A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Dissertações/Teses

Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFS

2022
Descrição
  • WILLIAM SANTOS DE JESUS
  • Análise morfoagronômica e química de progênies C2 de Lippia alba e atividade formicida dos óleos essenciais contra Acromyrmex balzani.
  • Orientador : ARIE FITZGERALD BLANK
  • Data: 30/08/2022
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo do presente trabalho foi avaliar o desempenho morfoagronômico e químico de progênies de Lippia alba provenientes do segundo ciclo de seleção recorrente, em diferentes épocas, e avaliar a atividade formicida de seus óleos essenciais (OEs). Foi realizada a recombinação entre progênies selecionadas do primeiro ciclo de seleção recorrente, e foram obtidas as seguintes cinco progênies C2: LA-56-03-01, LA-56-03-02, LA-57-10-02, LA-57-10-05 e LA-70-01-01. O experimento foi conduzido na fazenda experimental “Campus Rural da UFS”. Os OEs foram obtidos por hidrodestilação e posteriormente analisados quimicamente por cromatografia gasosa para determinar seus constituintes. A partir da avaliação morfoagronomica foi possível verificar que a maioria dos genótipos apresentou hábito de crescimento ereto, com médias variarando de 45,92 a 94,42 cm para AP; de 94,33 a 397,75 cm para LP; de 2,38 a 6,51 cm 2 para a AF; de 2,76 a 3,82 cm para CF; de 1,34 a 2,35 cm para LF; de 2,75 a 5,08 cm para EM e a massa seca variou de 3,43 a 30,53 g.planta-1, o teor médio de OE variou de 0,83 a 3,39% e rendimento de OE entre 0,05 e 1,02 mL.planta-1. Estudando o efeito de duas épocas de colheita, pode-se observar que para o teor de OE de plantas colhidas na época seca, os genótipos LA-56, LA-56-03, LA-56-03-02, LA-57, LA-70 e LA-70-01 obtiveram melhor desempenho (média do grupo: 2,79%), enquanto na época chuvosa, apenas os genótipos LA-56-03-01 e LA-70-01-01 foram superiores quando comparados aos demais (média do grupo: 1,58%). Os genótipos LA-57 e LA-57-10-05 apresentaram maior concentração de carvona independente das épocas de colheita (58,04% e 58,57% respectivamente), sendo que o LA-57-10-05 teve incremento do teor de carvona em relação ao primeiro ciclo de seleção recorrente. Nos ensaios de atividade formicida o LA-57-10-05 promoveu o controle eficaz das formigas Acromyrmex balzani utilizando a concentração de 2µL de OE por litro de ar. A partir da avaliação morfoagronômica das 11 progênies e parentais de L. alba, ficou evidenciando a formação de três grupos distintos a partir da análise de componentes principais sobre 21 variáveis morfoagronômicas. O teor de OE e massa seca das progênies de segundo ciclo de seleção recorrente de L. alba não foram elevados em relação aos seus parentais.

  • CLEVERTON ALVES DOS SANTOS
  • Conservação ex situ e aplicação dos descritores mínimos na caracterização de germoplasma de jenipapeiro
  • Data: 29/08/2022
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O jenipapeiro (Genipa americana L.) é uma espécie ainda não domesticada e muito importante na restauração das matas ciliares brasileiras, sendo considerada uma das frutíferas mais promissoras para programas de colheita sustentável. O trabalho foi desenvolvido com o objetivo de avaliar o enriquecimento, desenvolvimento e a caracterização dos acessos do Banco Ativo de Germoplasma de jenipapeiro da Embrapa Tabuleiros Costeiros. O BAG está localizado no município de Nossa Senhora das Dores, Sergipe, Brasil e é composto por 28 acessos representados por 254 indivíduos. Foram usados 15 descritores (botânicos, morfológicos, crescimento) e cinco índices morfométricos, além do percentual de enriquecimento e taxa de sobrevivência ao longo de 13 anos de existência do BAG. Houve êxito no enriquecimento, na manutenção e diversidade. Com exceção de dois acessos que tiveram 50% de sobrevivência, os demais apresentaram entre 80 e 100%. O tronco liso foi observado apenas no acesso BA, da espécie G. infundibuliformis, oriundo da Bahia. A presença de tricomas e ramificação horizontal foram especificas do acesso CV, que também apresentou a maior altura média. O CV é da espécie Genipa americana L, oriundo de população natural de Cascavel, Ceará. O conhecimento dos descritores e da diversidade existente no germoplasma irá subsidiar estratégias de conservação e direcionar futuras pesquisas.

  • LARISSA DE SOUZA GOIS
  • Atividade antimicrobiana e antibiofilme de óleos essenciais de Lippia gracilis e seus compostos majoritários sobre fitopatógenos do gênero Xanthomonas spp resistentes ao cobre.
  • Orientador : ROBERTA PEREIRA MIRANDA FERNANDES
  • Data: 29/07/2022
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O gênero Xanthomonas é formado por fitobactérias gram-negativas que produzem biofilme e são responsáveis por causar doenças em plantas de importância econômica. Dentre estas doenças, se destaca a podridão-negra das crucíferas, barriga d’água do melão, gomose da cana-de-açúcar, estria bacteriana do milho e bacterioses da mandioca e ameixa. Mediante a importância da busca de novas alternativas para o tratamento dessas doenças, têm se estudado os óleos essenciais que são metabólitos secundários de plantas que apresentam variadas atividades biológicas como a atividade antibacteriana. O objetivo deste trabalho foi avaliar a atividade antimicrobiana e antibiofilme de óleos essenciais (OEs) de sete acessos de Lippia gracilis Schauer (LGRA-106, 107, 108, 109,110, 201 e 202) obtidos através da técnica de hidrodestilação e seus compostos majoritários timol e carvacrol, bem como a resistência ao cobre, sobre cinco espécies de fitobactérias do gênero Xanthomonas X1 (Xanthomonas campestris pv. melonis), X2 (Xanthomonas axonopodis pv. manihotis), X3 (Xanthomonas campestris pv. pruni), X4 (Xanthomonas axonopodis pv. vasculorum), X5 (Xanthomonas campestris pv. campestris. Pela utilização de técnicas espectrofotométricas foram avaliados in vitro o CIM (Concentração Inibitória Mínima), CBM (Concentração Bactericida Mínima), atividade antibiofilme, viabilidade celular, permeabilização da membrana plasmática, resistência ao sulfato e óxido de cobre e a avaliação morfológica do biofilme em microscopia eletrônica de varredura. O estudo in vivo foi conduzido em estufa agrícola e foi avaliado a influência do acesso LGRA-107 e do óxido de cobre sobre número de folhas, biomassa e incidência e severidade da doença sobre as variedades couve-manteiga (Geórgia) e couve-brócolis (Ramoso Santana) em plantas inoculadas com Xanthomonas campestris pv. campestris. Os experimentos in vitro foram realizados em duplicata com três repetições. Já para o experimento in vivo utilizou-se o delineamento inteiramente casualizado, em esquema fatorial 2x3x3, dois métodos de inoculação (injetado e borrifado), três substâncias (duas concentrações do OE de LGRA-107 250 e 500 µg mL-1 e uma concentração de óxido de cobre 2000 µg µg mL-1), água autoclavada e DMSO a 1% foi utilizada como o controle. Para análise de severidade e incidência utilizou-se uma escala de notas 0 a 5 durante o período de 10 dias. A concentração de 1000 µg mL-1 dos OEs de LGRA e os compostos majoritários timol e carvacrol nas concentrações entre 250 e 500 µg mL-1 demonstraram atividade bacteriostática e bactericida e promoveram aumento da permeabilidade de membrana plasmática de células bacterianas. OEs de todos acessos assim como os compostos majoritários e o óxido de cobre apresentaram atividade antibiofilme para as cinco fitobactérias, no entanto o sulfato de cobre não apresentou atividade antibiofilme nas concentrações de testadas. Tanto o óxido quanto o sulfato de cobre apresentaram baixa atividade bactericida nas concentrações de 1000 a 100 µg mL-1 quando comparadas aos OEs de LGRA e ao timol e carvacrol para a maioria das espécies de fitobactérias, o que indica resistência ao cobre in vitro. Como resultados do experimento in vivo tanto a couve-manteiga quanto a couve-brócolis foram susceptíveis ao patógeno ao longo do tempo, mesmo com a aplicação do OEs de LGRA-107 e do óxido de cobre.

  • NATALI APARECIDA SANTANA
  • Conhecimento tradicional, diversidade genética e caracterização de frutos e endocarpos de umbuzeiro (Spondias tuberosa Arr. Câm.)
  • Orientador : RENATA SILVA MANN
  • Data: 28/07/2022
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O umbuzeiro é uma espécie frutífera nativa de grande importância socioeconômica para o semiárido nordestino tendo como destaque os seus frutos que são consumidos in natura e também processados em forma de polpas e doces. Outras partes da planta, como as raízes e folhas são frequentemente utilizadas na medicina tradicional. No entanto, a sua exploração, feita quase unicamente de forma extrativista, ocorre muitas vezes sem o manejo adequado, o que pode impedir a regeneração natural, manutenção da espécie ao longo do tempo e a própria produção de frutos para comercialização local. Além do extrativismo, outras ações antrópicas também interferem na conservação da espécie, como a fragmentação florestal, o que torna as populações mais isoladas e vulneráveis a eventos ambientais e genéticos, resultando em elevados níveis de endogamia e perda aleatória de alelos. Este trabalho fornece informações essenciais e que podem promover a conservação do umbuzeiro por meio da modelagem de distribuição potencial da espécie; da caracterização das matrizes e seus frutos e endocarpos; do registro do conhecimento tradicional e da análise da diversidade genética de população nativa em Sergipe.

  • SAMUEL FARIAS SANTANA
  • Potencial de Beauveria bassiana no controle do ácaro-da-necrose Aceria guerreronis (Acari: Eriophyidae)
  • Data: 28/07/2022
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O ácaro-da-necrose, Aceria guerreronis (Acari: Eriophyidae), é a principal praga do coqueiro no Brasil. O controle desta praga é geralmente realizado por meio de pulverizações preventivas mensais de agrotóxicos, os quais são conhecidamente não seletivos a ácaros predadores que ocorrem naturalmente em cultivos de coqueiro, a exemplo de Amblyseius tamatavensis (Acari: Phytoseiidae). O fungo entomopatogênico Beauveria bassiana poderia ser usado no controle de A. guerreronis por ser eficiente contra outras espécies de ácaros fitófagos bem como apresentar seletividade a ácaros predadores. Assim, o objetivo da presente pesquisa foi avaliar a patogenicidade de isolado de B. bassiana a A. guerreronis bem como sua seletividade ao ácaro predador A. tamatavensis. Para tal, as concentrações letais de B. bassiana a A. guerreronis foram estimadas e sua seletividade ao ácaro predador A. tamatavensis avaliada. Os resultados indicam que B. bassiana foi patogênico a A. guerreronis além de apresentar considerável seletividade ao ácaro predador A. tamatavensis. Portanto, conclui-se que o fungo é promissor para o desenvolvimento de bioacaricida para o controle de A. guerreronis em coqueiro.

  • JACQUELINE ALVES BORGES FERREIRA
  • MITIGAÇÃO DAS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS EM BATATA-DOCE POR MEIO DE FILME DE PARTÍCULAS DE CÁLCIO.
  • Orientador : LUIZ FERNANDO GANASSALI DE OLIVEIRA JUNIOR
  • Data: 27/07/2022
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Diante do atual cenário das mudanças climáticas globais, prevê-se novas alterações no desenvolvimento e produtividade da batata doce, principalmente quanto ao comportamento fisiológico, molecular e anatômico. Como estratégia, os filmes de partículas têm sido uma ferramenta potencial contra possíveis estresses abióticos nas plantas. Este estudo teve como objetivo mitigar tais efeitos deletérios com a aplicação do filme de partícula de cálcio (CaO 10% p/v), e validar esta técnica a partir de parâmetros ecofisiológicos, moleculares e anatômicos da folha. O experimento em campo foi conduzido entre os anos de 2018 e 2019, na Estação Experimental campus rural do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal de Sergipe (UFS). Os dados foram coletados em plantas com filme de partículas cultivadas sob diferentes estádios fenológicos e regimes de disponibilidade hídrica. Os resultados obtidos foram comparados aos tratamentos controle - plantas a pleno sol – cultivadas nas mesmas condições experimentais. Assim, plantas com filme de partículas apresentaram maior eficiência fotossintética e condições de trocas gasosas mais favoráveis, repressão gênica (cdc2a), aumento da clorofila Falker, menor dissipação (DI0/CSm), e maiores índices de desempenho com base na seção transversal (PIcs) e com base na absorção (PIabs). Além disso, o filme de partículas influenciou para modificações na anatomia foliar, capazes de otimizar e equilibrar demandas conflitantes de segurança do xilema versus eficiência. Neste sentido, apesar de haver uma redução da água disponível para as plantas, o uso do filme de partículas tornou-se indicado para todo o ciclo fenológico de batata-doce, sobretudo, durante o estádio reprodutivo da cultura onde houve maior sensibilidade das folhas às condições estressantes.

  • LUÍSE ANDRADE AMARAL VASCONCELOS
  • “Estratégias para conservação da biodiversidade em assentamento rural no Baixo São Francisco.”
  • Orientador : ROBERIO ANASTACIO FERREIRA
  • Data: 25/07/2022
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A restauração florestal possui grande importância enquanto alternativa para mitigar as mudanças climáticas. Por isso mensurar o status de desenvolvimento dos ecossistemas em processo de restauração aliado à dinâmica de uso e ocupação do solo torna-se indispensável para conservação da biodiversidade. Deste modo, este trabalho teve como objetivo analisar as informações existentes sobre estudos de modelagem de distribuição de espécies na restauração florestal, além de identificar e compreender a trajetória ecológica que a área ciliar do Assentamento Borda da Mata, município de Canhoba, região do Baixo São Francisco sergipano, em processo de restauração, vem seguindo, por meio da interação de informações florísticas, fitossociológicas, edáficas e geoambientais. No ano de 2004, foi executado um projeto de reflorestamento da área de preservação permanente – APP do Assentamento Borda da Mata localizado à margem direita do baixo curso do rio São Francisco, onde faixas de terra com largura de 30 metros, a partir da borda da calha do leito regular do rio, numa extensão de 5km, foram cercadas para realização do plantio de mudas de espécies florestais nativas da região com espaçamento de 3 x 3 metros. Em 2021, para avaliação da vegetação dessa área, foram instaladas 19 parcelas de 600m², onde todos os indivíduos arbustivos arbóreos vivos que apresentaram circunferência à altura do peito maior ou igual a dez centímetros (CAP ≥ 10 cm) e altura total maior ou igual a um metro (HT ≥ 1m), foram mensurados e classificados quanto ao grupo sucessional e funcional e quanto às síndromes de dispersão. Também foram caracterizadas a estrutura horizontal e a vertical, avaliada a diversidade florística por meio do Índice de Shannon-Weaver (H’) e a equabilidade de Pielou (J’). Para análise temporal da paisagem foram utilizados os dados do acervo do MapBiomas referentes aos anos de 2004, 2008, 2012, 2016 e 2020. Para análise dos atributos químicos foram coletadas amostras de solo em três áreas dentro do assentamento (mata ciliar reflorestada, área agrícola e área de Reserva Legal) que foram analisadas pelo Instituto Tecnológico de Pesquisas do Estado de Sergipe – ITPS, conforme a metodologia da Embrapa (2009). No levantamento da composição florística observou-se a ocorrência de 35 espécies pertencentes a 32 gêneros e distribuídas em 12 famílias botânicas, totalizando uma riqueza de 490 indivíduos. As famílias Fabaceae e Anacardiaceae representaram juntas 71,43% da riqueza total de espécies. Quanto aos estádios sucessionais, 42,86% das espécies são secundárias iniciais, tendo a síndrome de dispersão zoocórica representada em 51,43% das espécies. O índice de Shannon-Wiener (H’) foi de 2,98 nats/ind. e a Equabilidade de Pielou (J’) foi 0,79. Os maiores valores de densidade relativa, frequência absoluta e frequência relativa foram encontrados para espécie Schinus terebinthifolia. No entanto, o maior índice de valor de importância foi encontrado para espécie Lonchocarpus sericeus. A área ciliar do estudo apresenta uma riqueza de espécies mediana, porém com uma evolução positiva para fertilidade do solo. Pela análise temporal da paisagem, foi observada uma diminuição das áreas naturais do assentamento em comparação com as áreas antrópicas, contudo, observou-se influência significativa do projeto de restauração para o aumento da formação florestal do assentamento que apresentou, em 2020, um ganho de 8,55 ha em comparação com o ano de 2004. Em relação à fertilidade do solo, a área da Reserva Legal foi a área que apresentou os melhores índices.

  • LARISSA LUZIA PEIXOTO NASCIMENTO
  • INDUÇÃO DA EMBRIOGENESE SOMATICA EM JENIPAPEIRO
  • Data: 22/07/2022
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A embriogênese somática é uma técnica na cultura de tecidos que possibilita a ampliação demetodologias para conservação dos recursos genéticos e a propagação de espécies vegetaisem larga escala, em Genipa americana L., esta técnica pode viabilizar a criação de produçãocomercial, minimizando as perdas genéticas com o extrativismo, seu único modo deexploração atualmente, além de potencializar seus usos em grandes setores industriais. Diantedo exposto, este trabalho teve como objetivo realizar um estudo da embriogênese somática nojenipapeiro. O experimento foi dividido em duas partes: a primeira foi feita com explantesfoliares e nodais do acesso CEU, cultivados em meio primário, composto por MS ½ dos sais,30 g.L de sacarose, 400 mg/L de extrato de malte, 3% de phytagel e 4 combinações dosreguladores ANA e BAP com as concentrações: 0,0; 4,0; 6,0 e 8,0 mg/L , após 40 dias foramavaliados o percentual de cobertura de calos (0 a 3) e os tipos de calos, após 90 dias noescuro, o cultivo foi transferido para o meio secundário (Meio primário + 10 µM de 2,4-D)com um fotoperíodo de 12 h após 50 dias no meio secundário foram avaliadas a presença decalos embriogênicos e foi feita a indução da maturação através do meio de maturação comdiferentes concentrações de phytagel (3, 5, 7 e 9%). A segunda parte foi feita a partir docultivo de explantes foliares de 5 acessos de jenipapeiro (CEU, JSA, SC, NB e SAL) em meioprimário e 3 combinações dos reguladores ANA e BAP com as concentrações 4,0 e 6,0 mg/L,a cada 10 dias durante 60 dias foram avaliados o incremento de massa fresca dos calos para adeterminação da sua curva de crescimento e avaliação dos calos embriogênicos. A indução decalos foi considerada promissora com notas acima de 2,5, foram observadas características decalos tipo 1, com potencial de gerar calos embriogênicos e calos tipo 2, que fazem competiçãocom os calos tipo 1. O desenvolvimento dos calos tipo 1 foi superior na presença dosreguladores de crescimento, o BAP com 8 mg/L e o ANA com 6.0 mg/L para o segmentonodal e 8,0 mg/L para o foliar, já os calos tipo 2 formaram-se em maior quantidade emsegmentos nodais (100%) na ausência do ANA e na ausência do BAP e 4,0 e 6,0 mg/L deANA (100%). A concentração de 6 mg/L de BAP foi propicia para a indução de calosembriogênicos no ensaio preliminar com o acesso CEU. Entre a avaliação dos acessos, oacesso SAL se sobressaiu aos outros nas 3 combinações de reguladores testadas e induziu100% de calos embriogênicos, confirmados a partir de análises citoquímicas com carminacético e azul de evans. A curva de crescimento atingiu as fases lag, exponencial eestacionária, necessitando-se de um tempo avaliação maior para a caracterização das cincofases. As concentrações de phytagel não foram significativas, não havendo presença deembriões totalmente maduros, devendo haver ajustes na etapa da maturação.

  • ANE CAROLINE CELESTINO SANTOS
  • Performance de Chrysodeixis includens em diferentes cultivares de manjericão.
  • Orientador : LEANDRO BACCI
  • Data: 12/05/2022
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • As plantas por não apresentarem capacidade de escapar contra o ataque de herbívorosdesenvolvem mecanismos de defesa ao longo do tempo evolutivo. Essas defesas têm ação direta ouindireta e expressam-se de forma constitutiva ou induzida na planta. A existência de plantas demanjericão de uma mesma espécie com morfotipos e quimiotipos pode resultar em diferentesrespostas de defesa contra o ataque de um herbívoro. Neste contexto, o objetivo deste estudo foiavaliar as respostas físicas, morfológicas e químicas de diferentes cultivares de Ocimum basilicum eseus efeitos biológicos e comportamentais sobre a lagarta falsa-medideira Chrysodeixis includens. Noprimeiro capítulo, foi avaliado o efeito de plantas de cinco diferentes cultivares de manjericão nodesenvolvimento, na reprodução e nos parâmetros demográficos da falsa medideira. De modo geral,os tratamentos prolongaram o desenvolvimento larval e reduziram o peso dos insetos pupas. Foramobservados efeitos negativos na reprodução. Para as cultivares Vermelho Rubi e Cinnamon não foipossível avaliar os parâmetros de tabela de vida. Houve diferença entre os tratamentos para todosos parâmetros de tabela de vida. No segundo capítulo, avaliamos as características morfológicas,físicas e químicas das plantas de manjericão, bioensaios de preferência / não preferência e consumofoliar. Nossos resultados demonstraram que as plantas hospedeiras em estudo, expressamrespostas de defesa variáveis no desenvolvimento biológico e comportamental de C. includens. Opresente estudo contribuirá para o entendimento da interação ecológica, bem como servirá comobase para investigar o potencial dos compostos defensivos presente na planta hospedeira, os quaisvêm sendo intensamente utilizados como bioinseticidas.

  • GENILZA ALMEIDA DA GRAÇA
  • Caracterização do crescimento, desenvolvimento e pós-colheita de frutos da abóbora cv. Mini Jack
  • Orientador : MARCELO AUGUSTO GUTIERREZ CARNELOSSI
  • Data: 25/04/2022
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O crescimento e desenvolvimento de frutos da abóbora Mini Jack pode ocasionar perda da qualidade pós-colheita, uma vez que a colheita precoce de frutos pode causar distúrbios fisiológicos e quando os frutos são colhidos tardiamente podem apresentar menor vida útil. Uma colheita no ponto de maturação fisiológica resulta também em uma melhor conservação pós-colheita. Diante disso, este trabalho teve como objetivo caracterizar o crescimento, o desenvolvimento e verificar o comportamento pós-colheita da abóbora Mini Jack armazenada sob refrigeração e embalada com filme de PVC. Para determinar o crescimento e desenvolvimento, os frutos foram colhidos aos 0, 5, 10, 15 e 20 dias após a antese (DAA) e avaliados quanto a taxa respiratória, comprimento, diâmetro, peso, cor da casca, firmeza, espessura da casca e da polpa, concavidade interna dos frutos, pH, acidez, sólidos solúveis totais, caroteno da casca e da polpa, açúcares redutores, açúcares não redutores e açúcares totais. Os estudos pós-colheita foram realizados por meio de 3 tratamentos: frutos mantidos a temperatura ambiente (28oC) como controle (T1), frutos sob refrigeração a 5ºC (T2) e frutos sob refrigeração a 5ºC cobertos com filme de PVC (T3) durante 35 dias. A cada 7 dias foram realizadas analises dos frutos quanto ao comprimento, diâmetro, perda de massa fresca, cor da casca, firmeza, espessura da casca e da polpa, concavidade interna dos frutos, pH, acidez, sólidos solúveis totais, caroteno, açúcares redutores, açúcares não redutores e açucares totais. Os frutos apresentaram um padrão de crescimento representado por uma sigmoide simples. Foi possível verificar que a taxa respiratória dos frutos foi elevada no início de desenvolvimento (0 a 5 DAA) e apresentou redução e estabilização após 10 DAA, característico de frutos não climatéricos. Durante o crescimento e desenvolvimento dos frutos verificou-se, também, aumento nos teoresde açúcares totais, SST, e mudanças nos teores de caroteno até os 10 DAA. Quanto ao armazenamento verificou-se que em todos os tratamentos os frutos apresentaram perda de massa com o passar do tempo de armazenamento, no entanto, frutos submetidos aos tratamentos refrigerados (5ºC) e refrigerados e embalados em PVC apresentaram os menores valores de perda de massa. Verificou-se também variações significativas nos teores de SST principalmente aqueles mantidos em temperatura ambiente. Frutos refrigerados e embalados apresentaram maior firmeza ao longo das avaliações quando comparados àqueles mantidos sob temperatura ambiente. Concluiu-se, portanto, que o ponto ideal de colheita dos frutos da abóbora Mini Jack se dá aos 10 DAA. E que o armazenamento refrigerado (5ºC) foi eficiente para a manutenção da qualidade dos frutos de abobora Mini Jack.

  • VANDERSON DOS SANTOS PINTO
  • Progênies de meios-irmãos de erva-baleeira (Varronia curassavica Jacq.): extrato aquoso, óleo essencial, rebrota, colheita em duas épocas e atividade antiprotozoária sobre Ichthyophthirius multifiliis.
  • Orientador : ARIE FITZGERALD BLANK
  • Data: 28/03/2022
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A erva baleeira (Varronia curassavica Jacq.) é uma planta medicinal e aromática nativa do Brasil e, pode ser encontrada em diversas regiões do país. Seu óleo essencial é utilizado na fabricação de fármacos e fitoterápicos. O seu grupo químico (E)-cariofileno/viridiflorol possui atividade antiprotozoária sobre a espécie Ichthyophthirius multifiliis, causador da doença de “pontos brancos” em peixes e camarões. Visando aumentar o teor e rendimento de óleo essencial e os teores de (E)-cariofileno/viridiflorol no óleo essencial, foi realizada um ciclo de seleção recorrente. Os objetivos do presente estudo foram: avaliar o perfil químico e a atividade antiprotozoária da água residual da hidrodestilação de acessos de V. curassavica sobre o I. multifiliis, caracterizar morfoagronômica e quimicamente progênies S1 de V. curassavica e avaliar a atividade antiprotozoária in vitro sobre I. multifiliis do óleo essencial de progênies promissoras, e avaliar a influência da época do ano sobre o teor, rendimento e composição química dos óleos essenciais de progênies S1 de V. curassavica. Os resultados do presente trabalho mostram que o resíduo gerado no processo de hidrodestilação do óleo essencial de V. curassavica é rico em substâncias fenólicas do grupo dos flavonoides e ácidos fenólicos, e apresenta toxicidade sobre o parasita I. multifiliis nas concentrações 150,46 mg L-1 (VCUR-202) e 121,67 mg L-1 (VCUR-503). Além disso, o método de seleção recorrente proporcionou a formação de dois grupos químicos, sendo observado altas concentrações de E-cariofileno e viridiflorol em 23 progênies pertencentes ao grupo II. Para os teores de óleo essencial foi verificada superioridade das progênies quando comparadas ao parental VCUR-503.

  • MARIA JOSÉ BRYANNE ARAUJO SANTOS
  • Avaliação do efeito protetor do ácido fítico contra o dano ao DNA induzido por estresse oxidativo.
  • Orientador : RICARDO SCHER
  • Data: 24/02/2022
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O dano oxidativo ao DNA resulta do processo ocasionado pela excessiva geração de espécies reativas de oxigênio (EROs). As fontes que geram essas EROs podem ser exógenas (como o tabagismo, radiação ionizante, poluentes do ar, pesticidas) e endógenas (processo de fosforilação oxidativa nas mitocôndrias). Estudos demonstram que o dano oxidativo ao DNA está relacionado a progressão de patologias como câncer, hipertensão, Parkinson, Alzheimer, aterosclerose e diabetes. O peróxido de hidrogênio (H2O2) é uma ERO que em interação com metais de transição, como Fe2+, produz um radical altamente reativo (•OH). Os antioxidantes naturais apresentam ação protetora contra o estresse oxidativo, eliminando as EROs. O ácido fítico (AF) ou mio-inositiol hexafosfato (IP6), é um composto natural encontrado em cereais, leguminosas e oleaginosas. A sua estrutura química confere a este composto uma característica de grande relevância, atuando como um antioxidante devido a sua propriedade quelante de íons, como por exemplo o ferro, inibindo assim a formação de radicais (•OH) via reação de Fenton. Considerando a atividade antioxidante do AF, o objetivo do presente trabalho foi avaliar o potencial antigenotóxico deste composto contra o dano oxidativo induzido pelo H2O2. Nos ensaios in vitro foram utilizados a linhagem celular L929 (fibroblastos de camundongo). Para a determinação da citotoxicidade do AF e do H2O2, foi utilizado o ensaio colorimétrico do MTT. O efeito antigenotóxico do AF foi analisado por duas metodologias distintas, o ensaio cometa alcalino e a análise da topologia de DNA plasmidial. Para a versão alcalina do ensaio cometa as células foram tratadas com as três concentrações de AF (1000, 100 e 10 ug/mL) por 24 horas, seguida de incubação com H2O2 (75 uM) por 30 minutos. Como controle positivo as células foram expostas somente ao agente oxidativo (H2O2 75 uM). A análise dos nucleoides foi realizada por score visual e foi calculado o percentual de dano com base no número de nucleoides em cada uma das classes, a saber: classe 0 (DNA íntegro); classe 1 (cauda mais curta que o diâmetro da cabeça); classe 2 (cauda com 1 ou 2x o diâmetro da cabeça); classe 3 (cauda maior que 2x o diâmetro da cabeça). Para a identificação de modificações na topologia do DNA, 150 ng do plasmídeo pET28a foram incubados com AF (nas três concentrações) na presença de FeSO4 (100 uM) e H2O2 (0,66%). Como controle positivo foi utilizado o quelante de ferro, Deferoxamina (200 ug/mL). As diferentes conformações estruturais do DNA: Forma I (DNA superenrolado); Forma II (DNA circular relaxado) e Forma III (DNA linear) foram separadas por eletroforese, quantificadas e analisadas pelo programa ImageJ. De acordo com os resultados do teste do MTT, foram escolhidas as concentrações do AF e do H2O2 que apresentaram viabilidade celular superior a 70% e 50%, respectivamente. Os resultados do ensaio cometa mostraram que nas três concentrações testadas do AF houve um percentual de proteção ao DNA de 87%, 98% e 99%, respectivamente, em relação ao controle positivo que apresentou uma elevação significativa de dano ao DNA (151%). No ensaio de topologia de DNA foi evidenciado as três concentrações de AF inibiram respectivamente, 18%, 16% e 33% a clivagem do DNA na forma II induzida pela via de Fenton. Embora outros estudos sejam necessários, como por exemplo, a atividade antimutagênica, estes resultados revelam que, nas concentrações testadas, o ácido fítico protege o DNA contra quebras induzidas pelo estresse oxidativo, demonstrando assim ser um composto antioxidante de ação antigenotóxica que pode estar relacionado a prevenção e/ou diminuição na incidência de patologias.


  • NATIELLI CONCEIÇÃO SANTOS
  • Bioatividade de óleos essenciais de Croton grewioides e seus compostos majoritários: toxicidade sobre Chrysodeixis includens e seletividade sobre o predador Podisus nigrispinus
  • Orientador : LEANDRO BACCI
  • Data: 24/02/2022
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Os bioinseticidas obtidos a partir de óleos essenciais de plantas têm se tornado uma alternativa no controle de insetos-praga, uma vez que parecem ser seguros ao meio ambiente quando comparados a inseticidas organossintéticos convencionais. Porém, muitas abordagens sobre esse assunto são realizadas sem levar em consideração os efeitos seletivos destes compostos sobre organismos não-alvo. Assim, o presente estudo teve como objetivo avaliar os efeitos letais e subletais do óleo essencial de Croton grewioides (CGR126 e CGR112), e de seus compostos majoritários eugenol e metil eugenol sobre a lagarta falsa-medideira, Chrysodeixis includens, e sobre o percevejo predador Podisus nigrispinus. Para isso, foram conduzidos experimentos em laboratório para avaliar a suscetibilidade dos organismos por meio de curvas de dose-mortalidade, onde foram utilizados grupos de doze lagartas de segundo instar de C. includens e grupos de dez ninfas de terceiro instar de P. nigrispinus. As avaliações foram realizadas após 72h da montagem dos experimentos. Para avaliar as curvas de sobrevivência e o tempo letal necessário para matar 50% da população (TL50), lagartas de segundo instar foram submetidas às DL90 dos tratamentos obtidas nos bioensaios. Os dados de mortalidade de C. includens e de P. nigrispinus foram submetidos à análise de Probit. As análises de sobrevivência foram realizadas usando os estimadores de Kaplan-Meier utilizando o teste de Log-Rank. Os óleos essenciais de C. grewioides (CGR126 e CGR112), o metil eugenol e o eugenol foram tóxicos para lagartas de C. includens e ninfas de P. nigrispinus. As doses necessárias para ocasionar 50% de mortalidade em cada espécie variaram de 4,65 a 8,82 mg/g e 1,22 a 4,45 mg/g, respectivamente. A sobrevivência das lagartas de C. includens expostas às DL90 dos tratamentos foi significativamente reduzida ao longo do tempo. O eugenol foi o composto mais tóxico para as lagartas de segundo instar, seguido do óleo essencial CGR126. Os tempos letais estimados para os óleos essenciais ocasionarem mortalidade em 50% da população de C. includens foram inferiores a 15 horas. Houve seletividade do óleo essencial CGR126 nas doses letais acima de 90%. Embora os tratamentos tenham mostrado pouco efeito sobre o desenvolvimento de P. nigrispinus, a massa corporal e os parâmetros reprodutivos foram negativamente afetados, com exceção do óleo essencial CGR126. O óleo essencial de C. grewioides CGR126 pode representar uma fonte promissora para ser utilizada na síntese de novos inseticidas, que apresentem eficiência contra C. includens e ao mesmo tempo sejam mais seguros para o inimigo natural P. nigrispinus.

  • GILMÁRIO DANTAS DA SILVA
  • Tenebrio molitor (Coleoptera: Tenebrionidae) no enriquecimento nutricional para a produção de alimentos.
  • Orientador : GENESIO TAMARA RIBEIRO
  • Data: 24/02/2022
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A entomofagia consiste no consumo de inseto pelos seres humanos e é uma prática comum em diversos países, principalmente em asiáticos como a China. O eminente crescimento exponencial da população mundial, é necessário desenvolver tecnologias capazes de aumentar a produtividade das culturas, sem entretanto, causar impactos socioambientais significativos. Dentre essas tecnologias, inclui-se as fontes alternativas de alimentos, como os insetos comestíveis. O objetivo desse trabalho foi avaliar uma alternativa de fonte proteica a partir da elaboração de “carne” de hambúrguer, proveniente de Tenebrio molitor (Coleoptera: Tenebrionidae). Neste contexto, foram estudadas as características físico-química da tecnologia, desenvolvida a partir do mix de carne bovina + farinha de T. molitor. Para tanto, foram quantificados o teor de PB (proteína bruta), determinação de umidade, gorduras, PH, cor instrumental, percentual de redução de diâmetro, capacidade de retenção de água, conteúdo mineral e microbiológico. Os resultados encontrados foram positivos, evidenciando ganhos significativos com a implementação de “carne” de hambúrguer enriquecida com proteína de T. molitor, na alimentação humana, como fonte alternativa proteica e energética. A pesquisa apontou ser possível enriquecer a carne bovina com biotecnologia da farinha de T. molitor.

  • SARA DAYAN DA SILVA OLIVEIRA
  • CONSERVAÇÃO, CARACTERIZAÇÃO E ATIVIDADE BIOLÓGICA DE Croton grewioides Baill
  • Orientador : MARIA DE FATIMA ARRIGONI BLANK
  • Data: 21/02/2022
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Croton grewioides Baill. conhecida como “alecrim-de-cabocla” ou “canelinha”, é uma espécie aromática e medicinal amplamente utilizada na medicina popular com diferentes atividades biológicas comprovadas. Este trabalho teve como objetivos a caracterização genética, morfológica e avaliação da atividade antifúngica dos óleos essenciais de C. grewioides sobre fungos fitopatogênicos in vitro. Para avaliar a diversidade e estrutura genética e selecionar genótipos para compor a coleção da espécie em um Banco Ativo de Germoplasma (BAG) foram utilizados marcadores SNP. Foram amostrados genótipos de duas populações localizadas no estado da Bahia e Sergipe. Para a caracterização morfológica foram foi utilizado 29 indivíduos preservados no BAG de Plantas Medicinais e Aromáticas da UFS. Para investigar o potencial biológico dos óleos essenciais e compostos majoritários de C. grewioides foram utilizados os métodos de inibição do crescimento micelial e inibição da germinação de esporos dos fungos Colletotrichum musae e Fusarium solani in vitro utilizando diferentes concentrações dos óleos essenciais de C. grewioides. A partir das análises de diversidade genética foi possível estimar a heterozigosidade observada e esperada Ho 0,211 < He 0,225), Índice de Shannon (I: 0,357), coeficiente de endogamia (f: 0,056) e número de alelos exclusivos (BA: 1296 e SE: 799). A análise de variância molecular (AMOVA) revelou maior variação genética dentro das populações e a análise descriminante de componentes principais (DAPC) permitiu a separação dos genótipos de acordo com a população de origem (BA-SE). Foram selecionados 13 genótipos da população SE e 17 da população BA para compor a coleção da espécie. As variáveis morfológicas demonstraram haver variabilidade entre os acessos, com formação de quatro grupos. Os óleos essenciais de C. grewioides foram eficazes no controle micelial, demonstrando efeitos inibitórios e fungicidas e inibindo a germinação de esporos de C. musae e F. solani. Dentre os compostos majoritários dos óleos essenciais de C. grewioides o eugenol apresentou os melhores resultados nas atividades testadas. Os resultados da diversidade e estrutura genética neste estudo fornecem informações essenciais para o delineamento de estratégias de conservação e uso da espécie, evidenciando a necessidade de conservação de genótipos prospectados nos dois Estados, devido a maior proporção da variação genética estar contida dentro das populações e a moderada estruturação genética entre elas. Os óleos essenciais de C. grewioides demonstram ser promissoras alternativas no controle dos fitopatógenos C. musae e F. solani.

  • MARIA FERNANDA OLIVEIRA TORRES
  • ALTERAÇÕES DE PAISAGEM NA REGIÃO DO BAIXO SÃO FRANCISCO E ESTRATÉGIAS PARA A RESTAURAÇÃO AMBIENTAL.
  • Orientador : ROBERIO ANASTACIO FERREIRA
  • Data: 07/02/2022
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Na região hidrográfica do Baixo São Francisco, na região Nordeste do Brasil, há ausência de informação sobre os efeitos das constantes alterações ambientais causadas pelas variações climáticas e antrópicas. A fim de preencher essa lacuna se faz necessário o monitoramento ambiental e ações mitigatórias visando entender as alterações geoambientais e a sua dinâmica evolutiva no tempo. Assim, analisou-se as modificações de uso e ocupação do solo, desenvolvimento vegetacional (por NDVI) e métricas da paisagem em trecho de Área de Preservação Permanente por imagens de satélite do Sentinel 2A. A área estudada possui 596 ha e mais de 60% de mata ciliar está degradada. Os fragmentos florestais relevantes encontram-se distantes e com pouca ou nenhuma conectividade, o que permite inferir sobre os riscos à diversidade genética, tanto local quanto regionalmente, em relação aos recursos autóctones. Em um segundo estudo, analisou-se as modificações geomorfológicas na calha do rio São Francisco, localizada próximo a sua foz via MNDWI, e as alterações da margem esquerda da área abordada, entre os anos de 1986 e 2020, utilizando imagens dos satélites Landsat 5 e 8. Na região as áreas sedimentadas acima do nível das águas do rio, ocupam um total de 10,64 km2, 22% a mais considerando o marco temporal de início da avaliação (1986). O Rio São Francisco perdeu aproximadamente 20% do seu território e está perdendo profundidade, devido ao possível aporte de sedimentos na sua calha. Os dados de chuva e vazão apresentam correlação positiva com os valores de MNDWI; e negativa para os de sedimentação. A variação da margem estudada mostra um avanço de cerca de 86,36 m rio adentro, para cada transecto. Em um terceiro estudo, avaliou-se o estágio de recuperação de uma área de mata ciliar sob processo de restauração florestal após 18 anos, por meio da análise de cobertura do solo e indicadores ecológicos de restauração. A análise temporal da paisagem indicou que no ano de 2010 a área do plantio se encontrava 100% coberta de vegetação densa. Na chuva de sementes foram observadas a presença de 1.198 propágulos, pertencentes a 27 espécies distintas. O banco de sementes apresentou somente espécies de hábito arbóreo. No banco de plântulas foram registradas 28 famílias botânicas e 57% dos indivíduos são pertencentes a estrutura arbórea-arbustiva da floresta. O incremento de biomassa, Gpp e características de fertilidade do solo melhoraram ao longo do tempo, com as ações de recuperação. A área está reestabelecendo suas funções ecológicas. Consequentemente, na região ocorrem alterações em níveis florestais, hidrológicos e morfológicos. A calha do Rio São Francisco responde a qualquer alteração ambiental. O reflorestamento realizado na área de mata cilicar trouxe benefícios a região e pode servir como modelo para futuros projetos de recuperação. A metodologia se apoiou na estratégia de verificar o estágio de conservação da região no aspecto florestal e geomorfológico e pode ser aplicada para avaliar regiões com características fisiográficas semelhantes.

