A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Noticias

Banca de DEFESA: URIAS FAGNER SANTOS NASCIMENTO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: URIAS FAGNER SANTOS NASCIMENTO
DATA: 13/09/2017
HORA: 08:30
LOCAL: Auditório 2 do PROZOOTEC/UFS
TÍTULO: DESEMPENHO E CARACTERÍSTICAS DE CARCAÇA DE CORDEIROS ½ SANGUE DORPER +½ SANTA INÊS, ABATIDOS COM DIFERENTES ESPESSURAS DE GORDURA SUBCUTÂNEA
PALAVRAS-CHAVES: OVINOS, RENDIMENTO DE CARCAÇA, COMPOSIÇÃO TECIDUAL
PÁGINAS: 63
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Zootecnia
SUBÁREA: Produção Animal
RESUMO:

Objetivou-se avaliar o efeito de diferentes espessuras de gordura subcutânea ao abate em cordeiros ½ Dorper + ½ Santa Inês sobre o desempenho (dias de confinamento, idade ao abate, peso vivo inicial, peso vivo final, ganho de peso total, ganho de peso diário, peso vivo ao abate, escore de condição corporal), as características quantitativas da carcaça (peso do corpo vazio, peso da carcaça quente, peso da carcaça fria, perdas por resfriamento, pH da carcaça 0 e 24 horas após o abate, rendimento da carcaça na origem, rendimento na carcaça no frigorifico, rendimento comercial da carcaça, rendimento verdadeiro da carcaça, espessura de gordura subcutânea, índice de compacidade da carcaça, largura da garupa, comprimento da perna e índice de compacidade da perna) e as características dos cortes comerciais (pesos, rendimentos e composição tecidual). Foram utilizados 24 cordeiros, sendo pesados e identificados ao nascimento, ao completarem três semanas de vida começaram a receber ração no creep feeding, sendo novamente pesados aos trinta dias e à desmama, que ocorreu aos 86,91±24,15 dias de idade. No momento da desmama os animais tiveram a sua espessura de gordura subcutânea avaliada por ultrassonografia à altura da 12ª costela do antímero esquerdo do animal. Após a desmama os cordeiros forma alocados em três grupos experimentais, tendo a espessura de gordura subcutânea ao abate como tratamento (2mm, 3mm e 4mm). Após a divisão dos grupos os cordeiros foram alimentados com silagem de milho à vontade e 2% do peso corporal de uma mistura com 75% de milho moído; 19% de farelo de soja; 1% de ureia e 5% de núcleo comercial. Após o início do tratamento os animais foram avaliados quinzenalmente com o auxílio de aparelho de ultrassonografia, até atingirem a espessura de gordura pré determinada para o abate. Uma vez atingida essa espessura de gordura, os animais foram novamente pesados para a obtenção do peso vivo na origem, calculados os dias de confinamento e mensurado o escore de condição corporal, sendo encaminhados ao abatedouro. Após18 horas em jejum de sólidos os animais foram novamente pesados para a obtenção do peso vivo ao abate. O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado com três tratamentos e oito repetições. Para realização das análises estatísticas foi utilizado o procedimento GLM do SPSS. Para comparação de médias foi considerando o nível de significância de 5% pelo teste Tukey. Não houve efeito dos tratamentos (p>0,05) sobre o peso vivo inicial, pH da carcaça imediatamente após abate e 24 horas após, comprimento interno da carcaça e índice de compacidade da perna. Contudo diferiram (p<0,05), em função da espessura de gordura para espessura de gordura subcutânea por ultrassonografia (2mm= 2,36; 3mm = 2,74, 4mm= 3,73), para dias de confinamento (2mm=51,38; 3mm=66,50; 4mm= 91,63 dias), idade ao abate (2mm=139,38; 3mm=159,88; 4mm=171,00 dias), peso vivo final (2mm=33,50; 3mm=42,81; 4mm=46,19 Kg), ganho de peso total (2mm=18,75; 3mm=25,08; 4mm=46,19 Kg), ganho de peso diário (2mm=0,44; 3mm=0,39; 4mm=0,28 Kg), peso vivo ao abate (2mm=32,76; 3mm=39,79; 4mm=44,88 Kg), escore de condição corporal (2mm=2,97; 3mm=3,13; 4mm=3,56), peso do conteúdo gastrintestinal (2mm=3,78; 3mm=4,52; 4mm=5,51 Kg), peso do corpo vazio (2mm=28,99; 3mm=35,17; 4mm=39,36 Kg), peso da carcaça quente (2mm= 15,33; 3mm=19,16; 4mm=21,90 Kg), peso da carcaça fria (2mm=15,03; 3mm=18,75; 4mm=21,47), perdas de peso por resfriamento (2mm=0,00234; 3mm=0,00333; 4mm=0,00201 Kg), rendimento da carcaça na origem (2mm=44,91; 3mm=43,85; 4mm=46,47%), rendimento na carcaça no frigorifico (2mm=46,79; 3mm=48,30; 4mm= 48,79%), rendimento comercial da carcaça (2mm= 45,88; 3mm=47,25; 4mm=47,82%), rendimento verdadeiro da carcaça (2mm= 52,93; 3mm=54,51; 4mm=55,67%), índice de compacidade da carcaça ( 2mm= 0,250; 3mm=0,30; 4mm=0,33 Kg/cm), largura da garupa (2mm=20,15; 3mm=22,25; 4mm=23,29 cm), comprimento da perna (2mm=31,25; 3mm=33,88; 4mm=34,50 cm). A porcentagem dos cortes em relação a meia carcaça; pescoço (5,62%); paleta (18,49%), costilhar (29,16%), lombo (12,15%) e perna (34,91%) não diferiam entre as EGS (p<0,05). Os pesos dos cortes apresentaram diferenças estatísticas entre os tratamentos (p>0,05), sendo os valores para pescoço (2mm=0,44; 3mm=0,55; 4mm=0,56 Kg), peso da paleta (2mm=1,38; 3mm=1,61; 4mm=2,14 Kg), peso do costilhar (2mm=2,16; 3mm=2,73; 4mm=3,19 Kg), peso do lombo (2mm=0,93; 3mm=1,14; 4mm=1,25 Kg), e peso da perna (2mm=2,68; 3mm=3,20, 4mm=3,76 Kg). Quanto a composição tecidual dos cortes apenas a musculatura do pescoço (2mm=50,24; 3mm=51,44; 4mm=55,34%), osso do pescoço (2mm= 30,24; 3mm=29,63; 4mm=25,91%), ossos do lombo (2mm=15,05; 3mm=24,63; 4mm=24,71%) e de osso da perna (2mm=11,38; 3mm=13,33; 4mm=13,13%), apresentarem diferença estatística entre as espessuras de gordura subcutânea (p>0,05), sendo que os demais tecidos (gordura, ossos, resíduo e musculo) não apresentaram diferenças nos outros cortes. Recomenda-se o abate dos cordeiros ½ Dorper + ½ Santa Inês com 3mm de espessura de gordura subcutânea.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - CARLOS EMANUEL EIRAS
Interno - 627.399.990-20 - EVANDRO NEVES MUNIZ
Interno - 210.706.950-68 - FRANCISCO DE ASSIS FONSECA DE MACEDO
Presidente - 1366651 - GLADSTON RAFAEL DE ARRUDA SANTOS

Notícia cadastrada em: 11/09/2017 16:30
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - dragao3.dragao3 v3.5.16 -r17722-925b7210d0