), Representação (CHARTIER, 1988), CampoIntelectual (BOURDIEU, 1996) e Intelectual Engajado (SIRINELLI, 1996). Essapesquisa também se norteia pela abordagem da micro-história (LEVI, 1992). A pesquisaencontra-se em desenvolvimento, estando em análise o material coletado e inventariado,a saber impressos, digitais e sonoros. Pretende-se ao final do projeto verificar os agentese instituições envolvidas nesse processo de criação até o funcionamento do curso deBiblioteconomia e Documentação da UFS.

  • LAÍS GOIS DE ARAUJO
  • A PRÁTICA EDUCATIVA DA MANDIOCADA NAS COMUNIDADES QUILOMBOLAS TABULEIRO DOS NEGROS E SAPÉ – ALAGOAS
  • Orientador : MARIZETE LUCINI
  • Data: 26/02/2019
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa objetiva compreender o processo de transmissão dos saberes tradicionaisatravés de práticas educativas não escolares nas comunidades remanescentes dosquilombos Tabuleiro dos Negros e Sapé, localizadas, respectivamente, nos municípiosde Penedo e Igreja Nova, estado de Alagoas. Procedemos pela identificação dos saberestradicionais que circulavam no cotidiano vivido pelos sujeitos quilombolas, pelomapeamento das práticas educativas desenvolvidas pelo grupo na transmissão dossaberes tradicionais e análise dos processos educativos privilegiados pelos sujeitos naconstituição de uma identidade quilombola. Nossa proposta se coloca em um viés deescuta sensível a partir da voz dos sujeitos das comunidades e das suas práticascotidianas. Nossa trama conceitual abarca a noção de culturas de tradição oral, a partirdo debate efetuado por Hall (2003) e Pacheco (2015), as culturas diaspóricas a partir deautores como Fanon (2008) e Sodré (2002) e o conceito de decolonialidade que abarcanossa compreensão dos processos educativos que surgem a partir de culturas diaspóricasde tradição oral no Brasil, principalmente a partir das análises de Mignolo (2005, 2017)e Quijano (2000). Os resultados nos possibilitam identificar a presença deconhecimentos tradicionais que remetem à origem histórica dos sujeitos, às formas deproduzir e de vivenciar a religiosidade, que são transmitidos a partir de práticaseducativas às novas gerações. Estes saberes foram identificados a partir de nossainserção nos territórios em que desenvolvemos a pesquisa, através de consulta adocumentos, observações com anotações em diário de campo e realização de entrevistassemiestruturadas. A partir da nossa presença em campo e da consequente interferênciano cenário de pesquisa, observamos que o movimento suscitado despertou umsentimento, entre algumas lideranças das comunidades, de pertencimento a uma históriacoletiva que, se fortalecida, pode contribuir no conhecimento e defesa de seus direitossociais.

  • RODRIGO BELFORT GOMES
  • AMERICANISMO E ANTIAMERICANISMO: o ensino de Inglês no Brasil (1931-1951)
  • Orientador : LUIZ EDUARDO MENESES DE OLIVEIRA
  • Data: 26/02/2019
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O Método Direto para o ensino das línguas vivas foi desenvolvido no final do século XIX, a partir dos estudos da nova ciência, a fonética, que forneceu bases científicas para suprir a demanda dos professores por uma metodologia que fosse mais intuitiva e primasse pela oralidade. Em terras brasileiras, o Método Direto aportou oficialmente pela Reforma Francisco Campos, em 1931, durante o governo Vargas, e foi a primeira vez em que a legislação determinou um método de ensino a ser utilizado. A reforma que trouxe o método para o Brasil foi realizada em uma década de grandes acontecimentos no mundo, com destaque para a queda da Primeira República brasileira e o início da Segunda Guerra Mundial. Nesse contexto de guerra, as relações entre Brasil e Estados Unidos da América se intensificaram, a partir de políticas norte-americanas, como a da Boa Vizinhança, cujos impactos para a sociedade brasileira podem ser vistos até os dias de hoje. Mais tarde, em 1942, pela reforma que levou o seu nome, o ministro Gustavo Capanema ratificou o Método Direto como de eleição para o ensino das línguas vivas e, em 1951, a Reforma Simões Filho propôs a separação do estudo da língua e da literatura inglesa. Assim, é objetivo desta Tese investigar a trajetória do ensino de Inglês entre o período de 1931 a 1951, frente à institucionalização do Método Direto e à luz do americanismo. Para tanto, fez-se necessário o estudo da legislação educacional, das políticas norte-americanas no Brasil, dos jornais de circulação da época e a análise dos livros didáticos, quanto à sua constituição e ao grau de conformidade com o Método Direto e a lei, em um momento de expansão do ensino da Língua Inglesa diante da influência cultural e econômica dos Estados Unidos. A investigação possibilitou a percepção da inclusão de alguns pontos do Método Direto em livros didáticos de inglês da década de 30 e 40, bem como ocorrências desse método em jornais da época, por meio de anúncios ou matérias. Ao mesmo tempo, percebeu-se, também, uma dificuldade em romper com práticas seculares, como as do ensino dedutivo da gramática e do uso da tradução, além de uma forte presença norte-americana, por intermédio de ações em diversas frentes que impulsionaram a Língua Inglesa no Brasil.

  • ANA LUIZA ARAUJO PORTO
  • LIVROS DIDÁTICOS DE HISTÓRIA:UMA HISTÓRIA COMPARADA BRASIL E CUBA (2013-2015)
  • Orientador : DILTON CANDIDO SANTOS MAYNARD
  • Data: 26/02/2019
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta tese realiza uma investigação com os livros didáticos de História utilizados na modalidade de ensino de nível médio de escolas públicas. Ela se situa teórica e metodologicamente nos marcos da História Comparada a partir do estabelecimento de comparação entre a escrita didática da História no Brasil e em Cuba no que tange à construção dos conceitos históricos. A comparação se deu entre as dezenove coleções brasileiras do PNLD 2015 e a coleção cubana que estava em uso no ano de 2015. A justificativa para a comparação entre Brasil e Cuba se fez necessária a partir da relação que o Brasil vem desempenhado na América Latina nas últimas duas décadas. Da História Comparada nos utilizamos das contribuições fundacionais de Marc Bloch, quando este defende a Comparação como estratégia metodológica para perceber semelhanças e diferenças entre realidades nacionais distintas. Nesse sentido, as aproximações entre Brasil e Cuba se dão no fato de que ambos foram colônias de países europeus, utilizaram mão-de-obra escrava e foram os últimos países do continente a abolir a escravidão. Os afastamentos entre os dois países se dão nas diferenças entre os regimes políticos vivenciados atualmente. Nos apropriamos das contribuições teóricas de Peter Lee e Hillary Cooper para ler nossas fontes, associando a nomenclatura cunhada pelos dois autores acerca do que seriam os conceitos históricos que se subdividem em conceitos substantivos e conceitos meta-históricos. Esta tese se compõe de cinco partes: uma introdução, três capítulos e as considerações finais. No primeiro capítulo caracterizamos o livro didático brasileiro e as políticas públicas que o envolvem, como também inventariamos as pesquisas sobre livros didáticos de História no Brasil. No segundo capítulo caracterizamos o livro didático cubano e a educação cubana, dando destaque para a escola pré-universitária. O terceiro capítulo seguiu com a análise e a comparação dos conteúdos conceituais substantivos e meta-históricos nos livros didáticos de História. Foram analisados quatro conceitos históricos: três conceitos substantivos e um conceito meta-histórico. Analisamos os seguintes conceitos substantivos: a Revolução Russa de 1917; a Revolução Cubana de 1959; e a América Latina no Tempo Presente. O conceito meta-histórico que foi analisado refere-se às fontes e documentos históricos. A partir da análise empreendida, construímos a História Comparada da escrita didática da História no Brasil e em Cuba. Concluímos que, enquanto o Brasil convive com uma diversidade de análises históricas na escrita didática, em Cuba essa pluralidade não é possível. O que pode ser explicado pelo fato de que em Cuba a disciplina História se situa como uma das estratégias de formação num país que tem seu processo histórico marcado nas lutas por independência e soberania política.

  • FATIMA BEZERRA NEGROMONTE
  • MANOEL BOMFIM E A EDUCAÇÃO: INTERFACES DISCURSIVAS ENTRE A PEDAGOGIA E PSICOLOGIA (1905-1917)
  • Orientador : MARIA NEIDE SOBRAL
  • Data: 26/02/2019
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O sergipano Manoel Bomfim (1868-1932) é, hoje, considerado um dos maiores intérpretes doBrasil. Médico de formação, escritor, educador, psicólogo, e político, ele ocupou cargos derelevância na área da educação no Rio de Janeiro. Estudou Psicologia na França em 1902,onde foi orientado por Alfred Binet e George Dumas. Instalou, em 1906, o primeirolaboratório de psicologia do Brasil e publicou livros fundamentados nas suas experiênciasempíricas. Bomfim tornou-se um dos pioneiros a convergir trabalhos em Pedagogia ePsicologia no Brasil, temas ainda pouco estudados. Nessa perspectiva, esta tese teve comoquestão central: quais as interfaces entre a Pedagogia e a Psicologia nos discursos doeducador Manoel Bomfim? Também foram indagações correlatas: quem foi o intelectualManoel Bomfim e quais lugares institucionais ele ocupou? Qual a função-autor assumida porManoel Bomfim nos seus discursos pedagógicos? Quais enunciados ele produziu sobre aPedagogia e a Psicologia? Tendo como referência essas questões, o objetivo central dapesquisa foi analisar as interfaces discursivas de Manoel Bomfim na Pedagogia e naPsicologia. Já os objetivos específicos foram: esboçar um perfil de Manoel Bomfim e doslugares institucionais os quais atuou; identificar a função-autor assumida por Manoel Bomfimnos seus discursos pedagógicos; descrever os enunciados discursivos do autor sergipano sobreas interfaces discursivas entre a pedagogia e a psicologia. Os enunciados discursivos foramextraídos, principalmente, dos livros Lições de Pedagogia (1915) e Noções de Psychologia ede dois discursos proferidos pelo autor: o primeiro, intitulado O respeito à criança (1906); osegundo, A Pessoa Moral da Criança (Direito da Criança ser Educada) (1922), dialogandocom outras obras do autor. Optei como procedimentos metodológicos dessa pesquisa, autilização do método arqueológico foucaultiano de análise do discurso (FOUCAULT, 2005,2009, 2012). A pesquisa apontou que suas experiências intelectuais e profissionaispossibilitaram-lhe construir discursos educacionais relacionados com princípios da psicologia.As proposituras pedagógicas do autor eram, majoritariamente, vinculadas à EscolaFuncionalista, cujo alicerce era a teoria evolucionista de Charles Darwin (1809-1882). Seusenunciados apontavam a necessidade de práticas pedagógicas em uma perspectivademocrática, transformadora e humanista no intuito de levar o país a ansiada civilização.

  • VALERIA JANE SIQUEIRA LOUREIRO
  • O espanhol em Sergipe: políticas declaradas, praticadas e percebidas
  • Orientador : RAQUEL MEISTER KO FREITAG
  • Data: 26/02/2019
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • As ações em relação às línguas, como a implementação do ensino de uma língua estrangeira nas escolas ou a definição da língua oficial de um território, são resultados de uma política linguística. No Brasil, a inclusão de oferta de ensino de língua estrangeira no sistema escolar pela Lei 9.394/1996, de oferta obrigatória, mas de escolha livre pela comunidade escolar. A partir do ano de 2009, Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) passa a ser o principal meio de acesso à educação superior e o espanhol, juntamente com o inglês, passou a ser uma das opções de escolha de língua estrangeira moderna na prova de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. No ano seguinte, a língua de Cervantes passou a ser conteúdo curricular de oferta obrigatória para o Ensino Médio em todo país por determinação da Lei 11.161/05. Neste cenário educacional, este trabalho descreve o percurso do espanhol em Sergipe na perspectiva das políticas linguísticas declaradas, praticadas e percebidas (SPOLSKY, 2004, 2009), no escopo de 2005, ano da promulgação da Lei 11.161/05, até 2017, quando é revogada pela Lei 13.415/17, que estabelece a oferta obrigatória de língua inglesa para o Ensino Fundamental a partir do sexto ano e todo o Ensino Médio. No campo das políticas declaradas, em relação ao espanhol, cada estado teve a liberdade de legislar sobre como esta oferta obrigatória seria implementada. Em Sergipe, a política praticada foi a do plurilinguismo obrigatório, com o espanhol dividindo espaço no currículo com o inglês, visto que o Conselho Estadual de Educação, por meio da Resolução Normativa 003, de 22 de dezembro de 2009, estabeleceu a sua oferta e matrícula em caráter de obrigatoriedade na rede pública de ensino, tolhendo a liberdade de escolha prevista pelas Leis 9.394/1996 e 11.161/05. Apesar da oferta e matrícula obrigatórias por força de instrumento declarado em Sergipe, a implementação das línguas não foi homogênea: escolas estaduais de Ensino Médio Convencional destinaram o mesmo tempo de aula para cada uma das línguas, enquanto escolas estaduais de Ensino Médio Inovador destinaram o dobro do tempo de aula para inglês. No ensino médio convencional da rede federal em Sergipe, o espanhol foi somente de oferta obrigatória, juntamente com a oferta de outras línguas, como o inglês e o francês, todas com a matrícula facultativa para os estudantes. Na perspectiva das políticas percebidas, e considerando o protagonismo do ENEM no sistema educacional brasileiro, constatamos que, no ano de 2016, o espanhol foi a língua mais escolhida em quatro das cinco regiões do Brasil. Exceção foi o Sudeste, onde o percentual de escolha das línguas foi equânime (50% para cada uma). Na região Nordeste (onde está situado o Estado de Sergipe, foco do nosso trabalho), o espanhol correspondeu à escolha de 71% dos participantes, conforme relatório do INEP. Em princípio, a tendência de escolha do espanhol poderia ser associada ao resultado da política declarada e praticada. Não foi o que constatamos em uma investigação exploratória sobre as motivações dos estudantes para a escolha de língua estrangeira no ENEM 2016, a partir da aplicação de um instrumento de pesquisa, em amostra voluntária por adesão aos estudantes do 3oano de quatro instituições de ensino de Sergipe (n = 767), classificadas quanto ao tipo de ensino médio oferecido e rede, e vinculadas à época ao projeto “Desenvolvimento de tecnologias sociais para formalização e ressignificação de práticas culturais em Aracaju/SE”: Colégio Estadual Atheneu Sergipense (n = 254), Colégio Estadual Professor João Costa (n = 364), Colégio Estadual Ministro Petrônio Portela (n = 88) e Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Sergipe (n = 66). A escolha do espanhol foi de 70%, refletindo o resultado obtido pelo INEP. Ao desvelarmos os resultados, consideramos, além dos efeitos da política praticada, que se revelam pela normalização curricular, as motivações para aprendizagem de uma língua estrangeira (DÖRNYEI, 2001; GARDNER, 1985, 1988), em termos das práticas experienciais e o engajamento do estudante. No que tange à normalização curricular, constatamos que, independente de maior tempo de exposição ao inglês e relativa superioridade de carga horária atribuída a essa língua nas escolas, o espanhol foi a língua mais escolhida pelos alunos no ENEM, o que aponta para o não efeito da política em si. Em relação às práticas experienciais, contato que os estudantes tinham, fora do ambiente escolar, era maior com o inglês (filmes, música, cursos, jogos na internet, etc) do que com o espanhol. No entanto, ainda assim, o espanhol foi a língua mais escolhida. Quanto ao engajamento, os estudantes escolheram o espanhol justificando maior facilidade na compreensão e entendimento dessa língua (CELADA, 2002; KULIKOWSKI; GONZALEZ, 1999); essa foi, no entanto, a mesma justificativa apresentada por aqueles estudantes que escolheram o inglês. O argumento da facilidade não explica por si só a escolha; no entanto, identificamos que aqueles estudantes que escolheram inglês atribuíram valores positivos a esta língua e negativos para o espanhol; os estudantes que escolheram espanhol atribuíram valores positivos a ambas as línguas. Assim, a escolha é muito mais resultado de atitudes positivas atribuídas à língua do que da obrigatoriedade e da oferta. A Lei 11.161/05 agiu positivamente, uma vez que tornou obrigatória a oferta de ensino de uma língua estrangeira que aparece como opção no ENEM, facultando ao aluno a oportunidade de estudar uma língua estrangeira moderna que não fosse a hegemônica língua inglesa (CANAGARAJAH, 1999). No campo das políticas praticadas, nosso estudo mostrou que o espanhol foi, de fato, implementado nas escolas da rede pública em Sergipe. Apesar de as políticas declaradas e praticadas terem aberto o caminho para uma possibilidade de protagonismo do espanhol no sistema educativo brasileiro, as políticas percebidas apontam no sentido de que, ainda que esta língua seja a mais escolhida na avaliação para acesso à educação superior, ela não ocupou papel de destaque estável na educação básica (BARROS; COSTA; GALVÃO, 2016).

  • LIVIA JESSICA MESSIAS DE ALMEIDA
  • POLÍTICAS PÚBLICAS PARA EDUCAÇÃO DAS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS EM FEIRA DE SANTANA-BAHIA (2006-2016)
  • Orientador : PAULO SERGIO DA COSTA NEVES
  • Data: 26/02/2019
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente tese analisou as políticas públicas para educação das relações étnico-raciais estruturadas nas gestões municipais de Feira de Santana-BA, no período de 2006 a 2016, estabelecendo relações com as formulações dos movimentos negros para uma educação antirracista. Desse modo, foi traçado os subsequentes objetivos específicos: a) discutir os processos de construção das ações afirmativas para educação para as relações étnico-raciais diante do contexto de políticas públicas desenvolvidas pelo Estado brasileiro; b) mapear as propostas e ações planejadas e realizadas pela Secretaria Municipal de Educação de Feira de Santana-BA, no período de 2006-2016, bem como investigar se tem chegado as escolas públicas da cidade; c) identificar a participação dos movimentos negros de Feira de Santana-BA nos processos de formulação e implementação, no período de 2006-2016; d) investigar as contradições, os atores, a atuação, os marcos, metas operacionais e os princípios que compreenderam as políticas educacionais para relações étnico-raciais das gestões municipais de 2006-2016. A pesquisa se fundamentou no método materialista histórico-dialético associado às discussões teóricas contemporâneas dos campos das relações étnico-raciais e das políticas públicas. Nesse sentido, optamos por uma pesquisa de cunho qualitativo que realizou análises documentais, com documentos oficiais e não-oficiais relativos a essas políticas do município; realização de entrevistas semiestruturadas, com nove sujeitos(as) que compuseram a equipe responsável pela implementação das leis no município e integrantes dos movimentos negros da localidade; e, aplicação de questionários a uma amostra não-probabilística e intencional de 36 escolas públicas da Rede Pública Municipal de Feira de Santana. Para o tratamento dos dados utilizamos a Análise do Conteúdo a partir do auxílio do software Microsoft Excel, para tabulação dos dados questionários, e software Nvivo para organização dos dados provenientes das entrevistas e das questões abertas. Em nossas análises, concluímos que a Secretaria Municipal de Educação de Feira de Santana-BA possui ações para o trabalho com as relações étnico-raciais que dialogam com as formulações dos movimentos negros, mas essas ações foram realizadas de forma descontínua e fragmentada devido a ausência de vontade política e as imposição de limitações sistêmicas, hierárquicas e de recursos, bem como pela indefinição sobre a prioridade no tratamento da questão étnico-racial nas gestões municipais, ocasionadas por disputas hegemônicas e práticas de racismo institucional presentes no espaço.

  • ARTEMIS BARRETO DE CARVALHO
  • POLÍTICAS PÚBLICAS PARA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NO BRASIL: UMA ANÁLISE SOBRE A CONCEPÇÃO, EXECUÇÃO E GESTÃO DO PRONATEC NO ÂMBITO DA BOLSA-FORMAÇÃO (2011-2018)
  • Orientador : SONIA MEIRE SANTOS AZEVEDO DE JESUS
  • Data: 25/02/2019
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A Educação Profissional é um fenômeno social e universal na história da humanidade, a legislação brasileira preconiza a sua transversalidade nos diferentes níveis e modalidades educacionais, assegurando que a sua abrangência contemple para além da dimensão do Trabalho – a ciência e a tecnologia. A lei também prevê que é dever do Estado oferecê-la gratuitamente enquanto instrumento para a emancipação socioeconômica e cultural do indivíduo que por ela optar. Porém, o sistema de desenvolvimento capitalista, ditado pelos organismos internacionais, têm idealizado a Educação Profissional como estratégia para a formação de mão de obra barata, a fim de atender aos interesses do mercado de capital, justificados pela necessidade de geração de emprego e renda, bem como pela eminência empresarial de competitividade, o que muito tem contribuído para o aumento das desigualdades sociais. Nesta direção, a política neoliberal que se instalou no Brasil a partir do governo de Fernando Henrique Cardoso e que vem se perpetuando até hoje – cuja ideologia é a diminuição do papel do Estado sob as pastas de maior impacto socioeconômico, parece ter deflagrado em 2011, na gestão da então presidente Dilma Rousseff, o seu golpe sob a Educação Profissional, quando da criação do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), o qual, por meio da ação denominada “Bolsa-Formação”, passou a financiar – com recursos públicos, a oferta de cursos de formação profissional de níveis fundamental e médio, por meio da iniciativa privada, o que tem sido alvo de constantes denúncias acerca do seu caráter mercantil, privatista e tecnicista. Diante do exposto, este estudo aborda questões diretamente ligadas às Políticas Públicas de Educação Profissional no Brasil, mais especificamente o Pronatec no âmbito da Bolsa-Formação no período compreendido entre 2011 e 2018. O objetivo é analisar as contradições e implicações existentes na mediação entre o discurso oficial e a materialidade que permeiam a concepção, a execução e a gestão do Pronatec/Bolsa-Formação, sob à luz da defesa de uma Educação Profissional pública, gratuita, politécnica e de qualidade. Metodologicamente optamos pela pesquisa exploratória de abordagem qualitativa com procedimentos descritivos e analíticos, ancorados na teoria epistemológica do Materialismo Histórico e Dialético, cuja origem remete-se ao estudo dos fenômenos atuais sob a égide dos aspectos socioculturais, econômicos e políticos. Para subsidiar a pesquisa, foram realizadas análises bibliográficas e documentais – oficiais e extraoficiais, bem como o cruzamento e a interpretação de dados coletados a partir de consultas a sistemas e endereços eletrônicos voltados ao objeto de pesquisa. Como resultado, pode-se inferir que o Pronatec/Bolsa-Formação foi concebido sob a ideologia neoliberal de mercantilização e terceirização da Educação Profissional, tendo como protagonista para a materialização de tais práticas o Sistema “S”. Apesar dos vultuosos números de matrículas e de recursos financeiros contabilizados, a execução do Pronatec/Bolsa-Formação não cumpriu efetivamente às finalidades e objetivos estabelecidos na legislação, tampouco sua gestão que, justificada pela falta de recursos humanos e logísticos com consequências para o reducionismo e a precarização da Educação Profissional.

  • MARIA CONCEIÇÃO DA SILVA LINHARES
  • A COMUNICAÇÃO SINDICAL: AS REDES DIGITAIS COMO ESPAÇO PARA A FORMAÇÃO POLÍTICA DOS PROFESSORES EM SERGIPE
  • Orientador : SONIA MEIRE SANTOS AZEVEDO DE JESUS
  • Data: 25/02/2019
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta tese intitulada A comunicação sindical: as redes digitais como espaço para aformação política dos professores em Sergipe trata de estudar a contribuição dacomunicação sindical mediada pelos meios digitais, especificamente, site e facebookpara a formação política dos professores representados pelo Sindicato dosTrabalhadores em Educação Básica da Rede Oficial do Estado de Sergipe – SINTESE.O objeto da pesquisa foi construído a partir da indagação se as redes digitais utilizadaspelo movimento sindical de educação em Sergipe são mediadoras de um processo decomunicação que contribui para a formação política dos professores. A nossa hipótese éa de que as redes digitais dos sindicatos de professores do Estado de Sergipe sãoespaços de comunicação que acomodam processos de informação, produção e interaçãoe que, sua estruturação e utilização podem servir de lócus à formação política de seususuários. Para desenvolver a pesquisa traçamos os seguintes objetivos: Discutir o papelda comunicação para a formação política dos trabalhadores a partir da organizaçãosindical; Discutir a importância dos instrumentos de comunicação sindical nofortalecimento da formação política dos professores; Investigar a função e o uso dasredes digitais do SINTESE considerando o conteúdo, as interfaces de comunicação einteração, o acesso e as estratégias de comunicação em direção à formação política dosprofessores; Os procedimentos teórico-metodológicos embasados no materialismohistórico-dialético, subsidiará o estudo da comunicação dos movimentos sindicais emSergipe em dois aspectos de análise, a partir da política de comunicação apresentada nosdocumentos oficiais e nas falas das direções sindicais para identificar na política decomunicação desses sindicatos, o lugar da comunicação e o nível de mediação das redesdigitais na formação política dos professores e dos usos que fazem os professores nessasredes de comunicação para capturar o que aprendem. Considerando a natureza do objetoprocuraremos examiná-lo a partir de uma variedade de instrumentos e técnicas como,análise de conteúdo, análise documental, análise de redes de comunicação digitais e deentrevista. Como resultados da pesquisa demarcamos que os sindicatos intencionam nassuas ações de comunicação utilizar as redes digitais para informar e formar, no entanto,identificamos alguns problemas que indicam a necessidade de aprofundar o uso dosinstrumentos de comunicação para melhorar a formação e participação política sindical,tão necessária na atualidade.

  • CARLA DA CONCEIÇÃO ANDRADE
  • SABERES DOCENTES E TECNOLOGIAS DIGITAIS: A PARTIR DA PLATAFORMA GOOGLE FOR EDUCATION NO INSTITUTO FEDERAL DE SERGIPE
  • Orientador : ANNE ALILMA SILVA SOUZA FERRETE
  • Data: 25/02/2019
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa busca compreender quais são e como são construídos os saberes dos profissionaisque atuam como docentes no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipepara o uso das Tecnologias Digitais e Informação e Comunicação (TDIC) a partir do uso daplataforma Google For Education. Trata-se de uma investigação qualitativa, de caráterexploratório e que utiliza o estudo de caso como estratégia metodológica. A pesquisa estáfundamentada nos conceitos de Saberes Docentes e de Tecnologias Digitais de Informação eComunicação. O cenário é o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe –Campus Tobias Barreto. A amostra é composta por dois professores selecionados de maneiraintencional e não probabilística, além de um representante da gestão institucional. Utilizam-seas seguintes fontes de evidências: observação presencial e on-line, documentos institucionais eentrevistas. A análise das fontes resulta em três categorias: concepções sobre TDIC, saberesdocentes para o uso das TDIC e desafios frente às TDIC. Os resultados demonstram que osprofessores compreendem as TDIC como ferramentas de apoio pedagógico ao ensino. Aplataforma Google For Education é entendida como um repositório dos conteúdos discutidosem sala de aula. Quantos aos saberes docentes para o uso das TDIC, estes são construídos naformação continuada, oferecida pela instituição e na experiência adquirida com as práticas emsala de aula. Os saberes utilizados pelos professores são operacionais, voltados para ofuncionamento da plataforma. Mesmo assim, os professores começam a perceber o potencialpedagógico, empregando como espaço de interação entre os alunos ou como apoio no processoavaliativo.

  • JAILDA EVANGELISTA DO NASCIMENTO CARVALHO
  • Relações entre o Curso de Engenharia Agronômica do Campus Sertão Sergipano e a política pública da educação superior no campo.
  • Orientador : SOLANGE LACKS
  • Data: 25/02/2019
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente tese tem por tema de estudo as políticas públicas de EducaçãoSuperior do Campo cujo objetivo é analisar quais os nexos e relações entre os cursos deEducação Superior voltados para os trabalhadores rurais na perspectiva da educação docampo e a implantação do curso Superior de Engenharia Agronômica-Campus de N.Srªda Gloria, no contexto da expansão da Educação Superior da Universidade Federal deSergipe (UFS). O estudo é orientado pelo materialismo histórico dialético e teve comofontes de investigação a pesquisa documental e a entrevista semiestruturada comcoordenadores, professores e alunos do Curso de Engenharia Agronômica do referidocampus. As análises foram produzidas a partir de questões qualitativas e quantitativascircunscritas pelo projeto pedagógico, questões estruturais e relações com a realidaderegional. A partir da pesquisa foi possível inferir que há diferenças entre as diretrizes daeducação do campo já consolidadas em documentos legais e a proposta do curso deengenharia agronômica do campus do Sertão como é conhecido. Conhecer essasdiferenças, as contradições pertinentes ao programa governamental, contribui para oavanço qualitativo e quantitativo da reflexão sobre o que deve ser um curso superiorpara o desenvolvimento socio político e econômico regional que leve em consideração aterra e o trabalho dos(as) camponeses(as). Também pode-se observar que é possívelconsolidar uma política pública de educação do campo, se for definido como prioridadeo direito à terra e ao trabalho como chave para a emancipação dos grupos humanos e dabiodiversidade dos que dependem diretamente da terra para sua sobrevivência.

  • THADEU VINICIUS SOUZA TELES
  • O INGLÊS COMO LÍNGUA DOS NEGÓCIOS: o caso da instrução comercial luso-brasileira (1759-1902)
  • Orientador : LUIZ EDUARDO MENESES DE OLIVEIRA
  • Data: 25/02/2019
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta tese investiga a história do ensino de língua inglesa motivado por razões comerciais, no contexto da formação dos negociantes portugueses e brasileiros, após a transferência da Corte portuguesa para o Brasil, dentro da vertente pedagógica do reformismo pombalino. Assim, o seu marco temporal situa-se no período localizado entre a criação da Aula de Comércio, em 1759, e o fim da atividade do Instituto Comercial do Rio de Janeiro, em 1902. Seu objeto circunscreve-se na relação entre a formação comercial luso-brasileira e o processo de constituição do Inglês como principal língua para fins comerciais, conservada como categoria de análise básica a instrução comercial. Seu objetivo principal, por sua vez, é analisar a configuração do Inglês como matéria de ensino na formação comercial, em Portugal e no Brasil.

  • SOCORRO APARECIDA CABRAL PEREIRA
  • FORMAÇÃO E EDUCAÇÃO ONLINE PARA O DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL NA INICIAÇÃO À DOCÊNCIA: UMA PESQUISA-FORMAÇÃO NA CIBERCULTURA
  • Orientador : SIMONE DE LUCENA FERREIRA
  • Data: 22/02/2019
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O objetivo dessa investigação foi compreender o potencial da pesquisa – formação na cibercultura para o desenvolvimento profissional de bolsistas de iniciação à docência do Pibid/Pedagogia na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB). Definimos como questões norteadoras: Como acontece a formação para o desenvolvimento profissional no contexto de iniciação à docência quando o bolsista do Pibid participa de propostas de trabalho em contextos da cibercultura? Como o Bolsista de Iniciação à Docência (ID) tem enfrentado o início da docência no contexto do Pibid? De que forma as marcas deixadas nas narrativas dos Bolsistas ID nos diferentes ambientes de aprendizagem evidenciam a ressonância do processo formativo do Pibid nas práticas vivenciadas nas escolas? Buscamos assim, compreender sobre a itinerância formativa de quinze bolsistas do Pibid/Pedagogia/UESB. A abordagem metodológica utilizada é a pesquisa-formação proposta por Macedo (2006), Santos (2005), que traz como principal característica a importância do pesquisador vivenciar reflexões sobre o processo formativo juntamente com os sujeitos da pesquisa, e assim potencializar momentos fecundos de formação sobre o que foi vivenciado, percebido, narrado e sentido na itinerância ao longo do trabalho. Em sintonia com a pesquisa-formação na cibercultura, utilizamos os pressupostos epistemológicos da complexidade e da multireferrencialidade, buscando romper como uma visão de ciência cartesiana-newtoniana, e avançarmos para uma concepção que tivesse como base a multidimensionalidade e a pluraridade dos fenômenos. Discutimos também o conceito de Desenvolvimento Profissional como Projeto de Formação e optamos pela terminologia Formação para o Desenvolvimento Profissional Docente, compreendendo esse conceito inserido na Formação Inicial como exercício da profissão (RAMALHO, NUÑES E GAUTHIER, 2004). As noções subsunçoras que emergiram da pesquisa-formação apontam para as narrativas das fontes pré-profissionais e o processo de alteridade vivenciado pelos alunos, evidenciando o desafio de se pensar a formação numa abordagem que contemple seu desenvolvimento pessoal e profissional. A pesquisa também mapeou algumas ações de colaboração experienciadas pelos Bolsistas ID na itinerância do programa e os principais dilemas e etnométodos vivenciados na iniciação a docência. Dessa forma, concluímos que a Formação para o Desenvolvimento Profissional na Cibercultura potencializam práticas de comunicação como espaço de narrativas de si, colaboração e reflexão sobre as experiências vivenciadas no processo.

  • MARJORIE MAIA OLIVEIRA
  • ESTUDO SOBRE A (RE)CONSTRUÇÃO DE UMA CULTURA ESCOLAR POR MEIO DO USO DAS TECNOLOGIAS DIGITAIS MÓVEIS.
  • Orientador : VELEIDA ANAHI DA SILVA
  • Data: 22/02/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa teve como objetivo investigar as metodologias de ensino dos professoresde uma escola pública da rede municipal de Aracaju/SE para descobrir se existiamindícios de uma nova cultura escolar a partir do uso das novas tecnologias digitais emsala de aula. Fundamentamos este estudo nos conceitos de cultura apresentados porLaraia (2007), Geertz (1978) e Chartier (2005), bem como as discussões sobre culturaescolar realizadas por Viñao Frago (1995 e 2001), Forquin (1993), Julia (2001), alémde dialogar com Pierre Lèvy, (1999 e 2001), Zuin (2010), Valente (1999 e 2003) eCastells (1999) para discutir o uso das novas tecnologias pelos professores em sala deaula. Os sujeitos investigados foram docentes de uma instituição escolar que participoude programas governamentais de incentivo ao uso das novas tecnologias digitais.A abordagem metodológica utilizada foi a quali-quantitativa, e os dados foram obtidospor meio de observações, entrevistas semiestruturadas e balanços do saber. Asinformações coletadas foram interpretadas por meio da análise de conteúdo (BARDIN,2011), e permitiram compreender a realidade da escola pesquisada nesse contexto deinovações tecnológicas e as suas interferências no âmbito pedagógico. Os resultadosobtidos revelaram que apesar dos programas de incentivo ao uso das tecnologias, aindanão há o uso intencional das TIC e das tecnologias móveis em sala de aula, o quedemonstra que apesar das novas formas de aprender não houve uma mudançasignificativa da cultura escolar presente nesta instituição.

  • FLÁVIA LOPES PACHECO
  • A TRANSMISSÃO DE SABERES TRADICIONAIS E O EMPODERAMENTO DE MULHERES: UMA ANÁLISE A PARTIR DE UMA POLÍTICA PÚBLICA CULTURAL
  • Orientador : MARIA HELENA SANTANA CRUZ
  • Data: 21/02/2019
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A partir de 2004, o Brasil começou a passar por um processo dedemocratização do campo da cultura, realizado, principalmente, através de uma políticapública denominada Lei Cultura Viva. Segundo seu idealizador, essa proposta estáfundada nos Círculos de Cultura de Paulo Freire e tem como objetivo principaldemocratizar a cultura através da transmissão de saberes e práticas a partir do que jávem sendo produzido pela própria sociedade. Assim, acreditava-se que, por meio dessasações, seria possível emancipar a população relacionando educação (formal ouinformal) e cultura. Por entendermos que as políticas públicas devem possuir um caráterinterdisciplinar e, ainda, por questionar qualquer tipo de política que não leve emconsideração as diferenças de gênero existentes na sociedade, essa tese tem o intuito deanalisar as ações da Lei Cultura Viva, concretizadas no trabalho dos pontos de cultura, ecomo a relação entre educação, cultura e gênero se manifesta numa transformaçãosocial. Portanto, o presente trabalho, de natureza eminentemente qualitativa, tem comoobjetivo compreender, a partir da Lei Cultura Viva, a relação entre a transmissão desaberes tradicionais e o processo de empoderamento das mulheres. Para isso,inicialmente é descrito o campo dessa política pública e como ele se estrutura (numaperspectiva bourdieusiana), em especial, no caso escolhido, que é um ponto de culturalocalizado num dos municípios do Estado de Sergipe. Além disso, é preciso destacarque o empoderamento aqui analisado está fundado nos estudos de gênero, poisentendemos que vozes das mulheres e suas necessidades devem ser ouvidas e seusobjetivos materializados. No caso desse estudo, essa materialização se deu a partir dasvozes das mulheres que atuam na organização selecionada. Por meio de suas narrativas,foi possível identificar, na trajetória dessas mulheres, fatores capazes de impulsionare/ou inibir o seu empoderamento. Através de suas falas, conseguimos perceber que asações promovidas por essa organização, impulsionadas através da Lei Cultura Viva,
    possibilitaram a experiência de idas e vindas de um processo de empoderamento, apesardas dificuldades enfrentadas.

  • JOSÉ JUNIOR DE SANTANA SÁ
  • Da fala para a leitura em voz alta: Variação linguística, tipos de leitura e desempenho na aprendizagem inicial da leitura de alunos do 3º do ano do ensino fundamental
  • Orientador : RAQUEL MEISTER KO FREITAG
  • Data: 21/02/2019
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O processo de alfabetização é um dos períodos mais importantes da educação básica. Para muitas crianças, é quando se inicia o primeiro contato com a escrita. Aprender a ler com autonomia um sistema alfabético é a capacidade necessária para o desenvolvimento da aprendizagem. No entanto, os últimos resultados da Avaliação Nacional da Alfabetização (ANA) mostram que os alunos brasileiros estão concluindo a fase referente à consolidação da alfabetização sem conseguir ler e compreender textos simples. Em vista disso, Bortoni-Ricardo (2005) sugere que um dos fatores do baixo rendimento na alfabetização de crianças de classe menos favorecida é o fato de elas se defrontarem na escola com uma norma desconhecida, diferente do seu vernáculo. Por isso, quando se trata da aprendizagem inicial de leitura, devem ser consideradas também as diferenças dialetais dos aprendizes e do professor alfabetizador (FREITAG, 2011, 2013, 2015; FLÔRES, 2017, 2018). Estudos também têm verificado que fenômenos variáveis da fala podem ser transpostos para a leitura, principalmente os relacionados aos traços graduais, isto é, aqueles que estão presentes na fala de quase todos os brasileiros, como o apagamento do /d/ no segmento /ndo/, a monotongação, a ditongação, o /r/ em coda silábica (MACHADO, 2018; AQUINO, 2011). A fim de contribuir com esta discussão, nesta pesquisa, temos como objetivo identificar a ocorrência de fenômenos variáveis da fala no gradiente de monitoramento estilístico e sua relação com os tipos de leitura dos alunos do 3º ano do ensino fundamental da Escola Municipal Gina Franco, localizada em São Cristóvão/SE. Para isso, realizamos um acompanhamento longitudinal com uma turma no período de maio a dezembro de 2017, com a documentação da fala espontânea dos alunos, realização de atividades orais (narrativas, descrição e nomeação a partir de estímulos visuais, gravação de leitura em voz alta de textos escritos adequados ao currículo da turma e, por último, aplicamos um teste de compreensão leitora semelhante à ANA.Com base nas condições necessárias para a aprendizagem inicial da leitura (MORAIS; LEITE; KOLINSKY, 2013; MORAIS, 2013 a;b;c), e a partir de gravações da leitura em voz alta identificamos tipos de leitura dos estudantes. Também realizamos a análise dos fenômenos variáveis: apagamento do /d/ no segmento /ndo/, monotongação, ditongação e o apagamento do /r/ em coda silábica em três gradientes estilísticos: fala espontânea, atividades orais e leitura em voz alta. Constatamos que o apagamento do /d/ no segmento /ndo/, a monotongação, a ditongação e o apagamento do /r/ em coda silábica foram recorrentes no tanto nas atividades orais quanto na fala espontânea. Na leitura em voz alta, o apagamento do /d/ e a ditongação apresentaram um maior percentual de não ocorrências do que a monotongação e o /R/ em coda silábica, que não se diferenciaram nos gradientes da fala espontânea e das atividades orais. Já sobre os resultados dos tipos de leitura dos 21 alunos da turma de 3º ano do ensino fundamental identificamos, cinco tipos de leitura: seis alunos classificados com o tipo de leitura alfabética; seis caracterizados como leitura silábica; apenas dois alunos classificados com o tipo de leitura palavra por palavra e e três alunos com o tipo de leitura hábil. Identificamos, também, quatro estudantes com o perfil de não leitura. Quanto ao teste de compreensão leitora, verificamos que existe relação positiva entre o tipo de leitura hábil e palavra por palavra com o desempenho no teste de compreensão leitora quanto aos escores e ao número de acertos. Os alunos cujo tipo de leitura está nos níveis mais avançados (hábil e palavra por palavra) são aqueles que acessam a rota lexical, o que foi evidenciado pela recorrência de traços graduais na sua leitura em voz alta; estes mesmos alunos também foram aqueles que obtiveram maior desempenho em teste de compreensão em leitura, tanto em escores, quanto em número de acertos. Concluímos, assim, que a presença de traços graduais na leitura em voz alta é uma pista preditiva do sucesso na aprendizagem inicial da leitura, e que um professor com treinamento sociolinguístico pode identificar, a partir do perfil de leitura, os alunos que ainda não estão acessando a rota lexical.

  • JOSEFA RISOMAR OLIVEIRA SANTA ROSA
  • FORMAÇÃO DOCENTE FRENTE ÀS TECNOLOGIAS DIGITAIS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO: O CASO DOS CURSOS DE LICENCIATURA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE - CAMPUS SÃO CRISTÓVÃO
  • Orientador : HENRIQUE NOU SCHNEIDER
  • Data: 21/02/2019
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta dissertação está vinculada à linha de pesquisa “Educação e Comunicação” e tem comoobjeto de estudo os cursos de licenciaturas da Universidade Federal de Sergipe (UFS), com oobjetivo de compreender como se articulam, frente às demandas atuais da docência, oscomponentes curriculares voltados para as Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação(TDIC) na formação inicial de professores nos cursos de licenciatura, ofertados no campus deSão Cristóvão. Para atingir o objetivo em tela, definiu-se os seguintes objetivos específicos:caracterizar a cultura digital identificando os aspectos da tecnologia digital que imprimem novasdemandas cognitivas e socioemocionais às pessoas na contemporaneidade; levantar, junto aosDepartamentos de Ensino, as matrizes curriculares dos cursos de licenciaturas da UFS quesinalizam componentes curriculares inerentes às TDIC e respectivas ementas, planos de ensino ecargas horárias; compreender qual o lugar das TDIC na formação inicial de professores, a partirda análise das ementas e planos de ensino dos componentes curriculares identificados no objetivoespecífico anterior, e se os mesmos coadunam-se com uma formação capaz de desenvolver, nolicenciado, a sabedoria digital. Nesse sentido, faz-se necessário que o profissional de educaçãotenha uma formação que lhe possibilite enfrentar os desafios impostos na sua práxis docente deforma consciente do seu papel enquanto mediador crítico reflexivo acerca do uso das tecnologiasna área da educação, de forma a evitar a tentação das “modas” pedagógicas. Os dados foramcoletados através de pesquisa documental dos planos de ensino e ementas dos cursos delicenciaturas da UFS. Trata-se, portanto, de uma pesquisa de base qualitativa, desenvolvidaatravés de um estudo bibliográfico do tipo descritivo e exploratório e de análise documental. Omeio escolhido para localização e obtenção dos matrizes curriculares, ementas e planos de cursofoi o site da UFS. A princípio, trabalhou-se com a ocorrência da oferta de disciplinas voltadas àsTDIC nos 25 cursos presenciais de licenciaturas da UFS no campus de São Cristóvão. Osresultados apontam para a constatação da ausência de componentes curriculares voltados para oestudo da aplicação das TDIC no processo de ensino-aprendizagem e, quando existem, em suamaioria, estão inseridos como disciplinas optativas. Por outro lado, tem-se as dificuldades de oscursos de licenciatura em lidarem com a formação para as tecnologias digitais na formação deprofessores, decorrente de limitações quanto às linguagens do meio virtual e, em alguns casos, adisciplina por ser optativa, dá a impressão de pouca importância no conjunto da formação,
    enquanto deveria ser vista como um instrumento a ser utilizado para manter atualizada a propostado Curso, quanto a lacunas ou novas demandas oriundas da atualização tecnológica da sociedade.

  • ANA PAULA LEITE NASCIMENTO
  • JUVENTUDES EM CENA NO COTIDIANO ESCOLAR: MOVIMENTOS DE (RE)PRODUÇÃO DE SILENCIAMENTOS, REGULAÇÕES DE GÊNERO, SUBVERSÕES E RESISTÊNCIAS.
  • Orientador : MARIA HELENA SANTANA CRUZ
  • Data: 21/02/2019
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A tese se propôs a analisar o movimento de (re)produção de silenciamentos, invisibilidades e regulações de gênero; e, de (re)produção de visibilidades, subversões e resistências das juventudes no cotidiano escolar do IFS. Na contextualização e problematização do objeto priorizaram-se algumas categorias teórico-analíticas no processo de aproximações sucessivas a fim de captarmos algumas determinações que constituem a totalidade do objeto perquirido. A pesquisa qualitativa inspira-se no materialismo histórico dialético, em teorias feministas e de gênero, configura-se como um estudo de caso por meio de dados da realidade macro e micro. O universo da pesquisa abrange estudantes matriculadas/os nos campi do IFS nas modalidades do Ensino Médio Integrado e do Ensino Técnico Subsequente para a caracterização do perfil da população, e, as/os estudantes do Ensino Médio Integrado dos campi Lagarto e Aracaju que constituíram a amostragem das narrativas das/os 38 (trinta e oito) entrevistadas/os, sendo 20 (vinte) do sexo feminino e 18 (dezoito) do masculino. Foram consultadas fontes bibliográfica, documental e empírica, priorizando-se o exercício do diálogo entre as/os interlocutoras/es teóricas/os e as narrativas. Os dados produzidos expõem as condições materiais e sociais a partir das quais as juventudes vivenciam a condição juvenil; evidenciam um contexto escolar marcado por cenas de vigilância, constrangimentos, invisibilidades, preconceitos e repressões, perpassadas pelo ideário conservador e viés moralizador. Os dados mostraram que o cotidiano escolar do IFS é atravessado pelo movimento dialético em que marcas do poder disciplinar (re)produzem identidades, corporalidades, sexualidades e vivências juvenis por vezes minadas, silenciadas, invisibilizadas. Ao mesmo tempo (re)produzem resistências das juventudes, que frequentemente rompem com os papéis sociais sexuados, a lógica sexista das profissões, subvertem as regulações de gênero, a compulsoriedade binária e os investimentos para a construção de “corpos dóceis”.

  • LUANA INÊS ALVES SANTOS
  • Da (des)obrigatoriedade do ensino de línguas no Brasil: o caso do inglês (1961-1996)
  • Orientador : LUIZ EDUARDO MENESES DE OLIVEIRA
  • Data: 20/02/2019
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta Dissertação investiga e analisa a legislação sobre o ensino de língua inglesa e a sua configuração como disciplina não obrigatória no currículo escolar brasileiro, com a instituição da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional de 1961, situação que se manteve durante a lei n.º 5.692, de 1971, que vigorou até 1996. Para atingir tal objetivo, considerando a natureza qualitativa e o caráter documental e histórico desta pesquisa, pretende-se realizar um levantamento da referida legislação, no intuito de identificar e compreender os ideais e princípios que dão sustentação à lei, em suas variadas formas (decretos, pareceres, relatórios, debates parlamentares, etc.), bem como de investigar o contexto histórico de sua elaboração. Para tanto, faremos uso de referencial teórico vinculado à história das disciplinas escolares (CHERVEL, 1990) e ao currículo escolar (GOODSON, 1995). Como fontes, são utilizadas a legislação e a historiografia educacional referente ao período.

  • MAYRA LOUYSE ROCHA PARANHOS
  • A produção de corpos pelo discurso biotecnológico no currículo de formação em Ciências Biológicas
  • Orientador : LIVIA DE REZENDE CARDOSO
  • Data: 19/02/2019
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O problema de pesquisa surge da inquietação que carregamos dentro de nós, não é algo alheio e que não nos diz respeito, mas encontra-se nos emaranhados de nossa existência e constituição teórica. Nesse sentido, propusanalisar a produção de corpos, pelo discurso biotecnológico, no currículo de formação em Ciências Biológicas. Para isso, levo em consideração a discussão do corpo que vai além da sua constituição física e alicerço esta dissertação em uma perspectiva pós-estruturalista, que tem como referencial metodológico a análise foucaultiana de discurso. Os dados produzidos são resultantes dos enunciados das/oslicenciandas/os em CB da Universidade Federal de Sergipe.Assim, este trabalho está organizado em dois momentos de pesquisa. No primeiro momento foram realizados dois grupos focais com alunas/os de CB, nos quais foram possíveis discutir temas de interesse para esta pesquisa, como: a produção dos corpos na era biotecnológica, a partir da problematização de testes genéticos; a formação das/os professoras/es de CB em QSC; currículo e metodologias para o ensino de ciências, em especial o currículo do curso de Ciências Biológicas.No segundo momento, foram realizadas entrevistas semiestruturadas, para proporcionar maior liberdade de fala as/os entrevistadas/os. Através desse trabalho, espero contribuir para produção de pesquisas na Educação que abordem a produção dos corpos, tentando mostrar as relações formadas por ele frente aos avanços biotecnológicos. Além disso, refletir sobre os posicionamentos de uma determinada ordem que surge a partir do século XXI, a biotecnologia, sobre a “fabricação” de corpos saudáveis que atendam aos padrões exigidos, destacando a necessidade de problematizar os ditos produzidos nas pesquisas como verdades científicas e que legitimam seu lugar de autoridade para advogar sobre os corpos e a vida.

  • CARLOS ANDRE ARAÚJO MENEZES
  • RASGANDO UNIFORMES E DESCOSTURANDO NORMAS DE GÊNERO NO ESPAÇO ESCOLAR
  • Orientador : ALFRANCIO FERREIRA DIAS
  • Data: 18/02/2019
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Escrever sobre gênero e sexualidade na educação básica é um desafio que exige escolha teórica e política que ouse desconfiar das certezas pré-estabelecidas. Assim essa pesquisa é um ato de coragem e de ousadia, uma vez que intencionalmente assume um tom autoetnográfico, misturando as narrativas de um professor pesquisador com as narrativas de alunxs e de professorxs de uma escola pública de educação básica. O foco central deu-se em analisar como a expressão corporal de estudantes gays e lésbicas no espaço escolar contribuíam para a ampliação dos debates sobre diversidade de gênero e sexual no currículo escolar. Também na análise dos indícios de desestabilização às normas de gênero a partir da presença dxs estudantes na instituição, bem como, que mudanças curriculares e modos de se fazer e de se viver o gênero na escola então sendo negociados a partir de suas existências e vivências. A expressão corporal foi entendida como a criação de uma comunicação não verbal e manifestações comunicativas sugeridas a partir de gestos, expressões faciais e outras posturas de alunxs, que compuseram algumas cenas escolares analisadas. Durante todo o texto adotei a metáfora da costura, metáfora ligada aos meus sentidos plásticos de entendimento do mundo e da minha profissão - os tabus, as fragilidades e potencialidades da discussão provocaram em mim sentimentos controversos e confusos, dada a fluidez do que estava sendo estudado, um difícil jogo de muitas (in)certezas. A produção dos dados foi desenvolvida a partir da abordagem da metodologia pós-estruturalista em educação, com a realização de entrevistas narrativas gravadas em áudios e vídeos, acionadas pelo exercício de olhar, escutar e sentir de forma diferente durante a investigação. Ao final, os resultados apontaram para a necessidade de que a escola atual, aquela e outras, promovam processos educativos menos excludentes e mais inclusivos, a partir na valorização da diferença. As narrativas apontam o surgimento um movimento e práticas pedagógicas queer do currículo escolar, a partir do não estranhamento dos corpos não inteligíveis. Um currículo com potência pedagógica inclusiva da diferença e com espaços de desaprendizagens de gênero binárias.

  • ALINE CAJÉ BERNARDO
  • O INGLÊS E SEU ENSINO NA ESCOLA PÚBLICA: OS SENTIDOS ATRIBUÍDOS PELOS PROFESSORES
  • Data: 12/02/2019
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O inglês é a língua adicional mais ensinada mundialmente e tornou-se recentemente obrigatória no currículo dos sistemas escolares brasileiros (BRASIL, 2016). A literatura específica sobre o ensino desse idioma na escola regular aponta que ele tem apresentado problemas e que o nível de proficiência dos brasileiros é um dos mais baixos do mundo (ALMEIDA FILHO, 2003; LEFFA, 2016). As orientações curriculares nacionais têm enfatizado o ensino de línguas adicionais para a formação cidadã, o que não descarta o ensino de conteúdos específicos da disciplina e seus elementos linguísticos. Saber como os professores categorizam os conteúdos que ensinam é uma questão relevante para a formação docente. As pesquisas têm destacado os saberes mobilizados pelos professores no exercício de sua profissão, mas poucas são as que se dedicam especificamente aos conteúdos ensinados (SHULMAN, 2004). Na presente pesquisa buscou-se compreender o que é o inglês ensinado no Ensino Fundamental II de escolas públicas, e que sentidos os docentes atribuem ao seu ensino. Para tanto, ela foi fundamentada na teoria da Relação com o Saber (CHARLOT, 2000; 2005), a qual busca compreender como o sujeito atribui sentido à sua experiência em sua relação com o mundo, consigo mesmo e com o outro. Os conceitos de conhecimento didático de conteúdo (SHULMAN, 2004) e disciplina escolar (CHERVEL, 1990) também formaram o embasamento teórico deste estudo. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, alinhada metodologicamente à sociologia compreensiva de Max Weber, cujos participantes foram trinta e cinco professores de inglês dos anos finais do Ensino Fundamental, de escolas públicas de Sergipe. Como instrumentos de geração de dados foram utilizados os Balanços do Ensino de Inglês, adaptados dos Balanços do Saber (CHARLOT, 2000); entrevistas semiestruturadas e observação não participante de aulas. Verificou-se que o inglês como objeto de ensino configura-se por seus aspectos linguísticos, seguindo a lógica da “reflexão sobre o que é a língua” em seus aspectos formais. O inglês ensinado é caraterizado pelos docentes como básico ou rudimentar, pois são realizadas simplificações dos conteúdos, atribuídas à insuficiência de tempo e de recursos, bem como por alegados desinteresse e carência de embasamento dos alunos. Os sentidos conferidos pelos professores ao ensino de inglês moldam os conteúdos ensinados e se estabelecem em função da sua relação com o locus e as condições efetivas de trabalho, da compreensão a respeito do seu papel como docente e de suas representações sobre os alunos de escola pública, portanto, de sua relação com o mundo, consigo mesmo e com o outro.

  • CRISLENE GOIS SANTOS
  • RELAÇÃO ENTRE O TRANSTORNO DE DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE (TDAH) E A APRENDIZAGEM NA PRODUÇÃO DO CONHECIMENTO EM PROGRAMAS DE PÓS GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO NO BRASIL
  • Orientador : RENATO IZIDORO DA SILVA
  • Data: 11/02/2019
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) é um fenômeno clínico de ordem médico-psiquiátrico, catalogado e classificado por dois documentos internacionais: DSM-V e o CID-10 - O primeiro adota os termos da sigla TDAH e o segundo, utiliza-se do termo “Transtorno Hipercinético” (TH) - que servem de parâmetro para diagnosticar muitas pessoas, principalmente em idade escolar. Com isso, cada vez mais é atribuída aos educadores a função de ensinar crianças e a de se atentarem para as possíveis dificuldades que elas possam apresentar na aprendizagem. Desse modo, a literatura aponta que cabe ao professor a função de ser um auxiliador para o diagnóstico de possíveis transtornos que interferem na aprendizagem, sendo um deles o TDAH. Esta pesquisa visou centralmente compreender, com base em uma análise de dezessete (17) pesquisas, incluindo teses e dissertações brasileiras na área da educação, qual a relação existente entre TDAH e aprendizagem. Para isso optou-se por uma pesquisa de cunho quali-quantitativa amparada em um estudo de revisão bibliográfica de seleção, categorização e análise dos dados, a partir das etapas sugeridas por Salvador (1981). Para conceituar e problematizar o TDAH e a aprendizagem, a discussão teórica fundamentou-se em: Bachelard (1996); Muszkat (2012); Conceição (2015); Silva (2009); Rohde e Mattos (2008); Moysés e Collares (2010); Caliman e Domitrovic (2013), Souza (2017) Wajnsztejn e Malloy-Diniz (2010) dentre outros. E para dialogar com os dados encontrados: Canguilhem(2009); Wallon (2007); Diaz (2011); Lefrançois (2008); Topczewski (1999); Boiaski (2007) e Rondini et al. (2015); o DSM-V (2014) e o CID-10 (2009). Tendo em vista algumas categorias como: atenção, concentração, imitação, interação, memória, motivação, treino e repetição, o presente estudo pôde observar através dos dados, os discursos que os estudiosos em educação vêm se utilizando para explicar o patológico com vista na normalidade, bem como os seus fundamentos científicos, sugestivos e interventivos para se restabelecer a ordem e a aprendizagem dentro da escola. Portanto, os dados e discussões apresentados neste estudo, servem para observar não só o discurso dos pesquisadores em educação, como também propor uma reflexão sobre as possibilidades de se pensar o outro para além das suas limitações e enquadramentos médico, pedagógicos e sociais.

