Notícias

Banca de DEFESA: LILIANE POCONE DANTAS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LILIANE POCONE DANTAS
DATA: 24/02/2014
HORA: 08:00
LOCAL: Sala 26 do NPGME
TÍTULO: FEITOS DA PASSIFLORA INCARNATA E DO MIDAZOLAM NO CONTROLE DA ANSIEDADE EM PACIENTES SUBMETIDOS À EXODONTIA DE TERCEIROS MOLARES INCLUSOS
PALAVRAS-CHAVES: Passiflora incarnata; Ansiedade; Cirurgia bucal
PÁGINAS: 77
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Odontologia
SUBÁREA: Clínica Odontológica
RESUMO:

A ansiedade dos pacientes é uma constante nos consultórios odontológicos, desde os procedimentos mais rotineiros aos mais invasivos, como as cirurgias. O objetivo dessa pesquisa foi comparar o efeito da Passiflora incarnata com o do Midazolam no controle da ansiedade em pacientes submetidos a exodontias de terceiros molares mandibulares inclusos. Foi realizado um ensaio clínico, randomizado, controlado, duplo-cego, cruzado, envolvendo uma amostra de 40 voluntários, após diagnóstico e indicação para exodontia bilateral dos terceiros molares mandibulares inclusos, assintomáticos e em posições e dificuldades cirúrgicas similares. Foi administrado Passiflora incarnata 260 mg ou Midazolam 15 mg, por via oral, 30 minutos antes do início do procedimento cirúrgico, de forma aleatória e cruzada. Em ambos os casos, para prevenção da hiperalgesia e o controle do edema foi administrado uma única dose de dexametasona 8 mg intramuscular, 30 minutos antes da cirurgia. A avaliação do grau de ansiedade dos sujeitos da amostra foi feita por meio de questionários e de parâmetros físicos, como frequência cardíaca (FC), pressão arterial (PA) e teor de saturação de oxigênio (SpO2), sendo delineada em três fases distintas: Fase I (basal); Fase II (dia da intervenção) e Fase III (consulta de retorno). Não houve diferenças estatisticamente significantes entre os protocolos sobre a PA, FC e SpO2 considerando cada tempo independentemente. Mais de 70% dos voluntários respondeu se sentir tranquilo ou um pouco ansioso, tanto quando realizou a cirurgia com a Passiflora quanto com o Midazolam. Quando foi utilizado Midazolam, 20% dos indivíduos relataram não se lembrar de absolutamente nada, enquanto que a Passiflora mostrou pouca ou nenhuma capacidade de interferir com a memória do indivíduo. Dentre os efeitos adversos, a sonolência foi o efeito mais relatado para os dois protocolos, 82,5% quando administrado Midazolam e 50% com a Passiflora. No entanto, não houve diferenças estatisticamente significantes entre os protocolos em relação a esses efeitos. Concluiu-se que a Passiflora incarnata apresentou um efeito ansiolítico similar ao Midazolam, sendo segura e eficaz na sedação consciente de pacientes adultos submetidos a exodontias de terceiros molares mandibulares inclusos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1111420 - LIANE MACIEL DE ALMEIDA SOUZA
Externo ao Programa - 1208405 - MONICA SILVEIRA PAIXAO
Externo à Instituição - PAULO ALMEIDA JUNIOR
Notícia cadastrada em: 07/02/2014 10:27
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - fragata3.fragata3 v3.5.16 -r10787-147c949b3