Dissertações/Teses

Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFS

2020
Descrição
  • PABLO JORDÃO ALCANTARA CRUZ
  • Avaliação da memória de trabalho e do potencial cognitivo P300 em indivíduos com Diabetes Mellitus
  • Data: 30/07/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O Diabetes Mellitus (DM) é uma afecção de alta incidência e prevalência na populaçãomundial. Estudos indicam que, além das comorbidades descritas amplamente, como alteração renale cardiovascular, esta condição de saúde é capaz de ocasionar declínio cognitivo, porém os processosadjacentes que envolvem esta relação não estão completamente elucidados na literatura. Objetivo:Avaliar a Memória de Trabalho e o Potencial Cognitivo de Longa Latência- P300 em adultos comdiabetes mellitus.Metodologia: A pesquisa foi dividida em dois estudos: “Influência do diabetes nospotenciais evocados P300: uma revisão sistemática” e “Influência do Diabetes Mellitus no potencialcognitivo e na Memória de Trabalho em indivíduos do interior de Sergipe”. Para o estudo 1, foirealizado uma revisão sistemática com a seguinte pergunta norteadora “Qual a influência do DM naLatência do P300?”As bases usadas para a busca dos artigos foram PubMed, SciELO, LILACS eCOCHRANE. Para o estudo 2,os participantes foram divididos em dois grupos com idade entre 30 a 59anos, ambos os sexos: pessoas com diagnóstico do DM tipo II e o controle sem diabetes.Inicialmente, foi aplicado um questionário sobre dados gerais de saúde e logo após foi realizado umaavaliação glicêmica seguido de um rastreio cognitivo e auditivo. Foram excluídas aqueles compontuação abaixo da nota de corte para escolaridade no Mini Exame do Estado Mental e com perdaauditiva que impossibilitasse a realização dos testes cognitivos e do P300.Em seguida, foramavaliados os subcomponentes da Memória de Trabalho e o exame P300 dos participantes. Os dadosforam organizados em tabelas no Microsoft Office Excel 2013®e analisados estatisticamente peloteste de Mann-Whitney e pelo teste de correlação de Pearson (p<0,05). Resultados: No estudo 1,na primeira fase de seleção foram encontrados 30 artigos nas bases de dados escolhidas, sendoexcluídos cinco por serem duplicados. Após análise dos títulos e resumos foram lidos naintegra oito artigos, sendo feita posteriormente a análise de viés. Os estudos apontaram paraum aumento da latência do P300 em pessoas com diabetes, sugerindo comprometimentocognitivo nesses indivíduos. Além disso, sugeriram que alterações a nível cortical poderiamestar acontecendo, tanto vascular como metabólico. No estudo 2 foi observado diferençassignificativas entre os grupos estudados, com piores resultados no grupo de pessoas comDiabetes Mellitus nos testes de memória de trabalho alça fonológica (p=0,02), sistemaexecutivo central (p<0,01) e memória visuoespacial (p valor <0,01). Nos resultados do exameP300 também houve diferença significativa entre os grupos estudados, com aumento da médiada latência no grupo com indivíduos com Diabetes Mellitus (p<0,05 ou p<0,01). Ficouevidenciado correlação entre testes de memória de trabalho com o P300 (p<0,05), mostrandouma relação entre seus resultados com pessoas diabéticas. Conclusão: O estudo 1 concluiu quepessoas com DM apresentam latências elevadas no P300 o que indica que a cognição pode serafetada por esta condição de Saúde. O estudo 2 pôde concluir que a DM interfere negativamente na
    Memória de Trabalho e nos resultados do P300. A partir dos resultados de ambos os estudos conclui-se que há uma forte influência da Diabetes Mellitus na cognição humana e que os aspectos que dão
    origem a este achado são de origens múltiplas.

  • ANA LIZ PEREIRA DE MATOS
  • AVALIAÇÃO DA EFICÁCIA DA TERAPIA A LASER DE BAIXA INTENSIDADE NA SÍNDROME DA ARDÊNCIA BUCAL PRIMÁRIA: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA.
  • Orientador : FELIPE RODRIGUES DE MATOS
  • Data: 27/07/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A síndrome da ardência bucal primária é uma condição clínica crônica de origemidiopática caracterizada por dor e sensação de queimação na cavidade oral. A terapia alaser de baixa intensidade é uma opção de tratamento. Esta revisão sistemática avaliou aeficácia da terapia a laser no tratamento dos sintomas da síndrome da ardência bucal. Oestudo foi formulado de acordo com as recomendações PRISMA e Cochrane guidelines.Um protocolo foi registrado na base de dados PROSPERO. Sete bases de dados foramutilizadas como fontes primárias de pesquisa: Cochrane, Embase, LILACS, PubMed,SciELO, Scopus e Web of Science. Três fontes adicionais foram pesquisadas paracapturar parcialmente a "literatura cinza": OATD, OpenThesis e OpenGrey. Apenasensaios clínicos controlados randomizados foram incluídos. A ferramenta Joanna BrigsInstitute foi usada para avaliar o risco de viés. A eficácia da terapia foi estimadacomparando os valores das escalas visuais e numéricas de dor pré- e pós-tratamento como laser, através da análise qualitativa. A busca resultou em 348 registros e apenas oitopreencheram os critérios de elegibilidade e foram incluídos. Todos os estudos avaliarama dor e/ou sensação de queimação considerando um intervalo de tempo de duas a dezsemanas. A amostra total foi de 314 pacientes submetidos ao tratamento: 123 do grupocontrole, que participaram com o laser desligado ou com a ponta bloqueada, e 191 dogrupo intervenção, submetidos ao tratamento com terapia a laser de baixa intensidade. Ogênero feminino se destacou e a média de idade dos participantes foi de 60,89 anos. Osprincipais sintomas relatados foram dor e sensação de queimação na mucosa oral e língua.Os parâmetros adotados pelos autores para tratamento com laser foram diversos e asvariáveis não estão totalmente descritas nos estudos publicados. As escalas visuaisanalógicas e numéricas foram utilizadas para avaliar os sintomas e somente três estudosapresentaram significância estatística. Sugere-se que a terapia a laser pode ser umaalternativa eficaz no tratamento da Síndrome da Ardência Bucal. Novos ensaios clínicosrandomizados devem considerar protocolos bem estabelecidos para melhor entendimentoda eficácia da terapia a laser sem efeitos confundidores.

  • LETÍCIA MARIA DE MELO RODRIGUES
  • AUMENTO DA DIMENSÃO DAS VIAS AÉREAS EM CRIANÇAS COM FISSURA LABIOPALATINA SUBMETIDAS AO PROTOCOLO DE EXPANSÃO RÁPIDA DA MAXILA E PROTRAÇÃO MAXILAR COM MÁSCARA FACIAL
  • Orientador : CARLOS EDUARDO PALANCH REPEKE
  • Data: 08/07/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • As fissuras labiopalatinas são malformações congênitas, sendo a mais frequente a transforame incisivo unilateral (FTIU). Pacientes com FTIU apresentam deficiência no desenvolvimento maxilar em consequência das cirurgias primárias (queiloplastia e palatoplastia), causando mordidas cruzadas e podendo impactar no complexo nasomaxilar. Pode ter como consequências: deformidades nasais, constrição maxilar e interferir no volume e função das vias aéreas. O objetivo deste estudo é avaliar as vias aéreas superiores após o protocolo de expansão rápida da maxila com tração reversa da maxila (ERM+TRM) em pacientes com FTIU, através de análise de tomografia computadorizada de feixe cônico, imediatamente após a ERM e após a TRM. Foram avaliadas as vias aéreas em 16 pacientes com FTIU nos tempos: pré tratamento (T0), após 1 semana ao final da fase ativa da ERM (T1) e ao final da fase ativa da tração reversa maxilar, com duração de 11 meses e 3 semanas (T2). Foi utilizado o teste T pareado, com p<0.05 considerados significantes (GraphPad Prisma5). Observou-se que todas as medidas analisadas (cavidade nasal, nasofaringe, orofaringe, hipofaringe, área e volume da via aérea e área axial mínima), quando comparadas T0-T2, apresentaram um aumento de volume (p< 0,05). As medidas de orofaringe, área e volume da via aérea apresentaram um aumento quando comparadas T0-T1 (p<0,05). Além disso, a nasofaringe sofreu um aumento de volume em todos os tempos da amostra (T0-T1-T2; p<0,05). Comparou-se o grupo tratado com o grupo classe III, nas medidas da nasofaringe e área da via aérea o grupo tratado teve um aumento nas medidas em todos os tempos do estudo (T0-T1-T2; p<0,05). Nas medidas da orofaringe e volume da via aérea, o grupo tratado obteve aumento somente no T1 e T2 (p<0,05). As medidas da cavidade nasal, hipofaringe e área axial mínima não tiveram diferença estatística significante entre os grupos. Conclui-se que o protocolo de expansão rápida da maxila e protração maxilar aumenta o espaço das vias aéreas superiores em pacientes com fissura labiopalatina transforame incisivo lateral.

  • BETINA MAIARA RIBEIRO CARVALHO
  • Bioprodutos de Citrus como perspectiva para controle de dislipidemia
  • Orientador : ADRIANA GIBARA GUIMARÃES
  • Data: 20/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A dislipidemia apresenta elevados índices de ocorrência na população mundial, estando estreitamente relacionado a obesidade, doenças cardiovasculares e síndrome metabólica. O Brasil é um dos principais produtores mundiais da laranja doce (Citrus sinensis L.) e os resíduos da indústria alimentícia gerados a partir da produção do suco, parece ser uma importante fonte de fibras solúveis e compostos bioativos. Deste modo, este trabalho teve como objetivos: compilar evidências científicas sobre o uso de Citrus sobre a hiperlipidemia e desenvolver bioprodutos a partir do bagaço da laranja doce (Citrus sinensis L.) como estratégia de controle da dislipidemia. A fim de atender ao primeiro objetivo, foi realizada uma revisão sistemática com metanálise de publicações sobre o efeito de extratos de Citrus sobre a hiperlipidemia. Foram selecionados 18 artigos sobre o tema em destaque, no entanto, foram observadas limitações metodológica e a metanálise foi realizada com 16 artigos. A partir da compilação dos resultados pode-se observar o potencial efeito dos extratos na redução dos lipídeos séricos. Posteriormente foi produzida a farinha e o extrato hidroalcoolico a partir do bagaço da laranja doce para os ensaios experimentais. O material botânico foi coletado na cidade de Lagarto-SE, submetido à identificação da espécie, processamento para a obtenção dos bioprodutos e caracterização bromatológica e química por CLAE. Além disso, foi avaliada os compostos fenólicos e flavonoides bem como a atividade antioxidante do extrato através dos métodos: DPPH, ABTS e FRAP.A fim de confirmar a segurança dos bioprodutos obtidos, foi realizado os testes de toxicidade com camundongos fêmeas com a dose de 1,5 g/kg (v.o.) e 2,0g/kg (v.o.), da farinha e extrato, respectivamente, ou veículo (salina, v.o.). Os efeitos da farinha e do extrato sobre a hiperlipidemia foram avaliados através de ensaios experimentais com camundongos machos tratados (v.o) com a suspensão da farinha (200 mg/kg), aveia flocos finos (100 mg/kg), veículo (solução salina), sinvastatina (10 mg/kg v.o.) ou extrato da farinha (100, 250 e 500
    mg/kg) e submetidos à indução de hiperlipidemia induzida por Triton WR-1339 (400 mg/kg, i.p.). Um grupo controle sadio foi utilizado para avaliação do perfil lipídico dos animais sem indução. A comparação entre os grupos foi realizada utilizando o Programa GraphPad Prism. A farinha apresentou alto teor de fibras (44,19%), principalmente a do tipo solúvel (27,65%). Já no extrato foram identificados flavonoides como a hesperidina (40%), o qual apresentou potencial antioxidante através da análise DPPH obteve 3,63mg/mL e através FRAP 5,33 µM Trolox/g, além da presença 110,31 mg EAG/100g de fenólicos totais e 22,33 mg ECAT/100g de flavonoides totais. O tratamento agudo dos animais com a farinha e o extrato não foi capaz de induzir alterações comportamentais, bioquímicas e hematológicas sugestivas de efeito tóxico. A utilização da farinha do bagaço da laranja doce não foi capaz de reduzir a hiperlipidemia induzida por Triton, enquanto o extrato reduziu os níveis de colesterol total, triglicerídeos, LDL, além de aumentar o HDL. Dessa forma, o extrato do bagaço da laranja doce tem um potencial efeito antioxidantes tendo ação na redução dos níveis de colesterol total, triglicerídeos e LDL, e aumento dos níveis de HDL.

  • PAULO RICARDO DE SANTANA PEREIRA
  • Análise do Equilíbrio Dinâmico, Força Muscular e Mobilidade Articular de Membros Inferiores em Atletas Profissionais de Futebol e dos Fatores Preditivos das Lesões Musculoesqueléticas.
  • Orientador : PAULA SANTOS NUNES
  • Data: 19/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O futebol é um dos esportes mais populares do mundo, existindo umamédia de 265 milhões de praticantes. Este tipo de esporte exige uma grandevariedade de atividades cinéticas, portanto, tem altas taxas de lesões, relacionadasa alguns fatores de riscos como: força muscular, equilíbrio dinâmico e amplitude demovimento (ADM). Objetivos: Avaliar os fatores preditivos que ocasionam as lesõesmusculoesqueléticas em jogadores profissionais de futebol. Correlacionando aincidência das lesões com variáveis biomecânicas avaliadas. Métodos: Os atletasforam avaliados em dois momentos distintos: período da pré-temporada, 30 diasantes do início da competição; e pós-temporada, até 02 dias do término da mesmacompetição. Após o final do campeonato, foi consultado o banco de dado dodepartamento médico do clube, para quantificar a incidência das lesões com suassubclassificações e posteriormente correlacionar com as variáveis avaliadas. Asdiferenças nas medidas de tendência central no desenho pareado foram avaliadaspor meio dos testes T para amostras pareadas se o pressuposto de normalidadefosse atendido ou do teste de Wilcoxon caso não; e no desenho não pareado teste Tpara amostras independentes caso a normalidade fosse confirmada ou teste deMann-Whitney caso não; também foram estimadas razões de chance brutas eajustadas por meio de regressão logística simples e múltipla. O projeto de pesquisafoi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa com Seres Humanos da UniversidadeFederal de Sergipe (CEP/UFS), sob o número do parecer 2.832.391. Resultados: Aamostra foi composta por 41 atletas (idade 26,0 ± 5,4, peso 76,2 ± 8,5, altura 180 ±6,9, IMC 26,4 ± 1,4), destes, 69,3% apresentaram lesões musculoesqueléticas; foinos membros inferiores que se concentraram a maior parte (95%), a maioria sendona coxa (52,5%), seguido do joelho (20%) e tornozelo (12,5%). Na comparaçãoentre os dois momentos de avaliação, os resultados de equilíbrio dinâmico dosatletas apresentaram diferença significativa para todas as direções avaliadas, adireção anterior apresentou uma diminuição (p=0,007); os resultados de ADM paradorsiflexão apresentaram aumento significativo (p=0,001); na variável de forçamuscular, foi percebido aumento da força dos flexores do tronco (p=0,002) ediminuição dos flexores do joelho (p=&lt;0,001) com tamanho de efeito grande. Nacorrelação, percebe-se que os atletas com menos equilíbrio dinâmico apresentarammais lesões musculares na coxa (PLD: p=0,004 e PLE: p=0,002); voluntários commenos ADM para dorsiflexão do MID tiveram mais entorse de tornozelo (p=0.039),com tamanho de efeito grande (D=-1.174); os atletas com menos equilíbrio dinâmicoanterior apresentaram mais tendinopatias (p=0,030), tamanho de efeito grande (d=-1,136). Conclusão: Existe alteração de força muscular, equilíbrio dinâmico e ADMdurante uma temporada de futebol. E essas variáveis têm relação com os principaistipos de lesões: lesão muscular e equilíbrio dinâmico; entorse de tornozelo comADM; e tedinopatias com equilíbrio dinâmico.

  • CAMILA CAROLINE CARLINI
  • PERFIL EPIDEMIOLÓGICO E DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DOS CASOS DE LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA NO NORDESTE DO BRASIL.
  • Orientador : PRISCILA LIMA DOS SANTOS
  • Data: 29/01/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A leishmaniose visceral é uma doença parasitária, sistêmica e crônica, que pode acometer seres humanos e outras espécies de animais. Causada por um protozoário do gênero Leishmania sp., era conhecida como doença de meio rural, mas vem sido cada vez maisnotificada em regiões metropolitanas. Nessas áreas os cães domésticos tornaram-se o principal reservatório, pois uma vez infectado, não elimina o parasita do organismo, mesmo sendo tratado. A infecção canina é um importante achado preditor de infecções humanas, entretanto, mesmo o Nordeste brasileiro sendo endêmico para a LV, não se sabea real frequência dos casos de leishmaniose visceral canina (LVC) nesta região. Desta forma, os objetivos deste trabalho foram: realizar uma revisão sistemática para descrever o perfil epidemiológico e a distribuição espacial da LVC no Nordeste brasileiro, através de uma revisão sistemática e analisar a distribuição espacial dos casos de LVC em Sergipe, no período de 2017 a 2019. Para a revisão de literatura utilizamos as diretrizes do PRISMA, fazendo coletas em 9 bases de dados, onde após exclusão das duplicatas e análise pelos critérios de inclusão e exclusão, chegamos a um total de 60 artigos. Apesar de poucos registros na literatura, observou-se um aumento do número de casos de LVC ao longo dos anos na região Nordeste do Brasil. Os dados descritos, em sua maioria, foram obtidos através de pesquisa ativa dos pesquisadores envolvidos no estudo, e não como parte de programa público de controle da infecção. Os estudos também mostram que a região Nordeste possui fatores de risco similares entre os estados, sendo destacado o saneamento básico precário e cães reservatórios como os principais fatores. Para a distribuição espacial dos casos em Sergipe, buscamos dados junto ao LACEN, onde no período citado foram coletadas 8250 amostras em 33 municípios do estado, sendo 2038 positivos. Dentre os municípios, a capital Aracaju, foi a que deteve maior número de casos. Sergipe e os demais estados da região Nordeste apresentam casos novos de LV todos os anos, e poucos programas de rastreio, registro e controle sobre a doença, especialmente nos cães. A implantação de estratégia de notificação municipal ou estadual pode fornecer dados precisos da real expansão da LVC, bem com as características da transmissão desta infecção, que pode acometer o homem, na região Nordeste.

  • HELOISA MENDONÇA BERNINI SOARES DA SILVA
  • ASSOCIAÇÃO DOS NÍVEIS SÉRICOS DE 25(OH)2D COM OS NÍVEIS PRESSÓRICOS ARTERIAIS EM UMA POPULAÇÃO DE TRABALHADORES RURAIS.
  • Orientador : FABIANO ALVIM PEREIRA
  • Data: 29/01/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Embora a vitamina D esteja relacionada classicamente com o raquitismo e a osteomalácia, recentemente recebeu grande interesse em relação às doenças cardiovasculares, entre elas a hipertensão arterial. Apesar do crescente número de publicações que identificam essa associação, os estudos não são conclusivos quanto uma causal relação. O objetivo deste estudo foi avaliar a associação dos níveis séricos de 25(OH)2D com a alteração pressórica em uma população de trabalhadores rurais. Foram coletadas informações referentes à: características sócio-demográficas, avaliação nutricional antropométrica (IMC e Circunferência da Cintura), avaliação da pressão arterial e nível sérico de 25(OH)2D. Os níveis de 25(OH)2D, foram dosados pelo método da quimoluminescência. Para tal análise, os níveis séricos de Vitamina D foram categorizados em quartis e as associações foram testadas por meio do teste Qui-Quadrado de Pearson e Extado de Fisher. As correlações foram feitas entre o grupo com menores índices de 25(OH2)D (Q1) e o grupo com os maiores índices (Q4) . No grupo daqueles com os índices mais elevados de 25(OH2)D, apenas 7,4% apresentaram alteração pressórica, enquanto 25,92% daqueles com os menores índices tiveram alteração. Houve associação estatisticamente significativa entre os níveis séricos de 25(OH)2D e alteração pressórica (p=0,019), mesmo com a baixa incidência de insuficiência de vitamina D nesta população (11%), mostrando que, mesmo níveis classificados como adequados porém, próximos do considerado como deficiência, podem interferir no controle pressórico.

  • CLEIDINALDO RIBEIRO DE GOES MARQUES
  • EFETIVIDADE DE INTERVENÇÃO EDUCATIVA DE ENFERMAGEM NA REDUÇÃO DE READMISSÃO HOSPITALAR E MORTALIDADE DE PACIENTES COM INSUFICIÊNCIA CARDÍACA: REVISÃO SISTEMÁTICA E METANÁLISE.
  • Orientador : EDUESLEY SANTANA SANTOS
  • Data: 27/01/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A Insuficiência Cardíaca (IC) constitui uma síndrome clínica caracterizada pela desordem funcional ou estrutural do coração que prejudica suas funções. Essa condição patológica atinge milhões de pessoas no mundo e representa um problema de saúde pública por sua alta morbimortalidade, elevado consumo de recursos de saúde, prolongado tempo de hospitalização e reinternações frequentes. Programas de gerenciamento da IC constituem uma forma de abordagem ao paciente na visão de melhoriada adesão à terapia proposta. Por esta razão, o objetivo deste estudo é avaliar efetividade da visita domiciliar (VD) e telemedicina na redução de readmissão hospitalar e mortalidade de pacientes com IC através de revisão sistemática e metanálise de ensaios clínicos randomizados (ECR). A revisão foi realizada conforme recomendações daPreferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses (PRISMA) e com registro PROSPERO(CRD42018105760). Foi utilizada a estratégia PICOS para estabelecimento da busca. As palavras-chave utilizadas foram IC, enfermagem e educação de pacientes,selecionadas a partir dos Descritores em Ciências da Saúde (DeCS) e do Medical Subject Headings (Mesh). As bases de dados utilizadas foram Cumulative Index to Nursing and Allied Health (CINAHL), Cochrane Controlled Trials Register, U. S. National Library of Medicine (PubMed) e Scientific Electronic Library Online (SciELO). Uma pesquisa em literatura cinza incluiu o Google Scholar, OpenThesis e clinical trials. Os primeiros 100 resultados da pesquisa do Google Scholar foram analisados. As listas de referência de todos os estudos elegíveis foram digitadas para identificar estudos adicionais para inclusão. A seleção dos artigos ocorreu em duas fases por dois investigadores de forma independente e pareada, os quais tiveram concordância avaliada pelo teste Kappa. Foram incluídos ECR de pacientes diagnosticados com IC distribuídos entre grupo controle (GC) e intervenção (GI), no qual o GI tenhasido submetido à intervenção de enfermagem com VD e contato telefônico associadamente e tenham feito análise do desfecho de readmissão e mortalidade. O risco de viés foi avaliado pelas diretrizes da Cochrane e a qualidade de evidência pelo método Grading of Recomendations Assessment, Developing and Evaluation (GRADE). Ametanálise foi realizada utilizando o Review Manager versão 5.3. A busca inicial resultou em 2459 artigos e, após etapas seguintes, restaram 11 para análise final. Os estudos foram realizados na Ásia, Europa e América entre os anos de 2001 e 2016. Foram analisados 1462 pacientes, sendo distribuídos em 706 GI e 756 no GC na totalidade. Em ambos os grupos prevaleceu o sexo masculino e média de idade superior a 70 anos. A metanálise identificou redução do risco de readmissão em 34% [RR 0,66, IC 95%, 0,52-0,84, p=0,0007] e de 34 % na mortalidade no GI [RR 0,66, IC 95 %, 0,50-0,86, p=0,002]. Em análise do risco de viés, os artigos não apresentaram alto risco em itens que comprometessem a qualidade de evidência da intervenção. Foi evidenciado alto poder de reprodutividade da intervenção proposta. A heterogeneidade foi moderada para readmissão e homogêneo para mortalidade. A VD e contato telefônico configuram-se como estratégia potencial de intervenção para a prática educativa do enfermeiro.

