A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: LILIANA ARAGÃO DE ARAÚJO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LILIANA ARAGÃO DE ARAÚJO
DATA: 31/08/2021
HORA: 09:00
LOCAL: Videoconferência
TÍTULO: UM ESTRANHO EM CASA? ANÁLISE DE CASAMENTOS INTERCULTURAIS EM ARACAJU
PALAVRAS-CHAVES: Casamento intercultural, gênero, imigração.
PÁGINAS: 211
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Sociologia
SUBÁREA: Outras Sociologias Específicas
RESUMO:

Na conexão entre a teoria decolonial de gênero e a interculturalidade, esta pesquisa busca responder a seguinte pergunta de partida: como são construídos os papéis sociais de gênero nos casamentos interculturais, entre mulheres brasileiras e homens imigrantes que vivem em Aracaju? Para tanto tracei com objetivo geral compreender como são construídos os papéis sociais de gênero em casamentos interculturais entre mulheres brasileiras e homens imigrantes residentes em Aracaju; e como objetivos específicos: identificar como se processa a transmissão dos rituais familiares em famílias com cônjuges de nacionalidades diferentes; compreender quais as representações sociais preexistentes sobre o homem estrangeiro e a mulher brasileira; analisar como ocorrem as relações de poder, nas decisões do cotidiano destas relações; investigar se nestas relações conjugais os papéis sociais historicamente construídos entre homens (espaço público) e mulheres (espaço privado) são repetidos; investigar quais as disputas e tensões destas relações. A opção em nominar casamentos interculturais, tendo como recorte, nesta tese, pessoas de nacionalidades, línguas maternas e raízes culturais diferentes, se dá a partir da compreensão a cerca das diferenças e desigualdades destas relações, e compreendendo que elas – as diferenças e desigualdades – restituem as relações de poder e hierarquias muitas vezes invisibilizadas. Para tanto realizei entrevistas com nove casais de nacionalidades diferentes residentes em Aracaju. Estas entrevistas foram realizadas na residência do casal, no comércio ou em algum ambiente indicado pelos entrevistados. Utilizei a técnica de história oral, através de entrevista semiestruturada, e obtive autorização para gravação de todas as entrevistas. Apesar da heterogeneidade da amostra observei que a construção social dos papéis de gênero em relações interculturais preserva as características de dominação masculina e de assimetrias de poder entre homens e mulheres. No entanto, quando articulado aos demais marcadores identitários como raça, classe, nível educacional têm-se relações mais igualitárias, visto que a mulher possui mais autonomia económica, está no seu país nativo, com sua cultura nativa, seus familiares e amigos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1494768 - MARCELO ALARIO ENNES
Externo ao Programa - 426266 - MARIA HELENA SANTANA CRUZ
Externo à Instituição - MARIA NATALIA PEREIRA RAMOS
Interno - 3316721 - PERICLES MORAIS DE ANDRADE JUNIOR
Interno - 2454411 - VILMA SOARES DE LIMA BARBOSA

Notícia cadastrada em: 09/08/2021 15:52
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - ema1.ema1 v3.5.16 -r17722-925b7210d0