  • TAISE CONCEIÇÃO RODRIGUES
  • CARACTERIZAÇÃO QUÍMICA E ATIVIDADE ANTIMICROBIANA DE ÓLEOS ESSENCIAIS DE Croton grewioides Baill. SOBRE O FITOPATÓGENO Xanthomonas campestris pv. campestris
  • Orientador : MARIA DE FATIMA ARRIGONI BLANK
  • Data: 31/01/2022
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Croton grewioides Baill. (velaminho-da-serra) é uma espécie endêmica da região Nordeste do Brasil e ocorre nos estados de Alagoas, Bahia, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Sergipe. É uma espécie aromática, produtora de óleo essencial que apresenta propriedades bioativas, incluindo atividade antioxidante, antifúngica e inseticida. Os Bancos de Germoplasmas (BAGs) apresentam suma importância para a conservação da variabilidade genética de espécies aromáticas. A caracterização química dos acessos presentes no BAG auxilia na prospecção de compostos bioativos e no delineamento de programas de melhoramento. A atividade antimicrobiana e a eficácia dos óleos essenciais de espécies do gênero Croton têm sido estudados devido a diversidade da composição química observada para o gênero. O objetivo do trabalho foi realizar a caracterização química dos óleos essenciais dos acessos de Croton grewioides Baill. do Banco Ativo de Germoplasma de Plantas Medicinais e Aromáticas da UFS, e avaliar a atividade antibacteriana in vitro sobre Xanthomonas campestres pv. campestri. Os óleos essenciais dos 29 acessos de C. grewioides foram extraídos pelo método da hidrodestilação e analisados por Cromatografia Gasosa Acoplada a Espectrometria de Massas (CG/EM) e CG/DIC. Para a determinação das Concentrações Inibitória Mínima (MIC) e Bactericida Mínima (MBC) dos óleos essenciais foi utilizado o método de microdiluição em placas de 96 poços. As concentrações dos óleos essenciais variaram de 125 µg.mL-1 a 4000 µg.mL-1. Como controle positivo utilizou-se a streptomicina (12,5 a 100 µg.mL-1). A cinética de crescimento foi avaliada para diferentes concentrações do óleo essencial (2×, 1×, ½×, ¼× e 1/8× MIC) considerando os tempos: 5, 10, 15, 30, 45, 60, 90, 120, 180, 240, 300 e 360 min. No ensaio da permeabilidade da membrana com Iodeto de Propídio (PI), as bactérias foram expostas ao óleo essencial nas mesmas concentrações e tempos descritos anteriormente. Os compostos majoritários identificados nos óleos essenciais analisados foram eugenol e metil eugenol. O óleo essencial CGR 108 apresentou MIC de 1000 µg.mL-1, enquanto que a MBC foi de 2000 µg.mL-1. Os valores de MIC e MBC para o óleo CGR 107 foi de 2000 µg.mL-1, e para o óleo CGR 125 foi de 4000 µg.mL-1. Para os demais óleos essenciais não se verificou atividade bactericida nas concentrações testadas. Na cinética de crescimento, para o óleo essencial CGR 108, a partir do tempo 5 minutos foi observado aumento da densidade óptica para as concentrações 1/2 x, 1/4 x e 1/8 x MIC. Não foi observado aumento da densidade óptica para as concentrações 2 x e 1 x MIC. A maior intensidade de fluorescência com o PI foi observada quando as bactérias foram expostas as concentrações 2 x e 1 x MIC durante 5 minutos. Os óleos essenciais de C. grewioides apresentam potencial antibacteriano contra Xanthomonas campestres pv. campestres.

  • JÉSSIKA ANDREZA OLIVEIRA PINTO
  • Análises química, antioxidante e citotoxicidade em linhagens tumorais de germoplasma de Eplingiella fruticosa
  • Orientador : MARIA DE FATIMA ARRIGONI BLANK
  • Data: 28/01/2022
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A Eplingiella fruticosa é uma planta aromática da família Lamiaceae conhecida como “alecrim-de-vaqueiro”. Seu uso popular tem despertado interesse da comunidade científica quanto as possíveis propriedades farmacológicas envolvidas, e os efeitos anti-hiperalgésico, antinociceptivo, anti-inflamatório, vasodilatador e contra doenças neurodegenerativas já foram atribuídos ao seu óleo essencial e extratos. O objetivo deste trabalho foi investigar as variações nos perfis químicos e atividades antioxidante e citotoxicidade de óleos essenciais e extratos (aquoso, etanólico e etanólico hidrodestilado) das folhas de seis populações nativas E. fruticosa. Os óleos essenciais foram extraídos por hidrodestilação e analisados por CG/EM-DIC. Os extratos foram analisados por CLAE. A atividade antioxidante dos óleos essenciais e extratos foram testadas por diferentes ensaios (DPPH, ABTS, β-caroteno e FRAP) e a atividade citotóxica foi feita pelo ensaio SRB. Os compostos, α-pineno, β-pineno, 1,8-cineol, cânfora, borneol, δ-elemeno, α-cubebeno, α-ylangeno, (E)-cariofileno, germacreno D, biciclogermacreno, trans-calameneno, espatulenol, óxido de cariofileno e viridiflorol, foram encontrados em maior quantidade nos óleos e a quercitrina foi identificada nos extratos. As plantas apresentaram efeitos fracos em termos de atividade antioxidante com o óleo essencial. O ensaio DPPH variou 84,89% a 75,62% nos extratos aquosos, 25,42% a 11,94% nos extratos etanólicos e 17,63% a 10,46% nos extratos etanólicos hidrodestilados entre as populações. Os resultados do ABTS+ foram superiores em Pirambu (85,21%) e Moita Bonita (81,87%) no extrato aquoso. O FRAP foi maior para a amostra de Pirambu com 784,06 µM.mL-1 com o mesmo extrato. O óleo essencial mostrou toxicidade significativa para as linhagens A549 (51,00% % da viabilidade celular) na população de Japaratuba e B16F10 (64,94,6% da viabilidade celular) em Malhada dos Bois. Já para os extratos, as populações de Japaratuba, São Cristóvão e Itaporanga d’Ajuda do extrato etanólico apresentaram as maiores atividades inibitórias com 90,63%, 90,53% e 88,47% para a linhagem C6 e o extrato etanólico hidrodestilado da população de Japaratuba apresentou alta inibição de crescimento em A549 (87,17% da viabilidade celular) e C6 (72,83% da viabilidade celular). As observações deste estudo mostraram que E. fruticosa pode ser uma fonte significativa de compostos naturais importantes do ponto de vista medicinal.

  • LUCAS KAUAN NASCIMENTO DE SANTANA
  • Efeitos de óleos essenciais sobre abelhas nativas Nannotrigona testaceicornis e Trigona spinipes (Hymenoptera: Apidae) e o percevejo predador Podisus nigrispinus (Heteroptera: Pentatomidae)
  • Orientador : GENESIO TAMARA RIBEIRO
  • Data: 21/01/2022
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A utilização de inseticidas botânicos no controle de insetos-praga tem se constituído como umaalternativa de menor impacto ambiental, diante do menor valor residual e potencial seletividade àorganismos que não são alvo de controle. Entretanto, assim como produtos sintéticos, estescompostos podem causar alterações em atributos biológicos de insetos úteis, como polinizadores epredadores. Neste contexto, o objetivo deste estudo foi avaliar a toxicidade de inseticidas botânicose sintético sobre abelhas polinizadoras (Nannotrigona testaceicornis e Trigona spinipes) e sobre umpercevejo predador (Podisus nigrispinus), determinando as concentrações letais (CL50 e CL90) eTempo Letal (TL50 e TL90). Os experimentos foram realizados no Laboratório de Entomologia Florestal(LEFLO). Nos ensaios de toxicidade sobre abelhas nativas, foram consideradas duas vias de exposição(contato e ingestão) e sobre o percevejo predador (P. nigrispinus), apenas a via de exposição porcontato. A aplicação tópica foi na região do pronoto de cada inseto e nos testes de ingestão, as abelhasforam previamente submetidas à um período de jejum, de modo a induzir a alimentação, antes dofornecimento das dietas utilizando solução de sacarose + óleo essencial. As aplicações foramperiódicas, observando a influência no comportamento ou mortalidade dos insetos. Os resultadosevidenciaram que os inseticidas botânicos apresentaram menor toxicidade aos insetos úteis quandocomparados ao inseticida sintético (Deltmetrina), sendo observada maior toxicidade sobre as abelhasN. testaceicornis e T. spinipes em comparação com o percevejo predador P. nigrispinus, indicando quea utilização de inseticidas botânicos pode causar danos à insetos não-alvo, se aplicados de formainadequada.

2021
Descrição
  • JULIO CONSTANTINO JERÍ MOLINA
  • Qualidade do sêmen de carneiros Santa Inês baseada em índices bioclimáticos e avaliação de protocolos de congelação.
  • Data: 30/11/2021
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A ovinocultura é uma atividade socioeconômica importante em países tropicais, mas sua produção no âmbito atual das mudanças climáticas depende da eficiência no manejo e uso de biotecnologias reprodutivas, neste sentido o estudo teve como objetivos: i) identificar a melhor época do ano para a colheita de sêmen natura a ser criopreservado e, ii) determinar o efeito da interação entre extensores e taxas de congelação sobre a qualidade do sêmen descongelado de carneiros. Foram estudadas as relações entre índices bioclimáticos que medem o estresse térmico e os parâmetros reprodutivos (PR) de carneiros criados no Nordeste brasileiro. Os índices de Temperatura e Umidade (ITU), Temperatura Equivalente (ITE), Temperatura de Globo Negro e Umidade (ITGU), e Conforto Térmico (ICT) foram calculados considerando o período prévio da espermatogênese (P45) e trânsito dos espermatozoides pelo epidídimo (P15), no primeiro (Q1), segundo (Q2) e terceiro (Q3) quadrimestre do ano. Os piores PR de cinética espermática foram encontrados no Q1 em relação a Q2 e Q3 (p<0.05). Todos os índices avaliados apresentaram relação antagônica com a maioria dos PR. O o ITGU e ICT apresentaram relação negativa com as velocidades curvilínea, linear e do percurso médio (VCL, VSL e VAP), e positiva com espermatozoides lentos no P45 e P15. O ITGU e ICT classificaram o ambiente de maneira mais coerente com o comportamento da cinética espermática, que foi afetada quando no P45 e P15 estes índices ficaram acima de 83 e 41 respectivamente, considerados níveis perigosos e de desconforto nos ovinos. Também foram estudados os efeitos da interação entre, extensores a base de lecitina de soja (LS) nas concentrações de 0,5 a 2,0% e de gema de ovo a 20% e, três taxas de congelação (TC) de 10, 20 e 60 °C/min sobre os parâmetros espermáticos (PE) no sêmen pós descongelação. As análises dos PE dentre elas sistema computorizado de análise de sêmen, a citometria de fluxo, e técnicas de fluorescência permitiram identificar que as amostras provenientes da interação gema de ovo a 20% e a taxa de congelação de 60 °C/min apresentaram maiores percentagens de espermatozoides com melhores parâmetros cinéticos, não-apoptóticos com membrana íntegra, não-capacitados, e menores com acrossomo reagido, desmostrando que esta interação protege melhor os espermatozoides no sêmen de carneiros submetidos a congelação. Com base nos resultados do estudo podem ser usadas estratégias de melhoria da qualidade do sêmen congelado de carneiros, colhendo-se e congelando-se o sêmen entre o segundo e terceiro quadrimestre do ano e utilizando-se o extensor a base de gema de ovo a 20% associado à taxa de congelação de 60 °C/min.

  • VALDINETE VIEIRA NUNES
  • Estudos genéticos-genômicos em Hancornia speciosa Gomes: árvore medicinal e frutífera nativa da América do Sul
  • Orientador : RENATA SILVA MANN
  • Data: 25/10/2021
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Hancornia speciosa é uma árvore frutífera e medicinal nativa da América do Sul, no Brasil compõe a lista de plantas prioritárias para o desenvolvimento de pesquisas. Nesse contexto, o presente estudo teve como objetivos: i) mapear o estado da arte por meio de artigos, patentes e dados moleculares da espécie visando elencar perspectivas para novas pesquisas; ii) avaliar a variabilidade fenotípica de frutos, sementes e plântulas e estimar a diversidade genética em população natural de Sergipe visando fornecer informações que contribuam para a conservação e melhoramento genético; e iii) adotar uma abordagem integrada da modelagem de distribuição de espécies (MDE) e genômica populacional, para investigar a distribuição ecológica e diferenciação genética de populações naturais do Nordeste e Centro-Oeste. Foram avaliados a produção científica, tecnológica e disponibilidade de dados moleculares em bancos públicos. Variáveis fenotípicas dos frutos, sementes e plântulas foram mensuradas e a diversidade genética estimada por marcadores ISSR. A partir de registros de ocorrências e variáveis bioclimáticas usando a MDE foram identificadas áreas de maior adequabilidade e amostradas seis populações naturais. Que foram genotipadas por sequenciamento para análise da diversidade e estrutura genômica. O Brasil é o país de origem das 310 publicações e 29 patentes, que foram produzidas majoritariamente por pesquisadores afiliados a universidades públicas. Os dados moleculares disponíveis em bancos públicos são sequências de nucleotídeos e proteínas do genoma cloroplastidial. 53,21% dos frutos apresentam diâmetro longitudinal entre 27,5 e 35 mm e o transversal 63,15% dos frutos estão entre 24,5 e 35 mm. As sementes apresentaram valores médios de comprimento, largura e espessura de 9,98 mm, 8,21 mm e 3,97 mm, respectivamente. As plântulas com parte aérea variando entre 3,0 a 8,5 cm, comprimento da raiz de 4,0 a 15,8 cm e massa seca de 80 a 103 mg.plantula-1. As estimativas genéticas foram He = 0,40, I = 0,50, Na = 2,0, Ne = 1,71 e 55,29 de similaridade. De acordo com a MDE, áreas com maior adequabilidade (0,75 a 1,00) estão situadas na Mata Atlântica (litoral nordestino) e Cerrado (Brasil central). Foram identificados 5.046 SNPs (4.691 neutros e 355 outliers). As análises genômicas baseadas em SNPs neutros revela diversidade moderada, excesso de heterozigotos (f = -0,122 a -0,066) em todas as populações e 343 alelos privados. Maior variação genética ocorre dentro das populações (64%), a diferenciação genética entre as populações do Nordeste e Centro-Oeste são altas (Fst = 0,385 a 0,544) e a estrutura genômica é baseada em dois grupos bem definidos e fortemente associados à origem geográfica. A compilação e análise das informações científicas, tecnológicas e moleculares realizadas neste trabalho permite identificar as linhas de pesquisas desenvolvidas, as lacunas do conhecimento sobre a espécie e contribui para direcionar novas pesquisas. A população de Sergipe apresenta alta diversidade genética e variabilidade fenotípica com potencial para fornecer propágulos para o enriquecimento de populações naturais e restauração florestal. Com base nos resultados a diferenciação genômica entre populações do Nordeste e Centro-Oeste se deve ao isolamento pela distância. SNPs outiliers podem ser o ponto de partida para estudos de adaptação local.

  • VANCLEBER BATISTA DOS SANTOS
  • Atratividade de formigas cortadeiras por resíduos da produção do suco de laranja: uma alternativa a produção de iscas formicidas
  • Orientador : GENESIO TAMARA RIBEIRO
  • Data: 29/07/2021
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • As formigas cortadeiras do gênero Atta, popularmente denominadas saúvas, pertencem à tribo
    Attini e família Formicidae. São insetos sociais que se caracterizam por viver em ninhos
    subterrâneos, constituído de numerosas câmaras e galerias, abrigando milhares de formigas em
    seu interior. Esses insetos se destacam como principais pragas no setor agrícola e
    principalmente florestal, acarretando a necessidade de controle. O controle químico utilizando
    iscas formicidas é o mais utilizado, devido a eficiência no controle e segurança para o aplicador
    e meio ambiente. No entanto, para que a isca seja eficiente, a atratividade é uma característica
    vital, pois é em função dela que as formigas irão carregar as iscas para o interior do ninho e a
    partir dai desencadear as etapas de ação para o controle. Atualmente o principal atrativo
    utilizado é a polpa cítrica desidratada, que quando misturada com o ingrediente ativo e óleo de
    soja refinado forma os pellets. Diante desse contexto, o objetivo desse trabalho foi avaliar
    diferentes atrativos com potencial a serem incorporados nas iscas formicidas. O trabalho foi
    desenvolvido no Laboratório de Entomologia Florestal (LEFLO), na Universidade Federal de
    Sergipe (UFS), em temperatura e umidade relativa controladas. Inicialmente foram ofertados
    os seguintes tratamentos (atrativos) via papel ofício: testemunha (água destilada), extrato
    aquoso de rosas (Rosa galica L.), dois tipos de resíduos provenientes da indústria de suco de
    laranja na concentração de 10% e a mistura desses dois resíduos. Uma arena foi confeccionada
    e acoplada nas colônias de Atta sexdens para executar o teste, onde foi avaliada a frequência
    das formigas em contato com os atrativos, primeiro contato e quantidade carregada. Observou-
    se que os resíduos da produção do suco de laranja se destacaram quanto a atratividade. A partir
    disso, foram selecionados e produzidos uma isca formicida, sem ingrediente ativo, utilizando
    um material derivado da celulose e avaliado os seguintes parâmetros: primeiro contato, início
    de carregamento, tempo de carregamento e quantidade carregada. Constatou-se que os atrativos
    derivados da produção do suco de laranja têm potencial para serem incorporados nas iscas
    formicidas por conferir atratividade às formigas cortadeiras. Além disso, comprovou-se que o
    material derivado da celulose também pode ser uma alternativa aos testes em laboratório, como
    inerte, bem como na formulação de iscas formicidas.

  • CAROLINE ALVES SOARES
  • Aproveitamento da água residual do processo de hidrodestilação de Lantana camara L.
  • Orientador : MARIA DE FATIMA ARRIGONI BLANK
  • Data: 29/07/2021
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Lantana camara, comumente conhecida no Brasil como chumbinho, é um arbusto aromático e medicinal que possue ação antibacteriana, antifúngica, antiprotozoária, inseticida, antioxidante, analgésica e anti-inflamatória. Suas propriedades terapêuticas estão relacionadas aos compostos ativos presentes no seu óleo essencial. Após o processo de extração por hidrodestilação, devido ao baixo rendimento de óleo essencial dessa espécie dá-se a formação exacerbada de resíduos. Embora esses resíduos sejam descartados, eles podem apresentar ricas moléculas biologicamente ativas, as quais poderão ser uteis na forma de insumo para outros processos que demandem esses compostos. O objetivo do presente estudo foi avaliar a atividade antiprotozoaria sobre Phytomonas serpens do resíduo da hidrodestilação de folhas de L. camara. O perfil químico da amostra coletada após a extração dos óleos essenciais das folhas de chumbinho foi determinado por HPLC, e em adição foi avaliado o efeito do resíduo na integridade da membrana de P. serpens, assim como os níveis de produção de espécies reativas a oxigênio (EROs) e da despolarização do potencial mitocondrial. A viabilidade celular do parasito diminuiu conforme as concentrações dos resíduos liofilizados (RLs) aumentaram. Os valores de IC50 obtidos para os quatros RLs de L. camara foram: 13,68 μg/mL (RL038); 17,50 μg/mL (RL017); 35,16 μg/mL (RL025); 43,69 μg/mL (RL033). O Resíduo Liofilizado do acesso LAC-038 (RL038) afetou a proliferação de P. serpens em todas as concentrações avaliadas sendo as concentrações de 50 µg/mL e 100 µg/m do resíduo reduziram de forma acentuada a densidade celular das formas promastigotas. As análises de citometria de fluxo e espectrofluorimetria demonstraram que o RL038 nas concentrações avaliadas não afetarou a integridade da membrana plasmática Os níveis de EROs aumentaram em aproximadamente 2x e 3x nas concentrações de 120 µl/mL e 180 µl/mL do RL038, respectivamente. Células tratadas com as mesmas concentrações do residuo mostraram redução no potencial mitocondrial, em comparação com as células não tratadas. Essas concentrações reduziram a fluorescência em 44,6% (IV= -0,446) e 46,8% (IV= -0,468), respectivamente. Essa redução não difereu estatísticamente do controle positivo que foi de 56,0% (IV= -0,560). E a partir da cromatografia liquida analítica do resíduo foi possível observar a presença de 17 picos que posteriormente foram classificados como ácidos fenólicos e flavonoides. Assim indicando que os resíduos da hidrodestilação das folhas de Lantana camara podem ser provedores de moléculas eficientes para a formulação de bioprodutos para o controle de parasitas como a P. serpens.

  • FLÁVIA ALVES LUDUVICE
  • COMPORTAMENTO AGRONÔMICO DE GENÓTIPOS DE BANANEIRA NO AGRESTE SERGIPANO
  • Data: 29/07/2021
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • No Brasil, a bananicultura possui importância econômica e é a base da alimentação de grande parte da população. A necessidade de genótipos com elevado potencial produtivo, resistência ou tolerância às principais enfermidades, fácil manejo, boa adaptação edafoclimática e atendimento às exigências do mercado consumidor é cada dia maior. Desta forma, o desenvolvimento de novos genótipos com potenciais características morfoagronômicas de interesse comercial e capazes de se adaptarem em diversas regiões com peculiaridades edafoclimáticas, se tornou um desafio para programas de melhoramento genético da cultura. O objetivo deste trabalho foi avaliar características agronômicas de genótipos de bananeira em três ciclos de produção nas condições edafoclimáticas do Agreste Sergipano. O experimento foi realizado em blocos ao acaso com 22 tratamentos (genótipos) e três repetições, sendo cada parcela formada por seis touceiras e a parcela útil por quatro touceiras. Os genótipos foram avaliados quanto às variáveis: altura da planta; diâmetro do pseudocaule; número de folhas vivas na floração e na colheita; ciclo de formação do cacho da floração à colheita; número de pencas por cacho e de frutos; massa do fruto e do cacho; número de perfilhos e diâmetro do fruto. Os genótipos FHIA-23, PA- 9401, Bucaneiro, Pacovan, Pacovan Ken e Prata Anã apresentaram as maiores alturas e circunferências, e os genótipos Grande Naine e PV-7934 o porte mais baixo. Os maiores números de folhas vivas na floração foram observados nos grupos Mysore, Prata e Cavendish, respectivamente, e na colheita nos grupos Mysore, Prata, Gros Michel, Cavendish e Maçã. O genótipo Thap Maeo foi o mais produtivo em todos os ciclos e os grupos Prata, Cavendish, Gros Michel e Caipira no segundo ciclo. O mesmo comportamento foi observado para a massa e número de pencas. Para a variável número de frutos por cacho, os genótipos Thap Maeo e Caipira se destacaram, já para o número de frutos por penca, além destes, o FHIA-23 obteve bons resultados no primeiro e terceiro ciclos de produção. Para a massa do fruto, os melhores grupos foram o Prata e Gros Michel, e para o diâmetro do fruto, foram os grupos Prata, Maçã e Mysore. Quanto ao número de perfilhos, os maiores resultados foram obtidos no Prata, Caipira e Mysore. Os genótipos Thap Maeo e Caipira e os grupos Prata, Cavendish, Gros Michel, apresentam características agronômicas promissoras podendo ser incorporados ao sistema produtivo e recomendados para o cultivo no estado de Sergipe.

  • HELOISA SAFIRA SANTOS PINHEIRO
  • Atividade inseticida do óleo essencial de Cymbopogon spp. (Poaceae), em operárias e colônias de Atta sexdens (Formicidae: Attini)
  • Orientador : GENESIO TAMARA RIBEIRO
  • Data: 27/07/2021
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • As formigas cortadeiras (Formicidae: Attini) são insetos desfolhadores que se destacam como uma das
    mais importantes pragas na região Neotropical, pois causam danos as culturas agrícolas e florestais. Além
    da sua abundância e ampla distribuição, as formigas cortam partes frescas das plantas para servirem de
    substrato para o fungo simbiótico que elas cultivam. O uso de iscas tóxicas granuladas representa,
    atualmente, o principal método de controle destes insetos-praga, que além dos problemas econômicos,
    sociais e ambientais causados pelos inseticidas organossintéticos, o número reduzido de ingredientes ativos
    recomendados e os requisitos dos certificadores florestais têm dificultado o manejo das formigas
    cortadeiras. O objetivo do presente trabalho foi avaliar a atividade inseticida e os efeitos subletais do óleo
    essencial de Cymbopogon citratus, Cymbopogon martinii e Cymbopogon nardus, em operárias de Atta
    sexdens, expostos à aplicação tópica por contato e fumigação, e a atividade inseticida via nebulização de
    Cymbopogon citratus em colônias de Atta sexdens. O trabalho foi conduzido no Laboratório de
    Entomologia Florestal (LEFLO) do Departamento de Ciências Florestais (DCF) da Universidade Federal
    de Sergipe (UFS), em São Cristóvão, estado de Sergipe. O óleo essencial de C. citratus apresentou
    atividade inseticida enquanto os óleos essenciais de C. martinii e C. nardus apresentaram atividade
    inseticida modesta tendo inclusive afetado o comportamento de caminhamento das operárias de A. sexdens.
    Todas as concentrações do óleo essencial de C. citratus via nebulização foram eficientes pois causaram a
    morte dessas colônias pela intoxicação das formigas e redução do fungo simbiótico, confirmando seu
    potencial inseticida contra as operárias e colônias de formigas cortadeiras de A. sexdens.

  • MATHEUS EMANNUEL OLIVEIRA VIEIRA
  • Alterações microbiológicas em um solo de Tabuleiros Costeiros sob diferentes sistemas de produção de milho integrado com UROCHLOA SPP.
  • Data: 26/07/2021
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Os microrganismos são agentes que desempenham importantes funções no solo como a decomposição da matéria orgânica e a ciclagem de nutrientes. Apesar desta importância há poucos trabalhos que avaliam o efeito de diferentes sistemas de produção de grãos no funcionamento e na estrutura da comunidade microbiana do solo na região dos Tabuleiros Costeiros. Por isso este trabalho teve como objetivo avaliar como os sistemas de produção de grãos afetam o funcionamento e a estrutura da comunidade microbiana do solo e a relação destes com a qualidade do solo. Para tal foram coletadas amostras de solo de 5 tratamentos: Plantio Direto de Monocultivo de Milho (MM), Plantio Milho em consórcio com Urochloa decumbes/ Soja (M+Ud/S), Milho em consórcio com Urochloa decumbes (M+Ud), Pasto com Urochloa decumbes (M+Ud/Ud/Ud) e pasto com Urochloa ruziziensis (M+Ur/Ur/Ur), ambos com 30 meses. Por meio destas amostras foram avaliadas a Qualidade do Solo (QS) (matéria orgânica do solo, densidade do solo, estabilidade de agregados, resistência mecânica a penetração e diâetro médio de agregados), o Funcionamento Microbiano do Solo (FMS) (respiração basal, carbono da biomassa microbiana e a atividade das enzimas fosfatase ácida, β-glicosidase, arilsulfatase e hidrólise de diacetato de fluoresceína) e a Estrutura da Comunidade Microbiana que foi determinada pelo método EL-FA e foram indentificados os grupos microbianos: Fungos Micorrízicos Arbusculares (FMA), Fungos Saprófitos (FUN), Bactérias Gram-Positivas (BGP), Bactérias Gram-Negativas (BGN) e Actinomicetos (ACT). Nossos resultados mostraram que os sistemas de produção de grãos afetam de maneira diferentes o FMS e a ECM, sendo que houve incrementos das enzimas e da respiração basal do solo nos tratamentos M+Ud, M+Ud/Ud/Ud e M+Ur/Ur/Ur, em contrapartida incrementos do carbono da biomassa microbiana foram observados nos sistemas MM e M+Ud/S, já em relação a ECM os sistemas M+Ud/Ud/Ud e M+Ur/Ur/Ur proporcionaram maiores incrementos para os grupos microbianos FMA, FUN e BGN enquanto que os tratamentos M+Ud, M+Ud/S e o MM promoveram maior abundância de BGP e ACT. O FMS e a ECM não tiveram relação com a QS. Diante dos resultados aqui encontrados, foi constatado que o uso de espécies de Urochloa e o seu maior tempo de permanência continuo nos sistemas de produção de grãos proporciona mudanças positivas no FMS e ECM nos solos dos Tabuleiros Costeiros.

  • FRANCE MÁRIO COSTA
  • ALTERAÇÕES NA QUALIDADE FÍSICA DO PERFIL DE UM SOLO DE TABULEIROS COSTEIROS SOB CULTIVO DE MILHO INTEGRADO COM UROCHLOA SPP. E ROTAÇÃO COM SOJA
  • Data: 22/07/2021
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo deste trabalho foi testar as hipóteses de que a qualidade física do solo em
    profundidade é alterada (i) pelo tempo de permanência continuada de Urochloa nos
    sistemas de produção do milho, (ii) pela inserção da soja em rotação no sistema de
    integração de milho e Urochloa, e (iii) pela espécie de Urochloa utilizada na integração.
    Para isso foram avaliados cinco tratamentos, que consistem em plantio direto de milho
    solteiro (M), integração de milho com Urochloa decumbens (M+Ud), rotação entre
    M+Ud com soja (M+Ud/S), M+Ud com permanência do pasto nos dois anos seguintes
    (M+Ud/Ud/Ud), e integração de milho com U. ruziziensis com permanência do pasto
    nos dois anos seguintes (M+Ur/Ur/Ur). Para quantificar essa influência foi avaliado a
    (VIB), resistência à penetração (RP), umidade e densidade do solo (DS), diâmetro
    médio de agregados (DMA), estabilidade de agregados (EAA), porosidade total (PT) e
    matéria orgânica do solo (MOS), sendo todas variáveis, exceto a VIB, determinadas nas
    profundidades de 0 – 10 cm; 10 – 20 cm e 20 – 40 cm. O experimento possui
    delineamento em blocos casualizados, em esquema de parcelas subdivididas. Os
    resultados obtidos foram submetidos (ANOVA) e regressão para análise univariada e
    ordenação NMS para análise multivariada gerando um resultado intitulado de qualidade
    do solo. O tempo de permanência da Urochloa influênciou positivamente na qualidade
    do solo ao longo do perfil do solo, principalmente de 0 – 10 cm. Ainda sobre o tempo
    de permanência, a RP reduziu ao longo do período avaliado, com comportamento
    similar, independente da profundidade avaliada. A inserção da rotação com soja
    (M+Ud/S) ou manutenção do consórcio (M+Ud) não diferiram com relação às
    propriedades físicas, enquanto que, as espécies de Urochloa não diferem entre si. A
    permanência da Urochloa no sistema melhora a qualidade do solo ao longo do perfil em
    solo dos tabuleiros costeiros.

  • ALEXANDRE PASSOS OLIVEIRA
  • FILME DE PARTÍCULA A BASE DE CÁLCIO NOS ASPECTOS ECOFISIOLÓGICOS E MORFOAGRONÔMICOS DA BATATA DOCE
  • Orientador : LUIZ FERNANDO GANASSALI DE OLIVEIRA JUNIOR
  • Data: 31/05/2021
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A agricultura familiar é a principal responsável pela produção de hortaliças, principalmente para mercados internos. Dentre as principais dificuldades da agricultura familiar, destacam-se a escassez de água, escassez de recursos financeiros e a assistência técnica insuficiente. Diante desta realidade, para promover a melhoria das condições de vida deste público, são necessárias alternativas que, com poucos recursos financeiros, possibilitem alcançar a segurança alimentar e a geração de trabalho e renda. A horticultura é uma das áreas mais exploradas pela agricultura familiar por possibilitar resultados expressivos e gerar renda em áreas pequenas. Dentre as principais hortaliças cultivadas está a batata-doce. Esta raiz tuberosa é uma hortaliça tropical e subtropical, de ciclo curta de produção (3 a 5 meses), de fácil cultivo, rústica, de ampla adaptação, com custo de produção relativamente baixo e com elevada capacidade de produção de biomassa. Esta planta apresenta uma multiplicidade de usos, podendo ir desde a alimentação humana, passando pela alimentação animal até a produção de etanol. Entretanto, a escassez de água, apesar desta hortaliça ser tolerante, pode ser fator primordial na sua produção e produtividade. Por ser um bem precioso à água vem se tornando alvo dos mais diversos estudos no que tange a escassez e principalmente por estar associada a temperaturas extremas e altas irradiâncias que afeta de maneira significativa e crescente a produtividade e a qualidade dos produtos. Neste contexto, a aplicação foliar do filme de cálcio, um mineral quimicamente inerte que reflete as radiações ultravioleta e infravermelha, bem como, em parte, a radiação fotossinteticamente ativa, permite diminuir a fotoinibição em folhas e com isso tornar-se mais eficiente no uso da água. Sendo assim, esta tese teve o objetivo de avaliar a aplicação de diferentes concentrações do filme de partícula (CaO) nos parâmetros ecofisiológicos e morfoagronômicos em batata-doce em campo. Para isso foram avaliados os parâmetros ecofisiológicos, tais como, trocas gasosas e fluorescencia da clorofila a e parametros morfoagronomicos, tais como, produtividade e pós colheita. Nossos resultados demonstraram que a utilização do filme de partícula aumenta a eficiência do sistema fotossintético das plantas de batata-doce e consequentemente a eficiência do uso da água e a produtividade. Sendo assim, esta tecnologia se torna uma alternativa viável para o manejo da batata-doce por amenizar o estresse que a planta pode sofrer em campo e aumentar sua produtividade gerando mais renda aos produtores.

  • RUAN ROBERTO NUNES FARO
  • Toxicidade de óleos vegetais sobre Aleurocanthuswoglumi (HEMIPTERA: ALEYRODIDADE) e Raoiella indica (ACARI: TENUIPALPIDAE)
  • Data: 12/03/2021
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A frequente utilização de inseticidas organossintéticos para o controle de pragas tem impulsionado novas pesquisas em busca de produtos que sejam ambientalmente mais sustentáveis. Nesse contexto, os óleos vegetais fixos são considerados promissores. No Brasil, a produção de frutíferas é de extrema importância para a economia do país, porém, o ataque de pragas como a mosca-negra-dos-citros, Aleurocanthus woglumi Ashby (Hemiptera: Aleyrodidade) na laranja, e o ácaro-vermelho-das-palmeiras, Raoiella indica Hirst (Acari: Tenuipalpidae) no coqueiro, causam sérios prejuízos econômicos. Assim, avaliamos a toxicidade de diferentes óleos vegetais fixos (coco, algodão, soja e dendê) a essas duas pragas de importância agrícola global. Bioensios de efeito letal mostraram que os óleos de algodão (CL50 = 1,29 µL/ml) coco (CL50 = 1,36 µL/ml) e soja (CL50 = 1,67 µL/ml) foram tóxicos para a mosca negra. Com relação a R. indica, o óleo de coco apresentou a maior toxicidade (CL50 = 2,72 µL/ml), seguido do óleo de algodão (CL50 = 3,12 µL/ml). Os dados gerados nessa pesquisa são promissores para o desenvolvimento de bioinseticidas os quais poderão contribuir para o Manejo Integrado de Pragas de frutíferas.

  • ITALA TAINY BARRETO FRANCISCO DOS SANTOS
  • Morfometria do aparelho reprodutor sob diferentes temperaturas e embriogênese de Podisus nigrispinus (Dallas, 1851) (Hemiptera: Pentatomidae)
  • Orientador : GENESIO TAMARA RIBEIRO
  • Data: 29/01/2021
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • O controle biológico tem sido reconhecido como a primeira linha de defesa contra pragas
    agricolas e florestais. Nesse método, inimigos naturais são criados massalmente em laboratório
    e utilizados em campo, destacando-se Podisus nigrispinus (Dallas, 1851) (Hemiptera:
    Pentatomidae), um percevejo predador generalista, voraz e importante no controle de
    lepidópteros e coleópteros daninhos. Este trabalho teve como objetivo avaliar os efeitos de
    diferentes temperaturas sobre o aparelho reprodutivo do predador P. nigrispinus, bem como
    descrever os marcos morfológicos que ocorrem durante seu desenvolvimento embrionário. Para
    o efeito de diferentes temperaturas sobre P. nigrispinus, o predador foi mantido nas
    temperaturas de 17, 21, 25 e 29°C até atingir 15 dias de idade na fase adulta. Esses insetos foram
    mortos, medido seu peso e tamanho, dissecados e avaliados nos seguintes parâmetros:
    comprimento do ovaríolo mais desenvolvido; número de ovaríolo por ovário; números de
    ovócitos por ovaríolo mais desenvolvidos; número de ovócitos por fêmea; e nos machos, área
    total do testículo. Para a descriação dos principais marcos morfológicos durante a embriogêneses
    de P. nigrispinus, primeiro foi realizado um ensaio com hipoclorito de sódio em diferentes
    concetrações (2,5; 5,0; 7,5 e 10%) por 3 min para obter a concetração mais adequada para a
    decorionação dos ovos. Em seguida, a investigação de morfogênese foi realizada através de
    microscopia óptica, onde a cada hora, quatro ovos foram retirados da B.O.D, depositados em
    uma lâmina contendo álcool gel e observados. A microscopia eletrônica de varredura foi
    realizada para confirmação da presença da cutícula embrionária durante o fechamento dorsal,
    onde ovos nessa fase foram lavados com solução hipoclorito de sódio a 5%, fixados em solução
    Karnovsky, desidratados em uma série graduada de etanol, secos em ponto crítico, montadas em
    stubs e pulverizadas com ouro. Os resultados do efeito de diferentes temperaturas sobre o
    aparelho reprodutor de P. nigrispinus evidenciaram que à medida que a temperatura aumenta
    os parâmetros foram afetados positivamente e por isso, essas variações de temperatura podem
    ser utilizadas para manipular a criação massal de P. nigrispinus em condições controladas. Já o
    desenvolvimento embrionário de P. nigrispinus dura 95,25 horas e podem ser separados em sete
    etapas principais definidas por marcos morfológicos específicos. O fechamento dorsal ocorre
    entre 53,50 a 65,75 h, sendo o fechamento dorsal o possível estágio de desenvolvimento
    embrionário mais apropriado para a criopreservação.

  • BRENDA LEITE MOUTINHO
  • ATIVIDADE ANTIMICROBIANA DE DERIVADOS DA CHALCONA SOBRE FITOPATÓGENOS DO GÊNERO Xanthomonas
  • Orientador : ROBERTA PEREIRA MIRANDA FERNANDES
  • Data: 28/01/2021
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Devido à facilidade de manipulação aliada às diversas atividades biológicas relacionadas à chalcona, essa molécula caracteriza uma fonte para desenvolvimento de defensivos quimicos menos tóxicos, de baixo custo e poderosos contra os vários tipos de doença. O presente estudo teve como objetivo avaliar atividade antimicrobiana de derivados de chalcona sobre cinco espécies fitopatogênicas do gênero Xanthomonas. Foram realizados teste de atividade antibacteriana e antibiofilme, além teste do efeito na membrana utilizando Iodeto de Propídio. Dentre os 16 derivados testados, o C6 apresentou 100% de inibição do crescimento na concentração de 2000µg/mL, sendo essa a concentração mínima inibitória. Também foi possível observar o aumento da permeabilidade de membrana em relação ao tempo de exposição e dose de C6. Não foi possível observar o mesmo efeito na produção de biofilme.

