Notícias

Banca de DEFESA: JARLISSON FRANCSUEL MELO DOS SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JARLISSON FRANCSUEL MELO DOS SANTOS
DATA: 27/08/2020
HORA: 09:00
LOCAL: Videoconferência
TÍTULO: EFEITOS DOS INTERVALOS DE DESCANSO FIXO E AUTOSSUGERIDO NO DESEMPENHO E RESPOSTAS FISIOLÓGICAS DO TREINAMENTO DE FORÇA
PALAVRAS-CHAVES: treinamento resistido, recuperação, desempenho, dano muscular.
PÁGINAS: 88
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Educação Física
RESUMO:

A manipulação dos intervalos de descanso (ID) depende de outras variáveis do treinamento de força (TF), podendo influenciar as respostas cinemáticas e fisiológicas decorrentes de uma sessão de treinamento. Essa dissertação tem a finalidade de verificar se a manipulação dos ID está sendo realizada de acordo com tipo de treinamento, bem como, comparar os efeitos agudos de uma sessão de TF com diferentes modelos e durações de ID em indivíduos previamente treinados sobre o desempenho neuromuscular e respostas fisiológicas. Foi utilizado um questionário para verificar se a manipulação do ID está sendo realizada de acordo com tipo de treinamento e posteriormente houve uma comparação do modelo autossugerido (IDAS) e o fixo de 3 min (IDF3) e 6 min (IDF6). Os resultados demonstram que o ID entre as séries não está associado a intensidade subjetiva da sessão de treinamento, nem ao número de repetições desempenhado em cada série, nem sequer ao tempo de experiência no TF. A maioria dos participantes relataram adotar o modelo fixo ID, sendo que 91% afirmou utilizar ID curtos (≤ 60 segundos). O ID entre as séries mais longos (6 min) favoreceram a manutenção da carga de treinamento quando comparados ao IDAS e ao IDF3, entretanto, o IDAS foi o modelo mais eficiente (196,5 ± 26,8). O modelo IDAS acarretou maiores concentrações de lactato sanguíneo quando comparado ao IDF6 (ΔIDAS: 12,0 ± 2,6 mmol/L; ΔIDF3: 10,2 ± 2,5 mmol/L; ΔIDF6: 8,5 ± 1,7 mmol/L). Em relação dano muscular, não foram encontradas diferenças significativas entre as três configurações, sendo que, respostas mais elevadas foram verificadas 24 h após (IDAS: 262,6 ± 141,7 U/L; IDF3: 234,3 ± 137,1 U/L; IDF6: 258,2 ± 155,3 U/L). Conclui-se que, a manipulação do ID não ocorre de maneira adequada. E a fadiga das sessões TF sobre a magnitude do desempenho neuromuscular é significativamente afetada independente do modelo e comprimento adotado quando o volume é equalizado.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - Leonardo de Sousa Fortes
Presidente - 1546651 - MARCOS BEZERRA DE ALMEIDA
Interno - 2019019 - MARZO EDIR DA SILVA
Notícia cadastrada em: 24/08/2020 14:34
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - fragata4.fragata4 v3.5.16 -r12646-2c874e3307