A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: PAULO RICARDO CONCEIÇÃO MARQUES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: PAULO RICARDO CONCEIÇÃO MARQUES
DATA: 31/05/2022
HORA: 09:00
LOCAL: ONLINE
TÍTULO: Relação entre o consumo doméstico de antibióticos e o resistoma bacteriano das estações de tratamento de esgoto da cidade de Aracaju - SE
PALAVRAS-CHAVES: Consumo de antibióticos; Resistência bacteriana; Genes de resistência a antibióticos; Esgoto; Propagação da resistência; Vigilância sanitária.
PÁGINAS: 153
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Microbiologia
SUBÁREA: Biologia e Fisiologia dos Microorganismos
ESPECIALIDADE: Bacterologia
RESUMO:

A exposição prolongada de bactérias a antibióticos promove pressões seletivas queaceleram o compartilhamento de genes de resistência, resultando em linhagenscapazes de sobreviverem a concentrações superiores destes fármacos e aumentandoa população de organismos resistentes que são disseminados no ambiente. Discutir ospadrões de consumo tem sido a tendência nos últimos anos, principalmente nos paísesem desenvolvimento, como o Brasil, que têm altas taxas de crescimento nadispensação dessas substâncias. A vigilância integrada é um dos objetivos do planode ação global da Organização Mundial de Saúde no combate à resistênciaantibacteriana, porém, a escassez de dados em muitas partes do mundo limita o seugerenciamento. Nesse aspecto, a detecção de bactérias e genes de resistência aantibióticos em águas residuais pode refletir a atual situação de resistência clínica local,servindo como ferramenta epidemiológica de monitoramento da disseminaçãoambiental da resistência. Dessa forma, esta pesquisa analisou amostras de águasresiduais brutas e tratadas das estações de tratamento de esgoto do município deAracaju - SE, quanto às características físico-químicas, microbiológicas e a presençade genes de resistência a antibióticos, além de verificar a eficiência de remoção destesgenes pelas estações. Para tanto, através do Sistema Nacional de Gerenciamento deProdutos Controlados da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, identificou-se osantibióticos mais consumidos pela população local entre 2014 e 2020. Os dados foram tabulados e analisados no Microsoft Excel (2019), obtendo-se o consumo anual total e as tendências de aumento ou diminuição da comercialização de cada fármaco. Coletamos amostras de esgoto nas quatro estações de tratamento que atendem a cidade que foram caracterizadas físico-química e microbiologicamente e, posteriormente, submetidas à extração de DNA e PCR convencional para a detecção dos genes que conferem resistência às classes de antibióticos mais consumidas. Dos 53 antibióticos dispensados no período, 6 se destacaram por representarem 61% do consumo total: amoxicilina (18%), cefalexina (11%), azitromicina (11%), ácido clavulânico (9%) ciprofloxacina (8%) e levofloxacino (4%). As classes mais utilizadas foram: betalactâmicos (43%), quinolonas (17%), macrolídeos (12%), aminoglicosídeos (8%) e sulfonamidas (5%). Os genes de resistência blaTEM, gyrA, qnrS, ermB, aacC2 e sul1 foram detectados em 100% das amostras de esgoto bruto, estabelecendo a relação entre as classes de antibióticos mais consumidas e a prevalência destes genes no esgoto. Nas amostras tratadas, os genes blaTEM, gyrA e sul1 foram encontrados em todas as amostras e aacC2 em 75% e qnrS e ermB em 50% das amostras. O enfrentamento da resistência antibacteriana vai muito além da restrição das vendas de antibióticos, exigindo ações efetivas de conscientização sobre o uso e controle das prescrições desnecessárias. Além disso, a universalização do saneamento básico e vacinação para redução da transmissibilidade de doenças infecciosas e, consequentemente, do consumo destes fármacos, são medidas fundamentais. Investimentos em sistemas de tratamento de esgoto que sejam eficientes na eliminação de antimicrobianos, bactérias e genes resistência, além do monitoramento permanente e inserção destes contaminantes emergentes aos regulamentos de qualidade das águas residuais como risco de contaminação microbiológica para conter a disseminação da resistência a antibióticos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1838864 - ANA ANDREA TEIXEIRA BARBOSA
Externo ao Programa - 1823157 - FLAVIO HENRIQUE FERREIRA BARBOSA
Interno - 1703964 - SILVIO SANTANA DOLABELLA

Notícia cadastrada em: 27/05/2022 11:02
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2023 - UFRN - dragao2.dragao2 v3.5.16 -r18291-d8b5d91c4a