  • RUAN ROBERTO NUNES FARO
  • Toxicidade de óleos vegetais sobre Aleurocanthuswoglumi (HEMIPTERA: ALEYRODIDADE) e Raoiella indica (ACARI: TENUIPALPIDAE)
  • Data: 22/01/2021
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A frequente utilização de inseticidas organossintéticos para o controle de pragas tem impulsionado novas pesquisas em busca de produtos que sejam ambientalmente mais sustentáveis. Nesse contexto, os óleos vegetais fixos são considerados promissores. No Brasil, a produção de frutíferas é de extrema importância para a economia do país, porém, o ataque de pragas como a mosca-negra-dos-citros, Aleurocanthus woglumi Ashby (Hemiptera: Aleyrodidade) na laranja, e o ácaro-vermelho-das-palmeiras, Raoiella indica Hirst (Acari: Tenuipalpidae) no coqueiro, causam sérios prejuízos econômicos. Assim, avaliamos a toxicidade de diferentes óleos vegetais fixos (coco, algodão, soja e dendê) a essas duas pragas de importância agrícola global. Bioensios de efeito letal mostraram que os óleos de algodão (CL50 = 1,29 µL/ml) coco (CL50 = 1,36 µL/ml) e soja (CL50 = 1,67 µL/ml) foram tóxicos para a mosca negra. Com relação a R. indica, o óleo de coco apresentou a maior toxicidade (CL50 = 2,72 µL/ml), seguido do óleo de algodão (CL50 = 3,12 µL/ml). Os dados gerados nessa pesquisa são promissores para o desenvolvimento de bioinseticidas os quais poderão contribuir para o Manejo Integrado de Pragas de frutíferas.

2020
Descrição
  • RODRIGO PEREIRA ALVES
  • Diversidade genética, local de cultivo e variação sazonal em genótipos de manjericão (Ocimum basilicum L.).
  • Orientador : ARIE FITZGERALD BLANK
  • Data: 22/09/2020
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • O manjericão (Ocimum basilicum L.) é uma erva aromática com grande variabilidade fenotípica que se destaca por possuir importância econômica, sendo consumido in natura e também utilizado na obtenção de óleo essencial. Este trabalho teve como objetivo analisar a diversidade genética de 27 genótipos de manjericão utilizando marcadores moleculares ISSR, além de avaliar o efeito de locais de cultivo (São Cristóvão-SE e Uberlândia-MG) e épocas do ano (primavera e verão) na produção de biomassa e óleo essencial de 24 cultivares. Quatorze primers foram utilizados para amplificação do DNA, resultando em 86% de polimorfismo. Com base no índice de dissimilaridade de Jaccard, observou-se o maior índice (0,80) entre os indivíduos BAS001 (Anise) e BAS012 (Magical Michael), enquanto que o menor índice de dissimilaridade (0,18) foi detectado entre os genótipos BAS014 (Napoletano) e BAS015 (Nufar F1). A semelhança genética entre indivíduos foi calculada, formando quatro grupos distintos, sendo que a maioria dos indivíduos (40,7%) foi alocada no Grupo I. O conteúdo de informação polimórfica (PIC) (0,89) indicou alto nível de diversidade genética entre os genótipos. Os marcadores ISSR foram eficientes na detecção de polimorfismos entre os genótipos e confirmaram que é possível inferir sobre a variabilidade genética. Isso demonstra a importância do uso de marcadores moleculares e as vantagens que esta informação pode oferecer ao melhoramento genético das espécies. Na avaliação do efeito do local e da sazonalidade em cultivares de manjericão observou-se que a altura de plantas, rendimento e teor de óleo essencial em ambos locais de cultivo apresentou os melhores resultados no verão. Já a massa seca de folhas e flores teve os melhores resultados no verão de São Cristóvão-SE e na primavera de Uberlândia-MG. Quanto ao local de cultivo, Uberlândia-MG registrou os melhores resultados para altura de plantas, massa seca de folhas e flores e rendimento de óleo essencial, enquanto São Cristóvão-SE foi superior para teor de óleo essencial. Os principais compostos nos óleos essenciais foram: 1,8-cineol (5,84%), linalol (47,50%), metil chavicol (9,81%), neral (2,43%), geraniol (0,67%), geranial (3,53%), eugenol (2,48%), trans-cinamato de metila (1,16%) e trans-α-bergamoteno (5,14%). Na análise de agrupamento revelou a formação de 4 grupos classificados como metil chavicol + linalol (Grupo 1), neral + geranial (Grupo 2), linalol (Grupo 3) e linalol + metil chavicol / cinamato de metila (Grupo 4). Os compostos com maiores variações em algumas cultivares foram o linalol (de 57,03% na primavera à 28,83% no verão, na cultivar Cinnamon, em São Cristóvão-SE), o metil chavicol (de 59,45% na primavera à 77,55% no verão na cultivar Anise em São Cristóvão-SE e de 25,73% na primavera à 6,27% no verão, na cultivar Green Globe, em São Cristóvão-SE ), o geranial (de 33,61% na primavera à 41,15% no verão, na cultivar Sweet Dani, em São Cristóvão-SE e de 26,90% na primavera à 38,39% no verão, em Uberlândia-MG), o eugenol (de 2,73% na primavera à 11,61% no verão na cultivar Green Globe em São Cristóvão-SE ) e o trans-cinamato de metila (de 15,27% na primavera a 44,20% no verão na cultivar Cinnamon, em São Cristóvão-SE, e de 13,04% na primavera à 38,75% no verão, em Uberlândia-MG ). As condições ambientais, locais de cultivo e escolha da cultivar são importantes fatores a serem considerados na produção desta espécie.

  • LAZARA JOSSIKARLA DE OLIVEIRA LOPES
  • Fungos comestíveis com atividade ligninolítica e tolerância a compostos fenólicos presentes na casca de coco verde
  • Data: 31/08/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O coqueiro (Cocos nucifera L.) é uma palmeira pertencente à família das Arecaceas, originária da
    Ásia. Seu cultivo é difundido em aproximadamente 90 países que destinam o fruto para a produção
    de copra e óleo, principais produtos do coco comercializados no mercado internacional. Atualmente
    Indonésia, Filipinas e Índia são os maiores produtores mundiais com, aproximadamente 72,6% de
    área cultivada e 72,8% da produção mundial. O Brasil fica em quinto colocado com 1,7% da área
    cultivada e 3,8% da produção mundial, sendo os estados da Bahia, Sergipe e Ceará os maiores
    produtores nacionais, detendo juntos 57,2% e 49,4%, de área cultivada e produção,
    respectivamente. Uma alta produção de coco também gera uma grande quantidade de resíduos, o
    que representa cerca de 80% a 85% do peso bruto do fruto. O destino desses resíduos, comumente
    são os lixões e aterros, causando problemas ambientais como a emissão de gás metano, além de
    servir como refúgio para diversos vetores de doenças, devido principalmente pelo longo período
    para a degradação total da casca de coco no ambiente, em torno de oito a 10 anos. Para minimizar o
    impacto gerado pelo acúmulo desses resíduos, buscam-se alternativas como, a técnica de
    compostagem à base de casca de coco seca e verde para acelerar a degradação do material,
    juntamente com métodos auxiliares como a hidrolisação ácida e alcalina da fibra de coco, além do
    uso de microrganismos capazes de produzir enzimas específicas que hidrolisam celulose e
    hemicelulose e degradam lignina. Nesse contexto, o objetivo desse trabalho foi selecionar e cultivar
    fungos potencialmente eficazes na aceleração da degradação da fibra de coco verde por meio de
    enzimas ligninolíticas. Utilizaram-se amostras do composto à base de casca de coco verde com a
    adição de diferentes tipos de materiais como, esterco bovino, torta de mamona, ureia, cal e
    hiperfosfato de gafsa. Para a seleção de fungos com capacidade ligninolítica, as amostras foram
    submetidas ao método de diluição seriada e alíquotas foram plaqueadas em meio batata dextrose
    ágar (BDA) contendo os indicadores enzimáticos por coloração, Guaiacol (enzima lacase) e de
    descoloração, Azul de metileno (enzima lignina peroxidase). Após inoculação, os fungos foram
    acondicionados em incubadora a 28°C durante 10 dias e avaliados a cada dois dias. Da mesma forma,
    foram pré-selecionados os cogumelos Champignon de Paris (Agaricus bisporus), Cogumelo do Sol
    (Agaricus blazei Murril), Shiitake (Lentinula edodes), Shimejis dos tipos Branco, Cinza, Preto, Flórida,
    Salmão, Amarelo, Eryngui, além do Cogumelo Ostra, Hiratake e Shimofuri (todos pertencentes ao
    gênero Pleurotus sp.). As variáveis analisadas foram o diâmetro da colônia fúngica, diâmetro da
    coloração (Guaiacol) e descoloração (Azul de metileno), e intensidade de cor e descoloração (notas
    de 1 a 5). Os fungos que apresentaram atividade enzimática inoculados em Guaiacol apresentaram
    coloração marrom-avermelhada e fungos inoculados em Azul de metileno, causaram descoloração
    no corante. Os fungos que apresentaram maior relação entre os diâmetros do halo de coloração e da
    colônia, e maior intensidade de coloração em guaiacol, foram os cogumelos Champignon de Paris e
    Shiitake. Já em azul de metileno, apenas o fungo T6 apresentou maior relação entre os diâmetros do
    halo de descoloração e da colônia, e maior intensidade de descoloração. Os fungos Champignon de
    Paris, Shiitake e T6 apresentaram aptidão para degradação da fibra da casca de coco verde.

  • NADJA TAMIRES BORGES BARBOSA
  • Filme de partículas de cálcio promove fotoproteção e economia de água na videira (Vitis labrusca L.)
  • Orientador : LUIZ FERNANDO GANASSALI DE OLIVEIRA JUNIOR
  • Data: 20/08/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Nos últimos anos a viticultura na região Nordeste do Brasil vem apresentando considerável expansão. No entanto, devido as mudanças climáticas, como baixo índice pluvial, alta irradiância e uma elevada demanda evaporativa, intensificam ainda mais os efeitos adversos no crescimento e desenvolvimento das plantas. Para amenizar esse cenário, a tecnologia de filme de partículas tem sido reconhecida como uma estratégia promissora para o alívio sustentável do estresse abiótico e condições adversas no cultivo da videira. Dessa forma, o objetivo desse estudo foi investigar os efeitos da aplicação de filme de partículas de cálcio na cv. Isabel Precoce, a fim de avaliar o desempenho fisiológico e a produtividade da vinha submetida à diferentes regimes hídricos sob condições de verão do Nordeste brasileiro. O experimento de campo foi conduzido na área experimental da Universidade Federal de Sergipe, no município de São Cristóvão – SE no segundo ciclo reprodutivo da videira, e foi realizado como delineamento em blocos casualizados, com quatro tratamentos: i) 65% da evapotranspiração da cultura (ETc) com filme de partículas de cálcio (7% p/v); ii) 65% da ETc sob pleno Sol; iii) 100% da ETc com filme de partículas de cálcio (7% p/v) e iv) 100% da ETc sob pleno Sol (controle) (n=4), aplicados durante o estádio fenológico de frutificação até a colheita. Para isso, foram determinados o potencial hídrico foliar, trocas gasosas, teor relativo de água, fluorescência transiente da clorofila a, índices de clorofila Falker, luminosidade, os sólidos solúveis totais, pH, acidez total, firmeza das bagas e produtividade da videira. Os resultados mostraram que o filme proporcionou efeitos de sombreamento nas folhas, fotoproteção e aumentos nos índices de clorofila. A emissão da curva OJIP foi reduzida nas videiras com filme, melhorando o metabolismo energético da fotossíntese e proporcionando a maior eficiência dos fluxos de elétrons energizados pelos fotossistemas e pela cadeia de transporte de elétrons, principalmente no horário de maior radiação solar. O potencial hídrico e a produtividade aumentaram nas plantas com filme, destacando a economia de água em até 35% para o tratamento com 65% da ETc com filme. Outros resultados observados para as plantas com 65% da ETc, foram nos aumentos dos valores da taxa fotossintética (A), reduções na condutância estomática (gs) e taxa de transpiração (E) e aumentos na eficiência do uso da água, melhorando o desempenho fisiológico plantas, esses resultados são fortalecidos pela avaliação do parâmetro de teor relativo de água (TRA), onde os tratamentos com filme foram capazes de reduzir a perda de água nos tecidos foliares da videira. Porém, os resultados dos aspectos físico-químicos não diferiram entre os tratamentos mantendo a qualidade dos frutos, no entanto, as videiras tratadas com filme tiveram aumentos na produtividade. Sendo assim, o filme de partículas de cálcio associado ao menor regime hídrico pode ser indicado como uma alternativa eficaz para viticultura sustentável, amenizando os efeitos das mudanças climáticas nas videiras e mantendo a produtividade.

  • LUÍS FERNANDO DE ANDRADE NASCIMENTO
  • Características morfoagronômicas de acessos de Lantana camara L.
  • Orientador : ARIE FITZGERALD BLANK
  • Data: 13/08/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Conhecida por sua capacidade infestante, ornamental e também medicinal, Lantana camara L. é originária das Américas Central e Sul e suas diferentes variedades, atualmente pode ser encontrada em todas as regiões dos trópicos, sobrevivendo em locais com até 1800 metros acima do nível do mar. O objetivo do presente trabalho foi avaliar morfoagronomicamente 22 acessos de L. camara, coletados em 15 municípios do Estado de Sergipe, e mantidos no banco ativo de germoplasma de plantas medicinais e aromáticas da Universidade Federal de Sergipe. Para isso, foram avaliadas as características: comprimento da lâmina foliar (CF); largura da lâmina foliar (LF); relação comprimento/ largura das lâminas foliares (C/L); área foliar (AF); diâmetro da copa (DCo); altura da planta (AP); diâmetro do caule (DCa); hábito de crescimento (HC) (Escala de notas para habito de crescimento descritas na Tabela 2); número de flores por inflorescência (NFI); cor das folhas (CF); cor das inflorescências (CI), e presença de acúleos (PA); massa seca das folhas; teor; e rendimento de óleo essêncial. Foi observada variabilidade fenotípica entre os acessos da coleção de L. camara para todas as características morfológicas quantitativas e agronômicas analisadas. As médias variaram de 4,91 a 6,90cm para o comprimento das folhas; de 2,81 a 5,03cm para a largura da folha; de 1,32 a 1,87 para a relação comprimento / largura da folha; de 9,59 a 22,98 mm2 para a área foliar; de 99,00 a 215,00cm para o diâmetro da copa; 85,67 a 214,33cm para altura da planta; e de 1,08 a 2,43cm para o diâmetro do caule. A maioria dos acessos apresentou hábito de crescimento ereto. O número médio de flores por inflorescência variou de 12 a 38 flores. Para as características agronômicas, observamos que a massa seca variou de 49,86 a 649,04 g.planta-1. O teor médio de óleo essencial variou de 0,13 a 0,26% e rendimento entre 0,10 e 1,55 mL.planta-1. A partir das análises foram destacadas divergências entre os acessos, com a formação de quatro grupos, sendo esses: Grupo 1, com dez acessos: LAC-001, LAC-002, LAC-003, LAC-011, LAC-013, LAC-016, LAC-017 e LAC-025, LAC-028 e LAC-036 Grupo 2, com seis acessos: LAC-004, LAC-019, LAC-021, LAC-027, LAC-034 e LAC-035; Grupo 3, com três acessos: LAC-007, LAC-012, e LAC-040; e Grupo 4, com três acessos: LAC-018, LAC-037 e LAC-038. Os acessos fenotípicos mais divergentes foram LAC-001 (São Cristóvão) e LAC-038 (Moita Bonita) e os com menor divergência foram LAC-004 (Itaporanga D'ajuda) e LAC-019 (Siriri). Assim, observou-se a variabilidade morfoagronômica entre os 22 acessos de L. camara e que as variáveis foram eficientes para diferenciar os acessos e sugerem a existência de variabilidade genética entre elas.

  • JOSÉ CARLOS FREITAS DE SÁ FILHO
  • LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA AFETA A COMPOSIÇÃO QUÍMICA DE ÓLEOS ESSENCIAIS DE ACESSOS DE Lippia alba AVALIADOS MENSALMENTE
  • Orientador : ARIE FITZGERALD BLANK
  • Data: 06/08/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A composição química dos óleos essenciais (OE) vegetais é determinada por fatores genéticos, porém, estes interagem fortemente com o ambiente, ocasionando alterações significativas na sua constituição. Objetiva-se com este estudo, entender o comportamento sazonal dos compostos presentes nos OE de sete acessos de Lippia alba de diferentes quimiotipos (LA-03 e LA-36: geranial + neral + limoneno, LA-13: limoneno + carvona, LA-24: linalol + geranial + neral, LA-32: neral + geranial + óxido de cariofileno, LA-57: carvona + limoneno e LA-59: geranial + neral + p-cimeno) colhidos mensalmente em São Cristóvão-SE e Uberlândia-MG entre agosto de 2017 e julho de 2018. Três amostras de 50g de folhas secas (40ºC por 120h) de cada acesso foram submetidas à extração do OE por destilação assistida por micro-ondas (NEOS, Milestone, Itália). Os OE foram analisados por Cromatografia Gasosa Acoplada a um Espectômetro de Massas e Detector por Ionização em Chama - CG/EM/DIC. A localização geográfica e a sazonalidade dentro de cada região influenciaram quantitativamente os principais compostos do OE dos acessos de L. alba, além de também influenciarem na presença ou ausência de componentes minoritários. Na análise de agrupamento observou-se que para todos os meses dois grupos foram formados. Em Uberlândia-MG, o grupo 1 formado por LA-03, LA-24, LA-32, LA-36 e LA-59, com maior abundância de geranial + neral + linalol e grupo 2 com LA-13 e LA-57, com maior abundância de carvona. Em São Cristóvão-SE o grupo 1 foi formado por LA-03, LA-32, LA-36 e LA-59 e o grupo 2 por LA-13 e LA-57. Nesta locadlidade, o acesso LA-24 variou entre os dois grupos, estando na maioria dos meses no grupo 1 e migrando deste em agosto, outubro, janeiro, fevereiro e junho para o grupo 2, se unindo aos acessos LA-13 e LA-57. Na observação dos 9 principais compostos das amostras, constatou-se que em média obteve-se as maiores concentrações de: neral no acesso LA-03 colhido em Uberlândia-MG (38,40 %) e LA-32 em São Cristóvão-SE (32,65 %); geranial no acesso LA-59 colhido em São Cristóvão-SE (55,90 %) e Uberlândia-MG (45,90 %); linalol no acesso LA-24 colhido em São Cristóvão-SE (68,19 %) e Uberlândia-MG (23,65 %); carvona no acesso LA-57 colhido em São Cristóvão-SE (75,66 %) e Uberlândia-MG (73,09 %); limoneno no acesso LA-57 colhido em São Cristóvão-SE (12,18 %) e LA-13 em Uberlândia-MG (10,29 %); piperitona no acesso em LA-13 colhido em São Cristóvão-SE (9,68 %) e Uberlândia-MG (7,97 %); óxido de cariofileno no acesso LA-59 colhido em São Cristóvão-SE (6,69 %) e Uberlândia-MG (6,55 %); ρ-cimeno no acesso LA-32 colhido em Uberlândia-MG (7,97 %) e São Cristóvão-SE (2,90 %); 1,8-cineol no acesso LA-57 colhido em Uberlândia-MG (11,50 %) e LA-24 em São Cristóvão-SE (4,32 %). Estes dados podem auxiliar na produção direcionada de determinado composto, com escolha de genótipos mais eficientes para as condições climáticas das regiões estudadas. Isto pode contribuir na produção de óleo essencial que atenda aos padrões exigidos pelo mercado em geral e formulações de medicamentos fitoterápicos.

  • FABIANY DE ANDRADE BRITO
  • DIVERSIDADE GENNÔMICA E POTENCIAL FORMICIDA DO ÓLEO ESSENCIAL DE Croton tetradenius Baill.
  • Orientador : ARIE FITZGERALD BLANK
  • Data: 29/07/2020
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Croton tetradenius Baill. (Euphorbiaceae), planta aromática e bioativa com ampla distribuição no Nordeste do Brasil, possui potencial inseticida e fungicida. Observar a variabilidade genética e realizar a caracterização biológica são etapas essenciais para implantação de coleções em Bancos Ativos de Germoplasma, importante para conservação de uma espécie vegetal. Assim, o objetivo do presente trabalho foi estimar a diversidade e estrutura genética de C. tetradenius em Sergipe, para introdução dessa espécie no Banco Ativo de Germoplasma de Plantas Medicinais e Aromáticas da Universidade Federal de Sergipe, bem como realizar a avaliação da toxicidade e efeitos subletais dos óleos essenciais de genótipos de C. tetradenius e seus compostos majoritários sobre a formiga cortadeira Acromyrmex balzani. Para análise genética, coletou-se 38 plantas em quatro municípios do Estado de Sergipe, Brasil (Porto da Folha, Poço Redondo, Lagarto e Pacatuba) e utilizou-se os marcadores SNP’s, obtidos pela metodologia de GBS. Os óleos essenciais de cinco plantas de C. tetradenius das mesmas localidades e seus compostos majoritários: 1,8-cineol, α-pineno, cânfora, (E)-pinocarveol e p-cimeno, foram testados via fumigação. O método CTAB 3% foi usado na extração do DNA para o desenvolvimento da biblioteca genômica de GBS, seguido do sequenciamento, processamento das sequências brutas e filtragens, resultando na identificação de 1.387 marcadores SNP’s de alta qualidade. Uma baixa diversidade genética média foi observada (HO < HE = 0,086; I = 0,143; f= 0,099). De acordo com a AMOVA, a maior diversidade genética foi observada dentro das localidades (95%) do que entre as localidades (5%), sendo baixa a diferenciação genética (FST = 0,041–0,062) entre as populações. O DAPC e COMPOPLOT mostraram a divisão de quatro grupos (k = 4), com maior sobreposição das plantas de Porto da Folha e Poço Redondo, indicando que o fluxo gênico atual foi menor que o fluxo gênico histórico. Todos os tratamentos repeliram e afetaram o comportamento de A. balzani. A sobrevivência de A. balzani foi reduzida, sendo a maior TL50 de 42,91 horas para CRT042. Valores de CL50 variaram de 1,47 a 2,40 μL.L-1 para os óleos essenciais e de 0,45 a 11,20 μL.L-1 para os compostos majoritários, sendo a cânfora mais tóxica. Conclui-se que há viabilidade da implantação de uma coleção de C. tetradenius no Banco Ativo de Germoplasma de Plantas Medicinais e Aromáticas da Universidade Federal de Sergipe com as plantas de C. tetradenius coletadas, sendo necessárias coletas adicionais de indivíduos nas quatro populações avaliadas, bem como a amostragem em outras regiões de ocorrência da espécie para ampliar a base genética. Foram verificadas a atividade formicida do óleo essencial e compostos majoritários de C. tetradenius, demonstrando seu potencial como inseticida natural sobre A. balzani.

  • AMAURY SOARES DE BRITO
  • Variação espaço-temporal de assembleias de vespas solitárias e besouros escarabeíneos em restinga
  • Data: 26/03/2020
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Os besouros da subfamília Scarabaeinae (Coleoptera: Scarabaeidae) e as vespas solitárias (Himenoptera) são considerados bioindicadores de qualidade ambiental além de prestarem relevantes serviços ecossistêmicos. O estudo foi conduzido, na Reserva Particular do Patrimônio Natural do Caju, Itaporanga d’Ajuda, Sergipe e foi avaliado se diferenças entre três tipos de vegetação dentro do ecossistema de restinga, i.e. floresta secundária, vegetação arbustiva e área aberta e as variáveis de clima e tempo influenciam nas estruturas das comunidades destes insetos. Exclusivamente, as coletas de das vespas solitárias foram realizadas apenas na floresta secundária e na área aberta. A diversidade Alpha (ɑ) das vespas solitárias foi 10 espécies e o tipo de vegetação e a sazonalidade influenciam as vespas solitárias, de modo que a maior diversidade ɑ foi encontrada na floresta secundária, as vespas nidificaram durante o período chuvoso. Nos dois tipos de vegetação as vespas fundaram mais ninhos à 3,5 metros de altura do chão. Houve alto valor da diversidade entre os meses de coleta, entre os tipos de vegetação houve um completo aninhamento das comunidades. Em relação a comunidade de besouros escarabaeíneos, a diversidade Gamma (ɣ) foi de 13 espécies, a maior diversidade ɑ foi na vegetação arbustiva,. na área aberta teve a maior abundância e na floresta secundária foram encontrados os maiores índices Shannon e Pielou. As espécies Dichotomius geminatus, D. schiffleri e Canthon nigripennis foram as mais abundantes, sendo que D. schiffleri, C. nigripennis e Uroxys sp., são espécies dependentes de floresta e D. geminatus, C. humerale, Ateuchus semicribratus e Dichotomius nisus preferem áreas abertas. A diversidade βeta entre os meses de coleta foi maior na área aberta, durante a estação seca a diversidade βeta teve maior contribuição do componente turnover, o componente nestedness foi maior durante a estação das chuvas. A sazonalidade não afeta a abundância total e nem a riqueza de espécies, mas influencia algumas populações isoladamente, e durante a estação chuvosa a emergência das espécies ocorre dessincronizada. As espécie ameaçada de extinção Dichotomius schiffleri é restrita a ambientes de mata arbórea dentro do ecossistema de restinga, alguns indivíduos podem ser encontrados em vegetação arbustiva, mas o D. schiffleri é ausente em áreas abertas. A emergência do D. schiffleri é fortemente influenciada pela precipitação, com um pico no início da estação chuvosa e decréscimo ao longo da estação. Os tipos de vegetação e a sazonalidade influenciam na estrutura das comunidades de vespas solitárias e besouros escarabaeídeos, estes insetos têm preferência por hábitat, estação no ano e altura do ninho, para as vespas.

  • LAZARA JOSSIKARLA DE OLIVEIRA LOPES
  • Seleção de fungos ligninolíticos e fontes de carbono suplementares para aceleração da degradação da fibra de coco verde
  • Data: 18/03/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O coqueiro (Cocos nucifera L.) é uma palmeira pertencente à família das Arecaceas, originária da
    Ásia. Seu cultivo é difundido em aproximadamente 90 países que destinam o fruto para a produção
    de copra e óleo, principais produtos do coco comercializados no mercado internacional. Atualmente
    Indonésia, Filipinas e Índia são os maiores produtores mundiais com, aproximadamente 72,6% de
    área cultivada e 72,8% da produção mundial. O Brasil fica em quinto colocado com 1,7% da área
    cultivada e 3,8% da produção mundial, sendo os estados da Bahia, Sergipe e Ceará os maiores
    produtores nacionais, detendo juntos 57,2% e 49,4%, de área cultivada e produção,
    respectivamente. Uma alta produção de coco também gera uma grande quantidade de resíduos, o
    que representa cerca de 80% a 85% do peso bruto do fruto. O destino desses resíduos, comumente
    são os lixões e aterros, causando problemas ambientais como a emissão de gás metano, além de
    servir como refúgio para diversos vetores de doenças, devido principalmente pelo longo período
    para a degradação total da casca de coco no ambiente, em torno de oito a 10 anos. Para minimizar o
    impacto gerado pelo acúmulo desses resíduos, buscam-se alternativas como, a técnica de
    compostagem à base de casca de coco seca e verde para acelerar a degradação do material,
    juntamente com métodos auxiliares como a hidrolisação ácida e alcalina da fibra de coco, além do
    uso de microrganismos capazes de produzir enzimas específicas que hidrolisam celulose e
    hemicelulose e degradam lignina. Nesse contexto, o objetivo desse trabalho foi selecionar e cultivar
    fungos potencialmente eficazes na aceleração da degradação da fibra de coco verde por meio de
    enzimas ligninolíticas. Utilizaram-se amostras do composto à base de casca de coco verde com a
    adição de diferentes tipos de materiais como, esterco bovino, torta de mamona, ureia, cal e
    hiperfosfato de gafsa. Para a seleção de fungos com capacidade ligninolítica, as amostras foram
    submetidas ao método de diluição seriada e alíquotas foram plaqueadas em meio batata dextrose
    ágar (BDA) contendo os indicadores enzimáticos por coloração, Guaiacol (enzima lacase) e de
    descoloração, Azul de metileno (enzima lignina peroxidase). Após inoculação, os fungos foram
    acondicionados em incubadora a 28°C durante 10 dias e avaliados a cada dois dias. Da mesma forma,
    foram pré-selecionados os cogumelos Champignon de Paris (Agaricus bisporus), Cogumelo do Sol
    (Agaricus blazei Murril), Shiitake (Lentinula edodes), Shimejis dos tipos Branco, Cinza, Preto, Flórida,
    Salmão, Amarelo, Eryngui, além do Cogumelo Ostra, Hiratake e Shimofuri (todos pertencentes ao
    gênero Pleurotus sp.). As variáveis analisadas foram o diâmetro da colônia fúngica, diâmetro da
    coloração (Guaiacol) e descoloração (Azul de metileno), e intensidade de cor e descoloração (notas
    de 1 a 5). Os fungos que apresentaram atividade enzimática inoculados em Guaiacol apresentaram
    coloração marrom-avermelhada e fungos inoculados em Azul de metileno, causaram descoloração
    no corante. Os fungos que apresentaram maior relação entre os diâmetros do halo de coloração e da
    colônia, e maior intensidade de coloração em guaiacol, foram os cogumelos Champignon de Paris e
    Shiitake. Já em azul de metileno, apenas o fungo T6 apresentou maior relação entre os diâmetros do
    halo de descoloração e da colônia, e maior intensidade de descoloração. Os fungos Champignon de
    Paris, Shiitake e T6 apresentaram aptidão para degradação da fibra da casca de coco verde.

  • THIAGO XAVIER CHAGAS
  • DESTOCA BIOLÓGICA DE EUCALIPTO PELA AÇÃO SINÉRGICA DE TÉRMITAS E FUNGO DE PODRIDÃO BRANCA
  • Orientador : GENESIO TAMARA RIBEIRO
  • Data: 19/02/2020
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • As espécies Eucalyptus estão entre as árvores que se destacam para atender o setor de Papel e Celulose
    no Brasil, e ao final de sua colheita a um acúmulo de materiais de difícil degradação, como o toco, que
    é retirado através máquinas e implementos florestais. Entretanto, alternativas biológicas, como a
    inoculação de fungos de podridão, já são estudadas para auxiliar nesse processo. Outro organismo
    xilófago que participa da destoca biológica são os térmitas. Os objetivos desta pesquisa foram
    quantificar o número de tocos com térmitas e de térmitas coletados ao longo da biodegradação de tocos
    de híbridos de Eucalyptus urophylla x E. grandis, identificar espécies que iniciam esse processo e
    avaliar a degradação de corpos de prova de Eucalyptus urograndis com a presença do fungo de podridão
    branca Pycnoporus sanguineus e térmitas xilófagos Nasutitermes corniger e Microcerotermes exiguus.
    Duas áreas, uma em região seca e outra úmida, foram selecionadas e divididas em sete blocos cada, com
    avaliações a cada 90 dias até completar 630 dias. O delineamento experimental foi em blocos
    casualizados com sete tratamentos, usando para comparação a ANAVA e posteriormente, aplicada a
    Análise de Regressão (p<0,05). No experimento biodegradação por fungo e térmita utilizou-se o teste
    de dupla escolha, com três bioesaios. A degradação foi avaliada pela perda de massa dos corpos de
    prova com a presença e ausência do fungo e de térmitas, a partir da equação De = Mo – Mf. Os dados
    foram analisados pelo programa SISVAR e comparado pela ANAVA e, posteriormente, aplicados o
    teste t e Soctt-Knott (P<0,05). Os resultados evidenciara que houve significativa nos parâmetros
    analisados e foram identificadas 19 espécies de térmitas, pertencentes a duas famílias, com Amitermes
    amifer, Nasutitermes kemneri e Microcerotermes exiguus como dominantes e iniciando, com outras
    espécies, o processo de biodegradação. Há uma tendência no aumento do número de tocos com térmitas
    e de térmitas coletados em tocos ao longo do processo de biodegradação, sendo que seis e oito espécies
    de térmitas iniciam esse processo nas áreas seca e úmida. No ensaio de biodegradação, a presença de
    um ou dois organismos xilófagos acelerou a degradação dos corpos de prova de E. urograndis quando comparados aos respectivos controles. Essa diferença significativa também ocorre entre os bioensaios
    na presença do fungo com ou sem térmitas ou na ausência do fungo com ou sem térmitas. A interação
    térmita e fungo acelera o processo de degradação dos corpos de prova de E. urgrandis, e a espécie N.
    corniger é mais eficiente na presença do P. sanguineus.

  • JULIANA LOPES SOUZA
  • POTENCIAL BIOTECNOLÓGICO E TOLERÂNCIA À RESTRIÇÃO HÍDRICA DE SEMENTES DE ERYTHRINA VELUTINA WILLD
  • Orientador : RENATA SILVA MANN
  • Data: 17/02/2020
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Erythrina velutina Willd. é uma espécie arbórea nativa com ampla ocorrência em regiões
    áridas e úmidas, sendo encontrada na Caatinga, Mata Atlântica e Cerrado. Por ser uma
    espécie pioneira, é altamente recomendada para o reflorestamento de áreas degradas e
    devido a suas sementes ortodoxas, possui tolerância à dessecação e déficit hídrico. As
    sementes de E. velutina são armazenadas como principal fonte de conservação ex situ,
    além de serem bastante utilizadas pela medicina popular. Esses aspectos enfatizam a alta
    relevância da conservação e estudo desse recurso natural, principalmente frente aos
    impactos causados ao ambiente pelas mudanças climáticas. Portanto, objetivou-se com
    esse trabalho avaliar as características morfofisológicas de sementes de E. velutina sob
    estresse hídrico, identificando-se níveis de deterioração, mecanismos de tolerância e o
    potencial biotecnológico. Para a avaliação do potencial biotecnológico da espécie,
    realizou-se uma prospecção de dados científicos entre artigos, patentes e sequencias
    nucleotídicas relacionadas a E. velutina. Apesar do baixo número de patentes e
    nucleotídeos sequenciados para a espécie, os dados científicos a estabelecem como
    relevante e com alto potencial biotecnológico nos campos de farmácia, compostos
    bioativos e fonte de polinucleotídeos e polipeptídios para a inserção de tolerância a
    estresses abióticos. Apesar de ortodoxas e longevas, as sementes de E. velutina são
    susceptíveis ao deterioramento durante o armazenamento. Ao se avaliar a viabilidade e o
    vigor de lotes da espécie, foi identificado que o método de avaliação de imagens de raios-
    x, associado a análise da densidade interna das sementes diferencia aquelas com maior
    capacidade germinativa em lotes de moderada deterioração. Assim, é possível selecionar
    e otimizar a propagação da espécie usando-se um método de análise não-destrutiva. Além
    do deterioramento por armazenamento, as sementes de E. velutina podem ser afetadas por
    estresses ambientais. Analisando-se a viabilidade e o vigor das sementes desta vez sob
    restrição hídrica, observou-se capacidade de tolerância ao estresse demonstrado pela
    germinação sob potenciais osmóticos. Essa condição, no entanto, afetou molecularmente
    as sementes, reduzindo a síntese de RNA, mas sem comprometer completamente o vigor.
    Para a recuperação dos danos causados às sementes e criar uma condição de tolerância
    cruzada, estimula-se a síntese de proteína protetoras como LEA, sHSP e peroxirredoxinas
    através do método de condicionamento osmótico. Ao aplicar um estresse moderado nas
    sementes, esses mecanismos de tolerância são ativados sem a protrusão radicular. Em
    sementes de E. velutina osmocondicionadas, identificou-se por meio de RT-qPCR o
    incremento em expressão dos genes Em6 (LEA grupo 1) e sHSP, caracterizando uma
    condição de resistência ao estresse hídrico. Erythrina velutina é uma espécie com várias
    propriedades biotecnológicas, capacidade de recuperação germinativa após o
    deterioramento de lotes e tolerância ao estresse hídrico, sendo um importante recurso
    genético vegetal com potencial adaptabilidade a mudanças climáticas.

  • TAMIRIS APARECIDA DE CARVALHO SANTOS
  • ANÁLISE DOS EFEITOS DO DERIVADO DA CHALCONA, (E)-1-fenil-3-α naftilprop-2-en-1-ona (NaF), EM Phytomonas serpens
  • Orientador : ROBERTA PEREIRA MIRANDA FERNANDES
  • Data: 17/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O protozoário Phytomonas serpens pertence à família Trypanosomatidae e ao gênero Phytomonas. Este fitoparasita apresenta relação de parasitismo com Solanum lycopersicum (L). (tomate), e tem sido usado como um modelo biológico para bioensaios com tripanossomatídeos. Dentre os compostos bioativos estudados pode-se citar a molécula chalcona e seus derivados. A chalcona é uma molécula de ocorrência natural produzida no metabolismo secundário de plantas e precursora dos flavonóides, os quais desempenham importantes funções no desenvolvimento vegetal. Além da chalcona de ocorrência natural a obtenção de chalconas sintéticas é possível a partir da reação de Claisen-Schmidt. No processo de síntese da chalcona podem ser feitas diferentes modificações, aos quais dão origem aos chamados derivados da chalcona, estes possuem a estrutura fundamenal da chalcona e substituição de grupos químicos aos anéis aromáticos. As modificações representam alta importância, pois afetam diretamente o espectro de atividade biológica destas moléculas. Dentre as atividades já reportadas por essas moléculas estão ações antimicrobiana, antifúngica, antitumoral e antiprotozoária. A atividade antimicrobiana de moléculas contendo naftaleno é bem relatada na literatura científica e o derivado (E)-1-fenil-3-α naftilprop-2-en-1-ona (NaF) apresenta substituição do anel benzênico B por um anel naftalênico. O objetivo deste trabalho foi avaliar a atividade antiprotozóaria e o efeito do derivado de chalcona (NaF) sobre a morfologia e fisiologia de formas promastigotas de P. serpens. O isolado de P. serpens utilizado foi doado da coleção de tripanossomatídeos da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). As promastigotas foram mantidas em meio Schneider suplementado com soro fetal bovino a 10% e antibiótico streptomicina 1% e incubados em B.O.D. à 24 ±1ºC. O derivado NaF foi sintetizado e caracterizado no Departamento de Química da Universidade Federal de Sergipe. A atividade antiprotozoária do derivado NaF foi avaliada através dos bioensaios de proliferação celular e efeito citostático. Os efeitos fisiológicos avaliados foram integridade da membrana plasmática, e as determinações dos níveis de ROS e despolarização do potencial de membrana mitocondrial (∆ѱm) por espectofotometria e citometria de fluxo, enquanto que os morfológicos por microscopia eletrônica de varredura e transmissão. Os resultados demonstraram que o tratamento com o derivado NaF promove redução da proliferação celular de P.serpens (IC50 21,52 µM), além de afetar processos fisiológicos importantes, como o balanço oxidativo e o potencial de membrana mitocondrial. As concentrações de 48 e 96 µM promoveram efeito citostático permanente, uma vez que, as promastigotas expostas a estas concentrações apresentaram crescimento reduzido. A concentração de 24 µM promove ruptura da bolsa flagelar e perda de flagelo nas formas promastigotas, além de formação de estruturas membranares concêntricas no interior da mitocôndria do parasita. Conclui-se que o derivado NaF é eficiente em reduzir a proliferação celular de P. serpens, o emprego das concentrações deste derivado é capaz de promover desordens em processos fisiológicos vitais, tais como balanço oxidativo, com alto efeito citostático, além de causar a perda de flagelo e mortalidade celular por mecanismo de autofagia.

