Interfaces com a Educação Básica

As interfaces com a Educação Básica são desenvolvidas por meio de ações de ensino, pesquisa e extensão que integram as ações dos professores do programa com a graduação. Assim, destacamos as mais importantes parcerias com a Educação Básica:

A profa. Dra. Eva Maria Siqueira Alves é coordenadora da pesquisa DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS SOCIAIS PARA FORMALIZAÇÃO E RESSIGNIFICAÇÃO DE PRÁTICAS  CULTURAIS EM ARACAJU/SE, aprovada por meio do Edital CAPES/FAPITEC N. 05/2014. O objetivo do projeto de estruturação do Núcleo de Ciência, Tecnologia e Inovação na Educação Básica é, a partir da identificação de valores, práticas e produções culturais no entorno de três comunidades escolares, propiciar o desenvolvimento de tecnologias sociais, entendendo tal conceito como técnicas e metodologias que possibilitem ser apropriadas por esses grupos de modo a representar soluções para a melhoria das condições dos sujeitos envolvidos. Fazem parte da equipe da pesquisa: as professoras Raquel Meister Ko. Freitag (Departamento de Letras Vernáculas e do PPGED) e Sônia de Souza Mendonça Menezes (Departamento de Geografia). As ações da projetos são desenvolvidas nas escolas Colégio Estadual Atheneu Sergipense, Colégio Estadual João Costa e Colégio Estadual Ministro Petrônio Portela. Há a participação de 24 bolsistas: alunos da graduação (12 alunos) e alunos das respectivas escolas (12 alunos: 4 de cada). Coordenadora adjunta da CIENART – Feira Estadual de Ciência, Tecnologia e Artes de Sergipe. Compõem a equipe: Zélia Soares Macedo (Coordenadora, professora do Departamento de Física), Raquel Meister Ko. Freitag (Departamento de Letras Vernáculas e PPGED), Eliana Midori Sussuchi (Departamento de Química), Sonia de Souza Mendonça Menezes (Departamento de Geografia). A Feira Estadual de Ciências, Tecnologia e Artes de Sergipe (Cienart), que foi instituída no ano de 2012 e está em desenvolvimento até a presente data, no estado de Sergipe - Brasil. A Cienart objetiva subsidiar os professores na elaboração e submissão de projetos científicos para concorrerem a editais de agências de fomento e apoiar professores na execução dos projetos, valorizando saberes. A Cienart oportuniza o espaço para a apresentação dos conhecimentos científicos socioculturais gerados por atividades desenvolvidas por professores e alunos das redes pública e particular de ensino. As atividades são desenvolvidas ao longo de todo ano, como as Oficinas Pedagógicas realizadas em diferentes municípios sergipanos, culminando com a apresentação dos trabalhos na Feira durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. As Oficinas Pedagógicas são ações principalmente voltadas às escolas públicas, por termos identificado nestas as maiores barreiras para a realização de feiras de ciências. Os obstáculos decorrem de fatores diversos, que vão desde o desestímulo dos dirigentes e docentes até a escassez de recursos financeiros e ferramentas educacionais. As escolas particulares, no entanto, também são convidadas a participar, havendo uma grande adesão, haja vista que já existe uma tradição de realizar feiras de ciências e oferecer laboratórios de ciência, tecnologia e até robótica em algumas delas. O formato das Oficinas Pedagógicas é composto por palestras de pesquisadores e educadores, atividades práticas multidisciplinares abrangendo todas as áreas do conhecimento e discussões. O objetivo das oficinas é sensibilizar os professores para a importância da experimentação, do método científico e da curiosidade no processo de ensino e aprendizagem como parte de um processo mais amplo de investigação. Entre os temas trabalhados, incluem-se as ferramentas de busca e investigação, metodologias de elaboração de projetos e relatórios, discussões de ideias e de problemas enfrentados pelos professores em suas escolas de origem, buscando soluções em comum. No tocante aos resultados  e impactos da Cienart, destacamos o maior envolvimento da população nas questões ligadas à C&T e a melhoria da qualidade no ensino, através da incorporação de práticas pedagógicas inovadores e diferenciadas, com a consolidação de uma metodologia replicável d e aprimoramento do ensino e da aprendizagem.

