Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: TAINAH OLIVEIRA MOURA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: TAINAH OLIVEIRA MOURA
DATA: 06/07/2017
HORA: 09:00
LOCAL: UFS - São Cristóvão
TÍTULO: PAPEL DE HMGB1 NO PROCESSO DE REPARO ÓSSEO ALVEOLAR EM CAMUNDONGOS
PALAVRAS-CHAVES: HMGB1, osteogênese, inflamação
PÁGINAS: 70
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

Embora a relação entre a formação óssea e a resposta imune∕inflamatória mostre-se extremamente importante para o processo de reparo ósseo, tal interação permanece pouco compreendida. Enquanto uma resposta imune∕inflamatória exacerbada está associada à reabsorção óssea, uma resposta ideal transitória de baixa magnitude é essencial no processo. Nesse contexto, a sinalização mediada por receptores tipo Toll(TLRs) e receptores RAGE desempenha um papel fundamental no inicio da resposta imune∕inflamatória através do reconhecimento de padrões moleculares associados a danos (DAMPs). Um dos principais DAMPs reconhecidos pelo TLR4e RAGE é a proteína HMGB1. Uma vez ativados por HMGB1, estes receptores são capazes de gerar diversos mediadores inflamatórios importantes no processo de reparo ósseo alveolar. Ainda assim, não são claros os mecanismos de “trigger” da produção de citocinas e mediadores inflamatórios com relação ao reparo ósseo, nem a quantidade necessária. Visto isso temos como objetivo investigar a importância do ligante HMGB1 na geração de resposta imune∕inflamatória e no reparo ósseo subseqüente à extração do incisivo superior de camundongos. Para isso, foram utilizados 72 camundongos divididos em dois grupos experimentais [Grupo controle- WT; Grupo HMGB1 – tratado com glicirrizina (inibidor de HMGB1)]. Os grupos de camundongos foram analisados quanto ao reparo ósseo alveolar nos períodos de 0, 7, 14, 21 dias após exodontia; amostras foram submetidas ao processamento histológico e foram analisadas ao microscópio óptico para caracterização histomorfométrica (qualitativa e quantitativa),e analisadas por MicroCt para descrição de estruturas ósseas. A análise molecular foi realizada através do RealTimePCR-array (análise do perfil de expressão mRNA local sendo os alvos produtos da ativação de TLRs e RAGE, mediadores inflamatórios, mediadores de reparo e marcadores ósseos). Na análise histomorfométrica, os resultados mostram maior quantidade de coágulo no grupo HMGB1 no período de 14 dias (p<0,05); como também mais células inflamatórias no período de 7 e 14 dias comparado ao controle (p<0,05). O grupo HMGB1 apresentou menores quantidades de osteoblastos e maiores de osteoclastos comparado ao grupo controle no tempos de 7 e 14 dias (p<0,05). Quanto ao MicroCt, as imagens de ambos os grupos foram realizadas e não apresentou diferença significativa entre os grupos. Para análise molecular, omRNA foi extraído e segue em análise através do RT-PCR.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2034861 - FELIPE RODRIGUES DE MATOS
Interno - 1836564 - FABIANO ALVIM PEREIRA
Interno - 3573579 - ANDRÉ SALES BARRETO
Externo à Instituição - ANDREIA ESPINDOLA VIEIRA RIBEIRO
Notícia cadastrada em: 02/06/2017 10:23
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r12182-3b7fa45029