  • ANNIE CAROLINA ARAUJO DE OLIVEIRA
  • CRIOPRESERVAÇÃO DE MONOCOTILEDÔNEAS: OS ESTUDOS DE CASO DE SACCHARUM SPP. L. E PHOENIX DACTYLIFERA L.
  • Data: 14/02/2020
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A conservação in vitro é essencial para garantir a manutenção da diversidade genética presente
    nos recursos vegetais. O armazenamento do germoplasma por longos períodos é realizado por
    meio da criopreservação. Fatores intrínsecos de exposição a temperaturas criogênicas não são
    bem elucidados. Isso é preocupante, dada a importância econômica que algumas espécies têm
    no cenário mundial, a exemplo da cana-de-açúcar (Saccharum spp. L.) e da tamareira (Phoenix
    dactylifera L.). O gênero Saccharum compreende seis espécies de cana-de-açúcar. Essa cultura
    tem um impacto na matriz energética de consumo devido a sua capacidade para geração de
    biomassa. O desenvolvimento de genótipos de interesse é possível, desde que haja
    disponibilidade de variabilidade genética, mantida nos Bancos Ativos de Germoplasma
    (BAGs). A Embrapa Tabuleiros Costeiros dispõe do BAG Cana para manutenção de
    aproximadamente 120 acessos. Dentre as atividades realizadas, a criopreservação vem sendo
    avaliada, de maneira a complementar a segurança das coleções. A vitrificação em gotas foi
    aplicada em meristemas apicais de cana-de-açúcar das espécies S. robustum, acesso ‘MIA
    35301’ e S. spontaneum, acesso ‘NSL 291979’. Esses foram pré-cultivados em meio MS
    suplementado com 0,3 M de sacarose por 24 h. Três tempos de desidratação em PVS2 (30, 45
    ou 60 min) foram testados. A porcentagem de regeneração dos explantes criopreservados variou
    até 20%. Os acessos ‘MIA 35301’ e ‘NSL 291979’ mostraram-se particularmente vulneráveis
    à contaminação por bactérias endofíticas. A natureza dioica da tamareira é prejudicada devido
    ao comportamento reprodutivo da espécie, o que obriga os melhoristas a armazenarem pólen
    de uma estação à outra. A criopreservação pode contribuir na superação do florescimento
    assíncrono. O processamento do pólen dos cultivares Dayri BC2, Fard #4, Jarvis #1, Thoory
    BC3 e Thoory X F1 ocorreram no USDA-ARS National Laboratory for Genetic Resources
    Preservation (NLGRP) em Fort Collins, Colorado, EUA. As inflorescências foram agitadas
    para liberação do pólen, imediatamente (Rodada 1), 2 dias (Rodada 2) ou 4 dias (Rodada 3)
    após a abertura natural das espatas. O teor de umidade das amostras foi ajustado sobre sais
    saturados de Ca(NO3)2 e MgCl2 ou em câmara com umidade relativa de 23% e temperatura
    controlada a 5°C. A viabilidade polínica foi mensurada por meio da germinação in vitro em
    meio Marquard suplementado com 15% de sacarose e incubado a 20ºC, após reidratação em
    H2O por 2 h. Não houve diferenças significativas entre as rodadas 1, 2 e 3 e as condições de
    ajuste de umidade, sendo observado um decréscimo na viabilidade ao longo de 56 dias. O
    congelamento sucessivo em VNL mostrou que o pólen mantém o seu vigor em até 20% após
    60 ciclos.

  • EMILE DAYARA RABELO SANTANA
  • Bioinseticidas e suas nanoformulações para o controle da mosca-negra-dos-citros Aleurocanthus woglumi: alternativa de manejo integrado na agricultura moderna
  • Orientador : LEANDRO BACCI
  • Data: 07/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A citricultura é uma das principais atividades agrícolas mundiais, mas sua produção encontra-
    se ameaçada devido ao ataque da mosca-negra-dos-citros (Aleurocanthus woglumi). Este
    inseto causa danos diretos e indiretos nas plantas, provocando alterações fisiológicas e
    consequente redução na produção de frutos. Seu controle é baseado em inseticidas
    organossintéticos, porém o uso indiscriminado deles tem provocado efeitos adversos à
    sociedade e ao meio ambiente. Com isso, os óleos essenciais surgem como uma alternativa de
    controle. Entretanto, apesar da toxicidade sobre pragas agrícolas, algumas de suas
    características inviabilizam sua utilização em campo. Nessa perspectiva, as nanoformulações
    vêm sendo estudadas no âmbito agrícola. A nanotecnologia permite a manutenção da
    bioatividade do óleo essencial e aumenta sua eficiência de aplicação. Assim, no presente
    estudo, avaliamos os efeitos do óleo essencial de Lippia sidoides e seu composto majoritário
    timol, das nanoformulações deles, do inseticida espinetoram e imidacloprido sobre A.
    woglumi, além da fitotoxicidade dos tratamentos. Para isso, foram realizados bioensaios de
    toxicidade sobre ovos e adultos, além de bioensaios de repelência/deterrência e
    antioviposição. Um total de nove compostos foram encontrados no óleo essencial de L.
    sidoides, sendo o timol o composto majoritário (73,23%). As nanoformulações apresentaram
    tamanho de partículas nanométricas (10 a 100 nm) e formato esférico. Através da via de
    exposição por contato, o timol (CL 50 = 0,8922 mg ml -1 ) e o óleo essencial (CL 50 = 3,996 mg
    ml -1 ) foram os compostos mais tóxicos. O inverso foi observado por fumigação, em que o
    óleo foi o composto mais tóxico (CL 50 = 2,715 μl L -1 ), seguido do timol (CL 50 = 5,033 μl L -1 ).
    As nanoformulações, por contato, apresentaram CL 50 de 39,68 mg ml -1 e 55,11 mg ml -1 . Já
    por fumigação, as CL 50 foram de 9,074 e 54,04 μl L -1 para timol e óleo, respectivamente. Os
    bioinseticidas atuaram rapidamente sobre adultos de A. woglumi, provocando 50% de
    mortalidade em menos de 3 horas. A nanoformulação do timol causou o maior efeito ovicida,
    não causando fitotoxicidade à planta. Quanto à repelência e à antioviposição, os bioinseticidas
    diminuíram a quantidade de adultos e ovos sobre folhas tratadas. Com base nos resultados
    obtidos, os bioinseticidas testados demonstraram alta toxicidade sobre a mosca negra, com
    resultados superiores ao atual ingrediente ativo usado para seu controle. Dessa forma,
    consistem em potenciais moléculas alternativas para o manejo integrado dessa praga.

  • CRISLAINE ALVES DOS SANTOS
  • Quebra de dormência em túberas e indução de tuberização em estacas caulinares de inhame (Dioscorea sp.)
  • Orientador : MARIA DE FATIMA ARRIGONI BLANK
  • Data: 07/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O inhame, pertencente à família Dioscoreaceae, é uma cultura cuja produção está relacionada à agricultura familiar e seu consumo no Brasil está associado à cultura Nordestina. É uma hortaliça tuberosa de propagação vegetativa por meio de túberas-semente obtidas, principalmente, por meio do processo de capação. No entanto, este método adotado pelos produtores apresenta limitações como o alto custo de aquisição e a desuniformidade de brotação, o que contribui para a baixa produtividade da cultura. Desta forma, essa pesquisa foi realizada com o objetivo de avaliar a quebra de dormência do inhame comercial e da túbera-semente submetidas a diferentes concentrações de etileno e avaliar a produção de minitúberas a partir de estacas caulinares. Para a quebra de dormência do inhame comercial, foi utilizado o delineamento experimental em bloco casualizados em esquema fatorial 4x2x3, sendo quatro concentrações de Ethrel® (0, 10, 20 e 40 mL.L-1), dois períodos de repouso (com e sem repouso) e três posições na túbera (cabeça, meio e calda), com cinco repetições. Para a túbera-semente, foi utilizado o delineamento experimental em blocos casualizados em esquema fatorial 4x2, sendo quatro concentrações de Ethrel® (0, 10, 20 e 40 mL.L-1) e dois períodos de repouso (com e sem repouso fisiológico). Para a estaquia, o delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado em esquema fatorial 3 x 3, sendo três regiões da planta para obtenção da estaca (apical, mediana e basal) e três substratos comerciais (Tropstrato florestal, Tropstrato hortaliças e a mistura dos dois substratos na proporção 1:1). Adicionalmente, foi feito o acompanhamento do desenvolvimento da minitúbera por meio de cortes histológicos. As diferentes posições, concentração do Ethrel® e período de repouso influenciaram no tempo médio de brotação do inhame comercial, enquanto para a túbera-semente os fatores estudados não influenciaram a brotação. As estacas medianas apresentaram maior diâmetro e massa fresca de minitúberas, e 75% destas produziram duas minitúberas ao utilizar o substrato Tropstrato florestal. Observou-se, por meio do estudo anatômico, que sete dias após o plantio da estaca iniciou-se o processo de divisão celular e o acúmulo de amido na região nodal, e com 21 dias é possível visualizar o surgimento da minitúbera.

  • ANA PAULA SANTANA LIMA
  • Inseticidas botânicos: vantagens para o percevejo predador Podisus nigrispinus e efeitos letais para Spodoptera frugiperda.
  • Orientador : LEANDRO BACCI
  • Data: 07/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O percevejo predador Podisus nigrispinus é um importante agente de controle biológico que
    atua principalmente no controle de lagartas desfolhadoras, como Spodoptera frugiperda. O
    uso de inseticidas sintéticos para o controle de pragas pode causar impactos negativos em
    populações de P. nigrispinus. Dessa forma, a tendência atual é a adoção de programas de
    manejo de pragas que visam à preservação de inimigos naturais. Nesse contexto, os
    inseticidas botânicos podem ser uma alternativa aos inseticidas sintéticos. O objetivo deste
    estudo foi avaliar os efeitos subletais do óleo essencial de Lippia sidoides e de seu composto
    majoritário timol sobre parâmetros biológicos e comportamentais do percevejo predador P.
    nigrispinus, bem como o potencial desses inseticidas em controlar S. frugiperda. No primeiro
    capítulo, foi avaliado o efeito de doses subletais dos compostos botânicos e do inseticida
    sintético deltametrina no desenvolvimento, na reprodução e nos parâmetros demográficos do
    percevejo predador. Os inseticidas botânicos apresentam toxicidade menor a P. nigrispinus
    que a deltametrina. De modo geral, os tratamentos prolongaram o desenvolvimento ninfal e
    reduziram o peso dos insetos adultos. Porém, não foram observados efeitos negativos na
    reprodução. Além disso, os compostos botânicos aumentaram a longevidade dos machos e o
    número de ovos/ninfas por fêmea, indicando possíveis efeitos de hormese. Não houve
    diferença entre os tratamentos para os parâmetros de tabela de vida, exceto para o R0, que foi
    maior para o timol em comparação com a deltametrina. No segundo capítulo, avaliamos a
    toxicidade dos compostos a S. frugiperda e P. nigrispinus, bem como seus efeitos no
    comportamento do predador. O óleo essencial e o timol foram tóxicos a S. frugiperda e
    seletivos ao inimigo natural. No entanto, o inseticida deltametrina causou efeito contrário,
    sendo mais tóxico para o predador, além de reduzir sua sobrevivência de forma mais rápida. A
    deltametrina e o timol alteraram o comportamento de caminhamento de P. nigrispinus. Além
    disso, ninfas do percevejo predador passaram mais tempo do lado não tratado das arenas,
    indicando repelência/deterrência desse inseto a esses compostos. Os resultados obtidos
    ressaltam a seletividade do óleo essencial de L. sidoides e timol sobre o inimigo natural P.
    nigrispinus e, ao mesmo tempo, o potencial para controle da praga S. frugiperda.

2019
Descrição
  • JOSÉ OLIVEIRA DANTAS
  • Resposta de genótipos de Eucalyptus à vespa-da-galha Leptocybe invasa Fisher & La Salle, 2004 (Hymenoptera: Eulophidae)
  • Orientador : GENESIO TAMARA RIBEIRO
  • Data: 19/12/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A vespa-da-galha L. invasa é originária da Austrália, se reproduz por partenogênese (telítoca)
    exclusivamente em eucalipto com grande poder de infestação. A vespa-da-galha oviposita na nervura
    central das folhas, pecíolos e ramos jovens induzindo a formação de galhas, causando envassouramento
    e seca dos ponteiros, impedindo o crescimento normal das plantas e em casos de ataque mais severo
    ocorre a morte da planta. No entanto, existem genótipos de eucalipto resistentes e genótipos suscetíveis
    a formação de galhas. Objetivando analisar se a resistência a formação de galhas é física ou química,
    cinco genótipos resistentes e cinco suscetíveis tiveram a anatomia e composição química analisadas,
    concomitantemente fez-se o registro da primeira ocorrência de galhas em Eucalyptus globulus, na região
    nordeste do Brasil. Para análise física ou anatômica, galhas nas folhas, pecíolos e ramos jovens de
    genótipos de eucalipto resistentes e suscetíveis foram cortadas em micrótomo, observadas e
    fotografadas com microscópio óptico e a área dos feixes vasculares, na região da postura e, ou galha foi
    medida usando o programa Image-Pro Plus ® . Os óleos essenciais dos genétipos de eucalipto foram
    analisados por cromatografia gasosa e espectrofotometria de massa. Foi observada oviposição da vespa-
    da-galha em genótipos resistentes, porém sem formação de galhas. Já nos genótipos suscetíveis houve
    a formação de galhas com deformações nas estruturas e diminuição significativa nas áreas dos feixes
    vasculares da nervura central das folhas e pecíolos. Houve diferença na composição química dos óleos
    essenciais entre os genótipos resistentes e suscetíveis, sendo que doze constituintes foram detectados
    apenas nos óleos essenciais dos genótipos resistentes. Portanto, a resistência provavelmente não é física,
    uma vez que ocorre oviposição da vespa em genótipos resistentes, assim a resistência a formação de
    galha deve ser química, induzida pelo sinergismo dos constituintes do óleo essencial.

  • ALBERTO FERREIRA DO NASCIMENTO JÚNIOR
  • ÓLEOS ESSENCIAIS DE ACESSOS DE Lippia gracilis: MÉTODOS DE EXTRAÇÃO, COMPOSIÇÃO QUÍMICA E ATIVIDADES INSETICIDA E FUNGICIDA SOBRE Aleurocanthus woglumi E Capnodium sp.
  • Orientador : ARIE FITZGERALD BLANK
  • Data: 29/11/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O gênero Lippia vem sendo muito estudado devido a suas propriedades biológicas. As diversas utilidades da Lippia gracilis Schauer (alecrim da chapada) vem despertando interesse dos pesquisadores na área de controle de pragas e doenças nas culturas agrícolas. As plantações de citros estão suscetíveis à ocorrência de pragas e doenças que afetam seu desenvolvimento e, consequentemente, a qualidade dos frutos. A mosca negra Aleurocanthus woglumi Ashby é um exemplo prejudicial a cultura. A fumagina, doença causada pelo fungo Capnodium sp., é oportunista e ocorre nas folhas e nos frutos dos citros, inclusive nas atacadas pela mosca negra. O emprego de óleos essenciais, com atividade pesticida comprovada, é uma alternativa promissora, desde que sua composição química seja adequada, o que pode ser influenciado pelo método de destilação. No presente trabalho avaliou-se métodos de destilação de folhas e atividade inseticida e fungicida de óleo essencial de L. gracilis sob a mosca negra (Aleurocanthus woglumi Ashby) e fumagina (Capnodium sp.). Foram testados o efeito de três métodos de extração (hidrodestilação, hidrodestilação assistida por micro-ondas e extração com fluido supercrítico CO2) sob o teor e composição química dos óleos essenciais de dois acessos de L. gracilis utilizando CG/EM. Para o acesso LGRA-106 observou-se teor de óleo essencial de 2,87%, 2,06% e 4%; e seu composto majoritário, foi o timol 33,02%; 61,43% e 32,75%, respectivamente para hidrodestilação, destilação assistida por micro-ondas e extração com fluido supercrítico CO2. O óleo essencial do acesso LGRA-108 apresentou teor de óleo essencial de 3,13% e 2,4%; e carvacrol, seu composto majoritário, de 22,62% e 28,36% para hidrodestilação e destilação assistida por micro-ondas. Para extração com fluido supercrítico CO2 o teor de óleo essencial foi de 4,4% e o composto majoritário foi o triacontane 29,41%, o composto carvacrol apresentou 6,19% e o timol 4,69%. Realizamos testes do uso do óleo essencial extraído por hidrodestilação, microemulsões dos óleos essências de dois acessos de Lippia gracilis e os compostos majoritários sob o fungo Capnodium sp. e ninfas de mosca negra. Os óleos essenciais apresentaram concentração inibitória mínima de 1 mL.L-1, para os compostos majoritários a concentração inibitória mínima (CIM) foi a de 0,5 mL.L-1, e para as microemulsões dos óleos essenciais dos acessos LGRA-106 e LGRA-108 não foi estabelecida CIM. Os ensaios dos óleos essenciais e microemulsões dos acessos de L. gracilis apresentaram, para óleo essencial do acesso LGRA-106, CL50 de 5,75 mL.L-1; para o acesso LGRA-108 CL50 de 5,72 mL.L-1; para a Microemulsão do acesso LGRA-106, CL50 de 9,7 mL.L-1 e para a microemulsão do acesso LGRA-108, CL50 de 14,15 mL.L-1. Não houve diferença significativa entre os óleos essenciais dos acessos LGRA-106 e LGRA-108. Também não houve diferença significativa entre o uso das microemulsões dos óleos essenciais dos acessos LGRA-106 e LGRA-108. Conclui-se que os óleos essenciais de L. gracilis e suas microemulsões têm potencial inseticida, fungistático e fungicida sob a mosca negra e fumagina.

  • RAFAEL SALOMÃO DA SILVA
  • Atividade antimicrobiana e modo de ação dos óleos essenciais de Varronia curassavica e Lippia gracilis sobre Xanthomnas campestris pv. campestris.
  • Orientador : ROBERTA PEREIRA MIRANDA FERNANDES
  • Data: 13/11/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • As bactérias do gênero Xanthomonas causam sérios danos a diferentes espécies de plantas economicamente importantes, incluindo variedades de couve, repolho e alguns citros, como laranja. Este gênero inclui bactérias fitopatogênicas, agentes causais da podridão negras em crucíferas. A podridão negra é uma doença, que se não tratada leva a morte do hospedeiro, causando perda na produtividade. Há poucos registros de produtos que possam ser empregados em lavouras pra o controle desta doença. Assim, tem se buscado s fontes para controle da podridão negra. Uma destas fontes tem sido a aplicação e estudos, tanto in vivo e in vitro, de produtos naturais a base de óleos essenciais com atividade antimicrobiana. Desta forma, o objetivo desta tese foi selecionar diferentes óleos essenciais de plantas com atividade antimicrobiana contra Xcc e avaliar o mecanismo de ação destes óleos essenciais e efeito sinérgico sobre Xcc. Para isso, óleos essenciais de Varronia curassavica e Lippia gracilis foram avaliados quanto à atividade antimicrobiana, in vitro, em meio líquido. Após seleção, os óleos essenciais com maior atividade antimicrobiana sobre Xcc foram avaliados. Para isso, a CMI, perfil químico, mecanismo de ação e efeito sobre a estrutura celular do fitopatógeno-alvo por técnica de Microscopia eletrônica de varredura, fluorescência e citometria de fluxo foram realizadas. Para a avaliação do efeito sinérgico diferentes genótipos de V. curassavica foram utilizados. Os resultados deste estudo indicam que os OEs de LGRA-106 e VCUR-202 e -302 são fortes candidatos no controle biológico contra Xcc, sendo seu efeito antimicrobiano e sinérgico para a associação entre VCUR-202 e -302 comprovados. Nossos resultados também indicam uma forte atividade antibiofilme sobre Xcc, para os OE de VCUR-202. Estudos morfosiológicos mostram que os óleos essenciais estudados exercem efeito antimicrobiano devido a danos na membrana citoplasmática das células bacterianas. Estudos visando a formulação desses óleos são necessários visando a aplicação in vivo.

  • PAULO SILAS OLIVEIRA DA SILVA
  • A tecnologia de filmes de partículas de cálcio aplicada ao cafeeiro conilon: aspectos fisiológicos e agronômicos.
  • Orientador : LUIZ FERNANDO GANASSALI DE OLIVEIRA JUNIOR
  • Data: 05/09/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa teve por objetivo geral desenvolver filmes de partículas de cálcio para o cafeeiro conilon (Coffea canephora Pierre ex A. Froehner) e avaliar seus efeitos comparados ao sombreamento natural durante o estabelecimento da cultura, e associado a diferentes regimes hídricos impostos às plantas na fase de granação, nas condições dos tabuleiros costeiros em Sergipe, Brasil. Para isto, dois estudos foram realizados em diferentes anos, em 2017 e 2019 com a variedade ‘Vitória Incaper 8142’. O primeiro foi realizado em campo em blocos casualizados em esquema fatorial 8x3 (n=4). Buscou-se avaliar efeitos de quatro métodos de sombreamento durante o estabelecimento do cafeeiro conilon: sombreamento natural por consórcio com bananeiras, sombreamentos artificiais com filmes de partículas (FP) de CaCO3 (10% p/v), e de CaO (20% p/v) e plantas a pleno sol (PS) (controle), combinados a dois horários de avaliação (9:00h e 12:00h). As avaliações foram realizadas em três intervalos de dias após aplicação (DAA) dos filmes (7DAA, 21DAA e 35DAA). O segundo foi realizado em campo em parcelas subdivididas (3x2) em blocos (n=4). Três regimes hídricos compuseram a parcela: 33%, 66% e 99% (controle) da evapotranspiração da cultura (ETc); e dois níveis de sombreamento artificial nas subparcelas: FP de CaO (20% p/v) e PS, aplicados durante o estádio fenológico de granação dos frutos. Em ambos os estudos se verificou que o sombreamento natural e com FP aumentavam a taxa de fotossíntese líquida (A), enquanto regulavam o excesso de condutância estomática (gs) e transpiração (E) pela redução da temperatura das folhas e da copa em comparação ao controle PS. Estes mecanismos favoreceram o aumento das eficiências instantânea (EUA) e intrínseca (EIUA) do uso da água, enquanto favoreciam também o armazenamento intercelular de CO2 (Ci) e a eficiência de carboxilação (EIC). Plantas sombreadas apresentaram redução de processos fotoinibitórios expressos por menores valores de dissipação não fotoquímica de energia (Fo/Fm), enquanto aumentavam a eficiência fotoquímica máxima (Fv/Fm), necessitando de tempo (21DAA) para aclimatação e melhores resultados. Evidenciou-se também reduções no teor do osmorregulador prolina e aumento no teor relativo de água (TRA%) em plantas sob 33% da ETc tratadas com filmes de partículas, comparado ao PS. Durante o estabelecimento das plantas os filmes proporcionaram proteção e maior estabilidade às oscilações meteorológicas diurnas. Já durante o ciclo reprodutivo melhorou também o status hídrico e a granação do café, enquanto reduzia os efeitos do déficit hídrico no cafeeiro durante o verão nas condições do Nordeste do Brasil. Estes resultados verificados em diferentes anos e períodos evidenciaram que filmes de partículas de cálcio são ferramentas valiosas para proteção do cafeeiro e apresenta potencial inovador para diferentes sistemas de cultivo, 20% de CaO apresentou maior duração desses efeitos. Verificou-se também que plantas de ‘Vitória Incaper 8142’ poderiam suportar regimes de 66% da ETc, promovendo a economia de água, e quando associado a FP poderiam melhorar o desempenho das plantas e o tamanho dos grãos de café.

  • WALLACE BORGES DE MATOS
  • Respostas comportamentais de Nannotrigona sp. a inseticidas de origem sintética e natural
  • Orientador : LEANDRO BACCI
  • Data: 31/07/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A população de abelhas no mundo está declinando. Dentre os fatores associados ao declínio desses polinizadores está o uso de inseticidas, principalmente os neonicotinoides associados às abelhas melíferas. Esse fato tem chamado a atenção para as abelhas nativas. A mudança para inseticidas seletivos pode reduzir esse impacto e – o óleo essencial (OE) de Lippia sidoides e seus componentes majoritários – figuram como potenciais inseticidas. Neste trabalho foram avaliados os efeitos letais e subletais do OE de L. sidoides, dos seus componentes majoritários: timol, r-cimeno e (E)-cariofilrno e dos inseticidas espinetoram, deltametrina e imidacloprido em abelhas nativas Nannotrigona sp. Todos os inseticidas foram mais tóxicos do que o OE e seus componentes majoritários. De forma geral, o comportamento só não foi alterado significativamente pelos inseticidas espinetoram e imidacloprido. O OE alterou o comportamento coletivo das operárias forrageiras, provocando comportamento de evitação por parte de indivíduos não-tratados em relação ao indivíduo tratado. No teste de locomoção e orientação de voo, o imidacloprido e a deltametrina foram os tratamentos que mais diminuíram a proporção e velocidade de chegada dos indivíduos até a fonte de luz, nos dois tempos de avaliação (3 e 24h). Já o OE, seus componentes majoritários isolados e o espinetoram apresentaram valores intermediários. O espinetoram apresentou redução na proporção de indivíduos que chegaram à luz do tempo de 3 para 24h. Esses resultados demonstram a maior segurança dos inseticidas botânicos, comparados aos inseticidas sintéticos, para os polinizadores. Contudo, são necessários mais estudos para averiguar essa segurança para outros organismos não-alvo.

  • MILENA NASCIMENTO CARDOSO
  • Diversidade genética e efeitos da secagem e salinidade na propagação do jenipapeiro
  • Data: 31/07/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • O jenipapeiro (Genipa americana L.) é uma frutífera nativa do Brasil, pertencente à família Rubiaceae. Possui amplo destaque tanto pela distribuição geográfica, que ocorre do México à Patagônia, quanto por suas diversas formas de uso. Trata-se de uma espécie sucessional tardia, indicada para áreas de restauração florestal e que também apresenta atividades farmacológicas e, consequente potencial comercial. A destruição de habitats naturais para espécie, aliado ao seu uso extensivo justificam uma maior demanda de pesquisas. Conhecer sua diversidade genética e ter conhecimentos técnicos a respeito de sua propagação é de suma importância no fornecimento de critérios essenciais ao pré-melhoramento, critérios de conservação e exploração comercial. O objetivo desse trabalho foi caracterizar aspectos germinativos e genéticos em populações de jenipapeiro. A diversidade genética foi estimada por marcadores ISSR em 15 populações naturais de do Estado de Sergipe. Constatou-se alta taxa de polimorfismo (100%), índice de Shanon de 0,36 e divisão dos indivíduos em dois grupos distintos. Nos experimentos sobre propagação, utilizou-se o delineamento experimental inteiramente casualizado com quatro repetições de 25 sementes, totalizando 100 sementes por tratamento. No estudo sobre secagem, as sementes foram beneficiadas e submetidas a diferentes períodos de secagem (0; 24; 48; 72; 96 e 120 h) sob temperatura de 28ºC ± 2ºC e semeadas em sacos de polietileno contendo substrato comercial e pó de coco. A viabilidade foi mantida em 80%, no período de secagem de 48 h, quando a umidade foi de 32% e o crescimento inicial foi afetado após 96 h. Para avaliar os efeitos do estresse salino no potencial fisiológico das sementes e no crescimento in vitro, as sementes foram submetidas a diferentes concentrações de NaCl (0; 25; 50; 75 e 100mM). A cada 72 h foram extraídos eixos embrionários para determinação da atividade de enzimas antioxidantes superóxido dismutase (SOD), catalase (CAT) e ascorbato peroxidase (APX). Para verificação do crescimento inicial sob salinidade in vitro, explantes de acessos NB, SA e SF foram inoculados em meio MS acrescido das concentrações 0; 25; 50; 75 e 100mM e avaliados após 90 dias. A prolina foi quantificada aos 30, 60 e 90 dias após inoculação dos explantes ao meio salino. Verificou-se que a concentração de 50mM de NaCl afeta o potencial fisiológico das sementes e que a salinidade aumenta a atividade das enzimas SOD e APX até 288 h de exposição ao estrese salino. O estresse salino provoca diminuição no crescimento in vitro da espécie, sendo que o acesso SA apresentou maior tolerância à salinidade. O acréscimo de sal ao meio ocasionou incremento de prolina aos 30, 60 e 90 dias, indicando seu uso como indicador bioquímico para estresse em jenipapeiro.

  • ISABELA DA SILVA VASCONCELOS RODRIGUES
  • UTILIZAÇÃO DE BACTÉRIAS ISOLADAS DO SOLO PARA PRODUÇÃO DE XILANASE E DE BIOETANOL
  • Orientador : ROBERTA PEREIRA MIRANDA FERNANDES
  • Data: 31/07/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Os microrganismos são capazes de secretar enzimas e realizar a quebra de diversas moléculas
    orgânicas. Por isso, os microrganismos possuem vasta aplicabilidade em diversos processos
    biotecnológicos. Dentre as enzimas produzidas por micro-organismos, as xilanases possuem
    alto potencial biotecnológico, sendo de interesse para indústrias alimentícia, farmacêutica e de
    produção de papel. Além da produção de enzimas de interesse industrial, outro viés
    biotecnológico com o uso de microrganismo é a produção de bioetanol. O objetivo do
    presente estudo foi utilizar bactérias isoladas do solo para produção de xilanase e de
    bioetanol. Para a produção de xilanase através do Bacillus sp TC-DT13 foi realizada uma
    seleção com resíduos agroindustriais através da fermentação submersa. O resíduo selecionado
    na etapa anterior foi utilizado para produzir enzimas xilanolíticas sob fermentação em estado
    sólido. Dentre os resíduos utilizados, o farelo de trigo foi selecionado como o melhor indutor
    de produção de xilanase com 1500 U/mL. Enquanto que na fermentação em estado sólido, o
    uso de farelo de trigo como o único substrato de fermentação na proporção de 1:4 de umidade
    ao longo de um período de 144 horas induziu uma quantidade excessiva de xilanase atingindo
    2943 U/g. O uso de fontes de carbono e nitrogênio não influenciou o aumento da produção de
    enzimas xilanolíticas. O uso dos resíduos agroindustriais na fermentação sólida, além de
    aumentar a produção de xilanase e reduzir os custos, também é uma alternativa favorável ao
    meio ambiente. Para produção de etanol, linhagens de Bacillus spp. e Paenibacillus sp foram
    testadas quanto a sua capacidade de fermentar xilose. As linhagens foram submetidas à
    fermentação com xilose em diferentes concentrações. Dentre as linhagens testadas para
    avaliação de desenvolvimento em meio com xilose, 5 linhagens TC-DT8, TC-DT64, TC-
    DT81 e TC-DT139 e TC-DT13 foram selecionadas por obterem maior crescimento celular em
    2% de xilose. Na fermentação sem agitação, o Bacillus sp. TC-DT13 e Paenibacillus sp. TC-
    DT8 foram as linhagens que mais promoveram a produção de etanol em 36 horas com 7,06 e
    4,33 g L -1 , respectivamente. Enquanto que na fermentação com agitação a produção de etanol
    entre as linhagens variaram de 1,59 g L -1 até 2,6 g L -1 . Portanto, pode-se concluir que algumas
    das linhagens bacterianas testadas foram capazes de se desenvolverem em meio contendo
    xilose. Além disso, o Bacillus sp. TC-DT13 e Paenibacillus sp. TC-DT8 produziram etanol
    tanto com agitação quanto sem agitação.

  • ALBERTO FERREIRA DO NASCIMENTO JÚNIOR
  • ÓLEOS ESSENCIAIS DE ACESSOS DE Lippia gracilis: MÉTODOS DE EXTRAÇÃO, COMPOSIÇÃO QUÍMICA E ATIVIDADES INSETICIDA E FUNGICIDA SOBRE Aleurocanthus woglumi E Capnodium sp.
  • Orientador : ARIE FITZGERALD BLANK
  • Data: 29/07/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O gênero Lippia vem sendo muito estudado devido a suas propriedades biológicas. As diversas utilidades da Lippia gracilis Schauer (alecrim da chapada) vem despertando interesse dos pesquisadores na área de controle de pragas e doenças nas culturas agrícolas. As plantações de citros estão suscetíveis à ocorrência de pragas e doenças que afetam seu desenvolvimento e, consequentemente, a qualidade dos frutos. A mosca negra Aleurocanthus woglumi Ashby é um exemplo prejudicial a cultura. A fumagina, doença causada pelo fungo Capnodium sp., é oportunista e ocorre nas folhas e nos frutos dos citros, inclusive nas atacadas pela mosca negra. O emprego de óleos essenciais, com atividade pesticida comprovada, é uma alternativa promissora, desde que sua composição química seja adequada, o que pode ser influenciado pelo método de destilação. No presente trabalho avaliou-se métodos de destilação de folhas e atividade inseticida e fungicida de óleo essencial de L. gracilis sob a mosca negra (Aleurocanthus woglumi Ashby) e fumagina (Capnodium sp.). Foram testados o efeito de três métodos de extração (hidrodestilação, hidrodestilação assistida por micro-ondas e extração com fluido supercrítico CO2) sob o teor e composição química dos óleos essenciais de dois acessos de L. gracilis utilizando CG/EM. Para o acesso LGRA-106 observou-se teor de óleo essencial de 2,87%, 2,06% e 4%; e seu composto majoritário, foi o timol 33,02%; 61,43% e 32,75%, respectivamente para hidrodestilação, destilação assistida por micro-ondas e extração com fluido supercrítico CO2. O óleo essencial do acesso LGRA-108 apresentou teor de óleo essencial de 3,13% e 2,4%; e carvacrol, seu composto majoritário, de 22,62% e 28,36% para hidrodestilação e destilação assistida por micro-ondas. Para extração com fluido supercrítico CO2 o teor de óleo essencial foi de 4,4% e o composto majoritário foi o triacontane 29,41%, o composto carvacrol apresentou 6,19% e o timol 4,69%. Realizamos testes do uso do óleo essencial extraído por hidrodestilação, microemulsões dos óleos essências de dois acessos de Lippia gracilis e os compostos majoritários sob o fungo Capnodium sp. e ninfas de mosca negra. Os óleos essenciais apresentaram concentração inibitória mínima de 1 mL.L-1, para os compostos majoritários a concentração inibitória mínima (CIM) foi a de 0,5 mL.L-1, e para as microemulsões dos óleos essenciais dos acessos LGRA-106 e LGRA-108 não foi estabelecida CIM. Os ensaios dos óleos essenciais e microemulsões dos acessos de L. gracilis apresentaram, para óleo essencial do acesso LGRA-106, CL50 de 5,75 mL.L-1; para o acesso LGRA-108 CL50 de 5,72 mL.L-1; para a Microemulsão do acesso LGRA-106, CL50 de 9,7 mL.L-1 e para a microemulsão do acesso LGRA-108, CL50 de 14,15 mL.L-1. Não houve diferença significativa entre os óleos essenciais dos acessos LGRA-106 e LGRA-108. Também não houve diferença significativa entre o uso das microemulsões dos óleos essenciais dos acessos LGRA-106 e LGRA-108. Conclui-se que os óleos essenciais de L. gracilis e suas microemulsões têm potencial inseticida e fungistático sob a mosca negra e fumagina.

  • GILMARA DA SILVA FREIRE
  • ANÁLISE DE VEGETAÇÃO E SOLOS EM ÁREAS DE NASCENTES DA SUB-BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PIAUITINGA - SERGIPE
  • Orientador : ROBERIO ANASTACIO FERREIRA
  • Data: 29/07/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A vegetação ciliar é uma faixa de floresta limitada às nascentes e margens dos cursos e
    reservatórios d'água, estando presente nas regiões em que a vegetação original de interflúvio
    também é florestal. Esta é fundamental na manutenção da estabilidade ambiental, funcionando
    como corredores ecológicos. Quando presente ao longo dos cursos d’água e ligada por
    fragmentos florestais próximos, proporciona passagem de animais, facilitando a dispersão de
    sementes. Apesar da sua importância, o ritmo de desmatamento no entorno de nascentes e nas
    margens dos rios está acelerado. Desta forma, esse estudo foi realizado com o objetivo de
    analisar a estrutura, composição e a similaridade florística, bem como analisar as classes
    sucessionais, as síndromes de dispersão das espécies e a correlação entre os fatores edáficos e
    a distribuição das espécies do componente arbustivo-arbóreo em 57 nascentes, localizadas nos
    municípios de Estância, Salgado, Lagarto e Boquim, na Sub-Bacia Hidrográfica do Rio
    Piauitinga, Sergipe. Inicialmente, elaborou-se uma listagem completa das espécies
    identificadas nos municípios estudados e analisou-se a diversidade, as síndromes de dispersão
    e a similaridade florística. Em relação aos fatores edáficos, foram determinados os parâmetros
    químicos do solo (pH, K, Na, Ca+Mg, Ca, Mg, Al, H+Al, P e MO), a partir dos resultados
    foram calculadas a SB, V, PST, CTC e determinada a granulometria do solo (areia, argila e
    silte). Além disso, realizou-se uma análise de correspondência canônica (CCA) para verificar
    se os fatores edáficos influenciam no padrão de distribuição das espécies ao longo desta
    unidade de planejamento. A respeito da composição florística das 57 nascentes estudadas,
    foram identificadas 139 espécies distribuídas em 101 gêneros e 47 famílias botânicas. As
    famílias de maior representatividade foram Fabaceae (27 espécies) e Myrtaceae (18 espécies).
    Em relação às síndromes de dispersão, houve predominância da zoocoria, observada em 103
    espécies. Os valores de similaridade foram considerados baixos, ou seja, menores que 50%, e
    as nascentes que apresentaram maior similaridade entre si estão situadas nos municípios de
    Salgado e Boquim (40%), formando um subgrupo. Apesar dos fragmentos, que correspondem
    às áreas de entorno das nascentes, apresentarem-se antropizados, os mesmos possuem uma
    riqueza significativa na composição florística, a qual é de grande importância para a
    manutenção dos processos ecológicos nos ecossistemas da Sub-Bacia Hidrográfica do Rio
    Piauitinga. Além disso, podem seguramente servir de base para o uso das espécies listadas em
    futuros projetos de recuperação/restauração florestal, tanto nas áreas de nascentes quanto em
    margens de cursos d'água desta unidade de planejamento. Quanto às propriedades químicas e
    granulométricas do solo, observou-se diferença significativa (P<0,05) nos teores de Ca+Mg,
    Ca, CTC, PST, areia e argila na profundidade de 0-20 cm. Já para a profundidade 20-40 cm,
    houve diferença significativa para os fatores Al, PST, areia e argila. Não foi observada
    diferença significativa para os demais fatores. A análise de correspondência canônica
    evidenciou que variações nos atributos químicos e granulométricos do solo influenciam na
    distribuição espacial das espécies arbustivo-arbóreas ao longo da unidade de planejamento
    estudada.

