A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: MISLENE DE JESUS MENDONÇA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MISLENE DE JESUS MENDONÇA
DATA: 24/02/2022
HORA: 09:00
LOCAL: Videoconferência
TÍTULO: “O uso de jogos como estratégia de ensino e aprendizagem do solo para o Ensino Fundamental II”
PALAVRAS-CHAVES: Educação em Solos. Práticas de ensino. Solo nos livros didáticos. Jogos didáticos e metodologias ativas.
PÁGINAS: 90
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Multidisciplinar
RESUMO:

O solo é um recurso natural que sofre com os impactos provocados pelo uso humano. Mesmosendo um elemento essencial dos ecossistemas, o solo ainda possui sua importância poucopopularizada. E, se tratando de sua relação com a água, a atenção é ainda mais reduzida, sendona maioria das vezes correlacionado ao se tratar da agricultura, mediante a irrigação e aoprocesso erosão. O que leva, dessa forma, à necessidade de se ampliar a Educação em Solos,sobretudo, na Educação Básica com vistas à sensibilização sobre a importância e os usosabusivos dos recursos naturais. Considerando a relevância e a complexidade dos conteúdossobre solos, é necessário que o seu ensino e aprendizagem ultrapassem as metodologiastradicionais, e se priorizem aulas que favoreçam uma aprendizagem mais significativa, nasquais o estudante esteja no centro do processo de construção do conhecimento. Nesse contexto,o trabalho em tela é uma investigação quali-quantitativa que objetiva realizar uma análise doensino e aprendizagem sobre o solo, no Ensino Fundamental II, a fim de oferecer subsídios paraa produção e uso de jogos didáticos. Para isso, propõe-se investigar o conhecimento dosestudantes do 8o e 9o ano, do Colégio Estadual Murilo Braga, por meio de questionários e aprodução de desenhos alusivos ao solo; analisar o tema nos livros didáticos de Geografia eCiências adotados pela unidade de ensino; bem como realizar entrevistas com docentes damesma instituição. Os resultados reforçam que os livros didáticos não dão o suporte necessáriopara os professores e estudantes no processo de ensino e aprendizagem sobre os solos e suacorrelação com a água. Além disso, a ausência da pedologia na formação inicial dos docentesjunto a falta de tempo para um planejamento mais consistente das aulas, pode afetar diretamentena aprendizagem dos discentes. Os resultados obtidos a partir dos questionários e desenhos,evidenciam o quão fragilizado é o ensino e aprendizagem do solo no contexto escolar, além danecessidade urgente de ampliar a Educação em Solos na Educação Básica. Espera-se que osjogos confeccionados a partir deste estudo possam ampliar e facilitar a compreensão dosestudantes sobre a importância, as características e os processos que envolvem o solo e, sejamuteis ferramentas de apoio para os educadores. Portanto, alertamos para a necessidade de serepensar a forma como é desenvolvida a Educação Ambiental nas escolas, em especial aosmétodos que são aplicados, bem como que as ações interdisciplinares entre as diversas Ciênciaspermitam o desenvolvimento de indivíduos comprometidos com as questões ambientais. E que,nesse ínterim, a Educação em Solos seja um dos caminhos para se desenvolver essa consciência.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1496786 - CRISTIANO APRIGIO DOS SANTOS
Interno - 2139764 - DANIEL RODRIGUES DE LIRA
Externo à Instituição - Manuella Vieira Barbosa Neto

Notícia cadastrada em: 18/01/2022 10:32
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2024 - UFRN - bigua3.bigua3 v3.5.16 -r18966-bf93dfabd7