  • CINTIA FERREIRA AMORIM
  • Associação da hipertensão arterial sistêmica e dosagem sérica de butirilcolinesterase em trabalhadores rurais.
  • Orientador : FABIANO ALVIM PEREIRA
  • Data: 22/01/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A hipertensão arterial sistêmica (HAS) é uma doença crônica com característica multifatorial, associada com disfunções estruturais e funcionais dos sistemas cardiovascular, nervoso e renal. Apresenta alta prevalência mundial, sendo de fundamental importância compreender e buscar estratégias para reduzir suas complicações. Níveis elevados de butirilcolinesterase (BChE) apresentam associação com a HAS e fatores de risco para doença cardiovascular. Objetivo: Analisar associação entre hipertensão arterial sistêmica e dosagem sérica de butirilcolinesterase em trabalhadores rurais. Método: Trata-se de um estudo observacional, transversal, realizado com trabalhadores da área rural do centro Sul do estado de Sergipe, com 280 voluntários de 18 a 60 anos, ambos os sexos, exceto gestantes, lactantes e indivíduos com doenças hepáticas conhecida. Foi aplicado um formulário com informações sobre características demográficas, perfil socioeconômico e histórico de saúde, foram realizadas aferições de medidas antropométricas, níveis pressóricos com monitor multiparametrico, dosagem sérica de butirilcolinesterase e perfil lipídico, realização de eletrocardiograma e avaliação com cardiologista para definição do diagnóstico de HAS. Resultados: Foram diagnosticados 35,7% (100) trabalhadores em hipertensos e 64,7% (180) normotensos, dos trabalhadores hipertensos 61% (61) já utilizavam medicação anti-hipertensiva, porém, apenas 6,5% (4) destes apresentaram níveis pressóricos controlados com uso de medicação. A amostra foi composta predominantemente por homens 72,9% (204), com baixo grau de instrução e renda familiar mensal menor que um salário mínimo. Observou-se que os trabalhadores hipertensos apresentaram mais idade (p<0,001), níveis elevados de triglicerídeos (p<0,001) e IMC (p0,05) em relação aos normotensos. O valor médio da dosagem de BChE encontrado, foi de 8389,7 (±1818,4), e apresentou diferença significativa entre os voluntários do quartil 25 e 100 (p<0,001). No grupo com maior dosagem de BChE, foi verificada maior frequência do diagnóstico de hipertensão, atingindo 1,7 vezes mais hipertensos neste grupo quando comparado ao grupo com menores dosagens de BChE (p<0,001). Na análise isolada das variáveis consideradas fatores de risco para hipertensão, apenas a variável triglicerídeo foi significativamente maior nos trabalhadores do quartil 100 (p<0,001). Conclusão: A amostra apresentou um número expressivo de hipertensos na população rural sem acompanhamento adequado, e a dosagem sérica de BChE apresentou associação com o grupo de hipertensos, sugerindo a utilização da enzima como um marcador biológico no monitoramento da HAS em trabalhadores rurais.

  • ELAINE MENEZES DE SOUZA MOURA
  • Associação entre polimorfismos genéticos de gene da paraoxonase (PON1) e elevação pressórica.
  • Orientador : FABIANO ALVIM PEREIRA
  • Data: 22/01/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A hipertensão é um importante desafio para a saúde pública devido sua alta prevalência e uma forte associação com riscos concomitantes de acidente vascular encefálico (AVE), doença cardiovascular (DCV), doença renal terminal e mortalidade geral que afeta todos os segmentos da população. As DCVs representam30% de todas as mortes e o principal elemento de risco relacionado é a susceptibilidade genética definida por Single Nucleotide Polymorphism (SNP), para a enzima de paraoxonase no soro humano relacionada a uma vulnerabilidade aumentada ao desenvolvimento de DCV. Objetivo: Investigar a associação degenótipos dos SNPs, rs662 e rs854560 (gene PON1) com a elevação pressórica. Metodologia: Estudo transversal, composto por 94 indivíduos, ambos os gêneros,média de idade de 42,4 anos (± 10,1 anos), divididos em indivíduos com elevaçãopressórica (46) e normotensos (48). Foram realizadas coletas de informações sobre características sócio econômicas, antecedentes pessoais, habituais e familiares pormeio de um formulário e entrevista, verificação de pressão arterial e realização de eletrocardiograma, além da coleta de material biológico para análise de lipidograma e genotipagem dos SNPs: rs662 e rs854560 (gene PON1). Para os testes de associação das variáveis categóricas, foi utilizado o teste Qui-Quadrado. Para os testes modelos genéticos, no modelo aditivo - Regressão logística binária e para os modelos dominante e recessivo - Qui-Quadrado (p=0,05). Resultados: Associação estatisticamente significante para os níveis pressóricos com o rs662 e rs854560 nos modelos aditivo e dominante. Demostraram uma associação nos genótipos AG + GG do polimorfismo rs662 (p=0,02) e nos genótipos AA + AT (p=0,03) do polimorfismors 854560, com elevação pressórica, de forma que os indivíduos portadores do alelo G, e do alelo A, respectivamente, podem suscetibilizar o aumento da resistência vascular e consequentemente a elevação do nível pressórico. Para análisemultivariada a única variável que se manteve significante foi o HDL (p=0,02), sugerindo associação de PON1 com a elevação de níveis pressóricos. Conclusão: Os resultados demonstram que a população estudada apresentou relação entre osSNPs rs662 e rs854560 do gene PON1 com a elevação pressórica e inspirou que a identificação precoce do risco genético elevado para o desenvolvimento de HAS seria favorável na promoção de saúde de grupos vulneráveis a tal patologia.

2019
Descrição
  • CANDICE LIMA CRUZ PORTO
  • RELAÇÃO ENTRE AS ALTERAÇÕES DO STATUS REDOX E DO DÉFICIT COGNITIVO EM PACIENTES HEMODIALÍTICOS
  • Orientador : ADRIANA GIBARA GUIMARÃES
  • Data: 28/08/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A DRC é caracterizada pelo acúmulo de toxinas no organismo, deficiência de proteínas e alterações hormonais, as quais afetam o funcionamento de vários sistemas, sendo necessário a instituição do tratamento hemodialítico. Nesta condição patológica diversos fatores contribuem para o desenvolvimento de desordens neurológicas podendo ser associadas as alterações no sistema vascular, hematológico e desequilíbrio redox. Deste modo, este trabalho objetivou avaliar o impacto das alterações do status redox e dos marcadores bioquímicos e hematológicos sobre o declínio cognitivo de pacientes com DRC submetidos à hemodiálise. Trata-se de um estudo epidemiológico transversal analítico com 117 pacientes realizado em uma unidade de diálise de Aracaju-SE, sob aprovação pelo CEP/UFS (CAAE: 82115717.0.000.5546). A avaliação cognitiva foi realizada utilizando o MEEM e BBRC. Já os dados sociodemográficos e dialíticos foram obtidos através da busca ativa em prontuários. Foram coletadas amostras de sangue para a avaliação dos marcadores do status redox, bioquímicos e hematológicos. A tabulação dos dados foi realizada no Microsoft Office Excel e posteriormente transferido para o software Graph Pad Prima versão 7.0.3. A amostra foi constituída principalmente por indivíduos do sexo masculino (60,7%) com idade entre 40-59 anos (45%), de etnia parda (46,1%), casados (59,8%) e com nível fundamental completo (47,8%). Quanto ao tratamento dialítico, o SUS foi a principal fonte pagadora (59,5%), com predominância da FAV como acesso à terapia (73,5%) e tempo de tratamento entre 1 e 5 anos (53%). De acordo com o MEEM, 56,8% dos pacientes apresentaram declínio cognitivo. Embora tenha sido verificada uma correlação positiva entre os resultados do MEEM e da BBRC, através deste último foi possível identificar declínio cognitivo em 10,5% dos pacientes, nos níveis leves (50,0%), moderados (37,5%) e graves (12,5%). Observou-se que os scores da BBRC diminuem proporcionalmente com a idade, independente do tempo de HD e do sexo. Além disso, foram detectadas alterações no aprendizado, reconhecimento e memória. Verificou-se ainda a existência de uma correlação positiva entre TBRAS (plasma) e o tempo de HD, bem como deste marcador de dano lipídico com os domínios aprendizado e reconhecimento. Já com relação as defesas antioxidantes enzimáticas, encontrou-se correlação positiva entre a superóxido dismutase SOD (eritrócitos) e a memória imediata e aprendizado. Por fim, foram observadas correlações positivas entre a BBRC e os níveis de ferritina, bem como correlação negativa entre os níveis de SH total e GSH com a creatinina, além de correlação positiva entre SH total (plasma) com albumina e hemoglobina. Deste modo, os resultados obtidos indicam que os pacientes renais crônicos apresentam alterações cognitivas que podem estar relacionadas não somente com o desequilíbrio redox como também com as alteração hematológicas e bioquímicas inerentes a fisiopatologia, o qual parece agravar-se com a progressão da doença e o tempo de tratamento, do sexo dos pacientes. Assim, o declínio da qualidade de domínios cognitivos como aprendizado, reconhecimento e memória podem contribuir para a redução da qualidade de vida dos pacientes, bem como para o aumento da necessidade de suporte para o cuidado e manejo dos portadores de DRC. Logo, este estudo poderá contribuir com pesquisas futuras para o melhor entendimento dos mecanismos pelo qual o declínio cognitivo acomete os pacientes com DRC, na perspectiva de que a triagem do status redox, marcadores bioquímicos e hematológicos possam ser usados como método alternativo a triagem de desordens neurológicas

  • JESSICA CARVALHO NASCIMENTO
  • Efetividade da aromaterapia sobre condições álgicas e do óleo de laranja doce (Citrus sinensis L.) no alívio da dor e ansiedade durante o parto
  • Orientador : ADRIANA GIBARA GUIMARÃES
  • Data: 23/08/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A dor é uma experiência sensorial e emocional de caráter subjetivo presente em diferentes processos fisiológico e patológicos. No parto, este é um sintoma comum, estando associado ao estado emocional da gestante. Embora existam opções terapêuticas para a redução da dor durante o trabalho de parto, muitas mulheres optam por um parto humanizado sem intervenção invasiva, tornando necessária a busca por novas estratégias que aliviem a dor. A aromaterapia corresponde à uma terapia integrativa e complementar caracterizada pela utilização de aromas constituídos por compostos bioativos voláteis, que agem modulando regiões encefálicas envolvidas no controle das emoções e da dor. Deste modo, o objetivo deste trabalho foi compilar evidências sobre o emprego da aromaterapia no alívio da dor e avaliar os efeitos do aroma de Citrus sinensis na dor e ansiedade durante o trabalho de parto. A fim de atingir parte deste objetivo, foi realizada uma revisão sistemática com metanálise de publicações sobre aromaterapia e dor seguindo a metodologia PRISMA. Foram selecionados 40 artigos demonstrando o efeito da aromaterapia em diferentes condições dolorosas, com destaque para os procedimentos assistenciais hospitalares e dor no parto. No entanto, foram observadas limitações metodológicas. Através da metanálise realizada com 16 estudos, observou-se que a aromaterapia por inalação reduz -1,75 pontos da escala visual analógica (EVA) (MD = -1,75, IC 95%: -2,34, -1,16; p < 0,01), indicando que a aromaterapia contribui para a redução da percepção dolorosa. Posteriormente, foi realizado um ensaio clínico randomizado com gestantes da maternidade Zacarias Júnior no município de Lagarto-SE, após aprovação pelo CEP/UFS (CAAE: 85796718.2.0000.5546). Para isso, os frutos de Citrus sinensis L. foram coletados e as cascas foram submetidas à extração do óleo essencial por hidrodestilação, o qual foi posteriormente avaliado quanto à composição química por cromatografia gasosa acoplada a espectrometria de massa. As gestantes foram divididas (n=42/grupo) em grupo experimental (inalação de 250 µL de óleo essencial de C. sinensis) e grupo placebo (250 µL de água destilada), e submetidas à avaliação da intensidade da dor através da EVA, ansiedade (IDATE-E), parâmetros fisiológicos (PAM, FC, FR), bem como os batimentos cardiofetais (detector sonar). A análise estatística foi realizada utilizando o programa GraphPad Prism, no qual foram realizadas as comparações entre os grupos através do teste T de Student, Mann Whitney ou Teste de Kruskal Wallis seguido de Dunn, conforme o caso, e as correlações foram estimadas através do teste de Spearman, sendo considerados significativo os resultados com p<0,05. A amostra foi constituída principalmente por gestantes entre 21 e 39 anos (79%), pardas, solteiras, multíparas de parto normal. A aromaterapia reduziu significativamente a intensidade da dor ao longo do tempo (p = 0,0411), sobretudo para as gestantes no estágio de dilatação 1 e primíparas (p = 0,0022). Além disso, a inalação do óleo essencial também promoveu redução da ansiedade (p<0,0001), apresentando correlações positivas significativas (r=0,3147; p=0,3129) com a intensidade de dor. A exposição ao aroma da laranja doce também reduziu a pressão arterial média, frequência cardíaca, frequência respiratória das gestantes e os batimentos cardiofetais (p<0,0001). A partir da compilação dos artigos sobre aromaterapia, pode-se notar que, embora aromaterapia pareça auxiliar no alívio da dor aguda, existe a iminente necessidade do aprimoramento dos estudos sobre aromaterapia, a fim de diminuir o risco de viés e aumentar o poder da sua evidência clínica. Já o estudo experimental demonstrou que o óleo essencial de C. sinensis reduz a dor e ansiedade durante o trabalho de parto, indicando as potencialidades deste tipo de intenveção e sua possível aplicabilidade nas boas práticas do trabalho de parto

  • HUGO AMILTON SANTOS DE CARVALHO
  • Função vestibular em indivíduos com baixa estatura severa devido a uma Deficiência Isolada do GH.
  • Orientador : MIBURGE BOLIVAR GOIS JUNIOR
  • Data: 22/08/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Objetivos: A habilidade de movimentar-se está diretamente ligada à harmonia entre três sistemas: vestibular, visual e proprioceptivo. Uma vez que o GH e o IGF-I podem apresentar influência no desenvolvimento e nas funções da orelha interna, sobretudo no labirinto, decidimos investigar a função vestibular nos indivíduos com baixa estatura severa devido à deficiência isolada do GH causada por uma mutação no receptor do gene GHRH. Métodos: estudo transversal que avaliou as funções periférica e central através do exame físico, provas oculomotoras e prova calórica em 15 DIGH (7 homens) vs. 15 controles (5 homens) idade (48.0±13.8 vs. 43.3±13.7 anos), altura (127.0±7.3 vs. 167.0±8.7 cm), peso (40.0±7.8 vs. 70.0±10.9 Kg) e IMC (25.0±4.6 vs. 24.2±2.8 Kg/m2). Resultados: O grupoDIGH mostrou maior número de indivíduos com assimetria labiríntica no exame físico 66.7% vs 26.7% (p=0.028), o que significa maior ocorrências de alterações periféricas com predominância no teste de impulso cefálico 66.7% vs. 26.7% (p=0.028). Nas provas oculomotoras, foram encontradas maiores alterações na calibração horizontal 53.3% vs 13.3% (p = 0.020) e no nistagmo espontâneo 26.7% vs 0% (p= 0.032). Os grupos comportaram-se de formas diferentes quando comparados na conclusão geral dessas habilidades 73.3% vs. 13.3% (p=0.001) e da prova calórica global 40.0% vs 13.3% (p=0.099) Conclusão: Os indivíduos com DIGH apresentaram alterações da função vestibular no exame físico, sobretudo na assimetria labiríntica, impulso cefálico, nistagmo espontâneo e calibração horizontal em comparação ao grupo controle. À prova calórica, foram encontradas mais alterações no grupo DIGH.

  • CELINA SANTOS ALMEIDA
  • Agentes de ação direta contra o vírus da hepatite C: Uma coorte de vida real.
  • Data: 25/07/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O vírus da hepatite C (HCV) pode gerar uma infecção crônica que desencadeia um processode degeneração discreto e progressivo no fígado, sendo um importante problema de saúdepública, que demanda assistência à saúde especializada e de alta complexidade. Sendo assim,diversos tratamentos são aprovados com o objetivo de erradicá-lo. O objetivo do estudo foiavaliar fatores preditores relacionados a falha terapêutica aos novos Agentes de Ação Direta(AAD) de segunda geração contra o HCV em um serviço de referência em hepatologia nonordeste do Brasil. Um estudo de coorte de vida real retrospectiva realizado em um serviço dereferência em hepatologia, onde a coleta foi realizada no período de janeiro/2018 aagosto/2018. Foram coletados em prontuário informações referentes a dados demográficos,quantificação da carga viral, estadiamento da doença hepática, além de dados como falha atratamento prévio e esquemas terapêuticos. O presente estudo foi submetido e aprovado peloComitê de Ética em Pesquisa sob o número 58131716.5.000.5546. As análises estatísticasforam realizadas por meio dos testes Exato de Fisher, Qui-quadrado, teste de Shapiro-Wilk eMann-Whitney. As variáveis categóricas foram descritas por meio de frequência absolutas e relativas percentuais, já as variáveis contínuas foram descritas por meio de média e desvio-padrão. Foram calculados riscos relativos e seus intervalos com 95% de confiança. O nível de significância adotado foi de 5% e o software utilizado foi o R Core Team 2018. Foram 126pacientes incluídos no estudo, desses, 21,5% não tinham relatos em prontuário de resultadosda resposta virológica sustentada na 12a semana após o tratamento (RVS 12), ficando 99pacientes com resultado de RVS 12 para análise, o que gerou uma taxa de efetividade de91,9%, faixa acima da esperada quando comparado com ensaios clínicos. Quanto acaracterística demográfica dos pacientes verificou média de idade de 58 anos, além dapredominância do sexo masculino. Quando buscou avaliar fatores preditores, o único fatorpreditor para uma falha terapêutica identificado foi a presença da carga viral detectada nofinal do tratamento, risco relativo 14,63 e IC95% (4,17-51,28). Porém, foram identificadosfatores protetores para uma falha terapêutica como a variável genótipo 1, pacientesexperimentados, o que foi particularmente significativo quando consideramos que quasemetade dos pacientes do estudo eram considerados difíceis de tratar. A presença da carga viraldetectada no final do tratamento foi o único fator preditor para falha terapêutica identificado.Os AADs foram considerados terapia de sucesso, com efetividade acima de 90%, além dissofomentasse futuras pesquisas sobre perda de seguimento dos pacientes em tratamento, e quaisintervenções devem ser implementadas para minimizá-las.

  • JUCIMARA NASCIMENTO GOIS
  • MANIFESTAÇÕES DA DEGLUTIÇÃO EM INDIVÍDUOS COM CÂNCER DE OROFARINGE SUBMETIDOS À TERAPIA CONSERVADORA: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA.
  • Orientador : FELIPE RODRIGUES DE MATOS
  • Data: 18/07/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: O câncer é uma das principais causas de morbimortalidade no mundo,sendo o de orofaringe um dos cânceres mais comuns entre os que atingem a região da cabeçae pescoço. As terapias conservadoras são os principais tratamentos utilizados para suapreservação; porém, a disfagia induzida por esse tratamento, como um efeito colateralmultifatorial final, ocorre em mais de 50% dos pacientes e pode gerar diversas consequênciascomo: estado de desnutrição, risco aumentado de pneumonia aspirativa e dependência dagastrostomia. OBJETIVOS: Caracterizar a produção científica e identificar as alterações dadeglutição presentes em indivíduos com câncer de orofaringe submetidos à terapiaconservadora. METODOLOGIA: O protocolo de revisão sistemática foi submetido na basede dados PROSPERO. A busca foi efetivada em cinco base de dados eletrônicas (SciELO,LILACS, PubMed, Web of Science e Scopus), além da busca da literatura cinzenta nas basesde dados (OpenThesis e OpenGrey), evitando viés de seleção e publicação, utilizando asseguintes palavras-chave: câncer; orofaringe; radioterapia; quimiorradioterapia; transtorno dedeglutição. Foram considerados elegíveis estudos longitudinais prospectivos sobre o tema,alterações de deglutição em indivíduos com câncer de orofaringe submetidos a terapiaconservadora. O risco de viés e avaliação da qualidade metodológica individual dos estudosselecionados foi avaliado pela ferramenta “The Joanna Briggs Institute Critical Appraisaltools for use in JBI Systematic Reviews” para estudos prospectivos e longitudinais.RESULTADOS: A busca resultou em 899 registros e após remoção dos registros duplicados,664 prosseguiram para análise dos títulos e resumos. Após análise, vinte registros foramelegíveis para leitura do texto completo, dos quais quatro preencheram os critérios deelegibilidade. Dentre os estudos incluídos, todos os indivíduos apresentaram algum tipo dealteração de deglutição, sendo as mais frequentes força e retração da base da língua reduzidas,atraso no disparo da deglutição, elevação laríngea reduzida, presença de resíduo em língua epalato, em região faríngea, valéculas e parede posterior da faringe, bem como no interior dosvestíbulos e em seios piriformes. CONCLUSÃO: As evidências dessa revisão sistemáticasugerem que as terapias conservadoras trazem alterações de deglutição ou intensificam as jáexistentes, de forma independente do tipo e da intensidade de radiação, bem como do estadiamento do tumor. Há, no entanto, pouca padronização nas metodologias das pesquisas,dificultando um estudo de metanálise.