  • KATILY LUIZE GARCIA PEREIRA
  • Diversidade química, genética e variação sazonal em Lantana camara L. e atividade tripanocida do óleo essencial sobre Phytomonas serpens (Gibbs)
  • Orientador : ARIE FITZGERALD BLANK
  • Data: 26/07/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Lantana camara L. (Verbenaceae) conhecido popularmente no Brasil por “cambará” é um arbusto medicinal e aromático encontrado mundialmente em regiões tropicais, subtropicais e temperadas. O objetivo do presente estudo foi analisar a diversidade química, genética e variação sazonal de óleos essenciais de L. camara e sua atividade tripanocida sobre Phytomonas serpens. Para analisar a diversidade química da espécie, 105 plantas nativas foram coletadas em 21 municípios do estado de Sergipe e os óleos essenciais obtidos por hidrodestilação foram analisados por CG-EM/CG-DIC. O teor dos óleos essenciais variou de 0,1 a 0,5%. Foram identificados 29 compostos e as plantas foram agrupadas em sete grupos químicos caracterizados por diferente número de plantas e compostos majoritários. Os compostos E-cariofileno (4,1 - 53,4%), germacreno D (2,8 - 48,3%), biciclogermacreno (0,0 - 18,9%), α-humuleno (0,7 - 39,0%) e α-curcumeno (24,9 – 34,3%) foram encontrados em maior quantidade e definiram a formação dos grupos químicos. Para a análise da diversidade genética por meio do marcador ISSR, 36 acessos de L. camara provenientes do Banco Ativo de Germoplasma (BAG) de Plantas Medicinais e Aromáticas da Universidade Federal de Sergipe (UFS) foram analisados por meio de 15 primers. 130 bandas foram amplificadas e sete grupos foram formados pela análise de agrupamento. A distância genética de Nei apresentou média de 0,278 e o índice de Shannon média de 0,412. A diversidade genética entre os acessos foi considerada moderada. Para a investigação da variação sazonal, 28 acessos de L. camara foram coletados no BAG de Plantas Medicinais e Aromáticas da UFS nas épocas chuvosa (agosto/2017) e seca (fevereiro/2018). Os óleos essenciais foram extraídos por hidrodestilação e analisados por CG-EM/CG-DIC. Houve variação no teor e na composição química dos óleos essenciais nas duas épocas estudadas. O teor variou de 0,13 a 0,29% na época chuvosa e de 0,13 a 0,33% na época seca. Foram detectados e identificados 34 compostos, monoterpenos e sesquiterpenos. Os compostos E-cariofileno, α-humuleno, α-curcumeno e germacreno D definiram a formação de quatro grupos químicos nas épocas chuvosa e seca, classificados como: Grupo 1 (E-cariofileno + germacreno D); Grupo 2 (germacreno D + E-cariofileno); Grupo 3 (α-humuleno + E-cariofileno); e Grupo 4 (α-curcumeno + E-cariofileno). Todos os óleos essenciais representantes dos quatro grupos químicos inibiram P. serpens com baixas concentrações: IC50 de 18,34 ± 6,60 µg/mL (LAC-018, Grupo 1); 9,14 ± 3,87 µg/mL (LAC-027, Grupo 2); 14,56 ± 3,40 µg/mL (LAC-037, Grupo 3); e 14,97 ± 2,68 µg/mL (LAC-019, Grupo 4). Um dos mecanismos de ação dessa inibição é a permeabilização da membrana plasmática. Os resultados indicam que há diversidade química entre populações nativas de L. camara do estado de Sergipe, a diversidade genética entre os acessos foi moderada, houve influência da sazonalidade no teor e composição química dos acessos, e um novo quimiotipo (α-curcumeno) de L. camara é sugerido, a inibição de P. serpens indica que o óleo essencial das folhas do cambará pode ser uma fonte promissora de moléculas e/ou pode constituir matéria-prima para o desenvolvimento de um novo produto com atividade antiprotozoária.

  • HYRLA GRAZIELLE SILVA DE ARAUJO COUTO
  • ATIVIDADE ANTIMICROBIANA DE TRÊS ESPÉCIES AROMÁTICAS, ATIVIDADE ANTIOXIDANTE E FORMULAÇÃO DE MICROEMULSÃO DE ÓLEO ESSENCIAL DE MANJERICÃO.
  • Orientador : ARIE FITZGERALD BLANK
  • Data: 25/07/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo deste trabalho foi realizar uma triagem da atividade antibacteriana de três espécies aromáticas, a atividade antioxidante de óleos essenciais (OEs) de Ocimum basilicum e seus compostos majoritários, como também desenvolver uma microemulsão de revestimento comestível antimicrobiano com OE de Ocimum basilicum. O espectro de atividade dos OEs dos genótipos Lippia alba (Mill.) N.E.Br., Myrcia lundiana Kiaersk, Ocimum basilicum L., frente a seis bactérias patogênicas em alimentos foi avaliado pelo método de difusão em ágar. Para as linhagens sensíveis, foram determinadas a concentração inibitória mínima (MIC) e a concentração bactericida mínima (MBC) dos OEs bem como da combinação de seus compostos majoritários. O potencial antioxidante dos OEs de 24 genótipos de manjericão foi avaliado por 4 métodos distintos de avaliação in vitro (DPPH, FRAP, ABTS e β-caroteno). Diferentes combinações dos principais compostos encontrados no OEs também foram testadas para identificar as combinações responsáveis pela atividade antioxidante dos óleos voláteis e verificar a ocorrência de sinergismo ou antagonismo entre elas. Na terceira etapa do trabalho aplicou-se revestimento comestível de alginato de sódio (1%) à base de microemulsão contendo OE de manjericão (Ocimum basilicum L.) da cultivar Maria Bonita em fatias de presunto pré-contaminadas com Listeria monocytogenes, a fim de verificar seu efeito antimicrobiano durante o armazenamento. Esta etapa foi realizada com três tratamentos: fatias controle sem adição de cobertura (Controle), revestidas com alginato de sódio sem microemulsão e óleo essencial de manjericão (CAW) e revestidas com alginato de sódio incorporado com microemulsão contendo óleo essencial de manjericão da cultivar Maria Bonita (30μL / mL) (OEM). Dentre as espécies avaliadas, OEs da espécie Ocimum basilicum apresentaram melhor desempenho antimicrobiano, e a combinação de compostos padrões simulando a composição majoritária de um destes OE, apresentou MIC e MBC significativamente menores que o OE. Os resultados de atividade antioxidante dos 24 genótipos de manjericão indicam que 9 OE apresentaram maior potencial antioxidante, algumas apresentando atividade até a concentração de 1 µL / mL, e o composto majoritário eugenol apresentou a maior atividade antioxidante. Esta diferença entre os OEs e suas simulações na atividade antioxidante e antimicrobiana, sugere que a atividade biológica de alguns OEs não pode ser atribuída somente aos compostos majoritários, mas também a compostos minoritários presentes no OE, possivelmente por efeito sinergístico. A microemulsão formulada com alginato de sódio e OE da cultivar Maria Bonita (OEM), quanto aplicada em fatias de presunto inoculadas com L. monocytogenes, apresentou redução significativa no número de células viáveis de durante o armazenamento, o que não ocorreu nos demais tratamentos sem microemulsão (Controle e CAW). Estes resultados sugerem que OEs da espécie Ocimum basilicum possuem atividade antioxidante e antimicrobianas promissoras, e que estas atividades não podem ser atribuídas apenas aos seus compostos majoritários. Estes OEs incorporados a revestimentos comestíveis em microemulsão possuem potencial para aplicação em embalagens ativas, visando melhorar a segurança alimentar.

  • OLAVO JOSÉ MARQUES FERREIRA
  • HÍBRIDOS DE Jatropha curcas L. COM POTENCIAL PARA ESTABILIZAÇÃO BIOTÉCNICA DE SOLOS
  • Orientador : RENATA SILVA MANN
  • Data: 19/07/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Diversas utilidades motivaram a expansão da cultura do pinhão-manso (Jatropha curcas L.) a partir do seu centro de origem nas Américas. Entre os atributos desta espécie estão a resistência ao estresse hídrico, resistência ao ataque de pragas, o baixo custo de produção e a possibilidade de cultivo em áreas degradadas. A morfologia do sistema radicular tem despertado interesse em pesquisas para proteção do solo contra impactos negativos que podem causar a erosão. Esse conjunto de características é vantagem significativa para uso em regiões que necessitam de culturas sustentáveis. Desta forma, de posse de plantas híbridas de pinhão-manso, foram realizadas as seguintes pesquisas: i) a prospecção tecnológica para o gênero Jatropha, com vistas aos processos tecnológicos, técnica de bioengenharia de solos e técnicas de propagação; ii) análise de imagens e classificação de sementes de pinhão-manso quanto ao grau de maturação dos frutos; iii) índice e divergência genética de plantas de híbridos de Jatropha curcas (L.) para uso em técnicas de bioengenharia dos solos e iv) comportamento do sistema radicular de Jatropha curcas na estabilização de taludes. A prospecção foi realizada em bancos de dados de pesquisa científica, tecnológica e de patentes. Encontrou-se um grande volume de publicações científicas e depósitos de patentes envolvendo o termo Jatropha curcas. Entretanto, não há inovações tecnológicas depositadas nas bases de dados para Jatropha com uso em bioengenharia de solos. Visando a eficiência na propagação dos híbridos, a qualidade de sementes foi realizada por meio da análise de raios-X. O uso de teste de raios-X e a categorização das sementes de Jatropha curcas permite identificar híbridos com maior produção de sementes bem formadas e classificadas como cheias. Foram utilizados dez híbridos com sementes obtidas de frutos em diferentes estádios de maturação. O híbrido JCUFS-04xJCUFS-05 apresentou a melhor qualidade fisiológica. Para os híbridos JCUFS-04xJCUFS-13 e JCUFS-01xJCUFS0-13 existe correlação positiva para as imagens de raios-X, a porcentagem de germinação e a ocorrência de plantas normais. Visto que há uma grande necessidade de identificação de plantas com potencial biotécnico, foi aplicado o índice de qualidade de Dickson em mudas produzidas a partir de estacas vivas de Jatropha curcas. As mudas foram analisadas em diferentes tempos de avaliação para identificar plantas com maior potencial biotécnico. Os híbridos JCUFS-01xJCUFS-05, JCUFS-01xJCUFS-13 e JCUFS-04xJCUFS-05 apresentam maior potencial biotécnico, com maior capacidade de desenvolvimento. O pinhão-manso apresenta alta taxa de sobrevivência, sendo o melhor índice observado aos 60 dias após o estaqueamento. O comportamento do sistema radicular das plantas de Jatropha curcas foi determinado pelo método do monólito e do cilindro com ensaios de tração em raízes submetidas ao esforço para determinação da tensão de ruptura. O volume, a densidade e a distribuição de raiz diminuíram com o aumento da profundidade no solo, ocorrendo uma forte correlação negativa entre os índices e a profundidade do solo de ocorrência das raízes. Pelo método do cilindro, as raízes alcançaram profundidades superiores a 2 m. Os híbridos com maior potencial biotécnico na contenção de solos são JCUFS-01xJCUFS-05, JCUFS-01xJCUFS-13 e JCUFS-04xJCUFS-05.

  • AIRAN MIGUEL DOS SANTOS PANTA
  • Expressão gênica: estresse térmico e detecção de Leifsonia xyli subsp. xyli em insetos hospedeiros em cana-de-açúcar
  • Orientador : RENATA SILVA MANN
  • Data: 19/07/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Grande parte dos estados produtores de cana-de-açúcar estão em regiões de clima seco e com temperaturas elevadas no verão. Isso demonstra a necessidade de se avaliar e desenvolver cultivares que mantenham a produtividade alta. Dentro desse contexto, é imprescindível compreender como a cana-de-açúcar se comporta sob estresse abiótico, principalmente de temperatura. De posse desses conhecimentos, poder-se-á estabelecer critérios de seleção de genótipos e delinear estratégias de utilização dessas fontes de tolerância em programas de melhoramento vegetal. Objetivou-se com este estudo avaliar parâmetros fisiológicos e a expressão gênica em cana-de-açúcar cultivar RB86-7515 submetida às temperaturas de 40°C, 28°C e 15°C em diferentes tempos de exposição 0, 4, 8, 12 e 24 horas. Empregado em delineamento inteiramente casualizado, com seis repetições. Plantas de cana-de-açúcar foram mantidas em casa de vegetação até atingirem 65 dias de crescimento. Em seguida foram submetidas ao estresse de temperatura em incubadora tipo B.O.D. Obtiveram-se dados de clorofila a e b, bem como a relação a/b, clorofila total e fluorescência da clorofila. As medidas da fluorescência da clorofila a foram feitas em folhas localizadas na região mediana da folha. Foram medidos os valores de fluorescência inicial (F0) e máxima (Fm). Com essas variáveis foram estimadas as relações: Fv/Fo e a eficiência quântica potencial do fotossistema II (FSII) Fv/Fm. Após as medidas de Fo e Fm, foi determinada a curva de indução da fotossíntese e análise dos coeficientes de extinção da fluorescência. Para a avaliação da expressão gênica, amostras de tecidos de folhas foram submetidas à extração de RNA e determinação da expressão do gene para a subunidade 18S. Houve diferença entre os tratamentos para as variáveis clorofilas total e a relação clorofila a/b. Para F0, Fm, Fv, Fv/Fm, Fm/F0 e F0/Fvas temperaturas influenciaram significativamente nas determinações. Para os resultados da expressão gênica foram testados os genes M6, HSP (sHSP18.2), PER1 e 18S. Houve atividade gênica detectável para 18S a 15°C e 40°C, em alguns tempos.

  • ALLANA MELLYSE BARBOSA RODRIGUES
  • MORFOLOGIA DE UNIDADES DE DISPERSÃO E TRATAMENTOS PRÉ-GERMINATIVOS EM UMBUZEIRO (Spondias tuberosa Arr. Câm.)
  • Orientador : RENATA SILVA MANN
  • Data: 30/04/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O umbuzeiro (Spondias tuberosa) é uma espécie nativa do bioma Caatinga, cujos frutos são usados na alimentação humana, suplementação animal, e como fonte de renda para os pequenos produtores rurais e os extrativistas. A disponibilidade dos frutos é cada vez mais escassa, o que contribui para que não estejam disponíveis unidades de dispersão dessa espécie na natureza, sendo cada vez mais raros indivíduos jovens em populações naturais. Outro aspecto a se considerar é que as sementes levam em média 60 dias para a completa germinação, que é lenta e desuniforme. Assim, visando contribuir com informações sobre a germinação das sementes dessa espécie sob condições de restrição hídrica, germinação em menor tempo e com uniformidade, se realizou a caracterização morfológica de unidades de dispersão por meio de imagens radiográficas em um lote (Artigo 1). Determinação das curvas de restrição e embebição em água e avaliação do efeito de tratamentos pré-germinativos na germinação das sementes de umbuzeiro foram realizadas em um segundo lote (Artigo 2). Para
    a caracterização física do lote 1 foram empregadas 10 repetições de 20 unidades de dispersão, que foram radiografadas (Equipamento Faxitron X-ray Corp - modelo HP MX-20) a uma intensidade e radiação automática de exposição de 28 kv por 5,2 segundos. Em seguida, as sementes foram classificadas em quatro categorias: cheias, translúcidas ou com danos, malformadas e vazias. As radiografias foram analisadas com o software ImageJ, versão 1,49s. Foram obtidas informações sobre densidade máxima e mínima em pixels e plotagens
    tridimensionais para cada categoria de propágulo. As unidades de dispersão do lote 2, obtidas de plantio comercial, foram caracterizadas quanto à biometria e em seguida avaliadas quanto ao teor de água, condutividade elétrica, germinação em água e sob condições de restrição hídrica, comprimento e massa seca de plântulas. Os tratamentos pré-germinativos empregados foram: solução de polietilenoglicol a -0,2 MPa (A), solução A acrescida de manitol (-0,2 MPa) (v/v 1:1), solução A e glicose (-0,2 MPa) (v/v 1:1), e o hidrocondicionamento (água ultrapura). As unidades de dispersão foram mantidas por 24, 48, 72, 96 e 120 horas sob aeração nas soluções indicadas. Estimou-se porcentagem, índice e tempo médio de germinação, comprimento da parte aérea, da raiz e massa seca de plântulas. O delineamento empregado foi o inteiramente casualisado (DIC) com 4 repetições. Os dados foram analisados em esquema fatorial (4x5), sendo 4 soluções e 5 tempos usando 4 repetições. Para o lote 1 nas
    imagens radiográficas foi possível identificar sementes cheias (21%), translúcidas ou com danos (54%), malformadas (23%) e vazias (2%) nos endocarpos. Para o lote 2, os endocarpos tinham teor de água de 12,78% e largura média de 14,49 mm, comprimento médio de 19,33 mm e espessura média de 11,24 mm. As unidades de dispersão necessitaram de 168 horas e absorção de 0,46 g de água para germinar. Sementes sem endocarpo não germinaram. Ao longo de 528 horas de germinação, somente ocorre a formação de plântulas de umbu no
    potencial -0,2 MPa. A condutividade elétrica obtida foi de 59,04 μScm-1g -1, porcentagem média de germinação de 65%, índice de velocidade de germinação de 0,85 e tempo médio de germinação de 19 dias. As plântulas resultantes apresentaram comprimento médio da parte aérea de 5,27 cm, comprimento médio da raiz de 7,98 cm e massa seca de 0,03 g. Os tratamentos pré-germinativos utilizados não contribuíram para acelerar a germinação do umbu.

  • JEAN ALEX THIMOTHEE
  • IMPACTO DE PRÁTICAS AGRÍCOLAS SOBRE A PRODUTIVIDADE DE GRÃOS E PROPRIEDADES FÍSICAS E QUÍMICAS DE SOLOS CAULINÍTICOS DOS TABULEIROS COSTEIROS DE SERGIPE
  • Data: 29/03/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Os solos cauliníticos, típicos dos tabuleiros costeiros, apresentam estrutura física frágil e são muito vulneráveis à degradação por sistemas de produção de milho empregados no Agreste de Sergipe, caracterizados pelo preparo com revolvimento de solo e pelo baixo aporte de resíduos vegetais. Deste modo, apesar do alto potencial de produção de milho nesta região, alternativas de preparo do solo e manejo de culturas e da cobertura vegetal são essenciais para a promoção da sustentabilidade agrícola da região. O objetivo deste estudo foi quantificar o efeito de diferentes práticas agrícolas sobre a produtividade de grãos e a qualidade do solo nos tabuleiros costeiros do agreste de Sergipe. O estudo foi conduzido em experimento em blocos casualizados, com quatro repetições, no Campo Experimental Jorge Sobral, em N. S. das Dores, SE. Dez tratamentos, com combinações entre os fatores cultura de grãos (milho ou soja), método de preparo do solo (preparo convencional ou plantio direto), sistema de cultivo (monocultivo ou rotação), integração do milho com braquiárias e espécie de braquiárias empregadas na integração (B. decumbens ou B. ruziziensis) foram avaliados quanto à produtividade de grãos de milho e soja, nos anos de 2017 e 2018, e as seguintes variáveis descritoras da qualidade do solo, em 2018: diâmetro médio (DMA) e estabilidade (EAA) dos agregados do solo e teor de matéria orgânica (MOS). Análise de variância de contrastes
    ortogonais, constituídos de tratamentos comparando diferentes práticas agrícolas, foi utilizada para quantificar o efeito relativo de cada uma destas práticas sobre a qualidade do solo e produtividade de milho e soja. O plantio direto (PD) apresentou valores maiores de DMA e de EAA do que no plantio convencional. No PC, a rotação de culturas promoveu maiores valores de DMA, em comparação a média dos monocultivos de milho e soja. O método de preparo do solo, a integração de cultivo de grãos com braquiárias, bem como a rotação dos sistemas de cultivos afetam a produtividade de grãos. O maior efeito observado foi associado ao uso ou não de braquiária nos sistemas de produção de grãos, pois a presença de braquiária incrementou 45% e 135% a produtividade de milho e soja respectivamente. A integração de braquiária com milho em rotação com a soja exerce influência sobre os rendimentos de grãos, já que influencia diretamente a formação de palha e, consequentemente, na eficiência da cobertura morta, sendo uma tecnologia viável para cultivos de grãos em sistema de plantio direto.

  • JOÃO DEVERTON SANTOS DE CASTRO
  • DEFINIÇÃO DE INDICADORES BIOLÓGICOS CONGRUENTES COM A QUALIDADE FÍSICA E QUÍMICA DE SOLO AGRÍCOLA NOS TABULEIROS COSTEIROS
  • Data: 29/03/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Uma avaliação adequada da qualidade do solo é necessária para a obtenção de resultado
    mais próximos dos reais. Devido à grande interdependência entre os atributos físicos,
    químicos e microbiológicos do solo, é importante verificar a influência de diversos
    fatores que podem afetar os diversos indicadores da qualidade do solo, como o sistema
    de manejo agrícola utilizado. O objetivo deste trabalho foi avaliar e selecionar variáveis
    físicas, químicas e microbiológicas do solo, considerando-se concominantemente a alta
    sensibilidade ao manejo agrícola e a robustez a outras fontes de variação. Para isso,
    foram utilizados 10 tratamentos de um experimento localizado no Campo Experimental
    Jorge do Prado Sobral, no município de Nossa Senhora das Dores, estado de Sergipe,
    variando em sistemas de plantio direto e convencional, aliados com monoculturas de
    soja, milho e rotação entre soja e milho, além do sistema de plantio direto em consórcio
    de miho com Brachiaria decumbens ou Brachiaria ruziziensis, rotacionado, ou não com
    cultivos de soja. Forma feitas coletas deformadas e indeformadas de solo, de onde
    foram analisados atributos físicos (densidade do solo, estabilidade de agregado,
    diâmetro médio de agregados), atributos químicos (acidez do solo, matéria orgânica do
    solo, CTC total do solo a pH 7,0), e atributos microbiológicos (carbono da biomassa
    microbiana, respiração microbiana do solo, atividade microbiana doo solo, β-
    glucosidase, fosfatase ácida, arilsulfatase). Por meio de análise de multivariada,
    utilizando o software PCORD 6, foi feito um score de qualidade do solo, com análises
    químicas e físicas, e a partir deste score, foi avaliado, também, o nível de variação dos
    demais atributos do solo em função dos tratamentos e em função das coletas.
    Indicadores físicos, químicos e microbiológicos diferem em termos de sensibilidade de
    resposta ao manejo e de interferência de outras fontes de variação não associadas ao
    manejo. Além de também diferirem quanto à robustez frente interferências de fontes de
    variação ocasionadas devido às diferentes datas de coleta.

  • CARLISSON RAMOS MELO
  • Bioatividade de óleos essenciais e seus compostos majoritários sobre formiga cortadeira e seu fungo simbionte.
  • Orientador : LEANDRO BACCI
  • Data: 28/02/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • As formigas cortadeiras são umas das principais pragas de culturas florestais e
    agrícolas. Apesar do método mais utilizado de controle ainda ser os inseticidas organosintéticos,
    métodos alternativos sustentáveis vêm sendo investigado visando à adequação dos sistemas de
    cultivos florestais as normas das certificadoras. Óleos essenciais de plantas têm sido considerados
    uma alternativa viável ao uso de inseticidas sintéticos para o controle de diversos insetos. Assim, o
    presente trabalho tem por objetivo avaliar o potencial formicida e antifúngico dos óleos essenciais
    de dois quimiotipos de Myrcia lundiana e seus compostos majoritários sobre Acromyrmex balzani e
    seu fungo simbionte Leucoagaricus gongylophorus, bem como avaliar o potencial sinérgico entre os
    quimiotipos de M. lundiana e Aristolochia trilobata. Para tanto, foi realizado análise química dos
    óleos essenciais de A. trilobata e M. lundiana. Testes de toxidade aguda por fumigação sobre
    operárias foram realizados para a obtenção das CL 50 e CL 90 . Para a verificação da interação de
    sinergismo e/ ou antagonismo entre ambos os óleos e entre seus respectivos compostos foram
    realizados bioensaios de combinação binária. A ação antifúngica L. gongylophorus foi determinada
    por fumigação em placas de pettri contendo meio BDA. A inibição do crescimento foi avaliada
    através da medição do halo de crescimento do miscelos do fungo simbionte. No quimiotipo citral
    foram identificados 30 compostos, enquanto que o isopulegol apresentou 29. Em ambos
    quimiotipos, o composto 1,8-cineol apresentou percentual de 15,49 (quimiotipo isopulegol) e
    14,16% (quimiotipo citral). Ambos os óleos essenciais e seus compostos majoritários se mostraram
    tóxicos as formigas. Todavia, os quimiotipos foram menos tóxicos que os compostos isolados citral,
    isopulegol e 1,8-cineol. As combinações entre os compostos isolados apresentaram efeito de
    antagonismo. Quando expostos de forma imediata, os tratamentos apresentaram ação repelente
    sobre as operárias de A. balzani. Contudo, após 60 h, apenas o quimiotipo citral apresentou esse
    efeito. A distância percorrida, a velocidade e o tempo parado das operárias foi menor quando
    exposta aos tratamentos. Quando avaliada a interação entre os óleos de M. lundiana e A. trilobata
    foi verificado um sinergismo no efeito tóxico sobre as formigas. O efeito sinérgico é decorrente
    principalmente das interações sinérgicas entre o composto citral e os compostos chave da A.
    trilobata. Nenhum efeito antagônico foi relatado entre os compostos majoritários dos óleos
    essenciais. Os óleos essenciais de M. lundiana apresentaram toxidade ao fungo simbionte, todavia
    o composto majoritário citral apresentou maior inibição de crescimento miscelial. Os resultados do
    presente trabalho mostram que os óleos essenciais de M. lundiana e seus compostos majoritários
    são eficientes para o controle de formigas cortadeiras A. balzani.

  • ALLANA MELLYSE BARBOSA RODRIGUES
  • Spondias tuberosa: ASPECTOS FÍSICOS, FISIOLÓGICOS E DIVERSIDADE GENÉTICA EM LOTE DE SEMENTES COMERCIAIS
  • Orientador : RENATA SILVA MANN
  • Data: 28/02/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A região Nordeste é a que mais se destaca no extrativismo vegetal brasileiro, visto que esta atividade faz parte da renda dos pequenos agricultores locais. Entre as frutíferas de importância socioeconômica para a região, tem-se o umbuzeiro (Spondias tuberosa Arruda Câmara), espécie que vem sofrendo com a forte atividade extrativista e correndo risco de entrar para lista de espécies ameaçadas de extinção. Além da ocorrência do extrativismo desordenado, a espécie possui uma germinação lenta e desuniforme, fato que dificulta sua propagação em larga escala. Nesse contexto, objetivou-se realizar prospecção tecnológica da espécie, a caracterização física e fisiológica das sementes, avaliar o efeito do condicionamento fisiológico sobre a germinação e estimar a diversidade genética em lote de sementes comerciais de umbu. Para a caracterização física foram determinados o teor de água, a biometria e o peso de mil sementes. A viabilidade e vigor das sementes foram determinados avaliando-se a condutividade elétrica, o índice de velocidade de germinação (IVG), a porcentagem de germinação (%G), o tempo médio de germinação (TMG), o comprimento (CP) e a massa seca (MSP) de plântula. O condicionamento fisiológico foi realizado utilizando-se polietilenoglicol 6000 (PEG a -0,2 MPa), PEG + Manitol e PEG + Glucose, e o hidrocondicionamento; nos períodos de 24, 48, 72, 96 e 120 horas; além da testemunha (sementes secas). Após o condicionamento estimou-se a %G, IVG, TMG, CP e MSP. Para os estudos de diversidade genética foram empregados marcadores moleculares ISSR. O teor de água das sementes foi de 12,80% e estas possuem, em média, largura de 20,80 mm, comprimento de 23,28 mm e espessura de 13,03 m, com peso médio de mil sementes de 1561,96 g. Na caracterização da qualidade inicial a condutividade elétrica das sementes com quebra de dormência, quando acondicionadas a 25°C por 24h, foi de 59,04 μS cm -1 g -1 , IVG de 0,85, %G de 64%, TMG de 19 dias, CP de 17,68 cm e MSP de 1,32 g. Não houve diferença dos tratamentos pré-germinativos quando comparados com a testemunha. Houve relativa diversidade genética no lote analisado.

  • ALÍSSON DA SILVA SANTANA
  • Plano de amostragem convencional para a mosca-negra-dos-citros (Aleurocanthus woglumi ashby) em cultivos de laranja
  • Orientador : LEANDRO BACCI
  • Data: 27/02/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A mosca-negra-dos-citros, Aleurocanthus woglumi, é uma praga de grande importância
    em cultivos de laranja. A principal alternativa para o manejo dessa praga e redução/ racionalização
    do uso de inseticidas organossintéticos é a adoção do manejo integrado de pragas (MIP). Planos de
    amostragem são componentes essenciais de programas de MIP. No entanto, não há planos
    amostrais definidos para a mosca-negra-dos-citros, assim a implantação do MIP é dificultada.
    Desta forma, objetivou-se com esta pesquisa criar planos para amostragem convencional de massa
    de ovos, ninfas e adultos de A. woglumi em cultivos de laranja. Para isso, foram realizadas
    amostragens em 10 lavouras de laranja. Nessas lavouras, as densidades de massas de ovos, ninfas
    e adultos foram avaliadas em 300 plantas equidistantes a fim de determinar a melhor unidade
    amostral, o número necessário de amostras, o tempo de amostragem e o custo do plano de
    amostragem. A terceira folha mais basal do ramo foi a melhor unidade amostral para massas de
    ovos e adultos enquanto que a segunda folha foi o local ideal para amostragem de ninfas de A.
    woglumi. Os planos desenvolvidos são compostos por 54, 35 e 58 amostras para massas de ovos,
    ninfas e adultos, respectivamente. Esses planos exigem curto tempo de amostragem (inferior à 1h)
    e custam menos que R$ 5,00. Assim, o plano de amostragem criado permite tomada de decisão
    rápida, eficiente e de baixo custo. Além disso, o plano possibilita a realização de amostragens
    precisas e representativas.

  • JOSÉ AUGUSTO DE SANTANA JÚNIOR
  • Composição, estrutura e diversidade em um fragmento de Mata Atlântica no município de São Cristóvão, Sergipe
  • Orientador : ROBERIO ANASTACIO FERREIRA
  • Data: 25/02/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A Matinha da Universidade Federal de Sergipe – UFS, é de grande importância para a conservação da biodiversidade em uma parte da Bacia Hidrográfica do Rio Poxim, uma região com fragmentos devastados de Mata Atlântica. O presente trabalho foi realizado com o objetivo de analisar a composição e a estrutura da comunidade e do habitat de um fragmento de Mata Atlântica, situado no Campus da Universidade Federal de Sergipe, no município de São Cristóvão, Sergipe. Foram realizadas expedições botânicas ao remanescente florestal de setembro/2017 a Janeiro/2018. Uma listagem florística foi confeccionada com as famílias, gêneros e espécies, classificadas quanto à origem: exóticas, naturalizadas e cultivadas; quanto ao status de conservação: ameaçadas de extinção, endêmicas e plantas raras; quanto ao hábito: herbáceas, arbustivas, arbóreas e trepadeiras; quanto ao grupo ecológico: pioneiras, secundárias iniciais e secundárias tardias; quanto à síndrome de dispersão: anemocóricas, autocóricas e zoocóricas. Foram distribuídas 30 parcelas de 20x30 aleatoriamente e distantes a 77 metros entre cada uma. Apenas os indivíduos arbustivo-arbóreos com diâmetro à altura do peito (DAP a 1, 30 do nível do solo) ≥ 5 cm foram mensurados e analisadas a composição, a estrutura horizontal e vertical (densidade, frequência, dominância), a diversidade vegetal (Índice de Diversidade de Shannon-Wiener (H’), Índice de Equitatividade de Peilou (J’). Foram medidas em uma escala local e de paisagem, as variáveis ambientais (pH, condutividade elétrica (CE), matéria orgânica (MO), alumínio (Al), cálcio (Ca), fósforo (P), e magnésio (Mg) dos solos, e para a paisagem utilizou-se os índices de configuração do fragmento. Observou-se a presença de 133 espécies, 114 gêneros pertencentes a 50 famílias. Fabaceae destaca-se com o maior número de espécies (23 spp), seguida de Asteraceae (11 spp). Duas espécies endêmicas da Floresta Atlântica, a Ipomoea eriocalyx (Mart. ex Choisy) Meisn. e Annona glabra L. As herbáceas apresentaram o maior número de espécies (69 spp), seguida das arbustivas (25 spp). As pioneiras foram mais significativas (81 spp), seguida das secundárias iniciais (27 spp) e para os grupos ecológicos, anemocoria (54 ssp) foi a mais significativa. Observou-se 1.252 indivíduos vivos de 24 espécies, distribuídas em 22 gêneros e 14 famílias botânicas, sendo 118 indivíduos mortos em pé (sem identificação). A densidade relativa estimada foi de 554,6 ind.ha-1 e a diversidade de Shannon foi de 2,05 nat.ind.-1 e a equabilidade foi de 0,48. A maioria dos indivíduos registrados apresentou um valor de altura menor que 6,03(H < 6,03). Apesar disso, houve um significativo número de indivíduos com altura maior ou igual a 6,03 e menor que 11,64 (6,03 <= H < 11,64). Verificou-se que houve redução da vegetação preservada de cerca de 7 hectares nos últimos 15 anos. Infere-se que a Matinha da UFS abriga uma grande diversidade taxonômica de plantas, em diferentes estratos sucessionais, com espécies oriundas de outras áreas próximas que podem estar compartilhando dessa diversidade. Devido a rápida redução do fragmento, sugere-se a intervenção imediata pela Universidade Federal de Sergipe, buscando-se a elaboração de medidas visando o manejo sustentável e a recuperação deste importante trecho de vegetação ciliar do Rio Poxim.

  • KLEITON PAULO SILVA
  • ÓLEO ESSENCIAL DE Varronia curassavica (CORDIACEAE) COMO POTENCIAL AGENTE DE BIOCONTROLE SOBRE Phytomonas serpens
  • Orientador : ROBERTA PEREIRA MIRANDA FERNANDES
  • Data: 25/02/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Os protozoários do gênero Phytomonas são responsáveis por diversas doenças em culturas agrícolas de grande importância econômica, no entanto ainda não existe nenhum tipo de controle registrado para esses fitopatógenos. Esse trabalho teve como objetivo avaliar a atividade antiprotozoaria do óleo essencial (OE) de sete genótipos de Varronia curassavica e seus efeitos morfofisiológicos sobre as formas promastigotas de Phytomonas serpens. A análise quimica dos óleos essenciais por cromatografia gasosa com espectrômetro de massa CG-MS dos genótipos VC-002, VC-104, VC-202, VC-302, VC-303, VC-601 e VC-701, demonstrou que α-pineno (56,69%), 7-ciclodecen-1-ona,7-metil-3-metileno-10-(1-propil) (48,63%), Germacreno D-4-ol (32,16%), ar-curcumeno (20,37%),7-ciclodecen-1-ona,7-metil-3-metileno-10-(1-propil) (19,32%), E-cariofileno (21,78%) e ar-turmerona (28,36%) são os compostos majoritários para cada genótipo, respectivamente. Todos os OEs demonstraram atividade antiprotozoaria, sendo o genótipo VC-202 o que apresentou a menor IC50 (14µg/mL), além de possuir ação citostática sobre P. serpens. As imagens obtidas em microscopia de fluorescência e os dados de fluorescência obtidos utilizando o Iodeto de Propidio (PI) por espectrofotometria, demonstraram que houve permeabilização na membrana citoplasmática com alterações celulares tais como perda do flagelo e arredondamento das células. Através da citometria de fluxo, foi demonstrado que ocorreu perda no potencial de membrana mitocondrial (∆ѱm) das células tratadas com o OE. Os óleos essenciais de V. curassavica possuem grande variabilidade quimica e demonstraram atividade anti-protozoária sobre P. serpens. Até o presente momento não há relatos da atividade de OEs sobre fitomonas, sendo assim o óleo essencial do genótipo 202 é uma potencial fonte de matéria bruta para formulação e comercialização de bioprodutos para o controle de fitomonas.

  • ALEX SOUZA DE JESUS
  • QUIMIODIVERSIDADE E BIOATIVIDADE DO ÓLEO ESSENCIAL E EXTRATO DE FOLHAS DE Genipa americana L. A Aceria guerreronis (ACARI: ERIOPHYIDAE)
  • Data: 22/02/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • O jenipapeiro (Genipa americana L. – Rubiaceae) é uma espécie frutífera nativa, com distribuição na América Central e do Sul, e de cultivo predominantemente extrativista. Compostos com ação farmacológica como taninos, manitol, metil-ésteres e iridóides, são alguns dos metabólitos encontrados nos extratos vegetais desta rubiácea. Devido ao uso popular da espécie e do potencial terapêutico verificado em estudos químicos e farmacológicos, objetivou-se identificar a composição química e avaliar a atividade acaricida do óleo essencial e do extrato metanólico das folhas de G. americana em Aceria guerreronis (Acari: Eriophyidae). O ácaro-da-necrose-do-coqueiro é uma praga-chave da cultura do coqueiro (Cocos nucifera L.), da qual o Brasil possui destaque na produção mundial. O óleo essencial foi obtido das folhas frescas coletas no Banco Ativo de Germoplasma de Jenipapo da Embrapa e submetidas à hidrodestilação. A identificação e quantificação dos componentes do óleo essencial foi realizada por Cromatografia gasosa/Espectrômetro de massas (CG/EM). Para os bioensaios de concentração-mortalidade, adultos do ácaro-da-necrose-do-coqueiro foram submetidos a concentrações crescentes do óleo essencial de G. americana. Complementarmente à toxicidade foi avaliada a repelência por meio da liberação de ácaros no centro de uma arena com metade pulverizada e outra não pulverizada. Identificou-se monoterpenos, sesquiterpenos, aldeídos e ácidos graxos como principais componentes. O óleo essencial (CL50= 0,41mg/mL; CL90= 6,43 mg/mL) e o extrato metanólico (CL50= 0,60 mg/mL; CL90= 16,69 mg/mL) foram tóxicos ao ácaro-da necrose-do-coqueiro. Os valores estimados de CL50 e da CL90 repeliram o ácaro-da-necrose após 24 horas de exposição, com maior percentual de repelência para o óleo essencial. Conclui-se que os compostos do óleo essencial das folhas de G. americana neste estudo, possuem potencial para desenvolvimento de um produto para auxiliar o controle do ácaro-da-necrose-do-coqueiro em campo.

  • ANA LETÍCIA SIRQUEIRA NASCIMENTO
  • Diversidade genética, frutificação, atributos de qualidade e compostos bioativos em cambuizeiros diferenciados pela coloração do fruto
  • Data: 22/02/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O cambuizeiro (Myrciaria tenella O. Berg) é uma frutífera tropical, nativa do Brasil. Os frutos são pequenos, suculentos e carnosos e apresentam potencial para consumo in natura e industrial com propriedades funcionais à saúde humana. Para ampliar o conhecimento da variabilidade desta espécie e dar suporte à sua domesticação, o presente trabalho foi desenvolvido com objetivo de avaliar a diversidade genética, a fenologia de frutificação, atributos de qualidade e compostos bioativos em cambuizeiros diferenciados pela coloração do fruto. O material vegetal foi proveniente de população in situ localizada no Campo Experimental da Embrapa Tabuleiros Costeiros, no município de Itaporanga d’Ajuda, SE. A diversidade genética foi estimada por 15 primers ISSR. A avaliação fenológica da frutificação foi conduzida de janeiro a abril de 2018, e em março houve a colheita dos frutos, que foram avaliados de acordo com a coloração indicativa do estádio de maturação. As características avaliadas foram: peso, comprimento e largura dos frutos; número de sementes; pH; sólidos solúveis; acidez titulável e o teor de vitamina C. No processo de extração de compostos fenólicos dos frutos e sua atividade antioxidante foi utilizado o método de extração sob pressão atmosférica e por líquido pressurizado. Foram quantificados os conteúdos de fenóis totais, flavonoides e atividade antioxidante pelo método DPPH. Não foi encontrada uma marca molecular específica que caracterize a coloração dos frutos, entretanto foi observado que há alta diversidade genética entre os indivíduos avaliados. Os frutos do tipo roxo apresentaram resultados nos atributos de qualidade superiores ao demais. Foram identificados oito compostos pela análise UPLC-QTOF-MSE, a maioria derivados de ácido elágico e elagitaninos.

