Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: RAYANNE GOIS DE SOUZA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RAYANNE GOIS DE SOUZA
DATA: 01/08/2016
HORA: 09:00
LOCAL: A definir
TÍTULO: Desenvolvimento e caracterização de modelo animal de dor muscular tardia induzida por exercício resistido em rato.
PALAVRAS-CHAVES: Dor muscular; Exercício resistido; Performance.
PÁGINAS: 1
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Biologia Geral
RESUMO:

A dor muscular tardia (DMT) é uma condição miogênica comum caracterizada por
hipersensibilidade ou dor na musculatura esquelética afetada após o exercício
desacostumado, sendo muito referida por praticantes de exercícios físicos resistidos
ou atletas quando novos movimentos são executados e/ou novos treinos são
realizados. Modelos animais com protocolos de exercícios resistido são importantes
para mimetizar os efeitos fisiológicos apresentados pelos seres humanos e, com
isso, esclarecer os mecanismos envolvidos e elucidar a minimização dos efeitos
indesejáveis ocasionados pela prática desse tipo de exercício. Porém, modelos
animais de exercício resistido que causem DMT e os mecanismos envolvidos no
surgimento desse tipo de dor ainda são pouco investigados. Dessa forma, este estudo
buscou desenvolver e caracterizar um modelo experimental de dor muscular tardia
pós-exercício resistido. Para tanto, foram utilizados dois grupos, um submetido ao
exercício resistido (ER) e um controle (CO), o qual foi submetido ao exercício fictício.
Os animais realizaram o teste de 1RM para descobrir a maior carga que conseguiam
levantar em uma única repetição e, a partir de então, foi definida a intensidade de
treino. Para tal, foi utilizado o aparelho de agachamento para o protocolo de exercício
resistido. A sessão consistiu de 10 séries de 10 repetições, com 60% da carga
estabelecida no teste de 1RM para cada animal, com 2 minutos de descanso entre as
séries. A hiperalgesia mecânica primária (tweezer) e secundária (von Frey), latência
térmica (hot plate), e atividade locomotora (monitor de atividades) foram avaliadas
imediatamente antes, 12, 24 e 48 horas após a realização da sessão de exercício
resistido. Os animais que foram submetidos ao protocolo de exercício resistido
apresentaram redução significativa do limiar de retirada muscular em todos os grupos
exercitados quando comparados os momentos imediatamente antes e depois do
exercício (p<0,05). Quando comparados os grupos exercício ao controle, o limiar de
retirada da pata foi significativamente menor (p<0,05) em todos os grupos exercitados,
porém 24 e 48 horas após houve redução significativa do limiar de retirada apenas na
pata esquerda. Não foi observado diferença estatisticamente significativa no limiar de
retirada da pata e latência térmica, quando comparados os momentos imediatamente
antes e após o exercício nos grupos exercitados em todos os tempos avaliados, como
também não foi observada diferença significativa entre os grupos controle e exercício
nos tempos avaliados. Em relação à atividade locomotora, foi observada redução
significativa na distância percorrida (p<0,03), como também na velocidade média
(p<0,29) 12 horas após o exercício no grupo exercitado, porém não houve diferença
estatisticamente significativa quando a distância percorrida e a velocidade média
foram medidas 24 e 48 horas após o exercício. Esses resultados mostram que foi
possível desenvolver e caracterizar um modelo de dor muscular tardia induzida por
exercício resistido em ratos, acompanhado de hiperalgesia primária e redução da
atividade locomotora.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1316604 - LUIS FELIPE SOUZA DA SILVA
Externo à Instituição - THARCIANO LUIZ TEIXEIRA BRAGA DA SILVA
Externo ao Programa - 2013648 - VITOR OLIVEIRA CARVALHO
Notícia cadastrada em: 15/07/2016 11:31
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r10803-399c5c35c