Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ANDREZA MELO DE ARAUJO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANDREZA MELO DE ARAUJO
DATA: 25/07/2019
HORA: 08:30
LOCAL: Miniauditório do CCBS, Campus de São Cristóvão
TÍTULO: NARINGINA EXERCE EFEITO CARDIOPROTETOR NA INJÚRIA DE ISQUEMIA-REPERFUSÃO EM CORAÇÃO DE RATO POR DIMINUIR O ESTRESSE OXIDATIVO.
PALAVRAS-CHAVES: Naringina, isquemia-reperfusão, coração, estresse oxidativo, rato.
PÁGINAS: 55
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Fisiologia
RESUMO:

A lesão de isquemia-reperfusão (IR) cardíaca é um mecanismo complexo decorrente de uma obstrução das artérias coronárias levando a diminuição do suprimento de oxigênio do miocárdio e danos irreversíveis ao coração. A reperfusão da artéria é necessária para restabelecer o fluxo sanguíneo do coração, entretanto, pode amplificar a injúria miocárdica. Estudos têm mostrado que compostos naturais com atividade antioxidante pode minimizar a lesão ocasionada pela lesão de IR. Nesse sentido, a naringina (NGR) é um flavonóide com atividades antioxidante e anti-inflamatória com capacidade de reduzir o risco da síndrome metabólica. O objetivo do estudo foi avaliar os efeitos cardioprotetores do pré-tratamento com a NGR em corações submetidos à lesão de IR. Para tanto, foram usados ratos Wistar machos, divididos em 4 grupos, e pré-tratados por via oral durante 7 dias: 1) Controle (solução salina 0,9% + DMSO 25%) sem lesão de IR, 2) Veículo + IR (solução salina 0,9% + DMSO 25%) submetidos a IR, 3) NGR + IR (solução salina 0,9% + DMSO 25% + NGR 25 mg/kg) e 4) NAC + IR (solução salina 0,9% + DMSO 25% + N-acetil cisteína (NAC) 100 mg/kg). Após os tratamentos, os corações foram montados em sistema de perfusão retrógrada do tipo Langendorff (fluxo constante 8 ml/min, 37oC) e submetidos a isquemia global (30 min) seguido de 60 min de reperfusão. Em todos os grupos experimentais foram avaliados os parâmetros eletrocardiográficos (PRi, QTc, QRS e frequência cardíaca) e contráteis (pressão desenvolvida do ventrículo esquerdo (PDVE), derivadas da contração (+dP/dt) e do relaxamento (-dP/dt)). Também foram avaliados a pressão coronariana (PC), escore de arritmias, e dosagem da lactato desidrogenase (LDH) no perfusato. A avaliação do estresse oxidativo dos corações foi feita com base na determinação da produção de espécies reativas de oxigênio, peroxidação lipídica (TBARS), atividade da catalase (CAT) e superóxido dismutase (SOD), grupamentos sulfidrilas totais (SH) e carbolinação de proteínas. Os resultados obtidos mostraram que o pré-tratamento dos animais com a naringina foi capaz de restaurar a redução da PDVE, +dP/dt e -dP/dt induzida pela IR. Resultado similar à NGR, também foi observado no grupo tratado com NAC. A frequência cardíaca apresentou-se aumentada nos animais tratados com NGR quando comparado ao grupo veículo+IR. Não houve diferença significativa em relação à PC entre os grupos experimentais estudados. Além disso, no eletrocardiograma, não foi possível detectar inversão da onda T (isquemia miocárdica) e supradesnivelamento do segmento ST (infarto do miocárdio) nos corações dos animais tratados com a NGR. Não foi observado alteração nos intervalos PRi, QTc e duração do complexo QRS entre os grupos experimentais. O pré-tratamento dos animais com a NGR atenuou a severidade das arritmias diminuindo o escore de arritmias de 21,4 ± 2,48 u.a (veículo+IR) para 5,5 ± 0,72 u.a. (NGR) associado à diminuição da ocorrência de arritmias mais severas tais como fibrilação ventricular. Os resultados mostraram redução de 78% do LDH no perfusato dos animais pré-tratados com a NGR, associada a uma redução da área de infarto para 10% quando comparado ao grupo veículo+IR (47%). Os resultados mostram aumento na produção de EROs no grupo veículo+IR (1,61 ± 0,30 u.a., p<0,05) quando comparado ao grupo controle (1,0 ± 0,14 u.a.) e redução no grupo NRG+IR (1,11 ± 0,10 u.a. p<0,05). O tratamento dos animais com NRG foi capaz de restabelecer as atividades da CAT e SOD em 61% e 50%, respectivamente. Os resultados mostraram diminuição na peroxidação lipídica no grupo NRG+IR (1,48 ± 0,47 nmol MDA/mg de proteína) em relação ao veículo+IR (3,38 ± 0,47 MDA/mg de proteína). Não houve alteração na determinação dos grupamentos sulfidrilas totais (SH) e carbolinação de proteínas nos grupos experimentais avaliados. Concluímos que pré-tratamento com a NRG exerce efeito cardioprotetor contra a injúria da IR por diminuir dano oxidativo e restaurar a atividade das enzimas antioxidantes.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1635611 - EVALEIDE DINIZ DE OLIVEIRA
Presidente - 1656787 - JOSIMARI MELO DE SANTANA
Externo à Instituição - RAQUEL MOREIRA DE BRITTO
Notícia cadastrada em: 24/07/2019 08:18
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bemtevi1.bemtevi1 v3.5.16 -r10803-399c5c35c