  • BRUNA MARIA SANTOS DE OLIVEIRA
  • Caracterização, sazonalidade e atividade inseticida de acessos de Varronia curassavica Jacq.
  • Orientador : ARIE FITZGERALD BLANK
  • Data: 22/02/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se caracterizar morfoagronomicamente e analisar composição química do óleo essencial (OE) de 27 acessos de arronia curassavica, colhidos nas épocas chuvosa (julho de 2015) e seca (Janeiro de 2016) do Banco Ativo de Germoplasma de Plantas Medicinais e Aromáticas da UFS, e avaliar os efeitos letais e sub-letais do óleo essencial de seis genotipos de V. curassavica e seus constituintes E-cariofileno e α-humuleno sobre a formiga Dorymyrmex thoracicus, uma espécie encontrada em ambientes urbanos e que pode causar danos à saúde humana. A caracterização morfológica foi realizada em campo, através da avaliação da altura da planta; largura da copa; formato da copa; diâmetro do caule; cor do caule; e relação comprimento/largura das lâminas foliares; e cor das folhas, pétalas e sépalas. A caracterização agronômica e química foi realizada a partir dos óleos essenciais extraídos de folhas secas por hidrodestilação em aparelho Clevenger analisados por CG/MS-DIC. Bioensaios de toxicidade por fumigação e de atividade locomotora em arenas parcialmente tratadas foram realizados. Existe variabilidade fenotípica dos acessos de erva-baleeira. Sete grupos distintos foram formados na análise de agrupamento realizada a partir dos caracteres avaliados, a coloração das folhas apresentaram diferentes tonalidades de verde, maior rendimento do OE foi observado para VCUR-504 com 11,71 mL/planta. Os acessos VCUR-103 e VCUR-001 foram os mais divergentes, enquanto VCUR-404 e VCUR-401 os mais semelhantes. Cinquenta e um compostos foram detectados acima de 1% nos OE. Foi definida, a formação de sete grupos químicos nas duas épocas de colheita. Os grupos foram caracterizados pela presença dos seguintes compostos químicos: grupo 1 - pelo composto 7-ciclodecen-1-ona,7-metil-3-metileno-10-(1-propil); grupo 2 - E-cariofileno e α-turmerona; grupo 3 - por 7-ciclodecen-1-ona,7-metil-3-metileno-10-(1-propil), α-turmerona e E-cariofileno; grupo 4 - shyobunol e germacreno D-4-ol; grupo 5 - E-cariofileno, viridiflorol e α-zingibereno; grupo 6 - sabineno, E-cariofileno e biciclogermacreno; e grupo 7 - α-pineno e E-cariofileno. Observou-se pequenas variações quantitativas dos constituintes químicos dos óleos essenciais dos acessos, de uma época para a outra. Apenas os acessos VCUR-302 e VCUR-502 apresentaram alteração na composição química dos seus óleos essenciais; estes dois acessos migraram do grupo 5, na época chuvosa, para o grupo 6, na época seca. O acesso VCUR-105 apresentou maior teor de óleo essencial na época chuvosa (3,20%) enquanto que para a época seca, além do VCUR-105 (2,84%), os acessos VCUR-003 (2,78%) e VCUR-101 (2,73%) se mostraram produtivos. Os compostos bioativos α-humuleno e E-cariofileno foram detectados em todos acessos e em ambas épocas. As concentrações letais encontradas para matar 50% da população de D. thoracicus variaram de 0,692 a 2,481µL L-1 para os OEs e de 3,754 e 1,493 µL L-1 para os compostos E-cariofileno e α-humuleno. De modo geral, os OEs de V. curassavica causaram repelência e afetaram a atividade locomotora das formigas. Nossos resultados indicam que os OEs de V. curassavica são uma fonte promissora para o controle da formiga urbana D. thoracicus.

  • PAULA PIGOZZO SILVA
  • TERMITOFAUNA EM FLORESTA PLANTADA E NATIVA E ANÁLISES DO FORRAGEAMENTO EM MUDAS DE EUCALIPTO
  • Orientador : GENESIO TAMARA RIBEIRO
  • Data: 21/02/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Os térmitas tem sido apontados como pragas florestais. No entanto, no Brasil não consenso sobre quais espécies causam danos ou quais condições ambientais promovem a infestação. O objetivo deste estudo foi analisar a biota de térmitas em áreas de eucalipto e vegetação de mudas de eucalipto edafoclimáticas semelhantes em três localidades da Bahia, avalia a atratividade de mudas de eucalipto a térmitas e fornecer informações para estabelecimento de um Programa Integrado de Manejo de Térmitas. Os térmitas foram amostrados em transectos e o hábito de alimentação foi avaliado pela observação direta. Treze espécies de térmitas foram coletados. A serapilheira foi o principal recurso explorado por todas as espécies. A maior similaridade ocorreu entre as áreas plantadas com eucalipto na região de Aramari e Esplanada. A área com eucalipto na região de Alagoinhas apresentou menor similaridade em relação às demais e a menor riqueza foi encontrada na área nativa da região de Esplanada. As espécies de térmitas consideradas na literatura como pragas, quando encontradas nas parcelas amostrais, exibiram baixa frequência. A participação dos cupins no processo de decomposição da necromassa sugere que eles podem ser um importante direcionador do funcionamento do ecossistema florestal, principalmente em zonas semi-áridas. Mudas de eucalipto clonais foram oferecidas a três espécies de térmitas consideradas na literatura como pragas em eucalipto sendo que essas mudas passaram por estresse hídrico, afogamento de coleto e dano mecânico antes de serrem ofertadas a térmitas em condições controladas. Nenhuma das espécies de térmitas avaliadas danificou as mudas sadias. Entender como essas relações funcionam pode ser a chave para transformar o status atual desse grupo de insetos em plantações florestais.

  • THAYS SAYNARA ALVES MENEZES DE SÁ
  • Micropropagação, embriogênese somática, conservação in vitro e duplicação cromossômica em Cattleya tigrina A. Rich.
  • Orientador : MARIA DE FATIMA ARRIGONI BLANK
  • Data: 21/02/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Cattleya tigrina A. Rich. é endêmica do Brasil com distribuição nas regiões Nordeste, Sudeste e Sul. Devido a sua exuberância, essa espécie encontra-se ameaçada de extinção, em virtude da devastação das matas ou por grande atividade extrativista, desempenhadas por colecionadores e comerciantes. Objetivou-se com o presente estudo realizar a micropropagação, embriogênese somática, conservação in vitro e duplicação cromossômica. Para multiplicação in vitro, o delineamento utilizado foi o inteiramente casualizado, em esquema fatorial 4x2, sendo, quatro volumes de meio (10, 15, 20 e 25 mL) e duas consistências do meio (líquido estacionário e semissólido). Para a aclimatização, foram testados os substratos contendo casca de pinus, carvão vegetal, vermiculita e pó de coco suplementado com 1 g.L-1 de calcário. Na embriogênese somática explantes de folhas jovens foram inseridos no meio de cultura MS suplementados com 2,4-D (0,0; 0,05; 0,1; 0,3; 0,5; 0,7; 0,9 mg.L-1). Embriões somáticos de diferentes estádios de desenvolvimento foram utilizados para estudos histológicos. Os experimentos de conservação in vitro, sob crescimento lento, foram testadas diferentes concentrações de sais do meio MS (25, 50, 75 e 100%) reguladores osmóticos [sacarose; sacarose:manitol; sacarose:sorbitol (20; 10:5 e 10:5 g.L-1) e duas temperaturas (18 e 25°C). Na indução de ploidia os explantes foram tratados com colchicina, nas concentrações de 0, 2,5; 7,5 e 12,5 mM, por 24 e 48 horas e com orizalina, nas concentrações de 0, 10, 30 e 50 μM, por 3 e 6 dias. A confirmação da ploidia foi realizada via citometria de fluxo e análise estomática. Os resultados alcançados possibilitaram inferir que para a multiplicação in vitro das plantas, os meios líquido estacionário e semi-sólidos podem ser utilizados, sendo 10 mL para o meio líquido estacionário e 25 mL do meio semissólido. A aclimatização pode ser realizada utilizando somente a casca de pinus. O meio MS suplementado com 2,4-D (0,3 mg.L-1) induziu a embriogênese somática direta. Análises histológicas indicaram que os embriões somáticos se originaram de células da camada epidérmica da folha. A espécie pode ser conservada sob regime de crescimento lento por um período de 730 dias, utilizando 25% dos sais MS na temperatura de 18ºC ou 25ºC ou 20 g.L-1 de sacarose à 25ºC. Na indução de poliploidia, todas as soluções e tempos de imersão de colchicina foram efetivos, obtendo maior número de indivíduos poliploides, confirmados pela citometria de fluxo e análise estomática. Orizalina não foi eficiente em nenhum momento de exposição ou concentração testada.

  • CRISLAINE COSTA CALAZANS
  • Diversidade e abundância de visitantes florais em pomares de goiabeira (Psidium guajava L., MYRTACEAE) no alto sertão sergipano
  • Orientador : GENESIO TAMARA RIBEIRO
  • Data: 21/02/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Psidium guajava L. (Myrtaceae) é amplamente conhecida por sua importância econômica.
    Possui como caracterí
    stica a autocompatibilidade, podendo frutificar por autopolinização,
    porém vários estudos têm demonstrado maior frutificação em polinização cruzada, sendo
    necessária a ação de agentes polinizadores. Deste modo, os objetivos deste estudo foram
    identificar os visitantes florais em pomares de goiabeira, bem como avaliar a influência da
    polinização natural na produtividade e qualidade dos frutos em perí
    metros irrigados
    localizados na região do Alto Sertão Sergipano. Este trabalho foi desenvolvido em
    propriedades localizadas nos municípios de Canindé de São Francisco e Poço Redondo em
    Sergipe. A composição de espécies e número de visitantes florais foram registrados e
    coletados durante a fase de floração no perí
    odo de Maio a Dezembro de 2017. Foram
    coletadas 740 abelhas, principalmente durante a manhã. Considerando-se o total de indivíduos
    coletados nos pomares de goiaba, Trigona spinipes (Fabricius) e Apis mellifera somam 675
    indivíduos (91,2%) das abelhas coletadas, destacando-se entre as abelhas eusociais, enquanto
    as abelhas solitárias tiveram baixa densidade e frequência na flor. A polinização natural
    resultou em maior rendimento (n = 73%, n = 108) e menor taxa de aborto (27%) em
    comparação com a autopolinização (65% de rendimento e 35% de taxa de aborto, n = 108).
    Além disso, a qualidade foi melhor em frutos oriundos de polinização natural (diâmetro: 63 ±
    6 mm, comprimento: 82 ± 12 mm), espessura de casca (1,75 ± 0,65 mm), número de sementes
    (327 ± 30) e rendimento de polpa (57,6%) sólidos solúveis: 9,3±1,3 Brix, e carotenoides totais:
    245±25 μg.g -1 b. s. Os resultados reforçam a importância dos polinizadores para a
    produtividade e sugerem a necessidade do manejo da polinização em pomares de goiabeira
    nas áreas irrigadas do Alto Sertão Sergipano.

  • LEILA ALBUQUERQUE RESENDE DE OLIVEIRA
  • DIVERSIDADE GENÉTICA E RESPOSTAS IN VITRO AOS ESTRESSES HÍDRICO E SALINO EM Saccharum spp.
  • Data: 25/01/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A recente busca por combustíveis renováveis que substituam o petróleo e não sejam tão agressivos ao meio ambiente faz da cana-de-açúcar um produto de importância global por possibilitar um desenvolvimento mais sustentável. O Brasil é o maior produtor mundial da cultura. Com a expansão do plantio da cana-de-açúcar em áreas com condições climáticas variáveis, principalmente regiões secas e salinas, torna-se essencial a utilização de tecnologias que permitam identificar rapidamente genótipos com diferentes graus de tolerância aos diferentes estresses abióticos, visando sua utilização em programas de melhoramento. Além disso, a utilização efetiva de recursos genéticos armazenados em bancos de germoplasma, tanto para ampliação da base genética como para introdução de características de interesse, é dependente da sua caracterização e avaliação molecular. Assim, o objetivo deste trabalho foi avaliar a diversidade genética de acessos de Saccharum do Banco Ativo de Germoplasma da Embrapa Tabuleiros Costeiros, e caracterizá-los in vitro quanto à tolerância aos estresses salino e hídrico, para uso em hibridações em programas de melhoramento genético e intercâmbio de germoplasma. Os experimentos foram realizados nos Laboratórios de Biologia Molecular, e de Cultura de Tecidos de Plantas da Embrapa Tabuleiros Costeiros. Para a avaliação molecular de 26 acessos, 16 primers foram utilizados, resultando em 87 fragmentos com 91,13% de polimorfismo. A similaridade dos indivíduos variou entre 0,22 e 0,87. Os indivíduos mais próximos geneticamente foram RB867515 e RB92579, e os mais distantes foram PI240785 e NSL 291970. Por meio da UPGMA houve a formação de quatro grupos distintos, o que demonstrou haver uma diversidade alta no BAG Saccharum. Para o estresse hídrico in vitro, foram utilizadas brotações adventícias de cinco acessos das espécies Saccharum robustum, Saccharum spontaneum e Saccharum officinarum, cultivadas em meio Murashige e Skoog em cinco potenciais hídricos, 0, -0.3, -0.6, -0.9, -1.2 MPa, induzidos por manitol. Sobrevivência, comprimento das brotações e raízes, número de brotações e raízes, biomassa, teor de prolina nas folhas e atividade de enzimas antioxidantes foram analisados. Houve diferença entre as espécies, e ainda, dentro da mesma espécie de cana-de-açúcar quando submetidas ao estresse hídrico in vitro, sendo que S. officinarum demonstrou ser mais tolerante. A prolina pode ser utilizada como um indicador bioquímico de resposta ao estresse hídrico em acessos de cana-de-açúcar e seu acúmulo foi intensificado nos acessos de S. robustum e S. spontaneum. A atividade da catalase permaneceu inalterada com o aumento do estresse nos acessos avaliados. Já para o estresse salino in vitro, foram utilizadas brotações de acessos das espécies Saccharum robustum, Saccharum spp., S. officinarum, cultivadas em meio Murashige e Skoog, em cinco concentrações 0, 50, 100, 150, 200 mM de NaCl. Comprimento e número de brotações e de raízes, massa fresca, massa seca, teor de prolina nas folhas, conteúdo de clorofila total e alterações morfológicas dos tecidos foliares foram analisados. O crescimento in vitro dos acessos Saccharum robustum, Saccharum spp. e Saccharum officinarum é afetado pela salinidade induzida por NaCl. O acúmulo de prolina e decréscimo de clorofila é intensificado em Saccharum spp., além de mudança na anatomia de células, caracterizando-se como mais sensível ao sal.

2018
Descrição
  • THAYANNE LOER CARNIELLI
  • Avaliação da eficiência de fungos entomopatogênicos no controle de Glycaspis brinblecombei Moore (Hemiptera: Psyllidae)
  • Orientador : GENESIO TAMARA RIBEIRO
  • Data: 30/07/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Em plantações de eucalipto ocorrem pragas nativas e exóticas, sendo que as pragas exóticas causam ainda maiores prejuízos econômicos, pela ausência de inimigos naturais locais para controle de população, necessitando o estabelecimento de métodos para controle. O Glycaspis brimblecombei Moore (Hemiptera: Psyllidae), conhecido como Psilídio-de-concha-do-eucalipto, foi detectado pela primeira vez no Brasil em 2003 no Estado de São Paulo apresentando danos às plantações de eucalipto como o secamento de ponteiros e a redução da atividade fotossintética. Em seu controle tem sido utilizado formulações químicas sintéticas, porém esse tipo de alternativa tem sido repensada por ser tóxica e prejudicial à saúde e ao meio ambiente, assim, a utilização de fungos entomopatogênicos pode ser uma alternativa para o seu controle. Fungos como Isaria fumesorosea e Beauveria bassiana tem apresentado elevada eficiência em estudos de laboratório e campo indicando potencial para utilização em programas de controle biológico. O presente trabalho objetivou avaliar a eficiência de fungos entomopatogênicos no controle biológico de G. brimblecombei, em laboratório e em plantações comerciais de eucalipto. Foram aplicados seis tratamentos sendo dois fungos (I. fumesorosea e B. bassiana, procedentes do banco de germoplasma da Embrapa Tabuleiros Costeiros), dois fungos comerciais (Boveril e Metarril, produtos comercias formulados a partir de conídeos dos fungos B. bassiana e M. anisopliae), um inseticida químico (composto de Bifentrina) e uma testemunha (água + espalhante adesivo). A mortalidade de G. brimblecombei não diferiu nos tratamentos com os fungos mantidos em laboratório com 32%. Boveril e Metarril apresentaram mortalidade inferior (20 e 23% respectivamente). Os fungos I. fumesorosea e B. bassiana apresentaram resultados eficientes no controle de G. brimblecombei e potencialmente viáveis para utilização em programas de Manejo Integrado de G. brimblecombei.

  • ÂNGELA CECILIA FREIRE COSTA
  • ATIVIDADE INSETICIDA DE DERIVADOS INDÓLICOS SINTETIZADOS EM INSETOS-PRAGA E ORGANISMOS NÃO-ALVO.
  • Orientador : LEANDRO BACCI
  • Data: 30/07/2018
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Os insetos são organismos essenciais para a dinâmica dos processos ecológicos nos ecossistemas, impactando direta ou indiretamente na vida do homem. Condições ambientais específicas maximizam o sucesso reprodutivo de algumas espécies, as quais podem atingir status de praga. A formiga cortadeira Atta opaciceps (Hymenoptera: Formicidae), a traça-das-crucíferas Plutella xylostella (Lepidoptera: Plutellidae) e o gorgulho do milho Sitophilus zeamais (Coleoptera: Curculionidae) são considerados importantes insetos-praga pelos expressivos danos econômicos causados em cultivos agrícolas e, ou florestais. O uso de inseticidas sintéticos é o principal método de controle destas pragas, no entanto o emprego de tais produtos tem enfrentado sérias dificuldades. Alguns compostos já não possuem a eficácia esperada e outros foram proibidos. Diante disso, a obtenção de novos compostos inseticidas assume grande importância. Neste trabalho, foram avaliados os efeitos letais e subletais de derivados indólicos, sintetizados a partir do indol e da triptamina, sobre A. opaciceps, Pl. xylostella e S. zeamais. Primeiramente, avaliamos a mortalidade, o comportamento e o caminhamento de operárias de A. opaciceps. Foi observada redução da sobrevivência e alteração do comportamento e do caminhamento de formigas expostas aos derivados indólicos sintetizados. No capítulo referente à Pl. xylostella, investigamos a mortalidade, a atividade alimentar e o comportamento de larvas desta espécie, bem como a seletividade em favor das vespas Polybia scutellaris, Po. sericea e Po. rejecta e da abelha Apis mellifera. Foi detectada redução da sobrevivência e do consumo foliar e ausência de comportamento de evasão em larvas de Pl. xylostella expostas aos derivados indólicos sintetizados. Além disso, os compostos testados foram seletivos para as vespas e a abelha. Por fim, analisamos a toxicidade de derivados indólicos sintetizados sobre insetos adultos de três populações de S. zeamais e a capacidade de indivíduos tratados causarem danos em grãos de milho. Houve redução da sobrevivência dos insetos e de danos em grãos nas três populações avaliadas. Diante dos resultados obtidos, concluímos que os derivados indólicos sintetizados são moléculas potenciais para o desenvolvimento de novos produtos inseticidas.

  • FERNANDA VIEIRA SANTANA
  • CRIOPRESERVAÇÃO DE ESPÉCIES FRUTÍFERAS TROPICAIS
  • Data: 27/07/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O Brasil é o país com maior biodiversidade no mundo, apresentando possibilidades de cultivo para diversas espécies. Entretanto, a ocupação de áreas de vegetação nativa leva ao aumento da erosão genética. A conservação dos recursos genéticos vegetais está ameaçada e por isso, tem sido tratada como uma ação prioritária necessária em diversas instituições de pesquisa. O coqueiro e a mangabeira são exemplos de espécies frutíferas que se inserem nessa situação apresentando grande potencial econômico devido à ampla possibilidade de uso dos seus frutos que podem ser consumidos in natura e industrializados, com uma variedade de produtos e subprodutos utilizados, principalmente, na alimentação humana e indústria farmacêutica. Especialmente na região Nordeste, essas fruteiras representam uma fonte de renda para famílias que tem como base a agricultura sustentável nas pequenas e médias propriedades e a atividade extrativista. São espécies recalcitrantes, cuja conservação de seus recursos genéticos é baseada, principalmente, em coleções de campo, já que não toleram a desidratação necessária para o armazenamento em baixas temperaturas. Nesse sentido, a aplicação das técnicas de criopreservação funciona como alternativa aos métodos de conservação já existentes. O processo consiste na conservação do material vegetal em temperatura ultrabaixa fornecida pelo nitrogênio líquido a -196ºC, onde todas as atividades são paralisadas, como divisão celular e reações metabólicas, permitindo o armazenamento do material vegetal por tempo indeterminado e a conservação da variabilidade genética existente. O objetivo do trabalho foi aprimorar o conhecimento técnico-científico para a conservação de explantes de coqueiro e mangabeira por meio das técnicas de criopreservação.

    O Brasil é o país com maior biodiversidade no mundo, apresentando possibilidades de cultivo para diversas espécies. Entretanto, a ocupação de áreas de vegetação nativa leva ao aumento da erosão genética. A conservação dos recursos genéticos vegetais está ameaçada e por isso, tem sido tratada como uma ação prioritária necessária em diversas instituições de pesquisa. O coqueiro e a mangabeira são exemplos de espécies frutíferas que se inserem nessa situação apresentando grande potencial econômico devido à ampla possibilidade de uso dos seus frutos que podem ser consumidos in natura e industrializados, com uma variedade de produtos e subprodutos utilizados, principalmente, na alimentação humana e indústria farmacêutica. Especialmente na região Nordeste, essas fruteiras representam uma fonte de renda para famílias que tem como base a agricultura sustentável nas pequenas e médias propriedades e a atividade extrativista. São espécies recalcitrantes, cuja conservação de seus recursos genéticos é baseada, principalmente, em coleções de campo, já que não toleram a desidratação necessária para o armazenamento em baixas temperaturas. Nesse sentido, a aplicação das técnicas de criopreservação funciona como alternativa aos métodos de conservação já existentes. O processo consiste na conservação do material vegetal em temperatura ultrabaixa fornecida pelo nitrogênio líquido a -196ºC, onde todas as atividades são paralisadas, como divisão celular e reações metabólicas, permitindo o armazenamento do material vegetal por tempo indeterminado e a conservação da variabilidade genética existente. O objetivo do trabalho foi aprimorar o conhecimento técnico-científico para a conservação de explantes de coqueiro e mangabeira por meio das técnicas de criopreservação.
  • ISA MAYARA RIBEIRO DO NASCIMENTO
  • Caracterização morfológica e molecular de progênies de Desmanthus pernambucanus (L.) Thellung
  • Data: 27/07/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O Desmanthus pernambucanus (L.) Thellung, popularmente conhecido como Jureminha, é uma leguminosa nativa do Nordeste brasileiro, que se destaca pelo elevado teor de proteína, resistência a seca e por não apresentar toxidade aos animais. O trabalho foi desenvolvido com o objetivo de avaliar características morfológicas e a diversidade genética de acessos do Banco Ativo da Embrapa Tabuleiros Costeiros. As sementes foram beneficiadas em laboratório e postas para germinar. As mudas foram levadas no início da estação chuvosa no período de maio a julho de 2017 para o campo experimental da Embrapa Tabuleiros Costeiros em N.Sra das Dores, SE. Foram avaliados 15 acessos (AusTRCF 33201, AusTRC 21825, AusTRC 28909, AusTRC 83565, AusTRC 49728, AusTRC 52401, AusTRC 55718, AusTRC 75124, AusTRC 40071, AusTRC 114068, AusTRC 81343, AusTRC 27732, AusTRC 92585, AusTRC 318886, AusTRC 319207). Para a caracterização morfológica, foram utilizados 15 descritores, e usou-se o delineamento experimental de blocos inteiramente casualizados, com 15 tratamentos, três repetições e oito plantas úteis por parcela, totalizando 360 plantas, no espaçamento de 2mx2m. A largura do folíolo, comprimento do pecíolo, quantidade de vagens por pedúnculo e comprimento da base até o décimo internó foram os descritores mais significativos para avaliação. Para a diversidade genética, os nove marcadores ISSR possibilitaram a verificação da diversidade entre os acessos, comprovada pela análise dos descritores morfológicos.

  • MARIA CLEZIA DOS SANTOS
  • Controle varietal e bioatividade do óleo essencial de Lippia gracilis no manejo de Raoiella indica (Acari: Tenuipalpidae)
  • Data: 25/07/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O ácaro-vermelho-das-palmeiras, Raoiella indica (Acari: Tenuipalpidae), é uma praga polífaga e causa danos a diversas plantas, principalmente ao coqueiro (Cocos nucifera L.). Entre os métodos disponíveis para o manejo integrado de pragas, plantas que apresentem características de resistência e biopesticidas, podem ser adotados para reduzir os problemas associados com a infestação de R. indica em áreas de produção. Assim, o objetivo do presente trabalho foi avaliar a suscetibilidade e resistência de diferentes acessos de coqueiro-anão a R. indica, bem como a eficiência do óleo essencial de Lippia gracilis (Verbenaceae) e seu componente majoritário a essa praga e seletividade ao ácaro predador Amblyseius largoensis. As avaliações da densidade do ácaro-vermelho-das-palmeiras (ovos e formas ativas) foram realizadas em seis acessos de coqueiro-anão: Anão Verde do Brasil de Jiqui (AVBrJ); Anão Vermelho de Camarões (AVC); Anão Vermelho da Malásia (AVM); Anão Vermelho do Brasil de Gramame (AVG); Anão Amarelo do Brasil de Gramame (AAG) e Anão Amarelo da Malásia (AAM) no Banco Internacional de Germoplasma de Coco para América Latina e Caribe (ICG-LAC). O acesso AVBrJ apresentou graus de resistência ao ácaro-vermelho-das-palmeiras pela não preferência, assim como os acessos das classes amarela e vermelha foram suscetíveis. Adicionalmente, o número de ovos e formas ativas encontrados nos acessos de coqueiro-anão não foram correlacionados com a densidade de estômatos das plantas. O óleo essencial do genótipo LGRA-106 de L. gracilis e seu composto majoritário timol foram toxicos a R. indica (CL50 = 4,995; CL50 = 9,028 mg/mL), respectivamente. Além disso, o óleo teve baixa persistência (até 6h) e em concentrações subletais causou na redução da sobrevivência e reprodução de R. indica. Embora o óleo essencial de L. gracilis não foi seletivo ao ácaro predador, a baixa persitência não impossibilita seu uso. No geral, as medidas de controle mostraram-se promissoras para serem utilizadas no manejo de R. indica.

  • ADRIANO PIMENTEL FARIAS
  • Quimiodiversidade e bioatividade dos óleos essenciais de copas de Citrus a Mononychellus tanajoa (Acari: Tetranychidae) e seletividade a seu predador
  • Data: 25/07/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Atualmente, a citricultura passa por um processo de diversificação de cultivares para fins econômicos e fitossanitários, no entanto pouco se conhece sobre a composição e bioatividade de óleos essenciais dessas cultivares. Assim, óleos essenciais das laranjeiras ‘Kona’ e ‘Pera CNPMF-D6’, tangerineira ‘Piemonte’ e limeira ácida ‘Persian lime 58’ foram avaliados quanto a sua composição e toxicidade juntamente com enantiômeros do limoneno ao ácaro-verde-da-mandioca Mononychellus tanajoa (Acari: Tetranychidae), praga chave dessa cultura. Além disso, avaliou-se o efeito subletal do óleo mais tóxico na sobrevivência da praga e seletividade ao crisopídeo Ceraeochrysa caligata (Neuroptera: Chrysopidae), predador generalista. Os óleos essenciais foram obtidos de folhas por hidrodestilação; sendo o sabineno e linalol/sabineno os principais componentes nos óleos das laranjeiras e tangerineira, respectivamente, com variações de 31 a 45%, enquanto que o limoneno compõe acima de 52% do óleo da limeira ácida. Os quatro óleos essenciais de citros e enantiômeros do limoneno foram tóxicos a M. tanajoa: Persian lime 58 (CL50 = 5,79 mg/mL), Piemonte (CL50 = 7,74 mg/mL), kona (CL50 = 8,55 mg/mL) e Pera (CL50 = 9,54 mg/mL), S-(−)-limoneno (CL50 = 9,71 mg/mL) e R-(+)-limoneno (CL50 = 12,04 mg/mL). O óleo essencial de ‘Persian lime 58’ foi o mais tóxico ao ácaro-verde-da-mandioca, comparado aos outros óleos e seu componente majoritário limoneno, provavelmente por interações sinérgicas entre seus componentes. S-(−)-limoneno foi mais tóxico a M. tanajoa que R-(+)-limoneno. Adicionalmente, a sobrevivência de M. tanajoa foi reduzida pela CL25 e CL50 deste óleo essencial. Para o predador C. caligata, o óleo de ‘Persian lime 58’ foi seletivo e a CL50 desse óleo aumentou o número de presas consumidas, indicando efeito hormético positivo. Portanto, o óleo essencial da limeira ácida ‘Persian lime 58’ tem potencial para o manejo do ácaro-verde-da-mandioca.

  • CYNTIA MAIA DO NASCIMENTO
  • CRIOPRESERVAÇÃO E SEMENTES SINTÉTICAS DE JENIPAPEIRO
  • Data: 27/02/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Atualmente a preservação de recursos genéticos nativos no Brasil tem sido considerada como
    ação prioritária em diversas instituições de pesquisa. O jenipapeiro (
    Genipa americana L.) é
    considerado uma frutífera de alto potencial para uso imediato entre as espécies nativas da
    região Nordeste do Brasil. É uma cultura perene, explorada sob a forma extrativista, cuja
    conservação de seus recursos genéticos é, sobretudo, baseada em coleções de campo. As
    coleções de sementes são inviabilizadas devido à fisiologia de suas sementes, já que o
    comportamento das mesmas durante o armazenamento é intermediário, razão pela qual não
    toleram a dessecação a níveis extremamente reduzidos. A aplicação das técnicas de
    criopreservação que compreende a conservação do material vegetal em temperaturas
    ultrabaixas. Assim, são paralisadas todas as atividades, como divisão celular e reações
    metabólicas, permitindo o armazenamento do material vegetal por tempo indeterminado. O
    uso de sementes sintéticas ou sementes artificiais são estratégias complementares à
    conservação da variabilidade genética existente, e para acelerar a multiplicação de genótipos
    superiores. O objetivo do trabalho foi aprimorar o conhecimento científico para a conservação
    de eixos embrionários de jenipapeiro por meio da criopreservação e estudar aspectos
    nutricionais da matriz de encapsulamento de sementes sintéticas a partir de ápices caulinares.

  • CAROLINE DE ARAUJO MACHADO
  • CALOGÊNESE, QUANTIFICAÇÃO DE RUTINA, ATIVIDADE ANTIOXIDANTE DE ACESSOS DE MANGABEIRA E VIABILIDADE POLÍNICA DE COQUEIRO ANÃO VERDE DE FIJI
  • Data: 26/02/2018
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A mangabeira (Hancornia speciosa Gomes) é uma espécie frutífera de clima tropical, nativa
    do Brasil. O objetivo desse trabalho foi determinar a atividade antioxidante, teor de rutina e
    indução de calo in vitro, bem como a histodiferenciação em seis acessos de mangabeira
    provenientes do Banco Ativo de Germoplasma da Embrapa Tabuleiros Costeiros. Os
    experimentos foram conduzidos nos laboratórios de Cultura de Tecidos de Plantas (Embrapa
    Tabuleiros Costeiros) e de Anatomia Vegetal (Universidade Federal de Lavras). Foram
    utilizadas plântulas germinadas in vitro como fonte de explantes (segmentos nodal, foliar e
    internodal). Os segmentos foram inoculados para indução de calos em meio de cultura MS,
    contendo diferentes combinações de reguladores de crescimento. Para a atividade antioxidante
    dos acessos in vivo de extratos de folhas, Barra do Itariri e Costa Azul obtiveram maior
    capacidade de captura de radicais livres (EC50 = 110,09 e 176,03 g de extrato seco/g de
    DPPH•) quando comparado com os demais acessos in vivo e in vitro. A rutina não foi
    detectada nos extratos oriundos de calos in vitro de mangabeira. Os acessos Barra do Itariri e
    Caju obtiveram as maiores concentrações (64,26 e 67,26 mg/L, respectivamente) de rutina em
    extratos de folhas in vivo. Para análise anatômica e morfológica de calos formados a partir de
    segmento foliar foram observadas células do sac (pequenas células aglomeradas), aec (células
    aglomeradas alongadas), sc (células pequenas) e rac (células aglomeradas redondas). Em
    relação à formação de calo a partir do segmento internodal ocorreu formação inicial de células
    desdiferenciadas, sendo possível identificar os demais órgãos presentes na área caulinar.
    Devido a proliferação do amarelecimento letal em coqueiro (Cocos nucifera L.), diversas
    ações de melhoramento genético da espécie têm sido implementadas a fim de obter-se
    genótipos tolerantes a esta doença, como o coqueiro anão verde de Fiji. Nesse sentido, o
    objetivo deste artigo foi avaliar a viabilidade de grãos de pólen por germinação in vitro em
    diferentes condições nutricionais e abióticas do coqueiro anão verde de Fiji. Foi coletada
    inflorescência fechada no Tropical Research and Education Center, Homestead, Flórida. Para
    o teste de viabilidade de grãos de polén foi avaliada a germinação em diferentes condições de
    temperatura: 22, 25, 28, 30°C em incubadora com luz e diferentes concentrações do meio
    Lora, suplementados com sacarose, respectivamente, com 40, 80, 120 e 160 g/L. A maior
    porcentagem de germinação (44%) foi alcançada em meio de Lora concentrado em 4X com
    160g/L de sacarose à temperatura de 26,5ºC. A maior porcentagem de germinação foi
    alcançada 24 horas após a inoculação.

  • LUCAS BARBOSA DOS SANTOS
  • ESTUDO DA DIVERSIDADE QUÍMICA E GENÉTICA DE Eugenia spp. NO ESTADO DE SERGIPE
  • Orientador : ARIE FITZGERALD BLANK
  • Data: 23/02/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Os óleos essenciais são encontrados na maioria das famílias do reino vegetal dentre elas, Myrtaceae. O gênero Eugenia é um dos maiores desta família, se destaca por apresentar substâncias com princípios ativos com potenciais usos nas áreas farmacológicas, indústrias de alimentos, cosméticos, entre outro, no entanto muitas espécies ainda não foram caracterizadas quanto os constituintes químicos presentes nos óleos essenciais. Tendo em vista a importância das espécies desse gênero e a escassez de informações sobre elas. Este trabalho teve como objetivo analisar a diversidade química dos óleos essenciais e a caracterização molecular de Eugenia selloi (O.Berg) B.D.Jacks. e Eugenia subreticulata Glaz. do Estado de Sergipe. As análises foram feitas utilizando o GC / FID e ISSR (Inter-Simple Sequence Repeat), respectivamente. No total, 30 compostos foram identificados nos óleos essenciais, que se distribuíram dentro dos grupos químicos independentemente da espécie e do local de coleta. Pela análise de agrupamento, houve a formação de quatro grupos. O grupo 1, constituído por 4 plantas caracterizou-se por apresentar os compostos α-copaeno (19,06-22,91%), E-cariofileno (17,59-21,37%) e germacreno D (11,55-14,28%) como majoritários. O grupo 2, constituído por 11 plantas, apresentou δ-elemeno (2,60-21,18%), germacreno D (6,58-22,13%) e/ou biciclogermacreno (0-26,03%) como os principais compostos . O grupo 3, constituído por 9 plantas se caracterizou por apresentar espatulenol (18,09-49,61%) e/ou (Z,E)-germacrona (0-13,62%) como composto majoritário. O grupo 4, constituído por 7 plantas apresentando trans-β-elemenona (35,21-49,05%) como os principais compostos. Nas análises moleculares, a diversidade genética de Nei (He) variou de 0,25 a 0,29, com valor médio de 0,27 entre as diferentes espécies de Eugenia estudadas. O índice de Shannon (I) obtido variou de 0,37 a 0,44, com média de 0,40. O método UPGMA (método de grupo de pares não ponderado com média aritmética) dividiu as plantas em dois grupos, com uma evidente separação entre as espécies E. selloi e E. subreticulata, mostrando-se bem diferente do agrupamento químico. O conhecimento da diversidade química e genética de E. selloi e E. subreticulata, ilustrado neste estudo, podem contribuir para a conservação e utilização de recursos destas espécies, além de auxiliar em novos estudos para teste de potencialidades medicinais, farmacológicas e fitopatológicas, principalmente por possuírem constituintes químicos no óleo essencial em grande quantidade que podem apresentar atividade biológica.

  • LARISSA ALVES SECUNDO WHITE
  • DIVERSIDADE GENÉTICA DE POPULAÇÕES NATIVAS DE Myrcia ovata E Populus deltoides E ATIVIDADE ANTIFÚNGICA DE ÓLEOS ESSENCIAIS DE M. ovata
  • Orientador : ARIE FITZGERALD BLANK
  • Data: 23/02/2018
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Em razão do estado de devastação em que as florestas no mundo se encontram, são necessários estudos que promovam a conservação e manejo da biodiversidade de espécies silvestres. Populus deltoides é uma espécie nativa nos Estados Unidos, comumente utilizada em projetos de recuperação de áreas ribeirinhas e constitui-se uma das principais espécies florestais utilizadas na obtenção de matéria-prima para produção de biocombustíveis e celulose, resultando, portanto, em uma distribuição ampla no território americano. Espécies do gênero Populus têm sido bastante estudadas quanto a suas características genéticas. A Myrcia ovata é uma espécie nativa de Mata Atlântica do Brasil, que pouco se sabe a seu respeito. Estudos sobre propriedades medicinais iniciaram no ano de 2010 e logo ressaltaram o potencial econômico que essa espécie tem. No Estado de Sergipe, poucos indivíduos foram encontrados no município de Japaratuba-SE, em fitofisionomia de Restinga, e um estudo sobre a sua caracterização química e atividade antifúngica já foi realizado. No entanto esse é o primeiro relato da caracterização genética dessa espécie. Visando à conservação e prospecção das espécies M. ovata e P. deltoides foram analisadas as diversidades genéticas de populações nativas, e a atividade antifúngica dos óleos essenciais e compostos majoritários de M. ovata. Para a espécie M. ovata, folhas jovens de 24 indivíduos foram coletadas para extração de DNA e a partir da utilização do marcador molecular Inter Simple Sequence Repeat (ISSR) foi obtida a caracterização da diversidade genética. Folhas secadas em estufa foram utilizadas para a extração de óleos essenciais por meio de hidrodestilação com Clevenger modificado. Uma vez que seus compostos majoritários já haviam sido previamente identificados, ambos foram analisados quanto ao potencial fungistático e fungicida sobre os fungos Colletotrichum acutatum, Plenodomus destruens e Thielaviopsis paradoxa, responsáveis pelas doenças Podridão floral de citros, Mal-do-pé da batata doce e Resinose do coqueiro, respectivamente. Já para a espécie P. deltoides, o DNA de folhas jovens liofilizadas foi extraído, sequenciado e por meio do marcador Single Nucleotide Polymorphism (SNP) foram obtidos os dados de diversidade genética de 612 indivíduos distribuídos em 15 estados das regiões central, sudeste e leste dos Estados Unidos. Com relação a análise da diversidade genética de M. ovata, concluiu-se que a similaridade entre os indivíduos foi considerada média (0,38) e, os indivíduos MYRO-154, MYRO-175 e MYRO-175.1 foram os que apresentaram as maiores variabilidades. Já com relação aos tratamentos antifúngicos, todos apresentaram atividade antifúngica, sendo que os óleos essenciais dos indivíduos MYRO-180 (grupo II) e MYRO-159 (grupo I) foram os mais efetivos sobre a inibição dos fungos C. acutatum e P. destruens, e a combinação dos compostos Citral com (E)-nerolidol foi mais efetivo sobre a inibição do fungo T. paradoxa.