A profa. Dra. Eva Maria Siqueira Alves coordenou o projeto de extensão “Organização de arquivos escolares: da teoria à prática” (aprovado por Edital da PROEX/UFS) nos anos de 2015 e 2016. O projeto objetivou divulgar, popularizar e expandir os conhecimentos adquiridos com a experiência do Centro de Educação e Memória Atheneu Sergipense (CEMAS), bem como promover cursos de formação para diferentes escolas das redes estadual, municipais e particulares, abordando temas pertinentes à preservação documental e aspectos da arquivologia.

A profa Dra. Lívia de Rezende Cardoso coordenou entre os anos 2014 e 2015 o Projeto de Extensão “Sala Verde na UFS” que se propunha fornecer formação continuada a professores das redes estadual e municipal de educação básica em Sergipe. Atuaram nesse projeto, alunos de Iniciação à Extensão (IE) de diferentes cursos de licenciatura da UFS, com bolsas financiadas pela PROEX/UFS para atuarem nas escolas de educação básica. A profa. Lívia Cardoso também atuou como formadora em 2015 e como coordenadora na edição 2016/2017 do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC/MEC)  em Sergipe, sendo responsável pela formação dos docentes da Educação Básica que atuam no primeiro ciclo do Ensino Fundamental, nos eixos de ensino de Ciências e Matemática e de Gestão Educacional. Em 2015, atuou como avaliadora de livros didáticos, na área de Ciências Naturais dos anos iniciais do Ensino Fundamental, do Programa Nacional de Livro Didático (PNLD/MEC).

A profa. Dra. Silvana Bretas atuou como coordenadora adjunta do Programa de Formação Continuada de Professores – Pacto Nacional para a Alfabetização na Idade Certa; participou como membro de Banca Examinadora de concurso público para Diretores, etapa II, promovida pela Secretaria do Estado da Educação – SEED; participou como avaliadora de Coleções Integradas de Ciências Humanas e da Natureza do Plano Nacional do Livro Didático – PNLD, 2015; Atualmente coordenadora de gestão do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência – PIBID.

No que se refere  à  AVALIAÇÃO DO  PROGRAMA NACIONAL DO  LIVRO  DIDÁTICO /   ANOS INICIAIS/HISTÓRIA/MEC/2015, a Profa. Dra. Marizete Lucini atuou como Coordenadora Pedagógica, o Pro. Dr. Dilton Cândido Santos Maynard como Coordenador Institucional e o Prof. Dr. Itamar Freitas de Oliveira assessor e o Prof. Dr. Joaquim Tavares Conceição e Simone de Lucena Ferreira atuaram como avaliadores. O PNLD desenvolvido pelo MEC tem o objetivo de garantir aos alunos da rede pública de ensino o acesso a obras didáticas de qualidade. Para tanto, as obras são avaliadas por equipes de especialistas, com vistas  a  disponibilizar  obras adequadas  ao  trabalho  pedagógico.  A distribuição das obras didáticas pelo PNLD tem caráter universal e gratuito. A execução do Programa é realizada pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), responsável pela aquisição e distribuição dos   livros,   e   pela Secretaria   de Educação   Básica   (SEB),   a quem cabe coordenar e supervisionar o processo de avaliação pedagógica das obras inscritas no Programa e produzir o Guia de Livros Didáticos. O processo de avaliação pedagógica das obras didáticas destinadas aos alunos e professores dos anos iniciais do ensino fundamental inscritas no PNLD 2016, na  área  de História,  a  UFS garantiu a composição de  uma  equipe  de  coordenadores  e avaliadores  com  larga  experiência em processos avaliativos vinculados  ao Programa,  com  profunda  formação  em  docência  e  pesquisa na área e no componente curricular em questão, com atividades pertinentes e comprovadas em seus respectivos currículos profissionais e com a imprescindível postura ética e dialógica que este processo requer. Foram aceitas 43 coleções, sendo que 9 dessas estavam sendo avaliadas pela primeira vez e 34  já haviam sido avaliadas em outras edições. Dessas 43 coleções, 22 coleções eram destinadas ao 4º e 5º anos. 21 coleções destinavam-se ao 2º e 3º anos. As coleções foram avaliadas seguindo a metodologia do duplo cego, sendo 11 reprovadas, 15 aprovadas com falhas pontuais e 17 aprovadas. O processo de avaliação culminou com a publicação do Guia Nacional do Livro Didático pelo Ministério da Educação e Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação para escolha das obras pelas escolas públicas de todo o Brasil.

