A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: SIMONE CRISTINA DE OLIVEIRA LUCAS

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SIMONE CRISTINA DE OLIVEIRA LUCAS
DATA: 08/10/2014
HORA: 09:00
LOCAL: Universidade Tiradentes, Sala 17, Bloco F
TÍTULO: “Avaliação da potencialidade da microbiota da turfa na biorremediação de agroquímicos neonicotinoides em água"
PALAVRAS-CHAVES: Biotecnologia em recursos naturais; biodiversidade, quimica analítica.
PÁGINAS: 120
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química
SUBÁREA: Química Analítica
ESPECIALIDADE: Análise de Traços e Química Ambiental
RESUMO:

A toxicidade e persistência dos pesticidas no ambiente constitui um perigo potencial para o meio ambiente e ao homem, tornando o desenvolvimento de um tratamento eficaz e de baixo custo na remoção deste contaminante um importante desafio a ser superado. Estudos revelam que a microbiota da turfa é pouco explorada, principalmente as do nordeste do país. Diante disso, este trabalho teve como objetivo avaliar a potencialidade dos micro-organismos da turfa, na bioconversão dos pesticidas tiametoxam e tiaclopride em água. Efetuou-se a caracterização das comunidades procarióticas da turfeira de Santo Amaro da Brotas/SE, empregando a metagenômica. A análise das sequências revelou a presença de 11 filos de bactéria, com predominância de Proteobacteria (50%) seguido de Acidobacteria (17%). No domínio Archaea o maior porcentual foi de Crenarchaeota, porém, o filo Euryarchaeota constituiu-se por metanogênicos anaeróbicos, que utilizam CO2 e H2O para produção de metano, processo característico de turfeiras. Posteriormente foi isolada uma bactéria da turfa, com habilidade em degradar redutivamente 86% de tiametoxam a 5mgL-1, originando apenas um único metabólito de baixa toxicidade. Esta bactéria quando imobilizada em areia, constituindo um meio filtrante, foi capaz de converter mais de 90% do pesticida tiametoxam, apresentando ser um processo eficiente que pode ser utilizado na biorremediação de águas.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2335200 - CHARLES DOS SANTOS ESTEVAM
Externo à Instituição - ELTON FRANCESCHI
Presidente - 690.948.450-91 - FRANCINE FERREIRA PADILHA
Interno - 2178474 - ROBERTO RODRIGUES DE SOUZA
Externo ao Programa - 1544624 - SANDRO NAVICKIENE

Notícia cadastrada em: 19/09/2014 22:22
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2024 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r18966-bf93dfabd7