  • ADRIELLE NAIANA RIBEIRO SOARES TENÓRIO
  • Biometria, crescimento inicial e diversidade genética em mangabeira
  • Data: 22/02/2018
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A mangabeira (Hancornia speciosa Gomes) é uma espécie frutífera, nativa do Brasil, de
    ocorrência em restingas, cerrado e tabuleiros costeiros. No estado de Sergipe a
    mangabeira possui importância social, cultural e econômica. A fragmentação de áreas
    naturais de ocorrência da espécie tem se intensificado, e neste contexto, foi implantado
    o Banco Ativo de Germoplasma Mangaba (BAGMangaba). As pesquisas deste trabalho
    foram realizadas na Embrapa Tabuleiros Costeiros e na Universidade da Flórida, com o
    objetivo de avaliar aspectos sobre a propagação e a diversidade genética da espécie. No
    primeiro experimento avaliou-se a propagação e a biometria dos frutos e sementes de
    acessos do BAGMangaba. No estudo biométrico avaliou-se o peso e as dimensões
    (comprimento, largura e espessura) de frutos e sementes, além do número de sementes
    por fruto. Para as análises de propagação, utilizou-se o delineamento experimental
    inteiramente casualizado com quatro repetições de 25 sementes, totalizando 100
    sementes por tratamento. Neste estudo, as sementes foram beneficiadas, logo após,
    semeadas em saco de polietileno, contendo areia como substrato, e em seguida
    submetidas aàs seguintes determinações: porcentagem de emergência (E%), índice de
    velocidade de emergência (IVE), altura de mudas (ALT), diâmetro do caule (DC),
    número de folhas (NF) e porcentagem de sobrevivência (S%). O segundo estudo foi
    realizado na Universidade da Flórida com o objetivo de avaliar a diversidade genética
    de acessos e progênies de mangaba, utilizando marcadores microssatélies (SSR). Foram
    utilizadas 96 amostras, sendo 9 matrizes e 87 progênies, e a diversidade genética foi
    mensurada por meio dos seguintes parâmetros genéticos: número de alelos (N), riqueza
    alélica (R), heterozigosidade esperada (He) e observada (Ho), índice de divergência
    genética (Fst), coeficiente de endogamia (f), identidade genética de Nei (GI), relação de
    parentesco entre progênies e matrizes, agrupamentos por meio da análise Bayesiana. No
    terceiro experimento estimou-se a diversidade genética de 155 indivíduos em 10
    populações naturais de mangabeira no estado de Sergipe, utilizando marcadores ISSR.
    A diversidade genética foi mensurada pelos seguintes parâmetros: porcentagem de
    polimorfismo, coeficiente de variação, índice de Shannon (I), heterozigosidade esperada
    (He), similaridade entre indivíduos, agrupamento UPGMA, análise de coordenadas
    principais (ACoP) e AMOVA. Os acessos mostraram-se divergentes quanto às
    características biométricas, e houve significativa assimetria entre as progênies nas
    variáveis de propagação, destacandos-se as progênies dos acessos provenientes dos
    estados do Pará (ABP1, ABP2 e ABP4), Sergipe (PTP1, PTP2, TCP2 e TCP6) e Bahia
    (LGP1, LGP3, LGP4 e BIP2). Para as análises moleculares verificou-se que os
    marcadores SSR revelaram moderada variabilidade genética entre progênies, sendo
    aquelas progênies provenientes dos acessos do Pará (ABP1 e ABP2) as mais
    divergentes. Em populações naturais de Sergipe com o uso de marcadores ISSR
    verificou-se alta taxa de polimorfismo (100%) e a formação de cinco grandes grupos. A
    mangabeira é uma espécie ainda em fase de domesticação, e estudos que envolvam a
    propagação, morfologia e diversidade genética são importantes para o desenvolvimento
    de estratégias de conservação e seleção de plantas com características de interesse em
    programas de melhoramento genético.

  • JÉSSICA MONALISA SANTOS PEREIRA OLIVEIRA
  • CONSERVAÇÃO EX SITU DE Hancornia speciosa Gomes – O BANCO ATIVO DE GERMOPLASMA DA EMBRAPA TABULEIROS COSTEIROS
  • Data: 22/02/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A Hancornia speciosa Gomes é uma espécie frutífera de clima tropical, nativa do Brasil e explorada de modo extrativista em quase sua totalidade. Devido à importância socioeconômica e cultural da espécie, e percebendo a diminuição das áreas de ocorrência natural, implantou-se em 2006, o Banco de germoplasma de mangaba da Embrapa Tabuleiros Costeiros, em Sergipe. O presente trabalho foi desenvolvido com o objetivo de avaliar o enriquecimento, o desenvolvimento e a caracterização dos acessos que compõe esse germoplasma. Foram utilizados 32 descritores para avaliar os 299 indivíduos, que representam 27 acessos. Percebeu-se a existência de grande variabilidade entre eles, tanto quanto à morfologia das plantas, morfometria e atributos de qualidade dos frutos. Os resultados irão subsidiar estratégias de conservação do BAG e direcionar futuras pesquisas de melhoramento genético.

  • FLAVIANA GONÇALVES DA SILVA
  • Composição e diversidade de cigarrinhas (Hemiptera: Auchenorrhyncha) potencialmente vetoras de fitoplasmas em coqueirais no Brasil.
  • Data: 19/02/2018
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • O amarelecimento letal (AL) é uma doença quarentenária ausente, que consiste em uma grave
    ameaça para a cultura do coqueiro, com risco iminente de entrada no Brasil.
    Haplaxius crudus
    (Hemiptera: Cixiidae) é o único vetor dos fitoplasmas causadores da doença havendo ainda a
    possibilidade de outras espécies de cigarrinhas com o hábito alimentar na seiva floemática, de
    serem potenciais vetoras desse fitopatógeno. Objetivou-se por meio dessa pesquisa realizar
    um levantamento de cigarrinhas em plantações de coqueiro em três estados da região
    Nordeste e em Santa Izabel do Pará, na região Norte; analisar a variação sazonal da
    comunidade de cigarrinhas em acessos de coqueiro-anão; e realizar um levantamento da
    comunidade de cigarrinhas em híbridos de coqueiros. O levantamento da comunidade de
    cigarrinhas foi realizado nas estações chuvosa e seca do ano de 2015, no Nordeste, e, em maio
    de 2016, no Pará. A variação sazonal da comunidade de cigarrinhas foi analisada durante o
    período de março de 2016 a fevereiro de 2017 em seis acessos de coqueiro-anão; e o
    levantamento de cigarrinhas em seis híbridos de coqueiros durante o período de transição
    entre o período seco e chuvoso, período chuvoso, e período seco de 2016, em Itaporanga
    D’Ajuda, Sergipe. As cigarrinhas foram coletadas na copa dos coqueiros, utilizando-se
    armadilhas adesivas amarelas. No levantamento de cigarrinhas na região Nordeste, os
    indivíduos capturados na copa dos coqueiros foram classificados em sete famílias e, no Pará,
    em quatro.
    Haplaxius crudus foi encontrado apenas em Santa Izabel do Pará, correspondendo
    a 87% dos indivíduos capturados. Na comunidade de cigarrinhas em coqueiro-anão, dentre as
    espécies mais abundantes,
    Oecleus sp., Balclutha sp., Deltocephalinae sp.2, Deltocephalinae
    sp.3, Cenchreini sp.,
    Omolicna nigripennis (Derbidae) e Cedusa sp. são potenciais vetoras de
    fitoplasmas.
    Oecleus sp. foi dominantemente encontrado nos acessos Anão Vermelho de
    Camarões, Anão Vermelho da Malásia e Anão Vermelho do Brasil de Gramame, enquanto
    Cenchreini sp. e
    Erechtia gibbosa (Membracidae) foram dominantes nos acessos Anão
    Amarelo do Brasil de Gramame, Anão Amarelo da Malásia e Anão Verde do Brasil de Jiqui.
    No levantamento em híbridos de coqueiros, 73% das cigarrinhas capturadas são pertencentes
    à espécie
    Oecleus sp. No período chuvoso, os híbridos Anão Verde do Brasil de Jiqui ×
    Gigante do Brasil da Praia do Forte, Anão Verde do Brasil de Jiqui × Gigante de Vanuatu, e
    Anão Amarelo da Malásia × Gigante do Oeste Africano apresentaram composição de
    comunidades de cigarrinhas distintas de Anão Vermelho da Malásia × Gigante de Tagnana,
    Anão Vermelho da Malásia × Gigante de Vanuatu e Anão Amarelo da Malásia × Gigante do
    Brasil da Praia do Forte, sendo
    Curtara sp. e Oecleus sp., respectivamente, as espécies típicas
    destes dois grupos. Esta pesquisa aborda a primeira ocorrência de
    H. crudus e outros
    potenciais vetores de fitoplasmas do AL em coqueirais no Brasil associados, principalmente, à
    precipitação, acessos de coqueiro-anão e híbridos. Portanto, o conhecimento sobre a
    ocorrência do vetor e potenciais vetores em plantações de coqueiros contribuirá para a
    definição de métodos de contingenciamento do AL do coqueiro, caso essa doença entre no
    Brasil.

  • SARA DAYAN DA SILVA OLIVEIRA
  • Atividade antioxidante dos óleos essenciais de genótipos de Croton grewioides Baill, Croton tetradenius Baill e seus compostos majoritários.
  • Orientador : MARIA DE FATIMA ARRIGONI BLANK
  • Data: 16/02/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • As espécies Croton grewioides e Croton tetradenius, conhecidas popularmente como “marmeleiro” e “velaminho”, são endêmicas da caatinga, amplamente distribuídas na região nordeste, e bastante utilizadas na medicina popular. Este trabalho teve por objetivo avaliar o seu potencial antioxidante do óleo essencial. O óleo essencial foi obtido por hidrodestilação e analisado quimicamente em CG/EM/DIC. Os acessos CGR104, CGR 106, CGR112, CGR126 de C. grewioides foram obtidos do Banco Ativo de Germoplasma da Universidade Federal de Sergipe e C. tetradenius CTE13, CTE31, CTE42 e CTE53, foram coletados de populações nativas no estado de Sergipe. A capacidade antioxidante dos óleos essenciais e seus respectivos constituintes isolados foi determinada pelos métodos de captura do radical livre- DPPH, captura do radical livre ABTS; redução férrica (FRAP) e β-caroteno. Identificou-se pela análise química 22 compostos identificados dos acessos de C. grewioides, cujo os compostos majoritários foram (Z)-isoosmorhizol (38,74%), (E)-isoosmorhizol (24,74%), (E)metil isoeugenol (11,38%) e (Z) metil isoeugenol (9,34%) no acesso CGR104; metil chavicol (59,85%) e eugenol (25,51%) no acecco CGR106; metil eugenol (85,58%) no acesso CGR112; metil eugenol (45,97%) e eugenol (42,68%) no acesso CGR126. Já na análise química de Croton tetradenius identificou-se 37 compostos, apresentando como majoritários os compostos trans-ascaridol (24,09%), ρ-cimeno (22,29%), α-pineno (11,97%) cânfora (8,71%), α-felandreno (8,37%), 1,8-cineol (8,18%) e γ-terpineno (6,84%). Os óleos essenciais de C. grewioides e C. tetradenius demonstraram potencial antioxidante pelos métodos testados. O CGR106 e CGR126 apresentaram maior atividade antioxidante nos métodos DPPH, e β-caroteno quando comparadas aos acessos CGR104 e CGR112. Quanto aos compostos isolados verificou-se maior atividade antioxidante do composto eugenol. Já o CT31 possuiu maior atividade antioxidante nos métodos DPPH, FRAP e β-caroteno. Sendo assim, os resultados demonstraram potencial antioxidante dos óleos essenciais de C. grewioides e C. tetradenius.

  • JESSICA DOS SANTOS SÁ
  • Potencial inseticida de plantas da caatinga sobre Thaumastocoris peregrinus (Hemiptera: Thaumastocoridae)
  • Orientador : GENESIO TAMARA RIBEIRO
  • Data: 08/02/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A inserir.

  • VALDINETE VIEIRA NUNES
  • Caracterização e conservação de sementes de mangaba (Hancornia speciosa Gomes)
  • Orientador : RENATA SILVA MANN
  • Data: 02/02/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A caracterização e a conservação de recursos genéticos são ações importantes para a espécie
    Hancornia speciosa Gomes, conhecida como mangabeira, principalmente considerando a
    erosão genética que vem ocorrendo devido à ação antrópica. Assim, objetivou-se estudar a
    diversidade morfogenética, a possibilidade de uso de sementes obtidas por diferentes métodos
    de beneficiamento para obtenção de mudas e o armazenamento de sementes, visando
    contribuir para a conservação da espécie. Para tanto, foram empregadas análises de
    marcadores moleculares ISSR, visando à caracterização da diversidade de uma população de
    mangabeiras, bem como associar a biometria de frutos (diâmetros longitudinal e transversal,
    massa da polpa, massa de sementes e o número de sementes). Adicionalmente se avaliou a
    integridade física e fisiológica de sementes obtidas do beneficiamento manual e mecânico,
    empregando as análises teor de água, biometria, peso de mil sementes, teste de raios X,
    germinação, primeira contagem, condutividade elétrica, comprimento e massa seca de
    plântulas. Para o armazenamento, avaliou-se periodicamente a viabilidade e o vigor de
    sementes armazenadas em 4 diferentes soluções osmocondicionantes (A, B, C e D) sob
    condições controladas, por meio da germinação, condutividade elétrica, teor de água e
    qualidade e integridade do RNA. Para a diversidade genética, observou-se que 60,44% dos
    locos obtidos eram polimórficos, o que permitiu a identificação de 55,29% de similaridade
    para as matrizes, o nível de heterozigosidade foi 0,40 e o índice de Shannon 0,58. Foram
    observados altos níveis de variação para biometria e massa da polpa e sementes. Sementes
    obtidas pelo beneficiamento manual e mecânico não diferiram para o teor de água,
    germinação, primeira contagem e comprimento de plântulas. Porém, diferiram para a
    condutividade elétrica e massa seca de plântulas. Nas imagens radiográficas observou-se
    maior densidade para as sementes beneficiadas manualmente. Para sementes armazenadas,
    houve relação positiva entre o período de armazenamento e condutividade elétrica. Nos
    crescentes períodos de armazenamento ocorre redução da viabilidade e vigor das sementes,
    independente da solução utilizada, entretanto, sementes armazenadas na solução B
    mantiveram a qualidade e integridade do RNA. Por meio das avaliações morfogenéticas
    conclui-se que na população analisada há potencial para prospecção de diversidade e
    utilização de indivíduos em trabalhos futuros de seleção. Os métodos de beneficiamento não
    interferem na integridade física e fisiológica das sementes. Sementes de H. speciosa podem
    ser conservadas em soluções osmocondicionates por até 50 dias e a solução B foi eficiente na
    manutenção da qualidade e integridade do RNA.

  • MARIA FERNANDA OLIVEIRA TORRES
  • Qualidade física e fisiológica de sementes de Enterolobium contortisiliquum (VELL.) Morong., submetidas ao armazenamento
  • Orientador : ROBERIO ANASTACIO FERREIRA
  • Data: 02/02/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A qualidade fisiológica de sementes é de fundamental importância, uma vez que estas são
    passíveis de deteriorarem-se durante o armazenamento. No entanto, existem técnicas de
    conservação capazes de minimizar a deterioração. O armazenamento é uma alternativa para a
    conservação da biodiversidade vegetal, pois, se realizado de maneira adequada, pode manter a
    viabilidade e o vigor das sementes. O presente trabalho foi realizado com o objetivo de avaliar
    a qualidade física e fisiológica de seis lotes de sementes de tamboril (Enterolobium
    contortisiliquum (Vell.) Morong) armazenados por diferentes períodos em câmara fria. Para
    as avaliações, determinaram-se as curvas de embebição, o teor de água, a viabilidade e o vigor
    das sementes, a integridade das sementes por meio de Raios-X e a quantidade e qualidade do
    RNA. A qualidade fisiológica foi determinada avaliando-se as porcentagens de emissão de
    radícula, de plântulas normais e anormais, o índice de velocidade de germinação (IVG) e o
    percentual de sementes deterioradas. Os resultados foram submetidos à análise de variância e
    as médias foram comparadas pelo teste de Tukey e Scott-Knott a 5%. Através da curva de
    embebição observou-se que a 1 a e 2 a fase desta difere do padrão trifásico comum. O teor de
    água das sementes variou de 4,6 a 16,01%. Observou-se que o lote armazenado por 10 anos
    (2007) apresentou 83% de emissão de radícula e 38% de plântulas normais. Os lotes com 1 e
    5 anos de armazenamento demonstraram comportamento germinativo semelhante entre si e os
    maiores valores de IVG, sendo eles estatisticamente superiores aos demais. Por meio do teste
    de Raios-X foi possível identificar e quantificar as sementes cheias, as sementes com danos,
    as sementes mal formadas, as sementes translúcidas e vazias. Os lotes armazenados por 1, 5, 9
    e 10 anos apresentaram percentuais de 78, 82, 42 e 38% de plântulas normais, enquanto os
    lotes com 6 e 7 anos apresentaram 0 e 6%, respectivamente. É possível armazenar sementes
    de tamboril por até dez anos, sob as condições estudadas. No entanto, é necessário se ater às
    condições de armazenamento, ou ao teor de água inicial das sementes. Recomenda-se que
    sementes de tamboril sejam armazenadas com teor de água menor ou igual a 6%.

  • ERICA MORAES SANTOS DE SOUZA
  • Erythrina velutina WILLD. E Schinus terebinthifolia RADDI EM ÁREAS DE REFLORESTAMENTO E REMANESCENTES DE MATA ATLÂNTICA E CAATINGA
  • Orientador : ROBERIO ANASTACIO FERREIRA
  • Data: 01/02/2018
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Aspectos relacionados à diversidade genética de espécies florestais são recentes nos projetos de
    restauração florestal e devem ser considerados tanto para formar novas florestas como para
    melhorar áreas de restauração mais antigas. O uso de ferramentas como os marcadores
    moleculares (ISSR e SSR) e a modelagem de distribuição de espécies (MDE) fornecem
    informações importantes para coleta de material vegetal. Essas ferramentas indicam áreas para
    plantio e conservação da biodiversidade, além de orientar na elaboração de planos de manejo
    florestal.
    Erythrina velutina Willd. (Fabaceae-Papilionoideae) e Schinus terebinthifolia Raddi
    (Anacardiaceae) são duas espécies que se destacam em projetos de restauração florestal no
    estado de Sergipe, devido ao seu rápido crescimento, rusticidade e plasticidade, mas pouco se
    sabe sobre sua diversidade genética em áreas de reflorestamento. Portanto, os objetivos deste
    estudo foram: i) estimar e comparar a diversidade genética de
    E. velutina e S. terebinthifolia
    em uma área de reflorestamento misto após 12 anos de plantio e em remanescentes florestais
    naturais em Sergipe; ii) avaliar a capacidade de autossustentabilidade genética das populações
    na área reflorestada e; iii) subsidiar estratégias de conservação e coleta de sementes para futuros
    projetos de restauração. Os indivíduos amostrados de
    E. velutina e S. terebinthifolia da área
    reflorestada apresentaram maiores índices de diversidade genética em relação aos
    remanescentes naturais, indicando que a área foi estabelecida com mudas de alta diversidade
    genética. As populações de
    E. velutina localizadas na área de reflorestamento e em populações
    naturais (Laranjeiras e Carmópolis/Rosário do Catete) exibiram um número significativo de
    locos com excesso de heterozigosidade, inferindo na existência de gargalo genético recente.
    Análises de MDE indicam que haverá até o ano de 2050 uma expansão das áreas com alta
    adequação ambiental para o desenvolvimento de
    E. velutina, o que contribui para planos de
    conservação da espécie. Porém, o fator humano é a variável de maior impacto para sua
    ocorrência. Para
    S. terebinthifolia foram encontrados maiores coeficientes de endogamia e
    coancestria na população reflorestada. Também foi observada a redução da diversidade genética
    em juvenis. O tamanho efetivo populacional em ambas as populações (reflorestada e natural)
    foi menor do que o recomendado para a conservação de populações em curto e longo prazo. A
    coleta de sementes de
    E. velutina e S. terebinthifolia pode ser realizada nos remanescentes
    naturais estudados, desde que respeitem os critérios estabelecidos, como a distância mínima
    entre indivíduos, evitar árvores isoladas e indivíduos aparentados. Os resultados evidenciam
    que é necessário a aplicação de técnicas que promovam a conectividade entre fragmentos,
    permitindo redução dos efeitos da deriva genética e, consequentemente, a persistência da
    população reflorestada.

  • DANIEL ORNELAS RIBEIRO
  • Variabilidade genética e caracterização de híbridos de Jatropha curcas L. oriundos de cruzamentos dialélicos.
  • Orientador : RENATA SILVA MANN
  • Data: 01/02/2018
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A espécie Jatropha curcas L. possui bom rendimento de óleo para produção de biodiesel,
    resistência ao estresse hídrico e grande potencial como agente inseticida e medicinal. Porém,
    ainda são necessárias pesquisas direcionadas aos múltiplos usos desta espécie. Assim, visando
    caracterizar 10 híbridos
    de J. curcas realizou-se: i) a prospecção tecnológica sobre as
    propriedades bioativas de
    J. curcas; ii) a estimativa da diversidade genética; iii) a caracterização
    morfoagronômica de frutos e sementes e iv) a avaliação da qualidade inicial de sementes dos
    10 híbridos de
    J. curcas oriundos de cruzamentos dialélicos. A prospecção foi realizada em
    bancos de dados de pesquisa científica, tecnológica e de patentes, em sites do Ministério da
    Saúde, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e da Agência Nacional de
    Vigilância Sanitária. A estimativa da variabilidade genética foi feita usando marcadores
    moleculares Inter Repetições de Sequências Simples (ISSR). Utilizou-se nove
    primers e seis
    foram selecionados com 80,7% de polimorfismo. A caracterização morfoagronômica e as
    estimativas das correlações fenotípicas entre as variáveis foram determinadas e desdobradas,
    por meio da análise de trilha. Estimou-se variâncias genéticas, ambientais, herdabilidade e
    heterose dos híbridos. Para a extração do óleo, usou-se o solvente éter de petróleo e empregou
    se aparelho tipo Soxhlet. Estas amostras foram derivatizadas e analisadas por cromatografia
    gasosa acoplada a espectrometria de massa. Quanto a prospecção tecnológica, há registros
    acadêmicos sobre o uso de extratos de diferentes partes de
    J. curcas, evidenciando a importância
    desta espécie para a formulação de produtos fitossanitários, porém, existem poucos registros de
    patentes referentes ao uso do extrato como inseticida. A similaridade genética média entre os
    híbridos foi de 58,4%, com maior diversidade genética observada entre os híbridos 1x5 e 1x8 e
    a maior similaridade entre os híbridos 3x13 e 1x5. Morfoagronomicamente, os híbridos diferem
    quanto a biometria e teor de óleo nas sementes. Observou-se alta herdabilidade para as
    características agronômicas, com exceção para massa de 100 sementes. O híbrido 1x5 destaca
    se quanto à biometria de sementes. O maior teor de óleo foi obtido no híbrido 3x13. Os ácidos
    graxos encontrados em maior porcentagem foram o oleico (35,7% a 38,9%) e linoleico (30,6%
    a 37,8%), com destaque para o híbrido 4x5. Para germinação, nos dois anos avaliados,
    destacaram-se os híbridos 1x5 (56%), 1x8 (55%), 1x13 (56%), 3x8 (61%), 4x5 (56%) e 4x8
    (61%). Quanto ao IVG, os maiores valores obtidos foram observados nos híbridos 1x5 (3,34),
    1x13 (3,70), 3x8 (3,34), 3x13 (3,05) e 4x8 (3,69). Verificou-se pelo teste de tetrazólio que entre
    as sementes que não germinaram, as sementes não estavam viáveis para os híbridos 1x5, 3x5,
    3x8 e 3x13.

2017
Descrição
  • DENNIS CRYSTIAN SILVA
  • Diversidade química, genética e estudo do potencial formicida do óleo essencial de Eplingiella fruticosa (Salzm. ex Benth.) Harley & J.F.B. Pastore.
  • Orientador : MARIA DE FATIMA ARRIGONI BLANK
  • Data: 11/10/2017
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Eplingiella fruticosa Salzm. ex Benth., ex Hyptis fruticosa, é uma planta arbustiva da família Lamiaceae, encontrada principalmente na costa do nordeste brasileiro. Objetivou-se com o presente estudo realizar a caracterização química, genética e avaliar o potencial formicida do óleo essencial de plantas nativas de E. fruticosa do Estado de Sergipe. Foram realizadas coletas de populações nativas em 11 municípios do Estado de Sergipe. Os óleos essenciais foram obtidos de folhas secas por hidrodestilação e analisados por CG/EM-DIC. Os teores médios dos óleos essenciais variaram de 0,75 a 1,28%. Pela análise química e de agrupamento dos óleos essenciais, foi definido a formação de dois grupos, baseado nos maiores teores dos compostos. O primeiro grupo foi constituído por 15 plantas e caracterizou-se pela presença de biciclogermacreno (6,29-16,24%), espatulenol (7,59-15,23%), β-cariofileno (5,77-12,97%) e óxido de cariofileno (5,00-11,90%) como compostos majoritários. O segundo grupo foi constituído por sete plantas e caracterizado pela presença majoritária dos compostos, 1,8-cineol (8,96-15,51%), α-pineno (5,46-13,77%) e cânfora (4,08-11,40%). Para análise da diversidade genética por ISSR, amostras de 100 plantas foram analisadas utilizando oito primers. Os resultados da análise de agrupamento obtidos utilizando o método Neighbor Joining distribuíram os indivíduos em três grupos: o grupo I foi constituído por 50 plantas provenientes principalmente dos municípios de Areia Branca, Estância, Japaratuba, Moita Bonita, Pirambu e Salgado; o grupo II foi formado por 21 plantas, sendo nove representantes do município de Itaporanga D’Ajuda e 13 representantes de outros municípios; o grupo III foi formado por 29 plantas, sendo representado principalmente pelos municípios de Malhada dos Bois e São Cristóvão. A menor distância genética existente ocorreu entre as plantas EPF94 e EPF96 (0,250) e a maior ocorreu entre as plantas EPF50 e EPF96 (0,9778). O índice de Shannon apresentou um valor médio de 0,42 e a diversidade foi considerada moderada. A heterozigosidade atingiu um valor médio de 0,267 e foi considerada baixa. O conteúdo de informação polimórfica (PIC=0,253) é considerado moderadamente informativo. Os óleos essenciais de quatro genótipos de E. fruticosa mostraram-se tóxicos a operárias de Acromyrmex balzani e foram necessários 4,54-6,78 µL.L-1 de óleo para causar 50% de mortalidade nas formigas. Quando aplicados isoladamente, a cânfora e 1,8-cineol foram mais potentes que os óleos essenciais, enquanto o β-cariofileno e óxido de cariofileno foram menos tóxicos. Os tratamentos reduziram a sobrevivência de A. balzani ao longo do tempo de exposição, com destaque para os óleos essenciais dos genótipos EFRU01 e EFRU02, assim como os constituintes padrões, que apresentaram os menores tempos letais. O comportamento de caminhamento das formigas foi alterado em função da aplicação dos tratamentos e verificou-se que os óleos essenciais testados são repelentes. Os resultados indicam que há variabilidade química entre as plantas de E. fruticosa do Estado de Sergipe, que a diversidade genética das plantas foi intermediária e que os óleos essenciais e os compostos padrões apresentam potencial para o desenvolvimento de produtos eficazes no controle de A. balzani.

  • RAÍNAN MATOS DÉDA
  • INDICADORES BIOLÓGICOS PARA AVALIAÇÃO DO STATUS DE DESENVOLVIMENTO, EM ÁREA DE POVOAMENTO MISTO EM MATA ATLÂNTICA, APÓS 12 ANOS DE PLANTIO
  • Orientador : ROBERIO ANASTACIO FERREIRA
  • Data: 31/07/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Avaliações periódicas por meio do uso de indicadores têm sido utilizadas para analisar o status de desenvolvimento de áreas em processo de restauração ecológica, verificando se os objetivos estabelecidos foram alcançados. A regeneração natural, um dos indicadores utilizados para essa avaliação, refere-se ao recrutamento de indivíduos por meio da chuva de sementes, banco de sementes do solo e banco de plântulas. Além disso, levantamentos florísticos nessas áreas permitem avaliar o sucesso no estabelecimento das espécies plantadas, assim como, analisar se houve incremento de espécies por meio dos mecanismos de dispersão. Dessa forma, o presente trabalho foi realizado com o objetivo de conhecer o processo de recomposição florestal promovido pela regeneração natural em uma área de povoamento misto em Mata Atlântica, no município de Laranjeiras, Sergipe, após 13 anos de plantio, bem como conhecer quais as espécies compõem a flora da área. Para estudos da regeneração natural foram utilizadas 30 parcelas fixas (20 m x 30 m). Em cada parcela foi coletada uma amostra de solo (0,25 m x 0,30 m x 0,05 m) para estimativa do banco de sementes. Para a avaliação da chuva de sementes foram utilizados coletores de madeira de 1 m² no centro de cada parcela. Por outro lado, para o banco de plântulas foi mensurado o diâmetro e altura dos indivíduos arbustivos-arbóreos com CAS ≤ 15 cm presentes em subparcelas de 1 m² em cada parcela. Para análise da composição florística foram realizadas expedições de coletas mensais em toda a área estudada. No banco de sementes constatou-se a presença de 12.322 sementes, pertencentes a 53 espécies, predominantemente formado por espécies herbáceas (30,19%), com destaque para a família Asteraceae. Na chuva de sementes foram coletadas 10.070 sementes, distribuídas em 37 espécies, com predominância de indivíduos arbustivo-arbóreos (50%) e da síndrome de dispersão zoocórica (46,67%). No banco de plântulas foram amostrados 169 indivíduos, distribuídos em 24 espécies, com predomínio de pioneiras e secundárias iniciais, o que pode-se inferir que a área encontra-se em estádio inicial de sucessão. No levantamento florístico observou-se a ocorrência de 147 espécies distribuídas em 49 famílias, com maior representatividade das famílias Fabaceae (26 spp.) e Asteraceae (16 spp.). Das 31 espécies nativas utilizadas no reflorestamento, 24 foram registradas nesse estudo (77,42%), o que indica que estas espécies são potenciais na restauração de áreas degradadas localizadas na Mata Atlântica ao longo do estado.

  • VANDERSON DOS SANTOS PINTO
  • Influência da idade da planta na composição química do óleo essencial de Lippia alba e um ciclo de seleção recorrente na atividade formicida.
  • Orientador : ARIE FITZGERALD BLANK
  • Data: 31/07/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A erva-cidreira-brasileira [Lippia alba (Mill.) N. E. Brown] é uma espécie medicinal e
    aromática que apresenta vários quimiotipos. O óleo essencial rico em carvona possui
    atividade inseticida sobre pragas de interesse agrícola. Diante disso, o objetivo do trabalho foi
    avaliar a influência da idade da planta nos óleos essenciais de acessos de
    L. alba e de um ciclo
    de seleção recorrente na atividade formicida. Os ensaios foram conduzidos na Fazenda
    Experimental “Campus Rural da UFS”. Para o primeiro ensaio foram testados 18 acessos de
    L. alba, que foram colhidos quando as plantas estavam com um ano de idade (fevereiro/2006)
    e dez anos (fevereiro/2016). No segundo experimento foi realizado um ciclo de seleção
    recorrente com três acessos com alto teor de carvona no seu óleo essencial. Para o ensaio de
    competição de progênies foi implantado um ensaio testando 11 progênies e os três parentais.
    A idade da planta influenciou na produção e composição química dos óleos essenciais dos
    acessos de
    L. alba testados. Observou-se maior aumento doteor de óleo essencial para os
    acessos LA-41 (0,69-2,48%) e LA-53 (0,76-2,84%). Com o envelhecimento das plantas
    notou-se maior variação nos óleos essenciais para os compostos p-cimeno (0,00-5,12%),
    limoneno (0,00-11,08%) e elemol (0,00-10,54%). No segundo experimento a maior produção
    de massa seca da parte aérea foi observada para o genótipo LA-56 (57,54 g planta
    -1). O teor
    de óleo essencial foi superior na progênie LA-57-10 (2,844%) e o parental LA-57 (2,644%).
    A carvona foi superior para o LA-57 (59,02%) com diferença significativa em comparação as
    progenies avaliadas. Entre as progênies, o maior teor foi observado para a progênie LA-56-04
    (57,78%) e o menor para o LA-57-01 (17,71%) e LA-57-02 (17,27%). Um ciclo de seleção
    recorrente resultou no aumento da atividade formicida de algumas progênies.Maior
    mortalidade de
    Acromyrmex balsani foi causada pelos essenciais das progênies LA-56-04 e
    LA-70-03.

  • VALTER FERREIRA ROCHA JUNIOR
  • Eficiência de fungos entomopatogênicos no controle do percevejo-bronzeado-do-eucalipto (Thaumastocoris peregrins) (Hemiptera: Thaumastocoridae) em condições de campo
  • Orientador : GENESIO TAMARA RIBEIRO
  • Data: 05/07/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Plantios comerciais de eucalipto podem tornar-se alvos potenciais a infestação de pragas exóticas potencializadas pela ausência de inimigos naturais, como o Thaumastocoris peregrinus, o percevejo-bronzeado. Estratégias de controle alternativo vem sendo estudadas como o controle biológico, potencialmente menos tóxico, atestado pelos aspectos sócio-ambientais das plantações florestais, por sistemas de certificação. O uso de fungos entomopatogênicos apresentou resultados satisfatórios no controle de T. peregrinus em laboratório, sendo necessário sua comprovação para utilização em campo. O estudo objetivou avaliar a eficiência de fungos entomopatogênicos no controle de T. peregrinus em campo. O experimento foi realizado em uma plantação pertencente a BSC/Copener, do clone 1404 (Eucalyptus urophylla x Eucalyptus grandis) no município de Esplanada-BA, com seis meses de idade, atacado por T. peregrinus. Para implantação do experimento, foram produzidos massalmente conídios de Isaria fumosorosea e Beauveria bassiana utilizando arroz parboilizado como substrato e os produtos comerciais Metarril e Boveril (biológicos) e Bifentrina (Químico), bem como uma testemunha (água). Os tratamentos foram distribuídos em blocos casualisados com 5 repetições, onde avaliou-se o número de insetos por folha e a flutuação populacional do T. peregrinus com uso de cartelas adesivas amarelas. O número de insetos por folha decresceu após a aplicação dos tratamentos utilizando o controle químico (Bifentrina), seguido dos controles biológicos com I. fumosorosea, B. bassiana e Metarril. A flutuação populacional decresceu após a aplicação dos tratamentos, entretanto não houve diferença significativa eles. Os fungos entomopatogênicos I. fumosorosea e B. bassiana foram eficientes para a emprego no Manejo Integrado do T. peregrinus em campo.

  • ITALA TAINY BARRETO FRANCISCO DOS SANTOS
  • Desenvolvimento de Podisus nigrispinus Dallas (Hetoroptera: Pentatomidae) em diferentes temperaturas e uso de soluções químicas para permeabilização de ovos
  • Orientador : GENESIO TAMARA RIBEIRO
  • Data: 05/07/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Podisus nigrispinus Dallas (Heteroptera: Pentatomidae) é um percevejo predador utilizado no controle biológico de diversas pragas, por isso o mesmo tem sido criado em grandes quantidades em laboratórios. Com objetivo de otimizar a criação massal de P. nigrispinus manipulando diferentes temperaturas, foi realizado dois experimentos, um avaliando os efeitos de diferentes temperaturas no desenvolvimento do percevejo, e como resultado constatou-se que algumas temperaturas foram mais apropriadas para o desenvolvimento do predador, entretanto em faixas extremas permitem retardar ou acelerar o ciclo de vida do predador, possibilitando obter o inimigo natural de acordo com as necessidades em campo. O outro experimento avaliou-se o uso de soluções químicas na decorionização e permeabilização de ovos de P. nigrispinus para fins de criopreservação. Os resultados obtidos evidenciaram que as soluções químicas juntamente com a idade embrionária afetam a viabilidades de embriões a serem criopreservados. Com esse trabalho é possível otimizar a criação massal de P. nigrispinus, bem como servir de base em novas pesquisas para criopreservação de embriões do inseto.

  • INDIRA MORGANA DE ARAUJO SILVA
  • Mortalidade e comportamento de Aedes aegypti (Diptera: Culicidae) resistente a piretróides exposto ao óleo essencial de Aristolochia trilobata L. (Piperales: Aristolochiaceae).
  • Orientador : LEANDRO BACCI
  • Data: 27/02/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O mosquito Aedes aegypti (Diptera: Culicidae) é vetor dos vírus que causam dengue, febre amarela, Zika e Chikungunya, além de ser potencial transmissor do vírus que causa a febre do Mayaro. Atualmente, a dengue expõe cerca de 2,5 bilhões de pessoas aos riscos dessa doença em mais de 100 países. Porém, a utilização frequente de inseticidas organossintéticos sobre tal praga tem selecionado populações resistentes e gerado contaminação ambiental. Dessa forma, a utilização de inseticidas botânicos pode ser promissora devido à baixa persistência no ambiente e atuação em diversos sítios e mecanismos de ação em insetos. Dessa forma, objetivamos analisar a mortalidade e comportamento de duas populações de A. aegypti, susceptível e resistente à piretróides, expostas ao óleo essencial da planta Aristolachia trilobata e aos seus compostos majoritários. O óleo essencial de A. trilobata causou toxicidade a baixas concentrações às larvas e aos adultos de A. aegypti susceptíveis a piretróides, e a CL90 para larvas susceptíveis do composto p-cimeno causou mortalidade de aproximadamente 100% das larvas resistentes. O óleo essencial de A. trilobata foi o mais tóxico para adultos de A. aegypti (CL50 e CL90, respectivamente, de 12 e 18 µl/ml). Enquanto que, a CL50 (larvas susceptíveis) do óleo essencial e dos compostos, para os tempos 0 e 24 h, reduziu a atividade locomotora das larvas, tanto normais quanto resistentes. Dessa forma, o óleo essencial de A. trilobata e seus compostos majoritários são eficientes inseticidas para o controle de A. aegypti resistentes a priretróides, por efeitos letais e subletais.

  • ANE CAROLINE CELESTINO SANTOS
  • Óleo essencial de Cymbopogon martinii e seu constituinte majoritário geraniol: Influência na mortalidade e comportamento de Apis mellifera (Apidae)
  • Orientador : LEANDRO BACCI
  • Data: 24/02/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • As abelhas forrageiras Apis mellifera desempenham importante papel ecológico e econômico, contribuindo positivamente para a manutenção e produção dos sistemas naturais e agricultáveis. Apesar desta importância, a morte destes insetos benéficos ocasionada pela utilização inadequada de inseticidas e a busca por produtos seletivos tem motivado a realização de pesquisas com moléculas naturais. Assim, neste trabalho objetivou-se avaliar os efeitos letais e subletais do óleo essencial de Cymbopogon martinii e seu constituinte majoritário geraniol sobre A. mellifera. O óleo essencial e o geraniol foram menos tóxicos a A. mellifera via contato e ingestão, sendo que estes na DL20 foram cerca de mil vezes menos tóxicos que o inseticida imidaclopride. Tais tratamentos influenciaram no comportamento de voo, bem como apresentaram diferentes variações no comportamento de grupo das abelhas. A partir destes resultados, acreditamos que o óleo essencial de C. martinii e seu constituinte geraniol poderão ser utilizados em estratégias de manejo no forrageamento de A. mellifera.

