Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: GUILHERME RODOLFO SOUZA DE ARAUJO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GUILHERME RODOLFO SOUZA DE ARAUJO
DATA: 04/06/2018
HORA: 09:00
LOCAL: Laboratório de Informática DFA
TÍTULO: Avaliação de Filmes de HPMC e Microemulsão-Gel in situ na Administração Transdérmica da Zidovudina:
PALAVRAS-CHAVES: Zidovudina, Hidroxipropilmetilcelulose, 1,8-cineol, óleo de eucalipto, AIDS, microemulsões transdérmicas.
PÁGINAS: 44
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

: Introdução: A AIDS é uma doença que afeta o sistema imunológico humano, acometendo e vitimando pessoas ao redor do mundo. Ela apresenta um esquema terapêutico paliativo eficaz, porém complexo e com altos índices de efeitos colaterais e adversos, dificultando a adesão ao tratamento. Desta forma, o emprego de novas vias de administração, como a via transdérmica, pode ser interessante e vantajoso, pois, evita as flutuações plasmáticas decorrentes da administração oral e mantem níveis plasmáticos constantes por um período prologando de tempo. Objetivo: Avaliar filmes de HPMC e uma microemulsão-gel obtida in situ na administração transdérmica do AZT como fármaco modelo antirretroviral. Metodologia: Na primeira etapa do trabalho, filmes de HPMC com diferentes concentrações de 1,8-cineol foram submetidos a ensaios de liberação e permeação cutânea em células de Franz, utilizando como barreiras, membranas de celulose e pele de ratos Wistar. O potencial irritante dos filmes foi avaliado a partir de cortes histológicos de pele de camundongos Hairless preparados em hematoxilina/eosina e analisados por microscopia ótica. Na segunda etapa do trabalho, um diagrama de fases pseudoternário composto por água (fase aquosa), óleo de eucalípto (fase oleosa, contendo 80% de 1,8-cineol), tween 80 (tensoativo) e propilenoglicol (cotensoativo) foi obtido na proporção 1:1 de tensoativo:cotensoativo (v/v). A partir deste diagrama, uma linha de diluição, onde apenas microemulsões foram obtidas, foi selecionada e caracterizada. Uma microemulsão-gel foi obtida e caracterizada pela adição de HPMC a uma formulação selecionada desta linha de diluição. Na terceira etapa do trabalho, um filme de HPMC contendo 5% de óleo de eucalipto foi obtido nas mesmas condições dos filmes anteriores, substituindo apenas o 1,8-cineol pelo óleo de eucalipto. Uma microemulsão-gel foi obtida in situ a partir deste filme pela hidratação dele com solução aquosa de Tween 80 no momento da administração, alcançando as proporções da microemulsão-gel caracterizada na etapa anterior. Posteriormente, ensaios de permeação e retenção cutânea ex vivo foram realizados, comparando o filme de HPMC contendo 5% de 1,8-cineol com a microemulsão-gel in situ contendo 5% de óleo de eucalípto. Para a realização do estudo da farmacocinética, foi realizada a validação do método de quantificação do AZT em plasma utilizando LC-MS/MS, com fase móvel composta por metanol:água (60:40), ambos acidificados e detector com MRM com m/z 268.13 → 126.86 (AZT) e m/z 230.00 → 112.01 (3TC). Resultados: Como resultados da primeira etapa do trabalho, os perfis de liberação se mostraram similares para todas as formulações, com rápida liberação do AZT. Nos ensaios de permeação cutânea, o filme contendo 5% de cineol apresentou melhor desempenho com Q24 = 34,00 µg.cm-2 e fluxo de permeação de 1,4819 µg.cm-2.h-1, resultando em um efeito promotor 3,0 vezes maior que a formulação controle. Já o ensaio de irritação cutânea em camundongo hairless mostrou a ausência de sinais característicos de inflamação. Como resultados da segunda etapa do trabalho, as microemulsões obtidas a partir da curva de diluição e a microemulsão-gel apresentaram-se como sistemas homogêneos, límpidos, translúcidos e isotrópicos. Na terceira etapa do trabalho foi observado que a microemulsão-gel obtida in situ resultou em melhor efeito promotor de permeação que o filme de HPMC. O método bioanalítico se mostrou seletivo, reprodutivo, livre de interferentes e linear, com r = 0,99672. Conclusão: O filme de HPMC contendo 1,8-cineol se mostrou seguro e eficiente na liberação e promoção da permeação do AZT pela via transdérmica. A microemulsão-gel obtida in situ apresentou melhor desempenho mostrando-se promissor para realização de testes farmacocinéticos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1686032 - ANA AMELIA MOREIRA LIRA
Interno - 032.657.764-50 - JOSÉ GUEDES DE SENA FILHO
Externo ao Programa - 1658460 - VICTOR HUGO VITORINO SARMENTO
Notícia cadastrada em: 04/06/2018 07:11
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - fragata3.fragata3 v3.5.16 -r10787-147c949b3