  • JULIANA NASCIMENTO DE ALCANTARA
  • PROCESSOS DE CONSTITUIÇÃO DA CRIANÇA COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL
  • Orientador : ROSANA CARLA DO NASCIMENTO GIVIGI
  • Data: 07/02/2019
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Este trabalho analisa o processo de constituição subjetiva da criança com deficiência intelectual no ensino infantil. Sustenta-se no diálogo com os preceitos psicanalíticos circunscritos no âmbito freudo-lacaniano e da educação especial na perspectiva da educação inclusiva. Pensar o lugar da criança com deficiência na escola é emergencial, tendo em vista as dificuldades encontradas em se conceber uma ética do sujeito, tomá-lo como ser de linguagem, irremediavelmente inacabado. Os rótulos diagnósticos crescem como tentativas adoecidas de tamponar a falta. Entende-se que os diagnósticos recebidos ao longo da infância podem esvaziar o sujeito, pois lhe imbricam a história genérica da categoria à qual pertencem. Em se tratando de uma criança denominada como deficiente intelectual há uma ligação ao sintoma do “não aprender”. O estigma do déficit intelectual afasta os educadores da suposição de um sujeito. Supor um sujeito é conceber que essa criança é capaz de desejar. Essa não suposição poderia condenar a criança a um estatuto de objeto. Pelo olhar da Psicanálise, o sujeito do inconsciente se funda na fantasmática parental e a escola entra nesse jogo através na inserção na cultura. Para tanto, o caminho desse trabalho foi discutir sobre a deficiência intelectual por diferentes modelos epistemológicos, com ênfase em Lacan, que discorre sobre o processo de constituição humana. Metodologicamente as bases foram os pressupostos do estudo de caso aliado à pesquisa-intervenção, com uso da técnica de análise dos dados qualitativos da Análise Textual Discursiva (ATD). A pesquisa de campo ocorreu durante o período de maio de 2017 a agosto de 2018 numa escola pública regular do município de Aracaju-Sergipe, acompanhando uma criança de cinco anos do ensino infantil. Os recursos utilizados foram observação, entrevistas abertas e semiestruturadas, intervenção em sala e demais espaços com os alunos e momentos de diálogo com a professora. O diálogo entre as questões teóricas e os dados empíricos possibilitou a análise dos efeitos das práticas e discursos escolares sobre a constituição da criança com deficiência intelectual, desde o âmbito da relação entre os pares até a relação transferencial professor-aluno. Após as análises podem-se fazer os seguintes apontamentos: há uma centralidade do desejo pelo fio transferencial como movimentador do ato pedagógico; o desejo é fundamental na proposição de um espaço simbólico articulado ao real e ao imaginário; desejar o desejo do Outro implica o desabrochar de um espaço para construção das aprendizagens; a estruturação da singularidade da criança com deficiência intelectual só poderá acontecer a partir da suposição de um sujeito para além do diagnóstico estabelecido, compreendendo a impossibilidade da transmissão sem falta, pela necessidade de instauração do complexo de castração. Conclui-se que as inscrições primordiais parentais poderão ser reeditadas na escola pelo laço da transferência que se produz quando o desejo de saber do aluno se liga à pessoa do professor, tendo na castração não uma operação edípica, mas antes disso, uma operação de inscrição na linguagem.

  • WÊNIA MENDONÇA SILVA
  • A pedagogia musical do Canto Orfeônico e a sua configuração como disciplina escolar no Atheneu Sergipense (1931-1956)
  • Data: 30/01/2019
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa tem por objetivo compreender como a disciplina Canto Orfeônico se configurou no currículo escolar do Atheneu Sergipense entre os anos de 1931 a 1956. Embora o período analisado corresponda ao ínterim de duas reformas educacionais, a delimitação se deu em virtude do lócus de análise, o Atheneu Sergipense, e da localização dos documentos relativos ao funcionamento da disciplina na instituição. O marco inicial coincide com o ano em que a obrigatoriedade do Canto Orfeônico foi estabelecida no currículo do ensino secundário, a nível nacional de acordo com o Decreto Federal nº 19.890, de 18 de abril de 1931. Fundamentada nos conceitos de Disciplina Escolar, segundo André Chervel (1990) e de Currículo, consoante Ivor Goodson (1995), esta pesquisa, de cunho documental e historiográfico, tomou como fontes a legislação (deliberada no marco temporal selecionado) relativa às questões educacionais em esfera nacional e local, jornais sergipanos, manuais didáticos relacionados ao ensino da referida disciplina, bem como os documentos administrativos e pedagógicos do Atheneu Sergipense, a saber: atas, cadernetas, livros de ponto, livros de registro, correspondências e boletins, salvaguardados no Centro de Educação e Memória do Atheneu Sergipense, no Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe, na Sociedade Filarmônica de Sergipe e na Biblioteca Pública Epifânio Dória. Amparado pelos aportes metodológicos da História Cultural, este estudo possibilitou compreender de que forma o Canto Orfeônico esteve presente na cultura escolar do Atheneu Sergipense e em que medida se dava sua atuação extramuros da escola. Os resultados adquiridos com base na análise das fontes consultadas indicam que na instituição o funcionamento da disciplina foi em grande parte atendido pelo que estabelecia a legislação educacional em vigor. Além disso, os conteúdos localizados nas cadernetas faziam referência às demandas educacionais do regime político da época, bem como as apresentações fora da escola apresentavam um teor ufanista de exaltação patriótica e enaltecimento do então presidente do país, Getúlio Vargas.

  • CARLOS MENEZES DE SOUZA JÚNIOR
  • HISTÓRIA E MEMÓRIA: LICENCIATURA EM HISTÓRIA A DISTÂNCIA NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE (2005-2014)
  • Orientador : MARIA NEIDE SOBRAL
  • Data: 24/01/2019
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O presente estudo analisa, do ponto de vista histórico, a trajetória do curso de licenciatura em História na modalidade educativa a distância (Ead) da Universidade Federal de Sergipe (UFS), principalmente por meio das narrativas orais dos sujeitos envolvidos, com foco nos valores, nos discursos e nas práticas pedagógicas construídas com e entre eles no decorrer de nove anos de seu funcionamento, desde a sua criação (2005). Além das fontes orais foram utilizadas leis, relatórios, resoluções, projetos pedagógicos do curso, convênios, dentre outros documentos coletados no Centro de Educação a Distância (CESAD) e em sites oficiais. Do ponto de vista metodológico, foram usados os pressupostos da história oral como técnica. Foram recolhidas narrativas, por meio de 14 entrevistas agendadas, transcritas e processadas, de egressos, gestores e professores tutores envolvidos com a formação. A criação da licenciatura em História na Ead da UFS ocorreu a partir dos pressupostos e elementos curriculares dos cursos presenciais desta mesma instituição, desconsiderou, portanto, as diferenças entre as duas modalidades educativas e provocou inúmeros desafios. De todos os pontos levantados pelas narrativas destacaram-se: a modalidade em si, a condução séria com que se moveu o processo educativo, o bom material didático elaborado e exigido, além das características peculiares das pessoas envolvidas com o curso de História. Das fragilidades, ficaram as marcas da fase de implantação, inclusive com o processo de avaliação e o sistema de comunicação falho e deficiente. Foram constatações mais significativas deste trabalho: esta licenciatura contribuiu com a formação técnica e cognitiva dos seus licenciados, mas deixou algumas lacunas no tocante à formação profissional dos mesmos. Formou, porém, professores reflexivos, capazes de avançar naquilo que deixou faltar a sua formação acadêmica. Os licenciados, frutos da formação em História na modalidade educativa a distância da UFS, evoluíram enquanto humanos e profissionais capazes de se utilizarem da sua atuação docente para transformarem as vidas de outros também por meio da Educação. Mudaram a forma como enxergavam o mundo, de lidarem com o diverso, melhoraram sua qualidade de vida. A tese deste trabalho vem no sentido de que, no que tange à formação dos sujeitos envolvidos com este estudo, o curso de licenciatura em História na referida modalidade, apesar dos desafios enfrentados durante o percurso de formação, conseguiu preparar bem os seus licenciados, afetou positivamente as suas vidas, nos diversos aspectos: pessoais, profissionais, sociais e econômicos.

  • MARCUS ÉVERSON SANTOS
  • MATEMÁTICA SOCIAL E INSTRUÇÃO PÚBLICA EM CONDORCET
  • Orientador : EDMILSON MENEZES SANTOS
  • Data: 16/01/2019
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente tese tem como objeto de estudo o quadro teórico da Matemática Social em Condorcet e como ele transpôs seu método, por meio de analogias, para o estudo do desenvolvimento da história das sociedades, da política, da economia, da demografia e da educação. Propomo-nos mostrar que mediante seu espirito matemático, Condorcet aplicou o método empírico-matemático para deduzir as ocorrências futuras dos fatos do espírito no decurso da história. Com a Matemática Social, Condorcet expõe que os objetos dessa ciência são “o homem”, suas operações do espírito e as “coisas” que possam ser reduzíveis a uma medida comum do cálc ulo dos valores. A análise empírico- matemática do número de ocorrências e fatos extraídos da história ofereceram a Condorcet a certeza probabilística de que as nações mais avançadas tendiam ser aquelas que mantivessem a educação científica. Assim, dentre as condições necessárias ao progresso da sociedade, a instrução pública obrigatória impõe-se como constante social do aperfeiçoamento do espírito das Luzes. Esforçar-nos-emos, por tornar evidente que seu otimismo acerca dos destinos da humanidade, decorre do caráter matemático com que examina os fatos históricos. Por meio de analogias, Condorcet entendia que quanto maior fosse o número dos indivíduos instruídos maiores as chances de se garantir o progresso das Luzes. Se, dessa forma , o progresso das ciências dependia do alcance da instrução pública a todos os cidadãos, então, sua implementação concorreria de forma imperativa para a ampla reforma da sociedade. A análise particularizada de obras como: Quadro geral da ciência que tem por objeto a aplicação do cálculo às ciências políticas e morais, as Cinco memórias sobre a instrução pública e o Esboço de um quadro histórico sobre os progressos do espírito humano, dentre outros escritos, oferecem a forma pela qual Condorcet acreditava que todos os aspectos da realidade humana podiam ser gerenciados com o apoio da matem&aacut e;tica. Condorcet calculava que como o cr escimento da oferta de instrução pública obrigatória e laica para todos, aumentaria as chances prováveis do continuo movimento do espirito rumo às Luzes.

  • UESLÂNE MELO DE GÓES
  • O TRABALHO COLABORATIVO NO COTIDIANO DAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS ESCOLARES: (DES)CAMINHOS DA FORMAÇÃO DOCENTE
  • Orientador : ROSANA CARLA DO NASCIMENTO GIVIGI
  • Data: 14/01/2019
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A formação de professores e as práticas pedagógicas articulam-se e constituem-se como processo diário reflexivo e crítico, pressupondo uma ação dialógica, coletiva e emancipatória entre alunos, professores e demais sujeitos envolvidos no processo. Este estudo objetivou analisar os efeitos da formação de professores da sala regular, com ênfase nas práticas pedagógicas e do trabalho colaborativo com a equipe de gestão. Para tanto, adotou como pressuposto teórico-metodológico a pesquisa-ação colaborativo-crítica. Foi realizado de março á dezembro de 2017, em uma escola municipal de Nossa Senhora do Socorro e envolveu sete (7) sujeitos, sendo cinco (5) professores, um (1) coordenador e um (1) diretor. Organizou-se em quatro momentos não lineares, configurando as espirais de ação-reflexão, a saber: Momento de constituição do campo; Grupos de formação; fechamento da formação e trabalho com os gestores. Os dados produzidos foram categorizados e elencados por regularidades temáticas de análise e interpretado a partir dos preceitos do Interacionismo de Lev Vigotski e da Rede de Significações. Este estudo dialoga com os preceitos do Interacionismo de Lev Vigotski e da Rede de Significações. Como resultados, destacam-se: práticas pedagógicas frágeis, com pouca reflexão e autonomia; práticas homogêneas sem considerar a diversidade da sala de aula; espaços coletivos utilizados; organização escolar que privilegia ações individuais, em detrimento das ações coletivas; relação incipiente entre docentes e gestão; e práticas desvinculadas da perspectiva da educação inclusiva. A partir da observação/ação nas salas de aula pode-se visualizar novas possibilidades nas práticas pedagógicas e organização da rotina escolar, de forma a favorecer novas práticas docentes, e o estreitamento entre docentes e gestão e utilização dos espaços coletivos da escola. Conclui-se que o trabalho colaborativo no cotidiano escolar é potente no processo de formação profissional docente e no processo de efetivação de novas práticas pedagógicas.

2018
Descrição
  • TAINAN AMORIM SANTANA
  • MESTRADO PROFISSIONAL: CONTRIBUIÇÕES PARA PRÁTICA PEDAGÓGICA DO PROFESSOR DE BIOLOGIA
  • Orientador : MARIA INEZ OLIVEIRA ARAUJO
  • Data: 06/12/2018
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O mestrado Profissional é uma modalidade de formação continuada de professores, como Política Pública que busca a melhoria da Educação Básica. A pesquisa de abordagem qualitativa teve por objetivo compreender as contribuições do curso de Mestrado profissional em Docência em ensino de Ciências e Matemática da UFPA na melhoria da prática pedagógica do professor de Ciências/Biologia. A pesquisa de abordagem qualitativa e de caráter exploratório, foi desenvolvida na Universidade Federal do Pará, no curso de Mestrado Profissional em Docência em Ensino de Ciências e Matemática da UFPA, com alunos formados em Ciências Biológicas/Licenciatura. Para tanto, foi realizado análise documental, questionários e entrevistas para ter acesso as informações, com o intuito de identificar e analisar o que os alunos-professores sabem a respeito do mestrado profissional, suas motivações ao escolher esse curso e as contribuições para a melhoria de sua prática pedagógica. Foi aplicado um questionário com a coordenação do programa de Mestrado profissional em Docência em ensino de Ciências e Matemática da UFPA, para conhecer os aspectos políticos que influenciaram na implementação do curso. Além disso, foi lido e analisado todas as dissertações já defendidas pelos alunos-professores, com a intuito de conhecer suas pesquisas, os impactos dela na sua prática e as impressões que a vivência oferecida pelo programa ofereceu para esses alunos-professores pesquisadores. Todos os dados foram analisados por meio de categorias, que foram observadas a luz do referencial teórico. Diante disso, identificamos as contribuições desses programas, os propósitos de sua implementação, suas limitações e o seu reflexo na vivência escolar desses alunos-professores.

  • EDUARDO BERNARDES DE CASTRO
  • ESTADO E “ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL”: MARCAS-D´ÁGUA SOB CONVÊNIOS DA EDUCAÇÃO PÚBLICA DO ESTADO DO PARANÁ (2011 a 2016)
  • Orientador : SONIA MEIRE SANTOS AZEVEDO DE JESUS
  • Data: 17/10/2018
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Este trabalho de tese tem como fenômeno de estudo as relações entre Estado e “Organizações da Sociedade Civil” (OSCs) na esfera da educação pública, tendo como universo de pesquisa os convênios desta natureza firmados pelo governo do Paraná no âmbito da Secretaria de Estado da Educação no recorte histórico entre 2011 e 2016. Correntes orgânicas teóricas favoráveis ao fenômeno, construídas, sobretudo, durante a contrarreforma do Estado brasileiro nos anos de 1990, defendem suas posições com base em discursos argumentativos de origem liberal e neoliberal que externam, entre outros, a ineficiência do Estado, a necessidade de consolidação de um terceiro setor socioeconômico, a modernidade do modelo, o maior zelo pela coisa pública e o aumento da participação da sociedade civil nas questões sociais. Correntes teóricas críticas ao fenômeno expõem que estas relações embuçam privatização ampla, interesses privados do capital e de classes específicas, assistencialismo de concessão e não integram de fato a sociedade civil organizada, sendo sua defesa alicerçada em indevidas apropriações gramscianas para mitigação da existência de classes e respectivas lutas. À luz destas correntes, à luz da premissa de apropriação do Estado por classes dominantes e à luz de concepções sobre construção do terceiro setor, privatização ampla e interesse público-privado, este estudo, assentado em convênios de amostra do universo lindado, analisou o fenômeno a partir da identidade e perfil das organizações conveniadas, termos que definem objetos e deveres pactuados, recursos e patrimônio públicos insertados, implicações sobre modalidades educacionais alcançadas por funções levadas às “OSCs” e práticas e relacionamentos dos entes e organizações partícipes. Estas análises, realizadas sob visão sistêmica que procurou alcançar a totalidade dos elementos envolvidos e a mediação destes com aspectos sociais, econômicos e políticos, objetivaram e permitiram identificar e caracterizar marcas de estratégias e preceitos encapsulados nas relações de convênio que materializam as concepções de privatização ampla e prioridade aos interesses privados. São marcas que desvelam asserções das correntes críticas e desvelam contradições entre o discurso orgânico da contrarreforma e a prática encontrada. São marcas que se apresentam materializadas sob diferentes formas, com destaque para a manutenção de um modelo histórico assistencialista, sujeição de organizações de bases à outorga governamental, insertação de finalidades lucrativas, construção de negócios comerciais sobre as questões sociais e educacionais, desinvestimento em educação pública, terceirização de educadores, precarização salarial, descompromisso com a carreira pública, desvinculação de ações com políticas públicas de Estado e minoração da transparência pública. São marcas que, como as marcas-d’água em papel, precisam de luz e releituras para serem desveladas e compreendidas.

  • LUZIA CRISTINA DE MELO SANTOS GALVÃO
  • O ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS NA PROFISSIONALIZAÇÃO DOCENTE E NA CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE DO FUTURO PROFESSOR
  • Data: 28/08/2018
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Formar professores preparados para o exercício da profissão é responsabilidade dasInstituições Superiores. Porém, a forma como estas “preparam” esses profissionais podeser decisiva para o bom exercício da profissão e uma disciplina relacionada ao preparodos futuros docentes no ambiente das universidades é “Estágios Supervisionados”, quetem como principal lema levar o aluno para “a prática”. Sabendo dessa importância, oobjetivo geral desta tese foi identificar os efeitos do Estágio Supervisionado naformação da identidade docente e na profissionalização dos professores de CiênciasBiológicas, por meio da relação entre teoria e prática. Os sujeitos que participaram destapesquisa foram divididos em dois grupos, sendo 46 recém-ingressos do curso deLicenciatura em Ciências Biológicas no período de 2016/1 e 36 licenciandos queestavam cursando as disciplinas de Estágio Supervisionado. Como instrumentos decoleta de dados foram utilizados questionários com perguntas abertas e fechadas e atécnica do grupo focal. Os dados encontrados foram discutidos tendo o embasamentoteórico de autores como Selma Garrido Pimenta, António Nóvoa e Maurice Tardif eseus colaboradores, como também outros autores. Por meio dos dados coletados eanalisados, tomando como base as questões norteadoras da pesquisa, foi possívelverificar que os efeitos do estágio, no que tange à profissionalização e à formação daidentidade docente durante a formação, não reforçaram nos sujeitos o desejo de “serprofessor”, uma vez que, por meio do contato com a realidade do ambiente escolar,vivenciados durante a prática do estágio, 9 dos 10 licenciandos que participaram dapesquisa, ao final do estágio, não desejavam seguir na profissão. As outrasconsiderações levantadas nesta tese foram: a maioria dos sujeitos recém-ingressos,como também os estagiários, escolheu o curso como segunda opção e, apesar de estarem uma licenciatura, não se vê enquanto professores da Educação Básica; oslicenciandos não veem a relação dos conhecimentos aprendidos na universidade com ocurrículo do ambiente escolar; e os saberes mobilizados durante a prática do estágio sãoos disciplinares e curriculares, sendo que, apesar dos da experiência serem consideradospor eles importantes são prejudicados pelo pouco convívio com o ambiente escolar.

  • ALESSANDRO ARAUJO MENDES
  • PRÁTICAS EDUCATIVAS E INSTITUCIONALIZAÇÃO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM SERGIPE: PERMANÊNCIAS E TRANSFORMAÇÕES (1974-1991).
  • Orientador : ANAMARIA GONCALVES BUENO DE FREITAS
  • Data: 01/08/2018
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente tese tem como objeto as práticas educativas direcionadas aos menoresinstitucionalizados em Sergipe durante o período de 1974 a 1991, período de fechamento daCidade de Menores Getúlio Vargas e a instituição da Fundação Renascer. A princípio, penseiem focar apenas nos menores delinquentes - como eram referidos à época, entretanto, ficouclara a impossibilidade de deixar de fora das investigações as crianças e os adolescentesórfãos, abandonados, pobres, deficientes, indisciplinados, rebeldes, entre outros, pelo fato deserem a maioria dos internos da FEBEM (Fundação Estadual do Bem-Estar do Menor)sergipana. Consiste em uma pesquisa histórica desenvolvida no campo da História Cultural eno método do paradigma indiciário. O objetivo geral foi analisar as práticas educativasdirigidas aos menores por parte das autoridades em Sergipe, como: governadores, diretores daFEBEM-SE, juízes de menores, monitores, entre outros. Os objetivos específicos, por sua vez,foram: investigar de que forma as autoridades enfrentaram o problema do menor com ofechamento da Cidade de Menores em 1974; identificar as instituições que acolheram osmenores entre 1974 e 1991; compreender as representações sociais e das autoridades sobreestes sujeitos e o tipo de educação dirigida a eles; verificar o perfil dos menores internos dasunidades oficiais e conveniadas da FEBEM-SE. As fontes utilizadas foram desde documentosjudiciais, administrativos, jornais e imagens à história oral: relatórios, boletins individuais dosmenores, artigos de jornais sergipanos, fotografias e uma série de entrevistas com ex-internose ex-servidores que lastreou a pesquisa. Desta forma, defendo a tese de que com o advento doCódigo de Menores de 1979, houve um tratamento diferenciado aos menores que estiveramaos cuidados da FEBEM-SE, dando-lhes boa educação e encaminhamento para um trabalhodigno, capazes de lhes promover a subsistência, apesar da política de internação terpermanecido e com o encaminhamento para instituições diversas das previstas pela legislação.Destaco alguns conceitos que utilizei para a análise e compreensão do tema, tais como:Práticas educativas (NÓVOA, 1995); sociedade (ELIAS, 1994); menor (ARANTES, 1995;RIZZINI, 1995, 2010; VEIGA; FARIA FILHO, 1999), institucionalização (DIAS e SILVA,2012), representação e apropriação (CHARTIER, 2009); crime (FOUCAULT, 1987) einstituição total (GOFFMAN, 2015). Quanto aos resultados, pude perceber que o público daFEBEM-SE diferenciava-se de outras em relação aos quantitativos de órfãos, abandonados epobres, os quais eram bem elevados em Sergipe em face do número de infratores. Puderegistrar os discursos de ex-internos e ex-servidores que em alguns momentos convergiam,divergiam ou foram omissos, como nas discussões sobre punições e disponibilização deoficinas preparatórias para o trabalho. Muitos ex-internos ainda trabalham nos mesmosempregos que a FEBEM-SE conseguiu para eles, ou exercem o ofício autônomo do que
    aprenderam no internato. A maioria asseverou que não gostaria de passar pelo mesmoprocesso novamente e nem colocaria seu filho em um internato, enquanto outros disseram quepassaria novamente pela internação caso sua família não tivesse as condições de mantê-lo ouque colocaria seus filhos no internato, no formato que viveram, caso também não pudessemprover o sustendo deles. Todos os ex-internos que entrevistei afirmaram que foi positiva apassagem pela instituição em comento apesar das quebras de relacionamentos familiares,dificuldades e resistências ao longo do processo de internação na FEBEM de Sergipe.

  • JAIRTON MENDONÇA DE JESUS
  • Formação para a docência vs. permanência na universidade: efetividade do PIBID nos cursos de licenciatura do Centro Campus Professor Alberto Carvalho/UFS
  • Orientador : RAQUEL MEISTER KO FREITAG
  • Data: 30/07/2018
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa teve como objetivo aferir a efetividade do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid) na formação de uma amostra de egressos dos sete cursos de licenciatura do CampusProfessor Alberto Carvalho da Universidade Federal de Sergipe: Ciências Biológicas, Física, Geografia, Letras-Português, Matemática, Pedagogia e Química. A partir do método Survey, fizemos a triangulação de dados documentais, amostras de dados estatísticos e coletados entre a população alvo. O programa, embora atualmente se caracterize formalmente como política de formação docente, originalmente, caracterizava-se como de assistência estudantil, uma vez que eram selecionados pela Capes projetos que privilegiavam alunos egressos da rede pública de educação básica ou com renda familiar per capitade até um salário-mínimo e meio. Apesar de não ter perdido essa característica, já que 83,23% (134 de 161) dos egressos da amostra que participaram do programa se mantiveram no curso com recursos parcialmente ou integralmente advindos de bolsa, o programa trouxe efeito para a sua formação prática. Por meio de estatística descritiva, aferimos que, no comparativo de egressos participantes e não participantes do programa, houve diferença estatisticamente significativa na média do último estágio supervisionado, com vantagem para o grupo participante do programa, o que indica seus efeitos nessa variável, mas não houve diferença significativa na formação geral, representada pela MGP, e em índices que mediram o tempo de curso (índice de regularidade, semestres despendidos no curso e semestres a mais do tempo regular). A partir da aplicação do instrumento de coleta de dados, verificamos que vínhamos obtendo percentual superior ao que realmente existiu no cálculo de permanência entre os pibidianos. Após coleta, aferimos que a taxa de permanência entre os egressos participantes do programa foi de 13,04%, dos quais pouco mais de 1/3 em decorrência das atividades no âmbito do programa como motivação para continuar no curso e pouco menos de 2/3 pela necessidade financeira para continuar no curso. Em relação à formação continuada, aferimos que seguiram para a pós-graduação lato sensuou stricto sensuegressos que obtiveram um melhor desempenho acadêmico durante a graduação, independentemente de ter participado ou não de programa/s durante a licenciatura. Esse mesmo resultado se verificou em relação à inserção dos egressos no mercado de trabalho como professores: variáveis como oportunidade e melhor desempenho durante a graduação foram decisivas para estes últimos resultados.

  • MARLUCY MARY GAMA BISPO
  • O COLÉGIO DE APLICAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE: ENTRE EXCELÊNCIA E REFERÊNCIA
  • Orientador : RAQUEL MEISTER KO FREITAG
  • Data: 30/07/2018
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Os termos “excelência” e “qualidade” têm sido recorrentes na atual conjuntura educacional brasileira. Em função dos resultados nos rankings do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) e do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), aos Colégios de Aplicação do Brasil (CAps) tem sido atribuído o rótulo de escolas de excelência e escolas de qualidade. No entanto, dada a natureza de vinculação desses colégios às universidades, um outro atributo, não tão ostentado e não menos importante, é o foco de interesse deste estudo, o atributo de CAp enquanto referência de educação básica. Esta pesquisa investiga de que forma os atributos de excelência e referência se processaram no Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Sergipe (Codap – UFS), período 2010-2016 (conclusão do primeiro ciclo escolar, pós-mudança de forma de ingresso, de seleção através de provas para seleção por sorteio público das vagas), a partir das dimensões acesso, permanência e desempenho. A pesquisa foi desenvolvida considerando duas perspectivas de análises: macrocontextual (envolvendo os CAps vinculados às IFES que ofertam ensino fundamental e médio e microcontextual (envolvendo o Codap – UFS). Na perspectiva macrocontextual, o escopo da análise considerou o atributo excelência a partir dos resultados das médias do Ideb e Enem: ao compararmos as médias obtidas, considerandoas variáveis formas de ingresso discente e níveis de ensino ofertados, constatamos que: i) os CAps que adotam seleção por provas como forma de ingresso apresentaram médias no Ideb do EF séries finais e no Enem superiores aos que adotam o sorteio como acesso, que, por sua vez, apresentam médias maiores do que as observadas na escola básica pública; ii) os CAps que ofertam matrículas nos anos iniciais do EF apresentaram melhor desempenho geral; iii) entre os CAps, a forma de ingresso dos anos iniciais do EF não interfere nas médias comparadas. Na perspectiva microcontextual, no Codap – UFS, realizamos análise documental a partir de dados coletados em setores pedagógico-administrativos da instituição considerando as dimensões acesso, permanência e desempenho, em função da mudança no sistema de seleção para ingresso, de prova ao sorteio público de vagas, evidenciando as práticas diferenciadas que levam às médias superiores às demais escolas básicas da rede pública: nível de formação do corpo docente, regime e carga horária de trabalho de docentes e técnicos-administrativos; medidas de assistência estudantil (pedagógica e socioeconômica), recursos materiais (físicos e humanos), diálogos com a graduação/licenciaturas. Também realizamos uma pesquisa de percepção do Codap – UFS quanto ao seu papel e os efeitos decorrentes da mudança na forma de ingresso a dois grupos de participantes: professores da graduação de cursos de licenciatura da UFS e professores e técnicos-administrativos do Codap – UFS. O instrumento previa julgamento de grau de concordância em afirmações polarizadas acerca das dimensões acesso, permanência e desempenho. Quando comparado ao grupo de professores de cursos de licenciatura, o grupo do Codap – UFS apresentou maior simetria, isto é, maior relação inversa entre os pares de perguntas complementares. Embora apresentando maior simetria, a dispersão entre o grupo do Codap – UFS evidencia que o processo de mudança pelo qual a instituição passou ainda foi não socializada em toda a comunidade acadêmica interna, demandando maior discussão e reflexão. A análise microcontextual apontou aspectos da transição decorrente da implementação do sorteio público das vagas como única forma de ingresso discente que vai além de médias e rankings e que permitem que o Codap – UFS se estabeleça mais como espaço de referência de/para escola pública, e menos como espaço de excelência de/para os ditos excelentes e selecionados. Assim, o Codap-UFS passa a protagonizar uma ação mais ampla, plural e democrática em prol da educação básica, resguardada na sua natureza universitária sustentada pelo tripé ensino, pesquisa e extensão.

  • LUIZ FERNANDO CAJUEIRO DOS SANTOS
  • : O GÊNERO BIOGRÁFICO NO ENSINO DAS ARTES VISUAIS: UMA ABORDAGEM EDUCACIONAL SOBRE A VIDA E A PINTURA DE JOSÉ DE DOME (1955-1981)
  • Orientador : JOSEFA ELIANA SOUZA
  • Data: 27/07/2018
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Com o intuito de analisar a produção artística de José de Dome e a sua importância para as artes visuais e o seu ensino, o presente trabalho investigou a formação e a atuação do referido artista no seu ambiente social, entre os anos de 1955, data da sua primeira exposição individual, e 1981, ano da sua última exposição, enquanto vivia. Trata-se de uma pesquisa de abordagem qualitativa, que tem por fundamentação os pressupostos teóricos e metodológicos da História Cultural, atenta ao alerta de Pierre Bourdieu (2001) a respeito da “ilusão biográfica”, ao “paradigma indiciário” apresentado por Carlo Ginzburg (1989), e às “brechas e contradições dos sistemas normativos” denunciadas por Giovanni Levi (1992). Fundamenta-se também nos ensinamentos de Norbert Elias (1996) e Vavy Pacheco Borges (2014) a respeito do gênero biográfico. Na História da arte moderna foram utilizados os estudos realizados por Giulio Carlo Argan (2001) sobre o Expressionismo, e também as considerações de José D’Assunção Barros (2015), a respeito da importância da arte africana na História da arte moderna. Quanto às questões que dizem respeito à arte Afro-brasileira, foi utilizado como referência, o trabalho apresentado por Arnaldo Marques da Cunha (2015). Para a análise das imagens artísticas, buscou-se suporte teórico nos conceitos de Erwin Panofsky (2012) sobre o “Significado nas artes visuais”, e nos estudos de Michael Baxandall (2006) a respeito do “tecido de intenções humanas na explicação histórica dos quadros”. À luz de pressupostos teóricos e metodológicos da História Cultural que estruturam o gênero biográfico, foi realizada uma pesquisa em textos impressos, especialmente nos jornais em circulação na época do biografado e na fala dos entrevistados que a ele fizeram referência. Estabeleceu-se uma articulação entre a vivência do artista e a sua produção, evidenciando o indivíduo com as histórias das suas atuações. Destaca-se que nas pinturas de José de Dome, a sua liberdade formal, a temática brasileira e o cromatismo por ele utilizado, dão à sua arte, características específicas, autóctones, que incluem o seu nome na História das artes visuais, entre os representantes do Expressionismo brasileiro. Considera-se este trabalho como um contributo ao processo de ensino e de aprendizagem em Artes Visuais, ao produzir conhecimentos a respeito da leitura de imagens artísticas e sobre a História das Artes Visuais e dos seus produtores.

  • WEVÉRTON SANTOS DE JESUS
  • : REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DOS DISCENTES DE CURSOS DE LICENCIATURA EM QUÍMICA SOBRE A UTILIZAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO (TIC) NA SALA DE AULA
  • Orientador : SIMONE DE LUCENA FERREIRA
  • Data: 27/07/2018
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O presente estudo teve como objetivo investigar o conteúdo e a estrutura das representações sociais de discentes ingressantes e concludentes de cursos de Licenciatura em Química sobre a utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) na sala de aula, em três cursos presenciais de Licenciatura em Química do estado de Sergipe, vinculados a: Universidade Federal de Sergipe - Campus de São Cristóvão (UFS/SC) e Campus de Itabaiana (UFS/ITA), e ao Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe - Campus de Aracaju (IFS/AJU). Esta é uma investigação de natureza qualitativa realizada a partir da Teoria das Representações Sociais (TRS), proposta por Serge Moscovici, e da Teoria do Núcleo Central (TNC), conferida Jean-Claude Abric que contou com a participação de 158 licenciandos, sendo 91 ingressantes e 67 concludentes subdivididos entres as três referidas IES. As respostas dos investigados foram coletadas por meio de um questionário, que continha na primeira parte a técnica da Associação Livre de Palavras (ALP) e na segunda parte questões de natureza socioeconômica, cultural, acadêmica e profissional. O estímulo indutor da ALP foi a expressão a utilização das TIC na sala de aula e cinco o número de palavras solicitadas aos estudantes com posterior hierarquização destas. O processamento dos vocábulos e construção do quadro de quatro casas foi feito com o auxílio do software EVOC 2000. Afim de obter resultados mais conclusivos, foram feitos testes de centralidade por meio da análise de similitude com auxílio do software IRAMUTEQ dos prováveis constituintes do núcleo central obtidos na análise prototípica. Para ambos os grupos de licenciandos da UFS/SC, o núcleo central assumiu uma dimensão inteiramente funcional formado por elementos com finalidade operatória, ou seja, considerados fundamentais para a realização da tarefa profissional. Os termos internet e software surgem como objetos centrais à representação dos ingressantes e concludentes, sendo ao primeiro grupo social acrescidos os elementos computador, aplicativos e datashow. A representação social da utilização das TIC na sala de aula para os dois grupos de licenciandos da UFS/ITA foi também organizada por termos que se relacionam aos dispositivos tecnológicos com o aporte de elementos de ordem pedagógica relacionadas ao reflexos e possíveis resultados de uma prática educativa mediada pelo uso da tecnologia. O quadrante central foi formato por dois elementos em comum, internet e computador, porém divergente, quanto a presença de outros termos, a saber: informação e aprendizagem para os ingressantes, e inovação e software para os concludentes; o que tornam as representações sociais diferentes. No tocante a organização interna da representação para os sujeitos do IFS/AJU, à análise dos núcleos centrais revelou diferenças em todos os elementos que formam a composição desses quadrantes. Enquanto, conhecimento, internet e celular, classificam-se como elementos que atribuem significado e sentido a representação para aos ingressantes, aprendizagem, computador e facilidade, parecem organizar a representação dos concludentes. De forma geral, os três grupos de licenciaturas estudados, manifestaram representações sociais diferentes entre ingressantes e concludentes em torno do mesmo objeto social, apesar de algumas similaridades nos elementos constitutivos do núcleo central. No entanto, o conteúdo dessas representações demonstra que o conhecimento dos licenciandos sobre os usos dos diversos dispositivos tecnológicos e as potencialidades que podem ser impressas no processo de ensino e aprendizagem.

  • JOSÉ ADELMO MENEZES DE OLIVEIRA
  • FORMAÇÃO PROFISSIONAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA: A EXPERIÊNCIA DA ESCOLA TÉCNICA FEDERAL DE SERGIPE/CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SERGIPE (2001-2007)
  • Orientador : VERONICA DOS REIS MARIANO SOUZA
  • Data: 25/07/2018
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O século XX foi marcado por um intenso movimento de lutas e conquistas em favor daampliação dos direitos de todas as pessoas, destacadamente para os grupos sociais mais vulneráveis. Oenfrentamento da exclusão e da desigualdade social depende também de políticas públicas no campo daeducação e do trabalho. Nesse contexto, a articulação entre a Educação Especial e a EducaçãoProfissional vem se afirmando como um caminho possível para a formação profissional da pessoa comdeficiência. Essa articulação vem promovendo, concomitantemente, a elevação da escolaridade dessegrupo populacional, e a ampliação de suas chances de ingressar no mundo do trabalho. Nessa perspectiva,a presente pesquisa teve como objetivo analisar o processo de implantação/implementação das ações deformação profissional da pessoa com deficiência e sua influência sobre a cultura escolar daETFSE/CEFET-SE, entre 2001 e 2007. Trata-se de uma pesquisa de abordagem qualitativa, do tipoestudo de caso histórico-organizacional que, baseada nos pressupostos teórico-metodológicos da NovaHistória Cultural, utilizou conceitos de representação e práticas para melhor compreender as ações deformação profissional da pessoa com deficiência, desenvolvidas pela ETFSE/CEFET-SE. Para tanto, foiestabelecido um diálogo, principalmente, com Certeau, Le Goff, Julia, Birklen, Mantoan, Mendes, Glat,Carvalho, Ciavatta, Sacristán e Bardin. Foram analisadas as principais legislações, programas e planosatinentes ao processo educacional da pessoa com deficiência produzido (inter) nacionalmente e os daescola em tela. De modo complementar, foram realizadas entrevistas semiestruturadas com gestores emembros do Núcleo de Apoio às Pessoas com Necessidades Especiais – Napne com professores e comalunos com deficiência que participaram das ações do Programa Educação, Tecnologia e EducaçãoProfissional - Tec Nep no período abrangido pela pesquisa. Os resultados evidenciaram que nosdocumentos da EFTSE/CEFET-SE a inclusão da pessoa com deficiência foi tratada de forma imprecisa eperiférica. Além de ser tratada de maneira difusa, com sutil orientação conceitual e metodológica, asreferências relativas a essa questão não se revelaram centrais. Não obstante essa constatação, ficouevidenciado também que as ações de formação profissional da pessoa com deficiência foram norteadas,do ponto de vista epistemológico, pela noção de inclusão plena, visto que foi garantido o acesso a alunoscom qualquer tipo de deficiência e a todos os cursos técnicos, irrestritamente; e, na prática, o que ocorreude fato foi a integração educacional, fruto das práticas astuciosas e voluntárias de gestores do Napne, deprofessores e dos próprios alunos com deficiência, devido à inalteração dos principais documentos e àquase absoluta ingerência institucional em favor das ações do Tec Nep na escola em tela. Entretanto,concluiu-se que mesmo na contramão da omissão institucional as práticas escolares de membros doNapne e de alguns professores contribuíram para que elementos de um paradigma educacional menosexcludente fosse incorporado à cultura escolar da ETFSE/CEFET-SE.

  • MARIA AMÁLIA VARGAS FAÇANHA
  • PRÁTICAS DE LETRAMENTOS E LEITURAS MULTIMODAIS DE MATERIAIS DIDÁTICOS E AS AULAS DE INGLÊS NA REDE PÚBLICA DE SERGIPE
  • Orientador : SIMONE DE LUCENA FERREIRA
  • Data: 20/07/2018
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta tese está inserida na linha de pesquisa Educação e Comunicação, vinculada ao Programa de Pós-graduação em Educação (PPGED), da Universidade Federal de Sergipe (UFS). Foi desenvolvida no perído de 2014 a 2018, tendo por objetivo compreender as práticas de letramentos adotadas por docentes de inglês da rede pública do estado de Sergipe no processo de construção de sentidos, no que diz respeito a um trabalho multimodal que atenda às necessidades de formação da cidadania crítica, tendo como principal suporte as coleções do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD). A investigação teve o foco no livro didático por ser esse recurso o mais presente nas práticas daqueles docentes. Trata-se de pesquisa qualitativa-multirreferencial conduzida sob a perspectiva da pesquisa-formação, a qual adotou os seguintes instrumentos para o levantamento de informações: diário de campo, questionários, gravações em áudio, entrevistas semiestruturadas e análise documental. O foco da investigação esteve nos significados que são construídos nas práticas de letramentos que envolvem textos visuais (imagens) e outros elementos multimodais, ressaltando a importância de atividades que levem à ampliação de olhares voltados para o papel que o ensino de língua inglesa pode desempenhar na formação do cidadão. A pesquisa se desenvolveu no contexto de um dos módulos de um projeto de extensão, de formação continuada, promovido por um grupo de docentes (no qual se insere esta pesquisadora) do Departamento de Letras Estrangeiras da Universidade Federal de Sergipe (UFS). Os participantes da pesquisa lecionam em escolas localizadas em diferentes municípios do estado de Sergipe, o que imprimiu uma característica positiva aos encontros, fruto da diversidade de experiências e contextos. As teorias dos letramentos e multiletramentos embasaram as problematizações feitas a respeito das relações entre educação, ensino de inglês, neoliberalismo, material didático, PNLD, globalização e o caráter multimodal que marca a comunicação na atualidade. Os principais resultados indicam que esse contato com as teorias contribuiram para a expansão de perspectivas daqueles docentes quanto ao papel que o ensino de inglês pode desempenhar na formação da cidadania crítica, com destaque para as práticas de leituras multimodais críticas de imagens como textos visuais presentes nas coleções por eles adotadas.

  • ALESSANDRA PEREIRA GOMES MACHADO
  • Fluência em leitura oral e proficiência em leitura: automaticidade na decodificação para a compreensão leitora
  • Orientador : RAQUEL MEISTER KO FREITAG
  • Data: 13/07/2018
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A fluência em leitura oral é a habilidade de extrair informação da palavra escrita, demonstrando compreensão na leitura em voz alta. Os processos de leitura verificados na fluência em leitura oral atendem à automaticidade na decodificação da palavra escrita, enquanto a proficiência em leitura está associada aos processos de compreensão da leitura. Assim, os processos de decodificação com automaticidade são necessários para a compreensão da leitura, o nosso objetivo foi comparar o desempenho na fluência em leitura oral com o desempenho na proficiência em leitura na resolução de um teste padronizado de Língua Portuguesa nos moldes da Prova Brasil. Para a avaliação da fluência em leitura oral, construímos um modelo de leitura, considerando o constructo teórico em que aautomaticidade na decodificação é tratada como preditora na construção do sentido do texto. Esta abordagem de leitura pressupõe os modelos de dupla rota de leitura em voz alta (COLTHEART et al, 2001, COLTHEART, 2013), de compreensão de leitura (PERFETTI et al, 2013; PERFETTI, STAFURA, 2014) e de monitoramento da compreensão da leitura (OAKHILL et al, 2005; EFKLIDES, 2008).Tomando como base esses processos de leitura, aferimos as três dimensões da fluência em leitura oral: precisão, velocidade e prosódia. Essas três dimensões, tomadas em conjunto, permitem identificar processos de automaticidade na decodificação que levam à compreensão da leitura. Na análise da precisão, o modelo da dupla rota possibilitou identificar processos de automaticidade na decodificação que nos dão indício de precisão ao acessar a rota lexical, como: fenômenos variáveis da fala (traços graduais e traços descontínuos) e hipercorreção; ou da falta de precisão ao acessar a rota fonológica, como: erro de decodificação e falta de conhecimento do sistema ortográfico. O modelo de compreensão da leitura permitiu identificar os processos de ressilabação e predições. Os processos de correção e repetição na leitura em voz alta foram identificados pelo modelo de monitoramento da compreensão da leitura. Na análise da prosódia, identificamos as pausas silenciosas e as preenchidas e a mudança de fronteira apoiadas no modelo de compreensão da leitura. Na análise da velocidade, identificamos o número de palavras ortográficas lidas em 1 minuto de leitura em voz alta, relacionado aos processos do modelo de leitura. Para verificar a proficiência em leitura, aplicamos um teste padronizado de Língua Portuguesa baseado na Prova Brasil. A construção do teste baseou-se na matriz de referência de Língua Portuguesa e na escala de proficiência da referida avaliação, utilizando os itens da avaliação disponíveis na Plataforma das Devolutivas Pedagógicas. O teste de fluência em leitura oral baseou-se no método Curriculum-Based Measurement (CBM- DENO, 2003), atendendo aos procedimentos da análise de 1 minuto de leitura em voz alta de dois textos adequados ao nível de escolaridade do leitor. Participaram deste estudo 74 estudantes do 6º ano e 72 do 9º ano do ensino fundamental de duas escolas públicas de Sergipe: Colégio Estadual Ministro Petrônio Portela e Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Sergipe. No início do ano letivo de 2016, o teste de proficiência em leitura foi aplicado de forma coletiva a todos os estudantes participantes presentes na escola, enquanto a sessão de gravação da leitura em voz alta foi realizada individualmente, em ambiente reservado. O resultado da fluência em leitura oral a partir do modelo de análise permitiu identificar três perfis de leitura que atendem a padrão de comportamento adequados aos processos de automaticidade, compreensão e monitoramento e velocidade de leitura. Os estudantes participantes estão no perfil 2 de leitura. O resultado de proficiência em leitura demonstrou uma progressão reversa no desenvolvimento das habilidades de leitura no decorrer dos anos de escolaridade, isto quer dizer que quanto maior o nível de escolaridade, neste caso 9º ano do ensino fundamental, menor a quantidade de estudantes nos níveis de proficiência em leitura adequados ao ano de escolaridade. Para atendermos ao objetivo proposto nesta tese de comparar o desempenho emfluência em leitura oral e o desempenho em proficiência em leitura, realizamos um teste estatístico de significância para comparar os resultados de desempenho nesses dois testes. O Teste-t de Student sugere que os processos de automaticidade aferidos na fluência em leitura oral são preditores da proficiência em leitura. Nossa hipótese de estudo de que a automaticidade no processo de decodificação da leitura é necessária para a compreensão do texto foi confirmada. Isto significa que um leitor fluente em leitura oral terá bom desempenho em testes de compreensão de leitura, como a Prova Brasil, no entanto, o contrário é impossível de ocorrer.

  • ANSELMO GUIMARÃES
  • História dos livros didáticos de espanhol publicados no Brasil (1919-1961)
  • Orientador : JOSEFA ELIANA SOUZA
  • Data: 04/07/2018
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta tese objetivou investigar a abrangência da legislação educacional no processo de produção do livro didático de espanhol no Brasil, no período de 1919 a 1961, com vistas a compreender se houve proximidades e distanciamentos ao prescrito. O recorte escolhido levou em consideração a Lei n. 3.674, de 7 de janeiro de 1919, a qual possibilitou a institucionalização (BRASIL 1919) do ensino da língua e literatura espanhola no Colégio Pedro II, resultando como consequência a publicação da obra Grammatica da lingua espanhola para uso dos brasileiros (1920), de autoria do professor catedrático de espanhol do Colégio Pedro II, Antenor de Veras Nascentes (1886-1972). Essa gramática é uma obra fundante de um novo campo de atuação para docentes e autores de livros didáticos, visto que se trata da primeira obra do gênero produzida e publicada no Brasil. O período final refere-se à aprovação da Lei 4.024, de 20 de dezembro de 1961, primeira Lei de Diretrizes e Bases (LDB) brasileira, a partir da qual as disciplinas do Ensino de Grau Médio não mais estaria(m) explícita(s) no texto legislativo, sendo escolhida(s) pelos sistemas de ensino federal e estaduais, bem como pelos estabelecimentos de ensino. Para tanto, foi feita análise de como as obras desenvolvem levando em consideração as normas legais, os conteúdos e as instruções metodológicas expedidas pelas autoridades educacionais competentes. Nesse sentido, a tese é de que cada livro pôde, sutilmente, fugir das prescrições, utilizando-se de táticas, acrescentando conteúdo de acordo com os seus objetivos. A metodologia utilizada foi a da pesquisa histórica. A fundamentação teórica utilizada foi estruturada com base nos estudos da história dos livros didáticos, em especial nos trabalhos de Allain Choppin (1998, 2004, 2008, 2009), bem como foram usados pressupostos teóricos da história das disciplinas escolares, de acordo com André Chervel (1990), da história cultural, conforme os escritos de Roger Chartier (1990) e Michel de Certeau (1998). Para desenvolver o presente trabalho foram utilizadas diversas fontes documentais: a legislação educacional, textos de jornais, programas de ensino, livros didáticos de espanhol, relatórios de governantes, entre outras.

  • PATRICIA DE SOUSA NUNES SILVA
  • MÉDICOS POR FORMAÇÃO, DOCENTES EM AÇÃO: O CONSÓRCIO DO OFÍCIO DE MÉDICO COM O MAGISTÉRIO (1966-1973).
  • Orientador : JOSEFA ELIANA SOUZA
  • Data: 18/06/2018
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A luz dos pressupostos da História Cultural esta tese tem por objeto de investigação os médicos que se formaram em Medicina pela Faculdade de Medicina de Sergipe (FMS) no recorte temporal de 1966 a 1973. Mais especificamente, a pesquisa se propõe a realizar a prosopografia de 23 médicos que consorciaram a profissão médica ao magistério e que lecionaram na Universidade Federal de Sergipe, de modo a analisar as semelhanças e dessemelhanças entre os indivíduos e assim compor o perfil do grupo. Deste modo estaremos compreendendo porquê dos médicos formados pela FMS consorciarem a profissão médica ao magistério e se a especialidade que cada médico docente trilhou contribuiu para a modernização da área médica em Sergipe. Diante da perspectiva de compor e analisar o perfil desses médicos docentes os quais compõem uma parcela da intelectualidade sergipana, os referenciais teórico-metodológicos que alicerçam este estudo atendem aos conceitos de intelectual criador e mediador, redes de sociabilidade, microclima e macrocosmo, do autor francês Jean-François Sirinelli. Ademais, foi necessário o diálogo com as reflexões acerca da memória, de Maurice Halbwachs; e de campo e capital cultural, de Pierre Bourdieu. As fontes escolhidas são múltiplas: entrevistas, jornais, revistas, discursos, Decretos, Atas, Relatórios Provinciais, fotografias, mensagens do Presidente da Província, e, sobretudo, as memórias dos médicos docentes em análise. Dessa forma, presume-se que esses médicos docentes exerceram grande influência, sobretudo no campo médico e educacional de Sergipe, contribuindo para a modernização da área médica em Sergipe.

  • ELISSANDRA SILVA SANTOS
  • A RELAÇÃO COM O SABER NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: A CONDIÇÃO DE SER ESTUDANTE E O SENTIDO DE APRENDER A DISTÂNCIA VIA INTERNET
  • Data: 25/05/2018
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa tem por objetivo investigar a relação com o saber na Educação a Distância (EaD), a fim de compreender a condição de ser estudante e o sentido de aprender via internet dos alunos do Centro de Educação Superior a Distância da Universidade Federal de Sergipe (CESAD/UFS). O campo de investigação abrange os 14 Polos Presenciais (Arauá, Brejo Grande, Carira, Estância, Japaratuba, Lagarto/Colônia 13, Laranjeiras, Nossa Senhora das Dores, Nossa Senhora da Glória, Poço Verde, Porto da Folha, Propriá, São Cristóvão e São Domingos) e todos os Cursos de Licenciatura, a saber: Ciências Biológicas, Física, Geografia, História, Letras-Português, Letras-Espanhol, Letras-Inglês, Matemática e Química. O ambiente desta pesquisa é o CESAD/UFS em suas três dimensões empíricas a partir da experiência dos alunos: a dimensão institucional, resultante da relação com o CESAD enquanto UFS; a dimensão pedagógica, baseada nas experiências no Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) – a Plataforma Moodle; e a dimensão acadêmica, construída nos Polos Presenciais nas relações com colegas, professores e coordenadores. Teoricamente, este estudo fundamenta-se sob os vieses teóricos da “Relação com o Saber” de Bernard Charlot na busca de compreender o sentido de aprender a distância dos alunos, da “Abordagem Etnometodológica” de Alain Coulon para analisar como se constitui a condição de ser estudante na modalidade EaD e Pierre Lévy no sentido de apresentar os limites da “Nova Relação com o Saber” por ele apresentada. Metodologicamente, este é um Estudo de Caso que, sob a abordagem qualitativa fará, no primeiro momento, o levantamento e análise do perfil do estudante em cinco dimensões, a saber: dimensão acadêmica; dimensão socioeconômica, cultural e escolar; dimensão tecnológica com o “Perfil Tecnológico Digital”; dimensão online e a relação do aluno no AVA e a dimensão da relação com o saber, com fundamento no Balanço do Saber, proposto por Bernard Charlot. Para tratamento estatístico destas informações foi usado o Programa Statistical Package for the Social Sciences (SPSS) com o objetivo de promover o cruzamento das variáveis e possibilitar uma estatística descritiva. A coleta de dados foi feita por meio de questionários online via Google Formulários, inclusive o próprio Balanço de Saber que também foi por esse formulário online. A importância dessa pesquisa justifica-se pela abordagem teórico-metodológica a partir da qual apresentará a relação com o saber e o sentido de aprender dos que estudam a distância; como se constitui o ofício de ser estudante na modalidade EaD; de que forma os alunos estudam no AVA e como constrói sua aprendizagem na Plataforma Moodle; e, por fim, confirmaremos, ou não, se há uma “nova relação com o saber” nessa modalidade em que aprender se estabelece via internet.

  • NEVITON FELIPE DA SILVA
  • OBSERVAÇÕES EM TORNO DA RELAÇÃO MODERNIDADE E EDUCAÇÃO EM MAX WEBER
  • Orientador : EDMILSON MENEZES SANTOS
  • Data: 30/04/2018
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O presente trabalho tem como propósito reconstruir a análise que Max Weber direciona à modernidade, tendo como princípio norteador dessa formulação crítica o problema da educação. No que concerne ao seu objetivo geral, este tem como intuito elaborar uma investigação teórica a partir dos elementos sócio históricos e culturais apontados pelo projeto educacional moderno, sob a ótica weberiana. Quanto ao seu objetivo específico, este visa buscar, dentre os vários pressupostos e mudanças assumidos pelo viés da modernidade, uma definição mais ou menos articulada, segundo o intelectual alemão, do papel da educação nesse período com base nas prerrogativas do seu pr óprio estatuto. A hipótese inicial do trabalho encontra-se, então, assim formulada: Há no pensamento weberiano acerca da modernidade um espaço para a educação, de forma a viabilizar um entendimento mais ampliado do diagnóstico estabelecido pelo autor para aquele período. Partindo desse elemento central, buscamos trilhar um caminho viável para o desenvolvimento da matriz teórica do trabalho. Dito isto, percebemos que a aproximação ao tema enseja a possibilidade de algumas perguntas-problema, a saber: há um nexo de proximidade a ser explorado entre a obra de Max Weber e alguns aspectos relacionados ao campo da educação? Partindo dessa presunção, de que forma se estabeleceu o processo de inserção da modernidade sob a ótica educativa? A metodologia do trabalho deu-se a partir do estudo e análise crítica com destaqu e para as principais obras do autor (Ensaios de Sociologia, Ciência e Política: duas vocações, A gênese do capitalismo moderno, Sobre a Universidade) e de seus comentadores, tendo em vista a construção de uma interpretação lógica em resposta às perguntas que foram acima articuladas. No primeiro capítulo, buscamos traçar um quadro histórico-conceitual sobre as primeiras impressões do autor acerca do mundo e sua relação com a modernidade. No segundo capítulo, discutimos a conturbada relação entre educação, religião e Estado moderno. No terceiro e último capítulo, procuramos estabelecer uma conexão entre educação, capitali smo, modernidade e ciência inseridos no mundo do trabalho. Os resultados apontam para a configuração, em Weber, de um espaço reservado à educação distinguível claramente na sua compreensão sobre a modernidade.

  • JOÃO PAULO MENDONÇA LIMA
  • UMA LUZ NO FIM DO TÚNEL: O PIBID COMO POSSIBILIDADE DE MELHORIA DA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES NO CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE/CAMPUS DE SÃO CRISTÓVÃO
  • Orientador : VELEIDA ANAHI DA SILVA
  • Data: 16/04/2018
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O objetivo principal da presente Tese foi “Investigar o papel do PIBID docurso de Licenciatura em Química da UFS/Campus de São Cristóvão na formação debolsistas de iniciação à docência”. A Tese defendida é a de que a participação no PIBIDmelhora a formação inicial dos pibidianos, reafirma seu interesse pela docência, ampliaa permanência e conclusão no curso, diminuindo a evasão. O percurso metodológicoenvolveu análise de documentos: Resolução 202/2009 do Conselho do Ensino, daPesquisa e da Extensão CONEPE (SERGIPE, 2009), que apresenta o Projeto PolíticoPedagógico do curso; o subprojeto do PIBID/Química aprovado no edital CAPES061/2013 (BRASIL, 2013); os relatórios enviados pelos bolsistas de ID à coordenaçãode área referentes às atividades desenvolvidas entre março e dezembro de 2014, bemcomo durante todo o ano de 2015; relatórios de ingressantes e concludentes no curso,bem como análise de seu desempenho, obtidos através do Sistema Integrado de Gestãode Atividades Acadêmicas (SIGAA) da UFS. Além da realização de entrevistasemiestruturada e coletiva. Os resultados são representativos do papel do PIBID naelevação da qualidade da formação inicial dos bolsistas, apresentando efeitos no melhordesempenho acadêmico, conclusão e diminuição da evasão no curso.