A profa. Dra. Marizete Lucini participou como AVALIADORA no PNLD 2016 – Anos finais do Ensino Fundamental/História, coordenado pela Universidade Estadual de Londrina. Coordenou o Curso de Aperfeiçoamento em Educação de Jovens e Adultos na Diversidade. Curso de Aperfeiçoamento com 180 horas pela UAB em parceria com a SECAD/MEC com a participação de 409 professores de educação básica do estado de Sergipe. Coordenou o Curso de Aperfeiçoamento em Educação de Jovens e Adultos na Diversidade, desenvolvido com professores atuantes em escolas de Educação Básica no estado de Sergipe, na modalidade semipresencial, em 2013. O Curso de Aperfeiçoamento em Educação de Jovens e Adultos na Diversidade foi desenvolvido pela Universidade Federal de Sergipe, Centro de Educação à Distância – CESAD, em parceria com o Ministério de Educação e Cultura/SECADI em resposta ao EDITAL Nº 28 SECAD/MEC, 23 DE NOVEMBRO DE 2009. A clientela atendida pelo Curso de Aperfeiçoamento  em Educação de Jovens e Adultos na Diversidade foi composta por professores atuantes nas redes estadual e municipais de Ensino da Educação Básica no Estado de Sergipe. As atividades foram iniciadas em 14 de dezembro de 2012 e encerradas em 03 de agosto de 2013. As inscrições totalizaram 409 professores inscritos regularmente. Por tratar-se de um curso de Aperfeiçoamento na modalidade à distância, a coordenação do curso, juntamente o CESAD decidiu pela matrícula de todos os inscritos. Assim, foram matriculados 409 professores. O curso Educação de Jovens e Adultos na Diversidade, modalidade semi-presencial objetivou contribuir para a formação continuada de professores e outros profissionais da educação da rede pública que atuam diretamente na Educação de Jovens e Adultos (EJA) nas 1ª a 4ª etapas, bem como dos que atuam em programas e projetos dessa modalidade de ensino, promovendo a qualificação da ação pedagógica empreendida para a EJA em Sergipe e estimulando-os a dar continuidade a este processo formativo através da constituição da Comunidade de Trabalho/Aprendizagem em rede na Diversidade –CTARD em cada localidade. O curso foi desenvolvido em 6 módulos semi-presenciais totalizando 180 horas, através da plataforma modle com a intermediação de 10 tutores à distância. Os módulos desenvolvidos apresentaram boas reflexões pertinentes aos problemas que envolvem a Educação de Jovens e Adultos no cenário Sergipano. As reflexões possibilitadas no curso resultaram na apresentação de trabalhos finais por parte dos professores que em Seminário final do curso socializaram as atividades desenvolvidas a partir do curso de aperfeiçoamento Educação de Jovens e Adultos na Diversidade.

No que se refere à Iniciação a Docência na Educação Básica para alunos de graduação que atuem em projetos que visam à melhoria da formação do futuro do professor, o PPGED possui três subprojetos. O primeiro, elaborado pelos Professores Antônio Vital Menezes de Souza – DED/PPGED, José Mário Aleluia Oliveira - DED/PPGED, Maria Inez Oliveira Araújo- DED/PPGED, Marizete Lucini - DED/PPGED e Tacyana Karla Gomes Ramos - DED/PPGED, com uma equipe composta por 12 professores de Educação Básica bolsista supervisores e com 104 estudantes da Licenciatura de Pedagogia, bolsistas ID que desenvolvem oficinas em escolas de Educação Básica. O segundo subprojeto foi elaborado pelos professores Alfrancio Ferreirira Dias, Eliana Sampaio Romão, Simone de Lucena Ferreira e Lívia de Rezende Cardoso, vinculados ao Departamento de Educação (DEDI) da Campus Universitário Prof. Alberto Carvalho da UFS e ao PPGED. A proposta atende 06 (seis) escolas no município de Itabaiana/Sergipe, envolvendo 10 (dez) professores-supervisores e 70 (setenta) bolsistas de iniciação à docência. O terceiro é coordenado pelo prof. Dr. Luiz Anselmo Menezes Santos. Trata-se do subprojeto de LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA UFS, VINCULADO AO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO A DOCÊNCIA- PIBID, com a atuação de duas professoras supervisoras e 20 estudantes de licenciatura, onde suas ações são desenvolvidas no Colégio de Aplicação da UFS.

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bemtevi1.bemtevi1 v3.5.16 -r11747-970edecc06