A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: IHANA GABRIELA CONCEIÇÃO DE JESUS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: IHANA GABRIELA CONCEIÇÃO DE JESUS
DATA: 06/02/2023
HORA: 09:30
LOCAL: Sala nove do P²CEM
TÍTULO: EFEITO DO TEMPO DE ENVELHECIMENTO NA MICRODUREZA E NA RESISTÊNCIA À CORROSÃO SOB TENSÃO DO AÇO INOXIDÁVEL SUPER DUPLEX UNS S32750
PALAVRAS-CHAVES: Aço inoxidável super duplex; Envelhecimento térmico; Corrosão sob tensão.
PÁGINAS: 74
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia de Materiais e Metalúrgica
RESUMO:

Os aços inoxidáveis super duplex (AISD) são ligas de fase dupla contendo ferrita
e austenita próximo da fração de volume de 50/50% à temperatura ambiente. Além da
composição química, o tratamento de envelhecimento é outro fator importante que
influencia a dureza e a microestrutura dos aços inoxidáveis super duplex. Em uma dada
composição química, a variação da temperatura de envelhecimento pode alterar a
proporção da fase ferrita e austenita e ajustar a redistribuição dos elementos de liga nas
duas fases, acarretando na variação de propriedades mecânicas de cada fase. Por outro
lado, a temperatura e a duração inadequada do tratamento térmico podem resultar em
fases secundárias deletérias, que reduzem a tenacidade e a resistência à corrosão do
aço. O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito de tratamentos isotérmicos nas
propriedades mecânicas e resistência a CST sob os parâmetros de atmosfera de águas
profundas: temperatura, pressão e imersão em meio de água do mar, rica em cloretos,
de significativo potencial corrosivo e saturado em CO
2 do aço inoxidável super duplex
UNS S32750 na condição de fabricação por laminação de tubo e envelhecido. Para isso,
foram realizados tratamento de envelhecimento isotérmico a 500 °C por 2 h, 4 h, 8 h, 24
h, 48 h e 100 h. Os resultados obtidos mostram que as amostras submetidas ao
tratamento térmico tiveram aumento gradativo de microdureza a medida em que
aumentou o tempo de tratamento. A dureza na fase ferrita aumenta gradativamente com
o tempo de envelhecimento em todas as temperaturas e a fase austenita permanece
quase inalterada. As análises metalográficas das amostras indicaram presença de
ferrita e austenita. Notou-se também que nas amostras envelhecidas em diferentes
condições de tempo não se constataram alterações microestruturais perceptíveis em
microscopia ótica. Somente as amostras de 48 e 100 h foram susceptíveis a CST,
percebido pelo surgimento de trincas na superfície.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1784426 - JAQUELINE DIAS ALTIDIS
Interno - 2015878 - SANDRA ANDREIA STWART DE ARAUJO SOUZA
Presidente - 358689 - SANDRO GRIZA

Notícia cadastrada em: 17/01/2023 14:08
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2024 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r19181-717445561f