  • RITA SIMONE BARBOSA LIBERATO
  • COMUNICAÇÃO, SABERES E SABORES: ESTRATÉGIAS DE SOBREVIVÊNCIA E PRÁTICAS DE BEM VIVER NA ALDEIA CINTA VERMELHA-JUNDIBA
  • Orientador : PAULO SERGIO DA COSTA NEVES
  • Data: 28/03/2018
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta tese tem como foco o projeto educacional desenvolvido pelos Pankararu e Pataxó da aldeia Cinta Vermelha-Jundiba, localizada no Vale do Jequitinhonha, Araçuaí, Minas Gerais. Em 2005, cinco famílias indígenas, que antes residiam nas aldeias Apukaré e Fazenda Guarani, decidiram comprar 68 hectares de terra, para dar início a uma nova comunidade e um novo projeto de vida. A ideia inicial foi criar um território baseado na permacultura e agroecologia. Atualmente, o conceito do bem viver, como elemento unificador das práticas comunitárias, foi incorporado às suas táticas de sobrevivência. Esta pesquisa objetivou compreender o processo da comunidade de (re)construir saberes ancestrais e articular estratégias de sobrevivência e diálogo com a sociedade nacional, a partir dos domínios educacionais, comunicacionais e do bem viver. Metodologicamente, este estudo de caso foi conduzido pelo vídeo participativo, que prioriza dados qualitativos e procura dar voz aos membros da comunidade estudada, respeitando seu ponto de vista. A construção e análise dos dados deu-se através da observação participante, entrevistas abertas, consulta ao arquivo de documentos e imagens da aldeia, assim como publicações oficiais e acadêmicas referentes à educação indígena, comunicação, epistemologias ambientais do Sul, bem viver, cultura, fronteiras étnicas e relações de gênero. No decorrer dos encontros na aldeia e em outros espaços, foram produzidas 600 fotografias e 120 horas de entrevistas filmadas, material primário de ilustração da Tese e dois documentários. Entre os protagonistas desta história, encontram-se o cacique, o pajé, pelo menos um membro de cada uma das cinco famílias, dois professores da escola, duas estudantes que receberam educação em agroecologia e permacultura, a coordenadora do projeto Casa da Cura, Saúde e Harmonia e a cacica da Apukaré, matriarca dos Pankararu da aldeia. Os resultados informam que, no contexto atual, marcado por pressões políticas, sociais e ambientais, violações aos direitos humanos e, via de regra, pela depreciação dos saberes das populações indígenas, a comunidade está construindo no novo território, um processo educacional singular baseado no seu calendário agrário, nos saberes e sabores dos mais velhos, e nos conhecimentos do mundo moderno. Constatei que entre as etapas de plantio das sementes, manejo, colheita, preparo dos alimentos, e realização de projetos sociais com o apoio de uma ampla rede de sociabilidades, seus indivíduos ensinam e aprendem via: narrativas orais, demonstração, observação, imitação, alianças e sonhos. A partir do território, e de todas as tensões e dissensões que enfrenta para manter seu mínimo vital e social, a comunidade elabora um dizer de si, visando quebrar os discursos hegemônicos. Através de processos educomunicativos, postula reivindicações tais como: demarcação das terras, mitigação dos impactos ambientais, segurança alimentar e nutricional, soberania, educação e saúde. Assim, a formulação das políticas públicas nesses campos deve partir da escuta sistemática e dialógica com os povos indígenas, para buscar responder a aspectos relativos à sobrevivência física e simbólica dos 305 grupos étnicos do Brasil.

  • ROXANE DE ALENCAR IRINEU
  • A METODOLOGIA ATIVA E A MEDIAÇÃO DE GÊNERO NA FORMAÇÃO SUPERIOR EM SAÚDE: PERSPECTIVAS DE DOCENTES DO BRASIL E DE PORTUGAL
  • Data: 22/03/2018
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa teve como objetivo analisar, sob a abordagem de gênero, a experiência de docentes no processo de formação no ensino superior com base na utilização de Metodologia Ativa desenvolvida na área da Saúde no Campus Prof. Antônio Garcia Filho da Universidade Federal de Sergipe e em Instituições de Ensino Superior de Portugal. Especial destaque foi atribuído as perspectivas dos/as profissionais quanto a integração entre a Metodologia Ativa e a abordagem de gênero/diversidade na formação em saúde. O estudo de natureza qualitativa e inspiração pós-estruturalista, desenvolveu-se com base em fontes de informação teóricas e documentais, priorizando-se a realização de entrevistas semiestruturadas com 14 docentes (oito mulheres e seis homens), dos cursos de graduação em saúde do campus de Saúde de Lagarto/Brasil na UFS, e da Escola Superior de Saúde do Porto (ESS), da Escola Superior de Enfermagem do Porto (ESEP) e da Escola de Medicina da Universidade do Minho (EM-UM) em Braga/Portugal. Os/as docentes integram os cursos/departamentos de Educação em Saúde, Enfermagem, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Medicina, Nutrição, Odontologia e Terapia Ocupacional. No Brasil e em Portugal os resultados evidenciam ressignificações dos/as docentes quanto às suas práticas profissionais a partir da experiência com a Metodologia Ativa, uma estrutura de ensino oposta ao paradigma transmissionista, este fato questiona o papel tradicional do professor e as relações de poder presentes na academia. Entretanto, os discursos revelam que a formação em saúde ainda é fortemente influenciada pelo paradigma clássico/tecnicista, dualista, biologizante e de objetivação do processo de saúde. Com relação à vinculação dos fatores ligados a gênero no ensino superior em saúde, observou-se maior distanciamento dos/as docentes de Portugal comparativamente aos docentes do Brasil. Ainda que a transversalização de gênero nas práticas e políticas de educação e saúde seja algo premente, esta discussão carece de mais atenção na formação em saúde no Brasil e em Portugal. É consensual que a introdução da Metodologia Ativa, o contato e o vínculo com a comunidade, a multiplicidade de cenários sociais e culturais, favoreceu uma melhor compreensão das demandas e aspectos sociais por parte do profissional que atua nas realidades investigadas. Não obstante a Metodologia Ativa favorecer a inserção de novos conteúdos sociais às aulas, a leitura crítica de fatores mediadores de gênero por suas características ligadas à flexibilidade, reflexão, criticidade, vinculação com o social, persiste a naturalização de papéis, a invisibilidade, quanto às desigualdades de gênero, presentes na vida profissional e pessoal dos/as docentes. Infere-se que a formação Superior em Saúde expressa lacunas que questionam mudanças substanciais no processo de formação, nos conteúdos e práticas de ensino na luta contra o sexismo, o racismo e a homofobia, com vistas a formar um profissional apto a olhar para o outro sem distinção e com mais compaixão, contemplando a integralidade das ações em saúde.

  • JULIANA SANTOS FONTES
  • CLASSES DE APERFEIÇOAMENTO: ENSAIO DA ESCOLA ATIVA NOS GRUPOS ESCOLARES EM SERGIPE (1932-1933)
  • Orientador : MARIA NEIDE SOBRAL
  • Data: 28/02/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Neste estudo, procurei investigar o processo de disseminação do ensino Ativo Intuitivo Analítico por meio da implementação das Classes de Aperfeiçoamento, instaladas nos grupos escolares e nas escolas isoladas no Estado de Sergipe, nos anos de 1932 e 1933. Nas Classes de Aperfeiçoamento foram desenvolvidos os Centros de Interesse, criados por Decroly, e adotados no Regulamento de 1931. Alinhado a História Cultural, a investigação fundamentou-se no conceito de cultura escolar, defendido por Julia (2001), como princípio norteador para a análise do conjunto das práticas docentes que incorporadas nas referidas Classes em Sergipe. Além disso, discutiu as orientações pedagógicas a partir da obra de Moura (1931), realizada pelos inspetores de ensino. Na metodologia utilizada, de natureza histórica descritiva, busquei em fontes documentais, como termos de visita dos inspetores do ensino, relatórios dos diretores escolares, programa para o ensino primário, Regulamento de 03 de fevereiro de 1931 e notas do Diário Oficial dos anos referente a esta investigação, entre outras fontes, os dados necessários para responder a questão de pesquisa: como se deu o processo de disseminação do ensino Ativo Intuitivo Analítico por meio da implementação das Classes de Aperfeiçoamento instaladas nos grupos escolares e nas escolas isoladas no Estado de Sergipe, nos anos de 1932 e 1933? Constatei que as Classes de Aperfeiçoamento tiveram sua proposta apresentada pelo professor José Augusto da Rocha Lima, após viagem realizada ao Estado de São Paulo, no ano de 1931 e foram implementadas em 32 Classes, no período de 1932 e 1933, na capital e no interior de Sergipe. Verifiquei ainda que as escolhas das docentes para dirigir a Classe nos grupos escolares, em sua maioria, tiveram como critério a demonstração de competência no desenvolvimento do método. O propósito dessas Classes foi cumprido na medida em que difundiu-se o método Ativo Intuitivo Analítico, com o uso dos Centros de Interesse de Decroly, o que pode ser certificado nas práticas das docentes nos anos de 1933 e 1934.

  • CRISLAINE SANTANA CRUZ
  • CARIDADE SEM LIMITES. SCIÊNCIA SEM PRIVILLEGIOS”: O ENSINO UNIVERSAL DE JACOTOT POR BENOÎT MURE NO BRASIL (1840-1848).
  • Orientador : SILVANA APARECIDA BRETAS
  • Data: 28/02/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa pretende analisar as ações empreendidas pelo intelectual, médico homeopata e socialista utópico, Benoît Jules Mure (1809-1858), para a divulgação do Método do Ensino Universal enquanto esteve no Brasil, tendo presente que esse o Método pressupõe a igualdade entre as inteligências humanas e, que foi descoberto pelo professor Jean-Joseph Jacotot (1770-1840) no ano de 1818 ganhando notoriedade em diversas regiões da Europa, percebe-se sua circulação também Brasil do século XIX. O marco temporal aqui utilizado justifica-se, pois compreende o período de 1840, ano em que Mure desembarcou no país, a 1848, data em que foi embora e, marca sua passagem em terras brasileiras. Vale destacar que esta investigação encontra-se alicerçada nos pressupostas da História da Educação, na perspectiva do Materialismo Histórico Dialético e da História Cultural. A pesquisa utiliza como fontes periódicos não pedagógicos que circularam na província do Rio de Janeiro durante a época. Especialmente o Jornal do Commercio do Rio de Janeiro, fundado em 1827 e, também a Revista Synthetica dos Conhecimentos Humanos, uma produção do próprio Mure e seu grupo de adeptos com publicação periódica de 1847 a 1848. As fontes aqui trabalhadas foram encontradas nos arquivos online da Biblioteca Nacional do Brasil. Esperamos que essa análise represente uma contribuição importante quanto ao conhecimento histórico do Método do Ensino Universal no Brasil, possibilitando o alargamento do campo da História da Educação, já que trata-se de um assunto, por enquanto, inexplorado na historiografia educacional brasileira.

  • MARKUS DE LIMA SILVA
  • CORPOREIDADE E ADOLESCÊNCIA: ESTUDO SOBRE A AUTOESTIMA A PARTIR DAS EXPERIÊNCIAS VIVIDAS DE ALUNOS DO ENSINO MÉDIO EM ESCOLAS DE ARACAJU-SE
  • Orientador : LUIZ ANSELMO MENEZES SANTOS
  • Data: 28/02/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Essa dissertação teve como propósito a descrição das influências do contexto escolar na autoestima de alunos do Ensino Médio de diferentes escolas de Aracaju, a partir das narrativas sobre a convivência e seus desdobramentos na corporeidade. Trata-se de um estudo que busca aproximar as contribuições da fenomenologia para o campo educacional, envolvendo as vivências corporais, as relações intersubjetivas e a manifestação da autoestima na corporeidade do adolescente. Utilizamos como base de sustentação teórica os fundamentos da perspectiva fenomenológica de Merleau-Ponty, que busca a compreensão do ser humano em sua unidade. A pesquisa foi desenvolvida em duas instituições escolares de Aracaju, uma Escola Pública Estadual e outra Escola da Rede Particular de Ensino. Participaram desse estudo dez alunos de cada escola, com idades entre quatorze a dezoito anos, matriculados no segundo ano do Ensino Médio. Foi utilizada a abordagem qualitativa da pesquisa, pois entendemos ser mais adequada ao tipo de investigação adotada, tendo em vista que a sua principal característica é o saber descritivo que proporciona a interpretação de um contexto, assim como a descoberta de novos elementos que possam emergir durante o processo. Utilizamos como recurso metodológico entrevistas semiestruturadas do tipo grupo focal, onde por meio da ampliação do objetivo foi possível contextualizar ainda mais os dados coletados e estabelecer uma interação maior entre investigados. Portanto, através das entrevistas foi possível compreender que escola é um local de múltiplas experiências corporais que atuam diretamente na percepção de mundo adolescente. Seus relatos, gerados pelas discussões durante a realização do grupo focal, revelam que as vivências corporais e as relações intersubjetivas, apresentam-se como fatores determinantes do desenvolvimento do indivíduo, pois é na adolescência que proliferam as crises e as incertezas sobre si mesmo. Desta forma, a escola precisa se afirmar como uma instituição que realmente possibilita a formação humana integral, onde a convivência entre seres humanos seja discutida, problematizada e refletida a partir de uma abordagem mais ampla que envolva a corporeidade do adolescente. É fundamental que a autoestima seja incluída nos objetivos e princípios educacionais, possibilitando a compreensão que somos seres singulares no mundo, possuidores de potencialidades diferentes uns dos outros, mas que precisam ser respeitadas e valorizadas por todos.

  • TAYSA KAWANNY FERREIRA SANTOS
  • MEMÓRIAS NARRADAS NA EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA DOS KARIRI-XOCÓ/AL
  • Orientador : MARIZETE LUCINI
  • Data: 28/02/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa teve como objetivo analisar as memórias narradas vinculadas nos suportes didáticos elaborados pelos indígenas Kariri-Xocó/AL. Para tanto, foi necessário conceituar memórias no campo da história e do pensamento indígena; identificar as memórias narradas e vinculadas nos suportes didáticos dos Kariri-Xocó/AL e entender os significados das narrativas vinculadas nos suportes didáticos para Educação Escolar Indígena diferenciada e intercultural. O povo Kariri-Xocó habita na cidade de Porto Real do Colégio, região Leste de Alagoas, a 180 km da capital Maceió. Estes suportes didáticos foram produzidos pelos indígenas buscando evidenciar o modo de ser Kariri-Xocó. O nosso estudo orientou-se pela abordagem da pesquisa qualitativa em Educação, tem como base a fenomenologia e a hermenêutica porque objetiva evidenciar os significados atribuídos pelos sujeitos ao fenômeno. Neste sentido, foi um estudo de caso e a partir de uma pesquisa etnográfica, na intenção de valorizar a escuta, as observações e o respeito às práticas culturais. Os resultados evidenciaram que os significados atribuídos às memórias estão relacionados à história produzida coletivamente no percurso do modo de “Ser e viver Kariri-Xocó”. A pesquisa também apontou a participação de professores/as indígenas e lideranças como agentes envolvidos na e com a escola no protagonismo de efetivar Educação Indígena diferenciada e intercultural.

  • VIVIANE DOS REIS SILVA
  • O que pensam as educadoras e o que nos revelam os bebês sobre a organização dos espaços na Educação Infantil
  • Orientador : TACYANA KARLA GOMES RAMOS
  • Data: 28/02/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa busca compreender os saberes docentes sobre a organização dos espaços para bebês e os usos destes espaços pelas crianças na Educação Infantil. Nosso arcabouço teórico passeia pelas obras de Abramowicz; Oliveira (2010); Agostinho (2004); Cairuga (2015); Carvalho (2011); Delgado; Müller (2005); Fernandes (2016); Horn (2004; 2015; 2013; 2014); Gandini (1999); Guimarães (2009); Nornberg (2013); Rocha (2008); Simiano e Vasques (2011), Soares; Sarmento; Tomás, (2004) e dentre outros autores que tecem discussões à luz da Sociologia da Infância. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, configurada em um estudo de caso. O campo de pesquisa investigado foi o agrupamento etário denominado de Berçário I de uma creche municipal, localizada em Nossa Senhora do Socorro/SE, constituído por oito bebês e duas educadoras. Os dados foram produzidos com base na observação participante. Realizamos observações das rotinas do Berçário, seguidas de escritos em diário de campo, videogravações e registros de imagens por meio de fotografias, entrevistas audiogravadas com educadoras e aplicamos questionários. Todos esses procedimentos proporcionaram a organização de encontros reflexivos com as educadoras denominados de Móbiles dos Saberes. Utilizando-se a técnica de autoscopia (SADALLA; LAROCCA, 2004) foram retomados trechos de entrevistas, exibição de videogravações realizadas, episódios descritos, fotos e registros escritos, problematizando a organização dos espaços onde tais ações foram protagonizadas pelas educadoras e crianças integrantes do estudo. A análise dos dados produzidos foi realizada mediante os pressupostos da análise de conteúdo (BARDIN, 1977). Essa proposta funda-se na construção de uma pesquisa colaborativa, permitindo-se estabelecer diálogos entre o olhar do pesquisador e dos sujeitos envolvidos, contribuindo, assim, para provocar reflexões dos profissionais que atuam na creche sobre o seu trabalho, lapidando-se, por meio da junção entre teoria e prática, reflexões sobre as práticas pedagógicas, assentando-se em um caminho que preza pela qualidade dos espaços construídos com e para as crianças que ingressam na Educação Infantil desde bebês. Os dados produzidos revelam que a dimensão pedagógica da organização dos espaços para bebês é evidenciada pelas educadoras, mas os encontros reflexivos atentaram para a necessidade de reorganizações de tais espaciais. Revisitar e refletir sobre os momentos protagonizados pelos bebês e educadoras nos diferentes espaços da creche conduziu os sujeitos desta pesquisa a valorizar os arranjos espaciais que compartilhavam experiências, cotidianamente, reconhecendo-os como importante componente curricular da prática pedagógica com bebês.

  • ANAILZA GUIMARÃES COSTA
  • OS MANUAIS DE INSTRUÇÕES PARA SOLDADOS AMERICANOS E BRITÂNICOS NA II GUERRA MUNDIAL: UMA ANÁLISE COMPARATIVA (1942-1945)
  • Orientador : DILTON CANDIDO SANTOS MAYNARD
  • Data: 28/02/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O objetivo deste trabalho é analisar, em perspectiva comparada, suportes didáticos produzidos pelos Estados Unidos e Grã-Bretanha na Segunda Guerra Mundial. Analisamos os manuais Instructions for American Servicemen in Britain (1942), Instructions for British Servicemen in France (1944), Instructions for American Servicemen in France During World War II (1944). Também, buscamos fazer um contraponto com o folheto 112 Gripes about the French: The 1945 Handbook for American GIs in Occupied France (1945), preparado em 1945, cujo objetivo foi elencar queixa de comportamento entre americanos e franceses e dar possíveis soluções. O primeiro manual produzido em 1942 teve a função de instruir os soldados americanos enviados para lutar na Grã-Bretanha. O segundo, para orientar os combatentes britânicos que se dirigiam para França em 1944. O terceiro que também foi produzido em 1944, teve como objetivo indicar aos americanos o seu comportamento diante dos franceses. A partir disso, foi possível identificarmos estes manuais dentro de um projeto de educação militar, pensado pelos Estados americano e britânico a fim de educarem os soldados sobre o comportamento frente ao habitante local do país estrangeiro. Observamos que além do combatente eficiente militarmente, os Estados tentaram formar o soldado cidadão cosmopolita, aquele que deveria representar a imagem de sua pátria e projetar um comportamento para se inserir na cultura do aliado.

  • ANA LÚCIA SIMÕES BORGES FONSECA
  • A IMPOSIÇÃO DO INGLÊS COMO POLÍTICA LINGUÍSTICA: NA CONTRAMÃO DO PLURILINGUISMO
  • Orientador : LUIZ EDUARDO MENESES DE OLIVEIRA
  • Data: 28/02/2018
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O objetivo desta tese é demonstrar que a Lei 13.415, de 16 de fevereiro de 2017, tratando da oferta obrigatória do inglês no currículo do Ensino Fundamental, a partir do sexto ano, e da sua obrigatoriedade nos currículos do Ensino Médio, faz parte de um projeto hegemônico que acaba por manter as desigualdades sociais e provocar impactos negativos no sistema educacional brasileiro, pois vai de encontro aos direitos sociais e linguísticos das comunidades escolares, já sacramentados na LDBEN de 1996 e nos documentos dela decorrentes, como nos PCN, nas OCEM, na BNCC, etc., revelando a sua inconstitucionalidade e inconsistência com os estudos e pesquisas sobre a matéria. Para investigar os modos pelos quais o inglês, como disciplina escolar, voltou a ser um componente obrigatório no currículo da Educação Básica, depois de ter a sua hegemonia ameaçada, em 2005, pela chamada Lei do Espanhol, e de ter sido considerado parte de um núcleo complementar nos currículos escolares, foi feita a análise da sua institucionalização e da sua situação atual no currículo da Educação Básica, tratando das políticas educacionais relacionadas ao ensino das línguas, com base na historiografia e em trabalhos no campo da História do Ensino das Línguas (ALMEIDA FILHO, 2005; OLIVEIRA, 2010, 2017; SANTOS, 2017; VIDOTTI, 2010); História das Disciplinas Escolares (CHERVEL, 1990; CHERVEL e COMPÈRE, 1999); dos estudos sobre currículo (GOODSON, 2005); de trabalhos pioneiros no campo da Linguística Aplicada que contribuíram para uma história do ensino das línguas no Brasil (CHAGAS, 1976; CARNEIRO LEÃO, 1935); de estudos sobre políticas linguísticas e o papel das línguas estrangeiras na formação e na internacionalização da educação e que apontam ser o inglês a lingua franca global (KACHRU, 1992; PHILLIPSON, 1992; CRYSTAL, 1999; SEIDLHOFER, 2001; TOLLEFSON, 2002; JENKINS, 2006, 2009; PENNYCOOK, 2002, 2006, 2010, 2017) e de estudos sobre políticas linguísticas (FISHMAN, 1974; SPOLSKY, 2004, 2009, 2012; SHOHAMY; RAJAGOPALAN, 2006; CALVET, 2007), com vistas a contribuir para o aprofundamento e extensão temporal da história do ensino das línguas no Brasil. O período eleito para a análise começa em 1961, ano da promulgação da primeira versão da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, passando pela Lei 5.692/71, a Lei 9.394/96, a atual versão da LDBEN, e termina em 2017, com a institucionalização da Lei 13.415/17. Como fontes, utilizei a legislação e a historiografia educacionais. Com este estudo, concluí que é preciso subsidiar ações que levem à criação de políticas linguísticas articuladas entre si, que contemplem a continuidade ou a prática do ensino efetivo de outras línguas, a fim de que o ensino massivo do inglês dê lugar à construção de currículos plurilíngues.

  • TAILLA CAROLINE SOUZA MENEZES
  • EM NOME DO POVO, DO ESTADO E DA FAMÍLIA”? UMA ANÁLISE DOS DOCUMENTOS REGULADORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL EM FEIRA DE SANTANA- BAHIA
  • Orientador : LIVIA DE REZENDE CARDOSO
  • Data: 28/02/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta proposta de dissertação analisa as concepções de família presentes nosdocumentos reguladores a Educação Infantil em Feira de Santana-Bahia. Dessa forma,estabelecemos como objetivos específicos: a) Investigar as concepções de família presentes nocampo jurídico brasileiro e suas relações com as legislações específicas educacionais; b)Identificar como o termo “família” está inscrito nos documentos que regulam a EducaçãoInfantil em Feira de Santana-Bahia; e, c) Discutir a historicidade, as disputas, os agentes e asfiliações ideológicas que envolvem a produção dos discursos sobre família nos documentos. Apesquisa se fundamenta no método materialista histórico-dialético como forma decompreensão da realidade e se baseia na metodologia da análise documental que utiliza comofontes de pesquisa documentos oficiais e não-oficiais. Para o tratamento dos discursosoptamos pela Análise de Discurso de linha francesa devido suas relações entre o político e osimbólico. Como resultados iniciais identificamos uma disputa entre dois grupos: os religiosos,que alegam a defesa de uma perspectiva biologizante e conservadora, e o grupo que defendea ampliação do conceito de família, sobretudo, a comunidade LGBTT. Esses dois grupospertencem a distintas filiações ideológicas que buscam legitimar nos espaços de poder suasconcepções de família.

  • ADRIANA MENDONÇA CUNHA
  • HISTÓRIA, EDUCAÇÃO E RELAÇÕES BRASIL-EUA: ROBERT KING HALL E O PROGRAMA DE CONSTRUÇÃO DE ESCOLAS RURAIS DO INEP (1949 – 1951)
  • Orientador : DILTON CANDIDO SANTOS MAYNARD
  • Data: 28/02/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O propósito deste trabalho é analisar a colaboração do pesquisador estadunidense Robert King Hall com o programa de educação rural coordenado pelo Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos (INEP), na década de 1940, no Brasil. Lançado pelo governo federal em 1946, o projeto tinha por objetivos promover maior qualificação da mão-de-obra no campo, conter o êxodo rural e combater os altos índices de analfabetismo. O INEP era o responsável pela organização, coordenação e fiscalização da construção das escolas rurais, além de promover a capacitação dos docentes que atuariam nestas instituições. Hall foi contratado pelo instituto para trabalhar como técnico, ministrando um curso de aperfeiçoamento para professores e produzindo uma análise do programa. Utilizando os conceitos de Campo e Capital Cientifico de Pierre Boudieu, procuramos avaliar o papel desempenhado por Hall no campo educacional brasileiro a partir da posição ocupada por ele enquanto pesquisador estrangeiro e as relações estabelecidas com as instituições e intelectuais com os quais manteve contato. Para tanto, examinamos os relatórios produzidos pelo pesquisador estadunidenses sobre o programa, publicados na Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, matérias de jornais, leis e decretos referentes ao ensino rural. Nosso objetivo foi detectar os posicionamentos de Hall em relação à educação rural brasileira e, através da confrontação das fontes, discutir se as suas propostas refletiam ou não os interesses do governo estadunidense em relação ao Brasil e, por fim, avaliar o grau de influência dessas ideias no projeto com qual cooperou. Analisando os textos produzidos por Hall, percebemos uma forte influência ideológica em seu pensamento, fruto de um período marcado pela Guerra Fria. Enquanto pesquisador estrangeiro e colaborador do INEP, Hall foi capaz de realizar uma análise crítica do programa, indicando mudanças a serem realizadas no projeto, muitas delas defendidas também por intelectuais brasileiros desde os anos 1920, ao mesmo tempo em que propunha um modelo de ensino rural baseado em experiências e modelos estadunidenses.

  • ADVANUSIA SANTOS SILVA DE OLIVEIRA
  • O processo de alfabetização com crianças do ensino fundamental mediado pela Lousa Digital Interativa
  • Orientador : HENRIQUE NOU SCHNEIDER
  • Data: 28/02/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O processo de alfabetização compreende os fatores intelectuais, sociais, psíquico, emocional dos estudantes, levando-os à experiência da leitura e da escrita nas práticas sociais. Esta pesquisa intitulada “O processo de alfabetização com crianças do ensino fundamental mediado pela Lousa Digital Interativa”, institui-se, epistemologicamente, no âmbito da Educação, alicerçando-se nas proposições piagetianas e ferreirianas da psicogênese da língua escrita, mediada pela Lousa Digital Interativa (LDI) na construção de diferentes saberes teóricos e proposições práticas de fazeres, à luz da teoria interacionista de Vygotsky. Para delinear uma linha de raciocínio, elegeu-se o seguinte problema de investigação: como a Lousa Digital Interativa pode viabilizar práticas de alfabetização das crianças do ensino fundamental mediante o seu uso nos processos de ensino-aprendizagem? Como objetivo geral da pesquisa tem-se: investigar como a Lousa Digital Interativa (LDI) pode viabilizar práticas de alfabetização das crianças no ensino fundamental 1 mediante o seu uso nos processos de ensino-aprendizagem. A fim de atingir o objetivo posto, definiu-se os objetivos específicos: desenvolver um plano de ensino piloto para a alfabetização de crianças do ensino fundamental 1, utilizando os recursos da LDI; e analisar as observações relativas à aplicação das atividades propostas no plano de ensino piloto. A fundamentação teórica norteou-se nas publicações que abordam os aspectos conceituais e práticos da temática da pesquisa, considerando a sua abrangência, com destaque para as referências que envolvem Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC); Lousa Digital Interativa (LDI); Alfabetização e Processo de Ensino-Aprendizagem. A abordagem metodológica escolhida é a da pesquisa qualitativa, fundamentada nas conjecturas de Bogdan e Biklen (1994), baseada na Pesquisa Participante de Brandão e Streck (2006), fundamentada através dos procedimentos técnicos bibliográfico, documental e estudo de campo, de cunho exploratório e descritivo de Gil (2010). Como instrumentos na coleta de dados foram utilizados: questionário de Lüdke e André (1986); observação participante de Lakatos e Marconi (2010); diário de campo de Macedo (2010) e Bogdan e Biklen (1994). As informações coletadas foram analisadas por meio da análise de conteúdo (BARDIN, 2011), da qual emergiram quatro grandes categorias: o perfil dos nativos digitais dos alunos do 2ª ano B; o potencial educativo da LDI na alfabetização dos pesquisados; a LDI como tática para o desenvolvimento da estrutura da linguagem e os aspectos cognitivos na aquisição da alfabetização. Os resultados obtidos evidenciam que: (a) os alunos são nativos digitais (podendo ser considerados sábios digitais, pelas observações de Prensky), são protagonistas em atividades práticas individuais ou em grupo e com excelente interação entre eles; (b) o uso da LDI no processo de ensino-aprendizagem contribuiu para o aprendizado e aprimoramento da alfabetização dos alunos; (c) a interatividade da LDI nas aplicações das atividades permitiram o enriquecimento da estrutura de linguagem, configurando-se como mais um recurso para potencializar a comunicação e os aspectos cognitivos dos alunos dentro da prática pedagógica.

  • MARIA JOSÉ TORRES LIMA
  • A OFERTA DE ENSINO ATRAVÉS DOS ANÚNCIOS DE JORNAIS SERGIPANOS: A EDUCAÇÃO DOMÉSTICA NA CASA DO MESTRE E DA FAMÍLIA (1880-1930)
  • Orientador : SILVANA APARECIDA BRETAS
  • Data: 28/02/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente dissertação situa no campo da História da Educação e tem por finalidade analisar a oferta de ensino anunciada por professores e professoras nos jornais do Estado, cujo local de ensino era a sua própria casa ou a da família do estudante, ao longo do período de 1853 a 1930. Para isso, fora realizada análise documental e bibliográfica, compreendendo a investigação dos documentos oficiais (nacional e sergipana) e jornalísticos disponíveis nos acervos do Conselho Estadual de Educação – CEE/SE, do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe – IHGSE, e do Arquivo Público do Estado de Sergipe, conforme o período delimitado. Para fundamentar a análise histórica, considerou-se o contexto sócio-político que conformaram as sociedades sergipana e brasileira, momento em que se vivenciavam as mudanças sociais, políticas, econômicas e educacionais devido a transição do sistema Imperial para o Republicano. Neste sentido, os esforços do presente estudo é compreender os processos de modernização através da história da educação doméstica existente e anterior ao sistema escolar com a criação dos grupos escolares que, conforme indica os estudos históricos da educação, se instalou de modo desigual nas diferentes regiões do estado brasileiro. Nossa hipótese é que fragilidade e os ensaios de instalação da ordem educativa pública estatal apresentada em Sergipe mantiveram e deram sobrevida à modalidade de educação realizada no espaço privado da casa que, não obstantes de suas profundas transformações, persistem na realidade educacional atual, desta vez, sob o contorno do “ensino de banca”.

  • RICARDO TORRES RIBEIRO
  • A criação dos Institutos Federais de Educação, ciência e Tecnologia e o contexto do IFBA
  • Orientador : SOLANGE LACKS
  • Data: 28/02/2018
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O presente trabalho, A criação dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia e o contexto do IFBA, tem o objetivo de analisar e avaliar os novos preceitos legais criados a partir do estabelecimento da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica e a criação dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia (IFs) no Brasil, através do marco jurídico posto pela Lei n° 11.892/2008, propagados como marco da política e expansão da educação profissional e tecnológica, ao longo dos governos Lula e Dilma Roussef. Como recorte mais específico, intenta verificar e discutir o processo de criação dos IFs, sob perspectiva interna e meandros do Instituto Federal da Bahia (IFBA). Analisa aspectos conceituais do Termo de Acordo de Metas e Compromissos (TAMC) assinado entre o IFBA e o Ministério da Educação (MEC), em 2010. Discute-se que as políticas de caráter social, como a expansão da educação pública profissional, a exemplo dos IFs, se por um lado representou um esforço em promover maior justiça social, redundou também em um atrelamento desta, à uma política econômica, organização e gestão burocráticas assentadas em uma concepção de estado impregnada de uma “lógica de mercado”. Avalia-se que o TAMC se enquadra nos cânones gerencialistas como expressão dessa “lógica de mercado”. Apresenta-se essa pesquisa numa concepção de investigação crítico-dialética e dentro de uma perspectiva exploratória. Os instrumentos de coleta de informações privilegiam entrevistas temáticas semi-estruturadas, questionários e fichas de documentação com os principais gestores: Reitor/a, Pró-Reitores, Diretores Gerais de Campi, Diretores de áreas sistêmicas. Distingue-se na utilização como fontes primárias, os principais documentos legais como o Decreto no 6.095/2007, o qual estabeleceu as diretrizes para o processo de integração de institutos federais de educação tecnológica, a Lei no 11.892/2008, que instituiu a Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica, criando os IFs, o Termo de Acordo e Metas e Compromissos IFBA-MEC, o Projeto Pedagógico, o Plano de Desenvolvimento Institucional e Relatórios de Gestão do IFBA, até o período de 2014.

  • ANDRÉA MARIA DOS SANTOS MATOS
  • Desempenho em leitura e resolução de problemas matemáticos na Prova Brasil
  • Orientador : RAQUEL MEISTER KO FREITAG
  • Data: 27/02/2018
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A Prova Brasil é uma avaliação em larga escala da educação básica aplicada aos 5º e 9º anos do ensino fundamental nas escolas públicas brasileiras cujo objetivo é aferir o desempenho em Matemática e Língua Portuguesa, nas habilidades de resolução de problemas e em leitura. Para resolver problemas matemáticos, é preciso ler o enunciado e compreender o que é solicitado e desenvolver os procedimentos matemáticos. Logo, existe uma relação entre o desempenho na Prova Brasil de Língua Portuguesa e Matemática, que é o objetivo de investigação desta tese, desenvolvida em três etapas. A primeira etapa teve por identificar as fronteiras cognitivas e pedagógicas entre a leitura e matemática. Do ponto de vista pedagógico, as duas disciplinas são estanques e separadas. Do ponto de vista cognitivo, embora as duas áreas do conhecimento acessem circuitos neurais distintos, ambas compartilham processos de representação e recuperação de informação simbólica, atenção, memória funcional e de controle cognitivo, o que mostra a aproximação em termos de processamento cognitivo. A segunda etapa consistiu na elaboração de um teste padronizado aos moldes da Prova Brasil, de modo a permitir o acompanhamento do desempenho individual do estudante. Os testes foram elaborados a partir dos itens disponíveis no site da Plataforma Devolutivas Pedagógicas do Inep; elegemos dois critérios de seleção utilizando os níveis das escalas de proficiências e os tópicos da Matriz de Referência de cada área/série avaliadas; distribuímos os itens conformes de estratificação de dificuldades em: fácil, médio e difícil; testamos os itens para identificar o grau de dificuldade conforme três parâmetros, discriminação, probabilidade de acerto ao acaso e grau de dificuldade, seguindo os preceitos da Teoria de Resposta ao Item. Após a validação do teste elaborado, passamos para a terceira etapa, cujo objetivo foi comparar o desempenho dos estudantes em leitura e em resolução de problemas. Participaram da pesquisa 227 alunos dos 6º e 9º anos do ensino fundamental de duas escolas públicas de Sergipe (estadual e federal), com idades entre 10 a 19 anos. Os procedimentos da coleta foram apreciados pelo comitê de ética em pesquisa, CAAE 2.008.797. Os dados foram submetidos à análise estatística. O desempenho em leitura está associado ao desempenho em resolução de problemas, apresentando uma correlação forte e significativa para os 6º anos (r=0,62 e p=<0,001) e para os 9º anos (r=051 e p<0,001). Os resultados apontam que as maiores proficiências em Matemática correspondem aos níveis superiores em Língua Portuguesa, para os 9º anos, e, nos 6º anos, não identificamos diferenças estatisticamente significativas. Na comparação entre o desempenho em Matemática e as questões de Língua Portuguesa que exigiram níveis básicos de proficiência, isto é, aquelas que apresentaram enunciados mais elementares e mais diretos, não existe diferença estatisticamente significativa Porém, para itens em níveis mais complexos, em que são exigidas habilidades para estabelecer relações entre os elementos textuais e o enunciado dos problemas, se observou influência do nível de proficiência em língua portuguesa no desempenho na resolução de problemas. Concluímos que existe relação entre o desempenho na Prova Brasil de Matemática e de Língua Portuguesa, mais especificamente, na relação entre resolução de problemas e proficiência em leitura, o que aponta para a necessidade de trabalho pedagógico articulado entre as disciplinas para efetividade nos resultados.

  • FERDINANDO SANTOS DE MELO
  • REFORMA DO ESTADO E POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NO NEOLIBERALISMO: implicações para a formação e prática dos professores do PROEJA.
  • Orientador : SONIA MEIRE SANTOS AZEVEDO DE JESUS
  • Data: 27/02/2018
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Esta tese tem como objetivo analisar as implicações e contradições da reforma do Estado no Brasil no contexto do neoliberalismo junto às políticas de Educação Profissional, sobretudo aquelas relativas à formação e às práticas pedagógicas dos professores do PROEJA. Para alcançar as proposições de pesquisa, foram utilizados os seguintes aportes de cunho instrumental-metodológico: a entrevista semiestruturada, o grupo focal e a análise de documentos, além de uma revisão teórica crítica comprometida com a complexidade do objeto. Esta pesquisa configura-se como descritiva, do ponto de vista de seus objetivos. É de natureza básica, utilizando a abordagem qualitativa, e está ancorada no materialismo histórico dialético. No processo de análise de dados, voltamos o nosso olhar para as verbalizações dos sujeitos, fazendo inferências e interpretações à luz da “análise de conteúdo” de Bardin (2011), bem como estabelecendo inter-relações analíticas com o campo teórico levantado. Como resultados esperados, mensuramos, com lastro nas enunciações, como as práticas pedagógicas (não) atendem ao que preconizam os documentos norteadores do PROEJA, tensionadas pelas estruturas neoliberalizantes no âmbito da Educação Profissional, pelas especificidades de cada unidade escolar e pelas demandas reais dos sujeitos da EJA. Neste sentido, a análise visa verificar as possibilidades suscitadas a partir das práticas pedagógicas do PROEJA – dentre outras questões institucionais e intrínsecas à práxis educativa no Programa – , àquela relativa à garantia do direito à educação na perspectiva politécnica, à profissionalização combinada com a elevação da escolaridade, e as alternativas de inserção no mercado de trabalho, frente a um quadro acentuado de desemprego estrutural e ao aumento das múltiplas vulnerabilidades que incidem sobre a vida dos jovens e adultos, num cenário contemporâneo de avanço da agenda neoliberal.

  • LARISSA FERREIRA FERRO
  • A PRESENÇA/ AUSÊNCIA DO ÍNDIO NA PÓS-GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE: entre tensões e o direito de seguir para além da aldeia
  • Orientador : ELIANA SAMPAIO ROMAO
  • Data: 27/02/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Este trabalho tem como objetivo compreender, a partir das legislações, decretos, portarias, regimentos, atos normativos e demais documentos da UFS relacionados ao objeto, qual o lugar do indígena no interior desta Universidade, valendo-se dos falares dos próprios indígenas. Em todo momento o indígena ocupa o centro do palco, entendendo-o como sujeito ativo de todo seu processo histórico, social e educacional. Em todo (re)canto deste mundo guarda sua “ impressão digital” e a marca do seu “calcanhar no topo dos arranha-céus”. Compreender que os espaços Universitários também pertencem aos indígenas é o mote e o fim do presente trabalho. O indígena é seu sujeito principal. Sujeito de direitos. Sujeito e autor de um campo aberto de discussão, de pesquisa, de descobertas, de conquistas. Pesquisador, seja principiante, seja veterano, que e se vale das letras como caminho para efetivação dos seus direitos dentro das políticas públicas. Trata-se de uma pesquisa de caráter qualitativo e se valeu de entrevistas semiestruturadas com indígenas e com um representante da Universidade eleita para o presente estudo. O marco teórico sustenta-se nos conceitos de dialogismo, polifonia e presumido presente em obras Bakhtinianas (2002; 2005; 2006; 2009; 2012; 2013), nas ideias de Vygostsky, nos pressupostos ontológicos e sócio históricos de Marx, no conceito de Práxis abordado por Vásquez e na análise crítica do discurso, a partir dos estudos de Fairclough (2001). Parte-se da ideia que a UFS está em processo de reconhecimento desses grupos minoritários que começam a se fazer presente nos seus espaços. Os resultados demonstram, até aqui, que a UFS ainda não está aberta para as minorias que adentram seus murros, embora tenha recentemente aprovado a política de ações afirmativas em reunião do Conselho do Ensino, Pesquisa e Extensão (CONEPE). A problemática maior, porém, refere-se a falta de financiamento que garanta o acesso com permanência e conclusão. Observou-se, ainda, que tanto a demanda quanto o interesse do indígena em cursar um curso de Pós-Graduação existe. A falta, porém, de orientação e financiamento, de uma Universidade que contemple as especificidades da cultura indígena na sua matriz curricular, se torna uma barreira para a inclusão do indígena nessa etapa de formação, o que mostra que seu lugar ainda é (in)visível para não dizer acanhado, apequenado ou até (in)existente.

  • GERSIVALDA MENDONÇA DA MOTA
  • POSSIBILIDADES DE USO DO SITE DE REDE SOCIAL YOUTUBE NA EDUCAÇÃO BÁSICA EM ITABAIANA-SE
  • Orientador : SIMONE DE LUCENA FERREIRA
  • Data: 27/02/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa parte da seguinte questão: Como os professores da educação básica do município de Itabaiana-SE utilizam o site da rede social Youtube na educação para produzir, co-criar e compartilhar os vídeos? Partindo responder este questionamento foi elencado o seguinte objetivo geral: Investigar as possibilidades de uso do site de rede social Youtube com professores da educação básica. Como objetivos específicos: Entender as possibilidades de utilização do site de rede social Youtube para a educação básica; Criar e co-criar vídeos com os professores; Socializar as produções no dos professores da educação básica no Youtube. Na metodologia deste trabalho foi realizada a Pesquisa-formação, onde foi desenvolvido um dispositivo autoral de formação docente, a “Oficina Possibilidades do uso da rede social Youtube na educação”, com carga horária total de quarenta horas. Nesta oficina foi possível compartilhar conhecimentos sobre as possibilidades do Youtube na educação, além de propor o desenvolvimento de um canal para que professor pudesse produzir e compartilhar na internet os vídeos com os alunos. Para o levantamento de dados desta investigação foram utilizadas técnicas como aplicação de questionário para conhecer o perfil dos professores, observação dos docentes no espaço escolar, produção de diário de pesquisa e observação participante das atividades desenvolvidas durante a oficina. Esta metodologia de pesquisa tem como base os teóricos Santos (2014); Macedo (2009; 2010) e Novoa (1999). Para as discussões sobre cibercultura foram utilizados autores como Santos (2014; Lemos (1999, 2010); Santaella (2009); Levy (1999) e Castells (1991,1998, 2007). Em relação a rede social foram usadas as pesquisas de Santos (2008, 2009, 2013) e Recuero (2014). Como resultado observamos que os todos os professores, participantes da oficina, co-criaram vídeos com seus alunos, fizeram a culminância na escola para socializar com a comunidade escolar sua produções, porém nem todos conseguiram disponibilizar no canal do Youtube as produções realizadas. Percebemos que uma das causas do não compartilhamento no Youtube esta relacionado a dois fatores: falta de imersão dos professores na cibercultura, no que se refere a utilização desta cultura na educação, e disponibilidade para a realização de atividades de formação continuada docente. As políticas educacionais, seja no nível municipal, estadual ou federal não tem contribuído para que os professores tenha, dentro da sua carga horária de trabalho, momentos de formação continuada. Desta forma, a utilização das tecnologias digitais na sala de aula torna-se cada vez algo distante de acontecer, pois para o efetivo uso destas tecnologias na educação é preciso uma formação continuada dos docentes que seja além de simples treinamentos ou capacitações pontuais.

  • MARIANA MUNIZ SAMPAIO
  • O COORDENADOR PEDAGÓGICO E A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES EM SERVIÇO: Uma Análise em Escolas do Estado de Sergipe
  • Orientador : VELEIDA ANAHI DA SILVA
  • Data: 27/02/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O caminho realizado ao longo dessa pesquisa teve o objetivo de analisar a relação do Coordenador Pedagógico com a Formação Continuada de Professores em Serviço nas Escolas Estaduais de Sergipe. Respaldadas na linha de pensamento de autores consagrados como Bernard Charlot e Maria Amélia Santoro Franco, escolhemos nossa direção, e para construir nossa concepção de Formação Continuada de Professores em Serviço, demos passos firmados nas teorias de Imbernón (2010), Tardif (2002, 2007) e Perrenoud (2001, 2002). Como essa concepção de Formação Continuada traz em si um perfil específico de Coordenador Pedagógico, caminhamos lado a lado com as ideias de Placco (2012) e Domingues (2014). Contamos também com fontes documentais, para o referencial teórico desse trabalho. Por ser uma caminhada qualitativa, trilhada a partir do estudo de caso, baseadas numa amostragem realizada com escolas da capital e da região da Grande Aracaju, fizemos uma análise documental e uma entrevista semiestruturada com dez Coordenadores Pedagógicos, selecionados por escolas com maior quantitativo de alunos no ano de 2016, e em alguns momentos, podemos também observar formações promovidas pelo SEF – Serviço de Ensino Fundamental, setor que faz parte do DED

    – Departamento de Educação, da SEED – Secretaria de Estado da Educação. Essas observações foram de encontros formativos com um público bem maior, e em diversas diretorias regionais do estado. Para análise dos dados, utilizamos a teoria de Bardin (2008), considerando as falas do Coordenador Pedagógico quais as percepções e saberes destes sobre a Formação Continuada de Professores em Serviço. O que podemos constatar do que foi percorrido é que os Coordenadores Pedagógicos de escolas do Estado de Sergipe possuem uma relação conflituosa com a Formação Continuada dos Professores em Serviço, visto que, não conseguem desenvolver um perfil de formador, devido às demandas das demais atribuições e à estrutura funcional do quadro do Magistério no Estado, contudo, positivamente, os dados revelam que esses coordenadores desejam desenvolver esse perfil formador e reconhecem a necessidade de uma formação continuada que promova o desenvolvimento profissional dos professores.

  • JOSÉ LUÍS MONTEIRO DA CONCEIÇÃO
  • INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO FORMATIVA: PANORAMA E PERCEPÇÃO DOCENTE
  • Orientador : HEIKE SCHMITZ
  • Data: 27/02/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Este estudo tem como objeto a avaliação formativa da aprendizagem escolar. Focaliza-se no uso das técnicas e instrumentos da avaliação em prol da avaliação formativa. A pesquisa justificou-se devido ao fato de que nas pesquisas empíricas brasileiras, levantadas para o período de 2010 a 2015, poucas retratando de forma aprofundada sobre o uso de técnicas e instrumentos em prol da avaliação formativa, bem como ausência de discussão do uso destes para o professor dar feedback ao aluno sobre seu percurso de aprendizagem e para o próprio professor reorganizar sua prática pedagógica. Inquietou-se com as perguntas: Quais as técnicas e instrumentos de avaliação são utilizados pelos professores? Por que são escolhidos? Assim, busca-se compreender a escolha de técnicas e instrumentos de avaliação pelos professores tendo em vista avaliação formativa. Especificamente propõe-se 1) Descrever as concepções de avaliação no contexto escolar; 2) Identificar o tipo de técnicas e instrumentos de avaliação usados pelos professores; 3) Sistematizar as razões e/ou motivos da escolha de técnicas e determinados instrumentos de avaliação pelos professores. Depois ter realizada uma revisão da literatura científica sobre a avaliação formativa e uma análise da produção acadêmica recente no Brasil, como também uma análise da legislação educacional a respeito do conceito da avaliação nela representada, optou-se por uma pesquisa de campo de natureza quali-quantitativa por meio de um estudo descritivo em duas escolas da rede pública do Ensino Fundamental I, realizando a aplicação de um questionário, uma entrevista coletiva com o corpo docente das escolas participantes e uma individual com a coordenação pedagógica de cada escola. Além disso, foi analisados o Projeto Político Pedagógico. Esta pesquisa evidenciou que os professores das escolas participantes em comum costumam usar em sua prática pedagógica como instrumentos avaliativos a prova escrita, tarefa de casa, tarefa de classe. Por um lado, esses instrumentos são escolhidos porque consideram os mais fáceis de trabalhar com os alunos e sempre há indicação do uso destes pelos pais dos alunos e pela coordenação pedagógica da escola. Por outro lado, os instrumentos são escolhidos pelos professores para poder compreender as potencialidades e fraquezas dos alunos e, além disso, fazer uma autoanálise, reflexão da sua prática pedagógica.

  • ANALICE ALVES MARINHO SANTOS
  • Teoria e ensino de história na Espanha: as prescrições de Ignacio Ramón Miró y Manent (1855-1899).
  • Orientador : ITAMAR FREITAS DE OLIVEIRA
  • Data: 27/02/2018
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Neste trabalho, analisamos a relação Teoria da História vs. Ensino de História, problematizando as apropriações do método crítico” do historiador espanhol Ignacio Ramón Miró y Manent (1821-1892), que propôs um “ensino de história” patriótico e cristão para a educação escolar espanhola da segunda metade do século XIX. Por meio da análise de conteúdos de Laurence Bardin (1977), identificamos na produção bibliográfica do historiador as finalidades e a metodologia prescritas para a disciplina escolar História e analisamos como, em seus escritos, Ignacio Miró associa o ensino de História à formação de sujeitos para um tipo ideal de nação: a Espanha católica, integrada e única. Como resultados, afirmamos que Miró apresenta duas variantes da História: a do ensino escolar e a do ensino de História praticado nas Universidades. Para Miró, o ensino escolar de História é marcado pelo excesso de informações desconexas e desinteressantes para o aluno. Como solução, propõe um ensino educativo, que enfatiza o desenvolvimento das habilidades de ordenação dos seleção e ordenação dos fatos notáveis para a experiência espanhola (trabalho do professor), compreensão dos fatos e encadeamento dos mesmos com identificação de causas e consequências (trabalho do aluno). As propostas, entretanto, são caracterizadas por contradições entre o que pensava como Teoria da História e o que indicava para o ensino na escolarização básica, como também pelo cultivo de um sentimento nostálgico, em contraste com uma Espanha que abandonava o pensamento conservador em termos políticos e religiosos, no último terço do século XIX.

  • CAMILA ANDRADE CHAGAS VIEIRA
  • ENTRE CENÁRIOS...CRIANÇAS: as emoções como experiência estético-formativa para a aquisição da língua inglesa
  • Orientador : ANTONIO VITAL MENEZES DE SOUZA
  • Data: 27/02/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • As experiências socioculturais de crianças possuem expressão emocional estética, lúdica e formativa. Na contemporaneidade, a socialização ocorre por complexa rede de interações sociais mutuamente demarcada por diversidade de processos, produtos e artefatos culturais e multimidiáticos, não restritos aos costumes de uma comunidade, origem familiar, ou ainda, reduzido à escola e seus agentes. O contato diário de crianças brasileiras com diferentes códigos e símbolos linguísticos de outros idiomas desafia o professorado quanto à aquisição de segunda língua. O ensino de inglês para crianças tem obtido exponencial crescimento de interesse no Brasil e, ao mesmo tempo, reduzida inovação metodológica, de modo que, o ensino da língua inglesa nos primeiros anos de vida ocorre, quase sempre, pela replicação e adequação de princípios, estratégias, métodos e técnicas, desenvolvidas para adultos, em face às exigências sociais do ensino de língua estrangeira para crianças. Os efeitos das emoções como experiência estética, lúdica e formativa para a aquisição da língua inglesa por crianças da pré-escola é o objeto dessa pesquisa. O campo de estudo dessa pesquisa é interdisciplinar: engloba a didática, a psicolinguística, a sociologia da infância e a antropologia das emoções como suportes teórico-metodológicos. Os instrumentos de coleta de informações foram a observação participante ativa (OPA), o diário de campo e o romance-formação, seguidos pela escrita etnográfica. Participaram desse estudo doze crianças com idades entre quatro e cinco anos por aproximadamente dois semestres letivos. Os resultados encontrados explicitam que as emoções vivenciadas pelas crianças nos contextos de mediação didática exercem influências na aquisição da língua inglesa. Destacam-se três efeitos das emoções sobre a aquisição da língua inglesa por crianças: (a) efeito disposicional catalisador à aprendizagem do inglês; (b) efeito acionalista sociocognitivo ao uso da língua (c) efeito restritivo de recusa ao desenvolvimento de habilidades de comunicação em idioma inglês

  • ELIS SANTOS CORREIA
  • O fechamento das escolas do campo em Sergipe: territórios em disputa (2007-2015).
  • Orientador : SILVANA APARECIDA BRETAS
  • Data: 27/02/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa abordou o fechamento das escolas do campo no Estado de Sergipe entre os anos de 2007 a 2015 e objetivou analisar os aspectos históricos e sociais que tem conduzido esse processo. Nossa hipótese foi a de que existe uma disputa - desigual - de modelos de desenvolvimento que provocam profundas contradições entre a política de promoção do campo como território apenas de produção econômica e a luta dos movimentos sociais pela construção de um novo território de produção da vida em que a educação tem um papel estratégico. Para alcançar nosso objetivo, procuramos nos apropriar do método do materialismo histórico dialético, no intuito de trazer na própria concretude deste processo uma análise baseada na sua totalid ade em articulação com a singularidade do modelo de desenvolvimento do campo com suas contradições, e a especificidade que se encerra no fechamento das escolas do campo em Sergipe no período estabelecido. Nosso estudo bibliográfico foi acompanhado de pesquisa documental, análise de dados estatísticos do INEP/Censo Escolar e de entrevistas, estas realizadas a ex-gestores municipais, e lideranças de movimentos sociais camponeses do Estado. Finalmente, nossos resultados demonstraram evidente retirada do papel do Estado em sua oferta com o fechamento de 404 escolas do campo, destas 296 foram extintas e 108 se somaram ao status de paralisada ao longo dos nove anos em questão. Os fechamentos foram mais evidentes no Alto Sertão e no Centro Sul sergipano e as principais justificativas apresentadas foram: Esvaziamento das turmas; A falta de estrutura adequada nas escolas; A busca por melhorias na quali dade do ensino, atrelada ao fim do multisseriado; E a melhor gestão financeira para pagamentos dos professores municipais. A análise dos movimentos sociais camponeses caminha na direção contrária, entendendo os fechamentos como uma retirada de direitos e mais uma forma de esvaziar o campo. Nossa análise histórica nos permitiu então estabelecer um olhar sobre esta realidade e compreender que a política econômica para o campo está em razão direta à condução das políticas e financiamento educacional para o mesmo. Estas por sua vez, pautadas na sobreposição da racionalidade econômica às demandas sociais da população camponesa. Tal compreensão nos permite aferir que a escola do campo é um território em disputa e o seu fechamento se trata de um seguimento à política de promoção do ca mpo como território apenas de produção econômica. E vai de encontro à histórica luta pela construção do território camponês contra hegemônico, onde nasce e se pauta a Educação do Campo.

  • INÊS CORTES DA SILVA
  • EDUCAÇÃO MENOR E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DE UMA PROFESSORA DE LÍNGUA INGLESA DO ESTADO DE SERGIPE
  • Orientador : JOSE MARIO ALELUIA OLIVEIRA
  • Data: 26/02/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta é uma pesquisa qualitativa de natureza exploratória, caracterizada como estudo de caso (YIN,2010), tendo como contexto de interesse o estudo das práticas pedagógicas de uma professora de língua inglesa da educação básica de Sergipe, que utiliza dispositivos móveis e produz agenciamentos (DELEUZE, 1996). Tem como objetivo geral compreender quais características de uma Educação Menor (GALLO, 2016) estão presentes nas práticas pedagógicas da professora ao utilizar dispositivos móveis, sobretudo o smartphone, para ensinar a língua inglesa. Já os objetivos específicos são: identificar de que maneira a professora tem utilizado os dispositivos móveis em suas práticas pedagógicas; analisar quais fatores determinaram a integração desses dispositivos; compreender se há e quais processos de desterritorialização, ramificação política e valor coletivo estão presentes no trabalho pedagógico da professora participante da pesquisa. Numa perspectiva de uso crítico de tecnologias (BUZATO, 2006; SILVA & LUNARDI-MENDES, 2015), o estudo está fundamentado no campo das Culturas Digitais (LEVY, 1999; SANTAELLA, 2007; 2013), da Aprendizagem de Línguas Assistida por Dispositivos Móveis (STOCKWELL & HUBBARD, 2013; KUKULSKA-HULME, 2013) e da Autonomia na Aprendizagem de Línguas (FREIRE, 1996; MICCOLI, 2005; PAIVA, 2009; 2012 ; 2015), e da Educação Menor (GALLO, 2016). Como resultados de pesquisa, compreendemos que a professora pesquisada, utilizando-se de tecnologias digitais ou não, de dentro de uma Educação Maior, desenvolve uma Educação Menor que ocorre por intermédio do principal dispositivo de que ela lança mão: o agenciamento. Desta maneira, o smartphone, apesar de ser um dos recursos mais utilizados em suas práticas pedagógicas diferenciadas, não é o responsável pela produção de uma Educação Menor. Isso porque seu trabalho não gira em torno das benesses desse dispositivo,tampouco depende dele para acontecer.