  • AIMÉE OBOLARI DURÇO
  • Efeito cardioprotetor do d-limoneno sobre o infarto agudo do miocárdio em modelo animal
  • Orientador : ANDRÉ SALES BARRETO
  • Data: 29/05/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O infarto agudo do miocárdio (IM) apresenta alta taxa de mortalidade e sua abordagem - farmacológica ou percutânea - não inibe significativamente os danos do processo de isquemia/reperfusão (IR) ocasionados, dentre outros, pelo aumento do estresse oxidativo. As propriedades terapêuticas dos monoterpenos já são conhecidas e estudos já comprovaram que o d-limoneno – o monoterpeno natural mais frequente na natureza, possui capacidade antioxidante e ação regulatória sobre a pressão sanguínea. Assim, o projeto buscou elucidar os mecanismos de proteção do d-limoneno em modelo de IM induzido por isoproterenol em coração de camundongo Swiss, sendo para tal realizado a caracterização do efeito do d-limoneno sobre as alterações eletrocardiográficas através de eletrodos subdérmicos; investigação dos efeitos do d-limoneno sobre a área de infarto através da marcação com TTC; alterações histológicas pelo método de coloração com hematoxilina/eosina (H&E); produção das EROs pela fluorescência com DHE; avaliação da resposta do d-limoneno sobre as enzimas antioxidantes SOD e CAT; sua capacidade antioxidante (FRAP) e ação sobre as proteínas anti e pró-apoptóticas pelas técnicas de imunofluorescência e Western Blotting. Valores de probabilidade de p<0,05 foram considerados estatisticamente significativos. Observou-se que o d-limoneno impediu a elevação do segmento ST em 30% dos animais avaliados, reduziu a área de infarto para 8,34% e preveniu alterações histológicas, diminuiu o dano causado pelo estresse oxidativo por restaurar a atividade da SOD e suprimiu via pró-apoptótica. Assim, os achados farmacológicos do d-limoneno convergem para a promoção do efeito anti-apoptótico, redução da área de infarto, produção de EROs e inflamação, aumento da atividade da SOD e redução de enzimas pró-apoptóticas. Todos os dados foram expressos como média ± Erro Padrão Médio (EPM), e o número de animais 5 - 6 por grupo.

  • IGOR BORGES SILVA
  • APLICAÇÃO DE EXERCÍCIOS FUNCIONAIS CORRETIVOS INDIVIDUALIZADOS EM JOGADORES DE FUTEBOL JUVENIS.
  • Orientador : PAULA SANTOS NUNES
  • Data: 01/03/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O futebol é a primeira escolha de prática esportiva entre crianças e adolescentes, entretanto quando praticado como esporte competitivo, é acompanhado de altos índices de lesões. Assim, diversos programas de exercícios são desenvolvidos, com o objetivo de reduzir esses dados. Um deles, foi desenvolvido pelo centro de pesquisa da Federação Internacional de Futebol (FIFA), o FIFA 11+. Entretanto, trata-se de um programa global que muitas vezes há a necessidade de ser adaptado à individualidade de cada atleta. Sendo assim, o estudo tem como objetivo analisar as alterações biomecânicas em jogadores de futebol da categoria sub-19, após aplicação do FIFA11+ e de exercícios funcionais específicos individualizados. Trata-se de um ensaio clínico aleatório cego, desenvolvido com jogadores de futebol de campo sub-19, no período competitivo, com duração de 4 meses, divididos em 3 grupos: Grupo controle (GC), Grupo FIFA (Federation Internationale de Football Association) e Grupo Protocolo de Exercícios Funcionais Específicos (GPEFE). Foram realizadas avaliações cinesiológicas-funcionais, uma semana antes da pré-temporada e outra, uma semana após o término da competição. Após a primeira avaliação, eles seguiram no campeonato e direcionados de forma aleatória, para os treinamentos. De acordo com os resultados parciais, o GPEFE teve diferença significativa nos dois tempos em todas as variáveis, no GFIFA não houve diferença significativa apenas para o teste de equilíbrio dinâmico nas direções póstero-lateral e póstero-medial dos dois lados e para o teste de endurence abdominal. Já o GC, só houve diferença significativa nos testes de força muscular, tanto para quadríceps, quanto para isquiotibiais e no Hop Test de ambos os lados. Entretanto a diferença se deu para perda de força muscular e diminuição da funcionalidade. Quando comparados intergrupos, o GPEFE teve diferença significativa para os demais grupos no teste de força muscular do quadríceps e isquiotibiais, equilíbrio dinâmico nas direções póstero-lateral e póstero-medial de ambas as pernas e no teste de agilidade para os dois lados. Todavia, quando calculado o tamanho do efeito, não houve diferença entre o GFIFA e o GPEFE, pois em ambos, o efeito das intervenções foram de grandes a enormes. Contudo, o GPEFE obteve diferença estatística significativa menor para o tempo de afastamento e número de lesão, em relação aos outros grupos. Conclui-se que que o FIFA11+ é um protocolo eficiente quanto a prevenção de lesão em jogadores de categorias de base. Entretanto executar exercícios de acordo com a especificidade de cada atleta é importante para que os resultados sejam mais satisfatórios.O futebol é a primeira escolha de prática esportiva entre crianças e adolescentes, entretanto quando praticado como esporte competitivo, é acompanhado de altos índices de lesões. Assim, diversos programas de exercícios são desenvolvidos, com o objetivo de reduzir esses dados. Um deles, foi desenvolvido pelo centro de pesquisa da Federação Internacional de Futebol (FIFA), o FIFA 11+. Entretanto, trata-se de um programa global que muitas vezes há a necessidade de ser adaptado à individualidade de cada atleta. Sendo assim, o estudo tem como objetivo analisar as alterações biomecânicas em jogadores de futebol da categoria sub-19, após aplicação do FIFA11+ e de exercícios funcionais específicos individualizados. Trata-se de um ensaio clínico aleatório cego, desenvolvido com jogadores de futebol de campo sub-19, no período competitivo, com duração de 4 meses, divididos em 3 grupos: Grupo controle (GC), Grupo FIFA (Federation Internationale de Football Association) e Grupo Protocolo de Exercícios Funcionais Específicos (GPEFE). Foram realizadas avaliações cinesiológicas-funcionais, uma semana antes da pré-temporada e outra, uma semana após o término da competição. Após a primeira avaliação, eles seguiram no campeonato e direcionados de forma aleatória, para os treinamentos. De acordo com os resultados parciais, o GPEFE teve diferença significativa nos dois tempos em todas as variáveis, no GFIFA não houve diferença significativa apenas para o teste de equilíbrio dinâmico nas direções póstero-lateral e póstero-medial dos dois lados e para o teste de endurence abdominal. Já o GC, só houve diferença significativa nos testes de força muscular, tanto para quadríceps, quanto para isquiotibiais e no Hop Test de ambos os lados. Entretanto a diferença se deu para perda de força muscular e diminuição da funcionalidade. Quando comparados intergrupos, o GPEFE teve diferença significativa para os demais grupos no teste de força muscular do quadríceps e isquiotibiais, equilíbrio dinâmico nas direções póstero-lateral e póstero-medial de ambas as pernas e no teste de agilidade para os dois lados. Todavia, quando calculado o tamanho do efeito, não houve diferença entre o GFIFA e o GPEFE, pois em ambos, o efeito das intervenções foram de grandes a enormes. Contudo, o GPEFE obteve diferença estatística significativa menor para o tempo de afastamento e número de lesão, em relação aos outros grupos. Conclui-se que que o FIFA11+ é um protocolo eficiente quanto a prevenção de lesão em jogadores de categorias de base. Entretanto executar exercícios de acordo com a especificidade de cada atleta é importante para que os resultados sejam mais satisfatórios.

  • DAMARIS SILVA DOS SANTOS
  • Bioprodutos a base dE Matricaria chamomilla como perspectiva terapêutica em dermatopatias: uma revisão de patentes
  • Orientador : ADRIANA GIBARA GUIMARÃES
  • Data: 27/02/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A pele corresponde a uma importante barreira que impede a invasão de patógenos e evita ataques químicos e físicos, bem como a perda não regulada de água. Quando essa proteção sofre a ação de agentes externos, pode ocorrer a ruptura da sua integridade, provocando as doenças de pele, sendo necessária a intervenção terapêutica. Essas doenças estão amplamente distribuídas no mundo, sua prevalência pode ser superior a 80% em países menos desenvolvidos, podendo afetar indivíduos de todas as classes sociais, idades, culturas e gêneros, além disso, geram implicações de ordem física, funcional, psicológico, social e ocupacional, impactando diretamente na qualidade de vida. Assim, torna-se importante a descoberta de novas possibilidades para o tratamento de doenças de pele. As plantas medicinais representam uma alternativa terapêutica vastamente difundida ao redor do mundo para o tratamento de diversas doenças, incluindo as doenças dermatológicas, em virtude do fácil acesso e elevado potencial farmacológico. O extrato de camomila (Matricaria chamomilla) é comumente empregado na área farmacêutica devido, principalmente, às suas propriedades anti-inflamatória, antimicrobiana e cicatrizante. Dessa forma, este trabalho teve como objetivo desenvolver uma revisão de patentes sobre a camomila para avaliar a o status do desenvolvimento tecnológico de bioprodutos a base desses extratos destinados ao tratamento de doenças de pele. Foi realizada uma extensa pesquisa nas bases de patentes ESPACENET, USPTO, WIPO e INPI utilizando os descritores "Matricaria" or “Chamomilla”, juntamente com os códigos da Classificação Internacional de Patentes A61K e A61P. Inicialmente, foram encontradas 1816 patentes, as quais foram verificadas por 02 avaliadores utilizando como critérios de inclusão patentes que demonstrassem a ação terapêutica sobre a pele através de estudos experimentais ou clínicos. Foram selecionadas 20 patentes, as quais descreveram as atividades terapêuticas da camomila entre os anos de 1982 e 2017, distribuídas nos continentes asiáticos, europeus e americanos. O tipo de estudo mais prevalente foi o estudo clínico (36,36%) e as principais alterações de pele estudadas estão relacionadas a cicatrização de feridas e queimaduras (25,00%), eritema e rosácea (16,66%), eczema e desidrose (12,50%) e dermatites (8,33%). As principais propriedades descritas nas patentes analisadas foram cicatrizante (20,00%) anti-inflamatória (16,66%), antimicrobiana e umectante (10,00%). Além disso, as invenções foram capazes de reduzir manchas e hiperpigmentação da pele por radiação UV (8,33%), descamação da pele e promover a melhora do estrato córneo danificado (8,33%). As principais formulações farmacêuticas desenvolvidas foram de aplicação tópica como cremes (28,57%), pomadas (9,52%), loções (9,52%), soluções (9,52%), curativo têxtil (4,76%), bandagem (4,76%). Os resultados sugerem que o extrato de camomila pode ser utilizado como base de bioprodutos destinados ao tratamento de doenças de pele devido as suas propriedades terapêuticas, porém mais estudos clínicos precisam ser realizados para corroborar com o resultado desse estudo.

  • FLÁVIO WALLACE DE BRITO PINTO
  • Avaliação do balanço autonômico cardiovascular e instrumentos de capacidade funcional de pacientes renais crônicos.
  • Orientador : ANDRÉ SALES BARRETO
  • Data: 26/02/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A doença renal crônica é caracterizada pelo dano progressivo à função renal diagnosticada através da redução da taxa de filtração glomerular, albuminúria e aumento da creatinina, que em decorrência dos agravos à saúde, levam a necessidade de terapia renal substitutiva, sendo a hemodiálise o método mais utilizado. A progressão da doença pode estar associada à diminuição da capacidade funcional e disfunção do controle autonômico cardiovascular. Diante disto, este estudo objetivou investigar os instrumentos de avaliação funcional e função autonômica cardiovascular de pacientes renais crônicos submetidos à hemodiálise. O estudo foi dividido em duas partes: uma revisão sistemática de ensaios clínicos randomizados sobre avaliação funcional com protocolo elaborado e registrado no PROSPERO com o número CRD42018099908, seguindo recomendações PRISMA e Cochrane, com busca realizada nas bases de dados PubMed, LILACS e PeDro e literatura cinzenta, atualizada em novembro de 2018. A busca resultou em 2085 registros, dos quais 25 preencheram os critérios de inclusão. Os estudos foram publicados entre 2000 e 2018, sendo a intervenção combinada (exercícios aeróbicos e resistidos) utilizada na maioria dos estudos, e os instrumentos de avaliação mais utilizados o Sit-to-Stand, o TC6, o KDQOL-SF e o Timed Up and Go. A segunda parte trata-se de estudo observacional transversal realizado em uma clínica de hemodiálise, aprovado pelo CEP-UFS com o n. do parecer 2.594.848. A amostra foi composta por 58 voluntários distribuídos em dois grupos hemodialíticos (HD) (n=29) e saudáveis (CO) (n=29), pareados por idade, gênero e índice de massa corporal. Foram utilizados cardiofrequêncimetro para aferição da Frequência Cardíaca (FC), Variabilidade da Frequência Cardíaca (VFC) e desafios autonômicos [Cold Pressor (CP) e Deep Breath (DB)] e método auscultatório para aferição da pressão arterial (PA). As variáveis contínuas foram expressas por média ± desvio padrão utilizando os testes t de Student. Variavéis categóricas utilizaram os testes Exato de Fisher ou qui-quadrado para as comparações entre os grupos. Todos os testes consideraram significativo p< 0,05. O grupo HD apresentou elevação da PAM em relação ao CO durante o período basal (de 100,4 ± 3,0 vs 90,34 ± 1,85 mmHg; p< 0,01), influenciada pela diferença dos valores da PAS entre os grupos (139,0 ± 4,7 vs 119,1 ± 2,1 mmHg; p< 0,01), contudo a VFC não apresentou diferença significativa. Durante o CP test a diferença dos valores de PAS foi mantida entre os grupos (de 152,8 ± 5,9 vs 137,1 ± 2,5 mmHg; p< 0,01), embora o índice de hiper-reatividade foi demonstrado de maneira inversa (HD: 7,31 ± 0,84 vs CO: 19,62 ± 1,27 bpm; p< 0,01), pela limitação do range fisiológico do grupo HD. Durante a aplicação do DB test pode-se observar diferença no ∆ FC (p< 0,01), demonstrando a redução da resposta parassimpática. Nossos resultados demonstram diminuição dos ajustes simpático e parassimpático cardíaco durante os desafios autonômicos, demonstrando a inabilidade do sistema nervoso autônomo nesta população, bem como a não existência de consenso quanto aos instrumentos de avaliação da capacidade funcional, realizada em sua maior pela aptidão cardiorrespiratória e força muscular.

  • GENEF CAROLINE ANDRADE RIBEIRO
  • Transtornos mentais prevalentes em homens idosos que tentaram suicídio: uma revisão sistemática e metanálise.
  • Orientador : LUIZ RENATO PARANHOS
  • Data: 25/02/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O Brasil, assim como grande parte dos países, está em franco processo deenvelhecimento. Hoje, são mais de 900 milhões de pessoas idosas no mundo,representando aproximadamente 12,3% da população total, com estimativas de que setornem 21,5% do total de pessoas no planeta até 2050. Concomitante, cresce a taxamundial de suicídio. Hoje, o suicídio já é a segunda causa de mortes entre idosos nomundo e, em homens esse número chega a ser quatro vezes maior que em mulheres.Além disso, têm-se observado grande associação entre o suicídio nessa faixa etária ealgumas comorbidades, como os transtornos mentais. Dessa forma este estudo tevecomo objetivo verificar os transtornos mentais como fatores de risco para o suicídio emhomens idosos. A busca foi realizada em cinco bases de dados eletrônicas (SciELO,LILACS, PubMed, Web of Science e Scopus), além da busca da “literatura cinzenta”nas bases OpenThesis e OpenGrey. Foi feito também a busca manual por meio deanálise das referências dos artigos elegíveis. Foram considerados elegíveis estudos decoorte sobre o tema, com homens acima de 60 anos que efetuaram o suicídio de formaconsumada e que possui transtornos mentais como fator associado, avaliados em basede dados primários ou secundários. Irrestrito para ano, idioma e status de publicação. Abusca resultou em 6.817 registros e após remoção dos registros duplicados, 6.613prosseguiram para análise dos títulos e resumos. Após análise somente 18 registosforam elegíveis para leitura do texto completo, dos quais apenas 4 preencheram oscritérios de elegibilidade. Todos os estudos apresentaram baixo risco de viés. As fontesde informações quanto ao suicídio e quanto as características demográficas dapopulação de todos os estudos foram provenientes de dados secundários. A amostratotal foi de 2.200 casos de suicídio em homens idosos com transtornos mentais. Homensidosos com transtornos mentais configura-se como um grupo com maior risco decometer suicídio, principalmente nos casos de depressão, psicose, neurose, transtorno depersonalidade, demência, esquizofrenia, alcoolismo, abuso de substâncias e transtornobipolar.

  • DIEGO DOS PASSOS SANTIAGO
  • Efeitos da pressão positiva expiratória final sobre a hemodinâmica e balanço autonômico cardíaco em pacientes ventilados mecanicamente
  • Orientador : ANDRÉ SALES BARRETO
  • Data: 25/02/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A ventilação mecânica invasiva (VMI) propicia melhora das trocas gasosas e substituição da ventilação espontânea. Entre as técnicas e parâmetros utilizados, destaca-se a Pressão Positiva Expiratória Final (PEEP), a qual promove expansão de unidades alveolares colapsadas, sugerindo alterar a hemodinâmica em níveis entre 15 à 20 cmH2O, sendo necessários ajustes do autonômico para manter a homeostasia cardiovascular. Por esta razão, o trabalho buscou avaliar o efeito de diferentes níveis de PEEP sobre a hemodinâmica e balanço autonômico cardíaco em pacientes ventilados mecanicamente. O estudo foi dividido em duas partes, onde inicialmente foi realizada uma revisão sistemática de ensaios clínicos sobre os efeitos da PEEP na hemodinâmica e controle neural da pressão arterial. Seguiu-se as recomendações PRISMA e Cochrane. Foram utilizadas como fontes de estudo primárias as bases de dados eletrônicas LILACS, PubMed, SciELO, Web of Science e Pedro. A busca resultou em 4942 registros, dos quais apenas cinco preencheram os critérios de inclusão. Em suma, após revisão, a literatura sugere que parâmetros hemodinâmicos e autonômicos (frequência cardíaca, pressão arterial sitólica, pressão arterial diastólica, pressão arterial média, alta e baixa frequência das ondas R-R) não são alterados entre os níveis de PEEP avaliados (0, 5, 8 e 10 cmH2O). Em seguida, progrediu-se com um ensaio clínico, aprovado pela CEP-UFS com número de parecer 2.537.641. Os pacientes foram avaliados quanto às respostas hemodinâmicas e variabilidade da frequência cardíaca (VFC) em diferentes níveis de PEEP (8, 12 e 15 cmH2O) com intervalo de 15 minutos entre os incrementos de maneira progressiva, utilizando para aferições o cardiofrenquêncimetro Polar V800, monitor multiparâmetros e oxímetro de pulso. A amostra foi constituída de 30 pacientes de forma não probabilística, com idade mínima de 18 anos, onde 19 (63,33%) eram homens e 11 (36,66%) eram mulheres, apresentando uma idade média de 71,37 ± 16,4 anos. Nas variáveis hemodinâmicas de frequência cardíaca, pressão arterial sitólica, pressão arterial diastólica, pressão arterial média, pressão de pulso, duplo produto e variáveis autonômicas cardíacas low frequency (LF), high frequency (HF) e a razão low frequency/high frequency (LF/HF), não evidenciaram alterações significativas nos valores de PEEP avaliados. Assim, os níveis de PEEP utilizados no presente estudo não foram suficientes para produzir repercussões nas variáveis hemodinâmicas e autonômicas cardiovasculares. Por fim, esse estudo demonstra que os níveis de PEEP utilizados sugerem ser seguros quanto a repercussões cardiovasculares em pacientes ventilados mecanicamente.

  • CRISTIANE CARVALHO SANTOS MELO
  • AVALIAÇÃO DA RELAÇÃO ENTRE NÍVEIS SÉRICOS DE VITAMINA D E PARÂMETROS CLÍNICOS PERIODONTAIS
  • Orientador : FABIANO ALVIM PEREIRA
  • Data: 30/01/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A Periodontite é um processo inflamatório crônico local, multifatorial e polimicrobiano que resulta na destruição dos tecidos de suporte periodontal e impacta negativamente na saúde geral. É muito prevalente, atingindo mais de um bilhão de pessoas no mundo. A vitamina D (VD) é um hormônio esteroide com importante papel na homeostasia óssea; por seus efeitos anti-inflamatórios e imunomoduladores, a deficiência de VD atinge entre 30% e 50% da população. Variações nos níveis de vitamina D podem, em parte, modular os efeitos de destruições tecidual da periodontite. Levantamento epidemiológico prévio da população de trabalhadores rurais de Sergipe mostrou prevalência de perda óssea periodontal em mais de 90% dos avaliados, porém as dosagens de vitamina D ainda não são conhecidos nesta população. Objetivo: Investigar a associação entre níveis séricos de vitamina D e os parâmetros clínicos periodontais. Casuística e Métodos: O estudo é observacional do tipo transversal, com coleta de dados primários em voluntários da área rural, todos residentes no estado de Sergipe, Brasil. Além de anamnese os voluntários foram examinados clinicamente por meio de periograma, onde os dentes completamente erupcionados foram avaliados, excetuando-se os terceiros molares. Seis sítios por dente foram sondados para os parâmetros profundidade de bolsa, perda de inserção, índice de sangramento a sondagem e índices de placa (protocolo boca completa). Os níveis de VD, foram dosados por quimoluminescência automatizado, seguindo as especificações do fabricante e dosado conforme classificação da Endocrine Socity. Resultados: a amostra totalizou 85 voluntários com VD dosada e avaliação periodontal completa, desses 28 (32,9%) mulheres e 57 (67,1%) homens. Nível sérico de VD abaixo do valor de referência foi verificado em 11/85 (12,9%) dos voluntários, sendo a prevalência significativamente maior entre mulheres (7/28) 25,0% do que entre homens (4/57) 7,0% (p=0,035). Os parâmetros periodontais apresentaram diferença estatísticamente significante entre os grupos de VD para os sítios de perda óssea mais severas (acima de 6mm de perda - p=0,012) e (acima de 7mm de perda - p=0,027), porém esta situação clínica periodontal severa foi pouco prevalente entre as mulheres da amostra. Conclusão: a amostra analisada apresentou grande vulnerabilidade socioeconômica. A totalidade dos avaliados foram diagnosticados com periodontite e a maioria em estágio avançado. A VD apresentou baixa frequência de deficiência, mas foi verificado nestes sujeitos uma maior tendência de perda de inserção clínica, porém sem atingir significância estatística. Serão necessários estudos com amostras maiores e com maior controle das limitações inerentes as pesquisas para elucidação do papel da vitamina D na periodontite.

