Notícias

Banca de DEFESA: VANESSA TAVARES DA SILVA FONTES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: VANESSA TAVARES DA SILVA FONTES
DATA: 19/02/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Sala 04 do Departamento de Odontologia-HU/UFS
TÍTULO: COMPARAÇÃO ENTRE AS SOLUÇÕES DE ARTICAÍNA 4% NÃOTAMPONADA E ARTICAÍNA 2% TAMPONADA EM INFILTRAÇÃO NA MAXILA. ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO CRUZADO.
PALAVRAS-CHAVES: Alcalinização; Anestesia; Articaína; Dor.
PÁGINAS: 60
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Odontologia
SUBÁREA: Clínica Odontológica
RESUMO:

A alcalinização das soluções anestésicas melhora as suas propriedades e está relacionado com a diminuição da dor à injeção relatada pelos pacientes. Os objetivos desse estudo foram avaliar a eficácia, início de ação e duração da anestesia pulpar e de tecidos moles, dor à a injeção e o pH das soluções de Cloridrato de Articaína alcalinizada 2% com Epinefrina 1:200.000 (solução teste) e Cloridrato de Articaína 4% com Epinefrina 1:200.000 (solução controle). Tratou-se de um ensaio clínico, cruzado, triplo cego e randomizado, em que todos os 42 voluntários receberam anestesia oral (supraperióstea) em canino superior de cada solução (controle e teste) em 2 sessões. A avaliação do início e duração da anestesia de tecidos duros e moles foi realizada com o teste elétrico pulpar e com o kit de estesiômetro, respectivamente. A dor à injeção foi avaliada por meio da Escala Visual Analógica (EVA). O pH foi avaliado por meio de pHmetro, com repetição 9 vezes. Os dados foram submetidos ao teste pareado de Wilcoxon ou T pareado, com nível de significância de 5%. Não houve diferença estatisticamente significativa entre as duas soluções anestésicas (início da anestesia em tecidos moles: p = 0,538; duração da anestesia em tecidos moles: p = 0,718; início da anestesia pulpar: p = 0,747; duração da anestesia pulpar: p = 0,375), exceto quanto à dor à injeção, que foi menor quando a Articaína 2% alcalinizada com Epinefrina 1:200.000 foi usada (p=0,001) e quanto à análise do pH que revelou que as soluções diferiram entre si (ANOVA, p<0.01; e Tukey, p<0.01). A solução de Articaína 2% alcalinizada não diferiu da solução de Articaína 4% não-alcalinizada quanto às propriedades anestésicas e proporcionou menor dor à injeção.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1111420 - LIANE MACIEL DE ALMEIDA SOUZA
Externo à Instituição - PAULO ALMEIDA JUNIOR
Interno - 2021396 - WILTON MITSUNARI TAKESHITA
Notícia cadastrada em: 11/02/2020 13:42
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r11747-970edecc06