  • JOSINEIDE SIQUEIRA DE SANTANA
  • Pedagogia do Convento: oportunidades e limites da formação religiosa feminina
  • Orientador : ANAMARIA GONCALVES BUENO DE FREITAS
  • Data: 26/02/2018
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Esta Tese tem como objetivo investigar a formação dispensada à Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus e à Pedagogia do Convento utilizada por esta instituição para a preparação de suas adeptas. De maneira especial, os processos formativos religiosos e educacionais, perpassando pelo início da vida escolar e religiosa, itinerário formativo e escolhas profissionais. Para isso elegemos como recorte temporal o período compreendido entre o século XX e o XXI, tendo em vista uma melhor contextualização e alguns antecedentes históricos, bem como a localização de algumas fontes. Mediante a pesquisa sobre formação de religiosas, os fundamentos teórico-metodológicos que baseiam essa Tese estão contidos nos conceitos de Habitus, Campo Religioso, Distinção e Poder Simbólico, apresentados por Pierre Bourdieu. Ao lado destes conceitos, contamos ainda com outros, como Disciplina (Foucault), Vigilância e Instituições Totais (Goffman), Carisma (Weber), Representação (Chartier) Memória e Memória Coletiva (Pollak e Halbwachs). Essas apreciações foram necessárias para o entendimento das relações desenvolvidas em ambientes sacros, bem como na instrução e preparo das novas religiosas. As fontes aplicadas nessa pesquisa foram: cartas, relatórios, cadernos, planos de formação, instruções normativas, além das entrevistas, através das quais tivemos acesso às memórias das religiosas. Pretendemos com esta investigação contribuir para os Campos da História da Educação e da Educação Feminina.

  • ADRIANA LOHANNA DOS SANTOS
  • FORMAÇÃO DAS PESSOAS TRANSEXUAIS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE: ENFRENTAMENTO E RESISTÊNCIA DAS NORMAS DE GÊNERO NO ESPAÇO ACADÊMICO
  • Orientador : ALFRANCIO FERREIRA DIAS
  • Data: 26/02/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa teve como objetivo central analisar o processo de formação e permanência das pessoas transexuais na Universidade Federal de Sergipe, refletindo sobre suas trajetórias de vida como estudantes universitári@s e as estratégias de enfrentamento e resistências das normas de gênero. A análise desenvolvida é influenciada pelos pressupostos pós-estruturalistas, visto que essa abordagem nos possibilita a desestabilização de rótulos e estereótipos, a partir da problematização e questionamentos das verdades (re)produzidas sobre gênero, sexualidade e desejo, com foco na transitoriedade e na contingência. Fundamentou-se nos conceitos de transexualidade (Berenice Bento), gênero e normas de gênero (Judith Butler, Guacira Louro), sexualidade (Michel Foucault e Preciato) Heteronormatividade (Judith Butler, Rogério Junqueira). Adotou-se uma abordagem qualitativa no processo metodológico, realizando como estratégias de produção de dados, a realização de sete entrevistas narrativas com estudantes de diversos cursos de graduação da Universidade Federal de Sergipe. A partir dos resultados; identificou-se quem são @s estudantes transexuais da universidade e suas trajetórias formativas; refletiu-se acerca da descoberta da identidade trans através do espaço universitário e como são experienciadas as vivências trans dentro do cotidiano acadêmico; identificou-se as estratégias de permanência e de resistência utilizadas pel@s estudantes transexuais, tais como a negação do uso do banheiro na universidade e o silenciamento dentro das salas de aulas. A pesquisa também apontou as políticas institucionais voltadas para as pessoas trans e sua aplicabilidade, como por exemplo, a portaria que autoria o uso do nome social e a criação e implementação do Ambulatório de atendimento a pessoas transexuais (Ambulatório Trans) no Campus de lagarto. Como política de enfrentamento e resistência as normas de gênero, a presença de estudantes transexuais possibilitou o surgimento de coletivos ativistas na Universidade Federal de Sergipe, contribuindo para socialização dos saberes trans a partir de reuniões e eventos, como a Semana da Visibilidade Trans. Conclui-se que, ao refletir acerca das narrativas formativas de estudantes transexuais na Univerisdade Federal de Sergipe, faz-se necessário desfazer ideias preconcebidas sobre corpo, gênero e sexualidade, para que possamos não mais analisar os corpos, os gêneros e as sexualdiades das pessoas transexuais, mais sim, aprender a partir deles.

  • JAILTON SANTOS SILVA
  • PERSPECTIVAS E CONTRIBUIÇÕES DO MESTRADO PROFISSIONAL EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS PARA A FORMAÇÃO EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL
  • Orientador : MARIA INEZ OLIVEIRA ARAUJO
  • Data: 26/02/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Na presente pesquisa, buscamos compreender como o mestrado profissional para o ensino das ciências ambientais (PROF-CIAMB) contribui para a atuação docente na perspectiva da educação ambiental na educação básica. Visto que os mestrados profissionais em ensino surgem no país visando refletir a prática profissional dos mestrandos, de modo a impactar as realidades nas quais atuam esses alunos. Assim, a presença da Educação Ambiental (EA) em tais cursos, representa a possibilidade de ressignificação das práticas socioambientais realizadas na educação básica, o que colabora para a construção de uma EA crítica e socialmente comprometida. A pesquisa caracteriza-se como um estudo de caso, pautando-se em uma abordagem quanti-qualitativa e foi desenvolvida mediante informações obtidas através de: pesquisa documental, 11 questionários e 13 entrevistas semiestruturadas. A análise dos dados é realizada sob a perspectiva da Análise Textual Discursiva (ATD) a partir das categorias: formação docente, educação ambiental, interdisciplinaridade, contexto e currículo, que emergiram diante do referencial teórico construído. Os resultados demonstram que a formação realizada pelo referido programa de pós-graduação tem impactado a atuação docente dos seus alunos, contribuindo na autorreflexão da prática pedagógica e na sua instrumentalização, por meio do desenvolvimento de recursos e metodologias de trabalho, que são incorporados nas escolas de educação básica onde atuam os alunos-professores. Além disso, o trabalho com a categoria contexto é uma realidade mais presente na prática desses professores, que buscam atrelar os conteúdos didáticos as realidades trazidas pelos seus alunos. Por sua vez, o entendimento sobre a prática interdisciplinar se tornou mais claro, e gradativamente a atuação sob esta perspectiva tem sido buscada na educação básica, assim como o trabalho com a sensibilização ambiental tem recebido maior atenção nas práticas realizadas nas salas de aula.

  • ALESSANDRA ADELINA SANTOS CERQUEIRA
  • O Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio no Colégio Estadual Dona Leonor Calmon da Rede Estadual de Educação da Bahia
  • Orientador : PAULO SERGIO MARCHELLI
  • Data: 23/02/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio é um programa de políticas públicas implementado no ano de 2013 pelo governo federal, cujo intuito consistiu em promover melhorias na Educação Básica brasileira. Denominado resumidamente por Pacto, o Programa esteve voltado para a formação continuada de docentes alicerçada no desenvolvimento de práticas pedagógicas consonantes com a formação humana integral dos alunos, perspectiva esta apontada pelas Diretrizes Curriculares Nacionais do Ensino Médio. Destaca-se que o Pacto corresponde a uma política educacional com foco na formação continuada de professores envolvendo as universidades brasileiras e a estrutura pedagógica e administrativa das redes estaduais públicas do ensino básico, procurando repercutir significativamente na transformação das práticas docentes. A presente pesquisa investiga o resultado no Estado da Bahia das ações promovidas pelo Pacto, com foco no curso de formação de professores realizado no período de março a dezembro de 2014 no Colégio Estadual Dona Leonor Calmon, situado na capital Salvador. O objetivo da investigação é analisar as mudanças identificadas na prática docente a partir do curso de formação, valendo-se da seguinte questão norteadora: em que sentido a formação apresentada pelo Pacto conduziu à ressignificação das práticas pedagógicas e à melhoria do desenvolvimento dos alunos do Ensino Médio na escola investigada? O estudo é realizado em um horizonte analítico que leva em consideração os componentes históricos das políticas públicas voltadas para o Ensino Médio no Brasil, mostrando como a LDB 9394/1996 deu origem aos pressupostos que levaram em 2013 à proposta do Pacto. A base metodológica adotada é a da pesquisa qualitativa, valendo-se do aporte bibliográfico e documental, bem como da aplicação de entrevistas semiestruturadas aos professores da unidade escolar investigada. A interpretação dos discursos diversificados recolhidos com as entrevistas é realizada por meio do conjunto de instrumentos metodológicos que compõem a Análise de Conteúdo conforme proposta por Bardin (2004). Os resultados aqui apresentados mostram que o Pacto teve ampla adesão em termos da participação dos sujeitos envolvidos, mas sua repercussão na transformação concreta das práticas pedagógicas não atingiu de forma satisfatória os objetivos propostos, o que torna necessário para o Brasil adotar no futuro novas políticas que levem em consideração a experiência adquirida.

  • TATHIANA SANTOS SOARES
  • HISTÓRIA E CULTURA DOS POVOS INDÍGENAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM PEDAGOGIA NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE
  • Orientador : MARIZETE LUCINI
  • Data: 23/02/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa objetivou compreender como ocorre a formação inicial de professores em Pedagogia para o Ensino da História e Cultura dos Povos Indígenas nos anos iniciais do Ensino Fundamental, na Universidade Federal de Sergipe (UFS), Campus de São Cristóvão. Para tanto, nos propusemos a identificar as disciplinas da matriz curricular do curso de Pedagogia que possibilitam o estudo da História e Cultura dos Povos Indígena; analisar os planos de ensino das disciplinas do curso de Pedagogia na referida instituição que abordam essa temática e identificar o conhecimento da História e Cultura dos Povos Indígenas, possibilitado na formação acadêmica de estudantes de Pedagogia do último período. De natureza qualitativa, a investigação teve como referência os pressupostos da fenomenologia-hermenêutica, evidenciando o que se mostra no fenômeno investigado, na interpretação da pesquisadora em diálogo com a base teórica que sustenta a análise. A pesquisa é do tipo Estudo de Caso, por debruçar-se especificamente na análise do curso de pedagogia da Universidade Federal de Sergipe, Campus de São Cristóvão, o que implica em compreender o objeto nas especificidades temporais e espaciais. Especificidades que podem conter elementos que se refiram ao contexto mais amplo da formação de professores, mas que nesta análise estão circunscritos ao curso de Pedagogia da Universidade Federal de Sergipe, Campus São Cristóvão. Os instrumentos de pesquisa incidiram pela análise documental, aplicação de questionário e entrevista. Na perspectiva da interculturalidade, investigamos aspectos do processo inicial de formação dos pedagogos e refletimos sobre a presença de formação para o Ensino de História e Cultura dos Povos Indígena na educação básica, tendo em vista a obrigatoriedade legal estabelecida pela Lei 11.645/2008. A relevância desse estudo situa-se no fato de ser ainda um tema pouco abordado no cenário da pesquisa educacional sergipana. Como resultados, indicamos que a formação inicial de professores em Pedagogia da UFS, Campus São Cristóvão para o Ensino da História e Cultura Indígena, contempla de forma incipiente e escassa essa temática no currículo. Apenas a disciplina de Educação do campo menciona a temática indígena na ementa do curso. Nos planos de ensino, as disciplinas de Educação do campo e Ensino de História nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, a temática indígena é contemplada e são trabalhadas em sala de aula. Contudo, ficou evidenciado pela perspectiva dos estudantes do curso que colaboraram com essa pesquisa, que os conhecimentos sobre a História e Cultura dos Povos Indígenas são abordados de forma pontual e limitados, não se constituindo em subsídios adequados e aplicabilidade da lei 11.645/2008 nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Os resultados apontam também para a necessidade da Universidade Federal de Sergipe considerar a História e Cultura dos Povos Indígenas como campo de conhecimento importante e necessário na formação inicial de professores.

  • JOSELMA DUARTE SANTIAGO NUNES
  • AS PRIMEIRAS CADEIRAS DE FRANCÊS DO IMPÉRIO BRASILEIRO: PRIMÓRDIOS DE UMA DISCIPLINA ESCOLAR (1831-1837)
  • Orientador : LUIZ EDUARDO MENESES DE OLIVEIRA
  • Data: 23/02/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta dissertação apresenta uma análise do processo de criação das primeiras cadeiras de língua francesa do império brasileiro, no período de 1831-1837, nas províncias de Minas Gerais, Pernambuco e Sergipe. Para tanto, realizamos a análise e comparação das fontes coletadas – legislação educacional da época, relatórios ministeriais, falas dos presidentes das províncias, jornais referentes ao período recortado, regulamentos de instrução pública e relatórios de inspeção – bem como da historiografia referente à matéria. Com o objetivo de aprofundar o trato das fontes anteriormente citadas, nos embasamos nos pressupostos teóricos relacionados à disciplina e à cultura escolar, de Chervel (1990) e Julia (2001). A pesquisa nos permitiu concluir que a criação das cadeiras de língua francesa no império brasileiro apresentou desafios semelhantes e particulares nas três províncias analisadas, e que o ensino das aulas públicas de francês, centrado nos exames preparatórios, impediu que novas metodologias e outras habilidades da língua fossem desenvolvidas no período, uma vez que apenas a leitura, escrita e tradução eram ensinadas. Por outro lado, houve também aspectos positivos: primeiro, a gratuidade, que tornava a aprendizagem da língua francesa e das outras disciplinas preparatórias mais acessível, levando em consideração que tanto o Colégio de Pedro II quanto os melhores liceus do período estudado eram muito caros. Segundo, a contribuição dessas aulas para o desenvolvimento da disciplina, pois, atendendo aos anseios da comunidade estudantil da época, ela ganhava espaço na sociedade, que cada vez mais a enxergava como instrumento fundamental para o acesso ao ensino superior, até tornar-se uma disciplina constante no currículo da escola secundária brasileira, algo instituído desde 1837, com a fundação do Colégio de Pedro II, até, pelo menos, a reforma de 1971, quando as línguas estrangeiras deixaram de fazer parte do conteúdo obrigatório e a hegemonia da língua inglesa na escola já era incontestável.

  • CLÁUDIA SANTANA SANTOS
  • NA TEIA DE RELAÇÕES: A FORMAÇÃO DO ALUNO
  • Orientador : ROSANA CARLA DO NASCIMENTO GIVIGI
  • Data: 23/02/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A escola é repleta de multiplicidade cultural, composta por sujeitos singulares, com crenças, valores e costumes adversos. Componente da instituição escolar, o professor exerce sua função social, mas também é singular, repleto de perspectivas, crenças e valores que foram adquiridos em seus distintos espaços de formação, e dentro desta relação singular-profissional há formação de cada aluno. A partir disto, este trabalho tem o objetivo de entender a forma como a cultura do professor influencia na formação do aluno já na educação infantil, com olhar direcionado para as relações que acontecem nas diferentes culturas que regem a prática escolar, destacando as relações de poder, de saber e as marcas culturais deixadas nessa relação. Trata-se de um estudo de caso único, do tipo observacional explicativo realizado em uma escola municipal do agreste sergipano. Contempla a educação infantil e conta com a participação de uma professora do agrupamento etário de cinco anos, denominado pré-Alfabetização B, e seus vinte (20) alunos. Para a coleta dos dados foram utilizadas a entrevista semiestruturada, observação participante e formação do grupo de ação infantil. Este estudo retrata o conceito de cultura pela vertente vigotskyniana, seguindo a vertente da teoria relacional de Norbert Elias, valorizando as múltiplas formações do sujeito. Parte-se da ideia do professor como sujeito com formação além da pedagógica, carregado de crenças, valores e costumes. Com isso, destacou-se, nesse estudo, uma relação de poder distribuída de forma desigual entre professor e aluno. Não há unilateralidade, mas distribuição de chances de poder, o que proporciona movimentos constantes da balança de poder na relação estudada. Observa-se uma relação com o saber centrada na tríade sentido, desejo e mobilização potencializada pelo valor de mercado, atribuindo a escola total responsabilidade sobre a ascensão do alunado, ideia criada nos diferentes espaços de saberes (escola, família e etc.). Além disso, evidencia-se que as marcas culturais perpassam gerações, existentes desde a perpetuação do valor de mercado vinculado a escola até as singularidades do professor que vão deixando marcas no processo formativo do aluno, significativo na forma de reger uma tensão criada no ritmo da relação e a partir daí variadas (re)ações que vão desde o enfrentamento até o silenciamento do alunado e também do professor.

  • GENIVALDO OLIVEIRA SANTOS FILHO
  • O INTÉRPRETE EDUCACIONAL DE LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS (IELIBRAS) ATUANTE NA UFS: em cena a construção de sua identidade profissional.
  • Orientador : ELIANA SAMPAIO ROMAO
  • Data: 22/02/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O papel do Intérprete Educacional de Libras é de elevada importância, por oportunizar ao discente surdo o acesso ao conhecimento. É necessário, porém, preparar esse profissional de modo que sua identidade seja (re)conhecida. A presente pesquisa objetiva compreender, a partir de narrativas, como a identidade profissional do Intérprete Educacional de Libras vem sendo construída no contexto da Universidade Federal de Sergipe. No cenário empírico da pesquisa em desenvolvimento, a presença desse profissional ganhou destaque a partir do ano 2011 motivado, em particular, por força da Lei 12.319/2010. Neste contexto, indaga-se: como o Intérprete Educacional de Libras vem const ruindo a sua identidade profissional na Universidade Federal de Sergipe? O caminho metodológico, de carater exploratória qualitativa, ganhou direção mediante narrativas dos sujeitos eleitos para este fim – Intérpretes Educacionais de Libras. Foram utilizados também questionários com perguntas abertas e fechadas com o propósito de traçar o perfil desses profissionais. Determinou para o aporte teórico, pesquisadores e estudiosos a exemplo de Perlin (2006), Gesser (2006), Schein (1996) sobre a identidade, Constâncio (2010), Martins (2009) Gurgel (2010) para o Intérprete no ensino superior, entre outros. Os resultados obtidos, até aqui, demonstram que para estes intérpretes inúmeros fatores contribuem para a construção da identidade profissional. Uma delas é a presença do intérprete educacional, cuja presença faz com que os disce ntes surdos universitários tenham, para além do acesso ao conhecimento, oportunidade de educação e, com efeito, ampliação de espaço e comunicação entre todos os envolvidos – professores, alunos e funcionários – no caminho construído da Educação inclusiva universitária.

  • DANILO MOTA DE JESUS
  • UMA HISTÓRIA DA ODONTOLOGIA EM SERGIPE: DO ENSINO A ESTRUTURAÇÃO DO “CAMPO” (1925 – 1975)
  • Orientador : JOSEFA ELIANA SOUZA
  • Data: 21/02/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Este estudo tem como objetivo analisar e interpretar a história da formação do campo e a criação dos cursos de odontologia de Sergipe no período de 1925 a 1975. Trata-se de uma pesquisa histórica com abordagem na História Cultural. No desenvolvimento desse trabalho dialogamos com os conceitos de “Processo Civilizador” de Norbert Elias e os conceitos de “campo” e “capital” de Pierre Bourdieu. Com o intuito de mudar o quadro da Educação Superior em Sergipe, o então presidente Graccho Cardoso criou em 1925 os cursos de farmácia e cirurgia dentária, que tinham como objetivo abrir novas carreiras profissionais para a juventude sergipana. Mas a ideia foi interrompida após a mudança de gestão, Cyro Franklin de Azevedo encerrou as atividades da Faculdade em 1926. Um grupo de dentistas liderados por Arício Fortes, em 1957, reviveu a ideia de criar uma Faculdade de Odontologia em Sergipe por meio de uma Sociedade Civil, mas devido a dificuldades impostas por Leandro Maciel, as ações não foram a diante. Assim, Fortes abandonou a causa. Mas, em 1965 com o ressurgimento da Sociedade Odontológica a ideia de criação da Faculdade renasceu e, em 1966, uma lei estadual criou aa nova instituição de ensino. Com o apoio de diversos dentistas, políticos e de membros da elite aracajuana a ideia tomou forma e, com a criação da Universidade Federal de Sergipe a proposta dos odontólogos foi tomando corpo. Mas, intrigas dentro do campo dificultaram a inclusão do curso na nova Universidade. Somente, em 1970 o curso de odontologia foi criado. Em 1973, a primeira turma se formou e em 1975 o curso foi reconhecido pelo Ministério da Educação. A necessidade de criar um curso de odontologia em Sergipe se deu como resposta social de fortalecimento do campo odontológico, que buscava erradicar a atividade dos dentistas práticos.

  • MARTHA MORAIS MINATEL
  • INSTITUCIONALIZAÇÃO E EDUCABILIDADE DA INFÂNCIA ANORMAL EM SERGIPE (1940-1979)
  • Orientador : VERONICA DOS REIS MARIANO SOUZA
  • Data: 20/02/2018
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta tese integra as produções do campo da História da Educação e da historiografia de Sergipe, tendo como fundamentação teórico-metodológica os pressupostos da História Cultural. Versou sobre o tema da infância anormal, delimitando como objeto de estudo sua institucionalização e educabilidade. O objetivo geral foi identificar as representações e as relações de saber/poder que desenharam os discursos e as práticas voltadas à institucionalização e educabilidade da infância anormal em Sergipe, no período de 1940 a 1979. Para tanto, foram elaborados os seguintes objetivos específicos: a) analisar os saberes científicos que produziram um discurso sobre a educabilidade ou não dos anormais e os dispositivos que emergiram desse saber; b) compreender quem eram as crianças anormais que foram objeto dos dispositivos disciplinadores de normalização psiquiátricos, as representações e práticas médicas, jurídicas e educacionais que marcaram o cotidiano destes equipamentos; e c) identificar e analisar as práticas e representações dos processos de institucionalização da infância anormal tendo como eixo a educação especial na busca de possíveis relações entre as escolas regulares e especiais e os dispositivos psiquiátricos, com ênfase na carreira institucional dos que eram considerados como menores anormais (“da inteligência e do juízo”). Como referencial teórico foram utilizados, para a compreensão dos conceitos de anormalidade e indivíduo anormal, os autores Canguilhem, Foucault e Bueno; institucionalização, poder psiquiátrico e saber/poder por Foucault; estigma e instituição total elaborados por Goffman. No referencial teórico-metodológico, foram utilizados os conceitos de práticas, representação e apropriação de Chartier e relações de poder, discurso e práticas de Foucault. Para a identificação e análise das fontes, foi utilizado o paradigma indiciário de Ginzburg. Em todo o texto foi realizado um diálogo constante com autores do campo da História da Educação e da Educação Especial, bem como da História da Psiquiatria no Brasil, que auxiliaram na compreensão da temática proposta. A tese defendida neste trabalho foi de que a institucionalização da infância anormal durante os anos de 1940-1979 foi orientada pelo saber médico e pela fusão deste com a Pedagogia (modelo médico-pedagógico), os quais produziram discursos e práticas que foram de negligência e negação da educabilidade àqueles institucionalizados nos hospitais psiquiátricos, de segregação e normalização nas instituições especiais (Escola Bertilde de Carvalho e APAE) e, nas classes especiais, excluídos os casos graves, foram originados os alunos especiais com sua respectiva categoria de deficiência mental leve e educável, ainda que não existisse deficiência alguma, o que configurou uma exclusão escolar histórica daqueles que, por tempos, foram considerados idiotas e doentes mentais. A pesquisa considerou que as relações de poder entre as instâncias médicas-pedagógicas, apoiadas pela Justiça, produziram discursos e práticas implementadas em solo sergipano, que institucionalizaram a infância que desviava da norma em equipamentos especializados. A leitura feita dos indícios e sinais das fontes pesquisadas revelaram a construção social da anormalidade nas crianças por preceitos científicos, econômicos, políticos, sociais, culturais e pedagógicos. O menor anormal alimentou as instituições criadas para dar conta da exclusão social produzida, sobretudo, junto às classes populares. O poder da norma ficou a serviço de uma ordem social e desenvolvimento de uma nação civilizada em que a educação e a infância não ficaram fora dessa pauta. As (im)possibilidades da educabilidade dos menores anormais refletiram o quanto é necessário problematizar o debate da educação especial e da educação para todos, bem como os dispositivos criados para esse fim.

  • EDIVALDO DA SILVA COSTA
  • MÃOS TECENDO HISTÓRIAS DE VIDA: MEMÓRIAS DOS SURDOS SERGIPANOS EGRESSOS DO INSTITUTO NACIONAL DE EDUCAÇÃO DE SURDOS (1950-1970)
  • Orientador : VERONICA DOS REIS MARIANO SOUZA
  • Data: 19/02/2018
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta tese tencionou investigar a trajetória escolar e profissional dos surdos sergipanos que estudaram no Instituto Nacional de Educação de Surdos (INES) nas décadas de 1950 a 1970. O INES, primeira escola do Brasil, especializada para pessoas surdas, destina-se a instruir, a educar e a profissionalizar essa população. Para este estudo foram coletadas histórias de vida presentes nas narrativas dos depoentes surdos que se formaram na Instituição, que compreende o período estudado, quando surgiram os primeiros movimentos efetivos em nível nacional para a escolarização do surdo brasileiro. Além das entrevistas, foram também analisadas fontes de natureza documental e iconográfica. O marco conceitual adotado teve seu embasamento nos conceitos de representação, apropriação, cultura escolar, história e memória; os principais autores que deram aporte para a compreensão dos processos históricos foram Chartier, Julia, Halbwachs, Le Goff e Pollack; e na área da história da surdez, Soares, Mattos, Souza, Rocha e Seixas. Para concretizar a análise houve um esforço no sentido de apreender os aspectos relacionados ao processo de escolarização durante o colégio-internato no INES; a convivência no espaço escolar; as oficinas profissionalizantes; os desfiles cívicos; a primeira comunhão eucarística; as atividades esportivas e de linguagem oral e articulada; os uniformes; os festejos escolares; e a carreira profissional depois do INES. Os relatos dessas experiências acerca da formação educacional e carreira profissional permitiram identificar nove surdos sergipanos (cinco deles estão falecidos) e foi possível conhecer não somente as trajetórias individuais, como também as vivências coletivas no espaço escolar. Concluiu-se que apesar da escolarização de nível básico cursada pelos surdos sergipanos no INES, os estudos realizados contribuíram para a inserção dos mesmos no mercado de trabalho e sua independência econômica e profissional.

  • ROSEMEIRE MARCEDO COSTA
  • A Instrução Pré-militar como disciplina escolar: marcas do exército no Atheneu Sergipense (1909-1946)
  • Orientador : EVA MARIA SIQUEIRA ALVES
  • Data: 19/02/2018
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente tese investiga as práticas que se desenvolveram na Escola de Instrução Pré-militar, anexa ao Colégio Atheneu Sergipense no período de 1909 a 1946, em Aracaju-SE, tratando-se de pesquisa histórica embasada nos postulados teórico metodológicos da História Cultural. Concilia as premissas de Chartier, De Certeau, Bourdieu e Elias a partir das categorias: representação, prática, campo e figurações. O principal objetivo é analisar as práticas desenvolvidas na Escola de Instrução Pré-militar, as representações sobre educação presentes nos relatórios e demais correspondências oficiais investigar as relações que se estabeleceram entre as instituições de ensino com práticas militares, identificando as funções desempenhadas pelos instrutores da Escola de Instrução Pré-militar do Atheneu Sergipense. A pesquisa está assentada em levantamento bibliográfico, explorando o Banco Digital de Dissertações e Teses bem como artigos publicados na base Scielo, seguido da busca de fontes documentais em jornais, relatórios, regulamentos, decretos, atas, cartas, livros de memórias e outros impressos, fundamentais para compreensão do que representa a temáticca para o campo da História da Educação. Na busca por informações necessárias à investigação privilegiei as seguintes instituições: Centro de Educação e Memória do Atheneu Sergipense, Biblioteca Pública Epiphânio Dória, Biblioteca Central da UFS e Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe.

  • ANA JULIA COSTA CHAVES SILVA
  • LETRAMENTO LITERÁRIO NO ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO: DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA O LEITOR SURDO
  • Orientador : ISA REGINA SANTOS DOS ANJOS
  • Data: 16/02/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa teve por escopo investigar as contribuições e usos da literatura no processo de letramento literário do sujeito surdo na sala do Atendimento Educacional Especializado (AEE). Outrossim, apoiou-se no método de Cosson (2016) e no referencial teórico, de Vigotsky (1998, 2001, 2003), Freire (1996), Cosson, (2016), Karnopp (2008), Soares (2010), Perlin (2004), Cândido (1995, 1998), no que tange aos estudos acerca do Letramento Literário, Educação de Surdos e Identidade. Delimitamos como público-alvo, os quatro estudantes surdos, matriculados numa estadual, localizada no município de Lagarto/SE. A metodologia foi construída sob uma abordagem qualitativa, baseada em entrevistas semiestruturadas, direcionadas à regente da sala e aos respectivos estudantes, sobre questões pertinentes à circulação da literatura no ambiente da Sala de Recursos Multifuncionais. O trabalho primou pelos procedimentos da pesquisa participativa descritiva, cujos instrumentos investigativos consistiram na aplicação das quatro etapas da Sequência Básica: Motivação, Introdução, Leitura e Interpretação, com foco na motivação e socialização da leitura e escrita, através de duas obras literárias, Ane e Jota: Amigos de Mundos Diferentes, de Luciane Rangel e Asa de Papel, de Marcelo Xavier, que corroboraram com a aprendizagem do sujeito surdo no tocante à sua formação linguística e sociocultural. A interpretação dos dados está alicerçada na análise de conteúdos proposta por Bardin (2016). A pesquisa possibilitou explicitar um importante conhecimento construído sobre o letramento literário aplicado com alunos surdos, revelando similarmente, que há uma lacuna nesse processo, o que surge como ratificação, para que se insira nos componentes curriculares do ensino regular, um ensino e aprendizagem pautado na aquisição da leitura, interagindo naturalmente, com sua língua natural – a Língua Brasileira de Sinais - a L1, e concomitantemente, com a escrita em Língua Portuguesa – a L2, a partir das práticas sociais. Os principais resultados da pesquisa apontaram para a compreensão dos limites e alcances dos estudantes como leitores, detectando suas potencialidades, que foram trabalhadas no desenvolvimento da Sequência Básica. Os resultados dessa investigação permitiram traçar um quadro sobre a inserção do letramento literário numa sala de AEE e conhecer as possibilidades e desafios inerentes para essa prática na educação de alunos surdos.

  • VERA LÚCIA CARNEIRO DE ALMEIDA
  • A (re)construção dos saberes docentes dos professores bacharéis e o uso das metodologias ativas na Universidade Federal de Sergipe em Lagarto
  • Orientador : PAULO SERGIO MARCHELLI
  • Data: 08/02/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Este trabalho tem como temática a (re)construção dos saberes docentes dos professores bacharéis diante do uso das metodologias ativas no Campus da Universidade Federal de Sergipe em Lagarto. O objetivo geral é analisar as relações de sentido expressas pelos professores sobre a (re)construção dos saberes necessários para suas práticas, considerando as singularidades das metodologias ativas adotadas. Dessa forma, a questão norteadora do estudo é: como os professores expressam a (re)construção dos seus saberes e avaliam os resultados alcançados dentro do seu contexto de atuação? Adota-se como pressuposto que a estruturação dos saberes docentes se concretiza a partir das relações que os professores estabelecem entre a prática e as experiências relativas aos conhecimentos disciplinares de suas áreas de formação, que se mesclam aos fundamentos curriculares referentes aos programas dos cursos em que lecionam, às experiências advindas da sua história de vida, ao contexto social e vivências profissionais anteriores. Dessa forma, inicialmente não há relação da prática com os saberes profissionais decorrentes de conhecimentos teóricos das ciências da educação, por se tratar de professores universitários sem experiência de formação para a docência. As categorias a priori para análise dos resultados tiveram como marco teórico estudos sobre formação, saberes docentes e metodologias ativas resultantes de um levantamento bibliográfico que pretende ser amplo e abrangente. Quanto à metodologia, trata-se de uma pesquisa de natureza quanti-qualitativa fundamentada em princípios dialéticos decorrentes de uma base filosófica a partir da qual o mundo é entendido como um processo em permanente transformação. O campus universitário que constitui o locus da investigação oferece os cursos de bacharel em Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Medicina, Nutrição, Odontologia e Terapia Ocupacional. Os sujeitos da pesquisa são 19 professores, sendo no mínimo dois docentes de cada curso. Para a coleta dos dados utilizou-se um questionário aplicado a 189 professores e foram realizadas 19 entrevistas semiestruturadas. A análise quantitativa foi utilizada na caracterização dos sujeitos e para estudar a intensidade dos sentidos revelados a partir da frequência dos dados, descrevendo-se os indicadores que complementam os resultados. Já o tratamento qualitativo foi realizado a partir da técnica de análise de conteúdo segundo a perspectiva de autores que são referências destacadas nesta área, considerando unidades temáticas categorizadas como a priori e não a priori, refletidas a partir das categorias dialéticas trabalho, contradição e práxis. Os resultados apontam que a (re)construção dos saberes realizados pelos professores se concretiza de diferentes formas e a partir de múltiplos referenciais, envolvendo a compreensão dos conceitos relacionados à técnica do método utilizado, o desenvolvimento de experiências com base em tentativas do acerto e erro, bem como a busca de formação para o trabalho docente, muitas vezes por iniciativa dos próprios professores. Estes avaliam suas práticas como mais ou menos próximas do preconizado no campus, sem deixar de assinalar a necessidade de formação para aperfeiçoá-las tendo em vista as singularidades das metodologias adotadas. Conclui-se que a formação específica para o exercício da docência deve ser pensada e garantida para fundamentar a ação de ensinar não apenas em termos de uma prática generalizada, mas na perspectiva do que o processo se apresente como autêntica práxis educativa.

  • GISELIANE MEDEIROS ALMEIDA
  • AS INVISÍVEIS DO CÁRCERE: INTERFACES IDENTITÁRIAS DE MULHERES APRISIONADAS.
  • Data: 23/01/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa objetiva analisar o processo de construção histórica de subjetividades/identidades de mulheres presas do Conjunto Penal de Paulo Afonso (BA), destacando a diversidade de experiência e invisibilidade da condição do público feminino comparativamente ao público masculino prisional. Os pressupostos epistemológicos da metodologia qualitativa de inspiração pós-crítica, constitui o norte teórico da compreensão das categorias gerais de produção dos saberes (conhecimentos, verdades, relações de poder e discursos) referente a gênero, educação e criminalidade, atribuindo-se especial destaque a voz das mulheres (a construção de identidade e modos de subjetivação). Foram consultadas várias fontes de informação e instrumentos de coleta de dados: observação participante, registro em diário de campo, entrevistas semiestruturadas realizadas com 15 mulheres e 5 homens no sistema prisional estudado. A revisão da literatura concernente à criminalidade feminina expõe a exiguidade de estudos e pesquisas sobre o tema comparativamente à criminalidade masculina, particularmente no âmbito educacional. A análise textual discursiva desvela dimensões das relações de gênero, vivências desvantajosas de uma intimidade forjada, enclausurada por relações de poder, grades de ferro e paredes no cárcere. As histórias de vida descobrem episódios de violência, paixão, medo, dor e sofrimento. O sistema prisional intercala gênero e educação aos processos educativos em sentido amplo, diversificado atingindo os espaços escolares e não escolares. Em contrapartida ambos os cenários educativos refletem a perspectiva binária de gênero (classe, raça, idade/geração orientação sexual) estabelecendo padrões e modos de ser e viver enquanto mulher ou homem na sociedade. Neste contexto emergem questões sobre as diretrizes da Política Nacional de Atenção às Mulheres em Situação de Privação de Liberdade e Egressas do Sistema Prisional (PNAMPE) com vistas à humanização das condições de atendimento, garantia dos direitos e dignidade, assistência jurídica gratuita, oportunidades de qualificação, para que as apenadas possam vislumbrar um futuro sem discriminações. Por fim, é meritório destacar que em lugar de fechar parênteses, e apresentar conclusões fechadas, destacamos a sensação de ter tocado e atingido o centro e objeto desta pesquisa, que diz respeito às mulheres presas.

  • ISABEL CRISTINA OLIVEIRA DA SILVA
  • Juventude e expressividades musicais no espaço escolar do alto sertão de Alagoas
  • Orientador : ANA MARIA FREITAS TEIXEIRA
  • Data: 11/01/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta dissertação é resultado de uma pesquisa quanti-qualitativa, de tipo exploratório e descritivo que teve o objetivo de compreender como se estabelece a relação entre juventude, escola e música no município de Delmiro Gouveia, sertão de Alagoas, tendo como amostra 116 jovens matriculados no 3° ano do Ensino Médio, na Escola Estadual Luiz Augusto Azevedo de Menezes. Os dados foram produzidos mediante a utilização de questionário, entrevista semiestruturada e observações livres na rotina escolar. A partir das análises desses dados foi possível observar que os jovens constroem suas identidades descontruindo a teoria clássica sobre o rural, denotando as suas representações e estilos de vida características de seus gostos musicais, ampliados pelas interações virtuais e concretas. Constatou-se um perfil juvenil diversificado, com mínima defasem idade-série, alguns trabalhadores, residentes em povoados, distritos e na sede local com pais ou parentes, jovens de gosto musical bastante eclético e alguns com atuações musicais de modo mais veemente com participação em coro religioso e na orquestra da cidade. Averiguou-se no processo, uma relação escola, juventude e música, circunscrita por tensões e regras, mas, ao mesmo tempo com olhar um tanto sensível para as expressividades juvenis.

  • MARCOS ANTONIO DO MONTE SANTOS
  • “Dos lentes aos compêndios: a disciplina História no Atheneu Sergipense entre as décadas de 1870-1890”
  • Orientador : EVA MARIA SIQUEIRA ALVES
  • Data: 08/01/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa tem como objetivo, estudar a implantação e o desenvolvimento da cadeira de História no Atheneu Sergipense, entre as décadas de 1870 e 1890, período que marca a trajetória docente de Raphael Arcanjo de Moura Mattos, Ascendino Ângelo dos Reis e José João de Araújo Lima, como os primeiros lentes dessa disciplina, na instituição. Buscamos apresentar ainda, o compêndio Lições de História do Brasil, escrito pelo professor do Colégio de Pedro II, Luís de Queirós Mattoso Maia e utilizado como instrumento de aprendizagem, durante a instrução do alunado na mais antiga instituição de ensino público de Sergipe, o Atheneu Sergipense. Desse modo, tentaremos compreender, de que forma se desenvolveu o ensino de História nesse estabelecimento, a partir dos conhecimentos acerca de dois, dos componentes apontados por Chervel (1990), em grau de importância, como fundamentais para o processo de ensino aprendizagem, o professor e o livro. Utilizamos para estruturação desse estudo, além de referências bibliográficas que versam sobre o assunto abordado, fontes documentais, como relatórios, decretos, jornais e documentos pertencentes a instituição, a exemplo do primeiro livro de Atas, localizado no Centro de Educação e Memória do Atheneu Sergipense (CEMAS)

2017
Descrição
  • GLEBSON MOURA SILVA
  • Metodologias Ativas de ensino na Graduação em Enfermagem: Reflexões sobre a formação profissional na perspectiva da integralidade.
  • Orientador : MARIA INEZ OLIVEIRA ARAUJO
  • Data: 19/12/2017
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • As metodologias ativas de ensino são apontadas pelas diretrizes curriculares nacionais como a principal alternativa metodológica para a formação de profissionais de saúde na perspectiva da integralidade. Neste contexto, a tese objetivou explicitar o papel das metodologias ativas de ensino na graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Sergipe, Campus Lagarto, diante da emergência de novas demandas e requisitos para a formação. Para alcançar as informações desejadas, foi utilizado o estudo de caso por ter possibilitado a apreensão mais completa do fenômeno em estudo, envolto por diferentes fontes de informações, como as diretrizes curriculares nacionais, o projeto político pedagógico da graduação em Enfermagem, a biblioteca virtual em saúde, assim como os professores e estudantes inseridos neste ambiente de formação. As informações foram analisadas pelo método de análise de conteúdo que permitiu evidenciar resultados que demonstraram o quanto os documentos oficiais apresentam alguns nós críticos, como: a necessidade de um processo contínuo de educação dos docentes quanto às atuais metodologias de ensino, no apoio às dificuldades didáticas, relacionais e/ou comunicativas, preparando-os para o processo de ensino; os estudantes desvelaram uma prática referenciada por normas de condutas apreendidas no cotidiano, a ponto de sinalizarem padrões incoerentes com a metodologia empregada institucionalmente; os docentes apresentaram entendimento do contexto de trabalho tanto nos aspectos micro quanto macropolíticos, e criticaram de forma pontual as principais características das metodologias ativas. A concepção de integralidade precisa ser aprofundada e apreendida para que não se volte, essencialmente, para a noção de cuidado. O que amplia a necessidade de novas investigações sobre a temática, bem como um movimento de estímulo para a reflexão das atuais práticas e finalidades pedagógicas.

  • MARIA DE LOURDES MARTINS DA SILVA
  • EDUCAÇÃO REVESTIDA DE HÁBITO: COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE DE LAGARTO-SE (1947 – 1969)
  • Orientador : JOAQUIM TAVARES DA CONCEICAO
  • Data: 15/12/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta dissertação apresenta uma compreensão histórica do modelo educacional e da cultura escolar do Colégio Nossa Senhora Piedade das Irmãs Franciscanas de Nossa Senhora do Bom Conselho, no período de 1947 a 1969. A investigação foi pautada nas técnicas da pesquisa documental, com base em fontes coletadas e catalogadas no arquivo do Colégio Nossa Senhora da Piedade, Cúria da Arquidiocese de Aracaju, Paróquia de Nossa Senhora da Piedade e Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe, além de acervos pessoais de ex-alunas. Igualmente, utilizou-se a metodologia da história oral, coletando relatos orais de narradores-colaboradores que tiveram relação com a instituição no período especificado no recorte temporal. Aprofundou-se o trato dessas fontes a partir dos conceitos de cultura escolar, representação e apropriação. O trabalho apresenta aspectos gerais do modelo de educação católica no período especificado, as origens do projeto educacional da Congregação das Irmãs Franciscanas de Nossa Senhora do Bom Conselho, especialmente as configurações históricas do Colégio Nossa Senhora da Piedade, instalado em 1947 na cidade de Lagarto (SE), as relações estabelecidas entre agentes da ação educativa; o espaço físico, o currículo e as variadas formas de moldar comportamentos e valores de jovens lagartenses. A prática do Colégio Nossa Senhora da Piedade tornou-se significativa à medida que a fé foi colocada como mediadora da educação, elemento importante, porém não exclusivo. Na verdade, por meio da fé buscou-se interagir com o contexto social, visando à formação cidadã e ao desenvolvimento intelectual das alunas. Nos registros de fundação da Congregação das Irmãs Franciscanas de Nossa Senhora do Bom Conselho é possível compreender a representação da ação missionária como uma ação educativa que teria a função de realizar o “saneamento moral" da população ordenado pela moral cristã-católica.

  • TELMA AMÉLIA DE SOUZA PEREIRA
  • PERSPECTIVAS DE DOCENTES BACHARÉIS SOBRE A INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA: O CASO DO INSTITUTO FEDERAL DE SERGIPE- CAMPUS LAGARTO
  • Orientador : RITA DE CACIA SANTOS SOUZA
  • Data: 11/12/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O presente estudo pretende investigar as perspectivas dos docentes bacharéis do Instituto Federal de Sergipe- Campus Lagarto sobre a inclusão de pessoas com deficiência na educação profissional e tecnológica. Para tal fez-se necessário pensar a instituição na qual se insere a pesquisa para evidenciar a modalidade de ensino que esta oferta e dentro desta como são atendidas as preconizações da lei sobre a inclusão educacional, de modo particular, a inclusão da pessoa com deficiência. Nesta engrenagem institucional o foco principal da pesquisa são os profissionais docentes que nela atuam. Considerando que os licenciados têm formação pedagógica para atuar como docentes, são, especificamente, os docentes bacharéis que são apresentados como sujeitos da pesquisa, a forma como estes descreveram a docência e as suas relações com a inclusão da pessoa com deficiência na educação profissional e tecnológica. A abordagem da pesquisa é qualitativa, do tipo estudo de caso, com base documental, aplicação de questionários e entrevistas, o marco temporal é a partir da Lei nº 11.892/2008. Para a análise dos dados utilizamos o método de análise de conteúdo. Segundo os informantes as ações institucionais tem pouca visibilidade e a formação dos docentes para atuarem na educação profissional reflete na atuação pedagógica com os discentes com deficiência e sua perspectiva sobre a inserção destes nas práticas profissionais, no contexto do campus Lagarto, assim, a formação continuada se mostra como um elemento necessário à prática docente, bem como uma (re) estruturação das políticas institucionais com vistas à inclusão da pessoa com deficiência.

  • MARIA LENILDA CAETANO FRANÇA
  • A avaliação da aprendizagem na formação docente: um retrato dos saberes dos concluintes e egressos do curso de pedagogia da UFAL/Campus Sertão
  • Orientador : PAULO SERGIO MARCHELLI
  • Data: 11/12/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A pesquisa descreve as aprendizagens teóricas e práticas sobre avaliação ofertadas no processo de formação, assimiladas pelos graduandos e utilizadas nas práticas desenvolvidas pelos egressos do curso de Pedagogia da Universidade Federal de Alagoas, com especificidade para o Campus do Sertão, para responder à seguinte questão: entre os referenciais teóricos e práticos sobre avaliação da aprendizagem ofertados no curso de Pedagogia da UFAL/Campus Sertão, quais foram assimilados pelos concluintes e como são trabalhados pelos egressos? Nesse sentido, foram questionados catorze concluintes do 8º período do semestre 2016.2, cinco egressos que atuam na Educação Básica e o Coordenador do curso de Pedagogia. A metodologia é o estudo descritivo com a abordagem qualitativa, cujos instrumentos investigativos consistiram na aplicação de questionários aos graduandos e entrevistas com os egressos e o coordenador. A interpretação dos dados está alicerçada na análise de conteúdo proposta por Bardin (2004). O referencial teórico discute as principais ideias dos estudiosos que definem a linha de pensamento sobre a temática da Formação Docente e Avaliação da Aprendizagem, destacando-se Hoffmann (1993; 2001), Furlan (2007), Balzan e Sobrinho (2011), Libâneo (2012), Berger (2005), Charlot (2008) entre outros. Como aporte documental, analisou-se a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional nº 9394/96 (BRASIL, 1996), as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de Pedagogia (BRASIL, 2006) e o PPC do curso de Pedagogia da UFAL/Campus Sertão. Os resultados dessa investigação permitiram traçar um quadro das práticas avaliativas vigentes no curso de Pedagogia e conhecer as condições ofertadas para a formação docente a partir da ótica dos participantes. Os dados coletados evidenciaram que os concluintes e egressos foram avaliados principalmente por provas, seminários e microaulas, revelando a presença de uma concepção avaliativa alinhada à verificação da aprendizagem, em que a perspectiva crítica de avaliação pouco aparece nas vozes dos sujeitos. De um modo geral, a pesquisa proposta possibilitou explicitar o conhecimento construído sobre avaliação da aprendizagem no curso de Pedagogia da UFAL/Campus Sertão, revelando que há uma crítica aos direcionamentos do curso, o que surge como positivo, visto que se observou nas falas dos entrevistados que estes experimentam um lento e dificultoso processo de mudança das práticas avaliativas em razão das vivências na universidade. Por fim, a pesquisa proporcionou importantes elementos para reflexão sobre as possíveis transformações das práticas de avaliação e de formação de pedagogos de modo geral.

  • MARIANA DÓREA FIGUEIRÊDO PINTO
  • DESVELANDO A CONSTRUÇÃO DAS DIFERENÇAS DE GÊNERO NAS EXPERIÊNCIAS DE CONTADORES/AS E AUDITORES INDEPENDENTES EM SERGIPE.
  • Data: 13/11/2017
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Muito se tem discutido e debatido sobre as diferenças de gênero, mas essas diferenças fazem parte da história da humanidade e estão presentes nos discursos: social, psicológico, religioso, biológico, fisiológico, político e antropológico. A análise da crescente participação da mulher no mundo do trabalho deve passar, necessariamente, por uma avaliação de suas funções sociais, pela crítica dos sentidos e significados do trabalho e as suas formas de mensuração. A abordagem de trabalho e gênero no campo da contabilidade permite identificar a dimensão da feminização das carreiras sem, no entanto, desconsiderar o seu processo histórico ou o ritmo com que as mudanças ocorreram nas mais diversas profissões recentemente. A feminilização, conhecida como feminização numérica, aponta apenas a redução da exclusão de um sexo em relação ao outro e não é sinônimo de igualdade, embora não deixe de significar as inegáveis conquistas das mulheres no mundo do trabalho e das profissões. Todas as transformações na organização e na produção do trabalho têm consequências e significados diferentes para os homens e para as mulheres. Nessa direção, o objetivo dessa tese consiste em analisar, sob a perspectiva de gênero, os diferentes sentidos e significados atribuídos ao trabalho, aos processos de formação, qualificação, a influência desses aspectos na inserção, permanência e ascensão profissional de Contabilistas e Auditores Independentes no Estado de Sergipe. A pesquisa de caráter qualitativo realizou-se por meio da consulta a diferentes fontes de informação: revisão da literatura pertinente, documentos e estatísticas de institutos de pesquisa, priorizando-se fontes orais obtidas por entrevistas semiestruturadas realizadas com 19 profissionais sendo 09 auditores independentes com registro junto ao Cadastro Nacional de Auditores Independentes (CNAI), aprovados no Exame de Qualificação Técnica (EQT), e 10 contadoras – 03 delas em postos de liderança nas representações de classe do Estado. O processo analítico e interpretativo desenvolve-se com base na Análise de Conteúdo (AC). Entre outros resultados, destaca-se que, apesar da presença expressiva das mulheres nos cursos superiores de Ciências Contábeis, e de representarem 42%, de profissionais (bacharéis) da Contabilidade no Brasil, apenas 20% estão na Auditoria Independente, considerada a área de maior prestigio e destaque da profissão contábil. Infere-se que a feminização da contabilidade e o ingresso maciço das contabilistas nas organizações não alteraram a divisão sexual do trabalho produtivo e reprodutivo; elas continuam sendo as responsáveis pela maior parte do trabalho realizado no âmbito doméstico, sobretudo o cuidado com os filhos. Discutir as relações de gênero no trabalho da Contabilidade e da Auditoria Independente é essencial quando se pensa em uma sociedade democrática que viabilize a homens e mulheres igualdade de oportunidades e de condições de trabalho.

  • ANA CLÁUDIA SOUSA MENDONÇA
  • ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS (APAE) – ARACAJU: FORMAÇÃO DE PROFESSORES E PRÁTICAS EDUCATIVAS (1968-1988)
  • Orientador : RITA DE CACIA SANTOS SOUZA
  • Data: 06/11/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta dissertação tem como objetivo de investigar acerca da Formação dos Professores e as Práticas Educativas da APAE de Aracaju nos anos de 1968 a 1988. O marco temporal justifica-se pela data da fundação e pela promulgação da Constituição da República Federativa do Brasil de 1988, a sétima Constituição do país. Pesquisou-se como se deu a processo de formação dos professores que adentravam a associação em um período de desconhecimento da Educação Especial na capital sergipana, em virtude da escassez da literatura e de trabalhos acadêmicos, como constatado através do Estado da Arte e de leis que assegurassem o direito das pessoas com deficiência em ambientes comuns a todos. Tratou-se de uma pesquisa de cunho bibliográfico e documental, com abordagem na História Cultural, de caráter exploratório e enfoque na análise de conteúdo qualitativa. O caminho metodológico percorrido foi realizado através de visitas exploratórias, observações, análise de documentos e entrevistas semiestruturadas com 14 informantes, sendo que, 09 professores, 01 Assistente Social, 01 Terapeuta Ocupacional, 01 Técnico em Enfermagem, 01 Voluntário e 01 Técnico Agrícola. Através da Análise de Conteúdo baseada em Bardin (2011), a pesquisa evidenciou que as formações foram essenciais para o caminhar da associação frente ao desconhecimento da Educação Especial por parte dos informantes e que as práticas educativas, à princípio se deram por intuição, mas, com o embasamento teórico adquirido nos cursos e as trocas de experiências entre os colegas, a cegueira social foi dando lugar ao “florescer de margaridas” que fizeram “História” dentro da História da APAE aracajuana.

  • ANDERSON FRANCISCO VITORINO
  • EDUCAÇÃO BILÍNGUE: O DESDOBRAMENTO DAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS COM ALUNOS SURDOS
  • Orientador : RITA DE CACIA SANTOS SOUZA
  • Data: 06/11/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O estudo analisa as interfaces de ensino adotadas pelo professor da sala de aula comum e o professor da sala de AEE - Atendimento Educacional Especializado, que trabalham em ambiente da educação inclusiva com alunos surdos, sobretudo no campo do bilinguismo. Diante disso, surge a necessidade de saber, como os professores de sala de aula comum e o professor de AEE, contribuem no processo de ensino e aprendizagem dos alunos surdos no contexto bilíngue, Português/Libras. Para tal, utilizamos alguns teóricos que dialogam sobre a educação bilíngue, Fernandes (2012, 2015); Gesser (2014); Guarinello (2007); Karnopp (2012, 2015); Lacerda (2012, 2009, 2006); Lodi (2012, 2015, 2006); Quadros (2015, 2012, 2011, 2008, 2006, 2004, 1997); Stumpf (2012, 2009) entre outros. A metodologia utilizada na pesquisa foi de ordem qualitativa, também a pesquisa descritiva com a perspectiva de compreender, relatar e descrever o fenômeno estudado, através do estudo de caso e análise documental, Triviños (2009); Gil (1999). No viés de colaboração do pesquisador foi utilizada a pesquisa colaborativa com a intenção de proporcionar a construção de conhecimento e formação continuada para o professor. Com base nisso, usou encaminhamentos metodológicos de cunho colaborativo, Alarcão (2011); Capellini (2004); Ferreira (2009); Ibiapina (2008, 2009); Mendes (2007). Nesse entendimento, a pesquisa colaborativa do projeto demonstra uma relevância de caminhar na direção dialética da realidade social, da historicidade do fenômeno, da prática, da contradição e da relação com a totalidade.

