A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: ISRAEL GOMES DE AMORIM SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ISRAEL GOMES DE AMORIM SANTOS
DATA: 09/05/2014
HORA: 14:00
LOCAL: Sala do NPEC- Departamento de Biologia
TÍTULO: Atividade amebicida do óleo essencial de Lippia spp. (VERBENACEAE) frente à trofozoítos de Acanthamoeba polyphaga
PALAVRAS-CHAVES: Acanthamoeba polyphaga; óleos essenciais; Lippia spp.; atividade amebicida
PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Parasitologia
SUBÁREA: Protozoologia de Parasitos
ESPECIALIDADE: Protozoologia Parasitária Humana
RESUMO:

A ceratite amebiana e a encefalite amebiana granulomatosa são doenças causadas por amebas de vida livre do gênero Acanthamoeba. No caso da ceratite, o grande problema é a recidiva da doença devido à resistência do parasito aos medicamentos utilizados. Portanto, o objetivo deste estudo foi determinar a atividade amebicida do óleo essencial de plantas do gênero Lippia frente à trofozoítos de Acanthamoeba polyphaga. Para isto, 8 x 104 trofozoítos foram expostos durante 24 horas a diversas concentrações dos óleos essenciais de L. sidoides, L. gracilis, L. alba e L. pedunculosa e a sua atividade amebicida determinada, como bem a atividade amebicida de seus compostos majoritários rotundifolona, carvona e carvacrol. Foi testada também a citotoxicidade dos óleos em cultura de células de mamíferos. Quase todas as concentrações dos óleos e compostos majoritários empregadas apresentaram atividade amebicida; contudo, os óleos essenciais também demonstraram atividade citotóxica contra as linhagens tumorais NCI-H292 e HEp-2. Diante destes resultados, os óleos pesquisados neste trabalho não podem ser considerados bons candidatos para a terapêutica complementar na ceratite amebiana, porém apresentam promissores resultados para serem empregados como componentes em soluções para limpeza de lentes de contato e novos estudos com seus componentes majoritários deverão ser realizados.



MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1703964 - SILVIO SANTANA DOLABELLA
Interno - 2213089 - RICARDO SCHER
Externo à Instituição - Evander de Jesus Oliveira Batista

Notícia cadastrada em: 24/04/2014 14:20
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2023 - UFRN - ema2.ema2 v3.5.16 -r18277-8067e35817