Notícias

Banca de DEFESA: JOÃO BOURBON DE ALBUQUERQUE II

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOÃO BOURBON DE ALBUQUERQUE II
DATA: 23/02/2016
HORA: 09:00
LOCAL: Sala 4 DEF/UFS
TÍTULO: AVALIAÇÃO DE UMA COORTE DE JOGADORES DE FUTEBOL PROFISSIONAL DA CIDADE DE ARACAJU-SE
PALAVRAS-CHAVES: Futebol, traumatismos em atletas, extremidade inferior, questionário, qualidade de vida, epidemiologia.
PÁGINAS: 74
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Educação Física
RESUMO:

Introdução: Lesões decorrentes da prática do futebol são extremamente comuns e geram alto custo. Estudos epidemiológicos na área, escassos no Nordeste brasileiro,permitem a identificação de fatores de risco e a criação de estratégias de prevenção.Objetivos:Determinara incidência de lesões e analisar os fatores associados. Métodos:Estudo observacional prospectivo, no qual atletas de futebol masculino foram avaliadoscom preenchimento de ficha de dados, do questionárioShort form-36 e através de exame físico ortopédico. Avaliações ocorreram na pré-temporada e a cada três meses. Foi realizada análise em separado para dados da linha de base (estudo 2) e da coorte (estudo 1), tendo sido utilizados métodos descritivos, testes para avaliação inferencial e elaborado modelo de equações estruturais, além de efetuado o cálculo da densidade de incidência.Resultados:Na primeira avaliação, 59 atletas apresentaram idade média de 26.2 anos (IC95%: 25.1 a 27.3 anos), sendo 51% (30/59) do Sergipe e 49% do Confiança. Vinte lesões foram identificadas, sendo a maioria (65%) no jogo, envolvendo algum trauma (80%) e na ausência de chuva (90%). Membros inferiores foram o local mais acometido e o estiramento da coxa, a lesão mais comum (75%, 15/20). Houve forte associação entre componentes psicossocial e físico do questionário SF-36 dos atletas lesionados. A coorte durou sete meses e contou apenas com atletas sadios, sendo 20 Sergipe e 19 do Confiança, com idade média de 26 anos (IC95%: 25,2 a 28 anos), e duração média da carreira de 9,6 anos (IC95%: 7,9 a 11,3 anos). As 13 lesões (2,4/1000horas) ocorreram quase exclusivamente nos membros inferiores e o estiramento muscular da coxa foi a lesão mais comum. Não houve associação significativa com qualquer das variáveis. Para ambos os estudos, as lesões foram, majoritariamente, leves a moderadas e maioria dos atletas retornou às atividades apresentando sintomas.Conclusões: As lesões ocorreram em pequeno número, mas mantendo padrão de ocorrência semelhante ao observado na literatura.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1003924 - AFRANIO DE ANDRADE BASTOS
Externo à Instituição - THARCIANO LUIZ TEIXEIRA BRAGA DA SILVA
Presidente - 1228110 - WALDERI MONTEIRO DA SILVA JUNIOR
Notícia cadastrada em: 05/02/2016 10:24
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - fragata4.fragata4 v3.5.16 -r12762-01b8f192c5