  • MARIA AUGUSTA ROCHA PORTO
  • TEMPO COGNITIVO E TEMPO SOCIAL NAS AULAS DE INGLÊS PARA A ENVELHESCÊNCIA E TERCEIRA IDADE
  • Orientador : RAQUEL MEISTER KO FREITAG
  • Data: 09/10/2017
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • No ano de 2025, o Brasil será considerado o quinto maior país do mundo em número de idosos, conforme projeções do Instituto Brasileiro Geográfico e Estatística (IBGE) e, diante desse impacto demográfico, demandas por estudos nas áreas socioeconômica, saúde e educação começam a surgir. Políticas implementadas no país, como a Lei nº 10.741/2003, Estatuto do Idoso, visam a integração social dos longevos, podendo contribuir com a qualidade de vida, como é o caso de aprender uma nova língua. Elegemos para esta tese verificar o efeito do tempo, em suas dimensões social e cognitiva, nas aulas de inglês para o público longevo: envelhescentes e pessoas de terceira idade. A dimensão social se refere à mudança nos padrões sociais da consciência sobre o envelhecimento e expectativas e motivações em relação à escolarização e ao mercado de trabalho que, por sua vez, interferem no processo de ensino-aprendizagem de uma língua estrangeira. A dimensão do tempo cognitivo que influencia o aprendizado de uma língua envolve a relação com a linguagem, em termos de fisiologia e de seus processos. Para medir os efeitos do tempo social e do tempo cognitivo nas aulas de inglês, realizamos, nesta tese, três estudos, a partir de dados coletados em aulas de duas turmas de um curso de extensão, “A aula de inglês para a terceira idade”, no primeiro semestre de 2016, na Universidade Federal de Sergipe. O primeiro estudo teve como objetivo medir o tempo de leitura, em português e em inglês, de modo silencioso e em voz alta, e o controle do movimento ocular (quantidade e duração das fixações e regressões), com três grupos experimentais, a fim de identificar os efeitos do envelhecimento nos participantes. Segundo Cozijn e Vonker (2003), Rayner (2007), Dehaene (2012), o padrão estabelecido é que jovens leitores hábeis leem mais rápido, em 200 a 250ms, podendo chegar a 350ms; para outros tipos de leitores, como envelhescentes e pessoas de terceira idade, a variabilidade pode passar de 500ms nas duas vias diretas de leitura (silenciosa e voz alta). O grupo de participantes jovens se diferenciou dos outros dois grupos, obtendo o padrão de 200 a 250ms. O jovem obteve um tempo maior do que na leitura em português. Os participantes da terceira idade, apresentaram um número muito maior estabelecido ao padrão de leitura de 500ms, apresentando um valor de 600-650ms. Nos textos de inglês, o tempo foi maior entre as três categorias. Os participantes leram os textos em inglês e em voz silenciosa mais rápido do que os textos em voz alta. O segundo estudo visa aferir o tempo de planejamento e de execução das aulas do curso de extensão “A aula de inglês para a terceira idade”, a fim de identificar a demanda de tempo. Cada aula foi planejada teve sua execução documentada, com o controle de tempo de execução de cada uma das tarefas A1, A2, A3, A4, A5, A6, A7, A8, A9, A10. O tempo global de execução em ambas as turmas foi inferior ao tempo planejado. Constatamos que, na turma 1, o tempo executado foi de 136,6 min, apresentando uma média de 135,2 min por aula, cujas atividades pedagógicas que duraram mais tempo foram as tarefas A1, A2, A4, A7 e A10. Já para a turma 2 o tempo das aulas planejadas e executadas, resultou numa média de 116,6 min de aula, com maior tempo as atividades A5, A6 e A8. Considerando os objetivos das turmas, a diferença de tempo maior está relacionada nas atividades sociais (teste emocional e coffee break). Já para as atividades pedagógicas, os alunos demandam mais tempo para a verificação das aulas anteriores, explicação de vocabulário e atividades extras. Na turma 2, as atividades que demarcaram mais tempo foram direcionadas para leitura em voz alta e silenciosa, revisar as estruturas da língua e discussão de culturas das línguas. O terceiro estudo teve por objetivo controlar as reações emocionais dos participantes envelhescentes e da terceira idade do curso de extensão “A aula de inglês para a terceira idade”, a fim de verificar os efeitos do tempo social. Foram aplicados testes emocionais de entrada e saída com palavras adjetivas (momento de aprendizagem) do referido curso, para medir o grau de satisfação em participar das aulas de inglês e analisar as reações que o curso motiva nos seus participantes. Os resultados globais apontam que, embora os estudos do envelhecimento mostrem que há uma demanda de tempo maior na execução de tarefas, esta demanda não é um empecilho para a participação em um curso de língua estrangeira. Bialystock, Craik e Ruocco (2006) defendem que o estudo de uma língua estrangeira pode controlar o aceleramento das demências do envelhecimento. Nosso estudo empírico, com a análise do tempo de leitura e movimento ocular, tempo de planejamento e as fichas emocionais, contribui para o aprimoramento de cursos de inglês, com resultados pontuais que podem ser aproveitados para a implementação de componentes curriculares, com definições de conteúdo e procedimentos pedagógicos, preparação, adaptação e avaliação de material impresso e digital, e cursos de formação de professores, inicial e continuada, para capacitar profissionais para atuarem em um novo mercado de trabalho, como é o caso dos envelhescentes e pessoas de terceira idade, adaptando novas situações como inclusão social acadêmica e a não exclusão de conhecimento específico na língua estrangeira.

  • MARCOS BATINGA FERRO
  • FORMAÇÃO DOCENTE NA PERSPECTIVA DA INCLUSÃO EDUCACIONAL
  • Orientador : ISA REGINA SANTOS DOS ANJOS
  • Data: 06/10/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa teve como finalidade analisar o exercício da docência na perspectiva da Educação Inclusiva, a partir de professores que atuavam em escola de ensino público situada em São Cristóvão/SE. Com o propósito de alcançar o objetivo aqui formulado, no que se refere ao plano metodológico, trabalhou-se com uma proposta de natureza qualitativa para proceder a recolha das informações necessárias para responder às questões do estudo. No âmbito da pesquisa qualitativa, optou-se pelo estudo de caso e, diante do que se precisava investigar, adotou-se a abordagem do Método Fenomenológico. Para a coleta de dados juntos aos participantes, como técnica nuclear, elegeu-se o questionário que foi construído para ser aplicado a oito docentes, elegendo-se ainda a entrevista, realizada com diretora e coordenadora pedagógica da escola, lócus da pesquisa. Procedeu-se, ainda, à análise documental do Projeto Político Pedagógico, com o intuito de avaliar se os princípios e objetivos educacionais, propugnados pela escola, traziam concepções que permitiam promover a inclusão de alunos com deficiência. Procurou-se evidenciar a formação inicial no que se refere às possibilidades dos Cursos de Pedagogia e Licenciatura oferecerem os conhecimentos indispensáveis ao futuro professor para o trabalho com o aluno com deficiência na sala de ensino regular. Os discursos das docentes participantes desta pesquisa retrataram deficiências em relação à sua prática pedagógica e da importância do profissional da docência aprender visando à Educação Inclusiva. Os resultados do estudo indicaram a necessidade de melhoria da qualidade na formação inicial dos professores e da provisão de recursos humanos, pedagógicos e condições materiais para o atendimento ao aluno com deficiência, dentre outros. Reitera-se a formação de professores como um dos pilares para a construção da inclusão escolar, em termos de recursos humanos em condições de trabalho para que ela possa ser posta em prática.

  • MARJORIE GARRIDO SEVERO
  • “MUNDO DA ARTE” NA ESCOLA: A IDENTIFICAÇÃO DE OBRAS DE ARTES VISUAIS POR ALUNAS E ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL
  • Data: 28/08/2017
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O que as alunas e os alunos do Ensino Fundamental identificam como obra de arte? Ao buscar responder a essa pergunta, objetivo compreender a relação entre a noção de arte de estudantes concluintes do Ensino Fundamental e as imagens abordadas por suas professoras e seus professores de arte(s) na escola. O problema da identificação de obras de arte foi discutido pelo filósofo Danto na sua tese do mundo da arte, sendo esse um problema que se insere em uma discussão mais profunda, e que diz respeito à dificuldade de discernimento da obra de arte em relação ao objeto comum, tal qual ela se apresentou a Danto na contemporaneidade. Pretendo demonstrar que a abordagem sobre as artes visuais no Ensino Fundamental realizada na disciplina de arte(s) é a principal referência que os alunos têm para identificar obras de arte. A partir dos estudos de Barbosa, abordo a presença ou a ausência de obras de arte e suas imagens na educação formal durante o processo histórico brasileiro e a emergência da temática da arte contemporânea, com o propósito restrito de contextualizar historicamente o problema. A metodologia que utilizo é a de métodos mistos, reunindo a análise de conteúdo de Bardin, o inventário de saberes de Charlot, os aspectos da foto-elicitação de Harper, os estudos de investigação baseada em artes visuais de Viadel, e a perspectiva semiótica de Peirce. Participam, na fase inicial da pesquisa, 348 estudantes dos nonos anos, de oito escolas públicas e particulares localizadas na região metropolitana de Aracaju, sendo que desse total 61 são organizados em grupos de discussão, e oito entrevistas com docentes de arte(s). A etapa de interpretação da pesquisa é desenvolvida através dos processos de comparação, quantificação, categorização e interpretação dos dados e relatos de participantes. Esta etapa é composta por três núcleos de significação: Subjetivo,Prática Artística e Referencial, e com eles identifico a ênfase da noção de arte manifestada por alunas e alunos como expressão, como pintura e como cultura, respectivamente. O resultado da aplicação da foto-elicitação é de um total de 74% de reflexos entre as imagens de obras de arte abordadas na escola e a identificação de arte destes estudantes. Os resultados desta pesquisa apontam para a confirmação da tese e indicam uma relação respaldada na contextualização e na prática artística desenvolvida na disciplina de arte(s) nas escolas.

  • ELINE FREITAS BRANDÃO BARBOSA
  • PESQUISA EM EDUCAÇÃO INCLUSIVA: REPRESENTAÇÕES DOS DOCENTES DAS SALAS DE RECURSOS MULTIFUNCIONAIS SOBRE O PROFESSOR PESQUISADOR
  • Orientador : ISA REGINA SANTOS DOS ANJOS
  • Data: 22/08/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A pesquisa é um trabalho de investigação, uma relação que vincula o ensino e a prática tendo como produto final a produção do conhecimento. O exercício da pesquisa é importante para orientar as ações do professor, pois as experiências vão construir no professor, desde a sua formação inicial, uma postura reflexiva, voltada para o acolhimento da diversidade e da valorização da individualidade do sujeito. Utilizamos como referencial teórico, entre outros: Berger (2010), Capra (2006), Jesus (2007), Koyré (2011), Ludke (2006), Rausch (2012). A pesquisa teve como objetivo investigar a construção do conhecimento em Educação Inclusiva pelos docentes da rede básica de ensino em um município do Estado de Sergipe/Brasil, que atuam em salas de recursos multifuncionais. Foi realizado um estudo de caso, utilizando-se a entrevista semiestruturada como instrumento de coleta de dados. Os resultados foram organizados de acordo com as categorias: formação de professores, professor-pesquisador e pesquisa em educação especial inclusiva. Concluímos que há um distanciamento da maioria das pesquisas da sala de aula e da aprendizagem dos alunos e a relação com a formação recebida no curso de graduação. A pesquisa é um veículo de desenvolvimento do conhecimento, de mudança de comportamento e transformação da própria prática; pesquisa vai além da mera ação de estudar; a pesquisa é uma ação exigida pela própria prática docente. Pesquisar, portanto, agregará a esse contexto uma organização do conhecimento e um rigor necessário ao processo investigativo que é a própria atividade docente.

  • ALINE LIMA DE OLIVEIRA NEPOMUCENO
  • Contextos da Política Estadual de Educação Ambiental (SE) – Lei Nº. 6882/10: das tensões políticas à prática pedagógica socioambiental
  • Orientador : MARIA INEZ OLIVEIRA ARAUJO
  • Data: 22/08/2017
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A Educação Ambiental (EA) nasce da sensibilidade de aliar conhecimento
    científico, tecnológico, artístico e cultural a uma nova consciência de valores,
    de respeito aos seres humanos e aos recursos naturais, com perspectiva de
    ajudar a formar uma mentalidade impulsionadora da construção de um novo
    paradigma emancipador e transformador da crise civilizatória atual. Diante
    disso, as políticas para o meio ambiente e os programas ambientais
    relacionados à transformação da crise socioambiental demandam cada vez
    mais novos enfoques integradores de uma realidade contraditória e geradora
    de desigualdades, que transcendem a mera aplicação dos conhecimentos
    científicos e tecnológicos disponíveis. Partindo dessas assertivas, esta
    pesquisa visa compreender a Política Estadual de EA de Sergipe (Lei nº
    6882/2010), quanto as suas possibilidades de gestão e inserção no cotidiano
    escolar de unidades escolares sergipanas. Assim, buscamos discutir,
    minimamente, sobre a influência ou não desta lei na Educação Formal
    apontando caminhos de consolidação da EA Crítica e suas respectivas
    potencialidades para a emancipação e transformação da ordem dominante,
    instaurada no regime de exclusão das relações sociais e, sobretudo, da relação
    ser humano e natureza. Para tanto, são investigadas as concepções de
    participação, democracia, cidadania e currículo, da Lei 6882/10, de seus(suas)
    gestores(as), coordenadores(as) de EA e, professores(as) da rede estadual de
    ensino que atuaram em ações socioambientais no ano de 2016 em suas
    respectivas escolas. Com isso, foram realizadas análises da Lei Estadual nº
    6882/2010 no que tange as categorias delimitadas neste estudo. Em seguida,
    aplicamos entrevistas semiestruturadas com os(as) principais gestores(as)
    desse processo de construção política. Posteriormente, foram efetuadas
    entrevistas não estruturadas com os(as) coordenadores(as) de EA das
    Diretorias Regionais de Educação, e por fim executamos entrevistas coletivas
    com professores(as) da Rede Estadual de educação. Assim, foi possível
    investigar as possibilidades, limites e desafios da inserção da EA na
    concretização da lei em questão. Para subsidiar as análises dos dados
    coletados, partiu-se de estudos teóricos não só do campo socioambiental, mas
    também de discussões sobre política pública, cidadania, participação e
    currículo, temas estes fundados na Teoria Crítica, em sua perspectiva histórico-
    dialética. Para análise dos dados utilizamos metodologicamente adaptações da
    Análise Textual Discursiva visando perceber concepções e práticas inebriadas
    por visões ideologizadas de mundo. Portanto, a intenção foi a produção de um
    trabalho que avance nas reflexões a respeito de quais sentidos e quais
    distintos projetos políticos se agregam à EA em Sergipe. Acreditando que tais
    avanços, nos campos epistemológico, epistêmico e político possibilitarão dar
    novos sentidos às práticas educativas de EA.

  • CRISTIANE TAVARES FONSÊCA DE MORAES NUNES
  • BITS de Inclusão em Sergipe: uma história da educação digital no Comitê para Democratização da Informática (1998-2011)
  • Orientador : DILTON CANDIDO SANTOS MAYNARD
  • Data: 26/04/2017
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Este trabalho investiga a história do Comitê para Democratização da Informática (CDI) e sua atuação em Sergipe. Trata-se de um estudo sobre uma Organização não governamental (ONG), que objetivava promover a educação informal através das chamadas Escolas de Informática e Cidadania (EICs), utilizando para isso o computador, com vistas a uma inclusão digital e, por meio dela, a promoção de mudanças sociais. Nas EICs, aprender informática para obter um emprego passou a se desdobrar em outras ações, que envolveram mobilização e organização em torno do reivindicar de políticas públicas para a garantia de direitos das comunidades em que o CDI esteve inserido. A pesquisa abrange o período que vai de 1998, quando o CDI começou as atividades em Sergipe, até 2011, quando a ONG parou de funcionar no estado. O estudo foi norteado por procedimentos de história oral, no qual entrevistas foram realizadas com os atores envolvidos na construção do CDI Sergipe. Além disto, a pesquisa utilizou documentos variados, tais como: registros contábeis, monografias, jornais, atas, o projeto pedagógico, manuais e material didático elaborados pela própria ONG. Todo este material foi considerado “documento/monumento” e, assim como indica Jacques Le Goff, foram questionados, desconstruídos e pensados como elementos para a produção de uma reflexão sobre a trajetória do CDI. A pesquisa contextualizou conceitos de “cibercultura” e “ciberespaço” como um processo de comunicação virtual de vários fenômenos sociais relacionados à internet, aos meios de comunicação e às Tecnologias de Informação e Conhecimento. De acordo com Pierre Lévy, a técnica é uma das dimensões fundamentais onde está em jogo a transformação do mundo humano por ele mesmo. A incidência cada vez mais real das telecomunicações sobre todos os aspectos da vida social, e também os deslocamentos menos visíveis que ocorreram na esfera intelectual obrigam-nos a reconhecer a técnica como um dos mais importantes temas filosóficos e políticos de nosso tempo. Assim, o uso da técnica utilizada na EIC começou a ser estruturada de forma a se criar uma metodologia para ensinar a utilizar o computador com exemplos do próprio cotidiano da comunidade. Manuel Castells corrobora com a ideia de que a sociedade, nascida com a internet em seu cotidiano, envolveu-se, simultaneamente, em interações, face a face, em todos os domínios das suas vidas. No caso do CDI-Sergipe, com o tempo, os alunos foram motivados a serem agentes multiplicadores, atuando como professores e aplicando o que aprenderam. Observamos que o CDI possuía importantes patrocinadores que possibilitaram massificar a sua marca e torná-lo uma franquia social. Ao estudar a ONG e suas EICs, a pesquisa espera contribuir para a incipiente historiografia da educação digital em Sergipe.

    Palavras-Chave: ONGs.

  • MÔNICA SILVEIRA SANTANA
  • Educação em tempo integral: uma análise da gestão da ampliação da jornada escolar sob foco na participação dos alunos e pais/responsáveis nos processos de tomada de decisão
  • Orientador : HEIKE SCHMITZ
  • Data: 26/04/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa tem como objeto a gestão democrática com foco na participação de país/responsáveis e alunos no processo de tomada de decisão na escola que participa do Programa Mais Educação. Desde 2008, no ano da instituição do PME, cresceu significativamente o número de escolas brasileiras que aderiram ao programa. O mesmo, se tornou a principal política indutora da educação em tempo integral em âmbito nacional. Assim também aumentou o número de pesquisas e publicações sobre o seu funcionamento e seus possíveis impactos, mas, ainda é incipiente o número de estudos que buscaram discutir a gestão democrática participativa em escolas participantes do PME. Por isso, torna-se pertinente a pergunta se e como ocorre a participação de alunos e pais/responsáveis nos processos de tomada de decisão em prol da implementação da educação integral em tempo integral nas escolas que aderiram ao PME. Em face das pesquisas até então realizadas que, entre outros, também diagnosticaram limites na execução do programa, espera-se, por meio desta pesquisa, contribuir para a melhoria da implementação e consolidação da educação integral em tempo integral. A pesquisa de natureza predominantemente quantitativa objetiva, por meio de um estudo de caso múltiplo em quatro escolas da rede municipal de Lagarto, Sergipe, analisar a participação de alunos e pais/responsáveis na gestão escolar, em geral, e na operacionalização da ampliação da jornada escolar, em específico, da escola participante do PME. Para tal objetivou-se especificamente: 1) analisar a percepção da educação integral em tempo integral da comunidade escolar; 2) sistematizar as formas da participação de alunos e pais/responsáveis em processos decisórios e 3) analisar os motivos da participação e/ou não-participação. Foi realizado uma análise documental e um levantamento das percepções dos atores. Para isso, foram aplicados questionários do tipo fechado com 193 participantes da pesquisa, em total. Para a análise dos dados se recorreu a categorização de sete condicionantes, construídos por Paro (2005) e aos tipos de participação descritos por Lima (2003). Constatou-se que a participação comumente nas escolas aparecia como proposta a ser seguida e não como preceito, tendo em vista que não havia um planejamento estratégico norteador das ações para este fim. Não se evidenciou uma falta de participação dos pais/responsáveis e dos alunos nas ações da escola em geral e do PME em específico, contudo, em sua maioria, a mesma ocorre de forma pontual e não sistematizada.

  • PATRÍCIA VERÔNICA NUNES CARVALHO SOBRAL DE SOUZA
  • ESCOLA DE CONTAS E O CONTROLE SOCIAL NA FORMAÇÃO PROFISSIONAL.
  • Orientador : VELEIDA ANAHI DA SILVA
  • Data: 10/04/2017
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente tese constitui uma construção de conhecimento e aprofundamento sobre o tema “Escolas de Contas e o Controle Social na formação profissional”. O foco incide sobre a Escola de Contas José Amado Nascimento – ECOJAN, do Tribunal de Contas do Estado de Sergipe. A finalidade precípua é investigar como os conhecimentos transmitidos aos servidores, jurisdicionados e cidadãos, via escolas de contas, no país, promovem a difusão do processo democrático do controle social. Parte-se da premissa de que a informação e o conhecimento são instrumentos de mudanças quanto ao olhar que se lança sobre o controle social no uso dos recursos públicos. Os sistemas de fiscalização e auditoria dos Tribunais de Contas, em ação integrada com suas Escolas de Contas, desenvolvem projetos de profissionalização de seus servidores e jurisdicionados mediante cursos de capacitação, aperfeiçoamento e especializações acerca das reais necessidades para a execução proficiente de suas atividades técnico-funcionais, assumindo uma atitude didático-pedagógica e propedêutica através de projetos desenvolvidos dentro ou fora das respectivas Escolas de Contas. Para a concretização do estudo de campo foram encaminhados questionários aos coordenadores/diretores das Escolas/Institutos de Contas de todas as unidades federativas do Brasil, em nível Estadual e Municipal e, especificamente, aos servidores da Escola de contas de Sergipe - ECOJAN. Além dos questionários, foram utilizadas (02) duas entrevistas: uma com a Escola de Contas mais antiga (Escola de Contas do Estado de Minas Gerais) e outra com a mais recente (Escola de Contas dos Municípios do Estado da Bahia). Foram realizadas ainda mais 20 (vinte) entrevistas direcionadas aos alunos e professores contemplados com o Projeto TCE Cidadão para fins de análises e sistematizações sobre a atuação dessa entidade, no contexto sergipano, com o auxílio de relatórios técnicos voltados à mensuração da promoção do controle social. Metodologicamente, esta pesquisa encontra-se estruturada como estudo de caso numa abordagem quantitativa e qualitativa, estabelecendo diálogo entre os resultados para se chegar a uma compreensão dos aspectos históricos/constitucionais dos Tribunais de Contas e evolutivos/estatísticos quanto às atividades das Escolas de Contas do Brasil, com especificidade para a Escola de Contas do Estado de Sergipe – ECOJAN e sua atuação na promoção de práticas educativas que se voltam ao controle social dos servidores públicos e à sociedade civil.

  • ADENILDE DE SOUZA DANTAS
  • Lentes de gênero sobre o sindicato dos trabalhadores em educação básica da rede oficial do estado de Sergipe (SINTESE)
  • Data: 15/03/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa objetiva analisar e dar visibilidade as relações de gênero e a construção das identidades destacando avanços na democratização das relações sociais dos(as) sindicalizados(as) do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica da Rede Oficial do Estado de Sergipe (SINTESE). Considerando a natureza do objeto, adotou-se a abordagem qualitativa de inspiração histórico-dialética, enfatizando-se as dimensões macro-micro, coletivo-individual, objetivo-subjetivo, conflitos e contradições. A opção metodológica recaiu pelo estudo de caso por meio da consulta a diferentes fontes de informação: revisão da literatura pertinente; documentos do banco de teses da Capes e de Teses dos Congressos do SINTESE de 2006, 2012 e 2015; questionários para caracterizar o perfil dos(as) dirigentes do Sindicato; entrevistas semiestruturadas realizadas com 06 dirigentes da Direção Executiva do SINTESE das sub-sedes regionais da entidade e com Membros do Conselho Representantes do SINTESE/CERES; e observação direta de atividades desenvolvidas na instituição para captar as relações de poder entre os(as) militantes, observando-se não somente, o binarismo homem/mulher, como também as relações sociais entre as próprias mulheres, mulheres e homens. Os resultados da pesquisa informam a predominância de homens nos sindicatos docentes nos cargos diretivos de poder/decisão, particularmente nas regiões Norte, Sudeste e Centro-oeste. Na região Sul, as mulheres são maioria comparativamente aos homens. No Nordeste, o número de homens e mulheres nas direções das entidades mostra-se equilibrado. Em Sergipe, o SINTESE apresenta majoritária participação de mulheres nos cargos diretivos de grande relevância. Contudo, isso este fato não significou a incorporação da discussão de gênero por parte do sindicato. Isto por eu, a cultura da pauta única na organização é predominantemente voltada para as questões de classe, não privilegiando o enfoque de gênero, evidenciando-se ainda aspectos da dominação masculina presentes no espaço sindical.

  • NAYARA ALVES DE OLIVEIRA
  • A inserção de acadêmicos e licenciados do Curso de Pedagogia da Universidade Federal de Sergipe no campo educacional sergipano (1950-1978)
  • Orientador : ANAMARIA GONCALVES BUENO DE FREITAS
  • Data: 15/03/2017
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta tese tem como premissa básica compreender a trajetória histórica do Curso de Pedagogia da Universidade Federal de Sergipe (UFS), esclarecendo questões relativas ao processo de criação, instalação e funcionamento dessa graduação, no campo do ensino superior. O objetivo central da pesquisa é verificar a articulação entre a implantação do curso e suas contribuições na formação do magistério e no desenvolvimento educacional do Estado, no período de 1950 a 1978. Para tal, foi realizada uma pesquisa histórica por meio das análises bibliográfica e documental, ambas ancoradas nos pressupostos teórico-metodológicos da Nova História, mais precisamente da nova corrente historiográfica denominada História Cultural. Além disso, o estudo foi direcionado pelas concepções de campo, capital e habitus, de Pierre Bourdieu, e memória de Le Goff. De acordo com a pesquisa, podemos constatar que o curso de Pedagogia da UFS foi criado em 1950, integrado à Faculdade Católica de Filosofia de Sergipe (FAFI) e reconhecido pelo Governo Federal em 1954, mesmo sem ter funcionado durante esse período. O funcionamento só foi concretizado em 1968, no mesmo ano em que a FAFI foi incorporada à UFS juntamente com os seus bens móveis, cursos, alunos, professores e funcionários técnico-administrativos. Diante desse acontecimento, a primeira turma do Curso de Pedagogia em Sergipe (1968 a 1971), a qual iniciou a graduação na FAFI, foi incorporada à nova universidade, concluindo a graduação na recente UFS. Até 1978, a configuração do curso foi realizada mediante determinações do Conselho Federal de Educação, implicando o exercício da docência e das especializações. Nesse processo, acadêmicos e licenciados, com habilitações em Magistério, Orientação, Supervisão e Administração Escolar, atuaram em diversos órgãos do campo educacional sergipano, contribuindo com a modernização e expansão do ensino. Assim, partimos da tese de que, apesar de o curso ter sido instalado mediante uma imposição do Governo Civil Militar, e dominar interpretações que o reduzem aos interesses de controle social desse Governo, não podemos omitir as contribuições de seus acadêmicos e licenciados na implantação de políticas educacionais que visavam à melhoria e ampliação do ensino.

  • SANDRA SANTOS DE JESUS
  • CURRÍCULO E IDENTIDADE: UM ESTUDO DE CASO NA ESCOLA AGRÍCOLA MINISTRA LEONOR BARRETO FRANCO EM CRISTINÁPOLIS/SE.
  • Orientador : MARIZETE LUCINI
  • Data: 14/03/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Essa pesquisa objetivou analisar os processos de identificação possibilitados pelo currículo efetivado aos estudantes da Escola Agrícola Ministra Leonor Barreto Franco no município de Cristinápolis –SE. O contexto da pesquisa situa-se no âmbito do Ensino Agrícola, em específico do curso Técnico Agrícola como uma área que pode ou não contribuir para o desenvolvimento de processos de identificação dos sujeitos do campo como lugar de vida. Essa pesquisa foi desenvolvida numa abordagem qualitativa, do tipo estudo de caso. Como instrumentos de pesquisa foram utilizados questionários, entrevistas e análise de documentos escolares. Observou-se que a escola desenvolve um currículo pautado na formação técnica, proporcionando aos estudantes conhecimentos que lhes possibilitam operar na perspectiva de uma agricultura sustentável. Contudo, o caráter eminentemente técnico da proposta curricular dificulta a formação de sujeitos comprometidos com práticas sociais e políticas relacionadas à compreensão do campo como espaço de produção da vida. A identificação possibilitada não contempla a diversidade de elementos que compõem o campo brasileiro. A identificação numa perspectiva de formação de uma identidade camponesa nos estudantes foi pouco evidenciada. Portanto, compreende-se que o currículo em análise reafirma a presença de diferentes perspectivas entre o que é compreendido como Educação do Campo e Ensino Agrícola demarcando assim, questões fundamentais para a discussão sobre o percurso histórico formativo da educação no meio rural.

  • JOSÉ VALTER CASTRO
  • A MEMÓRIA NARRADA POR JOVENS DO ENSINO MÉDIO NA SIGNFICAÇÃO DO PATRIMÔNIO CULTURAL
  • Orientador : MARIZETE LUCINI
  • Data: 14/03/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa objetivou analisar as memórias narradas por jovens do Ensino Médio na significação do patrimônio cultural. Para tanto, foi necessário identificar as narrativas produzidas pelos discentes sobre um patrimônio selecionado em sua comunidade; evidenciar as memórias coletivas presentes nas produções narrativas elaboradas e, assim, compreender como os jovens mobilizaram as memórias coletivas e os saberes escolares na produção narrativa sobre o patrimônio cultural. Estas narrativas em formato de um álbum foram produzidas pelos jovens que participaram do Projeto Educação Patrimonial e Artística, constituindo-se como elemento de mediação à análise das memórias significadas no patrimônio cultural eleito como memorável nas narrativas produzidas. Este estudo orientou-se pela abordagem de pesquisa qualitativa em educação, do tipo estudo de caso. Foram analisados três álbuns produzidos no projeto EPA, em 2015, por jovens do Ensino Médio do Colégio Estadual Castro Alves, no município de Adustina-BA. Ao analisarmos as narrativas produzidas pelos jovens ficou evidenciado que os elementos da memória coletiva estão presentes e revelam a memória social constituinte dos diferentes grupos sociais como estruturante do patrimônio histórico. Os resultados foram organizados por eixos, levando em consideração esses elementos se tornam quase que irredutíveis na solidificação da memória A narrativa sobre o patrimônio da fazenda Boqueirão retrata memórias sobre os fazeres do trabalho, o sofrimento e a sobrevivência do sertanejo. A narrativa sobre os Artesanatos Regionais nos remete às memórias presentes nos objetos cotidianos e aguçam um olhar estético e às artes do fazer (ofícios). E uma terceira narrativa é marcada pelos elementos presentes numa memória religiosa, tão presente e intensa na relação do sertanejo com o sagrado. Os resultados evidenciam que os significados atribuídos ao Patrimônio estão relacionados à memória produzida coletivamente no percurso do tempo. Percurso que se efetiva no campo da cultura e persiste como identificação no que é memorável e no que os constitui como pertencentes a uma coletividade.

  • LAURO PIRES XAVIER NETO
  • Análise do financiamento da educação no município de Aracaju/SE (2013)
  • Orientador : SOLANGE LACKS
  • Data: 09/03/2017
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A elaboração deste trabalho deu-se num momento de efervescência política e

    de crise estrutural e intensa do sistema capitalismo de produção. A partir da

    desarticulação deliberada da organização sindical e dos movimentos sociais, do avanço

    das políticas neoliberais, do recuo da ideia dos partidos hegemônicos em estabelecer o

    socialismo e do possível momento histórico do ascenso das massas, a tese central é de

    que só o processo de transformação social radical poderá transformar a realidade

    educacional brasileira, incluindo nessa lida o papel primordial do processo educacional

    revolucionário que, dentro da estrutura escolar formal, só fará sentido se voltado para

    insuflar as massas, denunciar e apontar as mazelas do sistema e for capaz de indignar os

    sujeitos envolvidos no processo educacional (docentes, discentes, servidores e a

    comunidade), com o intuito de fazer com que os mesmos reflitam sobre a possibilidade

    de se engajarem num processo radical, universal e internacional de transformação

    social. O problema de pesquisa está vinculado ao questionamento de com os processos

    de formação educacional e de denúncia das mazelas do sistema, como por exemplo, a

    corrupção e as políticas educacionais voltadas para os interesses do capital, podem

    contribuir com o processo transformação social. Analisamos a política educacional do

    Governo Federal, seus projetos e programas, buscando encontrar elos com as demandas

    norteadas pelo capital. Os objetivos do trabalho foram: verificar a realidade social e

    educacional brasileira; analisar os projetos sociais e educacionais de formação e

    financiamento; compreender a realidade educacional, a partir das políticas de formação

    de professores e financiamento de Aracaju/SE e verificar como um projeto neoliberal, a

    partir do município de Aracaju/SE, atua no sentido de fortalecer os ditames das políticas

    neoliberais. Com relação ao método científico do trabalho, optamos pelo materialismo

    histórico-dialético a partir da categoria (pares dialéticos) Possibilidade-Realidade. A

    metodologia adotada foi a análise, partir dos dados coletados no portal da transparência

    e do TCE/SE, de todos os contratos, convênios, empenhos e pagamentos realizados no

    município pesquisado, em 2013, e suas relações com recursos oriundos do MDE,

    Salário Educação e FUNDEB. Analisamos também os discursos oficiais de gestores e

    secretários de educação, com dados coletados a partir dos portais oficiais de

    comunicação. Concluimos que no município de Aracaju/SE, parte considerável das

    verbas da educação foi destinada para a iniciativa privada ou para projetos vinculados a

    empresas, enfraquecendo a res publica, e fortalecendo projetos políticos neoliberais,

    apontando assim que a estrutura política e econômica no Brasil não privilegia um

    processo educacional voltado para a transformação social e que é preciso realizar uma

    ruptura radical com essa forma de organização que se vincula em torno dos ditames e

    interesses comerciais e políticos do capital.

  • MAGALY NUNES DE GOIS
  • PARTICIPAÇÃO E CONTROLE SOCIAL DOS MOVIMENTOS SOCIAIS E SINDICAIS NA EDUCAÇÃO DO CAMPO: UM ESTUDO NO ESTADO DE SERGIPE
  • Orientador : SONIA MEIRE SANTOS AZEVEDO DE JESUS
  • Data: 09/03/2017
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente tese tem por tema de estudo a participação e o controle social da Educação do Campo e, por objetivo principal analisar as contradições presentes na construção e efetivação de políticas públicas que se afirmam como contra hegemônicas na educação do campo, tendo como referência a inserção e participação dos movimentos sociais e sindicais nos comitês e fóruns estaduais de Educação do Campo. Para traçarmos os caminhos da pesquisa iniciamos por perguntar: 1) quais limites e possibilidades estão presentes no envolvimento dos movimentos sociais e sindicais e dos comitês e fóruns estaduais na luta pela construção e efetivação de políticas públicas contra hegemônicas, a exemplo da Educação do Campo? 2) os comitês e fóruns da Educação do Campo conseguem enfrentar e superar as fragilidades que permeiam o acesso à educação pelos povos do campo? 3) quais são as repercussões da participação dos movimentos sociais, sindicais e das instâncias de controle social na Educação do Campo? O estudo é orientado pelo materialismo histórico dialético por ter como fonte o conhecimento da realidade concreta, neste caso, a participação dos movimentos sociais e sindicais na implementação da Educação do Campo, e a intencionalidade de desvelar as possibilidades, os desafios e as perspectivas presentes na implementação da Educação do Campo e no exercício da participação e do controle social sobre a mesma. Tem por fontes de investigação: pesquisa documental (legislação sobre a Educação e Educação do Campo e os documentos de criação e funcionamento do Comitê Estadual de Educação do Campo de Sergipe (EDUCAMPO/SE); observação participante nas atividades do EDUCAMPO/Se e entrevista com professores/as de universidades federais, representantes nacionais de movimentos sociais e sindicais envolvidos/as na luta pela construção e efetivação de uma Educação no e do Campo, membros do EDUCAMPO/Se e dos quatros colegiados territoriais sergipanos do Programa Territórios da Cidadania. A pesquisa desenvolvida possibilitou analisarmos as reais contradições que impedem o avanço da política pública de educação a partir da intervenção do estado e da constituição também limitada do próprio comitê.

  • MIRIAM FERREIRA DE MATOS
  • REPRESENTAÇÕES DA CULTURA ESCOLAR DO ROMANCE "DOIDINHO" (1933) DE JOSÉ LINS DO REGO
  • Orientador : MARIA NEIDE SOBRAL
  • Data: 03/03/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo

  • Este estudo tem como objetivo geral compreender as representações sobre a cultura escolar no romance “Doidinho” (1933), do paraibano José Lins do Rego, na trajetória da personagem Carlos de Melo (Carlinhos). Esse romance, de natureza autobiográfica é uma continuidade do “Menino de Engenho (1932). Nesse sentido, levantei as diferentes práticas registradas pelo autor/narrador, compreendendo o espaço escolar, práticas escolares, castigos físicos e psicológicos, valores e rituais. Portanto, as leituras realizadas e a contribuição de autores consultados no âmbito da cultura escolar (FORQUIN, 1993; JULIA, 2001; FRAGO, 1995), permitiram encontrar algumas representações, entendidas no sentido de Chartier (1999) sobre o processo educacional e as experiências educacionais que foram aos poucos se estruturando no Brasil, entre o século XIX e início do século XX. A escolha do recorte/período para o estudo correspondeu à década de 1930, ancorada na primeira edição do romance “Doidinho” editado pela Editora Ariel, Rio de Janeiro. Nas tramas narradas pelo escritor, ele constrói a personagem Carlinhos que vivencia, enxerga, conflita e questiona constantemente o mundo escolar e suas práticas educativas. Essa investigação enquadra-se no campo da História da Educação, inspirada na Nova História Cultural, em autores tais como Le Goff (1990), Burke (2001) e na compreensão de romance histórico em Lukács (2011), sem perder de vista o entrelaçamento entre literatura e romance autobiográfico. O levantamento de dados foi realizado na obra de José Lins do Rego, em diálogo com a literatura levantada, permitindo assim a descrição e a análise dos elementos representativos da cultura escolar no referido romance. Nos achados foi possível entender as representações do espaço escolar como “prisão”, “cárcere”, “gaiola”; do professor como “carrasco”, “sádico”, “flagelador de meninos”; das práticas e conteúdos escolares e sobretudo, da perda da identidade, compreendida pela “mutilação do eu”. Essas representações presentes no romance são similares a outros elementos da cultura escolar no período, como em internatos e seminários.




  • DIEGO LEONARDO SANTANA SILVA
  • SOBRE O NEGACIONISMO NO CIBERESPAÇO: A “ENCICLOPÉDIA ALTERNATIVA" METAPEDIA E SUA PROPOSTA DE EDUCAÇÃO HISTÓRICA
  • Orientador : DILTON CANDIDO SANTOS MAYNARD
  • Data: 24/02/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Este trabalho analisa o portal Metapedia (www.metapedia.org), uma iniciativa de grupos de extrema-direita da América do Sul, e sua proposta de ser uma Enciclopédia Alternativa. Metapedia é uma enciclopédia eletrônica que adota o sistema Wiki e tem como objetivo ser um suporte eletrônico. Ao apresentar conceitos e biografias, a Metapedia utiliza como base o revisionismo negacionista, oferecendo versões diferentes para os acontecimentos e conceitos históricos, sobretudos aqueles ligados à Segunda Guerra Mundial. Na pesquisa selecionamos como fontes verbetes presentes neste portal. Eles foram analisados com o intuito de expor que tipo de “história” é contada na Metapedia. A dissertação se organizou em seções que abrangeram a estrutura e proposta da Metapedia para demonstrar como ela funciona, além de .realizar a análise de verbetes fundamentais ao Portal. Com isso oferecemos uma visão abrangente sobre essa proposta de Enciclopédia no meio digital. Consideramos que a Metapedia está inserida no contexto das atividades de reescrita da história na rede mundial de computadores, posicionando-se como um suporte pedagógico da intolerância no meio digital. A pesquisa constatou que, embora cumpra seu objetivo de ser um suporte pedagógico conforme os seus idealizadores, em parte, a Metapedia não demonstra sucesso em sua proposta de incentivar o debate sobre os temas que pretende, desde a sua fundação, revisar.

  • MONICA PORTO APENBURG TRINDADE
  • O ESTADO NOVO NAS COLEÇÕES DO PNLD 2015: UM ESTUDO SOBRE LIVROS DIDÁTICOS DE HISTÓRIA
  • Orientador : DILTON CANDIDO SANTOS MAYNARD
  • Data: 24/02/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O trabalho analisou as abordagens conferidas ao Estado Novo nos livros didáticos brasileiros de História do Ensino Médio, a partir das coleções mais distribuídas do Programa Nacional dos Livros Didáticos (PNLD) 2015, período em que correram inovações significativas quanto às perspectivas voltadas para os estudos sobre esse tema. Foram analisadas as coleções, História, Sociedade & Cidadania (Editora FTD, 2013), de Alfredo Boulos Júnior; História Global Brasil e Geral (Editora Saraiva 2ª edição, 2013), de Gilberto Cotrim; História: das Cavernas ao Terceiro Milênio (Editora Moderna 3ª edição-2013), de Patrícia Ramos Braick e Myriam Becho Mota, devido a ampla aquisição destes títulos pelas escolas públicas brasileiras. Desse modo, verificamos como a historiografia escolar brasileira examinou o Estado Novo na segunda metade do século XX e nas primeiras décadas do século XXI.

  • NAIANE LIBÓRIO FONTES
  • PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL: O BRINCAR NA NARRATIVA DE EDUCADORAS DE CRIANÇAS DE ZERO A TRÊS ANOS
  • Orientador : TACYANA KARLA GOMES RAMOS
  • Data: 24/02/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O presente estudo tem como objetivo central compreender as concepções e a organização de práticas pedagógicas sobre o brincar a partir de narrativas produzidas por educadoras de crianças de zero a três anos.Especificamente, pretende analisar as concepções sobre o brincar de educadoras nas práticas cotidianas da creche e caracterizar as práticas do brincar presentes nas ações das educadoras. O trabalho possui metodologia de natureza qualitativa e inspirada em pressupostos da pesquisa-ação. Os sujeitos da pesquisa foram sete educadoras de três turmas de crianças com idades entre zero a três anos, integrantes de uma Unidade Municipal de Educação Infantil localizada em Lagarto/SE. Os dados foram produzidos a partir de observação participante e cinco reuniões de estudos sobre o brincar na educação infantil. As narrativas das educadoras sobre o brincar foram produzidas nos espaços de diálogos e reflexões sobre a prática pedagógica e categorizadas por meio da análise de conteúdo. Os resultados indicam que o brincar está presente na rotina das turmas pesquisadas, ou seja, existe um tempo dedicado a ele, mas faltam investimentos das educadoras quanto às formas em que ele acontece e dos materiais disponíveis para isso. As narrativas das educadoras evidenciam uma concepção da brincadeira predominantemente como espaço destinado à aprendizagem de conteúdos específicos, desconsiderando aspectos do brincar relacionados à infância e as motivações da criança.


  • ALINE GRAZIELLE SANTOS SOARES PEREIRA
  • DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL E PEDAGÓGICO NO PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO NA ESCOLA MUNICIPAL ELIAS MONTALVÃO
  • Orientador : PAULO SERGIO MARCHELLI
  • Data: 23/02/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A ampliação da jornada escolar implica mudanças na organização pedagógica e administrativa das instituições de ensino, mediante um processo que envolve o funcionamento das práticas cotidianas existentes. O presente trabalho propõe-se a encontrar respostas para a seguinte questão: O que precisa ser reconsiderado na organização do trabalho pedagógico após a implantação do Programa Mais Educação (PME)? O estudo foi motivado, principalmente, pelo interesse em investigar como a escola em tempo integral foi concebida em termos das políticas governamentais que instituíram no Brasil o PME. Pretende-se verificar em que medida os pressupostos políticos do PME, as hipóteses pedagógicas do campo teórico e as práticas escolares apresentam coerências e contradições em suas relações. Dessa forma, a pesquisa tem como objetivo geral analisar o desenvolvimento organizacional e pedagógico do Programa Mais Educação na Escola Pública Municipal Elias Montalvão. Especificamente, objetiva-se: (1) identificar as dimensões políticas e pedagógicas escolares expressas no Plano de Ações Articuladas (PAR), Plano de Desenvolvimento da Escola (PDE-Escola) e o Projeto Político Pedagógico (PPP); (2) analisar os fundamentos do desenvolvimento organizacional e pedagógico presentes no PPP e sua relação com o PME; (3) explicitar os avanços e desafios do PME, a partir dos olhares da coordenadora do PME e do conselho escolar da escola investigada. Para compor a base teórico-metodológica do trabalho fundiu-se a dimensão da análise bibliográfica com a escolha de processos da pesquisa documental, análise de conteúdo e técnicas oriundas da investigação qualitativa. O método de organização e análise foi o estudo de caso. As informações empíricas são evidenciadas pelos olhares da coordenadora do PME e do conselho escolar através da entrevista individual e da entrevista coletiva, com base em quatro indicadores: o diálogo, os pressupostos pedagógicos, os materiais didáticos e os efeitos do programa nas escolas. A pesquisa apresenta como resultado a leitura e a interpretação das dimensões organizacionais e pedagógicas de uma escola em tempo integral da Rede Municipal de Ensino de Aracaju.

  • IZABEL SILVA SOUZA D AMBROSIO
  • HISTÓRIA EM QUADRINHOS DIGITAL COMO ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO DA ESCRITA EM INGLÊS
  • Orientador : HENRIQUE NOU SCHNEIDER
  • Data: 23/02/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa tem por objetivo compreender a efetividade da estratégia de ensino
    através da formulação de História em Quadrinhos (HQ) com enfoque no processo da
    produção escrita através da mídia digital HagáQuê na disciplina de inglês. Com o
    intuito de dirimir dificuldades no processo de produção textual na Língua Inglesa (LI) a
    investigação está focada na utilização das Tecnologias Digitais de Informação e
    Comunicação (TDIC) como veículo facilitador do processo de ensino e aprendizagem.
    Na contemporaneidade as TDIC ganharam campo principalmente no ensino de Língua
    Estrangeira (LE) e os discentes nativos digitais utilizam as tecnologias digitais em suas
    atividades diárias, sendo essa também de uso profícuo para as práticas pedagógicas.
    Portanto, alinhar as Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação ao ensino de
    Língua Inglesa configura uma práxis que promove uma aprendizagem dinâmica e
    flexível. Dentro dessa configuração de estudo, a investigação do processo de escrita dos
    discentes dentro do alinhamento TDIC e LI com o desenvolvimento da HQ por meio do
    software HagáQuê foi o campo de estudo dessa investigação, cujo experimento foi
    aplicado no Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Sergipe - CODAP/ UFS
    com os discentes do 9º ano. Os discentes participantes da pesquisa vivenciaram a
    dinâmica da produção textual com enfoque no processo de produção da escrita em
    inglês, potencializando a mídia digital. A partir das experiências advindas da vivência
    dos discentes dentro deste contexto, ocorreu a investigação. Para tal, a dissertação
    iniciou com a discussão sobre a habilidade da escrita suportada pelas TDIC no ensino
    de inglês e o processo de produção da escrita; em seguida foram exploradas questões
    sobre o trabalho sociointeracionista que contribui para o processo de aprendizagem e a
    HQ como gênero textual diante da práxis de ensino. Quanto à metodologia de estudo,
    foi utilizada a Pesquisa Participante e foram aplicadas como técnica de pesquisa a
    entrevista e questionário, para verificar se haverá uma ressignificação frente ao processo
    de produção da escrita com a experiência através da estratégia de HQ em mídia digital.
    Quanto aos resultados, a análise de dados será embasada na análise de conteúdos de
    Bardin.

  • AMANDA FERNANDES DA SILVA
  • DIÁLOGOS FORMATIVOS PARA PRÁTICAS PEDAGÓGICAS INCLUSIVAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL
  • Orientador : ROSANA CARLA DO NASCIMENTO GIVIGI
  • Data: 23/02/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • No Brasil há uma mobilização cada vez maior almejando a ampliação e garantia do direito à Educação. Muitos movimentos sociais e vários segmentos da sociedade lutam em defesa da Educação Inclusiva. Diante do novo paradigma da educação universal, vê-se um amplo espectro de desafio para conceber a educação na perspectiva inclusiva. Nesse sentido, a formação continuada dos professores em contexto destaca-se como possibilidade para a transformação do cenário educacional. O presente estudo apresentou como objetivo central analisar as mudanças nas práticas inclusivas da educação infantil a partir dos espaços de diálogo formação de professores em uma escola do município de Nossa Senhora do Socorro/SE. O referido trabalho foi de natureza qualitativa e adotou como pressuposto teórico-metodológico a pesquisa-ação colaborativo-crítica. A pesquisa organizou-se em três momentos não lineares, configurando as espirais de ação-reflexão, a saber: conhecer as práticas educativas da educação infantil; oportunizar espaços de diálogo-formação dos sujeitos envolvidos na inclusão e avaliar as mudanças nas práticas educativas. Os dados produzidos foram categorizados e elencados por regularidades temáticas de análise. Como resultados da pesquisa observou-se que a escola apresenta insatisfatória infraestrutura para educação infantil e organização escolar que dificulta a realização de momentos coletivos de aprendizado e de formação profissional, notou-se também incipiência no trabalho de inclusão escolar. Diante deste contexto, priorizou-se a mediação pedagógica da criança, estudo de caso e oficina de CAA e TA, como espaços de diálogo formação. A partir de situações reais do contexto refletidas teoricamente pode-se visualizar novas possibilidades nas práticas pedagógicas e organização da rotina escolar da educação infantil, de forma a favorecer a participação da aluna com deficiência nas ações planejadas e desenvolvidas pela escola. O trabalho colaborativo no cotidiano da educação infantil mostrou-se potente no processo de formação profissional docente e no processo de efetivação da inclusão escolar e desenvolvimento infantil.

  • CRISTINA NUNES DOS SANTOS
  • RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS E AS POSSIBILIDADES DE PRODUZIR E COMPARTILHAR PELO PIBID/PEDAGOGIA NO CAMPUS PROFESSOR ALBERTO CARVALHO/UFS
  • Orientador : SIMONE DE LUCENA FERREIRA
  • Data: 23/02/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O presente estudo tem como objetivo analisar os Recursos Educacionais Abertos (REA) na formação inicial de professores no Pibid-Pedagogia/UFS – Eixo Formação de professores nos anos de 2014 e 2015. O recorte temporal corresponde ao ano que iniciou as atividades do programa Pibid, no curso de Pedagogia, pelo Campus da UFS, Prof. Alberto Carvalho. Para tanto, a pesquisa se apoiou na história do programa Pibid, dos Recursos Educacionais Abertos, e a trajetória da formação docente no Brasil, trazida, principalmente por pesquisadoras como Gatti (2009), Pimenta (1997), Nóvoa (2002), os quais, já vem discutindo sobre esse tema nos últimos anos. Para se atingir a finalidade dessa pesquisa, debruçamos sobre a construção dos REA pelas bolsistas e supervisoras do Pibid/Pedagogia da Universidade Federal de Sergipe – UFS/Campus Alberto Carvalho, Itabaiana. O percurso teórico-metodológico escolhido foi o estudo de caso, e abordagem qualitativa e explicativa. Para a coleta dos dados, foram realizadas uma observação dos blogs do público alvo da pesquisa, e uma entrevista semiestrutura. Para a interpretação dos dados, foram seguidos os conceitos da análise do conteúdo, na perspectiva de Bardin (2011). Como resultado percebemos que, no tocante ao programa Pibid, muito já vem sendo feito e se adequado, para melhor atingir os objetivos, tanto na formação inicial quanto na continuada, e que é notório alguns avanços, porém, ainda há muito por fazer e melhorar; no que diz respeito aos REA, considera-se que esse “fenômeno” ainda não foi bem compreendido, pelo público desta pesquisa. Desta forma, a conclusão aponta para a importância de continuarmos discutir mais sobre esse tema, já que pesquisas e autores apontam significativas fragilidades na formação docente, embora, programas como o Pibid e recursos como o REA, venha contribuir.

  • FERNANDO BARBOSA OLIVEIRA CORREIA
  • FOTOGRAFIA COMO DISPOSITIVO NA CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO GEOGRÁFICO: A EXPERIÊNCIA NO QUILOMBO MOCAMBO
  • Orientador : ANNE ALILMA SILVA SOUZA FERRETE
  • Data: 23/02/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta dissertação tem como objetivo geral compreender a fotografia, sua produção e leitura, como dispositivo metodológico de uma pedagogia dialógica no ensino de geografia nas turmas do 9° e do 1° ano do Colégio Estadual Quilombola 27 de Maio, localizado no povoado Mocambo, em Porto da Folha/SE. O presente trabalho de pesquisa procura realizar leitura a partir do olhar fotográfico que os estudantes têm sobre a sua comunidade. O estudo está baseado em uma abordagem descritiva, apoiado no método de pesquisa qualitativa, através da pesquisa-intervenção e da observação participante, configurando-se como estudo de caso. Foram realizadas previamente oficinas fotográficas para orientar e fomentar o debate. No segundo momento, os estudantes foram instigados a fotografarem o espaço que vivenciam na comunidade. Depois, com suas obras em mãos, os autores legendaram suas fotografias e dialogaram coletivamente sobre elas, associando as narrativas visuais, textuais e orais. Por fim, realizamos entrevista com o professor de geografia objetivando compreender como se dá o uso da fotografia em sala de aula, bem como seu papel como recurso didático didático-pedagógico. Os dados coletados através da entrevista, da observação e das narrativas textuais, visuais e orais têm seu método de análise inspirados em Bardin, procurando significação do conteúdo, possibilitando ir além daquilo que não está latente na mensagem. As considerações finais apontam para a necessidade de repensarmos o uso da fotografia em sala de aula, ainda muito restrito à sua função ilustrativa e pouco reflexiva. Além disso, concluímos que a fotografia, através de um diálogo coletivo, pode produzir discursos sobre o conhecimento geográfico, pertinente ao programa curricular de geografia. Nesse sentido, a fotografia quando utilizada de forma potencial, pode ser vista como como uma aliada no processo de ensino e aprendizagem.
  • LUYSE MORAES MOURA BRAGA
  • O PASSADO EM CLIQUES: INTERNET E LIVROS DIDÁTICOS DE HISTÓRIA DO PNLD 2015
  • Orientador : DILTON CANDIDO SANTOS MAYNARD
  • Data: 22/02/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta dissertação se propôs a analisar a presença de sítios eletrônicos em livros didáticos de História aprovados pelo Programa Nacional do Livro Didático (PNLD), no Edital 2015. No decorrer da análise, buscamos observarnão apenas a indicação dos endereços eletrônicos, mas também a sintonia entre os links e os conteúdos abordados nos livros didáticos, os usos possíveis dos sites indicados e o suporte oferecido, sobretudo ao professor, para que o uso da internet seja realizado de modo satisfatório. Na primeira seção, discutimos as mudanças ocorridas no ofício do historiador, impulsionadas pela emergência de redes e mídias digitais – sobretudo a internet. Também analisamos a utilização de fontes digitais em pesquisas na área da História. Além disso, refletimos sobre as possibilidades e os problemas específicos enfrentados pelos historiadores que desejam investigar as tecnologias digitais ou fazer uso delas em seus estudos. Foram abordados, ainda, alguns aspectos da educação na chamada era digital, tais como: a presença massiva da internet e de dispositivos tecnológicos no cotidiano dos jovens; a crescente necessidade de professores e alunos lidarem com ferramentas eletrônicas; e as possibilidades de utilizar as Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC's) como instrumentos de potencial pedagógico. Encerramos a seção 1, discorrendo sobre o Programa Nacional do Livro Didático (PNLD). Apresentamos um histórico do programa, buscando compreender como se deu seu surgimento, quais suas principais características e as mudanças – ou atualizações – que sofreu no decorrer dos anos. Em seguida tratamos de sua estrutura e funcionamento. Por fim, discutimos os avanços tecnológicos empreendidos pelo PNLD. A segunda seção, por sua vez, analisou os sites apresentados nas coleções de história selecionadas. No decorrer da análise, buscamos observar a tipologia dos sites, a presença de imagens e vídeos nas páginas eletrônicas, características relacionadas à acessibilidade e ao manuseio dos endereços indicados; e a articulação dos hiperlinks com o conteúdo dos livros didáticos. A terceira seção tem como objeto os Manuais do Professor de História aprovados no Edital do PNLD 2015. Investigamos se esses materiais foram organizados de modo a orientar o professor quanto ao uso da web em sala de aula, e dos ambientes virtuais indicados nos livros. Discutimos a indicação de materiais que tratem da internet e seus possíveis usos em sala de aula (textos, bibliografias, vídeos, sites etc.). Observamos, ainda, se os manuais explicitaram os objetivos didático-pedagógicos dos sites sugeridos, bem como ofereceram orientações e informações complementares dirigidas ao docente visando a exploração dos endereços eletrônicos.

  • RAQUEL SOUZA SILVA
  • A CONSTITUIÇÃO DO SUJEITO ALUNO NO ESPAÇO ESCOLAR: PROCESSOS DE SUBJETIVAÇÃO E DE INCLUSÃO
  • Orientador : ROSANA CARLA DO NASCIMENTO GIVIGI
  • Data: 22/02/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A escola, como instituição, historicamente tem sido importante espaço da construção dos processos de subjetivação. O presente estudo objetivou analisar os processos de subjetivação dos alunos com deficiência/dificuldades na escola. Para tanto, sustenta-se no referencial teórico Foucaultiano que articula como uma de suas premissas fundamentais que os sujeitos são construídos por históricos processos de subjetivação imbricados em uma complexa rede de micropoderes, que captura, normaliza e divide o homem. O trabalho é de natureza qualitativa e o aporte-teórico metodológico utilizado é a pesquisa-ação colaborativo-crítica. A pesquisa de campo realizou-se em uma escola pública estadual da rede regular de ensino. No total foram 37 visitas a escola, do período de novembro de 2015 a julho de 2016, divididos em momentos de observação, de participação coletiva em sala de aula e de trabalho com os alunos. Como instrumento de coleta de dados utilizou-se o diário de campo, o qual foi analisado com codificação aberta, segundo códigos teórico-analíticos. Como resultados observa-se que a escola produz processos normalizadores tendo a medicalização como dispositivo para controle dos corpos; face à normalização instituída na escola, alunos com deficiência ou dificuldades são enquadrados nos mesmos processos excludentes; o modo como as relações de poder são estabelecidas na sala de aula produz lugares de resistência do aluno com comportamento marginalizado; com relação ao modo de governamento dos professores sobre os alunos, percebe-se a eficácia quando os alunos tomam para si como verdade o que é dito sobre eles e passam a agir como se a visão do professor fosse a sua própria visão; mediante as normas e a aprendizagem os alunos menores eram assujeitados as regras instituídas; os alunos maiores forjavam um posicionamento ao que era esperado. O estudo sugere a necessidade da escola se constituir como um novo espaço educativo capaz de reinventar outras relações, de romper com o poder disciplinar e fomentar outros processos de subjetivação de ser aluno.
  • ANA MARIA GARCIA MOURA
  • O manual do professor do livro didático de história no programa nacional do livro didático (PNLD/2014): a configuração de um modelo
  • Orientador : ITAMAR FREITAS DE OLIVEIRA
  • Data: 22/02/2017
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A pesquisa “Manual do Professor do Livro Didático de História no Programa Nacional do Livro Didático (PNLD/2014): a configuração de um modelo” examina como o manual do professor (MP) dos livros didáticos de história (LDH), analisados e distribuídos pelo PNLD/2014 apresenta a configuração de um modelo construído historicamente com base nas demandas sociais para o ensino de história e nas exigências dos editais do PNLD. Os livros didáticos acompanhados de um manual do professor (MP) surgem, principalmente a partir da década de 1970. Complemento obrigatório dos livros didáticos de hoje, a configuração do manual do professor varia historicamente, como variam as concepções do ensino de história e seus objetivos. Nesse âmbito, investigar as estratégias que são utilizadas pela política pública para atender as demandas sociais e as táticas que produtores de livros didáticos lançam mão para se adequar às exigências dessa política, além das representações que propõe para o ensino, possibilita identificar as relações entre a configuração de um modelo de MP e os anseios da sociedade dirigidos ao ensino de história e ao professor de história. Nessa perspectiva, este estudo procura identificar como se configurou um modelo de manual do professor nos livros didáticos de história e quais as relações que este modelo estabelece com as demandas sociais e as exigências do PNLD. Para tanto, apresenta as seguintes questões norteadoras: quais os objetivos do ensino de história e as demandas dirigidas aos professores ao longo da constituição da disciplina escolar? Como o manual do professor se tornou um critério avaliativo no PNLD e quais elementos passaram a ser exigidos em sua configuração? Quais as relações que o manual do professor dos livros didáticos de história do PNLD/2014 estabelecem com as demandas sociais do ensino e com as exigências do PNLD?. As fontes utilizadas para a realização desta pesquisa foram as investigações realizadas sobre o livro didático e sobre o manual do professor, documentos do Ministério da Educação que refletiram sobre processo de avaliação dos livros didáticos, os editais e guias do Programa Nacional do Livro Didáticos e os livros didáticos de história, voltados para os anos finais do ensino fundamental, avaliados e distribuídos pelo Programa Nacional do Livro Didático (PNLD/2014).