  • MICHELLE FONSECA COSTA
  • EFEITOS DO CARVACROL, TIMOL E ÓLEOS ESSENCIAIS QUE OS CONTÊM NA CICATRIZAÇÃO DE FERIDAS: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA
  • Orientador : ADRIANA GIBARA GUIMARÃES
  • Data: 23/01/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Feridas afetam um número considerável de pessoas em todo o mundo independentemente de sexo, idade ou etnia, constitui um sério problema de saúde pública, uma vez que prejudica a qualidade de vida dos indivíduos, gera absenteísmo ao trabalho e tem sido associado ao envelhecimento da população e o surgimento de doenças crônicas. Além disso, o tratamento de feridas representa uma fração considerável das despesas de saúde para os indivíduos e sistemas de saúde, sendo associada a prolongamento do tempo de hospitalização, proporcionando agravos psíquicos e socioeconômicos. Epidemiologicamente, estima-se que existam 6,5 milhões de pessoas acometidas por feridas crônicas somente nos Estados Unidos e no Brasil, entre as quais as lesões crônicas de pele corresponde a 14ª causa de afastamento temporário das atividades laborais e a 32° causa de afastamento definitivo das atividades. O uso de substâncias naturais constitui uma fonte de novas descobertas terapêuticas para diversos processos patológicos, tais como a cicatrização de feridas. Nesse contexto, o carvacrol e o timol, monoterpenos encontrados em espécies vegetais aromáticas, demonstram alto potencial anti-inflamatório, antioxidante, antimicrobiano e cicatrizante. Assim, este estudo se propôs a compilar os achados científicos sobre a aplicabilidade do carvacrol e do timol, ou óleos essenciais contendo pelo menos um desses compostos, no tratamento de feridas. Para tanto, foi realizada a busca de artigos nas bases de dados PubMed, SCOPUS, Web of Science, em 09 de maio de 2017, utilizando diferentes combinações de palavras-chave (Feridas, cicatrização de feridas, timol, carvacrol e óleos essenciais). Foram encontrados 848 artigos, dos quais 89 atenderam os critérios para uma revisão de materiais e métodos, nove artigos atenderam aos critérios estabelecidos de inclusão e exclusão. Após a busca manual houve inclusão de 3 estudos que também atenderam esses critérios. Em atualização realizada em 20 de fevereiro de 2018 houve inclusão de mais 1 estudo, totalizando 13 artigos. Através desta revisão sistemática, foi possível verificar que o timol e o carvacrol, em diferentes formulações, são capazes de atuar nas três fases da cicatrização de feridas. Na primeira fase, mostrou efeito modulador das citocinas inflamatórias, estresse oxidativo, além de conferir proteção antimicrobiana. Na segunda fase, estes compostos promovem reepitelização, angiogênese e desenvolvimento do tecido de granulação. Finalmente, na terceira fase, estes monoterpenos apresentam elevada capacidade de estimular a deposição de colágeno de forma organizada, além de modular o crescimento de fibroblastos e queratinócitos. Entretanto, a determinação da dose, a eficácia e a segurança do uso desses compostos para o tratamento de feridas e o mecanismo exato pelo qual esses efeitos podem ser observados são desafios para estudos futuros.

2018
Descrição
  • JOSÉ NILSON ANDRADE DOS SANTOS
  • Análise das reações adversas após o tratamento com radioterapia em adultos com câncer de cabeça e pescoço.
  • Orientador : FELIPE RODRIGUES DE MATOS
  • Data: 21/11/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Câncer de cabeça e pescoço (CCP) é um termo coletivo definido por bases anatômicotopográfica para descrever tumores malignos do trato aerodigestivo superior. Seu tratamentoocorre através de radioterapia, quimioterapia e/ou cirurgia. A incidência de reações adversas(RA) depende da dose/frequência da radioterapia, local irradiado, idade e condições clínicas dopaciente e dos tratamentos associados. Este estudo teve como objetivo avaliar as principaisreações após o tratamento com radioterapia em adultos com CCP. Foram coletados dados sóciodemográficos, clínicos e das reações adversas apresentadas após o tratamento com radioterapia.Os pacientes foram divididos em dois grupos associados ao tratamento, sendo um até dezsessões e outro com mais de 10 sessões de radioterapia. A amostra consistiu em 34 pacientes,que tiveram média de idade de 59 anos (± 12,33), idade mínima de 36 anos e máxima de 86anos, sendo que 91,2% dos indivíduos referiram hábito tabagista e 85,3% fazerem consumo deálcool. Dentre as principais neoplasias apresentadas pela amostra estão a: Neoplasia malignade outras partes e de partes não especificadas da língua (C02) - 11,8%, neoplasia maligna deoutras localizações e de localizações mal definida, do lábio, cavidade oral e faringe (C14) -11,8% e neoplasia maligna da laringe (C32) - 14,7%. Dentre as principais RA encontradas emambos os grupos foram descritas: dor (70,6%), mucosite (97,1%), náusea (67,6%), vômito(55,9%), má ingestão (64,7%), boca seca (94,1%), desidratação (94,1%), alteração na voz(91,2%) e prurido (55,9%). Não se verificou diferenças estatisticamente significativas entre osgrupos com menos de 10 e mais de 10 sessões de radioterapia de acordo com as RA. Diante dosachados, sugere-se que os profissionais de saúde tenham conhecimento dessas RA, buscandominimizá-las e tratá-las, além de promover um acompanhamento contínuo para que possaresgatar as condições ideais de saúde, contribuindo para a qualidade de vida e autoestima dessespacientes.

  • JULIANA DE SOUSA SILVA
  • EFEITO DO EXTRATO AQUOSO DA Tinospora cordifolia NA REVERSÃO DAS ALTERAÇÕES HEPÁTICAS EM INDIVÍDUOS COM ALCOOLISMO CRÔNICO: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA E META- ANÁLISE
  • Orientador : LUIZ RENATO PARANHOS
  • Data: 05/10/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Tinospora Cordifolia é uma planta, mais conhecida na medicina indiana, que apresentacomponentes fitoquímicos eficazes na terapêutica de diversas doenças. Objetivo: Esteestudo verificou o efeito do extrato de Tinospora Cordifólia em diminuir os impactos doálcool nas enzimas específicas relacionadas ao dano do álcool em indivíduos alcoolistascrônicos. Metodologia: Trata-se de um estudo de revisão sistemática de estudos clínicos,quase experimentais. Um protocolo foi elaborado e registrado no PROSPERO e seguiu asrecomendações PRISMA e Cochrane. Foram utilizadas como fontes de estudo primárias asbases de dados eletrônicas LILACS, PubMed, SciELO, Scopus, Web of Science e Embase.Foi incluída a busca da “literatura cinzenta” para evitar viés de seleção e publicação. Foifeito também a busca manual por meio de uma análise sistematizada das referências dosartigos elegíveis. A qualidade metodológica e o risco de viés dos estudos foram avaliadospela ferramenta “Joanna Briggs Institute Critical Appraisal Tools for Systematic Reviews”.A análise estatística foi realizada por meio do método Mantel-Haenszel com intervalo deconfiança de 95% e do teste I-square (I2). Resultados: A busca resultou em 1304 registros,dos quais apenas cinco preencheram os critérios de inclusão. Os estudos foram publicadosentre 2015 e 2016, todos na Índia e avaliaram os efeitos da Tinospora cordifolia quanto àmelhora de biomarcadores hepáticos. Todos os estudos incluídos apresentaram baixo riscode viés. Os resultados da meta-análise evidenciaram que a utilização da Tinosporacordifólia colaborou para a redução dos seguintes parâmetros avaliados: GGT (D0 – 5.86;D14 – 2.16), MVC (D0 – 13.98; D14 – 5.25), AST (D0 – 16.35; D14 – 4.44), ALT (D0 -8.58; D141 – 1.78). Conclusão: Os resultados sugerem que o uso da Tinospora cordifóliacontribui para a melhoria dos níveis hepáticos de GGT, MVC, AST e ALT. No entanto,após 14 dias, os níveis não se equiparam aos níveis observados em pessoas não alcoolistas,sugerindo que a sua utilização como adjuvante é mais apropriada.

  • BETÂNIA CABRAL ACIOLE BOMFIM
  • AVALIAÇÃO DO PAPEL DO CCR4 NO REPARO ÓSSEO ALVEOLAR EM CAMUNDONGOS
  • Orientador : CARLOS EDUARDO PALANCH REPEKE
  • Data: 12/09/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O processo do reparo ósseo depende de mecanismos que envolvem o sistema ósseo e imunológico. Leucócitos, citocinas e seus receptores, participam facilitando respostas imunoinflamatórias durante o reparo. O receptor CCR4 é importante no recrutamento de linfócitos T durante respostas imunes. Essa expressão de CCR4 em células T traz interesse em investigar o papel deste receptor na imunidade inata durante o reparo ósseo, já que os linfócitos T ativados podem ser fontes de ativação de RANKL e a partir daí, interferir na osteoclastogênese e, portanto, no reparo ósseo. Assim, o objetivo desse estudo é avaliar o papel do CCR4 no processo de reparo ósseo alveolar pós-exodontia do incisivo superior direito de camundongos. Metodologia: Para isso, foram utilizados 40 camundongos divididos em dois grupos WT - (grupo controle) e CCR4KO - (grupo experimental - deficiente para
    o receptor CCR4) e analisados quanto ao reparo ósseo alveolar nos períodos de 0, 7, 14 e 21 dias pós-exodontia. Amostras foram submetidas ao processamento histológico e analisadas ao microscópio óptico para caracterização histomorfométrica.
    Resultados: Como resultado geral das análises histológicas, constatamos que a ausência de CCR4 não afetou o resultado final do reparo ósseo alveolar em camundongos CCR4KO, que tiveram uma sequência de eventos inflamatórios e de reparo semelhantes ao do grupo controle. Na análise histomorfométrica, os resultados mostram maior densidade de coágulo no grupo CCR4KO no período de 0 hora (p< 0,05); como também mais células inflamatórias no período de 7 dias comparado ao controle (p< 0,05). Houve no grupo CCR4KO uma menor densidade de vasos nos períodos de 7, 14 e 21 dias, porém com aumento gradativo nos dois grupos (p< 0,05). Quanto a densidade de fibras, a diferença entre os grupos foi estatisticamente significante (p< 0,05) quando observada a redução gradual da densidade no grupo CCR4KO a partir do período de 7 dias, assim como a densidade de fibroblastos que foi menor nos períodos de 7, 14 e 21 no grupo CCR4KO, quando comparado ao grupo controle. Houve também uma diferença significativa na formação óssea, onde o grupo CCR4KO teve densidade de área de tecido ósseo maior nos períodos de 7, 14 e 21 dias quando comparado ao controle (p< 0,05), com atividade de osteoblastos menor aos 7 dias e maior aos 14 e 21 dias e, atividade de osteoclastos maior que o grupo controle nos períodos de 7, 14 e 21 dias. Conclusão: A ausência do receptor CCR4 não foi capaz de interferir na sequência de eventos que acontecem no reparo ósseo alveolar dos camundongos, mas promoveu diferenças em alguns componentes participantes do processo de reparo ósseo alveolar.



  • JULIANA MOREIRA DE ALCANTARA E VASCONCELOS
  • AVALIAÇÃO DA FORÇA MUSCULAR PROXIMAL DE MEMBROS INFERIORES E TRONCO DE INDIVÍDUOS COM CMT2 E SUAS CORRELAÇÕES COM EQUILÍBRIO E FUNCIONALIDADE.
  • Orientador : PAULA SANTOS NUNES
  • Data: 31/08/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Charcot-Marie-Tooh (CMT) é a afecção neurológica geneticamente determinada mais comum em todo o mundo. Se caracteriza por fraqueza muscular simétrica, atrofia e déficits sensoriais, afetando a locomoção e equilíbrio. Objetivo: Correlacionar a força da musculatura proximal de membros inferior (MMII) e tronco com equilíbrio e funcionalidade em indivíduos com a doença de CMT tipo 2 (CMT2). Material e Métodos: Estudo transversal e observacional realizado através de anamnese e avaliação cinesiológica funcional de indivíduos com a doença de CMT2. A amostra conteve quinze indivíduos em cada grupo, sendo o grupo CMT2 (GCMT2) e o grupo controle (GC), indivíduos sem a doença. A coleta de dados foi iniciada após a assinatura do TCLE e aprovação do CAAE (48488115.0.0000.5546). Os testes de força muscular (FM) foram realizados através da dinamometria dos músculos (mm) flexores, extensores, abdutores e adutores do quadril, abdominais e paravertebrais. O equilíbrio foi avaliado através da estabilometria pela Velocidade do Centro de oscilação de Pressão (VCoP no sentido ântero-posteior (AP) e látero-lateral (LL)) e da Escala de Equilíbrio de Berg (EEB). Para avaliar o desempenho funcional foi utilizado o Time Up and Go (TUG). A análise estatística foi realizada no programa Bioestat 5.0 com intervalo de confiança de 95%. Resultados: Houve redução significativa da força dos mm proximais dos MMII e dos abdominais e paravertebrais, bem como, observou-se aumento significativo do VCoPAP quando comparado o GCMT2 com o GC. Os resultados indicaram menor pontuação na EEB e menor desempenho funcional no TUG do GCMT2 em relação ao GC. Ao analisar as correlações da FM de MMII e tronco com a VCoPAP no GCMT2 em indivíduos com escore leve os músculos com maior correlação (regular ou forte) foram os extensores, abdutores e adutores de quadril e paravertebrais, enquanto que nos indivíduos moderados/graves, houve correlação regular somente com os mm flexores de quadril e paravertebrais. Nas correlações com a EEB dos indivíduos com escore leve, apenas os mm paravertebrais obtiveram correlação regular e nos mais acometidos houve correlação forte com os extensores, flexores, abdutores de quadril e regular com os abdominais. Na análise das correlações com o TUG dos indivíduos com escore leve foi verificada correlação regular com os flexores do quadrile e forte dos mm abdominais e paravertebrais. Já nos indivíduos moderado/graves os flexores do quadril e paravertebrais foram os únicos com correlação leve. Conclusão: Comparados ao GC o GCMT2 apresenta menor FM proximal, pior equilíbrio e menor desempenho funcional. Existe uma diferença na atuação da força muscular de indivíduos com diferentes escores. Nos indivíduos com escore leve, os mm paravertebrais são mais acionados para manter todas as variáveis analisadas. Em indivíduos mais acometidos, os mm proximais de MMII são mais utilizados para o desempenho
    e equilíbrio funcional.



  • JARDEL MARTINS DE VASCONCELOS
  • FATORES PROGNÓSTICOS ASSOCIADOS A SOBREVIDA DE PACIENTES SUBMETIDOS A HEMODIÁLISE EM UMA UNIDADE HOSPITALAR
  • Orientador : ANDRÉ SALES BARRETO
  • Data: 29/08/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O tratamento hemodialítico é uma alternativa terapêutica na reversão do quadro de descompensação clínico metabólico de pacientes portadores de insuficiência renal. O tempo transcorrido entre a admissão hospitalar e início da hemodiálise é determinante no prognóstico do paciente. Assim, o início tardio da hemodiálise pode influenciar no tempo de permanência em ambiente hospitalar, número de sessões de hemodiálise necessárias, estabilidade hemodinâmica e desfecho. Objetivo: Analisar os fatores prognósticos associados à sobrevida especifica de pacientes submetidos a hemodiálise (HD) em unidade hospitalar. Metodologia: O presente projeto foi aprovado pelo comitê de ética com o número do parecer 2.434.202. Trata-se de um estudo de coorte observacional retrospectivo, dos pacientes submetidos à hemodiálise no período de 2016-2017 no Hospital Universitário de Lagarto (HUL) em Sergipe (SE). A amostra foi constituída através da análise de prontuário de todos os pacientes que foram atendidos pelo serviço de HD do hospital que atendiam aos critérios de inclusão e exclusão, durante o período proposto. Os dados foram descritos por meio de média e desvio padrão quando contínua e frequência absoluta e relativa percentual quando categórica. As associações entre variáveis categóricas foram testadas utilizando o teste Qui-Quadrado. As diferenças de medida de posição foram utilizadas o teste de Mann-Whitney. A análise de medidas repetidas foi utilizada a Análise de Variância com medida repetida. Foram estimadas curvas de sobrevivência através do método de Kaplan-Meier e as diferenças testadas pelo teste Log-Rank e pelo teste de Log-Rank com correção de Dunn-Sidak para múltiplas comparações. Foram estimadas razões de risco brutas e ajustadas por meio da regressão de Cox. O nível de significância adotado foi de 5% e o software utilizado foi o R Core Team 2018. Resultados: Foram avaliados dados demográficos e clínicos. Do total de 129 prontuários analisados, 88 (68,2%) tinham idade superior a 60 anos. 76 (58,9%) eram do sexo masculino. Apresentaram permanência de internamento entre 8 e 30 dias 71 (55%) dos casos. O início da HD foi precoce 68 (52,7%) com tempo ≤ 3 dias após admissão (ADM). O número ≤ 3 sessões de HD foi o mais apresentado com 48 (37,2%). Pacientes com IRC agudizada teve maior prevalência com 53 (41,1%) da amostra. Ao considerar o desfecho foi possível observar que o início da HD em até 3 dias após ADM apresentou um tempo médio de sobrevida (TM) maior de 69,7 (53,1-86,3) dias. O TM foi maior em pacientes com insuficiência renal crônica (IRC) agudizada com 61,9 (46,5-77,4). Ambos, tempo transcorrido entre a ADM e o início da HD entre 4 a 9 dias da ADM e diagnóstico de IRA apresentaram maior probabilidade de óbito a qualquer momento do tratamento com uma razão de risco ajustado (RRa) de 5,96 (2,35-15,16) e 4,27 (1,69-7,16), respectivamente. Os que fizeram até 3 sessões de HD apresentaram uma RRa de 34,19 (12,63-92,56). Conclusão: O diagnóstico precoce de insuficiência renal e encaminhamento ao serviço de HD são fatores determinantes no tempo de médio de sobrevida quanto na probabilidade de ir à óbito. Dessa forma, é necessário adotar medidas de monitoramento mais eficazes, com o intuito de início imediato de HD, garantido uma melhoria do prognóstico do paciente.

  • ANA CLAUDIA SANTOS
  • Avaliação de marcadores hepáticos e alcoolismo em trabalhadores rurais.
  • Orientador : CLAUDIA CRISTINA KAISER PINTO
  • Data: 16/08/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O uso abusivo do álcool promove alterações sistêmicas, principalmente no fígado,resultando em anormalidades na atividade das enzimas hepáticas. As taxas de uso deálcool podem variar de acordo a área em que a pessoa vive, com aspectos diferentesna população urbana e rural. Objetivo: Analisar a associação entre a atividade dasenzimas hepáticas (ALT/AST/GGT/FAL) e o alcoolismo em trabalhadores rurais.Metodologia: Estudo caso-controle de corte transversal, composto por 628trabalhadores rurais, da região Centro-Sul de Sergipe, ambos os gêneros, divididos emgrupo de indivíduos que não consomem bebida alcóolica e grupo de indivíduos queconsomem bebida alcóolica, classificados pelo questionário CAGE; grupo deindivíduos sem alterações nas atividades das enzimas hepáticas, e grupo de indivíduoscom alterações de ao menos 1 enzima hepática. Em todos os grupos analisou-se osparâmetros socioeconômicos e sociodemográficos e a determinação sanguínea deatividade de enzimas hepáticas. Para teste de associação das variáveis categóricas,utilizou-se o teste Qui- Quadrado. Variáveis contínuas foram expressas em média ±desvio padrão. O teste de Kolmogorov-Smirnov classificou as variáveis quanto a suadistribuição. Os testes de associação de dois grupos, para variáveis contínuas comdistribuição não-paramétrica foi utilizado o teste U de Mann Whitney. Para asvariáveis contínuas com distribuição não paramétrica para mais de 2 grupos foiutilizado o teste de Kruskal-Wallis. Em todos os testes o nível de significânciaadotado foi de p<0,05. Resultados: A amostra foi composta predominantemente porindivíduos do gênero masculino (449/71,5%) com média de idade de 43,2 ± 13,6anos. A maioria reside na zona rural (536/85,4%) e pertencem às classes sociais maisbaixas (458/72,9%). Em relação ao uso de bebidas alcoólicas, 82,5% (518) dosindivíduos relataram fazer uso de álcool, dos quais, 21,8% (137) fazem uso abusivo.Na avaliação das enzimas hepáticas, 62,4% (392) apresentam ao menos 1 enzimaalterada, destes, 82,4% (321) fazem uso de álcool. A gama GT foi o marcador maisalterado, presente em 21,5% do total da amostra, seguido por Fosfatase Alcalina(13,0%), 8,8% da AST/TGO e 8,1% da ALT/TGP. Conclusão: A maioria dostrabalhadores que apresentaram alterações nas enzimas hepáticas fazem consumo deálcool. As variáveis nível socioeconômico, o estado civil, escolaridade e cor de peleforam associadas ao uso do álcool.

