Notícias

Banca de DEFESA: ARISTELA DE FREITAS ZANONA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ARISTELA DE FREITAS ZANONA
DATA: 29/09/2014
HORA: 13:00
LOCAL: Auditório do DEF
TÍTULO: QUALIDADE DE VIDA E FUNCIONALIDADE DE INDIVÍDUOS AMPUTADOS PRATICANTES E NÃO PRATICANTES DE ESPORTES
PALAVRAS-CHAVES: Esportes. Amputação. Extremidade Inferior. Qualidade de Vida.
PÁGINAS: 124
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Educação Física
RESUMO:

Amputação consiste na perda ou remoção total ou parcial de um ou mais membros, de forma traumática ou cirúrgica, acarretando danos físicos, psicológicos e/ou sociais, que resultam em redução da qualidade de vida (QV). O esporte tem sido apontado como relevante ferramenta para a reabilitação e reintegração social de indivíduos amputados. O objetivo desta pesquisa foi analisar a qualidade de vida, desempenho ocupacional, força muscular e amplitude de movimento de adultos com amputação dos membros inferiores praticantes e não praticantes de esportes. A amostra foi constituída por 45 amputados, divididos em dois grupos: Esportista (GE, n = 23) e Não Esportista (GNE, n = 22). A coleta foi realizada em Curitiba, Aracaju e Maceió, no período de dezembro/2013, janeiro e março de 2014. Os instrumentos utilizados foram o questionário The Short Form Health Survey (SF-36), a Medida Canadense de Desempenho Ocupacional (COPM), a goniometria e o teste de força muscular de Kendall. Para a análise estatística, foram utilizados os testes de Shapiro-Wilk, qui-quadrado, T de Student e de Mann-Whitney (p < 0.05). Para a variável qualidade de vida, houve diferença significante em todos os oito domínios da avaliação SF-36: capacidade funcional, limitação por aspectos físicos, dor, estado geral de saúde, vitalidade, aspectos sociais, emocional e saúde mental entre os grupos, tendo o GE apresentado os melhores resultados, indicando melhor qualidade de vida que o GNE. O GE apresentou índices significantemente mais elevados de desempenho ocupacional, força muscular (para os músculos flexores e extensores do quadril) e amplitude de movimento (para flexão e abdução do quadril). Concluiu-se, portanto, que houve maior qualidade de vida, desempenho ocupacional, força muscular e amplitude de movimento para amputados que praticam alguma modalidade esportiva.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2584323 - DANILO RIBEIRO GUERRA
Interno - 1695058 - MARCO ANTONIO PRADO NUNES
Externo à Instituição - RENATO NICKEL

Notícia cadastrada em: 05/09/2014 10:36
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - fragata2.fragata2 v3.5.16 -r12646-2c874e3307