  • ACÁCIA PRISCILLA DE SOUZA LÍRIO
  • Narrativas de uma abertura para o sensível: experiência-formação no SUS
  • Orientador : RENATO IZIDORO DA SILVA
  • Data: 21/02/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta dissertação apresenta como objeto de estudo a minha trajetória de experiência-formação enquanto trabalhadora da Saúde Mental (SM) inserida no contexto institucional do Sistema Único de Saúde (SUS) de dois municípios sergipanos: Aracaju e Itabaiana. A pesquisa, portanto, está situada nas relações entre as áreas Educação-Saúde e Educação-Trabalho, especificamente orientadas pelas interseções institucionais entre a Política Nacional de Educação Permanente em Saúde (PEPS) e a Política Nacional de Humanização (PNH), gestadas em 2004 pelo Ministério da Saúde (MS) mediante compromisso com a indissociabilidade entre formação e trabalho. Nesse sentido, o objetivo desta pesquisa foi analisar de que formas as minhas experiências de trabalho, no contexto do SUS, podem ser compreendidas como processos formativos que possibilitaram uma certa abertura em meu sensível. Para tanto, o lócus (ou recorte) empírico da investigação está circunscrito à minha passagem, entre 2008 e 2013, pelos CAPS ad Primavera (Aracaju-SE) e CAPS I Renato Bispo (Itabaiana-SE). Minha orientação teórico-metodológica foi construída com base na ampliação do conceito de abertura para o sensível (BURITI, 2011; RANCIÈRE, 2009), nas referências críticas da formação em saúde pautada na normalização médica (ABRAHÃO e MERHY, 2014), no método cartográfico proposto por Deleuze e Guattari (1995) e nas ponderações da análise de implicação elaborada por Lourau (1975). Foram selecionadas duas cenas de minha experiência de trabalho no SUS/SE a partir quatro acervos de memória construídos ao longo do período indicado – caixa de afecções, diário cartográfico, relatos de experiência e registros de memória relacionados à abertura para o sensível. Para a análise das cenas utilizei os seguintes conceitos-ferramentas, que me serviram de categorias da experiência: território, estranhamento, (des)aprendizagem, experimentação, invenção, produzir-se. Por fim, as narratividades produzidas nessa dissertação falam de uma formação permeada pelo sensível e fruto dos encontros cotidianos.

  • ANA MARCIA BARBOSA DOS SANTOS SANTANA
  • Civilização, Modernidade e Educação nas páginas do jornal A Razão(1898-1923)
  • Orientador : EVA MARIA SIQUEIRA ALVES
  • Data: 21/02/2017
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa teve como foco investigativo a relação entre o jornal A Razão fundado na cidade de Estância, situada na região sul do Estado de Sergipe em 1898 pelo jornalista e empresário Augusto Gomes(1872-1923) até seu falecimento em 1923. O objetivo principal foi identificar e analisar o lugar ocupado pelo referido hebdomadário na formação cultural e intelectual da sociedades estanciana, visto que atuou de forma preponderante no estímulo à leitura, na divulgação das manifestações artísticas: teatro, cinema e música, não só em Estância, mas em todo o Estado de Sergipe. A base de dados teve como fonte basilar 254 exemplares do jornal, bem como: entrevistas, atas, boletins, ofícios, cartas e fotografias. A partir da base de informações, foi possível elaborar um estudo sociohistórico, sustentado nos conceitos de campo, capital social, capital cultural e habitus desenvolvidos por Pierre Bourdieu além de estabelecer um diálogo com as reflexões de Carlo Ginzburg sobre “pistas, indícios e sinais”. A hipótese que norteou esta pesquisa de doutoramento consistiu na compreensão de que, ao longo do período de sua atuação, tendo como proprietário o jornalista Augusto Gomes, o jornal A Razão constituiu um importante meio de prática educativa não-escolar da cidade de Estância. Compreendo que Augusto Gomes criou em torno do jornal várias “redes” constituídas por diferentes grupos sociais, a saber: político, religioso, educacional, artístico e benemerente, contribuiu sobremaneira através da imprensa para a elevação do seu capital junto a seus pares e promovendo trocas simbólicas que permitiram-lhe atingir a realização dos seus propósitos educativos junto à sociedade estanciana.

  • MONARA SANTOS SILVA
  • AS QUESTÕES DE GÊNERO NA ESCOLA SOB AS LENTES DO CINEMA: UMA ANÁLISE A PARTIR DO FILME “HOJE EU QUERO VOLTAR SOZINHO”
  • Orientador : FABIO ZOBOLI
  • Data: 21/02/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente dissertação objetivou problematizar o corpo e sua relação com o gênero através do cinema como ferramenta de educação, apresentando a análise do filme “Hoje eu quero voltar sozinho” (2014), ficção dirigida pelo cineasta Daniel Ribeiro. O filme narra a história do adolescente cego, Leonardo (Guilherme Lobo), que está passando pelas descobertas e curiosidades típicas da sua idade e que está em busca de sua própria identidade, já que este se descobre apaixonado por um novo aluno de classe. Porém ser cego e homossexual não o define. São somente características de um jovem complexo que tem medos e dúvidas como qualquer outro da sua idade. Como método de pesquisa foi utilizado a análise fílmica, respeitando as fases de decomposição e reconstrução. Os dados foram organizados a partir de dois eixos temáticos, o primeiro diz respeito à homossexualidade, e o segundo intitulado normatividade de gênero, com o intuito de se pensar como as produções cinematográficas contemporâneas estão significando alguns temas que giram em torno da problemática do corpo e suas manifestações identitárias, ético-morais e políticas no sentido de projetar práticas sociais de gênero. Os resultados das análises apontam que a proposta do filme segue apresentando todos os padrões heteronormativos que a sociedade impõe aos homossexuais para serem aceitos. Conclusão esta confirmada pelo fato dos personagens principais serem meninos que não questionam de nenhuma forma as normas. Ambos são masculinizados, tendo as suas identidades sexuais completamente de acordo com o sexo cromossômico. Características estas que só dão forças ao sistema heteronormativo.

  • CASSIA VIRGINIA MOREIRA DE ALCÂNTARA
  • DISCIPLINA E SOCIABILIDADE:FUNDAMENTOS DE UMA PEDAGOGIA MORAL DA INFÂNCIA EM KANT
  • Orientador : EDMILSON MENEZES SANTOS
  • Data: 20/02/2017
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente tese intitulada “Disciplina e Sociabilidade: Fundamentos de uma Pedagogia Moral da Infância em Kant” tem como objeto de estudo a Filosofia Crítica e, em especial, o opúsculo Sobre a Pedagogiacompilado por Friedrich Theodoro Rink, discípulo de Immanuel Kant, a partir das notas tomadas nas lições de pedagogia ministradas pelo filósofo nos cursos de 1776/77, 1783/84 e 1786/87, na Universidade de Königsberg. Nas preleções de Kant encontra-se o panorama mais completo daquilo que o filósofo pensava acerca da pedagogia e, neste texto, estão contidas várias citações sobre a infância. O objetivo da pesquisa foi desenvolver um estudo aprofundado do opúsculo, realizando seu cotejamento com diversas obras do sistema crític o, com a finalidade de identificar os fundamentos que constituem uma Pedagogia Moral da Infância em Kant. Partiu-se da seguinte tese: Há uma pedagogia da infância em Kant e os fundamentos para a moralidade se assentam em dois pilares: disciplina e sociabilidade. Três questões norteadoras foram elaboradas e respondidas durante o percurso: Como disciplina, sociabilidade e autonomia estão relacionadas entre si e no conjunto da filosofia crítica? Como se tornam pilares em torno dos quais se desenvolve a moralidade, desde a infância? Como um projeto de educação cosmopolita pode vir a contribuir para essa formação moral? Os resultados apontam para a confirmação da tese e indicam que a pedagogia kantiana encontra-se respaldada na filosofia crítica caracterizando-se como uma pedagogia transcendental e contemplando o caráter de uma Filosofia da História kantiana.

  • SAYONARA DO ESPIRITO SANTO ALMEIDA
  • Economia Doméstica: uma disciplina escolar no Secundário Ginasial do Atheneu Sergipense (1944-1954)
  • Orientador : EVA MARIA SIQUEIRA ALVES
  • Data: 20/02/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa tem como objetivo geral analisar, por meio da gênese, função e funcionamento, a disciplina escolar Economia Doméstica no ensino secundário ginasial no Colégio Atheneu Sergipense (1944 a 1947). Disciplina inserida nos currículos escolares do ensino secundário a partir do Decreto-Lei nº 4.244 de 9 de abril de 1942, cujo público alvo era apenas mulheres. A proposta desta análise subordina-se à hipótese de que os saberes ministrados, sob a denominação de Economia Doméstica, corresponderam à tentativa de levar os conhecimentos, ora aprendidos apenas no lar, para escola, com uma roupagem estruturada e didática. De modo que as meninas aprendessem, desde cedo, a perpetuar os valores conservadores desejados pela conjuntura social daquele dado momento histórico. As categorias de análise utilizadas para o desenvolvimento da investigação foram: currículo (GOODSON, 1997; 2001) e disciplina escolar (CHERVEL, 1990). De cunho documental e historiográfico, as fontes que fundamentam este escrito correspondem a: Leis, Decretos, Cadernetas de notas, Correspondências, Atas, Livro de Registro e Ponto, Livro Didático, Diário Oficial, Fotografias, Provas e Programa de Ensino, catalogadas no Centro de Educação e Memória do Atheneu Sergipense (CEMAS) e no Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe (IHGSE). Por se tratar de uma disciplina escolar feminina, a abordagem utilizada insere-se também no campo teórico da História das Mulheres, tal como define Priore (2012). Os resultados da investigação permite inferir que Economia Doméstica, inserida no Atheneu Sergipense no ano de 1943, tinha o propósito de ensinar as jovens meninas, de 13 e 14 anos de idade, noções de como serem boas mães, esposas e donas de casa. De caráter mais prático que teórico a disciplina era lecionada uma vez por semana pelas professoras Anita Novaes Mendonça e Esther de Aquino Vasconcelos, escolhidas por meio de seleção com realização de provas escritas. Bem como, buscou atender as finalidades educacionais, em discussão no período varguista.

  • KARINA SALES VIEIRA
  • Estudantes universitários de uma instituição privada e suas relações com o saber: de espectadores a protagonistas .
  • Orientador : ANA MARIA FREITAS TEIXEIRA
  • Data: 20/02/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O estudo tem como objetivo analisar as relações com o saber de estudantes universitários que ingressam numa instituição privada do interior da Bahia mediante o auxílio de programas governamentais, tais como o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e o Programa Universidade para Todos (ProUni) e mesmo aqueles implementados pela própria Instituição como é o caso do ProVIDA. A Instituição campo desta pesquisa é primeira instituição de ensino superior do município de Paripiranga (BA), região incluída no Polígono da Seca e situada a 360km de Salvador e 110km de Aracaju. Para atingir o objetivo proposto os sujeitos da pesquisa foram 170 estudantes universitários de cursos de licenciatura de primeiro e segundo semestres, todos eles bolsistas dos Programas acima indicados e tendo ingressado na Instituição em 2015/2016. Como instrumentos de produção de dados adotamos questionário composto por 20 perguntas fechadas, o Balanços de Saber, e entrevista, a qual será realizada junto a 6 estudantes devidamente matriculados, sendo: dois universitários bolsistas do Fies, dois bolsistas do ProUni e dois do ProVIDA, sendo em todos os casos um do primeiro semestre e um do segundo. Dados preliminares indicam o seguinte perfil geral desses estudantes: jovens, sexo feminino, oriundos de camadas de baixa renda, que ultrapassaram a escolaridade dos pais e chegaram à universidade. A continuidade da pesquisa trará novos elementos para a análise colocando em evidencias a relação com o saber acadêmico que esses estudantes estabelecem.

  • DANILO ARAUJO DE OLIVEIRA
  • NORMAS DE GÊNERO E HETERONORMATIVIDADE NO CURRÍCULO DE UMA ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA EM ARACAJU (SE)
  • Orientador : ALFRANCIO FERREIRA DIAS
  • Data: 17/02/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Nesta dissertação analisou-se o funcionamento e atuação das normas de gênero e da heteronormatividade no currículo de uma escola de educação básica. Adotou-se um posicionamento pós-crítico, considerando as contribuições que essa abordagem tem contribuído para questionar as práticas escolares, problematizando e estimulando novas formas de pensar os espaços formais pedagógicos e os currículos. A abordagem metodológica foi qualitativa, a partir da realização de entrevistas abertas com 16 docentes (12 mulheres e quatro homens) e a análise dos dados inspirada na Análise do Discurso. Os resultados da pesquisa nos informam que os discursos normalizadores funcionam como demandas educativas, conferindo inteligibilidade de gênero aos corpos, marcando e regulando também, aqueles/as que apresentam performance que se distanciam e rompem com as normas de gênero, pautadas no discurso heteronormativo. Observou, também, que noções essencialistas sobre gênero e sexualidade são acionadas, aprendidas e ensinadas, a partir do atravessamento de discursos biológico e religioso nas narrativas, definindo e fixando duas identidades de gênero possíveis e opostas: masculina-homem/feminina-mulher. Os discursos que atravessam as narrativas dos/das docentes atualizam uma norma hegemônica de masculinidade e feminilidade, reforçando a (re)produção da heterossexualização compulsória no currículo investigado, com poucas experiências de subversões.

  • ELCIO REZEK LEOPOLDINO
  • O FENÔMENO BULLYING NO CONTEXTO ESCOLAR: ESTUDO ACERCA DA EXPERIÊNCIA VIVIDA DE ADOLESCENTES EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO DE ARACAJU
  • Orientador : LUIZ ANSELMO MENEZES SANTOS
  • Data: 17/02/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta dissertação teve como propósito descrever as narrativas de adolescentes acerca da percepção sobre o fenômeno bullying no contexto escolar. Trata-se de um estudo que procura aproximação da perspectiva filosófica da fenomenologia com o campo educacional envolvendo os conceitos de Percepção, Intencionalidade e Intersubjetividade. Para tanto, utilizou-se como base de sustentação teórica os fundamentos da perspectiva fenomenológica de Merleau-Ponty, que propõe a discutir o sujeito em sua totalidade. A averiguação foi realizada em uma Instituição de Ensino Público Federal de Sergipe. Participaram deste trabalho onze alunos com idades entre quinze e dezessete anos matriculados no ensino médio e de ambos os sexos. Por se tratar de uma indagação que busque a compreensão na área da Educação foi utilizada a abordagem qualitativa de pesquisa por entender ser a mais adequada nesse tipo de investigação. Sua característica principal é o saber descritivo que enfatiza a interpretação de um contexto e a descoberta de novos elementos que podem emergir como importantes durante o tema proposto. A metodologia utilizada foi por meio de entrevistas com questões semiestruturadas tipo grupo focal, que através desta ampliação do objetivo, buscou-se contextualizar ainda mais os dados coletados e estabelecer uma situação interativa mais próxima da vida cotidiana. A importância dessa investigação se faz para valorizar a percepção de cada investigado sobre o fenômeno bullying e suas implicações sobre o mundo vivido no que diz respeito a sua existência, suas relações consigo mesmo, com o outro e com o meio.

  • DARKSON KLEBER ALVES DA SILVA
  • REFLEXIVIDADE E RECONHECIMENTO DA ALTERIDADE GAY NA SALA DE AULA
  • Orientador : ANTONIO VITAL MENEZES DE SOUZA
  • Data: 16/02/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa analisa o fenômeno do reconhecimento e da reflexividade do professor ante a alteridade gay em sala de aula. Trata-se da análise dos processos de comunicação ocorridos por tipo de contato e modos de interação entre professor gay e alunos gays no contexto escolar. A base teórico-metodológica da pesquisa fundamenta-se na perspectiva construcionista de análise social, com base nas abordagens autobiográficas e na etnografia interpretativa. A metodologia utilizada é de natureza qualitativa e emprega como instrumento de pesquisa, tanto o uso do relato oral de vida pessoal e profissional de professor, quanto à entrevista intensiva semidirigida e o diário de campo. Os resultados da pesquisa indicam a existência da visibilidade, reconhecimento e reflexividade da alteridade gay em contextos pedagógicos escolares por parte de professores gays em decorrência do processo de comunicação simbólica intencional entre os envolvidos, dentro da sala de aula. Foram encontrados três tipos de contato entre alteridades gays em sala de aula: (a) contato periférico evitativo; (b) contato marginal excludente e (c) contato dialógico inclusivo. Esses elementos permitem afirmar que o reconhecimento e reflexividade da alteridade gay em sala de aula explicita-se a partir de dois diferentes tipos de comunicação: (1) Comunicação Simbólica Interreflexa e (2) Comunicação Simbólica Exorreflexa. Por fim, os fenômenos de reconhecimento e reflexividade do professor gay são inseparáveis da emancipação pessoal e coletiva dos atores sociais ainda invisibilizados no sistema escolar no que se refere à diversidade, significação social, silenciamento, opressão e (in) visibilidade da alteridade gay em sala de aula.

  • LAÍSE SOARES LIMA
  • LINGUAGENS DA INFÂNCIA NA PERSPECTIVA DE EDUCADORES DE CRECHE: O QUE REVELAM AS NARRATIVAS
  • Orientador : TACYANA KARLA GOMES RAMOS
  • Data: 14/02/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O presente estudo tem como objetivo central compreender as concepções de linguagens da infância a partir das narrativas que permeiam os discursos e práticas de educadores de duas creches da rede municipal da cidade de Nossa Senhora do Socorro/SE. Fundamenta-se na produção relativa à Sociologia da Infância, na sua concepção de criança como produtora de cultura e na linguagem enquanto espaço das inter-relações sociais. Buscou-se, especificamente, identificar as concepções de linguagens de educadores da creche; analisar como o planejamento e as práticas pedagógicas consideram as linguagens infantis e as especificidades do trabalho pedagógico com a criança. Utilizou-se como aporte metodológico a pesquisa-ação-colaborativa-crítica, inserida em um processo formativo dos profissionais participantes, através de cinco reuniões de estudos denominadas de Rodas de Conversas. As narrativas dos educadores foram eleitas como principal instrumento de produção de dados. A partir da análise de conteúdo foi possível elencar as seguintes categorias alçadas das falas dos profissionais que atuam com a criança de 0 a 3 anos: a) formas de expressão e comunicação das crianças; b) o planejamento da rotina através das linguagens e c) as especificidades de atuação profissional dos educadores de creche. Os resultados evidenciam que as linguagens estão presentes no espaço das creches, entendidas pelos educadores como as capacidades das crianças de se expressarem por meio de diferentes recursos expressivos, comunicando seus desejos e necessidades para o outro social. Há um plano anual considerado orientador das práticas pedagógicas, organizado por temáticas e com atividades para os diferentes agrupamentos etários das duas creches, focadas no desenvolvimento infantil, a partir do que os adultos consideram importante para a aprendizagem das crianças. Os educadores destacam em suas narrativas uma diversidade de atividades que podem ser organizadas para que as múltiplas linguagens da criança se manifestem. A identidade de atuação dos educadores de creche é apontada como constituída não só por conhecimentos específicos, mas também pelas experiências compartilhadas com pares profissionais no interior ou não das instituições.

  • ELAINE MARIA SANTOS
  • ENTRE A TRADIÇÃO E A INOVAÇÃO: PROFESSORES E COMPÊNDIOS DE INGLÊS DO SÉCULO XIX
  • Orientador : LUIZ EDUARDO MENESES DE OLIVEIRA
  • Data: 13/02/2017
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O objetivo deste trabalho é identificar, no cenário educacional do Brasil oitocentista, as lutas por um espaço para o ensino do inglês, investigando as abordagens empregadas nas obras aqui selecionadas, que refletem o dilema de muitos autores ao defenderem, paradoxalmente, um discurso inovador para o ensino do inglês e repleto de práticas tradicionais e mecânicas provenientes do século XVI. Para tanto, foi necessário examinar a legislação para o ensino de línguas ou relacionada aos assuntos referentes ao inglês, visando acompanhar o percurso traçado pela língua inglesa em busca de conquista de espaço; pesquisar periódicos e prefácios de compêndios, para a identificação de histórias de professores de inglês, bem como de suas lutas pela manutenção da profissão docente; estudar os programas de estudo do Collegio de Pedro II e os livros recomendados para o ensino de língua inglesa; e, por fim, analisar algumas gramáticas de língua inglesa produzidas no século XIX, no intuito de estabelecer relações entre o material recomendado para o Collegio de Pedro II, os demais produzidos na época e a tentativa de propor uma metodologia inovadora frente às práticas tradicionais do oitocentos. A historiografia sobre a matéria foi fundamental para o entendimento das determinações que nortearam as produções de compêndios da época e cruciais para a condução da pesquisa e a constatação de que foram poucas as inovações verificadas nos materiais publicados, mesmo estando envolvidas em um discurso por práticas mais intuitivas, recorrentes desde o século XVI.

  • ROSIMERI FERRAZ SABINO
  • A CONFIGURAÇÃO DA PROFISSÃO DE SECRETÁRIO EM SERGIPE: EDUCAÇÃO, ATUAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DA ÁREA (1975-2010)
  • Orientador : ANAMARIA GONCALVES BUENO DE FREITAS
  • Data: 13/02/2017
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta tese teve como objetivo a investigação sobre a configuração da profissão de
    secretário no Estado de Sergipe, no período de 1975 a 2010, buscando-se compreender
    os processos em que ocorreram a formação, construção do espaço de atuação e
    organização desses profissionais em entidades de representação da categoria.
    Constituindo-se em uma pesquisa histórica, apoiada nos pressupostos da História
    Cultural, as principais categorias de análises adotadas foram os conceitos de “figuração,
    configuração e interdependência”, de Norbert Elias, “campo, capital e habitus”, de
    Pierre Bourdieu e “apropriação e representação” de Roger Chartier. O recorte temporal
    da pesquisa tem como referência antecedente a organização do Ensino Comercial no
    Brasil, por meio do Decreto n o. 20.158, em 1931, onde constou o curso técnico de
    secretário. Porém, a ocupação só recebeu legislação própria em 1978, passando à
    profissão regulamentada com formação específica aos interessados no exercício dessa
    atividade. Em Sergipe, os primeiros cursos de qualificação para secretários surgiram em
    1975. Nos anos seguintes, foram criados os cursos de Técnico em Secretariado, com o
    pioneiro no Colégio Tobias Barreto, em Aracaju, em 1976, no Colégio Diocesano, em
    Propriá, em 1980, e no Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial, em Aracaju, em
    1996. Em nível superior, a formação ocorreu na Universidade Tiradentes, de 1989 a
    2000, e na Universidade Federal, em Sergipe, a partir de 2006. Assim, com a
    identificação de iniciativas pontuais para a profissão em Sergipe, analisou-se a trajetória
    da formação, espaços, inserção e atuação desses profissionais no mercado de trabalho
    até o ano de 2010, data de conclusão da primeira turma do curso em nível superior na
    Universidade Federal de Sergipe. O estudo apontou que, embora sob amparo
    jurisdicional e de representação coletiva, a sistematização de conhecimentos para a
    práxis dos futuros secretários, por meio dos cursos específicos, não constituiu um
    movimento suficiente para atribuir ao Secretariado o status de “profissão”. Dessa forma,
    sem conseguir ecoar relevância à sociedade, a educação para o Secretariado contribuiu
    para a sua configuração como uma “profissionalização de passagem”. Esta tese é
    defendida sob a constatação de que a formação proporcionou aos alunos a conclusão de
    um determinado nível de ensino, mas não o ingresso em um nicho de trabalho
    relacionado ao título obtido. A educação especializada, como principal elemento da
    delimitação do campo, não se sustentou como distinção perante as práticas sociais,
    permanecendo confrontada com significados sobre o ofício já arraigados na sociedade.

  • RENILFRAN CARDOSO DE SOUZA
  • “MESTRA NA ESSÊNCIA DA PALAVRA”: TRAJETÓRIA DOCENTE DE OFENÍSIA SOARES FREIRE (1941-1966)
  • Orientador : JOAQUIM TAVARES DA CONCEICAO
  • Data: 10/02/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa teve o propósito de investigar a trajetória de vida de Ofenísia Soares Freire, destacando os caminhos da sua formação educacional, suas práticas educativas no Atheneu Sergipense (1941-1966), bem como analisar seu envolvimento no Partido Comunista Brasileiro (PCB) e como sua atividade política refletiu na carreira docente. O procedimento teórico metodológico adotado vincula-se a História Cultural. Neste sentido, as principais categorias de análise são: abordagem biográfica (2006); capital social, capital cultural, capital simbólico de Pierre Bourdieu (2004, 2007). Utilizamos fontes documentais localizadas do CEMAS – Centro de Educação e Memória Atheneu Sergipense (Cadernetas, Correspondências, Arcádia estudantil, Imprensa, Atas, Livros de Registros, Livro de ponto), Biblioteca Epifânio Dória (Diário oficial e Jornal A razão), IHGSE – Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe (Sergipe Jornal, Jornal Correio de Aracaju, Diário Oficial, Decretos) Acervo pessoal da família de Ofenísia Soares Freire (Currículo, fotografias, decreto), Academia Sergipana de Letras (Discursos, publicações em revistas). Recorremos também às fontes orais por intermédio de relatos dos seus ex-alunos e de pessoas do seu convívio. Ofenísia Soares Freire nasceu em Estância-SE em dezembro de 1913, mudou-se para Aracaju para estudar no Colégio Nossa Senhora Sant’Anna. Após concluir seus estudos no curso primário, ingressou na Escola Normal Rui Barbosa, concluindo em 1930. Lecionou em alguns estabelecimentos de ensino de Aracaju e, encerrou sua atividade docente no Atheneu Sergipense em 1966 com sua aposentadoria. Dessa forma, o estudo destaca a atuação de Ofenísia Soares Freire no cenário educacional sergipano e suas contribuições para a História da Educação.

  • RAFAELY KAROLYNNE DO NASCIMENTO CAMPOS
  • MODOS DE BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL: O QUE DIZEM AS CRIANÇAS?
  • Orientador : TACYANA KARLA GOMES RAMOS
  • Data: 03/02/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A pesquisa possui cunho etnográfico e fundamenta-se nos aportes teóricos da Sociologia da Infância, tendo como núcleo central o conceito de infância como construção social e a criança como ator social, sujeito histórico-cultural. O objetivo principal do presente estudo é investigar como as crianças vivenciam suas infâncias a partir das brincadeiras de livre escolha por elas criadas dentro da rotina de uma instituição municipal de Educação Infantil. Com base nesse objetivo central foram elencados os seguintes objetivos específicos: compreender de quê e como brincam as crianças na rotina instituída por suas educadoras; averiguar como as crianças organizam as brincadeiras e como se constituem os grupos de pares em ocasiões brincantes e analisar as relações sociais que as crianças constroem entre seus pares de idade enquanto brincam. Participaram do estudo 25 crianças, de ambos os sexos, com idades de três anos, integrantes de uma escola pública de Educação Infantil do Município de Aracaju/SE. Para a produção de dados foram utilizadas anotações em diário de campo, fotografias e gravações em vídeo durante os meses de fevereiro a junho de 2016. Os resultados indicam que existe uma ordem social que estrutura os grupos de pares com regras construídas pelas próprias crianças nas ocasiões de brincadeiras. Esta ordem social permitia o desenvolvimento da brincadeira conjunta, na qual as crianças criavam e negociavam suas ações. A ordem social foi reconhecida na maneira como os grupos se organizam para brincar, nas tentativas de acesso aos grupos e desenvolvimento de estratégias de entrada e resistência das crianças nos grupos, nas hierarquias estabelecidas entre os pares de idade, revelando a figura do líder e suas funções na brincadeira instituída, na autonomia da criança na resolução dos conflitos e desacordos, nas normas e valores, como a solidariedade e o valor da amizade nas brincadeiras criadas. As formações de grupos de brincadeiras foram regidas por estratégias que utilizaram a amizade como principal forma de acesso aos grupos brincantes.

  • KÁTIA REGINA LOPES COSTA FREIRE
  • O governo da infância marginalizada: discursos e práticas acerca do “menor delinquente em Sergipe (1927-1942)
  • Orientador : ANAMARIA GONCALVES BUENO DE FREITAS
  • Data: 27/01/2017
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente tese tem como objeto os dispositivos discursivos, disciplinares e educativos
    acerca do “menor delinquente” sergipano no período de 1927 a 1942 e consiste em
    pesquisa de caráter sócio histórico, embasada na abordagem foucaultiana. Dessa forma,
    conjuga as asserções de Michel Foucault, Claparèd, Evaristo de Moraes, Franco Vaz,
    Noé de Azevedo, Rizzini e Câmara, dentre outros, a partir dos conceitos: dispositivo,
    discurso, governamentabilidade, menor e intelectual. Apresenta como objetivo geral
    analisar os dispositivos discursivos e disciplinares em relação ao “menor delinquente”
    em Sergipe no período de 1927 a 1942. Como objetivos específicos, busquei verificar
    de que forma o judiciário aplicou as exigências do Código de Menores Mello Mattos,
    sobretudo com relação a inimputabilidade penal dos menores de catorze anos e à
    separação dos presos adultos, na ausência de instituição adequada no Estado; identificar
    as instituições que receberam estes menores e investigar os processos disciplinares e
    educativos presentes nestas e, por último, analisar os discursos produzidos pelos
    intelectuais sergipanos Leite Neto e Carvalho Neto, presentes nos processos criminais e
    em suas publicações acerca do “menor delinquente” no período. A promulgação do
    Código de Menores Mello Mattos representou a culminância dos debates que
    circulavam na sociedade brasileira e a compilação de leis e decretos que já estavam em
    vigor desde o início da década de 1920. Em Sergipe, a lei Estadual nº 855 de 31 de
    outubro de 1923, ordenou a construção de estabelecimentos apropriados para a
    internação de menores abandonados e delinquentes. Entretanto, a primeira instituição
    sergipana especificamente voltada para acolher este público só foi inaugurada em 1942,
    em Nossa Senhora do Socorro/SE. Nota-se um hiato de quinze anos entre a
    promulgação do referido Código e a inauguração da instituição. A tese que defendo é
    que o judiciário sergipano, diante da circularidade de novos saberes e práticas acerca do
    “menor delinquente” e da promulgação do Código de Menores em 1927, adotou uma
    formação discursiva articulada a estes; entretanto, permaneceram com as práticas de
    encaminhamentos para as instituições penais, a partir da alegação da inexistência de
    instituição para o acolhimento de menores no Estado. A trajetória do “menor
    delinquente” em Sergipe, do final do século XIX à meados do século XX, não se
    diferenciou dos demais estados brasileiros. Com seus avanços e retrocessos, os
    discursos apresentavam certa homogeneidade, uma vez que para se constituírem
    discursos de verdade e compor o campo discursivo do objeto “menor delinquente”
    tinham que atender a alguns critérios, como a adoção dos saberes das áreas médica e
    jurídica. Fosse para elencar os problemas enfrentados com o aumento da criminalidade
    ou para discutir o encaminhamento a ser dado aos menores que delinquiam, os
    intelectuais sergipanos não apenas fizeram circular no Estado as concepções sobre
    menoridade em voga na Europa e Estados Unidos, como produziram saberes e os
    difundiram através de suas publicações e participações em Congressos.

  • RICHARDSON BATALHA DE ALBUQUERQUE
  • O "saber fazer" na perspectiva da avaliação da aprendizagem para o aluno com deficiência intelectual
  • Orientador : RITA DE CACIA SANTOS SOUZA
  • Data: 27/01/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O cotidiano da sala de aula é um espaço de múltiplas ações didáticas do professor. É através dela que as relações de ensino e aprendizagem se constituem como elemento essencial na construção da experiência profissional. Considerando esse cotidiano, o estudo em questão tem como finalidade compreender como o saber-fazer do professor garante a elaboração da avaliação da aprendizagem escolar para alunos com Deficiência Intelectual ( D. I.). Como forma de validar o objetivo da pesquisa, optou-se para coleta dos dados a entrevista semi-estruturada, procurando compreender as falas dos
    professores através da análise temática de Minayo (2008), tendo como suporte os princípios investigativos da corrente filosófica fenomenológica. O campo investigativo da coleta de dados foi uma escola pública da rede estadual do ensino na cidade de Aracaju-SE, com a participação de oito professores do 6º ao 9º ano do ensino fundamental que vivenciam em sala de aula a experiência de lecionar para alunos com D. I.. A base teórica desta pesquisa tomou como referência os saberes docentes discutidos por Tardif (2014) e Gauthier (1998), os quais defendem a ideia de que o saber fazer (saber experiencial) do professor é resultado das viviências em sala de aula, da própria prática. Uma ação onde o saber e a prática se interligam em um processo de interação e não separação entre conhecer e fazer. Como resultados alcançados, percebemos que muito embora os professores em seu exercício diário da profissão desejam garantir uma aprendizagem significativa para os alunos com Deficiência Intelectual (D.I), encontram grandes dificuldades em conceber a avaliação para estes alunos, uma vez que, as condições de trabalho, a falta de apoio especializado de forma mais atuante, o direcionamento específico sobre as ações didáticas para com estes alunos, a ausência na formação inicial de conhecimentos específicos e acima de tudo, a frágil formação continuada de profissionais habilitados em propor caminhos para uma avaliaçã que de fato garanta resultados do desenvolvimento da aprendizagem. O saber-fazer para os professores envolvidos na pesquisa frente a avaliação da aprendizagem para os alunos com DI é um saber carregado de dúvidas,
    um saber sem saber se de fato sabem elaborar a avaliação da aprendizagem escolar
    para estes alunos.
  • WALDINEI SANTOS SILVA
  • “Written in black and white”: O Ensino de Língua Inglesa no Atheneu Sergipense (1870-1877)
  • Orientador : EVA MARIA SIQUEIRA ALVES
  • Data: 26/01/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O presente estudo tem como objetivo compreender a configuração da disciplina Língua
    Inglesa no Atheneu Sergipense, entre os anos de 1870 e 1877. O recorte temporal
    corresponde ao ano em que foi criado o Atheneu Sergipense com o ingresso do primeiro
    lente de língua inglesa até o ano em que foi instituído e regulamentado as normas para o
    primeiro concurso de ingresso na cadeira dessa disciplina. Para tanto, a pesquisa se apoiou
    sob o signo da História Cultural e História das Disciplinas Escolares, segundo Chervel
    (1990). Tomamos como categorias os conceitos de “Cultura Escolar”, segundo Viñao
    Frago (1994) e Julia (2011) e currículo de Goodson (1997). Para alcançar os propósitos
    dessa pesquisa, inicialmente, buscamos entender como a disciplina de língua inglesa se
    estabeleceu no programa da Instrução Pública na província de Sergipe, a seguir compomos
    um quadro do ensino secundário, no que se refere às finalidades para ensino da língua
    estrangeira, segundo a reforma Paulino de Souza de 1870. Em seguida, mapeamos os
    lentes da disciplina de Língua Inglesa, a saber: Justiniano de Mello e Silva e Ascendino
    Ângelo dos Reis a fim de perceber a configuração do trabalho docente desses lentes, suas
    atuações e contribuições para consolidação do ensino de língua inglesa no Atheneu
    Sergipense. Interpretamos os livros trabalhados na instituição, bem como os conteúdos,
    métodos, abordagens, intencionalidades e autores. Nessa investida de pesquisa, tomamos
    como fontes as Atas da Congregação do Atheneu Sergipense, os compêndios History of
    Rome de Goldsmith e Elementos de grammatica ingleza do Dr. Antonio Franco da Costa
    Meirelles, relatórios da Instrução Pública, Regulamentos do Atheneu Sergipense, leis que
    regulamentam a educação no referido período e Jornal do Aracaju. Por fim, a investigação
    nos possibilitou compreender que as configurações da disciplina de Língua Inglesa do
    Atheneu Sergipense, se pautam numa abordagem essencialmente gramatical ao longo dos
    anos com a inserção de elementos de conversação. Nesse sentido, a disciplina de Língua
    Inglesa no Atheneu Sergipense foi resultado de ideias pedagógicas que atuaram sobre a
    metodologia prescrita pelos seguidos Regulamentos da Instrução Pública.

2016
Descrição
  • CRISTIANO JOSÉ DE OLIVEIRA
  • ESCOLA RELIGIOSA E PRODUÇÕES DE SUBJETIVIDADES: RELAÇÕES DE GÊNERO E SEXUALIDADE EM UM CURRÍCULO ESCOLAR
  • Orientador : LIVIA DE REZENDE CARDOSO
  • Data: 19/12/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente dissertação objetiva analisar as produções de subjetividades docentes e discentes em um currículo de escola religiosa, tomando relações de gênero, corpo e sexualidade como categorias analíticas. A pesquisa de campo foi realizada no Colégio Nossa Senhora, uma escola interior de Sergipe fundada em meados do século XX, de cunho religioso católico e que sempre foi coordenada por Freiras. Nela, buscou-se pelos documentos pedagógicos, histórias orais sobre o colégio e narrativas de docentes acerca de episódios que ocorreram e ocorrem na escola. A partir desse material, foram construídas três seções de modo a atender os objetivos de pesquisa. A primeira seção discute as principais categorias teórico-analíticas que fundamentam esta pesquisa – tais como gênero, sexualidade, currículo e estudos queer –, apresenta os procedimentos metodológicos, mapeia a produção acadêmica nessa temática e contextualiza o objeto de estudos desta dissertação. Na segunda seção, as análises se focam na produção de sexualidades reguladas, silenciadas e transgressoras no currículo investigado. Aí, a subjetividade do não enfrentamento e a subjetividade hetero regulada são descritas e analisadas. Na terceira seção, trazemos os dados provenientes da pesquisa que evidenciam como relações de gênero são estabelecidas e os efeitos em sujeitos generificados.

  • ANDERSON DE ARAUJO REIS
  • EDUCAÇÃO AMBIENTAL E EDUCAÇÃO INCLUSIVA: POSSIVEIS CONEXÕES
  • Orientador : MARIA INEZ OLIVEIRA ARAUJO
  • Data: 13/12/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa objetivou compreender em que medida o processo pedagógico viabiliza as conexões entre a Educação Ambiental - EA e a Educação Inclusiva - EI sob a perspectiva dos professores e gestores. A pesquisa tem caráter exploratório e abordagem qualitativa por meio do Estudo de Caso. Utilizou-se como procedimento metodológico a análise do projeto político pedagógico da Escola Estadual Professora Miriam de |Oliveira Santos Melo, questionário aberto respondido por nove professores e dois gestores e grupo focal com sete profissionais que responderam anteriormente aos questionários. Como resultado da pesquisa, foi identificado que o PPP contempla a EA e a EI, os quais viabiliza o desenvolvimento integral dos alunos nos seus diferentes aspectos, construindo coletivamente uma escola com perspectivas inclusiva, participativa, autônoma e crítica. As concepções dos docentes e gestores sobre as áreas pesquisadas versam como Educação subjetiva, os quais seus pressupostos e objetivos estão voltados para a valorização das diferentes formas de conhecimento, estimulam a solidariedade, a igualdade e o respeito aos direitos humanos, consequentemente, aceitação das diferenças. Discute-se ainda, a necessidade da formação continuada nas áreas de EA e EI. Neste sentido, se evidenciou que os pressupostos da EA na Escola em questão podem auxiliar no processo de inclusão da Pessoa com Deficiência. No entanto, apesar da EA e a EI estar presentes nos processos pedagógicos da Escola Estadual Professora Miriam de Oliveira Santos Melo, os docentes até o momento da pesquisa não relacionavam as duas áreas educacionais como fundamentais no processo de inclusão do aluno com deficiência no âmbito escolar.

  • RODRIGO BOZI FERRETE
  • O ensino a partir da Etnomatemática na perspectiva da Educação Ambiental
  • Orientador : MARIA INEZ OLIVEIRA ARAUJO
  • Data: 13/12/2016
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Avaliações nacionais referentes ao ensino aprendizagem da Matemática têm indicado que os alunos brasileiros possuem, de modo geral, um baixo rendimento escolar nessa disciplina. Um dos motivos discutidos para justificar esse desempenho é a característica abstrata de como esse conhecimento é trabalhado em sala de aula, uma vez que essas avalições indicam, de modo geral, que o ensino dessa disciplina se caracteriza por um conhecimento teórico sem relação com o cotidiano do aluno. Com o intuito de contribuir com essas discussões o presente estudo tem como objetivo compreender como a Etnomatemática contribui para o desenvolvimento de um ensino na perspectiva ambiental, capaz de promover conhecimentos válidos para a formação de um indivíduo crítico, participativo e corresponsável com o ambiente. Para isso, foi realizada uma pesquisa de cunho qualitativo, desenvolvida através de uma intervenção na disciplina Matemática II, do Curso Integrado em Edificações do campus de Aracaju do Instituto Federal de Sergipe, em que foram trabalhadas atividades de ensino do conteúdo da Matemática, elaboradas a partir das concepções teóricas da Etnomatemática e da Educação Ambiental Crítica. Os dados coletados foram interpretados seguindo os conceitos da Análise do Discurso. Em termos teóricos, foi verificado que a Etnomatemática e a Educação Ambiental Crítica apresentam uma forte influência da proposta pedagógica de Paulo Freire e, assim, possuem elementos comuns, bem como características complementares que favorecem o trabalho conjunto delas, uma vez que uma complementa a outra: a Etnomatemática abre um espaço pedagógico para que a Educação Ambiental Crítica se desenvolva, enquanto que a segunda amplia a investigação da primeira, trazendo a preocupação em relação ao ambiente de produção e às condições sociais e políticas em que o conhecimento é produzido. Através dos resultados obtidos concluiu-se que o trabalho conjunto dessas duas linhas de pesquisa, trabalhadas a partir de uma prática pedagógica problematizadora, baseada no diálogo com os alunos, possibilitou: um ensino favorável ao desenvolvimento de uma consciência ambiental crítica sobre a realidade deles; um entendimento mais complexo da importância e do significado da Matemática para eles; motivação para participar e assistir a aula de Matemática e a participação nela; interesse em continuar pesquisando mais informações sobre os problemas abordados nas aulas; aumento da autoestima relacionada à capacidade e ao conhecimento que possuem; desenvolvimento do pensamento crítico para entender os problemas de seu cotidiano; responsabilidade e desenvolvimento da autonomia enquanto cidadãos ativos da sociedade.

  • NEMÉSIO AUGUSTO ALVARES SILVA
  • Educação Integral e o Colégio de Aplicação da UFS: possibilidades e limites
  • Orientador : PAULO SERGIO MARCHELLI
  • Data: 09/12/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A pesquisa tem por objetivo definir indicadores de qualidade para avaliar possibilidades e limites

    para implementação de um projeto de Educação “em tempo” Integral no Colégio de Aplicação da

    Universidade Federal de Sergipe. Trata-se de uma pesquisa qualitativa de análise documental e bibliográfica

    voltada à construção histórico-analítica do objeto de estudo, que é a criação e desenvolvimento dos Colégios

    de Aplicação como política pública que surge em 1946 para a melhoria da formação dos professores. Busca-

    se com isso estudar as políticas públicas para implementação da Educação Integral como estratégia para

    melhoria da qualidade da educação básica. Considera-se o Parecer CFE nº 292/1962, mostrando as

    finalidades dos Colégios de Aplicação como campo de estágios docente e de experimentação ou

    demonstração pedagógica e seus desdobramentos. Considera-se também a legislação educacional brasileira

    desde a constituição federal de 1988 até o recente Plano Nacional de Educação, mostrando a educação em

    tempo integral como direito ao ensino de qualidade. A primeira parte trata da criação e implementação dos

    Colégios de Aplicação no Brasil, da organização do Conselho Nacional de Colégios de Aplicação –

    CONDICAP e finaliza com o balanço das atuais atividades de ensino, pesquisa e extensão e suas

    contribuições para os programas voltados à melhoria da qualidade da educação básica. A segunda parte

    aborda as concepções pedagógicas da Educação Integral, suas experiências históricas desenvolvidas no

    Brasil, a legislação educacional brasileira e as políticas de governo e de estado para a próxima década. A

    terceira parte apresenta as principais concepções sobre indicadores de qualidade para a educação e discute a

    adoção do Custo Aluno Qualidade Inicial - CAQi pelo Plano Nacional de Educação. A quarta parte

    apresenta os Indicadores de Qualidade desenvolvidos pela pesquisa como uma metodologia efetiva para

    realizar a avaliação pretendida. A quinta parte apresenta a avaliação dos indicadores para as dimensões

    intraescolar e extraescolar que vão determinar as possibilidades e limites de um projeto de Educação Integral

    no Colégio de Aplicação da UFS.

  • MARIA HELOISA DE MELO CARDOSO
  • INCLUSÃO DE ALUNO COM DEFICIÊNCIA NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
  • Orientador : VERONICA DOS REIS MARIANO SOUZA
  • Data: 30/11/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Este estudo teve como principal objetivo analisar os dispositivos para a inclusão do aluno com deficiência nos cursos de formação profissional do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe – Campus Aracaju, no período de 2007 a 2016. Especificamente, buscou-se averiguar sua forma de ingresso na instituição, de modo a constatar se as propostas pedagógicas que ela adota possibilitam o acesso do aluno com deficiência aos conhecimentos necessários à sua formação profissional. Pretendeu-se, ainda, identificar as dificuldades e facilidades encontradas por esses alunos, por meio do procedimento de analisar as condições de acessibilidade pedagógica, arquitetônica e de comunicação situadas no ambiente institucional. Para tanto, a pesquisa orientou-se pela metodologia do estudo de caso, em cujo âmbito desenvolveu-se uma pesquisa de caráter qualitativo, que se efetivou com objetivo exploratório sob duas diferentes formas: a observação e a investigação de sujeitos. Para a coleta dos dados, optou-se pela entrevista semiestruturada aplicada ao diretor, aos coordenadores e pedagogos, assim como um questionário composto de questões abertas e fechadas, para os alunos com deficiência, professores e alunos com deficiência egressos da instituição, num total de 36 participantes. A pesquisa constatou que a inclusão não se concretiza pelo simples fato de ser assegurado o ingresso desses alunos no sistema educacional, pois, mesmo com as conquistas e o amparo legal, a transformação da escola em um espaço para todos ainda se constitui um desafio, no sentido de responder eficazmente às necessidades individuais do discente.Pode-se dizer, em conclusão, que garantira oferta de formação profissional para alunos com deficiência certamente se constituiu um avanço, porém apenas ter formação não é condição suficiente para que essas pessoas tenham acesso ao mundo do trabalho.

  • JOSÉ AUGUSTO BATISTA DOS SANTOS
  • OS ESTADOS UNIDOS COMO NAÇÃO-MODELO NO BRASIL OITOCENTISTA: o caso da instrução pública (1832-1888)
  • Orientador : LUIZ EDUARDO MENESES DE OLIVEIRA
  • Data: 21/11/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta dissertação tem como objetivo investigar o modo como os Estados Unidos da América emergem como nação-modelo no discurso oficial do Império do Brasil, através da análise dos Relatórios Ministeriais emitidos pela Secretaria de Estado dos Negócios do Império entre os anos de 1832 e 1888, data em que é apresentado à Assembleia Geral Legislativa o último Relatório Ministerial referente ao período imperial, a um ano da proclamação da República, que acarretou a adoção do sistema federativo norte-americano, a partir do qual o país passou a se chamar Estados Unidos do Brasil. Norteou nosso esforço de análise a hipótese de que as representações daquele país encontráveis nos documentos enunciados assentam-se numa imagem mitificada dos Estados Unidos, resultante, em sua maior parte, das práticas de leitura dos Ministros e Inspetores Gerais da Instrução Primária e Secundária do Império; isto é, as representações daquele país que subjazem ao discurso desses agentes do governo provinham principalmente dos escritos a que tiveram acesso.

  • CÂNDIDA LUISA PINTO CRUZ
  • TESSITURA DA INCLUSÃO NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE: MULTIPLOS OLHARES
  • Orientador : RITA DE CACIA SANTOS SOUZA
  • Data: 25/10/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A pesquisa em tela buscou conhecer a construção das primeiras iniciativas para inclusão da pessoa com deficiência na Universidade Federal de Sergipe. Nosso objetivo foi conhecer o processo de inclusão dos discentes com deficiência na UFS sob a ótica dos participantes desse processo: docentes, discentes com com e sem deficiência e acompanhantes. Nesse sentido, foi necessário construir a tessitura que corresponde a uma rede que guia e entrelaça os fatos. Revela os personagens envolvidos, o convênio entre governo do Estado de Sergipe e a Secretaria de Estado da Educação com o governo cubano, assim como com o Departamento de Educação da UFS, tendo como foco as ações científicas para a formação de docentes e técnicos da rede estadual, municipal e federal para atender as pessoas com deficiências nas mais variadas etapas educacionais. O procedimento metodológico adotado foi o estudo de caso numa pesquisa de abordagem qualitativa. Foram utilizados como instrumentos para coleta de dados entrevistas semiestruturadas com os 22 sujeitos entrevistados. Delimitamos como lócus o Centro de Educação e Ciências Humanas- CECH/ UFS, Campus São Cristóvão. Os resultados trazem à luz que o CECH iniciou o processo de inclusão de disciplina voltada para a temática no Departamento de Psicologia, mas é o Departamento de Educação que inicia o processo de formação de profissionais docentes na perspectiva inclusiva para atuarem nas redes públicas e particulares do estado de Sergipe.

  • IRANILDE DOS SANTOS ROCHA SOUZA
  • Estratégias e metodologias para o ensino de Língua Portuguesa para surdos em Aracaju-SE
  • Orientador : RITA DE CACIA SANTOS SOUZA
  • Data: 18/10/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa teve por objetivo compreender como se desenvolvem as metodologias e estratégias de ensino da Língua Portuguesa através dos gêneros textuais para surdos em salas inclusivas na 1ª Série do Ensino Médio numa escola estadual em Aracaju-SE. Justifica-se, diante da queixa de professores sobre o desafio para encontrar uma metodologia de ensino da Língua Portuguesa para surdos devido à dificuldade destes alunos com a leitura, interpretação e escrita, fatores que exigem cursos que formem docentes capazes de lidar com a realidade escolar de acordo com a diversidade. Fundamenta-se nos estudos de Alves et al (2010) sobre inclusão social; conceito de metodologias e estratégias de Brown (1994); conceito de gêneros textuais de Marcuchi (2010) e Porto (2009); e Sales (2004) sobre o ensino de Língua Portuguesa para surdos. A pesquisa procurou refletir sobre uma metodologia de ensino condizente com a necessidade dos alunos surdos, e foram encontrados os seguintes resultados: os professores utilizaram metologias e estratégias através dos gêneros textuais no ensino da Língua Portuguesa ainda pensadas apenas para ouvintes. Todavia, a reflexão apresentadada nas falas dos docentes mostram a preocupação com a metologia compartilhada. Ou seja, tanto para surdos como para ouvintes. Além de mostrar que tanto os professores quanto os intérpretes precisam de qualificação e formação continuada na área da educação de surdos, assim como adquirirem o hábito de reflexão sobre como melhorar o ensino-aprendizagem de acordo com o desenvolvimento dos alunos.

  • ADEMIR ANTONIO DA SILVA
  • EGRESSOS DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SERGIPE CAMPUS LAGARTO: FORMAÇÃO E ATUAÇÃO NO MUNDO DE TRABALHO.
  • Orientador : ROSANA CARLA DO NASCIMENTO GIVIGI
  • Data: 14/10/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A Educação Profissional e Tecnológica, nas mais diversas modalidades de ensino, tem uma grande importância no desenvolvimento da indústria brasileira, graças ao seu papel na formação de mão de obra qualificada para o trabalho. Este estudo teve como objetivo central investigar onde estão os egressos do curso técnico em eletromecânica do Instituto Federal de Sergipe (IFS), Campus Lagarto. A pesquisa de egressos do curso de eletromecânica é justificada por tratar-se do curso com maior demanda e, consequentemente, aquele que, em tese, mais emprega nas empresas da região onde está situado o Campus. Foi feito um levantamento dos alunos que concluíram o curso no período compreendido entre 2010.1 e 2014.2 e foram aplicados 194 questionários, pelos meios de comunicação social, o que agilizou as respostas e facilitou recebê-las. Tão logo foram recebidas, eletronicamente, as respostas foram tabuladas e analisadas, segundo os objetivos propostos. Oriundos das escolas públicas, os egressos trabalham e estudam como forma de garantir a empregabilidade, tem continuidade com outros cursos, sejam cursos técnicos ou de nível superior e pós-graduações em áreas correlatas ao curso de eletromecânica, mostram satisfação com a média salarial em empresas do ramo alimentício e avaliam como boa a qualificação dos docentes da rede federal. É a área de mecânica que os qualifica para o trabalho, pela necessidade de manutencistas, carecendo de conhecimentos de eletro/eletrônica para atuar com desenvoltura nas novas tecnologias do setor produtivo. É possível concluir-se que o estágio é uma ferramenta importante na formação, mas por falta de processos padronizados e integração com as indústrias da região, o IFS não supre completamente as necessidades dos futuros profissionais. Apesar disso, ficou evidente a importância da formação técnica ofertada às comunidades das mesorregiões agreste e leste sergipano, por meio do IFS – Campus Lagarto, na perspectiva tanto da inserção no mundo do trabalho, como também nas possibilidades que se tem de condições mais cômodas de estabilidade ou mobilidade no trabalho.

  • LUCIANO RODRIGUES DOS SANTOS
  • GÊNERO, EDUCAÇÃO EM SEXUALIDADE E FORMAÇÃO DOCENTE: Descortinando o Curso de Educação Física da Universidade Federal de Sergipe.
  • Data: 31/08/2016
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa tem como objetivo geral analisar as experiências de

    professores (as) e alunos (as) concluintes pertencentes ao Departamento de Educação

    Física (DEF) da Universidade Federal de Sergipe (UFS), quanto à abordagem das

    diferenças e importância das discussões sobre as temáticas de gênero e sexualidade na e

    para a formação docente. Na operacionalização da pesquisa, compreendeu-se que a

    análise da relação entre educação física, cultura universitária, gênero, sexualidade e

    formação docente, permite a interlocução com à abordagem histórico-crítica. A opção

    metodológica recaiu sobre o Estudo de Caso com enfoque qualitativo, utilizando-se

    diferentes fontes de informação bibliográficas (revisão da literatura) e documentais

    (Leis, Resoluções, Decretos, Portarias, Ofícios, Anais, Monografias, Atas de Reuniões,

    Ementários e Catálogo de Cursos). Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com

    os (as) professores (as) e os (as) alunos (as) concludentes pertencentes ao curso de

    Licenciatura do DEF/UFS. As conclusões da pesquisa ressaltam que as temáticas sobre

    a diversidade de gênero e sexualidade são conhecimentos necessários e imprescindíveis

    na e para formação docente. Contudo, as discussões sobre as temáticas ainda estão

    negligenciadas ou ocultadas no curso. As abordagens esporádicas transversais quando

    realizadas por alguns (mas) professores (as) da Licenciatura do DEF/UFS, mostram-se

    aligeiradas e superficiais, revelando fragilidade teórico-metodológica sobre Educação

    em sexualidade que pressupõe de modo mais abrangente a complexidade dessa

    dimensão humana, que vai além da simples atividade sexual. A realidade atual nos

    mostra o quanto estamos caminhando lentamente. Discute-se um novo conceito –

    educação em sexualidade – que vem sendo utilizado como contraponto ao conceito de

    “educação sexual”, para dar destaque aos direitos sexuais e direitos reprodutivos. O

    conceito de educação sexual é histórico e datado, carregando consigo pressupostos

    controladores e higienistas. Emerge a importância de situar a educação em sexualidade

    na agenda das políticas públicas de educação, particularmente na formação permanente

    dos/as professores/as dos Cursos de Licenciatura na abordagem de Genero, Sexualidade

    e Educação, uma que, estão presentes cotidianamente em todos os níveis da educação.