  • GIULLIANI ANTONICELI MOREIRA BRASILEIRO CANDIDO
  • Equilíbrio postural e risco de quedas em indivíduos com deficiência isolada do GH devido a mutação no gene do receptor do GHRH.
  • Orientador : MIBURGE BOLIVAR GOIS JUNIOR
  • Data: 10/08/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O Hormônio de Crescimento (GH) e o Fator de Crescimento Insulínico tipo I (IGF-I), são peptídeos que atuam marcantemente na biossíntese estrutural e em parâmetros fenotípicos como peso, altura, IMC, bem como proporcionalidadeanatômica. A manutenção da integridade proprioceptiva: sistema vestibular,somatossensorial, visual e auditivo, quando íntegros e associados ascaracterísticas citadas, tornam-se fatores importantes para manutenção doequilíbrio postural. Trata-se de um estudo transversal, analítico e observacional,onde o objetivo foi avaliar antropometria, equilíbrio corporal e risco de quedasem indivíduos com mutação específica no receptor do gene do GHRH. Foramavaliados 70 indivíduos, pareados por sexo, idade, IPAQ e IMC, divididos emdois grupos: Deficiência isolada do GH (DIGH) n:30 (15 homens/15 mulheres) eControle (CO) n:40 (20 homens/ 20 mulheres) com idade (46,5±12,4 vs.43,2±11,2 a), peso (38,0±6,9 vs. 66,6±10,7 kg), altura (125,5±7,6 vs. 166,0±10,3cm), SDS altura (-8,6±1,3 vs. -0,3±1,5 H/a), BSA (1,1±0,1 vs. 1,7±0,1 m2), IMC
    (23,4±3,4 vs. 24,1±2,8 KG/m2
    ). O equilíbrio estático foi avaliado através doaparelho plataforma de força e o risco de quedas pelo teste TUG.Estatisticamente para comparar os grupos utilizamos o teste T de Student e paracorrelações, Pearson, com intervalo de confiança de 95% e p valor <0,05.Diferenças estatísticas foram observadas entre os grupos para os parâmetros:Comprimento de membro inferior (57,0±4,8 vs. 77,6±6,7 cm) (p<0,001), massamagra (25,6±7,2 vs. 53,8±12,1 Kg) (p<0,001), massa gorda (13,4±3,7 vs.17,1±6,0 Kg) (p<0,001) e oscilação postural nos parâmetros olho aberto(14,6±4,0 mm)(p<0,001) olho fechado (14,9±3,1 mm) (p<0,001) e apoio unipodal(28,4±6,1 mm) (p<0,001), bem como para TUG (11,3±2,1 vs. 7,1±1,4 s)(p<0,010). Por fim, o estudo mostrou que indivíduos DIGH apresentam menoroscilação postural estática sem alterações no equilíbrio dinâmico e risco dequeda dentro dos valores preditivos de normalidade, concluindo que a mutaçãono gene do GHRHR não é capaz de alterar tais fatores.

  • ANANDA ALMEIDA SANTANA RIBEIRO
  • DETERMINANTES DA DISTÂNCIA MÁXIMA PERCORRIDA NO TESTE DE CAMINHADA DE 6 MINUTOS EM INDIVÍDUOS COM DEFICIÊNCIA ISOLADA DO GH DEVIDO A MUTAÇÃO NO GENE DO RECEPTOR DO GHRH
  • Orientador : MIBURGE BOLIVAR GOIS JUNIOR
  • Data: 09/08/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O Hormônio de Crescimento (GH) exerce papel no controle de diversosprocessos clínicos ligados a saúde cardiovascular dentre eles aumento da massagorda, sensibilidade a insulina e metabolismo dos lipídios, regulando indiretamente apressão arterial. Amplamente utilizado para avaliar a capacidade funcional o teste decaminhada de 6 minutos, considerado de fácil administração e de baixo custo.Objetivos: Identificar os fatores determinantes da distância percorrida no teste decaminhada de 6 minutos em indivíduos homozigotos para uma mutação do gene doGHRHR e verificar a distância percorrida o teste de caminhada de 6 minutos emrelação a distância predita. Metodologia: Trata-se de um estudo transversal,distribuídos em quatro grupos (DIGH 1) 15 indivíduos sexo masculino, (DIGH 2) 16indivíduos do sexo feminino e (CO 1) 20 indivíduos sexo masculino, (CO2) 20indivíduos do sexo feminino estratificada para melhor compreender ocomportamento dos parâmetros avaliados. Cada indivíduo foi avaliado quanto aopeso, altura, IMC. Foram avaliados o nível de atividade física (IPAQ), pressãoarterial sistólica e diastólica, frequência cardíaca de repouso, final, após 1 minuto derealização do teste e após 2 minutos, Borg final, distância final, percentual dadistância atingida com base na predita e frequência cardíaca máxima. Paracomparação entre os grupos foi utilizado o teste T de Student e para as correlaçõesPearson. Resultados: A distância percorrida foi o principal resultado do estudo.Foram avaliados 31 indivíduos do grupo DIGH e 40 indivíduos do grupo CO comidade média de 46,5±12,4 e 43,2±11,2, peso 38,0±6,9 e 66,6±10,7, altura 125,5±7,6e 166,0±10,3, IMC 23,4±3,4 e 24,1±2,8 respectivamente. Não houve diferençaestatística entre os parâmetros analisados com ressalva para a velocidade derecuperação da frequência cardíaca após um minuto do término do teste o quesugere ação do sistema nervoso simpático. A distância média percorrida no TC6 foide 343,0±68,7 grupo DIGH e 392,7±40,9 grupo CO. A variável pressão arterialdiastólica e distância final percorrida apresentaram correlação significativa quandocomparadas entre os grupos. Conclusão: O menor desempenho do grupo testereforça o teste de caminhada como um instrumento sensível para avaliar acapacidade de exercício dos indivíduos portadores da deficiência de GH.

  • ALANA LALUCHA DE ANDRADE GUIMARÃES
  • “Fenótipo Muscular em indivíduos com deficiência isolada do GH devido a mutação no gene do receptor do GHRH”
  • Orientador : MIBURGE BOLIVAR GOIS JUNIOR
  • Data: 27/07/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O Hormônio de Crescimento (GH) e o Fator de Crescimento Semelhante à Insulina tipo I (IGF-I) são peptídeos anabólicos que apresentam importantes ações na biossíntese muscular. Descrevemos um modelo de deficiência isolada do GH (DIGH), na cidade de Itabaianinha/SE, causada por uma mutação no gene do receptor do hormônio liberador do GH (GHRHR), com baixos níveis séricos de GH e IGF-I, resultando em acentuada baixa estatura e redução da massa muscular. O objetivo do presente estudo foi analisar a função muscular em indivíduos com DIGH. Para tanto, foram avaliados 31 indivíduos DIGH (16 homens, idade: 46,5±12,4 anos, altura: 125,5±7,6 cm, peso: 38,0±6,9 Kg, IMC: 23,4±3,4 Kg/m2) e 40 indivíduos controle saudáveis CO (20 Homens, idade: 43,2±11,2 anos, peso: 66,6±10,7 kg, altura: 166,0±10,3 cm, IMC: 24,1±2,8 Kg/m2). Foram avaliados o nível de atividade física (IPAQ), massa muscular (MM) em valores absolutos (kg) e percentuais (%) através da Bioimpedância, força de preensão manual (FPM), extensores do tronco (FET) e extensores do joelho (FEJ) em valores absolutos (Kgf) e corrigidos pelo peso corporal através da Dinamometria portátil, e atividade mioelétrica (AM)%, fatigabilidade central (FC) %, periférica (FP) Hz, dos músculos vasto medial (VM), vasto lateral (VL) e reto femoral (RF) através da Eletromiografia de Superfície (sEMG). Para comparação entre os grupos foi utilizado o teste T Student e para correlação Pearson, um intervalo de confiança de 95% e p valor<0,05. Grupo DIGH apresentou maiores valores comparados a controles nos parâmetros de FEJ (p<0,001) e resistência a FP dos músculos VM (p<0,002), RF (p<0,002) e VL (p<0,05). Não houve diferença significativa em relação ao IPAQ (p=0,616), FPM (p=0,060), FET (p=0,130) e FC dos músculos VM (p=0,119), RF (p=0,786) e VL (p=0,186), porém indivíduos DIGH apresentaram redução nos parâmetros MM (p<0,001) e AM do VM (p<0,002), RF (p<0,001) e VL (p<0,001). Foram encontradas correlações moderadas entre MM vs. FPM (r: 0,663), FET (r:0,621) e fraca para FEJ (r:0,344). Em conclusão indivíduos com DIGH apresentam aumento de FEJ, sem diferença FPM e FET, maior resistência FP, com menor resposta AM comparados a controles saudáveis.

  • IVÂNGELA RAPHAELA GOUVEIA PRUDENTE
  • AVALIAÇÃO DA FUNÇÃO RENAL EM CITRUCULTORES EXPOSTOS A AGROTÓXICOS EM MUNICÍPIOS DO ESTADO DE SERGIPE
  • Orientador : ADRIANA GIBARA GUIMARÃES
  • Data: 27/03/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A agricultura sofreu vários avanços no decorrer dos anos com o intuito de aumentar a produtividade, através do uso de máquinas automatizadas e pesticidas para combater as pragas nas plantações. Em consequência do uso indiscriminado desses produtos químicos, e a exposição muitas vezes sem as devidas proteções, trouxeram consequências à saúde dos trabalhadores rurais. Dentre os compostos utilizados na agricultura sergipana, os organofosforados é uma das classes que mais se destaca. Estes compostos agem inibindo as colinesterases, causando o acúmulo da acetilcolina nas fendas sinápticas e causando os mais variados sintomas, a depender da forma, quantidade e como ocorreu a exposição. Após o contato no organismo, grande parte dos agrotóxicos são eliminados através dos rins, tornando esse órgão susceptível a alterações da sua fisiologia. Objetivo: O objetivo do estudo foi a avaliação da função renal em citricultores expostos à agrotóxicos em municípios do estado de Sergipe. Metodologia: Trata-se de um estudo epidemiológico, observacional do tipo transversal, realizado com trabalhadores da citricultura de plantações de laranja do estado de Sergipe. Os agricultores responderam os instrumentos de coletas, para a obtenção de dados sociodemográficos, avaliação dos riscos ocupacionais e comportamentais. Foram também coletadas amostras de sangue e urina para a avaliação dos marcadores da função renal, para a determinação da taxa de filtração glomerular. Foram também analisadas as atividades das colinesterases plasmáticas, afim de determinar a existência de intoxicações por organofosforados. Resultados: Em relação as variáveis sociodemográficas e econômicas, observou-se a maior prevalência de trabalhadores do gênero masculino (78,8%), pertenciam as classes D e E, analfabetos e residiam na área rural. Dos voluntários que aceitaram participar da pesquisa, a maioria eram trabalhador/assalariado, com mais de 5 anos em uso de agrotóxicos, com baixa adesão ao uso dos equipamentos de proteção individual. Através da avaliação da taxa de filtração glomerular demonstrou que 35,1% dos trabalhadores apresentaram a TFG entre 60,0 – 89,9 ml/min/1,73m2, classificado como estágio 2 (Insuficiência Renal Leve), 3,6% dos trabalhadores com a TFG entre 45,0 – 59,9 ml/min/1,73m2 , classificado como estagio 3a (Insuficiência Renal Leve a moderada) e 1,2% apresentaram TFG entre 30,0– 44,9 ml/min/1,73m2, sendo classificados como estagio 3b (Insuficiência Renal Moderada a Severa). OS resultados referentes a atividade da Butirilcolinesterase esteve reduzida em 4,1% dos trabalhadores , a qual foi evidente no gênero masculino, tais variáveis podem estar associadas ao maior contato direto com os venenos. Conclusão: Diante do estudo, os resultados demonstram alguma associação da exposição à agrotóxicos e alteração da função renal. Essas alterações podem tornar a população vulnerável a complicações decorrentes de doenças renais, podendo está associada ao aumento da taxa de morbimortalidade desses trabalhadores. Perspectivas: Para melhorar as evidencias da lesão renal serão realizadas outras provas de alterações renais, através da medicação da albuminúria e cistatina C. Posteriormente, será realizada análise estatística para estudo da correlação com a exposição a agrotóxicos, alteração dos níveis de butirilcolisterase e marcadores da função renal, afim de melhor caracterizar os efeitos deletérios que estes compostos podem causar aos rins.

  • BRUNA DE CARVALHO CALADO GÓIS
  • PAPEL DOS RECEPTORES DO TIPO TOLL NO PROCESSO DE REPARO ÓSSEO ALVEOLAR EM CAMUNDONGOS
  • Orientador : CARLOS EDUARDO PALANCH REPEKE
  • Data: 15/03/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O adequado desenvolvimento do processo de reparo ósseo é fundamental para o restabelecimento da homeostasia tecidual ou para possibilitar terapias reabilitadoras. Dentre as possíveis estratégias para a modulação terapêutica do reparo ósseo alveolar, podemos destacar a modulação da resposta imune/inflamatória. Nesse contexto, a sinalização mediada por receptoresdo tipo Toll (Toll Like Receptors ou TLRs) desempenha um papel fundamental no início da resposta imune/inflamatória através do reconhecimento de padrões moleculares associados a danos (DAMPs). O objetivo desse estudo foi investigar a importância da ativação de TLRs na geração da resposta imune/inflamatória e no reparo ósseo subsequente à extração do incisivo superior direito de camundongos. Metodologia: Para tanto, foram utilizados 32 camundongos para cada grupo [WT – camundongos normais ou grupo controle; myd88KO – camundongos bloqueados geneticamente para não apresentarem a proteína MyD88 ou grupo experimental]. Os dois grupos de camundongos foram analisados quanto ao reparo ósseo alveolar nos períodos de 0, 7, 14 e 21 dias pós exodontia; amostras foram submetidas ao processamento histológico e analisadas ao microscópio óptico para caracterização histomorfométrica); além de análise por MicroCt para descrição de estruturas ósseas. A análise molecular foi realizada utilizando o PCR em tempo real (analise do perfil de expressão mRNA local tendo como alvos produtos da ativação de TLRs, mediadores inflamatórios, marcadores de reparo e marcadores ósseos). Resultados: Por meio de MicroCT nota-se no período de 7 dias um espaço hipodenso no interior dos alvéolos, possivelmente correspondente ao tecido de granulação e coágulo remanescente. Aos 14 dias, observou-se tecido ósseo neoformado preenchendo uma maior parte do interior dos alvéolos. Qualitativamente, em relação à densidade de coágulo sanguíneo, a cinética foi similar entre os grupos, apresentando uma densidade de 80% de coágulo no período de 0 hora, com diminuição aos 7 dias. Em relação ao total das estruturas referentes ao tecido conjuntivo, foram observadas diferenças estatisticamente significativas (p<0,05) entre os grupos WT e myd88KO.Considerando a densidade dos fibroblastos, foi observado uma maior quantidade noscamundongos myd88KO, nos períodos de 7 e 14 dias (p<0,05) que por sua vez apresentou uma menor densidade de volume de fibras colagénas no período de 7 e 21 dias pós-extração quando comparados aos camundongos WT (p<0,05). Com relação a densidade de células inflamatórias, no grupo myd88KO existiu um aumento estatisticamente significativo no período de 7 dias quando comparado aos camundongos WT (p<0,05). Na análise molecular dos padrões de expressão gênica na cicatrização óssea foi possível perceber alterações na expressão de fatores de crescimento BMP-2, BMP-7, FGF-1, FGF-2 e VEGF que encontravam-se com níveis aumentados no grupo WT (p<0,05) além de um aumento das citocinas IL-6 e TNF-α (pró-inflamatórias) (p<0,05). Já no grupo myd88KO ocorreu um aumento do marcador de matriz extracelular MMP-8 (p<0,05) sem aumento do seu antagonista TIMP de forma proporcional. Conclusão: Diante doestudo, os resultados demonstram que a ausência da proteína Myd88 não foi capaz de interferir na cinética de reparo ósseo alveolar em camundongos, não apresentando mudanças nos eventosbiológicos em relação à ordem cronológica ou interrompendo por completo o reparo ósseoalveolar. Existiram alterações pontuais no grupo experimental mas que não apresentaram influências na quantidade e qualidade do reparo final. Evidenciando a existência de outras vias de receptores capazes de assumir as funções desempenhadas pelos TLRs.

  • LINDAURA DA SILVA PRADO
  • ÍNDICE ÁLGICO E QUALIDADE DE VIDA EM PACIENTES COM DISTÚRBIO OSTEOMETABÓLICO SUBMETIDOS A TERAPIA RENAL SUBSTITUTIVA
  • Orientador : ADRIANA GIBARA GUIMARÃES
  • Data: 28/02/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A insuficiência renal é caracterizada pela perda da função dos rins, podendo ser classificada como aguda ou crônica. Ao longo da evolução da doença grande parte dos pacientes desenvolvem o distúrbio mineral ósseo da doença renal crônica (DMO-DRC). A identificação precoce das manifestações clínicas permite que sejam realizadas condutas para minimizar dores ósseas e melhorar a capacidade funcional dos pacientes acometidos por essa patologia, uma vez que, sua prevalência tem sido associada a uma menor qualidade de vida. Objetivo: Avaliar índice álgico em pacientes com distúrbio osteometabólico da doença renal crônica, submetidos à hemodiálise, e seu impacto sobre a qualidade de vida. Metodologia: Foi realizado um estudo epidemiológico observacional descritivo do tipo transversal em uma amostra de 217 pacientes submetidos à hemodiálise, onde foram avaliados parâmetros bioquímicos associados com o metabolismo ósseo, como: Cálcio, fósforo, PTH, fosfatase alcalina, vitamina D, além do alumínio. A qualificação e quantificação da dor foi mensurada através da aplicação dos questionários: Inventário Breve da dor (IBD) e McGill (McGill Pain Questionnaire), respectivamente. A avaliação da qualidade de vida dos pacientes foi realizada através da utilização do Questionário de qualidade de vida em doença renal (Kidney Disease Quality of Life Questionaire Short Form: KDQOL-SF). Resultados: Do total de pacientes 36,4% apresentaram valores alterados para o cálcio. Quanto ao fósforo, aproximadamente 50% dos pacientes apresentaram alterações abaixo ou acima dos valores de referência. Do total, 16,59% dos voluntários apresentaram o produto dos níveis de cálcio e fósforo ≥ 55 mg/dL. Tratando-se do PTH, 73,74% dos pacientes apresentaram valores superiores ou inferiores ao intervalo recomendado para pacientes com DRC (150-300 pg/dl). Para a vitamina D, observou-se que 10,60% e 24,42% dos pacientes apresentaram níveis séricos deficientes e insuficientes, respectivamente. Através emprego do inventário breve da dor foi possível observar que 53 pacientes (33,97) haviam sentido dor nas últimas 24 horas, com escores médios de 6,79 ± 2,68; 3,09 ± 1,87 e 4,71 ± 2,19, para a dor máxima, a dor mínima e a dor média, respectivamente. No momento da entrevista, os pacientes reportaram escore médio de dor de 2,36 ± 2,86. Em geral, estas condições álgicas impactaram na atividade geral, humor, habilidade de caminhar e no sono. As dimensões sensorial e afetivo apresentaram maior índice de classificação da dor. Os pacientes atingiram escores elevados (67-100) de qualidade de vida. Apenas a dimensão status de trabalho (23,77%) apresentou elevado impacto (0-33) sobre a qualidade de vida dos pacientes submetidos a hemodiálise. Conclusão: A alta prevalência de pacientes com DMODRC foi verificada no estudo através dos parâmetros bioquímicos. O estudo possibilitou avaliar a intensidade e a interferência da dor nas suas diversas dimensões, bem como seu impacto sobre a qualidade de vida dos pacientes renais crônicos. Perspectivas: Após a conclusão da tabulação dos dados, será realizada análise estatística para comparação entre os grupos de pacientes com e sem DMO melhor compreensão do impacto deste distúrbio da dor e qualidade de vida dos pacientes.

  • INGREDE TATIANE SERAFIM SANTANA
  • VALOR PROGNÓSTICO DOS POLIMORFISMOS FUNCIONAIS NOS GENES DA PON-1, TNF-α E TGF-β NO CARCINOMA DE CÉLULAS ESCAMOSAS ORAL E OROFARÍNGEO
  • Orientador : FELIPE RODRIGUES DE MATOS
  • Data: 28/02/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O carcinoma de células escamosas (CCE) oral e orofaríngeo é uma neoplasia maligna de origem epitelial que representa 90 a 95% dos tumores da cavidade oral. O consumo de álcool e de tabaco são os principais fatores de risco, mas a formação de espécies reativas de oxigênio (EROs), tem-se mostrado favorável ao processo de carcinogênese pela indução do estresse oxidativo que pode lesionar o DNA humano. A paraoxonase de soro humano 1 (PON1) tem ação antioxidante e previne o estresse oxidativo, especulando-se que seus baixos níveis promovam uma elevação na quantidade de EROs que sensibilizam receptores que ativam a via NFkappaβ, e por sua vez estimularia a expressão do fator de necrose tumoral-alfa (TNF-α) que juntamente ao fator de crescimento transformante-beta (TGF-β) regulam funções celulares essenciais, como a apoptose celular e a destruição de células malignas. O presente estudo tem por objetivo investigar o valor prognóstico dos polimorfismos funcionais nos genes da PON1, TNF-α e TGF-β no carcinoma de células escamosas oral e orofaríngeo. Trata-se de um estudo coorte prospectivo com pacientes atendidos no Centro Avançado de Oncologia da Liga Norte-Riograndense contra o Câncer e no Hospital de Urgência de Sergipe – HUSE. Realizou-se a coleta de dados das variáveis clínicas por meio de formulário: sexo, idade, localização anatômica, classificação TNM (tumor, nódulo regional e metástase distante), estadiamento clínico; e por meio de entrevista: hábitos de fumo e ingestão alcoólica pelo paciente. Amostras sanguíneas foram coletadas (4 ml), realizando a extração do DNA e a genotipagem dos SNPs com a utilização do PCR em tempo real. Os dados foram tabulados no Microsoft Excel® e Haploview 4.2, para análise descritiva no SPSS® 17 e genotípica, respectivamente. Observou-se que 73,1% da população são do sexo masculino, sendo 84% com mais de 52 anos, com apresentação clínica mais frequente intra-oral (53,4%), na região da língua (21,5%). A respeito do TNM, 33,7% das lesões estavam em T2, 41,1% em N0 e nenhum caso com metástase à distância (M0). Com relação ao tabagismo e ingestão de bebida alcoólica, 90,2% relataram o hábito de fumar e 68,1% o de beber. Com exceção do SNP rs662, todos estavam em equilíbrio de Hardy-Weinberg. Não foi observada diferença significativa entre as frequências alélicas nos grupos controle e CCE.

