Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: KAMILLA MAYARA LUCAS DA CRUZ

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: KAMILLA MAYARA LUCAS DA CRUZ
DATA: 25/02/2014
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório da DID VI, Campus de São Crsitóvão
TÍTULO: "O efeito antinociceptivo da corrente interferencial não é mediado por receptores opioides mu e delta espinhais e supraespinhais em ratos artríticos"
PALAVRAS-CHAVES: Estimulação Elétrica, Corrente Interferencial, Dor, Nocicepção, Analgesia, Receptores opioides
PÁGINAS: 47
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Fisiologia
RESUMO:

A corrente interferencial (CI) tem sido amplamente utilizada para controle de diversas condições dolorosas na prática clínica. Entretanto, nenhum estudo investigou o mecanismo de ação neurobiológica dessa corrente analgésica até o momento. O objetivo deste estudo foi investigar o efeito da CI na hipernocicepção causada após indução de inflamação articular e se o sistema opioidérgico está envolvido no mecanismo de ação para produção de antinocicepção na região rostoventromedial do bulbo (RVM) e na medula espinhal. Foram utilizados 56 ratos Wistar, divididos em três séries experimentais: Série comportamental, subdivida nos grupos Interferencial, Morfina e Controle; Série para bloqueio espinhal, subdivida em CI+Naltrindole, CI+Naloxona, CI+Salina e CI inativa; E a série para bloqueio supraespinhal, subdivida em CI+Naltrindole, CI+Naloxona, CI+Salina e CI inativa. A cirurgia intracerebral foi realizada de 3 a 5 dias antes da indução da inflamação articular. A injeção de antagonistas dos receptores opioide mu e delta por via intratecal (naloxona 20 µg/10 µL; natrindole 5 µg/10 µL) e intracerebral (naloxona 20 µg/1 µL; natrindole 5 µg/1 µL) foi realizada 15 minutos antes da administração do tratamento. A estimulação elétrica foi aplicada 24 horas após a indução da inflamação. Os testes de sensibilidade mecânica (von Frey) e força de preensão (grip strengh meter) foram realizados antes, 24 horas após a indução da inflamação e após aplicação da CI. Foi utilizado o teste ANOVA para avaliar as diferenças intergrupo e teste ANOVA bicaudal para analisar medidas repetidas, seguidos pelo teste de Bonferroni para múltiplas comparações. Os valores de p<0,05 foram considerados significativos. Os animais tratados com CI apresentaram limiar mecânico de retirada da pata significativamente maior em relação ao pré-tratamento (p<0,001) e ao grupo controle (p<0,002). Após o bloqueio farmacológico dos receptores opioides mu e delta, tanto por via intratecal como intracerebral, a CI promoveu aumento significativo do limiar mecânico (p<0,002), promovendo efeito antinociceptivo sem que houvesse diminuição significativa da força de preensão em nenhum dos grupos estudados. A CI demonstrou efeito antinociceptivo em modelo animal de dor inflamatória e sua ação não foi mediada por receptores opióides mu e delta espinhais e supraespinhais.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2034694 - KARINA LAURENTI SATO
Interno - 1316604 - LUIS FELIPE SOUZA DA SILVA
Presidente - 2693741 - VALTER JOVINIANO DE SANTANA FILHO
Notícia cadastrada em: 07/02/2014 09:09
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r10803-399c5c35c