  • JÉSSICA FERNANDA FRANÇA SILVA
  • FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: UM ESTUDO SOBRE O CURRICULO DO CURSO DE PEDAGOGIA EM SERGIPE
  • Orientador : SONIA MEIRE SANTOS AZEVEDO DE JESUS
  • Data: 03/08/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa trata de um estudo crítico, voltada à temática da formação de professores. Uma das questões observadas nos cursos de Licenciatura em Pedagogia foi a fragilidade curricular no conteúdo da Educação de Jovens e Adultos, quando há uma grande demanda ainda por essa modalidade de ensino, geralmente o curriculo mantém esse debate em uma única disciplina obrigatória, e as demais optativas e disciplinas que poderiam fazer uma discussão que contemplasse a temática da EJA e não o fazem. A partir disto fizemos o seguinte questionamento: Que concepções estão sendo priorizadas nas propostas curriculares dos cursos de Pedagogia para atuação na EJA? Para responder a essa pergunta partindo de alguns critérios optamos por analisar a formação inicial de professores do curso de Licenciatura em Pedagogia de duas Instituições de Ensino Superior em Sergipe (uma instituição pública e uma privada). Fundamentando-se no que propõe os principais dispositivos legais, Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB 1996), Plano Nacional de Educação (PNE 2014) e Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação de Jovens e Adultos (2000) bem como estudos de Haddad (2000), Di Pierro (2000), Soares (2006),Arroyo (2006) dentre outros, que nos apontam para a importância de uma formação que atenda a especificidade da EJA. Para alcançar os objetivos propostos, optamos pela abordagem qualitativa, e como material para coleta dos dados a analise documental e entrevistas semi- estruturada. Apoiamo-nos no materialismo histórico dialético, uma vez que este nos possibilita buscar nas contradições e relações sociais explicações da realidade numa perspectiva de totalidade. Os dados mostram o desafio em que se encontra o curso de Pedagogia no que tange a formação inicial para atuação na EJA, a importância de se resgatar os vínculos entre trabalho e educação uma vez que tais concepções corroboram numa compreensão, mas ampla de que tipo de educação, a serviço de quem e para quem o professor da EJA está inserido, assim como o entendimento das relações e práticas sociais dentro desse modelo de sociedade capitalista. Também evidenciou que o currículo do curso com somente uma disciplina no componente curricular obrigatório é insuficiente no tocante a conferir uma formação inicial aprofundada no tocante a EJA, bem como a necessidade de maior dialogo entre as demais disciplinas do curso, uma vez que estas trazem discussões relevantes e com significativas relações com a temática da EJA. Desse modo, a analise dos dados nos direcionou a confirmar nossa hipótese inicial de que há carências nas abordagens das disciplinas que possam contemplar com profundidades as especificidades da EJA. E para que essas carências sejam disseminadas, carecemos de maior aprofundamento teórico não somente do ponto de vista pedagógico, mas, sobretudo das relações entre sociedade e educação, o que requer um posicionamento político frente às contradições existentes.

  • MARIZA ALVES GUIMARÃES
  • UM OLHAR SOBRE A HISTORIA DA ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DA EDUCAÇÃO FÍSICA NO COLÉGIO DE APLICAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE (1959-1996)
  • Orientador : RENATO IZIDORO DA SILVA
  • Data: 29/07/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente dissertação de mestrado tem como objeto de estudo o currículo – ou os currículos – da disciplina escolar Educação Física e suas mudanças no desenvolvimento histórico do currículo – ou dos currículos – do Colégio de Aplicação (CODAP) da Universidade Federal de Sergipe (UFS). Trata-se, portanto, de um estudo localizado no campo acadêmico-científico da “história do currículo (escolar)”, orientado pelo paradigma da “Nova História Cultural”. Não obstante, nosso foco stricto senso não se dirige à arena da “história das disciplinas (escolares)”, apesar da reciprocidade e interdependência entre ambas as temáticas. O objetivo geral deste estudo consiste em compreender a configuração curricular da disciplina Educação Física no currículo mais amplo do CODAP-UFS; tendo como marco – recorte – temporal o período de 1959 (ano de fundação do CODAP-UFS) até 1996 (promulgação da LDB). Como objetivos específicos propusemos: a) investigar teoricamente as articulações dos estudos atuais sobre história do currículo segundo o ponto de vista da Nova História Cultural e a noção de Nova História promovida pela Escola dos Annales; b) compreender o currículo escolar sob a ótica da Nova História Cultural; c) analisar os registros documentais em que o lugar ou o papel da Educação Física conste como parte do currículo do CODAP-UFS segundo suas principais características em termos de conteúdos e experiências educacionais; d) problematizar as lacunas documentais acerca dos conteúdos curriculares próprios da Educação Física. Considerando que sobre o tema do currículo inúmeras abordagens podem ser encontradas no horizonte das investigações, a exemplo dos enfoques sociológicos, jurídicos, políticos, econômicos, didáticos, pedagógicos etc., estudar o currículo específico da Educação Física no âmbito da “história do currículo escolar” nos remete a necessárias compreensões e domínios acerca de elementos teóricos e metodológicos que constituem os fundamentos do olhar historiográfico e de suas inclinações para este campo de pesquisa; que é o da Educação, na esteira de seus problemas.

  • ANDRÉ LUIS CANUTO DUARTE MELO
  • OLHARES SOBRE AS LOUSAS DIGITAIS INTERATIVAS: o caso do IFS Campus Estância.
  • Orientador : JOSE MARIO ALELUIA OLIVEIRA
  • Data: 29/07/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa busca compreender como tem se dado o processo de apropriação da Lousa Digital Interativa (LDI) como dispositivo didático pedagógico no Instituto Federal de Sergipe – IFS/Campus Estância, tendo como objetivo de pesquisa analisar o processo de utilização dessa Tecnologia Digital pelos professores(as). A metodologia de pesquisa está pautada na modalidade Estudo de Caso, descritiva, a qual se destina a identificar a existência de uma determinada situação, suas causas e se existe relação entre a situação e a teoria proposta. A coleta de dados ocorreu por meio de análise documental, entrevistas semi-estrturadas, e questionário enviado por e-mail para todos os professores que ministram aulas nas modalidades Subsequentes, Integrados e Superior e, portanto, nortearam as análises do trabalho como instrumentos metodológicos de investigação. Esta investigação está centrada no campo da Educação, mais especificamente, na área tecnologia educativa tendo como referência de análise o campo das Cultura das Mídias Digitais Interativas. O interesse por esta investigação se dá pela importância de estudos que confirmam a relevância desse tipo de recurso, necessitando de reflexão para evitar usos parciais ou ineficazes dessa tecnologia digital junto aos profissionais de educação. O que se percebe é que na tentativa de incorporar as novas formas de ensinar usando as mídias e as tecnologias, a maioria dos professores têm feito adaptações reducionistas ou até mesmo ignorado esses dispositivos. Nesse sentido, verifiquei que é necessária a constituição de processos de formação docente para o uso das tecnologias digitais interativas nas Instituições de ensino, através das experiências e teorização do campo. Ainda, sugiro revisão do planejamento político-pedagógico integrando programa de qualificação profissional para potencializar práticas pedagógicas com uso de tecnológicas digitais interativas.

  • VANIA BATISTA DE SOUZA
  • CARVALHO DÉDA E O JORNAL “A SEMANA”: VISIBILIDADE DA EDUCAÇÃO (1946-1969).
  • Orientador : MARIA NEIDE SOBRAL
  • Data: 27/07/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O jornal impresso tem sido amplamente utilizado nos estudos da história da educação, trazendo diferentes modos de organização quanto aos conteúdos e formas, de acordo com a evolução do tempo. Este trabalho teve como objetivo analisar as publicações de cunho educacional do jornal impresso “A Semana”, criado e dirigido por José de Carvalho Déda, na cidade de Simão Dias/Sergipe, entre os anos de 1946 a 1969. Analisou, sobretudo, como às práticas educativas, os profissionais da educação e as instituições escolares foram tratados no jornal impresso. Desse modo, o objeto e fonte de pesquisa foi o próprio impresso, contando também com fontes orais e documentais. Para o desenvolvimento do trabalho foi utilizado o aporte teórico de autores que discutem a História da Educação como: Nunes (1984), Le Goff (2003), Luca (2005), Barros (2010), Sobral (2012) entre outros. Durante a análise foi observado que o jornal destacou em suas publicações: festividades escolares, o ensino primário e profissionalizante, implantação do ensino ginasial, política educacional que, dentre outras matérias, contribuíram para dar visibilidade a instrução no município. Além disso, apresentou campanhas relacionadas à questão do analfabetismo, condições precárias de ensino, bem como a valorização dos professores, principalmente na defesa do grupo escolar “Fausto Cardoso” e da criação dos ginásios “Carvalho Neto” e Industrial.

  • JOSÉ GENIVALDO MÁRTIRES
  • “FLAGRANDO A VIDA”: TRAJETÓRIA DE LÍGIA PINA - PROFESSORA, LITERATA E ACADÊMICA (1925-2014).
  • Orientador : JOAQUIM TAVARES DA CONCEICAO
  • Data: 26/07/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa teve o propósito de investigar a trajetória de vida de Maria Lígia Madureira Pina, professora, literata e acadêmica, estabelecendo compreensões a respeito das relações entre sua formação intelectual e as práticas pedagógicas desenvolvidas no Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Sergipe, bem como a produção dos seus escritos, e como esse capital cultural contribuiu para a sua efetivação na Academia Sergipana de Letras. Neste sentido, foram recorrentes as seguintes categorias e seus respectivos teóricos: campo, trajetória, capital social, capital cultural e intelectual de Pierre Bourdieu (1996, 2002, 2003 e 2004); documento de Jacques Le Goff (2014). Utilizamos a técnica de história de vida, realizada por meio de coleta de relatos orais da biografada e de pessoas do seu convívio, bem como a utilização de fontes documentais localizadas nos arquivos do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe; Academia Sergipana de Letras e da Universidade Federal de Sergipe. Lígia Madureira Pina nasceu em 1925, na cidade de Aracaju; estudou no colégio Frei Santa Cecília, Escola Nossa Senhora de Lourdes e Escola Normal. Fez o curso superior em Geografia e História na Faculdade Católica de Filosofia de Sergipe. Lecionou em diversos estabelecimentos de ensino de Aracaju, dentre eles: Escola Normal, Atheneu e Colégio de Aplicação da UFS. Nesta instituição de ensino desenvolveu uma série de atividades e materiais didáticos com o propósito de dinamizar as aulas de história. Em 1991 encerrou as suas atividades pedagógicas, passando a se dedicar as suas obras literárias, e a partir de 1998, às atividades da Academia Sergipana de Letras.

  • ISABELA GONÇALVES DE MENEZES
  • NO SERTÃO DA MINHA TERRA, O SENTIDO DA ESCOLARIZAÇÃO, AS EXPECTATIVAS PROFISSIONAIS E O DISCURSO SOBRE IDENTIDADE E INDIVIDUALIZAÇÕES DE JOVENS RURAIS ESTUDANTES DO ENSINO MÉDIO EM ESCOLAS URBANAS
  • Orientador : PAULO SERGIO DA COSTA NEVES
  • Data: 25/07/2016
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta é uma pesquisa qualitativa e compreensiva cujo objetivo foi investigar o sentido que jovens rurais dão à experiência de escolarização e ao papel da escola em seu processo formativo, que expectativas escolares e profissionais estão construindo e seu discurso sobre identidade e individualizações. O universo foi constituído de jovens estudantes do último ano do ensino médio regular em escolas públicas, oriundos da zona rural de dois municípios do sertão sergipano: o mais urbanizado e o mais rural, Nossa senhora da Glória e Poço Redondo, respectivamente. Fez-se uso de questionário composto de 122 perguntas fechadas e abertas e, posteriormente, entrevistas e grupos focais, além de fontes secundárias de pesquisa, como estatísticas oficiais e leis pertinentes. A pesquisa de campo foi realizada em três escolas de ensino médio regular, durante o ano letivo 2015, junto a um total de 80 jovens rurais, a partir das quais pode-se concluir que: os pais apoiam seus filhos para que vão à escola e almejam que cursem uma faculdade; mas, mesmo se não apoiados, os jovens demonstram a pretensão de continuar os estudos em nível superior. Para eles a escola é vista como uma passagem para uma profissão que lhes conceda status e renda melhores do que na agricultura. O jovem rural até cogita permanecer no campo, mas não necessariamente como agricultor, pois, em relação aos planos após a finalização da escola média, nenhum respondeu espontaneamente o desejo de ser um agricultor. Um percentual elevado gosta do campo, mesmo assim, fica dividido entre sair e ficar. Os que tencionam ficar gostam do sossego e da tranquilidade do campo, enquanto aqueles que pensam em sair alegam a busca de melhoria de vida e a oportunidade de emprego urbano; porém, sair não significa rejeição ao meio rural e seu modo de vida. A maioria não pensa em ir embora do sertão, mas, dos que assim pensam, boa parte não sabe ou não respondeu para onde. Em relação à profissão desejada pelos pais, alguns não se mostraram de acordo e outra parte indicou que escolheria a profissão que quisesse; demonstrando atitudes relacionadas ao conceito de individualização. Parte considerável se mostra em situação de incerteza, sobretudo pelos relatos de possíveis dificuldades de cursar uma universidade ou de começar a trabalhar; assim, adiam os planos de casamento para depois da finalização dos estudos em nível superior ou quando tiverem um emprego. A maioria dos inquiridos gostaria de ter uma empresa ou trabalhar por conta própria. O cenário predominante é de famílias em situação de pobreza, fato que dificulta as expectativas juvenis de cursar o nível superior. A maioria tem referências de identidade da produção rural, mas, o fato de cursarem o ensino médio em escolas urbanas resultou em mudanças. Acerca das expectativas diante do futuro tendo como referência a vida dos pais, nenhum jovem indicou que terá uma vida pior e a maioria espera ter uma vida melhor que a dos progenitores. Quanto a se sabem exatamente o que querem, os alunos foram bastante moderados e não foram poucos os que afirmaram ser inútil fazer projetos. A maioria não trabalha, mas participa, ou já participou, de programas de transferência de renda para famílias de baixa renda; desses, apenas três moças administram o recurso recebido. Os jovens pesquisados parecem mais se aplicar a uma individualização passiva, pois aceitam ou rejeitam as oportunidades que se apresentam, com futuro incerto, escolhas reversíveis, oportunidades em constante mutação e biografias construídas por micro decisões.
  • ANSELMO LIMA DE OLIVEIRA
  • DISCURSOS SOBRE CORPO, GÊNERO, SEXUALIDADES NA EDUCAÇÃO DO COLÉGIO DE APLICAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE
  • Orientador : ALFRANCIO FERREIRA DIAS
  • Data: 20/07/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Na escola tem giz, mas tem muito mais. Na escola tem quadro negro, verde e até de lousa, mas tem muito mais. Na escola tem sala, quadra de esporte, mas tem muito mais. Na escola tem livros, biblioteca, mas tem muito mais. Na escola tem professor@s, alun@s, funcionári@s, mas tem muito mais. Na escola tem pessoas e sem elas tudo é vazio, tudo perde o sentido. As pessoas aprendem matemática, biologia, português, mas aprendem muito mais. As pessoas aprendem natação, futsal, capoeira, mas aprendem muito mais. As pessoas aprendem a ser gente. Gente que respeita, que não humilha, que abraça, beija. Essa gente tem corpo e um corpo que fala. Esses corpos têm sexualidades e são generificados. A proposta desta pesquisa é analisar os discursos sobre as temáticas gênero, corpo e sexualidade no Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Sergipe (CODAP/UFS). Como aportes teóricos foram utilizados referências pós-estruturalistas, tais como Foucault (1996, 2014, 2015a, 2015b), Louro (1997, 2000a, 2000b, 2001, 2003, 2004, 2010), Le Breton (2014), Butler (2000, 2003) e Paraíso (2009, 2012). A opção teórico-metodológica para o desenvolvimento deste estudo pautou-se na abordagem qualitativa, tendo como ferramenta de coleta de dados as entrevistas realizadas no CODAP/UFS, com treze participantes, sendo oito docentes e cinco discentes do ensino médio, além de uma psicóloga. Para a análise de dados foi utilizado o método de análise de discurso na perspectiva foucaultiana. As análises dos dados demostraram que os discursos biológico, religioso, pedagógico, científico, moralista atravessam as falas d@s participantes sobre as temáticas de gênero, corpo e sexualidade, produzindo representações que tanto se submetem quanto subvertem a heteronormatividade presente no Colégio.

  • MARIA CAROLINA BARCELLOS
  • “Iara Vieira (1949-2003): trajetória poética e docente”,
  • Orientador : ANAMARIA GONCALVES BUENO DE FREITAS
  • Data: 01/07/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo tem como objetivo analisar a trajetória poética e docente da escritora e professora Iara Vieira (1949-2003) . Utilizando o viés histórico-sociológico, a dissertação também se fundamenta na História da Educação e na História Cultural. As fontes analisadas (depoimentos orais, de familiares, amigos, colegas e ex-alunos, entre outros, somados a documentos escritos, livros, anotações esparsas e registros da imprensa) permitiram elucidar elementos biográficos necessários para compreender o percurso de uma intelectual cuja obra não foi alvo de análises mais aprofundadas fora de um círculo muito restrito. Apresentaremos a cronologia de forma inversa, dando foco a três atividades fundamentais de Iara Vieira: sua poética, sua atuação como mediadora de eventos literários, e sua trajetória docente. Com esta dissertação buscaremos contribuir com a história da profissão docente e da autoria feminina em Sergipe no período estudado.

  • DANIELLE LIMA SILVA
  • QUESTÕES RACIAIS NA FORMAÇÃO DOS EDUCADORES DA COMUNIDADE QUILOMBOLA MUSSUCA: A EXPERIÊNCIA DA PESQUISA AÇÃO NA CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO.
  • Orientador : SONIA MEIRE SANTOS AZEVEDO DE JESUS
  • Data: 30/06/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A Mussuca é uma povoação de remanescentes de quilombo que fica situada no município de Laranjeiras/Sergipe. Lugar de resistências e contradições. Analisar os elementos que negam ou ampliam o conhecimento dos docentes sobre as questões raciais tomando como referência a participação destes no curso de extensão de formação de professores no quilombo Mussuca constitui o objetivo central desta pesquisa. A questão basilar foi: Por que os professores que atuam em escolas localizadas em comunidades remanescentes de quilombos têm apresentado dificuldades constantes em trabalhar na perspectiva da educação quilombola? A nossa hipótese é a de que os fatores culturais, econômicos e políticos resistentes à diversidade etnicorracial, os saberes exclusivamente eurocêntricos, inculcados historicamente na vida das pessoas que estão em ambientes educacionais, além da ausência de formação para os trabalhadores da educação com temas ligados aos valores africanos e afro-brasileiros; são causadores da negação de um currículo que respeite e trabalhe as diferenças no corpo da instituição escolar. A análise do estudo aproxima da linha do materialismo histórico dialético, visto que o seu desenvolvimento partiu da realidade material existente na comunidade e suas contradições. Utilizamos como instrumentos de coletas de dados referenciais bibliográficos, artigos científicos, dissertações e teses. A pesquisa é de abordagem qualitativa situando-se no campo da pesquisa-ação, justificada pelas oficinas que realizamos com os educadores das instituições de ensino desta comunidade. Aplicamos como instrumentos de pesquisa a técnica da observação e do questionário. O resultado deste estudo comprova a hipótese aqui levantada. Por outro lado, a formação continuada dos educadores que vem sendo desenvolvida pelo Projeto do Observatório em Educação (UFS), já tem refletido positivamente no modo de pensar do docente sobre a questão etnicorracial. Eles vêm percebendo o verdadeiro lugar do negro na formação social brasileira, não como sinônimo de escravo, mas de trabalho. Portanto, sua contribuição na formação do país ela é histórica, econômica, cultural e política.

  • SIMONE LORENA DA SILVA PEREIRA
  • MÍDIAS COMUNICACIONAIS E EDUCACIONAIS NA PEDAGOGIA SURDA: proposição do STOOD-ON como modelagem de ambiente de aprendizagem
  • Orientador : ANNE ALILMA SILVA SOUZA FERRETE
  • Data: 20/06/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O presente trabalho teve como objetivo geral elaborar um ambiente digital de aprendizagem que contemple as mídias comunicacionais e educacionais na aprendizagem dos estudantes surdos da primeira turma do curso de Letras-LIBRAS da Universidade Federal de Sergipe (UFS). Para tal a pesquisa foi dividida em quatro fases: a primeira foi constituída pela observação não participante e por um questionário com questões abertas e fechadas para obter o máximo de informações sobre os partícipes surdos e o grau de imersão desse público na cultura digital com ênfase nas redes sociais digitais. A segunda fase foi composta pela observação não participante na rede social facebook em que foi realizada uma atividade prática e após, essa breve experiência, aplicou-se um questionário para conhecer a opinião dos participantes. No terceiro momento apresentou-se o levantamento de requisitos do Stood-On, com base nos dados coletados que tomou forma, na quarta fase com a elaboração do software, através do diagrama de casos de uso sendo que, para facilitar o entendimento, foi divido em três cenários principais: grupo disciplina, grupo de pesquisa e grupo de discussão. A metodologia da pesquisa partiu de uma pesquisa de campo, de natureza descritiva e exploratória em que foi utilizado o método qualitativo. A análise dos dados das questões subjetivas e da observação foi realizada através da análise de conteúdo, com base em Bardin, e as perguntas fechadas por meio de gráficos. Finalmente, percebeu-se que a sociabilidade virtual permite ao surdo superar a ideia de um corpo “defeituoso” e constitua seus jeitos surdos de ser, pois oportuniza a liberdade de emissão através da convergência midiática e o levantamento dos artefatos possibilitou a reflexão sobre como a disponibilização de um repositório ubíquo e acessível para mídias comunicacionais e educacionais podem contribuir para privilegiar as metodologias visuais e a implementação de novas práticas pedagógicas e comunicacionais na Educação Bilíngue de Surdos, na perspectiva da Pedagogia Surda.
  • HELMA DE MELO CARDOSO
  • “O QUE É NORMAL PRA MIM PODE NÃO SER NORMAL PRO OUTRO”: A ABORDAGEM DE CORPO, GÊNERO E SEXUALIDADES NAS LICENCIATURAS DO INSTITUTO FEDERAL DE SERGIPE, CAMPUS ARACAJU
  • Orientador : ALFRANCIO FERREIRA DIAS
  • Data: 20/06/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta dissertação tem como objetivo geral analisar como as temáticas de corpo, gênero e sexualidades estão sendo introduzidas nas práticas formativas das licenciaturas de Química e Matemática do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe- IFS/Campus Aracaju. Foi construída uma proposta metodológica organizada a partir da perspectiva pós-crítica, abandonando o caráter normativo da pesquisa e buscando mostrar que os fenômenos sociais são múltiplos e heterogêneos. Os instrumentos utilizados foram a análise documental do Projeto Político Pedagógico Institucional (PPPI) e Projetos Pedagógicos dos Cursos (PPC) de licenciaturas em Matemática e Química do IFS, uma entrevista semiestruturada com a Professora da disciplina Educação e Diversidade e Grupo Focal, com a participação de cinco licenciandos/as do último ano dos cursos. Como resultados pôde-se depreender que os documentos oficiais das licenciaturas expõem positividades e negatividades. Como ponto positivo apresenta uma disciplina com a temática da diversidade e também uma conceituação teórica que apresenta noções das desigualdades de gênero. E como ponto negativo aponta-se o silenciamento quanto à normalização dos corpos e das sexualidades. Quanto às representações dos/as estudantes verificou-se que estão atravessadas pelos discursos médico, biológico, religioso, que são permeados pela heteronormatividade, reforçando a visão dicotômica de corpo, gênero e sexualidades, mas também concepções marcadas por contradições e subversões. Ficou evidente que não tiveram contato com a temática no curso de licenciatura, de forma oficial, como conteúdos, debates e questões, mas o currículo dessas licenciaturas não está isento da temática, pois está atravessado, de uma maneira naturalizada e silenciosa, pelos discursos normatizantes de gênero e sexualidade, discursos binários, homofóbicos, que trazem em seu bojo uma lógica dicotômica dos gêneros. E que esses futuros/as professores/as, por não terem discussões sobre a temática na formação inicial, levarão, possivelmente, para a prática docente a reprodução do saber sexista e do currículo generificado.

  • IVONALDO PEREIRA DE LIMA
  • AS TECNOLOGIAS DIGITAIS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA PRÁTICA DOCENTE DA ESCOLA ESTADUAL ALMEIDA CAVALCANTI
  • Orientador : ANNE ALILMA SILVA SOUZA FERRETE
  • Data: 09/06/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • As Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) são ferramentas que estão ao alcance da maioria da população para diversas finalidades, dentre elas, de poder contribuir no processo educativo do cidadão. Nesse sentido, a dissertação teve como objetivo geral compreender o uso das Tecnologias de Informação e Comunicação nas práticas de ensino desenvolvida no 9º Ano B da Escola Estadual Almeida Cavalcanti (EEAC). Dentro desse contexto, foi realizada pesquisa de cunho qualitativo, o método utilizado foi um estudo de caso, e a abordagem exploratória e descritiva. Para isso, enfatizou-se a prática docente desses professores da EEAC. Serviram de instrumentos de coleta de dados dois textos narrativos, escritos pelos professores participantes, na tentativa de levantar dados iniciais sobre suas práticas de ensino; a observação sistemática de 163 aulas dos professores participantes da pesquisa, objetivando conhecer, de perto, como eles utilizavam as TIC no processo de ensino e aprendizagem desenvolvido no 9º Ano B; entrevistas para buscar com detalhes informações sobre a concepção desses professores
    em relação a prática docente apoiada pelas TIC; documentos como: planejamento de ensino dos professores e proposta Pedagógica da escola com finalidade de saber sobre integração das TIC no cotidiano escolar. Para os dados coletados foram utilizados procedimentos de análise de conteúdo, apoiando-se em Bardin. Os resultados evidenciaram a necessidade de repensar a metodologia na prática docente em relação ao uso das TIC em sala de aula, e apontaram para subutilização da ferramenta. Portanto, faz-se necessário ter uma prática docente apoiada pelas TIC e requer mudança da concepção de educação e de sujeito.

  • MARIA DO SOCORRO LIMA
  • Propostas de Educação na Produção Intelectual de Carvalho Neto (1926-1948): Formação e Ética do Advogado, Educação Prisional, Exercício do Magistério e Educação para o Trabalho
  • Orientador : ANAMARIA GONCALVES BUENO DE FREITAS
  • Data: 03/06/2016
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta tese objetivou pesquisar as propostas de educação na produção intelectual do jurista, escritor, jornalista e professor sergipano, Antônio Manoel de Carvalho Neto, a partir de livros publicados, entre os anos de 1926 e 1948 e, analisar o lugar dessas propostas no contexto da História da Educação brasileira. Tomou-se como motivação inicial a pesquisa desenvolvida no Mestrado, na qual foram localizadas produções que refletiram discursos nos campos do Direito e da Educação, por meio das temáticas levantadas por aquele intelectual. As obras permitiram realizar análise no esteio da relação entre Literatura e História e, compreender em seus conteúdos e confronto com outras fontes, perspectivas de representação social, percepção e circulação das mesmas no campo jurídico e educacional no Estado de Sergipe e, para além dele. Três publicações principais estiveram no interesse desta pesquisa: Legislação e Trabalho: polêmica e doutrina (1926), que se constitui em discursos parlamentares, Advogados: como aprendemos, como sofremos, como vivemos (1946), cujo teor se acerca do processo formativo e das práticas sociais dos advogados e, Vidas Perdidas (1948), romance penitenciário pedagógico. Esta investigação buscou compreender como e em que dimensão a produção intelectual de Carvalho Neto se revestiu de propostas no campo da educação. Desta forma, foi necessário empreender um estudo sobre a circulação e a apropriação que tais obras tiveram a partir da crítica que receberam da imprensa, de depoimentos e, sobretudo, investigar como as propostas de educação refletidas no conjunto daqueles escritos, constituíram-se em contribuições para a educação em Sergipe e no Brasil. Esta pesquisa foi produzida na perspectiva da História da Educação, a partir dos pressupostos teóricos e metodológicos da História Cultural. Foram utilizadas como fonte: a imprensa escrita, depoimentos de intelectuais sergipanos, fontes da Faculdade Nacional de Direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto Tobias Barreto de Educação e Cultura, revistas e livros. Lançou-se mão de algumas categorias de análise fornecedoras de sustentação teórica para a pesquisa, como: campo, habitus, capital social, capital cultural e capital científico de Bourdieu, apropriação, circulação e representação de Chartier, configuração social e processo civilizador de Elias, bem como intelectuais de Sirinelli e Miceli. Com vistas ao entendimento do objeto de pesquisa, o conceito de cultura jurídica de Plínio Barreto ajudou a compreender aspectos significativos do campo jurídico. Esses últimos foram considerados, nos limites desta pesquisa, como autores relevantes para o estudo. Aqueles autores conduziram a propositura da tese de que, na obra de Carvalho Neto, existem propostas de educação e instrução que estavam em pauta nacional e internacional, no período de sua produção e. atravessaram décadas, entre as quais: formação profissional e ética dos advogados, educação no sistema prisional, formação das professoras primárias e sua inserção no exercício da função e, educação para o trabalho. Espera-se com esta investigação contribuir para os estudos em História da Educação em Sergipe, com perspectiva na História dos intelectuais, uma vez que, por meio da análise da produção intelectual de Carvalho Neto, considera-se possível inscrevê-lo como um intelectual que participou, efetivamente, das questões relacionadas ao campo da educação no Brasil, tendo como locus de produção o discurso jurídico, na condição de advogado, escritor e, parlamentar.

  • ANDRÉA CRISTHINA BRANDÃO TEIXEIRA
  • AS TECNOLOGIAS DIGITAIS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NO COMPLEXO ESCOLAR DA REDE PÚBLICA ESTADUAL DE SANTANA DO IPANEMA
  • Orientador : ANNE ALILMA SILVA SOUZA FERRETE
  • Data: 05/05/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa objetiva conhecer a prática pedagógica dos professores com o uso das tecnologias digitais de informação e comunicação nas salas de aula da escolarização básica ofertada no complexo escolar da rede pública estadual em Santana do Ipanema, Alagoas. Realizamos uma pesquisa social, com abordagem exploratório-descritiva-intervencionista. Foram aplicados questionários com os segmentos gestor, docente e discente, para conhecer os sujeitos da pesquisa e verificar como os professores0 vêm utilizando as tecnologias em sua prática. Os dados coletados foram digitados em planilha eletrônica e analisados sob a perspectiva da Análise de Conteúdo de Bardin. Depois, realizamos uma intervenção, com o intuito de explorar as tecnologias digitais de informação e comunicação (TDIC) e refletir sobre o uso destas na escolarização. Seu objetivo era propiciar, aos professores participantes, contato com as tecnologias digitais de informação e comunicação, notadamente àquelas que já são comumente utilizadas em contextos extra sala de aula, como as redes sociais, além de aplicativos que venham facilitar sua atividade docente e motivar a aprendizagem. Para isso, utilizamos as plataformas digitais de interação social já comumente utilizadas por professores e pelos alunos, a exemplo do facebook e whatsapp. Para avaliarmos a ação,
    utilizamos a entrevista com representantes dos três segmentos já citados. Percebemos que os alunos são mais conservadores quanto ao uso das TDIC em sala de aula e, apesar de as utilizarem em suas interações pessoais, ainda não as (re)conhecem como potenciais instrumentos nos processos de ensino e de aprendizagem. Apontamos ainda que, o uso das TDIC como ferramentas pedagógicas requerem mediação constante do professor, formações contínuas e em serviço para a sua apropriação tecnológica, pois é neste profissional que estão focadas as experiências de uso das TDIC na prática docente. Dessa forma, muito ainda precisa ser feito para que os partícipes do processo educacional formal possam utilizar de forma mais eficiente os recursos interativos proporcionados pelas TDIC.

  • FRANCE ROBERTSON PEREIRA DA SILVA
  • EDUCAÇÃO E PRECEITOS DA FÉ: O COLÉGIO DO SALVADOR (ARACAJU 1935-1959)
  • Orientador : ANAMARIA GONCALVES BUENO DE FREITAS
  • Data: 02/05/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A educação brasileira, entre as décadas de 1930 e 1940, passou por várias transformações, a exemplo da expansão do ensino primário e ginasial, associado à ampliação das escolas privadas. Nesse contexto, foi fundado o Colégio do Salvador, instituição de ensino primário administrada por mulheres, membros de uma família católica oriunda da cidade de Santo Amaro da Purificação no interior da Bahia, que desenvolveram processos educativos baseados na fé que professavam. Esta dissertação teve como objetivo analisar o processo de criação e o funcionamento dos primeiros vinte e quatro anos do colégio, localizado na cidade de Aracaju-SE. O marco que delimita a nossa pesquisa inicia no ano de 1935, data da sua fundação, até 1959, quando o Colégio passa a oferecer o curso ginasial em sua primeira turma, conferindo este estudo enfoque à cultura escolar e à cultura material escolar. Para a realização desta investigação utilizamos: jornais e revistas da época; fontes e arquivos existentes no Colégio; entrevistas com ex-alunos, ex-professores e diretores; fotografias; cadernetas
    entre outros, além de pesquisa bibliográfica. Como categorias de análises priorizamos: História e Memória (LE GOFF, 2003); O tempo vivo da memória (BOSI, 2013); Memória Coletiva (HALBWACHS, 2006); Cultura Escolar (JULIA, 2001). Espera-se, com este estudo, contribuir com a historiografia educacional sergipana.

  • SUELY CRISTINA SILVA SOUZA
  • “Habilitado ou inhabilitado”: os concursos para professores do ensino secundário em Sergipe (1875-1947)
  • Orientador : EVA MARIA SIQUEIRA ALVES
  • Data: 26/04/2016
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O objeto de investigação desta tese são os concursos para professores do ensino secundário de Sergipe. A pesquisa de doutoramento tem por fim analisar o processo administrativo dos concursos para professores secundários do Atheneu Sergipense entre os anos de 1875 e 1947, relacionando as práticas de recrutamento e seleção desta instituição com as previsões legais a nível nacional e estadual. Para tanto, identificou e examinou 43 concursos docentes sergipanos, fundamentando e dialogando as análises por meio da categoria “poder” do autor Michael Foucault, além de fazer interlocuções com autores que pautam seus estudos nas reflexões teóricos - metodológicas da História Cultural. Desse modo, as fontes localizadas foram variadas: atas, correspondências, decretos, diários oficiais, discursos, jornais, leis, livro de inscrições para concursos, petição e termo de audiências, regimentos escolares, registro de títulos, relatórios do diretor, teses de concursos e outros. Nessa perspectiva, defendo a tese que durante as práticas de recrutamento e seleção de professores para o ensino secundário do Atheneu Sergipense havia uma relação de poder mediada pelos saberes dos concorrentes, pelo olhar hierárquico vigilante da Congregação e pelas determinações da sanção normatizadora do governo, cujos interesses eram coletivos em prol da organização escolar, via concursos e nomeações docentes. Desde a criação do Atheneu Sergipense, que a forma administrativa de ingresso para professores do ensino secundário em Sergipe se deu, predominantemente, por concursos providos pela Congregação da instituição e posterior aprovação dos responsáveis governamentais, conforme as mudanças normativas dos exames, mesmo com o advento do Estado Novo. Ao longo deste período, ainda, ocorriam algumas nomeações por parte do governo, sejam elas por ausência de candidatos inscritos nos concursos ou por estratégias políticas e sociais também caracterizadas com uma relação de poder. Sendo assim, a dinâmica dos concursos docentes legitimou a profissionalização e modelou o tipo de professor capacitado para o ensino secundário de Sergipe. Dessa maneira, o trabalho traz contribuições para a História da Educação, sobretudo nos trabalhos que pautam suas temáticas na História das Disciplinas Escolares e na História da Profissionalização Docente em instituições escolares específicas.

  • EDNILTON PEREIRA DOS REIS
  • Técnico de enfermagem: Análise do processo de formação e suas possíveis contradições
  • Orientador : SOLANGE LACKS
  • Data: 30/03/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente dissertação trata do processo de formação do técnico em enfermagem levando em consideração as possíveis contradições que afetam tal formação. Visamos responder como está organizada a formação do técnico de enfermagem no que diz respeito às condições de oferecimento do curso, considerando-se as variáveis: projeto político pedagógico, corpo docente e discente. A crítica que se realiza à formação profissional dos técnicos em enfermagem é apresentada com base nos determinantes sociais, políticos e econômicos que influenciaram o ensino e a prática da enfermagem no país bem como a elaboração das leis e normas que regulamentam as atividades da educação técnica. A pesquisa se caracteriza a partir dos fundamentos da pesquisa qualitativa e tem como instrumentos de coleta de dados a análise documental e questionário. Os sujeitos da pesquisa foram coordenadores, professores e estudantes de um curso técnico de enfermagem. A hipótese que apontamos é que a formação do técnico em enfermagem é marcada por contradições e busca atender a uma formação para o mercado de trabalho não priorizando a formação referenciada que articule as várias dimensões do conhecimento. A partir dos dados analisados concluímos que o curso pertencente a rede privada tem investido na formação de enfermeiros que atendam sua necessidade da força de trabalho na lógica do projeto histórico que organiza a sociedade, ou seja uma formação que atenda aos anseios do mercado de trabalho e que os formandos sejam capazes de desenvolver um trabalho técnico em detrimento de uma compreensão das relações que envolvem o processo de trabalho.
  • VITÓRIA ELOISE DANTAS E SILVA TAVARES
  • OS (DES) CAMINHOS DA FORMAÇÃO DOCENTE NA ERA DA EAD: Uma análise da LDB 9394/96 e do contexto social e político que pôs fim na Educação à Distância no município de Água Branca - AL
  • Orientador : SOLANGE LACKS
  • Data: 30/03/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O presente estudo tem como objetivo analisar o processo de precarização na

    formação docente fomentado pelas parcerias na oferta do ensino superior-modalidade EAD,

    bem como analisar criticamente as contradições presentes nos textos legais que nortearam o

    processo de formação de professores à distância na cidade de Água Branca-AL. Resultado

    de uma pesquisa documental, o presente trabalho descortina a parceria estabelecida entre o

    órgão de gestão municipal da cidade de Água Branca-AL e setores privados de ensino para

    a oferta de formação de professores na modalidade EAD-vídeo streaming. Para tanto,

    estudamos as leis, analisamos o contrato de parceria e pareceres jurídicos, e fizemos a

    leitura dos clássicos representantes do materialismo histórico dialético, na tentativa de

    entender a dinâmica dos processos sutis do capital, que acabam por explorar por trás da

    aparente liberdade e inclusão. O marco temporal tem como ponto de partida a década da

    educação, e como ponto de chegada o ano de 2013, pois neste ano a gestão municipal de

    Água Branca, por questões de cunho político-partidário, pôs fim à parceria que formava

    professores via EAD. Numa sociedade gerenciada pelo capitalismo, a educação é uma

    mercadoria a ser comercializada sem nenhuma fiscalização, embora o texto legal imprima a

    necessidade de acompanhamento por parte dos órgãos responsáveis. A categoria que servirá

    de base para a análise do objeto em questão é a essência e aparência. A aparência

    simbolizada pelos textos legais que oferecem as diretrizes para o processo de formação do

    professor. E a essência representada pela parte mais profunda do processo, a citar: as

    condições de funcionamento das unidades formadoras, o contexto social, político e histórico

    em que se desenvolveu o processo formativo e os documentos da parceria no oferecimento

    da educação superior á distância no município de Água Branca- AL. A presente pesquisa

    torna-se relevante como contribuição para estudos da educação, uma vez que sinaliza para a

    necessidade do enfrentamento da política educacional neoliberal que nivela por baixo,

    alegando “democratizar” e “universalizar”, além de revelar o poder dos ditames político-

    partidários sobre o campo educacional nos interiores do país, onde a fiscalização não faz

    morada.

  • ALEXIS MAGNUM AZEVEDO DE JESUS
  • Funcionário/a de escola: Retomando o vínculo entre trabalho e educação
  • Orientador : SOLANGE LACKS
  • Data: 30/03/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa tem como finalidade analisar as relações entre o trabalho do funcionário de escola desenvolvido no âmbito das Escolas Estaduais de Sergipe e a sua condição enquanto educador. Metodologicamente optamos pelo materialismo histórico-dialético por entendê-lo como a forma mais adequada de aproximação e apreensão da realidade concreta por meio das categorias totalidade, contradição, trabalho e formação humana. Utilizamos como fontes a legislação oficial, artigos científicos, teses e dissertações, ações judiciais, notícias da imprensa, documentos sindicais e entrevistas com os profissionais da educação. Sustentamos a hipótese que a despeito das alterações legais e a pequena ampliação de formação técnica, obtidas por meio de um acúmulo histórico de embates teóricos e políticos, que reconhecem a condição de educador não docente para o funcionário de escola, o trabalho é deteriorado de tal forma (tanto em nível de remuneração como das possibilidades de desenvolver plenamente a atividade profissional e a realização enquanto ser humano) que encerra um processo contraditório e simultâneo de afirmação e negação da condição de educador do funcionário de escola. Através da análise reafirmamos nossas hipóteses. O funcionário de escola ao tempo em que se encontra melhor instruído, organizado e formalmente reconhecido, passa por um processo intenso de precarização do trabalho que acompanha o ritmo global do capitalismo e determina o aprofundamento da negação concreta de sua condição profissional e humana.

  • FRANCILEIDE SOUZA ALVES
  • o que pensa o estudante sobre o Exame Nacional do Ensino Médio: Enem para quem?
  • Orientador : RAQUEL MEISTER KO FREITAG
  • Data: 29/03/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Diante da complexidade e abrangência das políticas públicas em educação e da implementação, por parte do Governo, de um modelo de avaliação em larga escala para o ensino médio, faz-se necessário
    revisão periódica da fundamentação sobre avaliação em larga escala, dos conceitos norteadores do construto, das matrizes e dos procedimentos de análise dos dados para favorecer a relação com os currículos e as práticas das redes educacionais. Esta pesquisa tem como objetivo investigar o que pensa o estudante sobre o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), a fim de podermos identificar quais são as motivações na escolha do estudante em participar dessa avaliação. Em busca da base teórica, foi feita revisão de trabalhos publicados por pesquisadores na área de políticas públicas educacionais, em especial sobre o Enem. Embora ainda não exista no Brasil uma tradição de referencial teórico sobre a temática, contamos com a contribuição de Freitag (2014, 2015), Rico (2007), Viana (1982, 1992, 2003), Bonamino (2002, 2012), Corti (2013), Viggiano (2010). Metodologicamente, esta pesquisa se trata de um estudo de caso que se ampara em aportes legais e teóricos que constituem o Enem, publicados no portal do Instituto Nacional de Ensino e Pesquisa Anísio Teixeira (Inep) e na normatização do ensino médio. Para compreensão da motivação que leva o estudante a participar desse exame foram aplicados questionários semiestruturados, bem como a realização de entrevistas com os estudantes da rede pública do Estado de Sergipe. Para interpretação desses dados nos baseamos na perspectiva de análise histórico-cultural, com contribuições de Vygotsky e Leontiev. Buscamos ouvir os estudantes do terceiro ano do ensino médio que estavam inscritos no Enem 2015, das dez (10) Diretorias Regionais, abrangendo os oito (08) territórios sergipanos. Contudo, após filtragem dos dados e por representar uma amostra significativa de 161 estudantes, optamos em trabalhar somente com as 17 escolas da Diretoria de Educação de Aracaju (DEA), na capital do Estado. Por fim, após finalização da análise dos resultados coletados, temos o registro da relação que o estudante aracajuano estabelece com o Enem enquanto agente ativo avaliador e avaliado.

  • MARIA EDNA SANTOS
  • A Congregação do Atheneu Sergipense (1871-1875)
  • Orientador : EVA MARIA SIQUEIRA ALVES
  • Data: 23/03/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente dissertação tem como objeto de estudo as atividades desenvolvidas pelos membros da Congregação do Atheneu Sergipense durante os anos de 1871 a 1875, tendo como objetivo principal refletir sobre a atuação deste primeiro grupo de atores. O recorte temporal inicia em 1871 por ser o primeiro ano de funcionamento da instituição e da atuação de Manuel Luiz Azevedo D’Araújo como diretor, e o marco final é o ano de 1875, quando termina a então direção da primeira mesa administrativa. Como objetivos específicos a pesquisa também buscou: analisar as Atas das reuniões da Congregação, a fim de entender a atuação dos agentes em questão – Manoel Luiz Azevedo D’Araújo (Diretor), e os lentes Antônio Diniz Barreto, Geminiano Paes de Azevedo, Ignácio de Souza Valladão, Justiniano de Mello e Silva, Raphael Archanjo de Moura Mattos, Sancho de Barros Pimentel, Thomaz Diogo Leopoldo, Tito Augusto Souto de Andrade, Ascendino Ângelo dos Reis, José João de Araújo Lima, Pedro Pereira de Andrada, Brício Maurício de Azevedo Cardoso e Manuel Francisco Alves de Oliveira; traçar o perfil biográfico dos professores; analisar as consonâncias entre o que estava prescrito no Regulamento da Instrução Pública de Sergipe e as atividades desenvolvidas pelos partícipes da Congregação; e apresentar os embates travados entre os membros na condição de intelectuais. O estudo se caracteriza como histórico e documental, possuindo como fontes principais: Livro de Atas da Congregação do Atheneu Sergipense (1871-1875), o Regulamento da Instrução Pública da Província de Sergipe de 24 de outubro de 1870, o Estatuto do Atheneu Sergipense de 12 de janeiro de 1871, o Regulamento da Escola Normal de Sergipe de 31 de abril de 1874, o Dicionário Biobibliográfico Sergipano elaborado por Manoel Armindo Cordeiro Guaraná (1848-1924) e o Jornal do Aracaju (1871-1875). Esta pesquisa está pautada no pressuposto teórico da cultura escolar a partir das concepções de Felgueiras (2010); intelectuais e redes conforme Sirinelli (1996; 1998); e disciplina escolar por Viñao (2008). Para tanto, a pesquisa está dividida em três seções. Na primeira seção é apresentada uma parte introdutória, esclarecendo o porquê da escolha da Congregação do Atheneu Sergipense como objeto de estudo, as bases conceituais e o estado da arte acerca deste estabelecimento de ensino secular. Na segunda seção são apresentadas as biografias dos intelectuais, os pontos de pauta discutidos nas reuniões e a assiduidade dos membros. E na terceira seção apresento as atribuições demandadas à Congregação pela legislação educacional da Província de Sergipe, e o que era obedecido e imposto pelos próprios congregados. Com isto, ao trabalhar as diversas relações que os congregados mantinham entre eles enquanto intelectuais dentro da instituição, foi possível destacar os principais elementos que garantiram o desenvolvimento das atividades iniciais do Atheneu Sergipense, assim como os conflitos que por ora existiram. Deste modo, o trabalho contribui, principalmente, para a compreensão e composição de mais um fragmento da historia do Atheneu Sergipense e para a História da Educação sergipana, como também para a história dos intelectuais.

  • MÔNICA ANDRADE MODESTO
  • QUE REVELAM OS DISCURSOS EMERGENTES DO CURRÍCULO? POSSIBILIDADES PARA FORMAÇÃO AMBIENTAL DO PEDAGOGO MEDIANTE O ENSINO DE HISTÓRIA
  • Orientador : MARIA INEZ OLIVEIRA ARAUJO
  • Data: 04/03/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa busca compreender em que medida as práticas pedagógicas desenvolvidas na disciplina Ensino de História para os Anos Iniciais do Ensino Fundamental podem contribuir para a formação ambiental do pedagogo. O alcance do objetivo foi norteado pela seguinte questão: Como a disciplina Ensino de História para os Anos Iniciais do Ensino Fundamental pode contribuir para a formação ambiental do pedagogo? Esse problema é decorrente de duas problemáticas que circundam o campo de estudos da Educação. 1) A necessidade de a Universidade, enquanto espaço de formação docente, reorientar a dimensão dessa formação frente às atuais questões que ameaçam o planeta. 2) A necessidade de avanços nos estudos relativos à transversalidade do ensino de história direcionado para os anos iniciais do Ensino Fundamental. A fim de elencar tais necessidades ao longo da pesquisa, optou-se pela abordagem qualitativa. Tomando como referência o tipo estudo de caso, elegeu-se como objeto de estudo o componente curricular Ensino de História nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, ofertado nos cursos de Pedagogia da Universidade Federal de Sergipe que teve os campi José Aloísio de Campos e Alberto de Carvalho como locus da investigação. No intuito de alcançar o objetivo proposto, os dados foram coletados no projeto pedagógico dos cursos e por meio de realização de entrevistas semiestruturadas. A amostra que compôs o corpus entrevistado foi constituída por seis professores que tiveram seus discursos analisados através da técnica da análise textual discursiva à luz da Teoria das Representações Sociais. Vale ressaltar que esta pesquisa está ancorada nos pressupostos da Educação Ambiental Crítica e da História Cultural e Ambiental, tendo como elo a interdisciplinaridade. Os resultados desvelaram que a disciplina estudada apresenta-se como um espaço para a promoção da formação ambiental e que as práticas pedagógicas dos pesquisados contribuem, inconscientemente, para a formação ambiental do pedagogo, mesmo este não sendo objetivo da disciplina. Com esse estudo, espera-se contribuir para a reavaliação da formação docente promovida pela Universidade Federal de Sergipe e, em específico, a que se refere aos pedagogos, bem como para a ampliação de estudos voltados para a formação ambiental e para o ensino de história voltado para crianças, campos de pesquisa ainda secundarizados no estado de Sergipe.

  • TATIANA FERREIRA DOS SANTOS
  • A dimensão ambiental na formação profissional do assistente social
  • Orientador : MARIA INEZ OLIVEIRA ARAUJO
  • Data: 03/03/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa objetivou compreender como a questão ambiental está presente na formação inicial do assistente social. Nesse sentido, procurou-se identificar na estrutura curricular dos cursos de graduação em Serviço Social da Universidade Federal de Sergipe - UFS e da Universidade Tiradentes - UNIT, disciplinas que apresentem indícios e abordagens sobre a questão ambiental; conhecer as concepções dos professores sobre as relações socioambientais e a questão ambiental; conhecer as concepções dos alunos sobre a função pedagógica do assistente social na perspectiva da educação ambiental; e identificar como a questão ambiental está inserida nos projetos de extensão institucionais. A pesquisa tem caráter exploratório e abordagem qualitativa por meio do Estudo de Caso. Utilizou-se como procedimentos metodológicos a análise documental dos planos de disciplinas e estruturas curriculares, questionários abertos direcionados à 20 alunos concludentes e entrevistas semiestruturada com três professores que contemplam o debate sobre a questão ambiental nas disciplinas. Como resultado da pesquisa, foi identificado duas disciplinas em cada instituição, sendo que os docentes apresentam concepções sobre a questão ambiental que se fundamentam na totalidade social e na ecologia. As concepções sobre as relações socioambientais versam sobre relações de produção e alienação do homem sobre a natureza. Os alunos apresentaram concepções críticas, preservacionistas e conservacionistas sobre a atuação pedagógica do assistente social na educação ambiental. Discute-se ainda os projetos de extensão que contribuem para a formação ambiental, como o PEAC na UFS e o Projeto RONDON na UNIT. Nesse sentido, a questão ambiental está presente na formação profissional do assistente social na UFS de forma interdisciplinar e na UNIT de forma disciplinar. Tais constatações revelam a necessidade de maior densidade na formação inicial do assistente social com relação à formação ambiental em ambas as instituições, a fim de contemplar maiormente a questão ambiental na formação inicial profissional de forma interdisciplinar.

  • CARLA ULLIANE NASCIMENTO SANTOS
  • UM OLHAR ACERCA DO ALUNO DIAGNOSTICADO COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL: OUTROS CAMINHOS PARA O DESVELAMENTO DO SER
  • Orientador : VERONICA DOS REIS MARIANO SOUZA
  • Data: 02/03/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O presente trabalho discorre sobre a construção de um outro olhar lançado ao aluno diagnosticado e com o objetivo de empreender uma nova perspectiva de avaliação, assim, busca-se outros caminhos para o desvelamento do ser, como a linguagem e o corpo.O trabalho apresenta uma discussão baseada em autores como: Moysés (2011), Mantoan (2004), Canguilhem (2002), Cordié (1996), Sternberg e Grigorenko(2003), bem como em duas das principais obras de Merleau-Ponty: Fenomenologia da Percepção (1999) e Psicologia e Pedagogia da Criança (2006).Desse modo, foram apresentadas e descritas ao longo do texto, categorias fenomenológicas, sendo essas: percepção, intencionalidade, intersubjetividade,linguagem e corpo-próprio. A pesquisa é de cunho qualitativo, o método utilizado é o estudo de caso múltiplo. Para tanto, foram articulados aspectos metodologicamente atrelados a este tipo de abordagem, como a análise documental (relatórios de avaliação) ea entrevista semiestruturada com professores, genitoras e psicólogas. A proposta resume-se na necessidade de compreender o outro em sua completude enquanto ser humano, pensante, global e singular.Logo, é necessário buscar outros meios de enxergar a criança diagnosticada, isto é, encontrar outros caminhos para o desvelamento do ser, a saber: linguagem e corpo. Entretanto, os integrantes dessa pesquisa ainda lançam seus olhares apenas para as dificuldades, e com isso, não permitem o vislumbramento das potencialidades da pessoa com deficiência intelectual.Assim, urge respeitar o outro no processo avaliativo de modo a não enquadrar a
    criança em um lugar fixo baseado em parâmetros de normalidade. Diante disso, essa reflexão busca lançar outro olhar, no sentido de analisar melhor o uso dos testes padronizados que perpassam a vida do ser diagnosticado, pois ao normatizar os sujeitos, consequentemente, impomos um rótulo que o acompanhará durante sua existência. Por fim, a proposta é de incentivar a construção de uma avaliação que destaque as potencialidades e não apenas as limitações do sujeito, dessa forma a mesma contemplaria o histórico de vida, como também a singularidade, percebendo o ser humano em sua amplitude e complexidade, pois além do intelecto há também linguagem e corpo, sendo impossível separar corpo e mente.

  • JOSÉ DOUGLAS ALVES DOS SANTOS
  • CINEMA E ENSINO DE HISTÓRIA: O USO PEDAGÓGICO DE FILMES NO CONTEXTO ESCOLAR E A EXPERIÊNCIA FORMATIVA POSSIBILITADA AOS DISCENTES
  • Orientador : MARIZETE LUCINI
  • Data: 29/02/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A pesquisa que apresentamos identificou o uso pedagógico do cinema no ensino de História em uma turma do Ensino Médio e a experiência formativa possibilitada aos discentes pelos filmes. Situamos a discussão relativa ao uso de filmes num horizonte que considera o filme como um texto que ao ser acessado possibilita uma experiência que não se restringe a esfera cognitiva, pois atua no âmbito das sensibilidades humanas, contribuindo para o processo formativo dos estudantes. Trata-se de uma pesquisa de caráter qualitativo que parte de um fenômeno social concreto – o uso de filmes em sala
    de aula e sua contribuição ao processo formativo dos discentes –, tendo como método de pesquisa a fenomenologia-hermenêutica. O estudo está delimitado a duas turmas de uma escola da rede pública federal de ensino, com o professor que atua na disciplina de História do Ensino Médio. O texto está dividido em três sessões: introdução, justificativa e procedimentos metodológicos adotados em nosso estudo, onde apresentamos os caminhos percorridos que levaram à produção deste estudo; as dimensões do cinema e o uso pedagógico de filmes no contexto escolar, abordando a relevância da temática no contexto sócio-educacional; e a experiência formativa dos discentes a partir dos filmes, identificada por meio de suas narrativas. Consideramos, diante dos dados colhidos, que os filmes desempenham uma experiência significativa aos discentes, e quando utilizados em sala de aula contribuem sobremaneira para a assimilação e aprendizagem dos conteúdos estudados. Notamos que a leitura dos filmes promove um aprofundamento destes conteúdos e tem capacidade de transformar o(s) sujeito(s) que participa(m) dessa experiência, ao perceber no filme elementos que sintetizam as ideias debatidas na sala de aula e que orientam sua visão de mundo para além do conteúdo estudado, levando em consideração os sujeitos e realidades que circunscrevem aquele conhecimento apreendido.