  • EDLA SANTOS CONSTANTE
  • MEMBRANAS BIOATIVAS DE GELATINA CONTENDO LIPOSSOMAS COM NARINGENINA SOBRE A CICATRIZAÇÃO DE FERIDAS CUTÂNEAS
  • Orientador : ROSANA DE SOUZA SIQUEIRA BARRETO
  • Data: 27/02/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A cicatrização é caracterizada por uma cascata de eventos moleculares, celulares e bioquímicos que interagem com o objetivo de restaurar o tecido lesado, cujo processo envolve as fases inflamatória, proliferativa e de remodelação tecidual. A naringenina é um flavonoide abundante em frutas cítricas e reúne propriedades farmacológicas como anti-inflamatória, antifibrinogênica e antioxidante que podem interferir no processo de cicatrização. Desta forma, o presente trabalho objetivou avaliar os efeitos da naringenina incorporada a membranas de gelatina (GEL/NAR) sobre a cicatrização de feridas cutâneas em roedores. Ratos Wistar ou camundongos Swiss machos, foram submetidos a anestesia, excisão cutânea com um punch metálico e tratados imediatamente após a lesão com membrana de gelatina pura (BR), GEL/NAR 1% e GEL/NAR 2,5%, ou não tratados (LP). As áreas das feridas foram mensuradas através de paquímetro no 3º, 7º, 14º e 21º dia pós-lesão. As feridas foram avaliadas histologicamente quanto as características morfologicas tecidual (hematoxilina-eosina). Amostras do tecido de granulação de feridas do 7º dia pós-cirúrgico foram coletadas e analisadas quanto aos níveis de malondialdeídos (MDA) e sulfidril (SH)-proteico por método colorimétrico, fator de crescimento vascular de endotélio (VEGF) por Western blot e IL-10 por ELISA. Os resultados foram analisados como média ± E.P.M. e considerados significativos quando p < 0,05 (CEPA/UFS: 71/2015). GEL/NAR 2,5% reduziu a área da ferida nos dias 3 e 7 (p<0,01). BR e GEL/NAR 1% reduziram significativamente a área da ferida no dia 14 (p<0,001 vs. LP). GEL/NAR 1% apresentou inflamação crônica no dia 7, enquanto LP e BR apresentaram inflamação subaguda. Inflamação leve a ausente foi observada nos grupos GEL/NAR 1% (14º dia) e GEL/NAR 2,5% (7º dia). GEL/NAR 2,5% não alterou os níveis de MDA, mas elevou significativamente os níveis de SH-proteico (p<0,01). GEL/NAR 1% e 2,5% aumentaram significativamente os níveis de VEGF (p<0,01) e de IL-10 (p<0,05) no dia 7. Neste sentido, sugere-se que GEL/NAR acelera o reparo tecidual da lesão cutânea em virtude de seus efeitos anti-inflamatórios e antioxidantes, podendo ser considerada uma importante alternativa no tratamento de feridas de segunda intenção.

2017
Descrição
  • ALYSSON FELLIPE COSTA TELLES
  • ANÁLISE DA ASSOCIAÇÃO ENTRE POLIMORFISMOS GENÉTICOS E A SINTOMATOLOGIA CARACTERÍSTICA DE EXPOSIÇÃO A AGROTÓXICOS EM TRABALHADORES RURAIS.
  • Orientador : CLAUDIA CRISTINA KAISER PINTO
  • Data: 28/08/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: As colinesterases e a Paraoxonase 1 atuam como mediadores do processo de intoxicação por organofosforado (OF). Monitorar as atividades destas enzimas e conhecer a variabilidade genética da população agrícola é de grande importância na avaliação de possíveis grupos de risco para intoxicação por OF. Objetivo: Investigar associação dos polimorfismos genéticos rs1803274 (gene BChE) e rs662 e rs854560 (gene PON1) com sintomatologia característica de exposição a agrotóxicos OF em trabalhadores rurais. Metodologia: Estudo Caso-controle com abordagem transversal. Composto por 324 pacientes, ambos os gêneros, média de idade de 40,45 (±13) anos, divididos em: G1-151 indivíduos com presença de sintomas característicos de intoxicação por OF e G2-173 indivíduos sem presença de sintomas; foram genotipados para 3 SNPs,: rs1803274 (gene BChE), rs662 e rs854560 (gene PON1). Além disso, os parâmetros socioeconômicos e sociodemográficos foram analisados. A atividade da BChE foi demonstrada, assim como o perfil de saúde dos trabalhadores foi avaliado. Para teste de associação das variáveis categóricas, foi utilizado o teste Qui-Quadrado e Exato de Fischer. Para os testes dos modelos genéticos a Regressão Logística Binária foi utilizada no Modelo Aditivo e o Teste Exato de Fisher e teste Qui-Quadrado nos Modelos Dominante e Recessivo (p<0,05). Resultados: Associação estatisticamente significante para local de residência e grau de instrução com os sintomas; entre o rs1803274 e fraqueza muscular, no modelo Dominante. A atividade de BChE apresentou associação com o rs1803274 e o rs662, no modelo Recessivo. Conclusão: Os resultados demonstraram que os trabalhadores rurais apresentam alguns fatores de exposição que tornam essa população vulnerável para intoxicação com OF.

  • ANDRÉ LUIZ DE OLIVEIRA NASCIMENTO
  • AVALIAÇÃO DA AQUISIÇÃO DE HABILIDADES EM ANESTESIA LOCAL ODONTOLÓGICA ATRAVÉS DE TRÊS ESTRATÉGIAS DE ENSINO
  • Orientador : PAULO HENRIQUE LUIZ DE FREITAS
  • Data: 23/08/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O tratamento odontológico sem dor é um dos principais objetivos do cirurgião-dentista e a anestesia local é o método mais utilizado para alcançá-lo. O ensino da anestesia odontológica pode ser conduzido observando os seguintes aspectos: metodologia teórica de ensino a ser utilizada, forma da primeira prática clínica anestésica e uso de atividades pré-clínicas. O objetivo deste trabalho foi de avaliar qual método de ensino é mais eficaz no aprendizado do bloqueio do nervo alveolar inferior por estudantes de graduação em odontologia. Graduandos do terceiro ano do curso de odontologia foram divididos em três grupos. A respeito da técnica de anestesia do nervo alveolar inferior, no grupo ABP foram ministradas aulas na modalidade de aprendizado baseado em problemas, no grupo EXP, aulas expositivas e no grupo LAB atividades laboratoriais em modelos anatômicos. Em seguida, foram aplicadas avaliações contendo 20 itens da seguinte forma: prática, através de anestesia nos próprios estudantes e mensuração dos níveis de ansiedade, e teórica, por julgamento de itens em correto ou incorreto. Quarenta e um estudantes concluíram a prova prática, os resultados não mostraram diferença significativa das médias entre os grupos: grupo ABP (12,62), EXP (13) e LAB (12,13). Na avaliação da ansiedade da prática clínica, os estudantes dos grupos ABP e EXP estavam mais ansiosos do que aqueles do grupo LAB. Por outro lado, o grupo EXP apresentou correlação positiva entre ansiedade e desempenho. E na prova teórica, a média das notas foram iguais para todos os grupos (13,20). Constatou-se a partir destes dados que, para o ensino do bloqueio do nervo alveolar inferior, os métodos de ensino estudados mostraram-se igualmente eficazes, e a prática pré-clínica foi capaz de reduzir a ansiedade na avaliação prática embora esta redução não tenha produzido melhor desempenho clínico.

  • EMMELINE BASTOS FERREIRA DO NASCIMENTO
  • Evidencia clínica de métodos profiláticos orais relacionados a pneumonia associada à ventilação mecânica.
  • Orientador : ADRIANO AUGUSTO MELO DE MENDONCA
  • Data: 23/08/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A pneumonia associada à ventilação mecânica (PAVM) é definida como aquela que se desenvolve 48 horas a partir do início da ventilação mecânica invasiva, sendo considerada até 48 horas após a extubação (FEIJÓ, 2005). A PAVM está associada a um aumento no período de hospitalização com índices de mortalidade que podem variar de 24% a 76%, repercutindo de maneira significativa nos custos hospitalares (MUNRO et a., 2009; PRAVIN, et al., 2014). Quando a condição respiratória do paciente deteriora a ponto de ser necessária a intubação, há um risco de microaspiração de patógenos até o trato respiratório inferior (CUTLER & DAVIS 2006). O tubo orotraqueal proporciona uma superfície inerte na qual as bactérias podem aderir, colonizar e crescer, formando biofilmes, onde posteriormente poderão ser broncoaspiradas. Esses dispositivos e outros representam obstáculos que dificultam à inspeção, o acesso à boca desses pacientes, e, consequentemente não favorece uma higienização eficiente e eficaz (BERRY, 2006). Antissépticos orais tem sido substancialmente utilizados na prevenção da pneumonia nosocomial em unidade de terapia intensiva (UTI). O objetivo desta revisão sistemática foi avaliar os principais antissépticos orais, na prevenção da pneumonia associada à ventilação mecânica, em pacientes dentro do contexto da unidade de terapia intensiva. Pesquisado nas seguintes bases de dados: Cochrane Central Register of Controlled Trials (CENTRAL); Scopus e PubMed ensaios randomizados controlados (ERCs) que avaliaram o uso dos antimicrobianos para redução de infecções do trato respiratório entre pacientes internados na UTI. Incluído 14 estudos envolvendo 3.676 pessoas. Houve variação no tipo de antiséptico utilizado, nas características dos pacientes e no risco de infecções do trato respiratório e de morte entre os grupos controle.

  • OLDEGAR ALVES JUNIOR
  • Estudo da prevalência da hipertensão arterial e os fatores de risco associados adultos da área rural e uma urbana.
  • Orientador : FABIANO ALVIM PEREIRA
  • Data: 21/08/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A hipertensão arterial sistêmica (HAS) é um dos principais problemas de saúde pública causando alta morbidade e mortalidade no mundo todo. A HAS é uma condição clínica multifatorial caracterizada por níveis elevados e sustentados de pressão arterial (PA). Apesar da HAS ser um importante fator de risco modificável para doenças cardiovasculares (DCV), ela possui alta prevalência (no Brasil estima-se prevalência de 19,8% na área rural e 21,7% na área urbana). Indivíduos nas áreas rurais e urbanas estão expostos a diferentes fatores de risco (comportamental, ambiental e econômico) à HAS. Subpopulações com baixo acesso a diagnóstico, tratamento e monitoramento da doença podem ter a morbimortalidade da HAS potencializada. Apesar dos impactos negativos da HAS, a heterogeneidade da prevalência e dos fatores de risco associados característicos de subgrupos populacionais ainda não é bem descrito, principalmente em países em desenvolvimento. Objetivo: Verificar a prevalência de pré-hipertensão e hipertensão arterial nos trabalhadores rurais e urbanos, bem como analisar os fatores associados a HAS. Materiais e métodos: Trata-se de um estudo observacional do tipo transversal, avaliando e comparando duas populações distintas (urbana e rural). Os dados foram coletados por entrevista estruturada em formulário, verificação pressórica de triagem, ambulatorial e especializada, avaliação antropométrica, exames laboratoriais complementares. A abordagem estatística foi descritiva-analítica. Resultados: A população do estudo foi composta por 400 trabalhadores, sendo estes 200 na área rural (AR) e 200 da urbana (AU), 77 (19,3%) mulheres e 323 (80,8%) homens. A média de idade foi 39,3±13,7 (47,4±13,7 da AR e 31,3±7,6 da AU). A prevalência geral da hipertensão foi de 28,8% [40,5% na AR e 17,0% na AU, p<0.001, OR 3,32 (2,09-5,29)]. Na amostra total estudada os fatores associados foram: classe sócio econômica (p=0,002), IMC elevado (p<0.001), relação cintura-quadril (p<0.001), e idade (p<0,001). Na área urbana as variáveis associadas a HAS foram: idade (p=0,016), relação cintura-quadril (p<0,001), IMC elevado (p<0,001), ECG alterado (p<0,001). Na área rural: idade (p=0,016), dor no peito (p=0,007), fumo (p=0,055), consumo de sal (p=0,001), IMC elevado (p<0,001), ECG (p<0,001). Conclusões: Os fatores de risco associados a população rural podem, em parte, explicar o aumento de prevalência da hipertensão verificadas nesta população.

  • ROSA LETÍCIA RODRIGUES DE ARAUJO
  • Comparativo da prevalência e dos fatores de risco a doença periodontal crônica entre trabalhadores rurais e urbanos.
  • Orientador : FABIANO ALVIM PEREIRA
  • Data: 21/08/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A doença periodontal crônica (DPC) causa lesão irreversível aos tecidos de suporte dental sendo a maior responsável pela perda dentária em adultos. Tem etiologia multifatorial e por seus efeitos não ficarem restritos a cavidade bucal vem sendo associada a efeitos sistêmicos negativos. Uma ampla variação na prevalência, severidade e extensão da doença é verificada em diferentes populações, isto é explicado por diferentes exposições à fatores de risco. Apesar do perfil periodontal no Brasil ter apresentado significante melhora nos últimos anos, ainda é notória a disparidade entre populações rurais e urbanas. Soma-se a este fato a falta de levantamentos epidemiológicos que retratem a heterogeneidade de cada grupo populacional. O conhecimento da prevalência e de fatores de risco específicos são essenciais para construção de ações preventivas efetivas na diminuição da ocorrência e severidade da DCP Objetivo: O estudo objetiva avaliar a prevalência, extensão e severidade da perda de inserção periodontal e profundidade de sondagem em adultos da área rural e urbana, bem como determinar os fatores de risco associados. Materiais e métodos: O estudo é observacional do tipo transversal, avaliando e comparando duas subpopulações. A coleta de dados foi feita através da aplicação de formulário, exame de triagem periodontal e estação de exame clínico periodontal de boca completa. Resultados: Participaram da triagem 1083 voluntários (858 da área rural e 252 da área urbana), destes, 429 preencheram os critérios de inclusão (idade mínima e número mínimo de dentes) para a realização do exame periodontal, sendo 226 (52,7%) da área rural (AR) e 203 (47,3%) na área urbana (AU). A distribuição de gênero masculino é 211 (49,2%) [72 (34,1%) na AR e 139 (65,9%) na AU] e feminino 218 (50,8%) [131 (60,1%) na PR e 87 (39,9%) na PU] (p<0,001). Os fatores de risco mais presentes na área rural foram: fumo (p<0,001), idade maior (p<0,001), gênero masculino (p<0,001), piores hábitos de higiene oral [consultas odontológicas de urgência (p<0,001), frequência de escovação (p<0,001), tipo de escova (p<0,001), substituição da escova (p<0,001), uso de fio dental (p<0,001)], 10,1% da população rural utilizavam próteses parciais removíveis. Os resultados clínicos mostram maior presença de mobilidade dental (p<0,001), profundidades de sondagem mais elevadas (p<0,001), nível de inserção clinica maiores (p<0,001) e índice maiores de placa (p<0,001), sangramento marginal (p<0,001), sangramento a sondagem (p<0,001), na área rural em comparação a urbana. A prevalência total de DPC na área rural foi de 384 (89,5%) [221 (97,8%) na AR e 163 (80,3%) na AU, (p<0,001)], a distribuição de severidade também apresentou diferença estatisticamente significante sendo mais severa na área rural (p<0,001). Conclusão: A área rural apresenta maior número de fatores de risco ao desenvolvimento da doença periodontal, resultando em uma maior prevalência e maior severidade se comparados a urbana.

  • ELISVÂNIA BARROSO CARREGOSA
  • DESENVOLVIMENTO DO CORE SET DA CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DE FUNCIONALIDADE (CIF) PARA HANSENÍASE – ETAPA DO ESTUDO CLÍNICO QUANTITATIVO E QUALITATIVO.
  • Orientador : SHEILA SCHNEIBERG VALENCA DIAS
  • Data: 17/08/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Hanseníase é uma doença crônica, infecciosa e contagiosa causada por Mycobacterium leprae. Afeta principalmente o sistema nervoso periférico. Esta doença é temida por provocar deformidades e desfiguração, interferindo diretamente em suas vidas pessoais e profissionais. A Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Doença (CIF) é um instrumento que classifica e auxilia na descrição da funcionalidade e da incapacidade relacionadas às condições de saúde, refletindo uma nova abordagem classificando a saúde no âmbito biológico, individual e social. O objetivo deste estudo é selecionar categorias para o core set da CIF através de estudo clínico com abordagem quantitativa e qualitativa. Trata-se de um estudo observacional, transversal, com abordagem de análise quantitativa e qualitativa, composta por pacientes com hanseníase, que foram recrutados no Centro de Especialidades Médicas de Aracaju (CEMAR) e Hospital Universitário. Para coleta de dados da abordagem quantitativa foi utilizado avaliações funcionais capazes de abranger o maior número de códigos selecionados em cada domínio da CIF (Grau de incapacidade, NRS, MCGill, box and block, nine hole pegs, Fullerton, TC6, Whodas, SALSA, PAR, EMIC-CSS e Chief) e na coleta de dados da abordagem qualitativa foi utilizado questionário estruturado, padronizado pela OMS. Na análise estatística, os dados foram registrados no programa Excel Windows 2010 para cálculo das médias, frequências e porcentagens. Participaram desse estudo 29 pacientes com hanseníase. As categorias da CIF identificadas em pelo menos 5% dos voluntários participantes foram selecionadas para compor a lista final. A idade média dos participantes foi de 44,9 ± 13,72, com predomínio sexo masculino (60%). No estudo quantitativo, as incapacidades funcionais mais relevantes foram em estrutura do corpo, s810 Estrutura das áreas da pele apresentou deficiência em 78%, no domínio função do corpo as categorias mais representativas foram b265-Função tátil (100%) e b730-Funções relacionadas a força muscular (100%), em atividade e participação d430 – Levantar e carregar objetos, d450- andar e d510 – Lavar-se apresentaram limitação em 100% dos participantes e em relação ao impacto ambiental a categoria e580 – Serviços, sistemas e políticas de saúde apresenta barreira para 56% dos participantes. No estudo qualitativo, demonstraram um número maior de categorias no domínio atividade (47%). Em contrapartida, no estudo qualitativo, a percepção do paciente apresentou um número maior de categorias no domínio funções do corpo (32,5%) e fatores ambientais (32,5%). As categorias da CIF, em cada domínio, encontradas no estudo multicentrico e no estudo qualitativo auxilia a mapear as incapacidades funcionais de pacientes com hanseníase. As incapacidades foram predominantes no domínio atividade quando foi utilizado instrumentos de avaliação, enquanto no estudo qualitativo houve um predomínio do domínio funções do corpo e fatores ambientais.

  • SARA VIRGÍNIA PAIVA SANTOS
  • Tradução e adaptação cultural para o português do Brasil da Escala de Avaliação Multidisciplinary Feeding Profile - MFP
  • Orientador : SHEILA SCHNEIBERG VALENCA DIAS
  • Data: 15/08/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A avaliação Multidisciplinary Feeding Profile (MFP) é o primeiro protocolo multidisciplinar para avaliar o perfil de alimentação de crianças com disfunção neurológica com um controle estatístico rigoroso e análise de confiabilidade incluindo item por item. Não se trata apenas de uma escala de deglutição de forma isolada, pois também avalia vários outros múltiplos fatores que interferem no processo da alimentação. Objetivo: Traduzir e adaptar culturalmente para o português brasileiro a escala de avaliação da MFP. Especificamente, verificar o nível de compreensão dos clínicos fonoaudiólogos em relação a cada sub-teste traduzido e utilizar os comentários dos mesmos para adaptar culturalmente a versão final traduzida. Método: O tipo de estudo é tradução e adaptação cultural de instrumentos de medida. Foram seguidas as recomendações baseadas no COnsensus for the selection of health status measurement instruments Status of Status Assessment (COSMIN). Este estudo foi composto por 4 FASES: FASE 1 - duas traduções independentes (T1 e T2) foram desenvolvidas. Na FASE 2, as versões foram comparadas e passaram por adaptações linguísticas, gerando uma versão de consenso T1 e T2 combinada (T1&2). Na FASE 3, foi formado um comitê de especialistas clínicos para analisar o nível de compreensão da escala traduzida (T1&2). O comitê de especialistas recebeu um questionário com uma escala Likert de cinco pontos correspondente ao nível de compreensão, onde 1 era incompreensível e 5 compreensão excelente. Após análise do comitê de especialistas, todos os comentários, foram considerados relevantes e foram feitas pelos pesquisadores adaptações na versão T1&2 gerando a versão T3. A versão T3 foi redistribuída ao comitê de especialistas para aprovação final. A versão final brasileira da MFP, Perfil de Alimentação Multidisciplinar (PAM) é então gerada após a aprovação e será retrotraduzida para o inglês e enviada para os autores originais. Esta pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética e Pesquisa da Universidade Federal de Sergipe-UFS, CAAE 43225914.7.0000.55.46. Os direitos autorais da escala MFP foram licenciados para os autores SVPS e SS. Um formulário de consentimento livre e esclarecido e termo de confidencialidade da PAM foram assinados pelo comitê de especialistas e responsáveis das crianças que participaram do projeto. Resultados: Os níveis correspondentes a pouca compreensão, 1, 2 e 3 tiveram frequências inferiores a 5% (8,9 de 178) e o nível 5 - excelente compreensão foi de 97% (172 de 178). Esses resultados demonstraram que a grande maioria dos itens traduzidos teve um excelente entendimento pelo comitê de especialistas. Conclusão: Este estudo traduziu e adaptou transculturalmente para o português brasileiro a escala de avaliação MFP com sucesso. O próximo passo é validar a versão brasileira da MFP, a PAM, testando sua validade concorrente e discriminante, e sua confiabilidade. A validação e uso da PAM possivelmente levará ao desenvolvimento de estudos de evidências mais fortes na área da disfagia em crianças com disfunções neurológicas, como ensaios clínicos randomizados e revisão sistemática com meta-análise, contribuindo para compreensão e tratamento da disfagia.

  • FLÁVIO MARTINS DO NASCIMENTO FILHO
  • PREVALÊNCIA DE DOR LOMBAR, DESEQUILÍBRIO CORPORAL, RISCO DE QUEDAS E INCAPACIDADE FUNCIONAL EM CITRICULTORES
  • Orientador : MIBURGE BOLIVAR GOIS JUNIOR
  • Data: 03/08/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A Síndrome da Dor Lombar (SDL) é considerada uma das maiores causadoras de afastamentos trabalhísticos, principalmente em indivíduos com idade produtiva. No mesmo sentido, torna-se claro que esta seja uma doença de alto impacto no sistema musculoesquelético, principalmente quando ligada a fatores associados. Objetivo: Caracterizar a Síndrome da Dor Lombar e fatores de risco ocupacionais, individuais e funcionais. Metodologia: Trata-se de um estudo observacional, transversal e analítico, onde foram incluídos 322 trabalhadores rurais do gênero masculino com idade entre 18 e 59 anos expostos a agrotóxicos e os parâmetros avaliados foram: características antropométricas, sociodemográficas (estado civil, alcoolismo e tabagismo), índice álgico agudo e crônico em coluna lombar, quadril, joelho e tornozelo através da Escala Analógica da Dor (EVA) e Mapa Corporal, além de parâmetros funcionais: equilíbrio corporal através da escala de BERG (EEB), Risco de quedas: Time Up and Go teste (TUG) e funcionalidade pelo OSWESTRY (ODI). A abordagem estatística foi do tipo descritiva analítica. Em relação aos parâmetros antropométricos observou-se: idade (34,9± 8,4 anos), peso (72,9± 5,3 Kg), altura (1,69± 0,05) e IMC (24,7±1,9 Kg/m²). A maioria dos indivíduos n= 216 (67,1%) encontravam-se entre 18-39 anos e IMC adequado n= 179 (51,9%). Resultados: Em relação a prevalência da SDL: LA leve n=216 (67,1%); LC moderada n= 27 (8,4%), LCA moderada n=10 (2,1%) e LCC forte n=8 (2,5%), DQ n= 101 (31,4%), DJ n= 57 (17,7%) e DT n= 23 (7,1%) moderada, estado civil (solteiros) n= 225 (69,9%), Alcoolismo n= 193 (59,9%) e tabagismo n= 183 (56,8%) e em parâmetros funcionais observou-se: EEB “baixo desequilíbrio corporal” n=146 (45,3%), TUG “baixo risco de quedas” n= 203 (63,0%) e ODI “incapacidade funcional moderada” n= 139; (43,2%). Conclusão: O estudo mostrou que trabalhadores rurais com SDL expostos a agrotóxicos apresentam baixo desequilíbrio corporal, risco de quedas diminuído, porém incapacidade funcional moderada as atividades livres, as quais podem ser explicadas pela soma destes fatores, principalmente nos indivíduos com lombociatalgia aguda e crônica.

