Notícias

Banca de DEFESA: AUGUSTO TAVARES DE FIGUEIREDO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: AUGUSTO TAVARES DE FIGUEIREDO
DATA: 30/08/2019
HORA: 14:00
LOCAL: A DEFINIR
TÍTULO: EFEITO DA VARIAÇÃO DA CONDUT NCIA DE CORRENTES IÔNICAS NA ARBORIZAÇÃO DENDRÍTICA SOBRE O COMPORTAMENTO ELÉTRICO DE CÉLULAS GRANULARES DO GIRO DENTEADO: UM ESTUDO COMPUTACIONAL.
PALAVRAS-CHAVES: Epilepsia do lobo temporal, neurônios, giro denteado, simulação por computador, eletrofisiologia.
PÁGINAS: 72
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Fisiologia
RESUMO:

Epilepsia é uma condição clínica que se caracteriza por uma predisposição duradoura a geração de crises epilépticas, estas definidas como uma ocorrência transitória de sinais e/ou sintomas devida a atividade neuronal excessiva ou síncrona anormal no cérebro. Trata-se de condição bastante prevalente, sendo a maior causa mundial de incapacidade em crianças e adultos jovens, com grande repercussão social e econômica, notadamente nos países em desenvolvimento e subdesenvolvidos. A epilepsia do lobo temporal mesial associada a esclerose hipocampal é a síndrome epiléptica mais comum em adultos, sendo caracterizada por sua fármaco resistência. A célula granular do giro denteado de rato, por suas características biofísicas e sua topografia na rede de conexões extrínsecas da formação hipocampal, é tida como um fator preventivo na geração de convulsões. Em peças cirúrgicas de pacientes portadores de epilepsia do lobo temporal mesial e em modelos experimentais deste tipo de epilepsia, observamos diversas alterações morfológicas dos neurônios granulares. Algumas destas alterações, como o brotamento de fibras musgosas, são relacionadas ao aumento da excitabilidade dessas células. Outras, como a perda dos espinhos dendríticos apicais, à redução. O objetivo do presente estudo é avaliar o comportamento de três grupos diferentes de células granulares do giro denteado de ratos – adulto, neonato e neonato com epilepsia induzida por pilocarpina (neonato-PILO) – através de estimulação tanto na porção proximal quanto distal de sua arborização dendrítica, variando ainda de forma gradual a corrente dos canais iônicos sabidamente presentes nestas células. Para tanto foram utilizados modelos de neurônios reais obtidos em NeuroMorpho, utilizando dados biofísicos obtidos experimentalmente e realizadas simulações computacionais com o programa NEURON. Observou-se à estimulação da arborização dendrítica proximal uma maior excitabilidade do grupo neonato-PILO em comparação aos 2 outros grupos, em se considerando o conjunto de medidas utilizadas para avaliar a excitabilidade das células. Contudo a frequência de disparos, medida da atividade dos neurônios, foi praticamente igual entre os 2 grupos neonatos. Ao se associar a variação da condutância da corrente de canais iônicos também na sua porção proximal, observamos, conforme esperado, que a redução da condutância da corrente de Na+ foi significativa para a redução da excitabilidade dos 3 grupos de neurônios. O aumento da condutância da corrente fKDR determinou um aumento da frequência de disparos, em oposição ao observado quando da variação da condutância dos canais sKDR, SK e CaL. Em se considerando que o aumento da corrente de potássio para fora da célula neuronal não é o mecanismo de ação mais importante da ação dos medicamentos anticonvulsivantes hoje utilizados, é possível que a confecção de substâncias que visem a aumentar a condutância de canais de K, principalmente dos canais iônicos sKDR e SK, possam ter um papel adjuvante na redução da excitabilidade da célula granular; e, portanto no controle da epilepsia. Ainda, em virtude da atividade das células neonatas e neonatas-PILO ser de intensidade semelhante, cabe apontar a necessidade de estudar estas células conectadas a um modelo realista de rede de neurônios, haja vista que achado semelhante ao nosso foi observado por Scharfman et al. quando estudando células granulares isoladas, mas com resultados diferentes quando as mesmas células se encontravam em rede (Scharfman et al., 2000). À estimulação distal, não foram observados potenciais de ação (disparos) nas células dos grupos neonato. É possível que tal fenômeno se deva a uma inadequação dos parâmetros topográficos do protocolo de estimulação. Sugerimos a realização de novo protocolo visando simular o comportamento dos 2 grupos neonato somente, a fim da resolução deste problema.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2081986 - HECTOR JULIAN TEJADA HERRERA
Interno - 2225863 - MURILO MARCHIORO
Externo ao Programa - 3891712 - TIAGO COSTA GOES
Notícia cadastrada em: 23/08/2019 08:45
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r10803-399c5c35c