Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: JARDEL MARTINS DE VASCONCELOS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JARDEL MARTINS DE VASCONCELOS
DATA: 17/07/2018
HORA: 09:00
LOCAL: Sala 14 da didática 06 - Campus da UFS em São Cristóvão
TÍTULO: Perfil clínico-epidemiológico de pacientes submetidos a hemodiálise em ambiente hospitalar.
PALAVRAS-CHAVES: Insuficiência renal, hemodiálise, epidemiologia
PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

O tratamento hemodialítico é uma alternativa terapêutica na reversão doquadro clínico metabólico, a dificuldade do rim em metabolizar em conjunto comalgumas comorbidades associadas tais como HAS, DM, SEPSE, propicia apermanência destes pacientes em regime de internação hospitalar. Desta forma oobjetivo desse estudo é avaliar o perfil clínico-epidemiológico de pacientes submetidosao tratamento hemodialítico no ambiente hospitalar. Trata-se de um estudoepidemiológico, de abordagem quantitativo-descritiva, retrospectiva dos pacientessubmetidos à hemodiálise no período de 2016-2017 no Hospital Universitário deLagarto-SE. A amostra foi constituída através da análise de prontuário de todos ospacientes que foram atendidos pelo serviço de hemodiálise do hospital, durante operíodo do estudo proposto. Foram analisados um total de 129 prontuários dos quais,38 (29,5%) foram diagnosticados pelo nefrologista, com insuficiência renal aguda(IRA), 53 (41,1%) com insuficiência renal crônica em tratamento conservador queagudizaram (IRC AGUDIZADO) e 38 (29,5%) insuficiência renal crônica já emtratamento renal substutivo (IRC EM TRS) que necessitaram de internamento poroutras causas. 31,8% desses pacientes apresentaram idade entre 18 e 59 anos e68,2% idade superior a 60 anos. 79 (58,9%) pacientes são do sexo masculino e 50(41,1%) do sexo feminino. O tempo médio de internamento transcorreu em torno de26,84 (DP=28,15) dias. A média de sessões de hemodiálise é de 9,59 (DP=11,56).Sendo principal desfecho o óbito, atingindo 54,3% dos pacientes, enquanto que a alta,foi observada em 45% dos sujeitos. Destes foi identificado que o tempo levado entrea admissão e a primeira hemodiálise foi ≤ 3 dias com 36,4% dos casos, enquanto que,os que foram a óbito, estendeu o início da hemodiálise em até 6 dias. Conclui-se quea unidade hospitalar, precisa adotar medidas de monitoramento mais eficazes dessespacientes, com o intuito de diminuir o tempo de diagnóstico nefrológico e iniciar otratamento hemodialítico com o intuito de melhoria do prognóstico do paciente.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2869627 - ADRIANA GIBARA GUIMARÃES
Externo ao Programa - 2394615 - EDUESLEY SANTANA SANTOS
Interno - 2137199 - PAULA SANTOS NUNES
Notícia cadastrada em: 09/07/2018 10:14
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bemtevi1.bemtevi1 v3.5.16 -r12182-3b7fa45029