  • TAINAH OLIVEIRA MOURA
  • PAPEL DE HMGB1 NO PROCESSO DE REPARO ÓSSEO ALVEOLAR EM CAMUNDONGOS
  • Orientador : CARLOS EDUARDO PALANCH REPEKE
  • Data: 02/08/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Embora a relação entre a formação óssea e a resposta imune∕inflamatória mostre-se extremamente importante para o processo de reparo ósseo, tal interação permanece pouco compreendida. Enquanto uma resposta imune∕inflamatória exacerbada está associada à reabsorção óssea, uma resposta ideal transitória de baixa magnitude é essencial no processo. Nesse contexto, a sinalização mediada por receptores tipo Toll(TLRs) e receptores RAGE desempenha um papel fundamental no inicio da resposta imune∕inflamatória através do reconhecimento de padrões moleculares associados a danos (DAMPs). Um dos principais DAMPs reconhecidos pelo TLR4e RAGE é a proteína HMGB1. Uma vez ativados por HMGB1, estes receptores são capazes de gerar diversos mediadores inflamatórios importantes no processo de reparo ósseo alveolar. Ainda assim, não são claros os mecanismos de “trigger” da produção de citocinas e mediadores inflamatórios com relação ao reparo ósseo, nem a quantidade necessária. Visto isso temos como objetivo investigar a importância do ligante HMGB1 na geração de resposta imune∕inflamatória e no reparo ósseo subseqüente à extração do incisivo superior de camundongos. Para isso, foram utilizados 72 camundongos divididos em dois grupos experimentais [Grupo controle- WT; Grupo HMGB1 – tratado com glicirrizina (inibidor de HMGB1)]. Os grupos de camundongos foram analisados quanto ao reparo ósseo alveolar nos períodos de 0, 7, 14, 21 dias após exodontia; amostras foram submetidas ao processamento histológico e foram analisadas ao microscópio óptico para caracterização histomorfométrica (qualitativa e quantitativa),e analisadas por MicroCt para descrição de estruturas ósseas. A análise molecular foi realizada através do RealTimePCR-array (análise do perfil de expressão mRNA local sendo os alvos produtos da ativação de TLRs e RAGE, mediadores inflamatórios, mediadores de reparo e marcadores ósseos). Na análise histomorfométrica, os resultados mostram maior quantidade de coágulo no grupo HMGB1 no período de 14 dias (p<0,05); como também mais células inflamatórias no período de 7 e 14 dias comparado ao controle (p<0,05). O grupo HMGB1 apresentou menores quantidades de osteoblastos e maiores de osteoclastos comparado ao grupo controle no tempos de 7 e 14 dias (p<0,05). Quanto ao MicroCt, as imagens de ambos os grupos foram realizadas e não apresentou diferença significativa entre os grupos. Para análise molecular, omRNA foi extraído e segue em análise através do RT-PCR.

  • AMANDA LOUIZE FÉLIX MENDES
  • EFEITOS DO EXERCÍCIO DE FONAÇÃO TUBOS EM CANTORES: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA
  • Orientador : JOSE ADERVAL ARAGAO
  • Data: 28/07/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Os cantores, considerados interpretes vocais de elite, representam uma classe profissional geralmente de alta demanda vocal, com diferentes graus de exigências e requintes. Neste sentido, os exercícios de fonação em tubos têm sido amplamente utilizados na prática clínica para favorecer a economia e eficiência da voz, facilitar a interação fonte-filtro e reduzir os riscos de distúrbios da voz relacionados ao trabalho. Objetivo: Verificar, por meio de uma revisão sistemática da literatura, os efeitos da fonação em tubos sobre a qualidade da voz, função glótica e/ou trato vocal dos cantores. Métodos: Foi realizada uma busca na literatura, sem restrições quanto ao período de publicação, nos idiomas português, inglês e espanhol, nas bases de dados Lilacs, Scielo, PubMed e Cochrane. Os artigos elegíveis foram avaliados subjetivamente quanto à qualidade metodológica com base em uma ferramenta proposta pelo Instituto Joanna Briggs para estudos observacionais. Resultados: A pesquisa resultou em uma amostra de 1.715 trabalhos. As verificações dos registros foram feitas por dois avaliadores, sendo obtido um nível de concordância excelente (Kappa = 0,88). Ao final do processo, 06 estudos se enquadraram nos critérios de elegibilidade. Para avaliar os efeitos do exercício de fonação em tubos, os estudos utilizaram autoavaliação vocal, análise perceptivo-auditiva, análise acústica, medidas aerodinâmicas e eletroglotografia. Os tubos utilizados foram canudos plásticos (03), tubo de vidro imerso em recipiente com água (01), tubo de vidro no ar (01) e LaxVox (01). Conclusão: Em geral, os estudos demonstraram que a fonação em tubos em cantores produziu efeitos positivos sobre a qualidade vocal, com maior conforto fonatório e projeção vocal, emissão mais econômica, aumento do limiar de colisão durante a fonação em tubo imerso em água e pressões intraorais mais consistentes após a fonação em canudo estreito, favorecendo à terapia vocal eficiente e efetiva.

  • CAMILA SILVA OLIVEIRA DA MOTA
  • DISTÚRBIOS DA VOZ RELACIONADOS AO TRABALHO E QUALIDADE DE VIDA EM AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE
  • Orientador : JOSE ADERVAL ARAGAO
  • Data: 27/07/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O Distúrbio de Voz Relacionado ao Trabalho (DVRT) é definido como qualquer desvio vocal diretamente associado à atividade profissional. Estudos apontam para a relação entre algumas atividades laborais atribuídas aos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e a susceptibilidade ao comprometimento do bem-estar vocal, pois lidam por meio da interlocução com os usuários e demais membros da Unidade Básica de Saúde. Nesta perspectiva, o estudo objetivou avaliar a autopercepção vocal e a qualidade de vida em ACS da zona urbana de Lagarto. Trata-se de um estudo quantitativo e transversal, com abordagem descritiva e analítica, realizado por meio da aplicação de questionários autopreenchíveis com 47 ACS. A maioria dos participantes foi do gênero feminino (85,1%), situação conjugal casado (a) (46,8%), com ensino médio completo (66%) e tempo de trabalho ≥ 10 anos (66%). A autopercepção vocal e avaliação da qualidade de vida relacionada a voz foi realizada respectivamente por meio dos instrumentos: Índice de Triagem para Distúrbio de Voz (ITDV), Índice de Função Glótica (IFG) e o Questionário de Qualidade de Vida em Voz (QVV). Os dados foram digitados no programa Microsoft Excel e importados para o software SPSS (versão 20 para Windows), no qual foram analisados. Foram utilizadas as técnicas univariada e bivariada para obtenção da distribuição dos valores de frequência e porcentagem. Utilizou-se o teste de Spearman para obter o valor da significância (p valor) entre as associações e também o valor do respectivo coeficiente (rho) para avaliação da intensidade das correlações ∕ associações estatisticamente significativas (p< 0,05). Dos ACS participantes, 57,4% relataram distúrbios da voz por meio do instrumento ITDV, sendo os sintomas mais referidos garganta seca, rouquidão, pigarro, tosse seca, secreção na garganta e cansaço ao falar. Através do questionário IFG, 37% da amostra preencheram os critérios que os caracterizam portador de um distúrbio de voz, sendo os sintomas mais referidos fadiga vocal e quebra na voz. Em referência à percepção da qualidade de vida em voz (QVV), as queixas mais evidentes em maior e menor frequência foram “o ar acaba rápido e preciso respirar muitas vezes enquanto eu falo”, “não sei como a voz vai sair quando começo a falar”, “tenho que repetir o que falo para ser compreendido”, “tenho dificuldade em falar forte (alto) ou ser ouvido em ambientes ruidosos” e “fico ansioso ou frustrado (por causa da minha voz)”. Ademais, foram encontradas associações estatisticamente significativas entre os sintomas garganta seca, falha na voz e cansaço ao falar com queixas relacionadas à qualidade de vida em voz dos ACS (p < 0,05). Contudo, vale ressaltar que embora tenha-se identificado um elevado número de sintomas vocais, os escores do QVV não refletiram o impacto esperado na qualidade de vida em voz destes profissionais. Concluiu-se que houve representável índice de referência a distúrbios da voz entre os ACS, porém com baixo impacto na sua qualidade de vida em voz.

  • ROSANA SILVA AMARANTE
  • Atividade antinociceptiva orofacial e anti-inflamatória do óleo essencial de Stachiys Lavandulifolia Vahl (Laminaceae) e de (-)-α-bisabolol, seu componente majoritário, em roedores.
  • Orientador : ROSANA DE SOUZA SIQUEIRA BARRETO
  • Data: 14/06/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Stachys lavandulifolia Vahl (Lamiaceae) é uma planta medicinal amplamente utilizada na Turquia e na medicina popular iraniana devido às suas propriedades analgésicas e anti-inflamatórias. Diante disso, objetivou-se avaliar os efeitos antinociceptivos e anti-inflamatórios do óleo essencial de S. lavandulifolia (EOSl) e do (-)-α-bisabolol (BIS), seu principal composto, em camundongos. A análise cromatográfica do EOSl demonstrou a presença de (-)-α-bisabolol (56,4%), biciclogermacreno (5,3%), δ-cadineno (4,2%) e espatulenol (2,9%) como compostos principais. Camundongos Swiss machos foram pré-tratados com EOSl (25 ou 50 mg/kg, v.o.), BIS (25 ou 50 mg/kg, v.o.), morfina (3 mg/kg, i.p.) ou veículo (solução salina 0,9% com duas gotas de tween 80). Formalina (20μl, 2%), capsaicina (20μl, 2.5μg) ou glutamato (20μl, 25Mm) foram injetados no lábio superior direito dos camundongos. O perfil anti-inflamatório de EOSl ou BIS (50mg/kg) foi avaliado pela resposta inflamatória induzida por carragenina (2% em 0,2 mL) (modelo de pleurisia) (CEPA/UFS: 72/2015). Os dados foram expressos como média ± E.P.M. e a diferença entre os grupos foi analisada por ANOVA, uma via, com pós-teste de Tukey (p<0,05 foi considerado significativo). O tratamento com EOSl e BIS mostrou efeitos inibitórios significativos (p<0,05 ou p<0,01 ou p<0,001) em diferentes testes de nocicepção orofacial, porém o BIS demonstrou-se mais eficaz, reduzindo significativamente o comportamento nociceptivo em todos os testes, incluindo ambas as fases do teste da formalina. O efeito analgésico não está relacionado com qualquer anomalia, uma vez que os camundongos tratados com EOSl ou BIS não apresentaram alteração de desempenho na força de preensão. Além disso, EOS1 e BIS apresentaram efeito anti-inflamatório significativo (p<0,001) no modelo de pleurisia, o que parece estar relacionado a uma redução significativa (p<0,05) da citocina pró-inflamatória TNF-α no tratamento com BIS, e da IL-1β (p<0,01) no tratamento com EOS1. Nossos resultados corroboram com o uso de S. lavandulifolia na medicina tradicional como analgésico, sobretudo na dor orofacial, e anti-inflamatório, o que parece estar relacionado ao (-)-α-bisabolol, principal composto do EOSl.

  • DANIELE NASCIMENTO GOUVEIA
  • a-Terpineol reduz a dor oncológica via modulação do estresse oxidativo e inibição da iNOS
  • Orientador : ADRIANA GIBARA GUIMARÃES
  • Data: 22/02/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Dor é a principal queixa de pacientes com câncer, entretanto, o arsenal terapêutico atual produz efeitos adversos que limitam seu uso. O α-terpienol (TP), monoterpeno alcoólico encontrado no óleo essencial de espécies do gênero Eucalyptus, apresenta efeito analgésico importante. Assim, este trabalho teve como objetivo avaliar o efeito do TP sobre a nocicepção induzida pelo sarcoma 180 (S180) em roedores. Camundongos (2-3 meses; 20-30 g) foram divididos em 5 grupos (n= 08/grupo), os quais foram tratados (s.c.) após a indução do tumor (25 μL 106 células do S180; i.pl.) com veículo (salina + cremofor 0,4% v/v), TP (12,5; 25 e 50 mg/kg) ou morfina (15 mg/kg) diariamente por 15 dias. Em dias alternados foi mesurada a hiperalgesia mecânica (von Frey), nocicepção espontânea, nocicepção induzida por palpação não nociva, o uso do membro e crescimento tumoral (pletismômetro). O possível efeito miorrelaxante foi avaliado através do GRIP. Os tumores dos animais foram submetidos à avaliação histopatológica. Além disso, foi avaliado o efeito do TP sobre o estresse oxidativo por FRAP (potencial antioxidante redutor férrico) e glutationa (GSH), e sobre a produção de óxido nítrico sintase induzível (iNOS) através do Western Blot. Foi avaliada a segurança do TP através de alterações comportamentais, ganho de peso corporal, análises hematológica e bioquímica, e análise anatomopatológica dos órgãos vitais. Os dados foram analisados​ por ANOVA seguido pelo teste de Tukey ou Bonferroni. Resultados referentes ao uso do membro foram analisados por Kruskal-Wallis, seguido do teste de Dunn. Este trabalho foi aprovado pelo Comitê de Ética (CEPA: 05/14). Estudos de docking molecular também foram realizados para avaliar as interações intermoleculares da NOS com TP. O tratamento com o TP em todas as doses aumentou o limiar de sensibilidade dos animais ao estímulo mecânico a partir do 9º dia, quando comparados aos tratados com o veículo. O tratamento com TP 50 mg/kg melhorou o uso do membro com tumor do 9-15º dia, sem reduzir o crescimento tumoral e a força de preensão. Não foram observadas diferenças no padrão morfológico dos tumores, independente do tratamento. TP aumentou marcadores de proteção antioxidante (FRAP: p < 0,01 e GSH: p < 0,001), reduziu o imunoconteúdo da iNOS (p < 0,01) e não promoveu alterações sugestivas de toxicidade. Os resultados mostram que o TP possui atividade anti-hiperalgésica e capacidade para modular o estresse oxidativo. O docking molecular demonstrou que o TP possui energia de ligação dentro da mesma faixa de outros compostos inibidos da iNOS, como o L-NAME. Desta forma, este composto parece ser um candidato de interesse para o desenvolvimento de novas opções terapêuticas para a dor do câncer, uma vez que reduziu a nocicepção, sem causar comprometimento do Sistema Nervoso Central (SNC) e promover efeitos tóxicos.

2016
Descrição
  • LILIAN PINHEIRO SANTOS CAFÉ
  • Avaliação da subnotificação de casos de dengue no estado de Sergipe.
  • Orientador : RICARDO FAKHOURI
  • Data: 26/08/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O diagnóstico de casos de dengue nos Laboratórios Centrais de Saúde Pública (LACEN) do país contempla a pesquisa da proteína NS1 e, somente em casos positivos, a confirmação diagnóstica ocorre pela identificação do sorotipo. Dados disponibilizados pela Vigilância epidemiológica de Sergipe revelaram que no primeiro semestre de 2016 todos os casos suspeitos que chegaram ao LACEN/SE foram considerados negativos nos testes de triagem, ainda que na trigésima primeira semana epidemiológica do mesmo ano, Sergipe tenha alcançado o sétimo lugar no racking de casos de dengue da região Nordeste e o terceiro no Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti. O presente trabalho teve como objetivo avaliar a subnotificação no diagnóstico da dengue em Sergipe no primeiro semestre de 2016. De janeiro a junho do presente ano, 437 amostras de pacientes suspeitos de dengue deram entrada no LACEN/SE. Após critérios de inclusão, foram consideradas 382 amostras elegíveis para a realização da RT-PCR em tempo real no sistema multiplex para a confirmação dos casos suspeitos de dengue. A distribuição dos pacientes de acordo com as variáveis epidemiológicas e demográficas revelou que houve predominância dos casos na região centro-sul do estado e da grande Aracaju (53,5%) podendo-se inferir a facilidade no acesso ao atendimento ambulatorial e laboratorial nessa região, o gênero mais acometido foi o feminino (62,8%) e a faixa etária de maior incidência foi 20 a 59 anos (59,3%). A maior frequência foi na zona urbana (84,9%) e os três primeiros dias dos sintomas (63,9%) com maior índice de coletas. A prevalência de dengue nos casos que incialmente se apresentaram como suspeita foi de 22,5% (86) distribuídas entre os sorotipos DENV4 82,5% (71), DENV1 9,3% (8) e DENV3 8,1% (7). Em comparação aos dados oficias que informavam que não houve casos de dengue no referido período, este estudo revela a positividade para dengue com co-circulação de três sorotipos distintos como também, a primeira evidência, dos últimos dez anos, de circulação do sorotipo DENV3 no estado. A análise dos dados permitiu visualizar uma subnotificação dos casos triados e, assim, sugerir uma reavaliação dos métodos utilizados como triagem diagnóstica para que se possam tomar medidas de controle para riscos potenciais de formas graves da doença numa população.

  • DANUZA DUARTE COSTA DE ARAÚJO
  • Avaliação de testes diagnósticos para dengue.
  • Orientador : RICARDO FAKHOURI
  • Data: 25/08/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Dengue é uma doença febril, não contagiosa, causada por um arbovírus, Flavivirus, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti e vem sendo um dos mais importantes problemas de saúde pública no mundo. O protocolo de diagnóstico atual abrange testes de triagem baseado na pesquisa da proteína NS1, seguido da identificação do sorotipo por RT-PCR. O objetivo deste trabalho foi avaliar métodos de triagem diagnóstica para dengue. No período de março 2013 a dezembro 2014 deram entrada, no Laboratório Central de Saúde Pública de Sergipe – LACEN/SE, 245 amostras de soro sanguíneo coletadas de indivíduos com suspeita clínica de dengue. Considerando os critérios de inclusão, 186 amostras foram testadas para três métodos de triagem diagnóstica e para RT-qPCR em tempo real, utilizado para confirmação diagnóstica de dengue. As análises estatísticas foram realizadas com o Software Statistics Package of the Social Science (SPSS) versão 18.0. A maioria dos pacientes era do gênero feminino (51,1%) e a média de idade entre eles foi de aproximadamente 25 anos. A prevalência de dengue nos casos suspeitos foi de 38,7% (72 casos), segundo o teste RT-qPCR, distribuídos entre os sorotipos DENV 1 (34,7%), DENV4 (56,9%) e DENV1 e 4 (8,3%), este último representando caso de co-infecção. O teste Elisa Platélia (teste 1) diagnosticou a dengue em 16,1% dos casos; o teste Antigen DxSelect Focus (teste 2) diagnosticou a dengue em 21,5% dos casos e o teste Imuno-Rápido (teste 3) foi o que apresentou o menor resultado entre os testes para detecção de NS1, 10,8% dos casos. O teste que apresentou maior sensibilidade foi o teste 2 (43,06%), por outro lado foi o que apresentou menor especificidade (92,11%) em detrimento do teste 3 que apresentou a maior especificidade (98,25%). A acurácia diagnóstica variou de 69,89% a 74,19%, sendo o teste com maior acurácia foi o teste 1. Em relação ao nível de concordância dos testes, o teste Kappa de Cohen evidenciou o nível razoável de concordância, uma vez que os valores para os testes selecionados variaram de 0,27 a 0,39. Para todos os testes, ao compararmos a DENV4 com os outros sorotipos, a frequência de falsos negativos foi maior, variando esse aumento entre 51% e 63%, aproximadamente. Todas as diferenças registradas foram estatisticamente significantes com valores de p variando de 0,003 a 0,031. Os dados produzidos por este estudo e comparados com os dados oficiais disponibilizados pelo LACEN-SE, no qual 84,2% (155) das amostras foram negativas e 15,8% (29) positivas, revelaram uma subnotificação de casos de dengue. Sobre o desempenho dos testes de triagem, observou-se que nenhum dos testes contempla os requisitos sensibilidade e especificidade de maneira ideal, no entanto, considerando o papel de um teste triagem diagnóstica, talvez, seja mais importante levar em conta o percentual de sensibilidade, de modo a maximizar a positividade dos testes e reduzir à subnotificação.

  • JACKSON NERIS DE SOUZA ROCHA
  • Levantamento epidemiológico da condição de cárie e associação com consumo de alimentos anticariogênicos e estado nutricional em pré-escolares.
  • Orientador : ADRIANO AUGUSTO MELO DE MENDONCA
  • Data: 25/08/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo avaliou as condições dentárias, socioeconômicas e nutricionais de 160 crianças de 5 anos de idade, matriculadas em escolas públicas e privadas da cidade de Lagarto-SE, Brasil, por meio de um estudo transversal, descritivo e analítico. Para avaliação realizou-se um protocolo de avaliação especifico, contendo perguntas relativas aos dados socioeconômicos, de consumo alimentar, estado nutricional e saúde bucal dos pré-escolares. A prevalência de Cárie Dentária (CD) foi avaliada por meio do índice ceo-d e seus componentes, seguindo os critérios propostos pela Organização Mundial da Saúde. Os dados foram processados e classificados utilizando o Programa Statistical Package for Social Science SPSS, versão 18.0 for Windows 7. O teste de Komogorov-Sminorv foi realizado para observância da normalidade ou não dos dados. Para as associações simples foi utilizado o cálculo do Qui-quadrado de Pearson com p valor< 0,05, com intervalo de confiança 95%. A análise multivariada foi realizada por meio de da regressão logística, expressando-se resultados em Razão de Odds (OR).Foi encontrada uma prevalência de cárie na amostra geral de 45% e ceo-d 1,71, com 82,5% do componente cariado (escola pública de 51% e ceo-d de 2,11, com 90,5% cariado e para escola particular 39% e ceo-d de 1,31, com 68,7% cariado). Não foi encontrada correlação entre CD e os fatores socioeconômicos. Entretanto, as crianças que estudavam em escolas públicas apresentavam maior severidade da CD por apresentarem um maior número de dentes cariados (p=0,03). Os alunos das escolas particulares apresentaram melhores indicadores odontológicos: frequência de escovação (52% 3x/dia, p= 0,02); escovação antes de dormir (72%, p= 0,02); aplicação de flúor (45%, p= 0,00). As crianças que consumiram adequadamente os alimentos anticariogênicos (≥3 porções/dia) apresentaram menos CD (p=000). Além disto, estes proferiram 2,36 vezes maior proteção contra a CD ao ser comparado ao consumo inadequado (<3 porções/dia). Em relação ao estado nutricional, não se encontrou associação com a CD.Os achados desta pesquisa possibilitam uma adequação dos cuidados em saúde, assim como, uma reorientação dos gastos públicos tanto na implementação de políticas de saúde quanto nas de educação, com atividades preventivas e assistenciais, direcionadas à melhoria das condições de saúde e, consequentemente, da qualidade de vida da criança.

