Notícias

Banca de DEFESA: RAFAEL ALVES RAMOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RAFAEL ALVES RAMOS
DATA: 18/02/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Sala 202 - Didática 7
TÍTULO: ENSINO POR INVESTIGAÇÃO E ARGUMENTAÇÃO COMO PROMOTORES DA ALFABETIZAÇÃO CIENTÍFICA: Análise do desenvolvimento de uma Sequência de Ensino Investigativa em uma turma de ciências do ensino fundamental
PALAVRAS-CHAVES: Argumentação Científica, Aprendizagem Científica, Ensino de Ciências, Investigação Científica
PÁGINAS: 116
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Educação
SUBÁREA: Ensino-Aprendizagem
RESUMO:

Atualmente, as pesquisas em educação em ciências apontam para a necessidade de prover os indivíduos de conhecimento científico e ao mesmo tempo torná-los capazes de tomar decisões que envolvam também questões não científicas. Diversos autores discutem que a Alfabetização Científica- AC representa um parâmetro para o ensino de ciências na perspectiva da aprendizagem de conceitos científicos, no entendimento da natureza da Ciência e da relação Ciência, Tecnologia, Sociedade e Ambiente - CTSA. Nesta pesquisa preocupamo-nos na promoção da AC no ensino, para isso propusemos a implementação de uma Sequência de Ensino Investigativa – SEI interdisciplinar com características do “fazer ciência” na educação básica. A SEI proposta apresenta atividades que estão baseadas nas modalidades didáticas de investigação a partir da problematização do que é ensinado e da Argumentação, com promoção do pensamento científico. O desenvolvimento da SEI envolveu os alunos em um contexto de investigação científica a partir da utilização de inúmeros recursos culturais. Dentre eles, destacamos: falar, escrever e ler que são recursos presentes na Linguagem Científica – LC. Utilizamos a triangulação de dados através da gravação em vídeo de episódios, da produção de textos escritos pelos estudantes nos cadernos de atividades e em relatório científico, objetivando analisar a presença de indicadores de AC e de Argumentação. Como resultados identificamos: mudanças de concepções alternativas para conceitos estruturados cientificamente durante a sequência de atividades; utilização de linguagem científica e estabelecimento de relação de significados sobre os fenômenos em questão; presença majoritária de indicadores de AC relacionados ao trabalho direto com dados ou com as bases das quais se compreendia o assunto ou situação; construção de ideias lógicas e objetivas; pouca prevalência ou ausência de determinados indicadores de AC relacionados ao entendimento das situações; baixa frequência de indicadores de Argumentação nas interações discursivas e pouco engajamento na atividade de caráter coletivo. Com isso, consideramos que a presença dos indicadores de AC e de Argumentação indica que a AC está em processo, carecendo tal processo permanecer em constante construção. Salientamos que uma forma de conduzir os estudantes na criação de argumentos escritos é utilizando um layout adaptado. Em relação ao Ensino por Investigação e a Argumentação, conclui-se que ambos se apresentam como abordagens e/ou modalidades didáticas que privilegiam situações didáticas com características do trabalho científico. Neste ponto, chama-se a atenção para a aproximação da cultura científica com a escolar, rompendo com uma cultura de práticas didáticas sem contextualização com a própria ciência.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 353.642.460-00 - CARMEN REGINA PARISOTTO GUIMARAES
Interno - 472.701.795-49 - ADJANE DA COSTA TOURINHO E SILVA
Externo ao Programa - 1048560 - ALINE LIMA DE OLIVEIRA NEPOMUCENO

Notícia cadastrada em: 03/02/2020 13:39
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2021 - UFRN - fragata3.fragata3 v3.5.16 -r15440-bf36319aa9