A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MARIA LILIANE DOS SANTOS ALVES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARIA LILIANE DOS SANTOS ALVES
DATA: 31/08/2023
HORA: 14:00
LOCAL: NIPPEC
TÍTULO: Interferência da exótica invasora Leucaena leucocephala (Lam.) de Witsobre a germinação e o desenvolvimento inicial da alface.
PALAVRAS-CHAVES: Invasão biológica; Leucena; Alelopatia; Impactos.
PÁGINAS: 55
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Multidisciplinar
RESUMO:

A espécie Leucaena leucocephala (Lam.) de Wit (leucena) é considerada umadas mais agressivas exóticas invasoras do planeta. Ela é capaz de alterar de formasubstancial os ecossistemas invadidos. Apesar disso, pouco se sabe sobre osmecanismos utilizados por ela para dominar esses ambientes. Assim, o presente estudoteve como objetivo avaliar a interferência da exótica invasora Leucaena leucocephalasobre a germinação e o desenvolvimento inicial da alface. Para isso foram instaladosquatro diferentes experimentos: (i) teste de alelopatia em placas de petri; (ii) teste dealelopatia em solos; (iii) efeito dos solos coletados abaixo e fora da zona de influênciadas copas da leucena sobre a germinação e o desenvolvimento inicial da alface; (iv)avaliação da germinação e desenvolvimento inicial da alface em solos com adição dematerial vegetativo da leucena. O experimento realizado em placas de petri revelou queos extratos aquosos produzidos com material vegetativo da leucena afetam agerminação e demais parâmetros avaliados da alface, especialmente nas concentraçõesacima de 5%. No experimento onde os extratos aquosos foram adicionados aos solos, adiferença na germinação e outras variáveis foi mais discreta quando comparado aoanterior. No terceiro experimento a alface cultivada nos solos coletados abaixo dascopas da leucena teve um desenvolvimento superior a cultiva em solos fora da zona deinfluência das copas da exótica invasora. Já no último experimento, todos os parâmetrosavaliados da alface foram estatisticamente iguais entre os tratamentos (solos sem adiçãode folhas da leucena e solos com a adição de diferentes quantidades de folhas daleucena). Os resultados obtidos nos experimentos divergiram bastante, sugerindo que aalelopatia não deve ser responsável, ao menos isoladamente, pelos efeitos negativosobservados in situ e relatados em literatura para a exótica invasora estudada.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - CRISTIANNE SANTANA SANTOS
Presidente - 1715088 - JULIANO RICARDO FABRICANTE
Externo à Instituição - SELMA FREIRE DE BRITO

Notícia cadastrada em: 07/08/2023 16:21
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2024 - UFRN - bigua3.bigua3 v3.5.16 -r18966-bf93dfabd7