UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 19 de Setembro de 2020


PPGPSI

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

Notícias

Banca de DEFESA: LIZANDRA MENEZES SOARES
10/09/2020 09:45


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LIZANDRA MENEZES SOARES
DATA: 14/09/2020
HORA: 15:00
LOCAL: Videoconferência
TÍTULO: Aspectos Psicológicos da Insônia
PALAVRAS-CHAVES: Ansiedade; depressão; insônia; Psicologia da Saúde; ruminação.
PÁGINAS: 128
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Psicologia
RESUMO:

A presente dissertação é composta por três estudos associados aos aspectos psicológicos da insônia, a qual é conceituada como um transtorno do sono caracterizado pela dificuldade de iniciar ou manter o sono, apresentando prejuízo quantitativo (horas de sono) ou qualitativo (qualidade do sono). Os quadros insones podem estar relacionados à depressão e à ansiedade, o que sugere vinculação da sintomatologia insone a transtornos mentais. Há evidências de que a preocupação e a ruminação, construtos cognitivos ligados à ansiedade e à depressão, respectivamente, são fatores que pioram os sintomas insones, sendo compreendidos como fatores de risco. Contudo, ambos os fenômenos, inclusive a interação entre eles, precisam ser mais bem estudados. Para tanto, pretendeu-se, por meio desta dissertação, compreender a relação que entre insônia e pensamentos ruminativos. Além disso, buscou-se avaliar a influência dos pensamentos ruminativos, qualidade do sono, ansiedade e depressão. No estudo I, foi executada uma revisão teórica dos pensamentos ruminativos e seus componentes, bem como a relação destes com transtornos mentais. Os resultados sugeriram que a ruminação está associada a quadros de insônia, bem como a preocupação. No estudo II, foi realizada uma revisão integrativa sobre os aspectos psicológicos da insônia, no intuito de trazer evidências sobre a relação entre transtornos mentais comuns (TMCs) e o transtorno do sono em pauta. Os resultados apontaram que há poucos estudos no Brasil a respeito da temática. Ademais, mulheres, idosos, indivíduos com baixa escolaridade e as pessoas mais susceptíveis à excitabilidade são mais propensos a apresentar sintomatologia insone. Por fim, no estudo III, foi feita uma pesquisa empírica para mensurar a relação entre insônia e pensamentos ruminativos. Foi encontrado que a má qualidade de sono e a ruminação no fator cisma são variáveis com potencial explicativo para o fenômeno da insônia. Por fim, considera-se que os objetivos propostos nesta dissertação foram alcançados. Os dados encontrados fornecem subsídio para a compreensão da insônia e dos aspectos psicológicos envolvidos, principalmente, dentro do campo da psicologia da saúde. Espera-se que os resultados possam contribuir para a construção de ações de prevenção e promoção de saúde, bem como para a criação de intervenções eficazes em psicologia para o tratamento do referido transtorno.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2519141 - ANDRE FARO SANTOS
Interno - 1625717 - JOILSON PEREIRA DA SILVA
Externo ao Programa - 1404055 - WALTER LISBOA OLIVEIRA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12176-a08508ab91