A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: JUCIENE DE MATOS BRAZ

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JUCIENE DE MATOS BRAZ
DATA: 23/02/2022
HORA: 09:00
LOCAL: Sessão virtualizada através do Google Meet
TÍTULO: PREDIÇÃO E AVALIAÇÃO COMPUTACIONAL DA ATIVIDADE IMUNOGÊNICA DE PEPTÍDEOS DE ZIKA VÍRUS
PALAVRAS-CHAVES: Zika Vírus. imunoinformática. vacinas peptídicas
PÁGINAS: 97
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Genética
SUBÁREA: Genética Molecular e de Microorganismos
RESUMO:

O recente surto no Brasil da infecção pelo Zika Vírus (ZIKV) tornou-se um problema de saúde pública devido à sua provável associação com defeitos congênitos (microcefalia) e complicações neurológicas. Consequentemente, há uma necessidade urgente de desenvolver uma vacina para prevenir ou um medicamento para tratar a infecção. Neste estudo, empregamos a abordagem de imunoinformática para predizer epítopos antigênicos de proteínas de ZIKV proveniente da cepa H/PF/2013 afim de auxiliar na construção de um antígeno vacinal contra o ZIKV. Realizamos a predição de epítopos de linfócitos T CD8+ e células B antigênicos das proteínas de ZIKV, a saber: prM, NS1 e NS2A. Além disso, investigamos as interações de ligação de epítopos de células T com proteínas do complexo principal de histocompatibilidade de classe I (MHC I). Em seguida, selecionamos os epítopos antigênicos, conservados, atóxicos e imunogênicos. Os epítopos selecionados indicaram interações significativas com alelos de HLA-A e HLA-B e cobertura da população mundial de 76,35%. A fim de realizarmos a construção do antígeno vacinal os epítopos preditos foram unidos com a ajuda de ligantes e com um adjuvante, para que aumentasse a imunogenicidade. Avaliamos as propriedades físico-químicas, juntamente com a antigenicidade e alergenicidade do antígeno vacinal e as ferramentas de bioinformática foram usadas para prever, refinar e validar a estrutura em 3D. O modelo validado foi então acoplado através da ancoragem molecular com os receptores TLR3 (PDB ID: 1ZIW) e TLR8 (PDB ID: 3W3G). Os códons foram otimizados através da clonagem in sílico e pela expressão do antígeno vacinal no vetor pVAX. Portanto, para a construção do antígeno vacinal foi avaliado suas propriedades físico-químicas, solubilidade e capacidade de interagir efetivamente com os receptores do Tipo Toll (TLR), e com base nos resultados o antígeno vacinal é considerado antigênico, antialérgico e termoestável.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2022042 - DANIEL PEREIRA DA SILVA
Externo à Instituição - DANIELA DROPPA ALMEIDA
Externo à Instituição - LUCAS SOUSA MAGALHÃES
Presidente - 2026761 - MARCUS VINICIUS DE ARAGAO BATISTA
Externo ao Programa - 1977480 - PRISCILA LIMA DOS SANTOS

Notícia cadastrada em: 18/02/2022 14:24
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2024 - UFRN - bigua3.bigua3 v3.5.16 -r18980-7ea6722953