  • LAYLA WANDERLEY CORDEIRO
  • Marcadores da Função Tireoidiana e a Ocorrência de Sintomatologia Clínica Associada à Intoxicação por Agrotóxico em uma População Rural
  • Orientador : CLAUDIA CRISTINA KAISER PINTO
  • Data: 25/08/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Os agrotóxicos estão entre os mais importantes fatores de risco para a saúde
    dos trabalhadores e para o meio ambiente. Muitos são reconhecidos por suas
    ações como disruptores endócrinos, levando a alterações nos marcadores de
    função tireoidiana. O objetivo do estudo foi investigar a associação entre a
    exposição ocupacional aos agrotóxicos organofosforados e os marcadores de
    função tireoidiana de citricultores. Participaram do estudo 208 trabalhadores
    rurais envolvidos na cultura de laranja do município de Boquim no período de
    abril 2015 a abril 2016. Responderam o questionário contendo informações
    sociodemográficas, perfil de saúde e de risco ocupacional. Foram colhidas
    amostras de sangue dos trabalhadores para a análise da função tireoidiana.
    A grande parte dos trabalhadores moram na zona rural 131(72%) e são
    predominantemente homens 161 (77,4%). A análise do perfil de saúde
    demonstrou presença de sintomatologia característica frequentemente
    associada à intoxicação por organofosforados. Foi relatado fraqueza
    muscular (45,9%), alteração na pele (36,3%), tremor noturno (17,2%) e
    convulsões (2,2%). Com relação às variáveis ocupacionais, a maioria dos
    entrevistados relataram ter algum tipo de contanto, direto ou indireto, com o
    agrotóxico (92,3%) e estavam expostos aos pesticidas a um período superior
    a 5 anos (66,1%). Os marcadores bioquímicos da função tireoidiana
    analisados foram: TSH (hormônio tireoestimulante) com 8,4% dos valores
    alterados, T4 livre (tiroxina) com 41,4% dos valores reduzidos, T3 total
    (triiodotironina) com 21,8% de valores alterados. Níveis alterados de
    anticorpo anti-tireoperoxidase (Anti-TPO) de e anti-tireoglobulina (Anti-Tg)
    foram encontrados em 13,6% e em 8,0% dos casos, respectivamente. Os
    níveis de TSH e T3 alterados, e os de T4 livre reduzidos predominaram nos
    homens e teve uma frequência maior na quinta década de vida. Já a
    presença de autoimunidade positiva predominou nas mulheres e teve uma
    frequência maior na quarta década. Conclusão: As variáveis de exposição
    aos pesticidas organofosforados avaliadas nessa população não
    demonstraram associação com alterações dos hormônios TSH,T4 livre e T3
    Total e com os diagnósticos de hipotireoidismo franco, hipotireoidismo
    subclínico e hipertireoidismo.

  • ANA CAROLINA JANDOTTI
  • Fatores de risco ambiental e comportamental para intoxicação com agrotóxicos em trabalhadores rurais.
  • Orientador : CLAUDIA CRISTINA KAISER PINTO
  • Data: 24/08/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Os agrotóxicos estão entre os mais importantes fatores de risco para a saúde da população. A utilização extensiva e as consequentes intoxicações, são consideradas um grave problema de saúde pública, sobretudo entre os trabalhadores rurais, tornando-os a população mais susceptível a exposição e consequentemente aos riscos de intoxicações. Compostos organofosforados e carbamatos, ambos inibidores da colinesterase, são apontados como o grupo de produtos com maior uso na agricultura e consequentemente os mais relacionado aos riscos de intoxicações, podendo desenvolver sintomas característicos de exposição aguda e crônica, com graves consequências para a saúde dos trabalhadores, muitas vezes fatais, além dos danos causados ao meio ambiente. Objetivo: O objetivo do estudo consiste em determinar os fatores de risco ambiental e comportamental para intoxicação com agrotóxicos em trabalhadores rurais. Metodologia: Trata-se de um estudo epidemiológico do tipo transversal, realizado com 965 trabalhadores da citricultura das lavouras de laranja do estado de Sergipe, Brasil. Os participantes da pesquisa foram entrevistados por meio de questionário eletrônico estruturado para tomada de dados demográficos e socioeconômicos, determinação do perfil de risco através de variáveis ocupacionais e comportamentais frente ao uso de agrotóxicos, indicadores de saúde e a realização de determinação sanguínea de atividade da butirilcolinesterase (BChE), marcador biológico de possível intoxicação por organofosforados. Resultados: Os trabalhadores são predominantemente do gênero masculino, e média de idade de 43,7 ± 13,0 anos. Prevalência de analfabetos, residentes na zona rural e pertencentes às classes sociais mais baixas (D e E). Quanto as variáveis ocupacionais, a maioria dos entrevistados eram assalariados/temporários e relataram ter contanto direto ou indireto com agrotóxicos. Verificou-se a prevalência da ausência de capacitação ou orientação sobre a manipulação adequada dos pesticidas. Variáveis de risco foram associadas significativamente entre as mulheres, como a lavagem das roupas contaminadas, no entanto, a maior prevalência observada no contato com o agrotóxico, foi entre os homens. O uso inadequado do EPI foi prevalente entre os trabalhadores e sua ausência foi associada às classes socioeconômicas mais baixas. A presença de sintomas mostrou-se significativamente associada com os analfabetos, proprietário ou familiar, contato com o agrotóxico, tratamento médico, alterações na pele e uso de antidepressivos. Conclusão: Os trabalhadores rurais estão expostos ao risco para intoxicação com agrotóxicos, como o baixo nível socioeconômico e de escolaridade, o uso inadequado ou ausência de EPIs associado ao baixo nível de orientação profissional referente ao uso de pesticidas. Nesse sentido, este estudo evidenciou uma relação de fatores condicionantes de exposição aos agrotóxicos para essa população, fornecendo subsídios para uma melhor avaliação da segurança e proteção da saúde do trabalhador.

  • MILENA CERQUEIRA DA ROCHA
  • ANÁLISE DAS TENSÕES BIOMECÂNICAS NO TECIDO ÓSSEO PERIODONTAL PELO MÉTODO DE ELEMENTOS FINITOS
  • Orientador : FABIANO ALVIM PEREIRA
  • Data: 23/08/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A compreensão do comportamento biomecânico das tesões no tecido ósseo do periodonto, em dentes com suporte periodontal integro e reduzido é importante para o entendimento da capacidade periodontal em suportar cargas oclusais. O método de elementos finitos é uma ferramenta capaz de simular situações de inserção periodontal reduzida e analisar as tensões geradas no osso periodontal frente às alterações morfológicas sofridas, inclusive mapeando a distribuição destas forças. Esse estudo se propôs a analisar quali-quantitativamente as tensões e a sua distribuição em modelo de dente com suporte periodontal integro e reduzido. Foram criados seis modelos computacionais tridimensionais de um incisivo central inferior, osso medular, osso cortical e espaço do ligamento periodontal. Cada modelo apresentou como única variação a distância entre junção amelocementária (JAC) e a crista óssea alveolar (COA), que variou de 1 à 6 mm. Foi simulada a aplicação de uma carga de 100N com 45o de inclinação em relação ao plano axial e com direção vestíbulo/lingual sobre a borda incisal do dente. Todas as estruturas foram consideradas elásticas, isotrópicas, homogêneas, contínuas e lineares. A tensão mínima principal (TMP) em tecido ósseo foi mensurada qualitativa e quantitativamente na COA e da lâmina dura. Os resultados demonstraram aumento médio das TMP, em regiões do osso adjacente ao dente (COA e na lâmina dura), com a redução de suporte periodontal. Valores máximos e mínimos de TMP se concentraram em áreas específicas de ambas as regiões analisadas. Diferenças estatisticamente significantes de magnitude, distribuição e variância das TMPs foram verificadas entre os grupos, sendo as maiores no grupo de menor suporte periodontal. Cada milímetro aumentado da distância JAC-COA gerou redução de área de inserção de aproximadamente 12%. O nível de significância adotado foi de 5%. De acordo com os resultados obtidos, a redução de suporte periodontal gerou um aumento de concentração de tensões em regiões do osso adjacente. Apesar das limitações do modelo, os resultados podem sugerir que o padrão de mudança de tensões biomecânicas encontrado pode em parte explicar o aumento de risco a perda de osso de suporte em dentes com reduzido de suporte periodontal.

  • EMERSON DE SANTANA SANTOS
  • Frequência das Hepatites B e C e Cobertura Vacinal da Hepatite B e em uma população rural do nordeste do Brasil
  • Orientador : CLAUDIA CRISTINA KAISER PINTO
  • Data: 22/08/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A hepatite viral é a causa mais importante de doença hepática. As hepatites B e C podem potencialmente evoluir para hepatite crônica, cirrose e carcinoma hepatocelular. A distribuição das hepatites virais é universal, sendo que a magnitude dos diferentes tipos varia de região para região. No Brasil, também há grande variação regional na prevalência de cada hepatite. Atualmente, o Sistema Nacional de Vigilância determina a notificação compulsória dos casos de hepatites A, B e C. Entretanto, os dados da notificação passiva não são suficientemente confiáveis para estimar as taxas de infecção na população. Objetivo: O objetivo desse estudo determinar as frequências de marcadores sorológicos das hepatite B (HBV) e C (HCV) entre as populações rurais no Nordeste do Brasil e estimar a cobertura vacinal contra a hepatite B nesta população. Metodologia: Foi realizado um estudo epidemiológico do tipo transversal em três cidades rurais, produtoras de laranja, do nordeste do Brasil. A mostra foi composta por 962 indivíduos. Os participantes da pesquisa foram entrevistados por meio de questionário eletrônico estruturado para tomada de dados demográficos e socioeconômicos. Para a triagem de infecções pelos vírus da hepatite B (HVB) e da hepatite C (HVC), foi realizada coleta de amostra de sangue dos trabalhadores para pesquisa dos seguintes marcadores sorológicos: HBsAg, anti-HBc Total, Anti-HBs e Anti-HCV por testes imunoenzimáticos (ELISA). A análise estatística foi realizada através do IBM® - Statistical Package for the Social Science - SPSS® versão 21 – para OS X. As variáveis categóricas foram expressas em números absolutos e percentual. Resultado: Participaram desse estudo 962 trabalhadores rurais, sendo que 70,1% da amostra é composta por homens; com média de idade de 41,6 (± 13,3) anos de idade, e a faixa etária mais frequente foi entre 21-40 anos (47,2%); 81,9% dos participantes tinham a cor de pele caracterizada como melanoderma, 68,1% eram casados ou viviam com um parceiro em união estável; 56,7% eram analfabetos; 31,5% eram os donos das propriedades e 72,1% residem em áreas rurais. A maioria dos participantes (66,7%) pertencem a classes socioeconômicas D e E. Nenhum dos participantes foram positivos para HBsAg e para IgM anti-HBc. A prevalência do marcador de exposição para HBV (anti-HBc) na população estudada foi de 4,6% e para o HCV (anti-HCV) foi de 0,5%. 86,2% dos indivíduos eram suscetíveis à hepatite B. CONCLUSÃO: Os resultados mostram uma baixa prevalência de HVB e infecções por HCV na população estudada e a grande maioria são suscetíveis à hepatite B. Medidas de prevenção como vacinação e campanhas educativas devem ser realizadas no sentido de reverter este cenário.

  • VIVIANE FREITAS ANDRADE
  • QUALIDADE DE VIDA E DEPRESSÃO EM DOCENTES DA ÁREA DE SAÚDE
  • Orientador : JOSE ADERVAL ARAGAO
  • Data: 19/08/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A docência superior é responsável pela formação de profissionais das diversas áreas do conhecimento, no entanto, exercer o magistério é uma função antiga e os problemas gerados também a acompanham. O acúmulo e variedade de suas funções podem desencadear sobrecarga e torná-los susceptíveis ao estresse laboral, apontado como fator de risco para depressão. Nessa vertente, a prática dos docentes da área da saúde está duplamente sujeita a situações de desgaste, visto que ele é gerado pela necessidade que o docente tem em ser cuidador durante o processo de ensino aprendizagem. A depressão é uma síndrome caracterizada por alterações do humor que compromete ainda a qualidade de vida (QV). O objetivo geral do estudo foi avaliar a QV e depressão em docentes da área da Saúde. Trata-se de um estudo descritivo, de corte transversal, com abordagem quantitativa. A amostra por conveniência foi composta por 146 docentes do Campus São Cristóvão da UFS. Foram utilizados três instrumentos de coleta de dados, o Whoqol-Bref, o inventário de depressão de Beck e um questionário sociodemográfico elaborado pelos pesquisadores. A coleta ocorreu no período de fevereiro a novembro de 2015. Os dados foram analisados de forma descritiva e analítica. Os resultados demonstram que 58,2% dos pesquisados são do gênero feminino, com média de idade de 44,44 anos, 54,8% da raça branca, 63% casados, 56,16% doutores, 52,05% dedicação exclusiva, 70,5% insatisfeitos com as condições de trabalho, 78,8% insatisfeitos com remuneração salarial, 68,5% praticam atividade física e 98% praticam atividades de lazer. Os resultados das duas questões gerais do Whoqol-Bref mostraram que a maior parte dos docentes tem percepção positiva da sua QV (84,9%) e estavam satisfeitos com sua saúde (67,8%). A prevalência de docentes com depressão foi de 29,5%. Foi possível concluir que, os docentes apresentaram em maior escala satisfação com sua QV e saúde. No entanto, a prevalência de depressão foi alta e houve associação com a QV, insatisfação das condições de trabalho e atividades de lazer, portanto, sugere que a depressão pode interferir negativamente na QV dos indivíduos, a insatisfação com as condições de trabalho podendo estar associada ao desenvolvimento ou agravamento da doença, em contra partida, os resultados apontam para um possível efeito protetor que as atividades de lazer oferecem a saúde mental.

  • VIVIAN TAÍS CUNHA DE SOUZA
  • Principais Medidas Usadas na Pesquisa da Hanseníase: Uma Revisão Sistemática Usando como Referência a Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde
  • Orientador : SHEILA SCHNEIBERG VALENCA DIAS
  • Data: 15/08/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A assistência prestada ao indivíduo diagnosticado com hanseníase requer cuidados à nível biológico, psicológico e social, fatores estes que são abordados com o uso da Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF). A CIF tem como objetivo proporcionar uma linguagem unificada e padronizada dos componentes relacionados às condições de saúde. Os domínios incluem funções e estruturas do corpo, atividade e participação, fatores ambientais e fatores pessoais. A aplicação da CIF integra diferentes setores, como por exemplo, a saúde, educação e previdência social. Em virtude da ampla quantidade de categorias que a compõe, estratégias foram desenvolvidas para facilitar o seu uso na prática, entre elas surgiu o Core set, que consiste em uma lista resumida de categorias principais para classificar uma determinada condição de saúde. O desenvolvimento do Core set segue uma metodologia dividida em etapas, sendo a primeira delas a fase de estudos preparatórios que inclui a revisão sistemática da literatura. Até o momento alguns Core sets já foram desenvolvidos, porém nenhum deles contempla a hanseníase. Nesse contexto, o objetivo do estudo foi identificar os aspectos de funcionalidade baseados na CIF presentes nas medidas usadas nos estudos científicos sobre hanseníase. Foi realizada uma revisão sistemática da literatura, seguindo o guia para desenvolvimento do Core set da CIF. A metodologia foi dividia nas seguintes etapas: busca e seleção dos artigos; extração dos dados dos artigos; ligação dos dados com as categorias da CIF; e análise dos dados. Obtivemos um total de 51 artigos, onde foram identificadas 20 medidas técnicas, 27 medidas clínicas e 33 medidas relatadas pelo sujeito avaliado. A partir da extração dos dados correspondentes às medidas formulamos a lista final de categorias identificadas a partir da revisão sistemática. A lista contém 34 categorias pertencentes ao domínio atividade e participação, 20 do domínio funções do corpo, 8 do domínio estruturas do corpo e 5 do domínio fatores ambientais. Destacamos o interesse das pesquisas científicas por aspectos fisiológicos e aspectos relacionados à capacidade de executar atividades e à participação social, visto como um avanço em direção ao modelo biopsicossocial. Entretanto um número menor de categorias se reportam ao domínio estrutura do corpo, e fatores ambientais, sendo este último domínio o menos investigado. Os resultados dessa revisão sistemática permitiram identificar os componentes mais investigados, assim como os negligenciados, pelas publicações científicas no processo saúde-doença em indivíduos com hanseníase.

  • DJALMA CARMO DA SILVA JÚNIOR
  • EFICÁCIA DO AVANÇO DO MÚSCULO GENIOGLOSSO COMPARADO AO AVANÇO MAXILO-MANDIBULAR NO TRATAMENTO DA SÍNDROME DA APNEIA E HIPOPNEIA OBSTRUTIVA DO SONO: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA COM METANÁLISE
  • Orientador : PAULO HENRIQUE LUIZ DE FREITAS
  • Data: 29/07/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A Síndrome da Apneia e Hipopneia Obstrutiva do Sono (SAHOS) caracteriza-se por repetidos episódios de interrupção completa ou parcial do fluxo de ar inspirado durante o sono em função da obstrução das vias aéreas superiores. Os critérios para a indicação de tratamento cirúrgico da SAHOS, bem como as evidências sobre a eficácia e segurança das técnicas cirúrgicas que impactam as vias aéreas superiores ainda merecem exploração científica adicional. Objetivo: Avaliar, por meio de uma revisão sistemática, a eficácia do avanço do músculo genioglosso (AMG) comparado ao avanço maxilo-mandibular (AMM) no tratamento de pacientes com SAHOS. Método: uma busca eletrônica sistemática foi realizada nas bases de dados LILACS, PubMed e SciELO com o intuito de identificar estudos com pacientes submetidos a cirurgia de avanço maxilo-mandibular e avanço do musculo genioglosso para o tratamento da SAHOS. A metodologia seguiu as diretrizes do PRISMA statement. Os artigos elegíveis foram avaliados subjetivamente quanto à qualidade metodológica com base em um dos questionários do Critical Appraisal Skills Programme (CASP). Uma meta-análise dos artigos incluídos foi realizada com o auxílio do software RevMan. Resultados: A busca sistemática da literatura resultou em 889 registros, dos quais 41 artigos foram examinados quanto a seu conteúdo. Depois da análise dos textos completos, seis estudos foram incluídos nesta revisão, permitindo inferências sobre a eficácia dos procedimentos cirúrgicos em questão. Conclusão: O avanço do músculo genioglosso demonstrou eficácia inferior à do avanço do músculo genioglosso, o que foi evidenciado por meio do índice de apneia-hipopneia registrados através de polissonografias. Os resultados da meta-análise mostram que o AMM apresenta eficácia superior àquela do AMG no contexto do tratamento cirúrgico da SAHOS.

  • LUANA KARINA DE ALMEIDA NASCIMENTO
  • Estudo do fenótipo postural em adolescentes escolares no município de Lagarto-SE
  • Orientador : MIBURGE BOLIVAR GOIS JUNIOR
  • Data: 22/07/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Grande parte dos problemas posturais tem sua origem no período escolar, quando a estrutura corporal se encontra em procsso de desenvolvimento, sendo fundamental a avaliação precoce e a investigação das atividades diárias que podem interferir na postura e no equilíbrio postural do indivíduo. É importante também que os instrumentos para essa avaliação sejam confiáveis e forneçam resultados reprodutíveis. Foi realizado um estudo do tipo de corte transversal, com o onjetivo de analisar parâmetros fenotípicos posturais de uma amostra composta por 72 adolescentes da rede pública do município de Lagarto-SE, com idade entre 10 e 15 anos. Os participantes foram divididos em dois grupos de acordo com o sexo, homogêneos nos quesitos peso, altura e IMC. A pesquisa constituiu na coleta de dados antropométricos e clínicos, pesagem de mochilas, avaliação postural estática através da baropodometria e mensuração de parâmetros estabilométricos por meio de uma plataforma de força. A idade apresentou mediana de 12 (11-13) e quando comparados entre grupos não houve diferença estatisticamente significativa (p=0,911), o mesmo ocorreu entre o peso, altura e IMC que se aproximaram da normalidade para a idade. Os indivíduos Apresentaram mobilidade articular da coluna reduzida e em relação ao transporte de carga externa, G1 e G2 não observamos alterações diretamente relacionado com a mochila escolar. A prevalência de escoliose foi de 33,3% entre os sujeitos avaliados, sendo mais frequente em meninos. Quanto aos ângulos posturais, as meninas apresentaram maior angulação de joelho valgo, hipextensão de joelhos e hiperlordose lombar, já os meninos diferenciaram-se por inclinação anterior do corpo, joelho em flexão, hiperlordose cervical e hipercifose torácica. Não houve diferença significativa entr as variáveis de equilíbrio corporal, entre os grupos, além da correlação entre alinhamento postural e equilíbrio.

  • CRISTIANO BARRETO DE MIRANDA
  • O impacto da dor no equilíbrio, mobilidade e qualidade de vida em agricultores.
  • Orientador : SHEILA SCHNEIBERG VALENCA DIAS
  • Data: 07/04/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A proposta do estudo foi realizar uma análise da saúde funcional dos agricultores no município de Lagarto-SE utilizando ao menos uma avaliação que represente cada um dos domínios propostos pela Classificação Internacional de Funcionalidade (CIF). Identificar a incapacidade funcional mais predominante nos agricultores e avaliar o impacto da mesma em outras atividades funcionais. A incapacidade funcional mais prevalente nos participates foi a dor. Foi feito então uma análise sobre o impacto da dor no equilíbrio, mobilidade e qualidade de vida dos agricultores.

  • SILVIA MARIA DA SILVA SANT ANA
  • Depressão e Qualidade de Vida no Trabalho em Enfermeiros de Hospitais Públicos de Médio e Grande Porte no Município de Aracaju
  • Orientador : JOSE ADERVAL ARAGAO
  • Data: 16/02/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Em anexo

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r12712-85cc87cea5