Notícias

Banca de DEFESA: DENISE LEMOS GARCIA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DENISE LEMOS GARCIA
DATA: 18/11/2020
HORA: 14:00
LOCAL: meet.google.com/ory-iodu-poi
TÍTULO: INDICAÇÃO GEOGRÁFICA DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL NA REGIÃO NORDESTE DO BRASIL
PALAVRAS-CHAVES: Hierarquização; Território; Desenvolvimento;
PÁGINAS: 129
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Multidisciplinar
RESUMO:

A Indicação Geográfica (IG) como proposta neste trabalho é discutida em relação à centralidade da Região Nordeste do Brasil, o que inclui o desenvolvimento territorial. A Indicação Geográfica condiz com a ideia de relacionar produtos/serviços à sua origem. Esta tese foi norteada pela perspectiva da medida de centralidade para estabelecer parâmetros de congruência entre a Indicação Geográfica e a centralidade. Sendo assim, o objetivo dessa pesquisa foi propor um protocolo de aferição do impacto da Indicação Geográfica sobre a medida de centralidade da Região Nordeste. A construção metodológica compreendeu quatro etapas. Inicialmente, apresenta-se uma revisão sistemática nas bases do Scopus, Web of Science e Science Direct, utilizando sequências temáticas (Indicação Geográfica; Desenvolvimento econômico; produtos in natura no Brasil). Em seguida, foi estabelecida uma medida de centralidade para os municípios, capaz de contribuir para a Indicação Geográfica com base na criação do indicador referente ao Produto Interno Bruto (PIB) de serviços. Esta visa verificar o desenvolvimento por localidade e hierarquizar os municípios nordestinos, conforme seus níveis de contribuição para a formação do produto de serviços não públicos, entre os anos 2002 e 2017, considerando-se cinco recortes geográficos (microrregião, mesorregião, estado, região e país). Posteriormente, realiza-se uma comparação dos desempenhos dos municípios nordestinos com base na medida de centralidade, onde os dados foram analisados pelo Sistema de Recuperação Automática (SIDRA), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), considerando 1.792 municípios nordestinos. Finaliza-se com uma comparação temporal do desempenho de centralidade nos municípios, antes e após as concessões das indicações geográficas do Nordeste. Os resultados demonstraram que a indicação geográfica fortalece a atividade produtiva das regiões gerando impactos positivos para região. Porém, o estudo referente aos níveis de centralidade demonstra que os municípios não sofreram impactos significativos pela obtenção do registro da IG. Portanto, este estudo comprova que o protocolo de medida de centralidade poderá ser útil no aprofundamento de novas pesquisas que tragam novos indicadores para mensurar mudanças marginais ou estruturais no impacto da Indicação Geográfica, do território e sua centralidade.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ERNANI MARQUES DOS SANTOS
Presidente - 426680 - GABRIEL FRANCISCO DA SILVA
Interno - 1835499 - JOAO ANTONIO BELMINO DOS SANTOS
Externo à Instituição - JOSE AUGUSTO ANDRADE FILHO
Interno - 1637307 - ROBELIUS DE BORTOLI
Externo ao Programa - 1632059 - SIMONE DE CASSIA SILVA
Notícia cadastrada em: 17/11/2020 13:04
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2021 - UFRN - fragata3.fragata3 v3.5.16 -r15644-68a4915b02