A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: KATIA SUZANE PRADO DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: KATIA SUZANE PRADO DA SILVA
DATA: 30/05/2023
HORA: 09:00
LOCAL: a definir
TÍTULO: Proposta de uso do perfil metabolômico na triagem de lactentes alérgicos a proteína do leite de vaca
PALAVRAS-CHAVES: Alergia a proteína do leite de vaca; Espectrometria de Massas; Metabôloma fecal; Microbiota intestinal; Metabolitos; Quimiometria
PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Microbiologia
RESUMO:

A Alergia à Proteína do Leite da Vaca (APLV) é uma das principais e mais comum alergias alimentares (AA) que acometem crianças ainda nos primeiros meses de vida, resultando em uma resposta imunológica no organismo, durante exposição a antígenos alimentares e causando uma disbiose gastrointestinal. O estudo metabolômico não direcionado visa perfilar de forma abrangente moléculas obtendo diversos metabólitos em um sistema biológico para diferentes finalidades, como previsão de doenças e seus possíveis biomarcadores. Dessa forma, o presente estudo tem como objetivo analisar o perfil dos metabólitos intestinais em amostras fecais de lactentes sintomáticos e sugestivos à APLV, avaliados em teste de provocação oral (TPO) e propor um modelo robusto de triagem diagnóstica. Foram analisadas um total de 24 extratos de amostras fecais coletadas no Núcleo de Alergia Alimentar de Sergipe (NAASE), submetidas à análise por espectrometria de massas de alta resolução HESI-FT-Orbitrap MS, por infusão direta. Foram obtidos 24 espectros de massas no modo positivo e 24 no modo negativo, O volume de substâncias detectadas foram tratadas empregando ferramentas estatísticas considerando inicialmente 34 variáveis, utilizando software MATLAB e a plataforma MetaboAnalyst 5.0. Os resultados demonstraram que tanto no modo positivo, quanto no modo negaivo, não foi possível identificar uma tendência de separação ou agrupamentos na análise dos principais componentes (PCA) para a distinção dos grupos de lactentes. Sendo assim optou-se por utilizar a análise discriminante com calibração multivariada por mínimos quadrados parciais (PLS-DA), onde foi possível observar a separação dos dois grupos com e sem APLV usando três variáveis latentes. Identificamos valores satisfatórios para a avaliação da capacidade preditiva do modelo com R²=0,844, exatidão de 88,3% e Q²=0,507 no modo negativo e, no modo positivo, R²=0,809, exatidão 85,3% e Q²=0,377, demonstrando a capacidade de predição menor do modelo em relação ao modo negativo, mas ainda altamente preditivo. A avaliação de variáveis de importância em projeção (VIP) na construção do modelo PLS-DA, permitiu identificar os íons que apresentam maior peso na construção do modelo, ou seja, os íons dos metabólitos responsáveis por discriminar os dois grupos. Portanto, os modelos tanto no modo positivo quanto no modo negativo apresentaram valores significativos na validação e são possíveis de discriminar as classes investigadas com e sem APLV, sendo o modo negativo o modelo mais robusto e preditivo na identificação de íons metabolitos na triagem diagnóstica de lactentes sugestivos à APLV.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1759327 - ALBERTO WISNIEWSKI JUNIOR
Interno - 1897681 - LUCIANE MORENO STORTI DE MELO
Presidente - 426673 - RICARDO QUEIROZ GURGEL

Notícia cadastrada em: 24/05/2023 09:01
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2024 - UFRN - bigua3.bigua3 v3.5.16 -r18966-bf93dfabd7