Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: JOSIVAN ROSA SANTOS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOSIVAN ROSA SANTOS
DATA: 07/01/2015
HORA: 09:00
LOCAL: Departamento de Educação Física
TÍTULO: PERCEPÇÃO DE SAÚDE, QUALIDADE DE VIDA E NÍVEL DE ATIVIDADE FÍSICA EM IDOSOS DO BAIXO SÃO FRANCISCO SERGIPANO
PALAVRAS-CHAVES: Saúde do idoso. Percepção de saúde. Nível de Atividade Física
PÁGINAS: 75
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Educação Física
RESUMO:

INTRODUÇÃO: o envelhecimento no mundo tem promovido amplas discussões em torno dessa população na perspectiva sobre os encaminhamentos, o impacto social, de saúde e econômico no sentido de proposições e políticas específicas para atender as demandas deste grupo etário. O aumento da expectativa de vida apresenta-se como uma realidade concreta, e traz atrelado a ela a manifestação de doenças e distúrbios orgânicos agregados ao próprio envelhecimento e pode evidenciar uma série de doenças ligadas às condições de vida, ao comportamento e a carga hereditária. A microrregião nordestina do Baixo São Francisco sergipano é uma área que tem sofrido profundas transformações nas ultimas décadas, muitas delas associada à modificação do ciclo das águas em decorrência das barragens para geração de energia hidroelétrica e do projeto de transposição. OBJETIVO: identificar a percepção de qualidade de vida relacionada à saúde em idosos participantes de grupo de convivência na microrregião do Baixo São Francisco Sergipano. MÉTODOS: o estudo é caracterizado como uma pesquisa de base epidemiológica descritiva e transversal. A população foi composta por idosos participantes de grupos de convivência das zonas rurais e urbanas dos municípios da microrregião do baixo São Francisco sergipano. A amostra foi composta por 210 idosos (184 do sexo feminino), com idade 70±7,06 anos. Foi utilizado um questionário aplicado em forma de entrevista para descrição do nível socioeconômico (ABEP), a percepção de qualidade de vida (WHOQOL-Bref), e níveis de atividade física (IPAQ – 8.0, VERSÃO CURTA). Para tratamento estatístico foi utilizado o SPSS versão 22. Estimou-se a prevalência dos fatores de risco e seus respectivos intervalos de 95% de confiança e nível de significância p ≤0,05. Para avaliação da heterogeneidade das proporções nos subgrupos utilizou-se o teste qui-quadrado. Assumiu-se uma distribuição dicotômica para a estimação dos intervalos de confiança. RESULTADOS: os principais resultados indicam para os baixos níveis de escolaridade, baixa renda da população investigada. A utilização de medicamentos e limitações motoras para doenças relatadas interferem de forma negativa na percepção de saúde e qualidade de vida (p=0,03), (p=0,02) respectivamente. A manifestação de doenças crônicas 91,43% (194 indivíduos) não demonstrou associação de risco de doença cardiovascular (p=0,749). Foi observada uma correlação positiva da imagem corporal (p=0,03). CONCLUSÃO: o estabelecimento das relações sociais em grupos de convivência são fatores que favorecem a melhoria da autoestima e a percepção positiva de saúde qualidade do idoso, sendo, portanto uma prática a ser considerada como medida de saúde pública em relação a sua sistemática, planejamento e intervenção no processo de envelhecimento.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2019019 - MARZO EDIR DA SILVA
Interno - 596.345.615-00 - ALDEMIR SMITH MENEZES
Externo ao Programa - 1694328 - WELLINGTON BARROS DA SILVA
Notícia cadastrada em: 22/12/2015 17:58
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r12692-c69972fb69