A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: TAUAN ROSA DE SANTANA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: TAUAN ROSA DE SANTANA
DATA: 01/08/2023
HORA: 07:00
LOCAL: Sala 3 - Didática II
TÍTULO: Efeito da guia de reposicionamento na avaliação de cor de clareamento dental e impacto clínico da marca da barreira gengival
PALAVRAS-CHAVES: Clareamento Dental; Peróxido de Carbamida; Cor; Ensaio Clínico.
PÁGINAS: 58
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Odontologia
RESUMO:

Esta tese foi dividida em três objetivos principais. O primeiro foi avaliar como a umidificação do esmalte antes da aplicação do clareador (peróxido de carbamida a 37%) e a cor da guia de reposicionamento afetam a alteração de cor mensurada. O segundo foi determinar a percepção dos operadores e pacientes sobre diferentes barreiras gengivais usadas durante o clareamento dental, bem como a qualidade de sua adaptação. E o terceiro foi investigar a influência da cor e da presença da guia de reposicionamento na cor mensurada utilizando um espectrofotômetro. Para o primeiro objetivo, 40 participantes foram selecionados e aleatoriamente designados para receber clareamento dental em consultório com umedecimento do esmalte (grupo experimental) ou sem umedecimento (grupo controle). Além disso, foram confeccionadas guias de reposicionamento com silicone roxo ou verde, e a cor dos dentes foi medida antes e uma semana após a segunda sessão de clareamento utilizando um espectrofotômetro. Vinte e um desses pacientes participaram do segundo objetivo, em que os operadores utilizaram barreiras gengivais de quatro marcas diferentes (Opaldam, Topdam, Lysadam e Maxdam), uma por hemi-arco, em sequência aleatória, e sem saber a marca de cada seringa utilizada. Os operadores preencheram formulários autoaplicáveis, classificando características de manuseio e segurança em uma escala Likert. O desconforto relatado pelos pacientes com as barreiras também foi registrado e avaliadores externos atribuíram escores ao isolamento através de fotografias. Para o terceiro objetivo, a cor do incisivo central e canino superior esquerdo de 18 voluntários foi medida com um espectrofotômetro. As medições (em triplicata) foram feitas com ou sem matrizes de reposicionamento, confeccionadas com silicone (rosa, azul ou translúcido) ou com moldeira à base de acetato. Os resultados do estudo 1 indicaram que a umidificação do esmalte não teve efeito significativo na mudança de cor do dente. No entanto, a cor da matriz de reposicionamento influenciou os resultados, com a matriz verde resultando em dentes mais brancos do que o roxo. O uso de matrizes de reposicionamento teve efeito mínimo nos valores de cor dos dentes. Além disso, a cor da guia de silicone também afetou algumas medidas de mudança de cor. No estudo 2, as barreiras gengivais Opaldam e Topdam receberam melhores avaliações dos operadores. Não houve diferença significativa entre as barreiras na qualidade de adaptação, mas a barreira Maxdam apresentou maior incidência de desconforto relatado pelos pacientes. Para o estudo 3, resultados mais próximos ao do controle foram observados com o uso de silicone transparente e moldeira de acetato. O uso de guias de reposicionamento teve pouco efeito na variabilidade dos dados de cor mensurada. Em conclusão, os resultados sugerem que: 1) a umidificação do esmalte não afeta a eficácia clínica do clareamento com peróxido de carbamida 37%, mas a cor da guia de reposicionamento pode influenciar os resultados mensurados; 2) apesar da marca da barreira não afetar a sua adaptação, diferenças foram observadas na percepção do operador e no desconforto do paciente; e 3) o uso de guias de reposicionamento altera a cor mensurada sem afetar a variabilidade dos dados.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1234951 - CAROLINA MENEZES MACIEL
Externo à Instituição - MARIA LUISA SILVEIRA SOUTO
Externo à Instituição - GIULLIANA PANFIGLIO SOARES

Notícia cadastrada em: 28/07/2023 16:52
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2024 - UFRN - bigua3.bigua3 v3.5.16 -r18988-33b839e988