A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: IGOR MACEDO REIS

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: IGOR MACEDO REIS
DATA: 12/08/2022
HORA: 14:30
LOCAL: Videoconferência
TÍTULO: Precarização e sofrimento no trabalho: o caso dos motoristas de aplicativos
PALAVRAS-CHAVES: Sociologia do Trabalho; Sociologia Clínica; Precarização; Subjetividade; Sofrimento psíquico;
PÁGINAS: 252
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Sociologia
RESUMO:

Esta tese tem como objetivo uma análise das relações de trabalho queultrapasse os limites das abordagens apenas econômicas, procurando abrangertambém a dimensão su bjetiva do sujeito que trabalha. Para isso, tomamos comomodelo empírico os ( motoristas de aplicativos, tendo em vista que aprecarização vivenciada por esse setor da economia de serviços aponta parauma forma de autocontrole que os impulsionam a cada vez mais atuarem comose fossem agentes responsáveis pelas suas próprias situações de vida. Nestecaso, mostramos como o neoliberalismo e seus arautos do empreendedorismode si mesmo s sã o a chave heur ística para a compreensão da subjetividadecontemporânea do mundo do trabalho. Utilizamos como metodologia a narrativade vida dos trabalhadores de aplicativos de viagens, com o intuito de apreendernã o s ó as suas vivências no trabalho, mas também as trajetórias individuais, quede alguma maneira os conduziram para ingressar nas fileiras de um dos setoresde serviços mais precarizados, tanto economicamente, com as incertezasfinanceiras provocadas pela falta de garantias legais, como o não direito acarteira de trabalho e as vantagens dela decorrentes; quanto em ocionalmente,por se tratar de um setor que requer um alto grau de engajamento subjetivo.Procuramos fazer um diálogo entre a Sociologia Clínica e a Sociologia doTrabalho que possibilitou adentrar no objeto em suas formas estruturais, massem perder de vi sta o sujeito em suas conexões dentro e fora do trabalho,expondo suas ang ústias exist enciais e, consequentemente, evidenciando ocará ter inequ ívoco da produção de sofrimento através do trabalho. Essaconclusão foi possível por meio do seguinte percurso al icerçado em trê scap ítulos: no primeiro, denominado “Trabalho no Brasil, surgi mento de novastecnologias e a ‘economia do compartilhamento’ o neoliberalismo como gestordas subjetividades dos trabalhadores”, apresento uma breve contextualizaçã ohist órica do trabalho no Brasil, bem como também mostro o surgimento de novastecnologias e as suas influências nas metamorfoses da esfera laboral,analisando como essas mudanças se retroalimentaram com o novo modelo degestão do capital o neoliberalismo e de qu e forma ele funciona em relaçãoaos modos de controlar o trabalho e desenvolver novos mecanismo ideológicosde dominação sobre os trabalhadores; no segundo, intitulado “As problemáticasestruturais dominantes na Sociologia do Trabalho no Brasil: Da crítica ao diálogocom as perspectivas da precarização do trabalho também por meio dasubjetividade”, o objetivo é problematizar as várias temáticas abordadas pelaSociologia do Trabalho, apontando as principais teorias que contribuíram emtorno dos debates sobre o mundo do trabalho no Brasil. Assim pretendemosressaltar a necessidade de renovação nas pesquisas sobre o trabalho no Brasil,que se leve em conta também a conexão com os atores sociais, sobretudo asconstruções das suas subjetividades. No ú ltimo cap ít ulo intitulado “O trabalhodos motoristas de aplicativos de viagem a partir das suas histórias de vida: osofrimento psíquico como fundamento socioló gico mostramos a narrativa devida de quatro motoristas de aplicativos no intuito de analisarmos suas vivê nciase apontar as consequências desse trabalho na construção das suassubjetividades.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ALINE SUELEN PIRES
Interno - 3359639 - IVAN FONTES BARBOSA
Externo ao Programa - 1404092 - LEOMIR CARDOSO HILÁRIO
Interno - 426602 - ROGERIO PROENCA DE SOUSA LEITE
Presidente - 854.038.738-72 - TANIA ELIAS MAGNO DA SILVA

Notícia cadastrada em: 05/08/2022 09:38
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2023 - UFRN - dragao2.dragao2 v3.5.16 -r18277-8067e35817