  • RISIA RODRIGUES SILVA MONTEIRO
  • NAZARÉ CARVALHO E A CIRCULAÇÃO DE PRÁTICAS EDUCATIVAS NA TV SERGIPANA (1971-1979)
  • Orientador : JOAQUIM TAVARES DA CONCEICAO
  • Data: 29/02/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta dissertação é uma abordagem histórica em que se investigou a atuação da comunicadora Nazaré Carvalho em programas televisivos dedicados ao público infantojuvenil veiculados por emissoras de televisão sergipana, no período de 1971 a 1979. A apresentadora, na década de 1970, era detentora de significativos índices de audiência nas televisões locais, através da apresentação dos programas Clube Júnior (TV Sergipe – de 1971 a 1974) e Nosso Mundo Infantil (TV Atalaia – a partir de 1975), nos quais colocava em circulação diversas práticas educativas. Buscou-se com este estudo entender a contribuição da apresentadora para a transmissão de práticas educativas para crianças e adolescentes da década de 1970 no estado. Trata-se de uma pesquisa documental que utiliza como fontes principais jornais, fotografias, vídeos e registros orais. As memórias, com suas singularidades, semelhanças e contradições, assumiram papel importante na reconstrução da trajetória e atuação profissional de Nazaré Carvalho, a “tia Nazaré”, como era conhecida, principalmente diante da precariedade dos arquivos das televisões locais, em especial a escassez de material relativo à fase de implantação das TVs e dos programas outrora veiculados. A abordagem é feita numa perspectiva da história cultural, levando em conta as apropriações e representações postas em circulação nos programas apresentados pela jornalista e radialista Nazaré Carvalho. Bourdieu, Chartier, Le Goff, Kossoy, Bosi, Thompson, Halbwachs e Pollak são tomados como principais referenciais. A pesquisa considerou três aspectos principais. O primeiro trata da chegada da televisão no Brasil e em Sergipe. O segundo aborda a trajetória de vida de Nazaré Carvalho e sua inserção no campo da comunicação. O terceiro dá conta dos conteúdos veiculados pela apresentadora nos programas infantis. As emissoras de TVs sergipanas, logo nos seus primeiros programas infantis, ao passo que procuravam entreter e garantir audiência acabaram também por inculcar diversos conteúdos educativos.

  • ALEX REIS DOS SANTOS
  • COMUNICAÇÃO E FACEBOOK: A PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO NA MÃO DO ALUNO SURDO
  • Orientador : JOSE MARIO ALELUIA OLIVEIRA
  • Data: 29/02/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A ação de se comunicar é uma das principais necessidades dos seres humanos, torna-se um ato de afirmação da existência; uma afirmação da capacidade cognitiva, emocional, racional e cultural. Devido às constantes transformações nos usos das tecnologias de comunicação digital, bem como, dos ambientes digitais conectados e em rede, atualmente as sociedades vivem em ação comunicacional constante. É dentro desta perspectiva que essa pesquisa se desenvolveu, tendo como objetivo principal perceber como os surdos matriculados na Universidade Federal de Sergipe – UFS, que fazem parte da rede social digital facebook, têm se apropriado das culturas digitais e criado táticas e estratégias para superar suas limitações em processos comunicacionais e na construção de seus conhecimentos por meio de uma rede social digital entre pessoas surdas e ouvintes. Com a perspectiva de alcançar os objetivos propostos nessa pesquisa desenvolvemos uma concepção multirreferencial, tendo como metodologia de pesquisa a etnografia e nos inspirando em Michel de Certeau e suas análises a respeito do cotidiano. De Certeau nos indica caminhos ao afirmar que é importante se interessar, no estudo das práticas cotidianas, não pelos produtos culturais disponíveis em nossa sociedade e sim pelas “maneiras de fazer” dos praticantes. Neste sentido, esta pesquisa, justifica-se fato de que buscamos compreender as possibilidades que são ofertadas ou criadas na rede digital facebook que permitem a esses praticantes em condições singulares de comunicação se relacionarem com outros surdos e com ouvintes usuários ou não da LIBRAS (Língua brasileira de sinais).

  • ROSEMEIRE SIQUEIRA DE SANTANA
  • VINDE A MIM OS PEQUENINOS: História da educação de crianças Desamparadas na Instituição Educativa Espírita (1947-1992)
  • Orientador : JOSEFA ELIANA SOUZA
  • Data: 26/02/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O presente estudo tem como objetivo apresentar a implantação da Escola Confessional Espírita “Casa do Pequenino” e sua contribuição à educação da infância desvalida em Sergipe, de modo especial na cidade de Aracaju. Compreender o processo educacional dessas crianças e a atuação da referida instituição no campo da educação da infância pobre, requer o uso de alguns conceitos, dentre eles, o de cultura escolar. O marco temporal da referida pesquisa corresponde ao período de 1947 a 1992, o mesmo foi delimitado a partir do ano de concepção de uma instituição espírita voltada à educação e
    o ano de encerramento das atividades do Lar Espírita Meimei. Os fundamentos teóricos metodológicos desta pesquisa estão contidos nos pressupostos da Nova História e têm como fundamentação as pesquisas relacionadas à História da Educação, Educação de Órfãos e Cultura Escolar, produzidos por pesquisadores, tais como: Clarice Nunes, Dominique Julia e Irma Rizzini. Para uma melhor compreensão do tema proposto, fez-se uso dos conceitos de representação e apropriação de Roger Chartier (2002) e memória de Pollack (1992). Durante a realização da pesquisa documental buscou-se várias instituições, entre elas: Arquivo Público do Estado de Sergipe, Arquivo da Escola Espírita “Casa do Pequenino”, Arquivo da União Espírita de Sergipe, Arquivo da Federação Espírita de Sergipana, Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe. Foram utilizadas e analisadas diversas fontes, tais como: Livros de Matrículas, Diários, Leis e Decretos do Estado de Sergipe, Regulamento Interno, Jornais da época, Atas, Relatos Orais, além da bibliografia especializada. A história da assistência à infância pobre no Brasil passou por vários formatos, por acreditar que a caridade era senso humanitário e
    que estaria contribuindo, através dessas entidades educativas filantrópicas para a formação da criança pobre. Da mesma maneira, os representantes da União Espírita Sergipana, abraçaram o desejo de apresentarem às crianças desvalidas a possibilidade de construírem uma “estrada diferente” para as suas vidas. No Brasil, o surgimento de Escolas Confessionais Espíritas ocorreram no início do século XX, os seguidores da doutrina viam a prática da virtude “caridade”, essencial para o melhoramento do homem, principalmente com relação ao acolhimento de crianças órfãs e pobres. Assim, baseando-
    se na possibilidade de acolhimento desses menores, os seus seguidores estavam atentos a formar pessoas, cuidar, instruir e apresentar possibilidades de crescimento. Durante o ano de 1947, os seguidores da Doutrina Espírita em Sergipe, ocuparam-se da realização de obras de amparo social, tais como a construção de escolas e orfanatos. Desse modo, almejavam contribuir com educação aos menos favorecidos à luz dos preceitos religiosos do espiritismo.

  • CARLA NERY MAGALHÃES
  • A Docência na Educação Superior: Um olhar Fenomenológico a partir da percepção dos Professores da Universidade Federal de Sergipe.
  • Orientador : LUIZ ANSELMO MENEZES SANTOS
  • Data: 26/02/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa se direciona em descrever a experiência vivida pelos docentes que atuam na
    Universidade Federal de Sergipe – UFS/São Cristóvão, com o intuito de entender de uma maneira mais ampla a condição existencial que caracteriza os seres humanos através do seu discurso e das relações que os cercam. O objetivo foi descrever o fenômeno que acontece na consciência de cada um dos entrevistados, evidenciando o processo de percepção da docência no ensino superior, ou seja, do mundo em que está inserido. Para tanto, utilizaremos como base de sustentação teórica os fundamentos da perspectiva fenomenológica de Merleau-Ponty, onde o autor propõe como meta discutir a possibilidade criadora de sentidos para a existência no mundo. Trata-se de uma reflexão filosófica sobre a ação educativa apoiada nos seguintes conceitos: Corpo Próprio, Percepção, Intencionalidade e Intersubjetividade. O ser docente como agente social exterioriza sua percepção, nos apresentando seu olhar seja: sobre si, sobre seus pares e sobre o mundo acadêmico, e assim podemos descrever os diferentes olhares nas diferentes áreas do campus - UFS. A importância dessa temática se faz para valorizar o desenvolvimento pessoal e profissional dos docentes através do entendimento no que diz respeito a sua existência, dando-lhes uma noção do espaço que ocupam no mundo, da realidade de como estão atuando e da própria formação adquirida como sujeito que expressa as necessidades humanas, assim, quando tratarmos do docente, perceberemos que seu meio e suas relações, não devem se limitar na análise da sua prática e ao seu discurso, mas sim evidencia-lo como um ser encarnado no mundo.

  • ELIS REGINA NUNES MOTA ARAUJO
  • O cotidiano da infância e das práticas educativas da educação do campo: categorias em construção na História da Educação
  • Orientador : SILVANA APARECIDA BRETAS
  • Data: 26/02/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa versa sobre o tema da infância campesina e das práticas educativas da escola da educação do campo. Neste sentido, busca compreender o cotidiano da infância em uma comunidade rural em suas práticas econômicas, sociais e culturais próprias da vida do campo, na perspectiva dos adultos e das crianças que lá vivem e se constituem em sua comunidade. A investigação empírica foi desenvolvida Assentamento Fortaleza, localizado no Povoado Aningas, município de Nossa Senhora da Glória – SE. As questões a serem tratadas na presente investigação são as seguintes: de que modo se constitui o cotidiano da infância campesina, tendo em vista as temporalidades já vivenciadas pelos adultos e pelas crianças que hoje vivem suas infâncias no Assentamento ­­­Fortaleza? Como se deu e como hoje se desenvolve esse cotidiano na comunidade e nas práticas educativas da escola do Assentamento? É possível afirmar a existência de uma especificidade de infância campesina através da elaboração histórica do cotidiano do campo? Tais questões tentaram ser esclarecidas na perspectiva dos estudos da História Social da Infância, através de seu o cotidiano no tempo presente, evidenciando a socialização dos sujeitos envolvidos por entender a relevância da experiência individual que se desenrola em circunstâncias histórico-sociais específicas do campo. Assim, do ponto de vista metodológico busquei constituir um movimento de observação e de análise que transita entre a totalidade, a especificidade e a singularidade do objeto de estudo.Os dados foram coletados através de análise documental, entrevistas semiestruturadas, dos registros no diário de campo e dos desenhos das crianças no período compreendido entre junho de 2014 e março de 2015. Os resultados apresentam que a luta pela terra, implica na luta pela educação escolar, ambas ocorrem em um único movimento pelo direito de ser uma comunidade do campo. Demonstram que os adultos foram crianças privadas de suas infâncias em função do trabalho infantil que os obrigou a abandonar a escola. Já entre as atuais crianças, a brincadeira e o trabalho acontecem num todo complexo, elas trabalham, mas com sentido de aprender a vida na roça sem, contudo, deixarem de brincar e ir para a escola. Assim, a infância campesina se constitui com brinquedos da natureza, brincadeiras como roda, pega-pega, esconde-esconde e, também, na própria lida no campo. O cotidiano da infância apresenta o trabalho como elemento relevante na formação dos sujeitos do campo que se entrecruza com as brincadeiras. Por fim, esta pesquisa compreende que há especificidade da infância campesina demarcada historicamente pelas contradições entre a negação dos direitos sociais à população do campo e da forte resistência desta população que teima em se preservar como comunidade do campo. Quanto a escola ficou evidente sua relevância, ainda que, não se evidencia o sentido de uma educação do campo orgânica à vida do campo.

  • ÉRICA FERNANDA REIS DE MATOS
  • Histórias planejadas? Uma análise sobre “juventudes”, escola e projetos de futuro no ensino médio integrado do IFS em Aracaju
  • Orientador : ANA MARIA FREITAS TEIXEIRA
  • Data: 26/02/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Com a efetivação da Lei nº 11.892/08 que instituiu no âmbito do sistema federal deensino a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, houve marcante expansão da educação profissional em todo o país. Nesses sete anos o número de instituições de educação profissional cresceu significativamente e trouxe uma demanda de estudantes que optaram por essa modalidade de ensino. Observa-se que grande parte desses estudantes está na faixa etária considerada pelo estado brasileiro como juventude (15 aos 29 anos) e optam pela modalidade Ensino Médio Integrado, que agrega o Ensino Médio à formação profissional. Todavia o conceito de juventude sofreu alterações significativas a partir de análises sociológicas como as de Bourdieu. Hoje tem-se uma corrente de estudos que justificam a juventude como algo ainda não classificado e inaugura o debate sobre juventudes. Essa pesquisa analisa essas juventudes, presentes no Ensino Médio Integrado do Instituto Federal de Sergipe, sua relação com a escola e os significados que elaboram sobre ela para seus projetos de futuro. Parte-se da análise sobre quem é esse jovem, quais as causas que o fizeram optar por essa modalidade de ensino e como elaboram seus projetos de futuro a partir da escola e da modalidade que escolheram.

  • ANE ROSE DE JESUS SANTOS MACIEL
  • ENTRE FATOS E RELATOS: AS TRAJETÓRIAS DE CARMELITA PINTO FONTES E ROSÁLIA BISPO DOS SANTOS NA EDUCAÇÃO SERGIPANA (1960-1991)
  • Orientador : JOSEFA ELIANA SOUZA
  • Data: 26/02/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa objetiva analisar as trajetórias intelectuais de Carmelita Pinto Fontes e Rosália Bispo dos Santos e suas contribuições para a educação sergipana, durante os anos de 1960 a 1991. Busca compreender como essas professoras consolidaram suas profissões e conduziram suas atividades pedagógicas nas instituições que atuaram, ao tempo que identificando aspectos que favoreceram a obtenção de destaque nos estabelecimentos educacionais de renome social, a fim de demonstrar os impactos que suas ações proporcionaram à sociedade de sua época. O marco temporal aqui utilizado justifica-se, pois, em 1960 ocorreu a inauguração do Ginásio de Aplicação da Faculdade Católica de Filosofia de Sergipe, primeiro espaço de convivência entre as duas personagens analisada, e 1991, ano que ambas entraram em processo de aposentadoria. Vale destacar que esta investigação encontra-se alicerçada nos pressupostas da História da Educação, e de Sergipe, História Cultural e amparada pela História Oral. Utilizando-se das principais fontes: atas de inauguração, inscrições de alunos, atas de reuniões de pais e mestres, fotografias, artigos de jornais, entrevistas. As fontes aqui trabalhadas foram encontradas nos arquivos do Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Sergipe/CODAP, do Centro de Educação e Memória do Atheneu Sergipense/CEMAS, do Instituto Educacional Rui Barbosa/IERB, do Instituto Dom Luciano Duarte/IDLD, do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe/IHGSE, e do Arquivo Geral da Universidade Federal de Sergipe, além dos arquivos pessoais das personagens aqui retratadas. Com essa análise, esperamos contribuir com os estudos na área biográfica, principalmente com foco em personagens femininos, e possibilitando o alargamento do campo da História da Educação.

  • LUANA LEÃO AFRO
  • Juvenilização da Educação de Jovens e Adultos no Ensino Médio em Salvador Bahia
  • Orientador : ANA MARIA FREITAS TEIXEIRA
  • Data: 25/02/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta Pesquisa trata-se do Fenômeno de Juvenilização da Educação de Jovens e Adultos no Ensino Médio, no município de Salvador Bahia. Paulatinamente é visível a multiplicidade de jovens entre 15 e 24 anos na modalidade da Educação de Jovens e Adultos ( EJA) e este crescimento contínuo tem sido um desafio para os docentes, tendo em vista a diversidade do público desta modalidade. O trabalho se ancora em autores que tem o foco mais especificamente para à EJA, como Brunel ( 2014), Charlot ( 2006), Abramo ( 2005), Di Roco ( 1979), entre outros. O estudo sobre o processo de evasão dos jovens do ensino regular e ingresso na EJA instiga a possibilidade de a partir do perfil, experiências e trajetórias de vida dos discentes jovens da EJA como um pressuposto para debates do contexto educacional em Salvador Bahia. Nesta investigação busca-se analisar o processo de Juvenilização no Ensino Médio nas classes de Educação de Jovens e Adultos em um Centro Noturno da rede pública estadual de Salvador Bahia, buscando investigar o perfil dos jovens que desistiram do ensino regular e ingressaram na Educação de Pessoas Jovens e Adultas-EPJA cada dia mais cedo, traçando o perfil destes jovens, identificando as motivações que levaram os jovens a desistirem do ensino regular e ingressarem na Educação de Jovens e Adultos, identificando o sentido que os estudantes jovens da EJA atribuem ao fenômeno de Juvenilização, além do conceito de ser jovem. O trabalho também tem o intuito de identificar junto aos docentes desta modalidade de ensino quais as principais dificuldades enfrentadas devido a juvenilização experienciada na EJA. O percurso teórico-metodológico adotado foi a opção estudo de caso de abordagem quali- quantitativa, considerando a pesquisa do tipoutobiográfica. Como instrumentos metodológicos, farei uso do questionário, entrevista autobiográfica, análise documental e observação in loco. A abordagem da pesquisa é de caráter fenomenológico de natureza qualitativa. Esta pesquisa se enraíza numa discussão mais ampla, considerando o tripé interdependente: jovem estudante da EJA, família e escola.

  • CIBELE DE SOUZA RODRIGUES
  • O Porvir, Jornal Literário e Recreativo: propriedade de uma associação de estudantes do Atheneu Sergipense (1874)
  • Orientador : EVA MARIA SIQUEIRA ALVES
  • Data: 24/02/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente dissertação tem como objeto de estudo o jornal estudantil O Porvir, datado no ano de 1874, pertencente ao primeiro órgão dos estudantes do Atheneu Sergipense, instituição de Ensino Secundário em Sergipe. A pesquisa tem como objetivo principal analisar nos doze números de edições localizados, desse momento de circulação, os temas educacionais abordados no impresso. O marco temporal dessa pesquisa está compreendido entre os meses de agosto de 1874, ao mês de novembro do mesmo ano, essa demarcação justifica-se pela datação dos números de edições do O Porvir, principal fonte da pesquisa. Adotei como fundamentos metodológicos o diálogo com as fontes bibliográficas e documentais, tais como: Leis, Regulamentos, Relatórios, Atas e os números de edições do próprio jornal O Porvir. Dessa forma, o presente trabalho se insere no campo da História da Educação, na perspectiva da Nova História Cultural, utilizando-se de conceitos principais, como cultura escolar de Vinão Frago (1994) e Dominique Juliá (2001), cultura material escolar de Felgueiras (2010), representação de Roger Chartier (1990), e associativismo de Alexis de Tocquevile (2004). Dessa forma, o estudo permitiu compreender um pouco mais sobre o universo discente, a predileção daquele grupo de estudantes do Atheneu Sergipense em 1874 por escritos banhados de ensinamentos morais, religiosos e educacionais, considerados por eles como o caminho para se chegar a “luz” e o sucesso no o por vir. Foi possível notar também um sentimento de patriotismo defendido em meio aos anúncios e poesias sobre as festividades históricas, incentivadas também pela escola, ou seja, um contributo de significativo valor para o entendimento da cultura escolar daquele momento.

  • VICTOR WLADIMIR CERQUEIRA NASCIMENTO
  • "ARQUEOLOGIA COMO PEDAGOGIA DA HISTÓRIA NOS PRIMEIROS ESCRITOS DE MICHEL FOUCAULT"
  • Orientador : ITAMAR FREITAS DE OLIVEIRA
  • Data: 19/02/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta dissertação tem como objetivo analisar os princípios basilares da pedagogia da história de Michel Foucault no “período arqueológico”, que se desenvolve nos escritos da década de 1960 e cujo marco inicial é História da loucura (1961). Utiliza-se como fontes primárias as obras, artigos, conferências, entre outros escritos do autor produzidos até 1961; como fonte secundária, a tradição de comentadores e biógrafos. Na primeira seção, busca-se elaborar introdutoriamente, a partir de uma reflexão que se encontra dispersa na obra do autor, o sentido de uma pedagogia da história, ou seja, esclarecer qual a sua concepção de história e o papel que ela cumpre na formação de pessoas. Na segunda seção, parte-se das problematizações que surgem do confronto dos escritos do filósofo francês e a educação, das apropriações que pedagogos fazem de sua obra, para se fazer um balanço crítico dessa tradição. A terceira seção é uma revisão de literatura da forma como o campo historiográfico analisa a obra de Foucault, atribuindo-lhe os mais diversos rótulos (mentalidades, história cultural, etc.) e retirando a especificidade da arqueologia. A quarta seção demonstra como o regime de historicidade emerge na obra de Foucault através de um intenso debate entre a fenomenologia, a história das ciências, particularmente na história da psicologia e a psicanálise. Esse debate se constitui como ponto de partida para uma interpretação particular que o autor faz da filosofia kantiana, presente em sua tese complementar Gênese e estrutura da Antropologia de Kant (1961), e que estabelece os princípios fundamentais de seu percurso historiográfico. A quinta seção faz uma análise de como esses princípios passam a dar corpo ao método arqueológico em História da loucura(1961), demonstrando como a história, por um lado, opera um sistema de exclusão que tem por base o racionalismo da cultura ocidental e, por outro, evidencia uma estrutura discursiva e de práticas sociais de um período histórico – longe de ser uma história do progresso contínuo e de humanização através da aquisição da “verdade científica”, a história apresenta descontinuidades, estruturas, discursos que revelem as condições de possibilidade do saber de uma época. A última seção conclui que a emergência do programa arqueológico se coloca num intenso debate entre a história das ciências, a fenomenologia e o estruturalismo, sendo que a pedagogia da história foucaultiana opera, a partir do a priori histórico e da descrição do arquivo, uma crítica radical da antropologia filosófica e de seu correlato historiográfico, centrado na ideia de sujeito da história – ao invés de constitutivo da história, o homem é antes constituído por ela.

  • CRISTIANO DAS NEVES VILELA
  • GÊNESE DA EDUCAÇÃO DE SURDOS EM DELMIRO GOUVEIA
  • Orientador : VERONICA DOS REIS MARIANO SOUZA
  • Data: 17/02/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O objetivo dessa pesquisa é investigar a gênese da educação de surdos em Delmiro Gouveia, Alagoas, baseando-nos nos pressupostos da História Cultural e dos Estudos de Identidade e Cultura. Abrange um recorte temporal entre 1981 e 2005. Delmiro Gouveia é uma cidade com um peculiar histórico industrial, herdando o nome do pioneiro na produção energética a partir das águas do Rio São Francisco. Também, pela sua localização geográfica nos limites do Estado constitui-se na cidade mais distante da capital e onde, consequentemente, a Língua Brasileira de Sinais (Libras) demorou mais a ser interiorizada. Procuramos discutir sobre a questão da surdez no sertão a partir da primeira instituição a atender surdos no alto sertão alagoano: A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Delmiro Gouveia, fundada em 1981. A coleta de dados foi realizada a partir de pesquisa documental e entrevistas semiestruturadas com surdos, pais e professores. Buscamos analisar suas práticas e verificamos quais representações acerca dos surdos e da surdez foram usualmente construídas e aceitas. Evidenciamos os atores que participaram no processo de escolarização dos surdos, como aprenderam Libras no sertão e de que forma as necessidades linguísticas peculiares aos sujeitos com surdez foram percebidas no ambiente institucional e na família. Concluímos que as primeiras iniciativas educacionais para surdos em Delmiro Gouveia surgiram na APAE pelo menos a partir de 1984 e estenderam-se até 2005 quando os surdos foram para a sala de recursos do município, que as atividades na APAE não correspondiam às necessidades linguísticas e educacionais dos surdos, que a introdução da Libras em Delmiro Gouveia ocorreu a partir de 1998 por intermédio da assistente social Elis e que as representações sociais acerca dos surdos no período observado relacionam-se a estereótipos associados a uma visão medicalizada da surdez e legitimaram discursos sobre eles serem deficientes, agressivos, incapazes e prejudicados por terem nascido no sertão. Dessa forma, pretendemos contribuir para a historiografia educacional dos surdos em Alagoas e no Nordeste, ainda carente de trabalhos dessa natureza.

  • JESSICA VITORINO DA SILVA TERRA NOVA
  • A PERFORMANCE ART COMO PROPEDÊUTICA DA EXPERIÊNCIA: CONSTRUÇÃO DE SENTIDOS E SIGNIFICADOS SOBRE, COM E POR MEIO DO CORPO.
  • Orientador : FABIO ZOBOLI
  • Data: 12/02/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Com o objetivo de Apontar a “Performance Art” como propedêutica da experiênciano contexto da disciplina “Filosofia, Educação e Corpo”, componente curricular obrigatório do curso de Licenciatura em Educação Física da Universidade Federal de Sergipe e suas contribuições na construção de sentidos e significações sobre, com e por intermédio do corpo, em suas múltiplas vivências, o presente trabalho pretende apontar possibilidades pedagógicas da “propedêutica” – no sentido de um conceito que diz da preparação estrutural dos rumos da experiência – na perspectiva da Performance Art. A proposição desta manifestação como possibilidade metodológica é apresentada como uma manifestação que possibilita, por meio da vivência, resgatar alguns sentidos tanto para a Educação, de modo geral, quanto para a Educação Física como, por exemplo, a de ampliar e superar as perspectivas que ainda se encontram pautadas de forma dominante acerca das formas de conceber o corpo. O modo estruturalista do pensamento sob esta perspectiva é subjugada a partir da proposição de que a propedêutica – suspensa aqui a partir da Performance Art – pode ser interpretada como uma forma possível de estruturar e determinar a experiência do sujeito frente a um objeto a ser conhecido no âmbito das práticas pedagógicas na escola. O trabalho evidencia uma pesquisa, de natureza “etnográfica” de cunho “participante”, a qual foi desenvolvida juntamente com os estudantes matriculados na disciplina “Filosofia, Educação e Corpo”, componente curricular obrigatório do curso de
    Licenciatura em Educação Física da Universidade Federal de Sergipe.

  • MARLUCE DE SOUZA LOPES
  • “Práticas de leitura: lembranças de família e histórias de vida”
  • Orientador : ANAMARIA GONCALVES BUENO DE FREITAS
  • Data: 03/02/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O objetivo desse estudo é investigar as práticas de leitura como elemento de formação de oito mulheres de gerações diferentes pertencentes à minha família. Insere-se na área de estudos sobre a História da Educação, com o respaldo teórico da História Cultural, e metodologia da História Oral. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica e documental que tem uma abordagem autobiográfica, utilizando os conceitos de apropriação, representação e práticas, na perspectiva de Roger Chartier, considerando a leitura como uma prática social, constituída historicamente. Nessa investigação adoto as concepções de Michael Pollack, Ecléa Bosi e Maurice Halbwachs, no que se refere ao conceito de memória. As fontes utilizadas são narrativas tomadas a partir de entrevistas semiestruturadas, buscando verificar traços do cotidiano vivido pelas integrantes da pesquisa, considerando-as nas relações sociais familiares e escolares. Ao final desse estudo espero compreender melhor as relações entre práticas de leitura, educação familiar e escolarização, bem como verificar em que medida as práticas familiares contribuem para o desenvolvimento de práticas de leitura.

  • TÂNIA MARIA DANTAS FLORES
  • POLÍTICA PÚBLICA PROEJA NO IFBA CAMPUS SANTO AMARO (BA): (DES)CAMINHOS, CONTRADIÇÕES E CONSEQUÊNCIAS
  • Orientador : ELIANA SAMPAIO ROMAO
  • Data: 21/01/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O presente trabalho tem como objetivo realizar uma avaliação ex post, ou de objetivos, da política pública PROEJA no IFBA - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia – campus Santo Amaro – BA, com o objetivo de averiguar se e em que medida a sua execução favorece a inclusão socioeducacional do público da Educação de Jovens e Adultos – EJA – alvo dessa política, historicamente excluído, bem como as condições de acesso, permanência e conclusão do curso Técnico
    em Segurança do Trabalho. Para tanto, dada a dialeticidade contida no par exclusão/inclusão no contexto desta sociedade neoliberal ou pós-liberal, optamos pela corrente filosófica do materialismo histórico dialético, baseada nas ideias de Marx e Engels, para compreender as contradições inerentes ao processo histórico atual, cujas bases sustentam-se sobre a desigualdade na propriedade dos meios de produção, no acesso aos serviços públicos, aos bens, à propriedade e à educação. Elegemos, portanto, três categorias de análise: condições de acesso, permanência e conclusão do público-alvo. Aliamos, assim, dados quantitativos sobre matrícula/evasão/reprovação/conclusão, aos dados qualitativos coletados por meio de entrevistas semiestruturadas com os atores-chave da instituição e atividade de Grupo Focal com os estudantes. Analisamos também as condições de conclusão do curso para averiguar se os objetivos da política estão sendo alcançados através da consubstanciação dos direitos do público que ela se propõe a incluir. Constatamos que a forma como a política vem sendo executada consiste numa nova negação dos direitos historicamente denegados aos sujeitos da EJA.
    O processo seletivo favorece o acesso de outro público, ainda assim, o PROEJA não lhe oportuniza condições de permanência e conclusão. A avaliação é preliminar, visto que a política é recente. O interesse é apontar problemas no modo de execução e as nuances que já se apresentam em termos de desvios, distorções, exclusão e negação de direitos.

2015
Descrição
  • SYNARA DO ESPIRITO SANTO ALMEIDA
  • PARTICIPAÇÃO DE CRIANÇAS NAS ROTINAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL
  • Orientador : TACYANA KARLA GOMES RAMOS
  • Data: 21/12/2015
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Trata-se de uma pesquisa qualitativa, baseada em um estudo de caso, que objetivou compreender quais aspectos do contexto escolar interferem nos modos de participação social de crianças nas rotinas da educação infantil de uma escola municipal da cidade de Estância/SE. Os participantes da pesquisa foram 21 crianças de ambos os sexos (12 meninas e 09 meninos), com 05 anos de idade e 07 mulheres. Os materiais utilizados para a produção de dados foram papel A4, lápis de cor, giz de cera e massa de modelar, além dos seguintes instrumentos: máquina fotográfica, caderno para as anotações de campo, gravador de áudio, computador com gravador de áudio, roteiro de observação e de entrevista semiestruturada. Foram realizados dois encontros semiestruturados de atividades com as crianças e três encontros de Grupo Focal com as professoras. Os dados obtidos através do diário de campo, das transcrições dos áudios e dos desenhos produzidos pelas crianças foram analisados, resultando nas seguintes categorias: (1) Disciplinarização; (2) Escolarização; (3) Rotinização; (4) Interação; (5) Motivação; (6) Brinquedos/brincadeiras e (7) Ambiente. Feito isso, foram separados desenhos, fotos e trechos das transcrições ou observações que demonstrassem os aspectos do contexto escolar que interferiram nos modos de participação social das crianças nas rotinas da escola. Buscou-se a triangulação dos dados para a apresentação e entendimento dos resultados. Os resultados demonstraram o disciplinamento gerindo a educação infantil, com regras arbitrárias, sem significado para as crianças e que atrapalharam a interação entre os pares, bem como a interação professora-criança. Os horários da rotina institucional não estavam articulados pensando nas necessidades e diferentes ritmos de aprender das crianças; a organização do ambiente não se mostrou parte integrante da rotina; há carência de um espaço para a discussão e reflexão das práticas pedagógicas entre as docentes que atuam na escola; ausência da participação familiar e da comunidade nas atividades e planejamentos da instituição educativa; falta de cursos de aperfeiçoamento para as professoras ampliar e atualizar seus conhecimentos sobre as práticas de educação infantil. Por isso, acredita-se ser fundamental rever as práticas pedagógicas, o ambiente e a rotina da escola. Também, fazer mudanças a nível municipal para suprir as necessidades de formação continuada dos profissionais da escola, obter a participação efetiva dos familiares e da comunidade na instituição educativa, a valorização e reconhecimento do professor enquanto mediador da aprendizagem da criança. Tais aspectos podem ser modificados para estar sintonizados com as necessidades e interesses das crianças, tornando as práticas pedagógicas mais significativas para elas.

  • JOÃO PAULO GAMA OLIVEIRA
  • Caminhos cruzados: itinerários de professores do ensino superior sergipano(1915-1954)
  • Orientador : EVA MARIA SIQUEIRA ALVES
  • Data: 18/09/2015
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente tese tem por objeto de investigação um grupo de pioneiros professores do ensino superior sergipano. Mais especificamente, a pesquisa analisa os caminhos trilhados por Felte Bezerra (1908-1990), José Bonifácio Fortes Neto (1926-2004), José Silvério Leite Fontes (1925-2005), Manoel Cabral Machado (1916-2009) e Maria Thetis Nunes (1923-2009), desde a vida estudantil, atuação no ensino secundário até a docência nas primeiras turmas de graduados da Faculdade Católica de Filosofia de Sergipe (FCFS) no recorte temporal de 1915 a 1954, considerando-se o objetivo geral desta pesquisa de doutoramento analisar os itinerários individuais de um grupo de intelectuais desde a formação escolar até seu ingresso no magistério secundário e primeiros passos como docentes na primeira instituição de formação de professores no ensino superior em Sergipe, a FCFS. Diante da perspectiva de estudar cinco professores que compõem uma parcela da “elite cultural” de Sergipe, os fundamentos teórico-metodológicos que embasam este estudo atendem aos conceitos de intelectual, itinerários e estruturas de sociabilidade compostas por redes e microclimas do autor francês Jean-François Sirinelli. Além de dialogar com as reflexões de Maurice Halbwachs acerca da memória e Carlo Ginzburg sobre as “pistas, indícios e sinais”. As fontes escolhidas são múltiplas: entrevistas, discursos, boletins, cartas, cadernetas de aulas, atas das reuniões nas escolas que trabalharam e na FCFS, escritos em jornais e revistas, álbuns de formatura, diários pessoais, “livro de família”, livros de ponto, livros de registro de diplomas, livros de atas, livros de contratos dos funcionários, caderno escolar, fotografias, e, principalmente, as memórias dos professores em análise. Dessa forma, defendo a tese de que os pioneiros professores do ensino superior em Sergipe eram intelectuais reconhecidos entre os seus contemporâneos, com uma notoriedade angariada pelas “redes” das quais seus familiares já faziam parte, como também ao longo da vida estudantil, no trabalho como professores do ensino secundário e como membros de diferentes instituições da cidade de Aracaju. Seus caminhos já haviam se cruzado em diferentes espaços de formação e atuação, sendo a FCFS mais um ponto de encontro dos itinerários individuais da intelectualidade sergipana de meados do século XX.

  • INGRID ALVES CARDOSO HORA
  • A atuação de pedagogas policiais em ambientes educacionais militarizados – possibilidades e limites
  • Orientador : ANA MARIA FREITAS TEIXEIRA
  • Data: 28/08/2015
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O trabalho objetiva analisar a atuação de policiais pedagogas no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças da Polícia Militar do Estado de Sergipe (CFAP/PMSE). Para tanto, descrevemos o cotidiano das atividades nessa unidade de formação da Policia Militar bem como elementos que envolvem esse ambiente educativo. A percepção que os sujeitos centrais têm sobre seu papel nessa instituição é tomada como referência para essa pesquisa a fim de compreender as peculiaridades da presença de pedagogas em ambientes militarizados. A investigação ancorou-se nos pressupostos da abordagem qualitativa em educação e utilizou como principal instrumento a entrevista semiestruturada. Foram ouvidas duas policiais pedagogas e o policial que as coordena. Também foram aplicados questionários para o levantamento do perfil profissional e as observações cotidianas também foram levadas em consideração.

  • ANGÊLO FRANCKLIN PITANGA
  • A inserção das Questões Ambientais no curso de Licenciatura em Química da Universidade Federal de Sergipe
  • Orientador : MARIA INEZ OLIVEIRA ARAUJO
  • Data: 17/08/2015
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O sistema econômico vigente começou em meados do século XX, apresentar sinais de insustentabilidade por conta da constatação de diversas externalidades, que ultrapassam a destruição e o esgotamento dos recursos naturais. Nesse cenário, a atividade químico-industrial, devido a sua ação poluidora e alguns desastres de repercussão mundial passa a ser questionada e exigida uma nova postura frente às questões que envolvem o cuidado e a preservação do meio ambiente. Nesse contexto, esta Tese tem por objetivo investigar o que tem dificultado a inserção das questões ambientais – Problemas Ambientais, Química Verde, Desenvolvimento Sustentável e Educação Ambiental – no curso de formação de professores oferecido pela Universidade Federal de Sergipe no campus de São Cristóvão. Sendo necessário conhecer as concepções, métodos e práticas adotadas pelos professores. Para tal, fez-se opção pela Pesquisa Qualitativa e interpretativa com intuito de analisar em profundidade no universo pesquisado. Na coleta de dados foram utilizados: Análise de Documentos, Entrevistas semiestruturadas e questionário de Representação do Conhecimento para a captura do Conhecimento Pedagógico do Conteúdo (PCK) dos docentes do curso em tela. Na análise dos resultados têm-se como base a Análise Textual Discursiva. Com vistas a atender os rigores e à validade interna da pesquisa, o método de triangulação foi utilizado a fim de que as inferências e interpretações dos resultados garantissem a qualidade da investigação realizada. O diagnóstico da análise curricular foi realizado tomando como referência os critérios propostos pela rede de Ambientalização Curricular de Estudos Superiores (ACES), apontando para um currículo inovador, que procura atender as exigências legais, porém quando se desdobram em suas componentes curriculares, vê-se uma estrutura pouco flexível, onde as questões ambientais são pouco contempladas. Em relação às categorias de análise selecionadas, observa-se por parte dos professores que o tratamento dos problemas ambientais estão limitados ao desenvolvimento de suas atividades laboratoriais. Um entendimento de desenvolvimento sustentável que é bastante criticado. E visões simplistas e ingênuas sobre Educação Ambiental. Que de modo geral, apresentam-se como concepções antropogênicas, fundadas em uma racionalidade técnico-instrumental, onde soluções técnicas são suficientes para viabilizar os problemas atuais. Em relação à Química Verde, há certo desconhecimento associado com seus princípios e sua filosofia, sendo suas ideias enquadradas numa Corrente Desenvolvimentista ou na Macrotendência Pragmática. Os dados levantados tanto na pesquisa, quanto nas referências apontam que, do modo como operada, a Química Verde não passa de um instrumento de racionalização que visa à manutenção dos interesses de grupos hegemônicos. Quanto aos métodos e práticas foram relatados a utilização de intervenções pedagógicas que estimulam a participação e a construção do conhecimento por parte dos discentes, porém, ainda é marcante a preocupação com a transmissão dos conteúdos científicos disciplinares. Por fim, ao acessar e diagnosticar o PCK dos sujeitos da pesquisa pôde-se constatar que os mesmos, ainda que com algumas nuances, apresentam uma Abordagem Tradicional, possuindo um perfil que mais se aproxima de um Pesquisador Educador ou Químico Educador, um especialista, com preocupação mais voltada para a pesquisa em química pura e tecnológica.

  • ALINE DA CONCEIÇÃO MIGUEL DE MENEZES
  • EDUCAÇÃO INTEGRAL NO CAMPO: UM ESTUDO DE CASO NO POVOADO CARRILHO EM ITABAIANA-SE
  • Orientador : MARIZETE LUCINI
  • Data: 28/07/2015
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta dissertação objetivou conhecer o significado do Programa Mais Educação/Educação Integral para coordenadores, professores e monitores de escola do campo, situada no Povoado Carrilho no município de Itabaiana, estado de Sergipe. Para tanto, nos propomos a descrever e analisar o processo de implementação do Programa Mais Educação/Educação Integral no povoado; refletir sobre a finalidade do Programa Mais Educação no contexto campesino; e identificar que significados os sujeitos atribuem ao Programa Mais Educação. A investigação ancora-se nos pressupostos da abordagem de pesquisa qualitativa em educação. A metodologia utilizada é a fenomenologia-hermenêutica e o tipo de pesquisa é estudo de caso. Os instrumentos utilizados na coleta de dados foram diário de campo, documentos oficiais, e entrevistas semi-estruturadas. Concluímos a partir desta pesquisa que os significados atribuídos ao Programa Mais Educação situam-se no âmbito do proteger, guardar e reforçar os estudos para crianças, adolescentes e jovens, evidenciando uma dissonância com os objetivos do referido Programa. O conceito de Educação Integral nem sempre é compreendido pelos sujeitos como educação que ultrapassa a dimensão temporal de permanência na escola para uma formação humana que, além de garantir os direitos das crianças e adolescentes, avança no sentido de instrumentalizá-los para a compreensão do campo como espaço de produção da vida e de desenvolvimento. A importância e a complexidade da Educação Integral para o desenvolvimento do campo não recebeu nenhuma menção por parte dos sujeitos entrevistados, demonstrando-nos que essa relação ainda não se efetiva como prática social no contexto pesquisado. Espera-se com os resultados desta pesquisa contribuir para ampliar o debate sobre a implementação da Educação Integral no Campo.

  • WILSON BISPO DA FONSECA
  • Psicologia e Educação: Analise da Atuação dos psicólogos(as) na educação em Aracaju
  • Orientador : VELEIDA ANAHI DA SILVA
  • Data: 30/06/2015
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa visou verificar a Atuação dos Psicólogos(as) na Educação em Aracaju. Considerando a grande importância que a “escola” representa em nossa sociedade e observando as diversas possibilidades da atuação da Psicologia Escolar e Educacional auxiliando em todos os seus processos e fases que compõem a escola, torna-se importante contribuir com um melhor conhecimento da realidade dos psicólogos (as) que atuam na rede de ensino, bem como um melhor entendimento sobre a atuação destes profissionais frente às demandas existentes no âmbito educacional, oferecendo dados da conjuntura dessa temática no município de Aracaju. O estudo fundamenta-se na abordagem qualitativa, passando por um procedimento bibliográfico e exploratório. Foram realizadas entrevistas e aplicação de questionários com os demais psicólogos que trabalham na área da psicologia escolar e educacional encontrados em Aracaju. Nos resultados percebemos que a formação para a atuação na área ainda é bem básica; que os profissionais conseguem abarcar uma variedade de possibilidades de atuação, mas que para atuarem na áreas escolar precisam buscar cursos e especializações que os orientem e fundamentem em sua atuação profissional. Esperamos com essa pesquisa possam contribuir com a construção de entendimentos acerca da psicologia no campo da educação no nosso estado, mapeando suas práticas e conteúdo, bem como fomentar novas discussões, novas pesquisas, novas possibilidades e fazeres.

  • DEAN LIMA CARREGOSA
  • AS TECNOLOGIAS DIGITAIS NAS AULAS DE MATEMÁTICA DA E.M.E.F. OVIÊDO TEIXEIRA: LIMITES E REFLEXÕES
  • Orientador : ANNE ALILMA SILVA SOUZA FERRETE
  • Data: 01/06/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo tem como objetivo compreender a avaliação que os docentes fazem da própria formação inicial e continuada no que se refere à apropriação tecnológica necessária para o uso pedagógico das tecnologias digitais, integradas às aulas de matemática do Ensino Fundamental menor da Escola Municipal de Ensino Fundamental Oviêdo Teixeira, em Aracaju/SE. Deste modo, fizemos uso de pesquisa de campo, cuja metodologia baseou-se numa abordagem de cunho qualitativo e quantitativo, de natureza exploratória e descritiva. Os dados foram coletados através das respostas ao questionário e entrevistas. Foi feita análise dos dados coletados do questionário aplicado relacionado às questões abertas e as fechadas foram submetidas a tratamento estatístico simples. O estudo possibilitou pensar sobre o processo de formação de professores para uso das tecnologias digitais de informação e comunicação com finalidade educativa, e o olhar especial para as relações de ensino e aprendizagem da matemática. Os resultados demonstraram que instalar ou distribuir equipamentos na escola foi o primeiro movimento para fomentar o uso das tecnologias digitais de forma pedagógica, além disso foi fundamental verificar a necessidade de formação continuada para os docentes.

  • LEANDRO DOS SANTOS
  • CONCEPÇÃO E PRÁTICA DA ORGANIZAÇÃO ESCOLAR DESENVOLVIDO NO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO DO CAMPO DA UFS (2008/2012)
  • Orientador : SONIA MEIRE SANTOS AZEVEDO DE JESUS
  • Data: 28/05/2015
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Este estudo teve como objetivo analisar a concepção e a prática da organização escolar desenvolvido no curso de Licenciatura em Educação do Campo no período de 2008 a 2012 na Universidade Federal de Sergipe. O objeto de estudo foi o curso referenciado a partir da preocupação de que o currículo do mesmo requer uma dimensão específica voltada para os processos de trabalho a partir do contexto da reforma agrária e dos territórios tradicionais. Nossa hipótese de pesquisa foi a de que o desenvolvimento do curso se deu em meio a muitas contradições entre o proposto e o realizado de acordo com as condições materiais dos estudantes e da estrutura da própria universidade. Essa análise se estruturou a partir de pesquisa qualitativa aproximada com a perspectiva crítica dos estudos do materialismo histórico dialético. Tratou-se de um estudo de caso onde analisamos a partir das categorias contradição, totalidade e superação, os elementos constituintes da proposta de formação. O estudo se estruturou a partir da análise do conteúdo dos documentos e por entrevistas com os egressos a fim de encontrar respostas para os objetivos propostos. Esta pesquisa é parte do projeto em desenvolvimento pelo Observatório de Educação – OBEDUC/CAPES/MEC, onde a UFS é signatária. Espera-se poder contribuir com a construção do conhecimento na área e oportunizar novas demandas no mundo da pesquisa em educação do campo.

  • ALEX DAS CHAGAS ROSA
  • EDUCADORES DO PROLEC: A REALIDADE DOS LICENCIADOS EM EDUCAÇÃO DO CAMPO - UFS (TURMA 2008): um estudo de caso com os egressos do município de Poço Redondo.
  • Orientador : SONIA MEIRE SANTOS AZEVEDO DE JESUS
  • Data: 26/05/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O estudo científico em questão buscou analisar as condições de acesso ao trabalho dos egressos do Curso de Licenciatura em Educação do Campo da UFS, turma especial (2008). A pesquisa foi produzida a partir das observações empíricas que apontavam dificuldades encontradas pelos (as) docentes recém-formados para atuar como educadores na rede pública em seu município e região. A criação de uma turma especial e o currículo foram construídos a partir da necessidade histórica da educação do campo em ter professores formados em curso superior para trabalhar nas áreas onde há uma incidência de professores leigos, ausência de escolas de ensino fundamental e médio nas áreas campesinas e a exigência dos trabalhadores em ter escolas para os seus filhos. A pesquisa foi desenvolvida a partir de entrevistas semi estruturadas com os egressos do curso tendo como elemento epistemológico para as análises os princípios da Educação Libertária. A Educação Libertária através do método dialético, assim como o referencial teórico utilizados para a compreensão do objeto de estudo baseou-se nos pensadores anarquistas: PIERRE-JOSEPH PROUDHON; MIKHAIL BAKUNIN; FRANCESC FERRER I GUÀRDIA; ANSELMO LORENZO; MALATESTA; além de FREIRE; GALLO; GROPPO; IANNI; MENEZES; MORIYON; MOTA; PEY; entre outros autores (as). Através deste estudo cientifico gestado e desenvolvido através da nossa participação dentro do Núcleo de Estudos Transdisciplinares em Educação (NETE UFS) em parceria com o Observatório da Educação (OBEDUC) observou-se que, dentre os diversos conflitos de interesse existentes no campo em Sergipe em especial em Poço Redondo o posicionamento do Estado se fez decisivo para que tais entraves se multiplicassem, neste aspecto, o Estado assumiu a defesa e interesses da expansão do capitalismo e a exclusão dos trabalhadores. Pode-se inferir a partir dos dados que a falta de uma política pública de educação efetiva para o campo em Sergipe, a ampliação das terceirizações, o fechamento constante das escolas da rede pública no campo e a prática da nucleação, estão interligadas à restrição da atividade docente dentre os profissionais citados.

  • BENEDITO CARLOS LIBORIO CAIRES ARAUJO
  • As armas da crítica à crítica das armas: o trato com o conhecimento da categoria luta corporal no currículo de formação de professores de Educação Física da UFS.
  • Orientador : SOLANGE LACKS
  • Data: 21/05/2015
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O presente estudo está inserido na área de concentração História, Política e Sociedade do programa de Pós-graduação e Pesquisa em Educação da Universidade Federal de Sergipe na linha Formação de Educadores: saberes e competências, faz parte das produções da Rede de Linha de Estudos e Pesquisa em Educação Física, Esporte e Lazer (Rede LEPEL) e tem como pergunta central: Qual é a realidade e as possibilidades do currículo de formação de professores da universidade pública brasileira, em especial, a Universidade Federal de Sergipe, para trato com o conhecimento luta corporal nas aulas de educação física? Se consideramos que o fato do conteúdo Luta Corporal estar vinculado a modalidades esportivas vazias de sentido e distantes das aulas de Educação Física, tanto na escola básica, quanto nos currículos de formação de professores, esse conteúdo reflete o aprofundamento de uma realidade objetiva excludente, geradora de insegurança, individualismo e alienação, tal realidade, parece fornecer a justificação necessária a um projeto de escolarização que condicione crianças e adolescentes a atender prontamente aos processos de acumulação capitalista, em especial a acumulação flexível e a lógica do mercado, ao desenvolver nelas aptidões tais como: concentração, disciplina, prontidão física (exclusão e subordinação), e nesse bojo, os currículos de formação de professores em geral, dos de Professores de Educação Física como particular, e dos professores de educação física da Universidade Federal de Sergipe, como singular, não possibilitam a compreensão, explicação e execução da Luta Corporal na sua essência, algo ratificado nas produções do conhecimento stricto senso brasileiras de 1996 a 2013, que em grande parte se organizam por orientações epistemológicas idealistas, não compreendendo, que nos propomos a conceber o mundo sensível como a atividade sensível, viva e conjunta dos indivíduos que o constituem. Nesse sentido, se torna imperiosa, a necessidade de partir da categoria trabalho, como atividade central, e daí, compreender como o homem desenvolve as funções psíquicas superiores, nos valendo do aporte da Psicologia Histórico Cultural e da Pedagogia Histórico Crítica para explicitar que a educação física é uma atividade pedagógica que deve se organizar a partir da Cultura Corporal, enquanto categoria teórica que nos permite apreender no pensamento, compreender, explicar cientificamente o fenômeno Luta/Luta Corporal na sua tripla dimensão: pedagógica, histórica e técnica, captando o movimento lógico que decorre das regularidades onto-históricas naturais/sociais, proporcionando no sistema educacional, como tratar o conhecimento específico Luta Corporal nas aulas de Educação Física, visando elevar o pensamento teórico dos estudantes e instrumentalizar a classe trabalhadora, na disputa de projetos de sociedade, partindo das necessidades reais, articuladas a organização social mais ampla, que fizeram essa atividade humana construir gestos, técnicas e ideias que devem estar alinhadas com o projeto histórico da classe trabalhadora, sem o qual é inviável a realização plena das atividades humanas.

  • JAQUELINE NEVES MOREIRA
  • O DESENVOLVIMENTO DO PENSAMENTO CIENTÍFICO NOS CURSOS DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO DO CAMPO A PARTIR DO ENSINO DE CIÊNCIAS DA NATUREZA E MATEMÁTICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE: UM ESTUDO DE CASO (2008 a 2012).
  • Orientador : SONIA MEIRE SANTOS AZEVEDO DE JESUS
  • Data: 21/05/2015
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Os cursos de Licenciatura em Educação do Campo apresentam uma nova concepção de formação de professores, com a preocupação de não fragmentar o conhecimento e nem distanciá-lo da realidade dos seus alunos. A proposta tem como objetivo organizar os conteúdos e caracteriza-se pela formação por área do conhecimento para a Educação Básica, presente nos quatro projetos pilotos no Brasil, desde 2007: Universidade Federal de Sergipe, Universidade Federal da Bahia, Universidade Federal de Minas Gerais e Universidade de Brasília. A proposta por área do conhecimento se estrutura a partir de uma compreensão de ciência que pretende superar um conhecimento linear, fragmentado, aligeirado e particularizado, a ponto de se perder os elementos constitutivos do trabalho humano e da sua relação com a natureza e a sociedade. Neste contexto, pretendeu-se pesquisar como a formação por área do conhecimento coopera para a preparação de professores que estes são formados no curso de Licenciatura em Educação no Campo da Universidade Federal de Sergipe – UFS. Um dos elementos importantes da formação está no desenvolvimento do pensamento científico, a partir da integração dos aspectos teóricos e práticos na construção de uma concepção diferenciada de ciência, de modo que essa formação possa contribuir para a emancipação do próprio homem, levando em consideração a luta pela terra e sua permanência nela. A nossa pergunta orientadora foi se essa proposta curricular se constituiu como inovadora na produção de um conceito diferenciado de ciência e de ensino na formação de professores da Educação do Campo. A hipótese apresentada é a de que a produção do conhecimento se diferencia, quando no currículo, se estabelece a interação entre os conceitos científicos e a realidade do futuro professor do campo a partir de um processo que ocorre por meio de relações complexas entre ciência, sociedade, homem, natureza e tecnologia. O que se pôde identificar na pesquisa foi a presença de elementos que colocam em risco a execução de um curso de Licenciatura em Educação do Campo na perspectiva emancipatória. A análise das entrevistas e dos trabalhos de conclusão de curso, a partir das categorias totalidade, contradição e superação, apontam sérias contradições na implementação de cursos de licenciatura frente à própria estrutura das políticas públicas votadas para a questão agrária e para a educação e, do próprio modelo de universidade onde
    os cursos se materializam.

  • NUBIA JOSANIA LIRA SOUZA
  • Formação continuada dos professores de Educação Física da rede pública de ensino do município de Aracaju: mediações do “Programa Horas de Estudo”.
  • Orientador : SOLANGE LACKS
  • Data: 21/05/2015
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A problemática central desta Tese diz respeito à Formação Continuada de Professores de Educação Física na rede Municipal de Ensino de Aracaju, assim, insistimos pela investigação científica que se pauta na luta consistente de reestruturação da lógica da formação humana, para além das proposições do capital. Esta pesquisa está inserida na tarefa central das contribuições científicas à educação e inscreve-se no âmago da luta histórica pela superação da segregação humana pela via dos processos educativos oriundas do Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação Física & Esporte e Lazer- GEPEL na linha de Pesquisa Formação de Professores e Trabalho Docente articulado a rede LEPEL. O objetivo geral é analisar os nexos e relações entre as políticas educacionais destinadas à formação continuada e a organização do trabalho pedagógico dos professores da educação básica na Escola pública. E como objetivos específicos pretendemos analisar a Formação Continuada de Professores no Brasil considerando as proposições das Políticas Públicas e o alcance na rede Municipal de Educação de Aracaju identificando a influência da mercantilização da Educação na sociedade do capital; Constatar e explicitar a realidade da Educação Física na rede Municipal de Educação de Aracaju articulada à política de Formação Continuada de Professores através do “Programa Horas de Estudo” buscando revelar a concepção de formação continuada e identificar os nexos com a organização do trabalho pedagógico e Contribuir para a Proposição de formação continuada mediada pelas categorias da prática pedagógica do professor de Educação Física da rede Municipal de Educação de Aracaju sob o ponto de vista do trabalho socialmente útil para além do capital que atenda às demandas concretas do trabalho docente. Este estudo está mediado pela perspectiva do materialismo histórico dialético com a pertinência da aplicabilidade da ciência no desvelamento da realidade ao tempo em que busca identificar os nexos e determinações dos fenômenos da realidade para balizar a elaboração das possibilidades na política pública.

  • MILENA CRISTINA ARAGÃO RIBEIRO DE SOUZA
  • Representações docentes sobre os castigos escolares
  • Orientador : ANAMARIA GONCALVES BUENO DE FREITAS
  • Data: 04/05/2015
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente Tese de Doutorado teve como objeto os castigos escolares e como objetivo, propôs-se investigar a construção de práticas e representações de dez professoras das primeiras séries do ensino fundamental, graduadas em pedagogia entre as décadas de 1970 a 2014, sobre os castigos utilizados em sala de aula. O caminho metodológico utilizado pautou-se na História Oral Temática, apoiado nas obras de Alberti (2003); Ferreira e Amado (2006); e Portelli (2006). O tratamento das entrevistas foi realizado através da análise textual discursiva de Roque Moraes (2007). Esta pesquisa está centrada teoricamente em Pierre Bourdieu, em especial nos conceitos de habitus e campo; bem como em Roger Chartier, com os conceitos de práticas, representações e apropriação; além de outros autores capazes de transitar por entre as tramas das relações e tensões socioculturais; das práticas e representações de sujeitos ordinários, interrogando a pluralidade do cotidiano, os modos de pensar, dizer e fazer dos sujeitos que compõe a escola. Diante da trajetória apontada, trago à tona a Tese que defendo em relação aos castigos escolares: a incorporação dos castigos na prática profissional docente se entrelaça com a história de vida, em especial com os saberes aprendidos na infância (por meio da família e da escola), sendo naturalizados nas ações e tendo pouca relação com os cursos de formação, o que faz com que sua escolha não seja com base nos conhecimentos e saberes da pedagogia. Como resultado, foi observado que as docentes investigadas dizem utilizar diferentes tipos de castigos em sala de aula, com ênfase nos castigos morais, porém relataram o uso de castigos físicos em sua história de vida escolar, bem como na prática de suas colegas de trabalho. Para elas, o castigo tem a função de disciplinar no sentido kantiano, ou seja, formar bons cidadãos para vida em sociedade. Afirmaram, ainda, acreditar que a escolha dos castigos a serem utilizados em classe está relacionado às vivências familiares e escolares e não à aprendizagens formais. O Estatuto da Criança e do Adolescente foi mencionado como uma importante lei, porém, foi vista de maneira ambígua, isto é, se por um lado contribuiu positivamente por provocar a diminuição dos castigos corporais, também prejudicou a ação docente, na medida em que “retirou a autoridade do professor”. A Tese foi finalizada sugerindo possibilidades de ação na perspectiva da formação continuada, a fim de lidar com os castigos a partir de um prisma pedagógico. Saliento que investigar a construção das práticas e representações docentes sobre os castigos escolares, culmina num processo de desnaturalização de uma ação corriqueira no universo educacional, permitindo pensar em possibilidades de ação frente a esta temática; bem como estimula a refletir sobre a importância de se manter um olhar para a docência no que concerne a sua dimensão social, cultural, histórica e subjetiva, uma vez que são eles que atuam na mediação e na construção do processo ensino-aprendizagem.