  • WADSON DE MENEZES SANTOS
  • DESEMPENHO AGRONÔMICO E VOLATILIZAÇÃO DA AMÔNIA DE FERTILIZANTES PASTILHADOS E CONVENCIONAIS NA CULTURA DE MILHO.
  • Data: 23/02/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O nitrogênio (N) é o elemento mais requerido pela maioria das culturas, e o que proporciona os maiores rendimentos na cultura do milho. A fonte de N mais utilizada no mundo é a ureia, porém, esta fonte é a mais susceptível a perdas ambientais de N, sendo a principal delas a volatilização da amônia. O pastilhamento da ureia é uma tecnologia que permite a complexação com outros elementos, como enxofre e zinco, e visa diminuir as perdas de N, e consequentemente melhorar a eficiência agronômica das culturas. O objetivo deste trabalho foi avaliar a resposta da produtividade e da volatilização do N a diferentes fontes e doses de N, aplicado em cobertura, e avaliação da eficiência agronômica. As avaliações foram feitas nas condições das regiões do médio sertão e sul sergipano, em duas safras agrícolas (2014 e 2015). O delineamento experimental foi DBC com 3 repetições, em esquema de parcelas subdivididas com tratamento adicional. As parcelas foram compostas pelas doses: 75, 150 e 300 kg ha-1 de N, e as subparcelas por sete fertilizantes: ureia pastilhada pura (UP), ureia pastilhada com S elementar (UP+S), ureia pastilhada com sulfato de amônio (UP+SA), ureia pastilhada com sulfato de amônio e S elementar (UP+SA+S), ureia pastilhada com sulfato de amônio e sulfato de zinco (UP+SA+Zn), ureia perolada (UR), sulfato de amônio cristal (SA), e o tratamento adicional testemunha (TEST). Foram avaliados a produtividade, o estado nutricional em N e S, e a recomendação de doses de máxima eficiência econômica (DMEE). Em Nossa Senhora das Dores na safra de 2015, foram avaliados a volatilização da amônia nas subparcelas da dose de 150 kg ha-1 de N. A adubação nitrogenada proporcionou maiores teores de N e S foliares, e maior produtividade de grãos; estas variáveis aumentaram com o acréscimo das doses. O SA proporcionou os maiores teores de S foliar e melhor produtividade que a UR, UP e UP+S na média das safras em Umbaúba. O solo de Nossa Senhora das Dores forneceu 35,6 kg de N ha-1, e o de Umbaúba supriu 68,3 kg de N ha-1 ao milho, proporcionando produtividades de 2403 e 2943 kg ha-1, respectivamente. As DMEE para a UR foram 128 kg ha-1 de N em Nossa Senhora das Dores, e 190 kg ha-1 de N em Umbaúba, a dose indicada de SA é 119 kg ha-1 de N para ambos locais, sendo que este tratamento proporcionou as maiores rendas. O acréscimo na renda bruta em função das doses de N foi maior em Umbaúba. Na dose de 150 kg ha-1 de N, 92,5 % do total de N-NH3 perdido por volatilização ocorreu até o quinto dia após a fertilização. A UP+SA reduziu a volatilização da amônia, não diferindo estatisticamente do SA e TEST. O SA apresentou ainda produtividade superior ao tratamento UP+SA+S. O teor foliar de N correlacionou-se positivamente, enquanto a taxa de volatilização negativamente, com a produtividade de grãos.

  • JEFFERSON HENRIQUE SANTOS SILVA
  • ANATOMIA FOLIAR E ÓLEO ESSENCIAL DE ACESSOS DE Varronia curassavica JACQ. MANTIDOS EM DOIS AMBIENTES
  • Orientador : MARIA DE FATIMA ARRIGONI BLANK
  • Data: 17/02/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A erva-baleeira é uma planta medicinal nativa do Brasil, pertencente à família Cordiaceae, conhecida popularmente como erva-baleeira, podendo ser encontrada na faixa litorânea que vai do Ceará ao Rio Grande do Sul. Objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito do ambiente no óleo essencial e na anatomia foliar de acessos de Varronia curassavica. O delineamento experimental foi em blocos casualisados, em esquema fatorial 2x5, testando dois ambientes (tela sombrite de 50% de sombreamento e em pleno sol) e cinco acessos de erva-baleeira (VCUR-101, VCUR-102, VCUR-201, VCUR-302, e VCUR-802) com três repetições, com três plantas por repetição. Aos 90 e 180 dias de cultivo foi avaliada a anatomia foliar, os teores de clorofila a, b e total e a razão de área foliar. O teor, rendimento e a composição química do óleo essencial em folhas secas foram avaliados aos 180 dias de cultivo. O ambiente pleno sol proporcionou maior desenvolvimento do limbo foliar e dos parênquimas paliçádico e lacunoso em todos os acessos. Entretanto, o sombreamento de 50% proporcionou uma maior espessura na nervura central, razão de área foliar e teor de clorifila B. O ambiente influenciou significativamente no teor, rendimento e composição química dos óleos essências.

  • MARINA FERREIRA DA VITÓRIA
  • DESCRITORES MOLECULARES, MORFOLÓGICOS E FÍSICO-QUÍMICOS PARA GERMOPLASMA DE MANGABEIRA
  • Data: 17/02/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Frutífera nativa do Brasil, a mangabeira (Hancornia speciosa Gomes) é uma espécie predominantemente extrativista de ocorrência em várias regiões do país. A região Nordeste detém de 99% de toda a produção, sendo o estado de Sergipe o maior produtor. O potencial para o aproveitamento da mangabeira é bastante variado, sendo utilizada para o consumo in natura e industrialização de diversos alimentos e bebidas. A espécie vem sendo ameaçada de extinção por vários fatores que estão contribuindo para redução das suas áreas de ocorrência natural. Para ampliar a base de dados para a utilização e conhecimento da variabilidade desta espécie, é necessário que se realizem estudos de caracterização e de diversidade genética. Apesar de sua importância social, econômica, cultural e ambiental, a espécie não possui lista de descritores mínimos estabelecidos e ainda está em fase de domesticação, havendo alguns gargalos que comprometem o sistema de produção. O objetivo do trabalho foi avaliar descritores moleculares, morfológicos e físico-químicos em germoplasma de mangabeira. O Banco de Germoplasma de mangaba (BAGmangaba) da Embrapa Tabuleiros Costeiros possui 22 acessos representados por 213 indivíduos. Todos foram utilizados para a caracterização molecular e estrutura genética, utilizando nove marcadores microssatélites (SSR). Para a caracterização morfológica e físico-química, foram utilizados os acessos em fase de frutificação (CA, AB, PT, PR, TC, PA, LG, BI, GX, IP e AD). Observou-se 100% de polimorfismo com o uso dos SSR. Foram identificados 147 alelos, com média de 16 alelos por loco. A confiabilidade foi verificada com valores de estresse (0,042) e de correlação (0,988). Os alelos apresentaram alta frequência de heterozigosidade (He>Ho). Os valores de Fst (0,22) e de f (0,07) indicaram moderada estrutura populacional, sendo apresentada maior diversidade dentro dos acessos. A análise Bayesiana indicou um agrupamento com k=2, confirmado com o UPGMA. Foram formados três grupos distintos, agrupados de acordo com a similaridade. Os pares de indivíduos PM5 e GX2; CN1 e CN9; G18 e PA1; JA14 e JA15; OI8 e OI9, todos pertencentes ao G3 foram os mais próximos geneticamente. Com a avaliação dos 40 descritores morfológicos observou-se ampla variação mesmo dentro de acessos. Essa variação não foi tão expressiva na caracterização físico-química. A quantificação da vitamina C nos frutos é sempre um importante atributo de qualidade, e variou de 371 a 421 mg x 100-1 g, não havendo diferença siginificativa. O germoplasma avaliado possui diversidade entre e dentro dos acessos. Os resultados irão colaborar nas estratégias de conservação desse material e em futuros programas de melhoramento. A proposta de descritores elaborada durante esse estudo foi aceita e será utilizada pela FAO/Biodiversity.

  • JÉSSIKA ANDREZA OLIVEIRA PINTO
  • Influência da época de plantio na produção de cultivares e híbridos de manjericão.
  • Orientador : ARIE FITZGERALD BLANK
  • Data: 03/02/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O manjericão (Ocimum basilicum L.) é uma espécie medicinal, aromática e condimentar muito consumida no país e no mundo. Diante da necessidade de informações a respeito das variedades de manjericão e de produção de óleo essencial, o presente trabalho tem o objetivo de avaliar a influência da época de plantio na produção de cultivares e híbridos de manjericão. Para o ensaio utilizou-se o delineamento experimental em blocos casualizados, com três repetições. Foram avaliadas 24 genótipos de manjericão, sendo 20 cultivares comerciais e quatro híbridos em duas épocas de plantio seca (out.-dez./2015) e chuvosa (abr.-jun./2016). Os ensaios foram conduzidos na Fazenda Experimental “Campus Rural da UFS”. Os óleos essenciais foram extraídos por hidrodestilação e analisados por CG/MS-DIC. As variáveis avaliadas foram: altura de planta, largura da copa, massa seca de folhas, rendimento e teor de óleo essencial; e teor seus principais constituintes. Os dados de cada época foram submetidos à análise de variância e as médias foram agrupadas pelo teste de Scott-Knott (p≤0,05). Realizou-se a análise de variância individual e conjunta para os experimentos das duas épocas. Foram estimados os parâmetros da variância genética (s2g), ambiental (s2e), coeficientes de variação genética (CVg), ambiental (CVe), razão CVg/CVe e herdabilidade (h2). Os valores de massa seca de folha variaram de 6,23 a 75,00 g (época seca) e 9,17 a 26,49 g (época chuvosa). O híbrido Cinnamon x Maria Bonita (1,50 mL) e a cultivar Mrs. Burns (1,44 mL) apresentaram maior rendimento na época seca. Na época chuvosa foi de 1,29 mL (Mrs. Burns). O teor de óleo essencial variou de 0,66 a 3,21 % na época seca e de 0,80 a 4,20 % na época chuvosa. Os compostos encontrados em maiores quantidades entre os genótipos foram linalol, metil chavicol, neral, geranial, eugenol e (E)-cinamato de metila, definindo a formação de cinco grupos em cada época sendo classificados nos quimiotipos: metil chavicol (Grupo 1), citral (neral+geranial) (Grupo 2), cinamato de metila (Grupo 3), linalol (Grupo 4), linalol intermediário (Grupo 5). Todos os caracteres avaliados apresentaram alta herdabilidades (h2) (>70%) e razão CVg/CVe (>1,0), nas duas épocas, indicando situação favorável para seleção num programa de melhoramento. A época tem influência na produção e composição química de óleo essencial de manjericão.

2016
Descrição
  • GILDA MARIA DO AMARANTE MATOS
  • MATA CILIAR EM PROCESSO DE RECUPERAÇÃO NO BAIXO RIO SÃO FRANCISCO: FLORÍSTICA E FITOSSOCIOLOGIA
  • Orientador : ROBERIO ANASTACIO FERREIRA
  • Data: 31/08/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A vegetação ciliar é fundamental na realização de processos ecossistêmicos, como a manutenção da fauna e processos físicos e químicos das margens do rio. O presente estudo foi realizado com o objetivo de caracterizar a florística e fitossociologia de uma comunidade vegetal em área de mata ciliar, em processo de recuperação, na Fazenda Mãe Natureza em Santana do São Francisco - Sergipe. A vegetação objeto do estudo é resultado de um projeto-piloto, que visa obter dados para subsidiar futuros modelos de restauração de áreas de mata ciliar degradada na região do baixo São Francisco. Para tanto, realizou-se análise do solo da área para comparar com os dados do solo na época da implantação do projeto, levantamento florístico e fitossociológico, com estrutura horizontal e vertical, Densidade Absoluta, Densidade Relativa, Dominância Absoluta, Dominância Relativa, Índice de Valor de Cobertura, Índice de Diversidade de Shannon-Weaver (H’), Índice de Equabilidade de Peilou (J’), Cobertura de Copa (CC), Similaridade Florística e Síndrome de dispersão e grupos sucessionais. O levantamento florístico da área para todos os estratos apresentou riqueza total de 134 espécies, 107 gêneros e 48 famílias, havendo predominância das espécies herbáceas, com 54,4% das espécies identificadas. As famílias herbáceas que apresentaram maior riqueza de espécies foram Malvaceae (16,7%), Cyperaceae (13,7%), Asteraceae (11%), Fabaceae (8,2%) Poaceae (6,8%), as quais juntas representam 56,4% da riqueza em espécies herbáceas registradas na área. Para o estudo fitossociológico do estrato arbustivo-arbóreo foi realizado o censo dos indivíduos presentes numa área de (1,66 ha), onde foram amostrados todos os indivíduos vivos e mortos em pé com diâmetro do caule ao nível do solo ≥ 3 cm e altura total ≥ 1 m. Um total 2513 indivíduos foi amostrado, destes 2469 vivos e 45 mortos, pertencentes a 70 espécies, 58 gêneros e 25 famílias. A família Fabaceae apresentou um número mais expressivo, com 25 % do total de espécies, seguida das famílias Anacardiaceae (7%), Myrtaceae (7%), Rubiaceae (7%) e as famílias Euphorbiaceae, Lamiaceae, Meliaceae e Polygonaceaea que apresentaram 4,3% cada. O índice de diversidade de Shannon (H’) 2,93 e o Índice de Equabilidade de Pielou (J’) é de 0,69. As espécies da área em estudo foram agrupadas em três categorias de dispersão (zoocóricas, anemocóricas e autocóricas) e duas ordens de sucessão (pioneiras e clímax). A partir dessas classificações obteve-se para a síndrome de dispersão, 45 (65,7%) espécies classificadas como zoocóricas, sendo 26 pioneiras e 19 clímax, 17 (24,3%) espécies autocóricas, sendo 14 pioneiras e 3 clímax e 7 (10%) espécies anemocóricas, sendo 05 pioneiras e 2 clímax e 01 espécie não classificada. Independente da fisionomia analisada e comparada, encontramos uma baixa similaridade florística, assim todas as área analisadas apresentam particularidades florísticas definidas. Desse modo, podemos observar que ao longo dos anos, o solo está recompondo sua fertilidade, provavelmente devido ao crescimento da vegetação plantada que promoveu uma maior proteção do solo, facilitando assim o estabelecimento de novos propágulos na área.

  • JOÃO MANOEL DA SILVA
  • COMPLEXO LIXA E QUEIMA DAS FOLHAS EM COQUEIRO-ANÃO: AVALIAÇÃO DE GERMOSPLASMA E ESTRATÉGIAS DE CONTROLE QUÍMICO POR CYPROCONAZOLE
  • Data: 31/08/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O coqueiro (Cocos nucifera L.) é uma frutífera perene com grande importância econômica no Nordeste brasileiro, e que vem se expandindo para outras regiões do país como Norte e Sudeste. Entretanto, esta cultura é suscetível a diversos patógenos, como Camarotella acrocomiae, C. torrendiella e Botryosphaeria cocogena, causadores da lixa grande, lixa pequena e queima das folhas, respectivamente. Estas doenças causam redução da área foliar das plantas afetadas. Por serem doenças que ocorrem geralmente associadas, a ocorrência conjunta destas doenças é conhecida como complexo lixa e queima das folhas do coqueiro (CLQ). Embora possuam grande importância econômica, são doenças de difícil controle, principalmente pelo porte alto das plantas. Visando a caracterização de material genético do coqueiro anão e o controle químico destas doenças, os objetivos deste estudo foram: i- descrever a relação entre a intensidade do CLQ em diferentes acessos do coqueiro anão e sua relação com as variáveis ambientais, e; ii- avaliar a eficiência do fungicida cyproconazole no controle do CLQ em plantas da cultivar anão verde, sob diferentes modos, doses e frequência de aplicação. Para tanto foram conduzidos dois experimentos. No primeiro, foram caracterizados seis acessos de coqueiro anão conservados no banco ativo de germoplasma (BAG) da Embrapa Tabuleiros Costeiros sendo: AAG (Anão-Amarelo-do-Brasil-de-Gramame), AAM (Anão-Amarelo-da-Malásia), AVC (Anão-Vermelho-de-Camarões), AVG (Anão-Vermelho-do-Brasil-de-Gramame, AVBJ (Anão-Verde-do-Brasil-de-Jiqui), e AVM (Anão-Vermelho-da-Malásia). O delineamento foi em blocos casualizados com seis tratamentos (acessos) com cinco repetições. Foram feitas 11 avaliações mensais de Junho de 2015 a Maio de 2016. Para avaliar a incidência da queima das folhas foi contado o número total de folhas na planta e o número de folhas doentes, para a severidade, as folhas doentes receberam notas de 1 a 4 e aplicados na fórmula SD%= (n x f)/Z x N)x100 em que: SD (%) é a severidade do dano; n é a nota da escala conferida a folha; f é a frequência das notas no total das folhas avaliadas; Z é o valor numérico da nota máxima na escala e N é o total de observações. Para incidência da lixa grande e pequena, foram coletados seis folíolos da folha 19 e contados os folíolos doentes e para a severidade foram quantificadas as lesões pela atribuição de notas de 1 a 5 e aplicadas na fórmula anteriormente citada. A análise estatística foi feita pelo modelo de escalonamento multidimensional não-métrico (NMS) e posterior análise de MRPP (Multiresponse Permutation Precedures). O segundo experimento foi desenvolvido com a finalidade de testar a eficiência de controle do cyproconazole frente ao CLQ. O delineamento foi em blocos casualizados em esquema fatorial incompleto (3x2x2+2) sendo os tratamentos: três doses (3, 6 e 10 mL), duas formas (axilar e injetável), e duas frequências de aplicação (bimestral e semestral) mais dois tratamentos controle e quatro repetições. Os controles corresponderam a plantas com furo no estipe sem aplicação do produto diluído e sem furo e sem aplicação. A aplicação axilar foi realizada pela aplicação na axila da folha 9 do produto diluído em água nas doses supracitadas, e a injetável pela abertura de um furo no estipe a 20 cm do solo com auxílio de uma furadeira mecânica e introdução com uma seringa do produto puro nas doses supracitadas. Para quantificar incidência e severidade das doenças, foram realizadas duas avaliações, uma avaliação 30 dias antes dos tratamentos e outra 15 dias após a aplicação semestral. A avaliação de incidência e severidade das doenças foi feita da forma citada anteriormente, com alteração apenas para a coleta dos folíolos que neste caso foi feita na folha 14. Também foi avaliada a última folha com queima (UFQ). A variação na incidência e severidade das doenças no período avaliado foi determinada pela razão dos valores da última avaliação (225 d) em relação à primeira (0 d) pela fórmula: Δ = Tn/T0, onde Δ: variação na severidade ou incidência; Tn, variável na última avaliação; T0, variável na primeira avaliação. Deste modo, valores de Δ menores e maiores que 1 indicam, respectivamente, redução e aumento da doença. A mesma abordagem foi utilizada no tratamento da variável UFQ, neste caso, incrementos nos valores de Δ representam o aumento de folhas sadias. Para a caracterização dos acessos do BAG a solução gráfica do NMS representou 95% da variabilidade dos dados originais das seis variáveis entre as amostras analisadas, sendo, deste total, 72% associados ao eixo 1 e 23%, ao eixo 2. De acordo com a análise de MRPP, a intensidade de danos do CLQ do acesso AVC e do AVBJ apresentou comportamento intermediário em relação aos demais acessos. O acesso AVG seguido pelo AVM apresentou tendência a maior intensidade da lixa grande e da queima das folhas. Um grupo composto por AAG e AAM apresentou tendência a maior intensidade da lixa pequena. Com relação ao ambiente a intensidade da lixa grande foi influenciada positivamente pela temperatura e a incidência da queima das folhas negativamente pela pluviosidade. A lixa pequena não foi influenciada pelas variáveis ambientais. Com relação ao controle químico com cyproconazole, o uso da técnica multivariada de regressão em árvore resultou em um modelo, onde, uma árvore de quatro nós terminais explicou 49% da variabilidade total dos dados. Esta variabilidade foi explicada por dois fatores selecionados pela análise, dose e modo de aplicação, que contribuíram, respectivamente, com 35,5% e 13,5% da variabilidade total. Diante disto, foi constatado que houve diferença para todos os tratamentos em relação às testemunhas. Os modos de aplicação diferiram, onde a aplicação injetável obteve os melhores controles com menores níveis de incidência e severidade e maiores níveis de dUFQ. As doses de 6 e 10mL foram as mais eficientes independente da frequência de aplicação para os modos axilar e injetável, respectivamente. Não houve efeito significativo da frequência de aplicação e assim pode ser viável a utilização da dose ideal com maiores intervalos de aplicação.

  • ALEXANDRE PASSOS OLIVEIRA
  • Nanoformulações à base do óleo essencial de Lippia sidoides e timol para o manejo de populações de Sitophilus zeamais
  • Orientador : LEANDRO BACCI
  • Data: 29/07/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O gorgulho-do-milho Sitophilus zeamais (Coleoptera: Curculionidae) é a principal praga de grãos armazenados no mundo. A utilização de inseticidas organossintéticos ainda é a tática de manejo mais empregada em seu controle. No entanto, o uso indiscriminado destes produtos tem gerado diversos problemas como seleção de populações resistentes e contaminação do produto. Substâncias de origem botânica têm sido apontadas como uma alternativa aos inseticidas convencionais por apresentarem baixo custo, alta eficiência, rápida degradação e baixo risco de contaminação. O alecrim-pimenta Lippia sidoides Cham. (Verbenaceae) é uma planta aromática nativa do semi-árido nordestino brasileiro com potencial inseticida. Assim, objetivou-se neste trabalho analisar a toxicidade letal e subletal do óleo essencial de L. sidoides, seus compostos majoritários e suas respectivas nanoformulações sobre cinco populações de S. zeamais das diferentes regiões brasileiras. O óleo essencial de L. sidoides e o óleo essencial da nanoformulação foram analisados por cromatografia gasosa acoplada a espectrometria de ionização em chamas (CG/EM/FID). Foram identificados 22 compostos, sendo o timol o majoritário (68,45%). Foram realizados bioensaios de aplicação tópica, fumigação, tempo letal, comportamental, de efeitos sobre crescimento populacional e de armazenamento das nanoformulações. Tanto o óleo essencial de L. sidoides, quanto os majoritários e as nanoformulações demonstraram ser eficientes sobre as populações de S. zeamais quando aplicados topicamente e por fumigação. O óleo essencial e os compostos majoritários demonstraram também efeitos rápidos através dessas vias de aplicação, apesar de o padrão de resposta para as populações susceptíveis diferirem em relação à via de exposição. As nanoformulações demonstraram liberação lenta das substâncias, além de estabilidade da mesma e eficiência por possuir apenas 18% dos ingredientes ativos. O óleo essencial e os compostos majoritários mostraram possuir efeito irritante nas populações de S. zeamais, enquanto que concentrações crescentes das nanoformulações demonstraram afetar o crescimento populacional dessas populações. Portanto, o óleo essencial de L. sidoides, seus compostos majoritários e as nanoformulações a base dessas substâncias mostram-se promissoras para o manejo de populações de S. zeamais com diferentes níveis de resistência a inseticidas organossintéticos

  • ABRAÃO ALMEIDA SANTOS
  • Óleos essenciais e seus constituintes para o controle de Cryptotermes brevis e Nasutitermes corniger: vias de exposição e respostas comportamentais.
  • Orientador : LEANDRO BACCI
  • Data: 25/07/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Os cupins desempenham importantes papéis ecológicos nos ecossistemas terrestres contribuindo positivamente para a manutenção desses sistemas naturais. Apesar desta importância algumas espécies são consideradas pragas em ambientes urbanos e em cultivos agrícolas e florestais. Nas áreas urbanas, as espécies Cryptotermes brevis e Nasutitermes corniger são destaque pelo seu ataque a estruturas e peças de madeira, danificando irreversivelmente tais materiais. O uso de cupinicidas é o principal método de controle destas pragas. Contudo, os efeitos adversos da utilização destes produtos e a demanda por produtos com menor risco toxicológico tem motivado a realização de pesquisas com produtos naturais. Assim, neste trabalho avaliamos os efeitos tóxicos e subletais dos óleos essenciais de Aristolochia trilobata e Lippia sidoides, e seus constituintes sobre N. corniger e C. brevis, respectivamente. Os óleos essenciais e seus constituintes foram tóxicos a N. corniger e C. brevis via aplicação tópica e fumigação. Estes tratamentos apresentaram efeito repelente aos cupins, bem como reduziram seus comportamentos altruísticos. A partir destes resultados, acreditamos que os óleos essenciais de A. trilobata e L. sidoides, e seus constituintes poderão ser utilizados em estratégias de controle de forma substitutiva e/ou complementar de N. corniger e C. brevis.

  • MARIANA SANTOS MENEZES
  • CARACTERIZAÇÃO QUÍMICA E EFEITO DO ÓLEO ESSENCIAL DE LIPPIA GRACILIS E SEUS CONSTITUINTES MAJORITÁRIOS SOBRE ACERIA GUERRERONIS (ACARI: ERIOPHYIDAE)
  • Orientador : ARIE FITZGERALD BLANK
  • Data: 22/07/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Lippia gracilis é uma planta pertencente à família Verbenaceae popularmente conhecida como “alecrim-da-chapada” ou “alecrim-de-tabuleiro” e própria do bioma caatinga. Devido ao potencial bioativo, o óleo essencial de L. gracilis vem sendo testado para o controle de diferentes pragas e doenças na agricultura e pecuária. Uma destas pragas é o ácaro-da-necrose-do-coqueiro (Aceria guerreronis), que é uma importante praga que afeta diretamente a cultura do coqueiro no Brasil. Poucas são as alternativas de controle, sendo a aplicação de acaricidas sintéticos a principal opção. O objetivo deste trabalho foi avaliar a toxicidade e repelência do óleo essencial de dois genótipos de L. gracilis e seus compostos majoritários timol e carvacrol sobre o ácaro-da-necrose (Aceria guerreronis). Para avaliação de toxicidade foram preparadas arenas em placa de Petri contendo 30 ácaros adultos com oito repetições cada, e pulverizadas com concentrações crescentes dos óleos essenciais de L. gracilis e os compostos timol e carvacrol possibilitando o cálculo das concentrações letais (CLs). Adicionalmente à toxicidade, foi avaliada a repelência dos óleos essenciais de L. gracilis sobre A. guerreronis por meio da liberação de ácaros adultos no centro da arena com metade pulverizada e metade não pulverizada. A análise da composição química dos óleos essenciais de L. gracilis identificou o timol (52,41%) como composto majoritário para o genótipo LGRA-106 enquanto carvacrol (49,36%) foi o majoritário para o genótipo LGRA-109. As concentrações letais (CL) dos óleos essenciais de L. gracilis que matam 50 e 90% da população de A. guerreronis para o acesso LGRA-106 e LGRA-109 foram estimadas em 4,58 e 9,73 µL/mL e 31 e 46,01 µL/mL, respectivamente. Para o composto timol, a CL50 e a CL90 foram estimadas em 5,34 µL/mL e 19,50 µL/mL e para o composto carvacrol a CL50 e a CL90 foram estimadas em 6,84 µL/mL e 26,16 µL/mL. A CL50 e a CL99 dos genótipos LGRA-106 e a CL50 do genótipo LGRA-109 repeliram A. guerreronis apenas na primeira hora após a exposição. O genótipo LGRA-106 apresentou maior toxicidade ao Aceria guerreronis que o genótipo LGRA-109 e o óleo essencial do genótipo LGRA-106 foi mais tóxico que o seu composto majoritário, o timol. Conclui-se que o óleo essencial do genótipo LGRA-106 apresenta potencial para o desenvolvimento de um produto para o controle do ácaro-da-necrose A. guerreronis.

  • MILENA NASCIMENTO CARDOSO
  • SALINIDADE, LUZ E SACAROSE NA MICROPROPAGAÇÃO DE MANDIOCA
  • Data: 22/07/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A mandioca (Manihot esculena Crantz) pertence à família Euphorbiceae, gênero Manihot, que é composto por 98 espécies, sendo a Manihot esculenta a única comercialmente produzida. Geralmente é propagada vegetativamente, porém, vários fatores como o processo de salinização do solo podem ocasionar danos graves as plantações, diminuindo a produção da mandiocultura. Para a manutenção dos processos fisiológicos em situações adversas como estresse salino, as plantas acumulam aminoácidos compatíveis ao citosol, como a prolina, que auxilia na manutenção da pressão osmótica, mantendo a absorção de água. Mudas micropropagadas in vitro demandam uma série de requisitos, como sala de crescimento e fonte de carbono, o que juntamente com a baixa taxa de sobrevivência, encarecem o produto final. A adaptação do ambiente in vitro para o ex vitro deve ser cercada de cuidados visando reduzir o estresse causado pelas diferenças entre os ambientes, o que pode causar a morte do indivíduo. O uso de luz natural com a planta ainda no meio de cultivo, denominado fotoautotrofia, e a diminuição na concentração de sacarose surgem como possibilidades potenciais para aumentar a eficiência da micropropagação e aclimatização de plantas, auxiliando na redução de custos, viabilizando o comércio. No capítulo 1, seis genótipos foram utilizados no experimento de salinidade ex vitro: Sergipe, Lagoão, BRS Verdinha, BRS Tapioqueira, BRS Kiriris e BRS Formosa. Durante a aclimatização, as mudas foram regadas semanalmente com meio de cultura MS líquido, adicionado ou não de 4g.L-1 ou 8g.L-1 de NaCl, perfazendo três tratamentos. Após 90 dias foram avaliados: número de raízes, número e folhas, número de brotos, número de tubérculos, comprimento da parte aérea, comprimento de raiz, número de gemas, diâmetro de caule, massa seca de parte aérea e raízes e teor de prolina. As variedades BRS Formosa e BRS Kiriris apresentaram maior tolerância ao estresse salino e o acúmulo de prolina foi intensificado em todas as variedades a partir da adição de sal ao substrato. No capítulo 2, os tratamentos foram aplicados na fase de enraizamento in vitro, e com concentrações diferentes de sacarose (10;20;30 e 40 g.L-1) para as variedades Tapioqueira e Lagoão por 45 dias e transferidas para casa de vegetação, onde permaneceram por 60 dias e logo depois foram avaliados: número de raiz, número de folha, número de tubérculo, comprimento da parte aérea, comprimento de raiz, número de gemas, massa seca da parte aérea, massa seca de raiz e taxa de sobrevivência. As duas variedades desenvolveram-se melhor em concentrações mais altas de sacarose. Num segundo experimento, os tratamentos sacarose (10; 20 e 30g.L-1) e luz (natural e artificial da sala de crescimento) foram aplicados na mesma fase, e para as variedades BRS Formosa, BRS Verdinha e Lagoão. Após 45 dias sob luz natural ou luz artificial, os explantes foram transferidos para casa de vegetação, e avaliados no decorrer de 60 dias: número de folhas, comprimento da parte aérea, número de folhas de transição, diâmetro do pseudocaule e massa seca de parte aérea e de raízes. As variedades BRS Formosa e Lagoão obtiveram melhores resultados sob luz natural e altas concentrações de sacarose, já BRS Verdinha, teve melhor desenvolvimento sob luz natural, porem com concentração menor de carboidrato.

  • EDINALDO DE OLIVEIRA ALVES SENA
  • Hidroresfriamento, revestimento comestível e cálcio como alternativas no tratamento pós-colheita de pedúnculos de caju
  • Orientador : MARCELO AUGUSTO GUTIERREZ CARNELOSSI
  • Data: 06/07/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo teve como objetivo o uso de tecnologias alterativas, físicas e químicas, para preservar a qualidade comercial, melhorar a capacidade de armazenamento, e aumentar a vida útil de pedúnculos de caju (Anacardium occidentale L.). Para determinar a temperatura a ser utilizada no hidroresfriamento, pedúnculos foram imersos em água contendo gelo a 1, 3, 5 e 7°C. Foram determinadas a taxa de resfriamento, cor, frescor, avaliação visual, perda de peso e propriedades térmicas. Após a aplicação do hidroresfriamento os pedúnculos foram armazenados por até 15 dias em expositor vertical a 5oC. Após a determinação da temperatura para hidroresfriamento, pedúnculos de caju foram hidroresfriados e resfriados em expositor vertical a 5°C, com armazenamento refrigerado por 25 dias. A cada cinco dias amostras foram retiradas para análises físicas, físico-químicas e enzimáticas. Para o estudo de revestimento comestível pedúnculos foram submetidos a quatro tratamentos: hidroresfriamento, hidroresfriamento com posterior aplicação de cloreto de cálcio 2%, revestimento comestível a base de amido de milho 4%, e revestimento comestível enriquecido com cálcio. Após aplicação dos tratamentos os pedúnculos foram armazenados por 25 dias. A cada cinco dias amostras foram retiradas para análises bioquímicas, físicas, físico-químicas e enzimáticas. A temperatura de hidroresfriamento que melhor manteve a qualidade dos pedúnculos sem induzir danos por frio foi à temperatura de 5°C com tempo de resfriamento de 29 min. O hidroresfriamento retardou a perda de peso, firmeza, degradação de acido ascórbico e acidez, e menores atividades das enzimas PPO e POD quando comparado ao uso de expositor vertical. Não foram observadas variações significativas em relação às análises carotenóides, fenóis aparentes, sólidos solúveis e cor entre os tratamentos estudados. Deste modo, o hidroresfriamento se apresentou com tecnologia eficaz de resfriamento e manutenção da qualidade de pedúnculos de caju. A aplicação de cálcio tanto no revestimento comestível como após o hidroresfriamento proporcionou uma maior firmeza e menor atividade da pectinametilesterase e polifenoloxidase dos pedúnculos, mantendo a integridade na parede celular. O hidroresfriamento diminuiu as taxas de perda de peso, como de antocianinas e carotenóides, o que resultou na manutenção da qualidade visual, e menor degradação de ácido ascórbico, quando comprados a frutos revestidos. O revestimento a base de amido de milho não foi eficiente na manutenção da qualidade dos pedúnculos durante o período de armazenamento. Pedúnculos de caju, quando hidroresfriados conservaram por mais de 20 dias e para os demais tratamentos a vida útil variou entre 15 e 20 dias. Estes resultados sugerem que o uso do hidroresfriamento e a utilização de cálcio foram eficazes na preservação da qualidade e vida útil de pedúnculos de caju.

  • FERNANDO ARAUJO DE ALMEIDA
  • Qualidade fisiológica de sementes de cultivares de alface sob diferentes temperaturas na germinação
  • Orientador : RENATA SILVA MANN
  • Data: 27/04/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo neste trabalho foi avaliar a fisiologia e bioquímica de sementes de alface por meio da germinação e expressão das enzimas álcool desidrogenase (ADH), malato desidrogenase (MDH), catalase (CAT), esterase (EST), piruvato descarboxilase (PDC) e glutamato oxalacetato transferase (GOT) em diferentes temperaturas. Sementes de quatro cultivares de alface foram submetidas aos testes de germinação e primeira contagem nas temperaturas de 20, 25, 30, 35, 40 e 42ºC. Foram calculados o índice de velocidade de germinação (IVG) e a porcentagem de germinação. Avaliou‑se, também, a expressão das enzimas álcool desidrogenase (ADH), malato desidrogenase (MDH), catalase (CAT), esterase (EST), piruvato descarboxilase (PDC) e glutamato oxalacetato transferase (GOT), para todos os tratamentos. Utilizou‑se o delineamento experimental inteiramente casualizado, em arranjo fatorial 4x6, com quatro cultivares e seis temperaturas, em quatro repetições. Os maiores valores de germinação e vigor foram observados para a cv. Everglades, à temperatura de 35ºC, portanto, comprovada a termotolerância. A enzima catalase pode ser considerada marcadora para identificação de cultivares de alface termotolerantes. A cultivar Everglades tem potencial para utilização em programas de melhoramento de alface com vistas à tolerância a temperaturas durante a germinação.

  • PATRICIA DE OLIVEIRA SANTOS ALMEIDA
  • Atividade antitumoral do óleo essencial de Lippia spp. frente a células da linhagem A549 de carcinoma de pulmão humano
  • Orientador : RICARDO SCHER
  • Data: 07/04/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Os carcinomas de pulmão destacam-se como um grave problema de saúde pública, pois, encontram-se entre as principais causas de morte por câncer no mundo. São classificados em dois principais grupos histológicos: carcinoma de pulmão de células pequenas (CPCP) e carcinoma de pulmão de células não pequenas (CPCNP). Na busca por terapias inovadoras, diversos produtos naturais derivados de plantas e outros organismos têm sido estudados para utilização como fonte para o desenvolvimento de quimioterápicos empregados no tratamento de diversos tipos de câncer, inclusive dos carcinomas de pulmão, nesse contexto, insere-se os óleos essenciais manipulados a partir de plantas medicinais como a Lippia sp, pertencentes a família Verbenaceae e que apresentam diversas espécies com propriedades terapêuticas, entre elas, atividade antimicrobiana, onde afetam as mitocôndrias das células, interrompendo assim o fornecimento de energia, com isso as células sofrem apoptose. Devido a esta e outras características, o uso de produtos naturais, vêm se destacando na saúde do homem, pois, são fontes promissoras de substâncias bioativas que apresentam diversas atividades. Além disso, tais produtos, não são prejudiciais ao meio ambiente e são menos agressivos à saúde do homem. O presente trabalho propõe a investigação da atividade antitumoral dos óleos essenciais de diferentes espécies e genótipos de plantas do gênero Lippia sp. do Banco Ativo de Germoplasma da Universidade Federal de Sergipe (UFS), localizado na Fazenda Experimental “Campus Rural da UFS”, que apresentam variada composição química. Para isso as células A549 (Carcinoma de pulmão), foram tratadas com concentrações crescentes (20 a 160 µg/mL) de óleos essencias de Lippia gracilis (genótipos 106 e 110), de Lippia alba (genótipos 13 e 57) e Lippia sidoides (genótipos 102 e 104) durante o intervalo de 24 horas. O mesmo tratamento foi realizado nas células não-neoplásicas (fibroblastos L929). A citotoxicidade destes óleos essenciais frente as linhagens A549 e L929 foi determinada através do método colorimétrico do MTT. Os valores das absorbâncias obtidas nos tratamentos foram normalizados com os das células não tratadas e utilizados para calcular os valores de CI50 por análise de regressão. Os resultados encontrados demonstram uma atividade antitumoral dos óleos essenciais de Lippia gracilis genótipos 106 e 110 frente a linhagem tumoral A549, com valores de CI 50 75,42µg/mL (62,3 – 91,3) e 158,6 µg/mL (121 – 207,9) respectivamente; enquanto os óleos de Lippia alba genótipos 13 e 57 apresentam valores de CI50 86,14 µg/mL (72,3 – 102,6) e 70,34 µg/mL (57,8 – 85,7) respectivamente e os óleos de Lippia sidoides genótipos 102 e 104, 97,93 (75,68 – 126,7) e 150,70 (117,8 – 192,9) respectivamente. Através da análise morfológica de lâminas coradas por hematoxilina e eosina foi possível observar alterações características da morte celular por apoptose, demonstrando que os óleos essenciais de Lippia sp. induz a morte celular por apoptose. Desse modo os óleos essenciais de plantas do gênero Lippia spp. revelam-se como uma fonte de substâncias com potencial antitumoral na terapia convencional.

  • RAFAEL SALOMÃO DA SILVA
  • Bactérias de solos supressivos com atividade antimicrobiana sobre Xanthomonas campestris pv. campestris
  • Orientador : ROBERTA PEREIRA MIRANDA FERNANDES
  • Data: 29/02/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Xanthomonas campestris pv campestris é uma bactéria fitopatogênica que é o agente casual da podridão negra em crucíferas. Para o controle de doenças causadas por fitopatógenos destaca-se o uso de bactérias com atividade antagonista ao patógeno. Estudos recentes mostram que espécies de Bacillus exercem sobre Xanthomonas campestris um forte controle biológico. Um dos mecanismos deste controle é a produção de metabólitos secundários por essas espécies. O objetivo deste trabalho foi selecionar bactérias antagonistas a X. campestris e avaliar a atividade antimicrobiana dos filtrados extracelulares das bactérias (FEB) com atividade antagonista. Para isso, 213 bactérias isoladas de um solo supressivo a foram avaliadas quanto a atividade antagonista in vitro pela técnica da dupla camada. Noventa e dois isolados (44,6%) foram capazes de inibir o crescimento do fitopatógeno alvo (X. campestris). Dentre os 92 isolados selecionados no teste da dupla-camada, 51 (55,43%) apresentaram inibição do crescimento da X. campestris no testes com os FEB em meio líquido. Treze destes inibiram 50% ou mais do crescimento do fitopatógeno alvo, sendo que os FEB8, FEB 31, FEB 68, FEB 74 e FEB 87 foram capazes de inibir 100% do crescimento de Xanthomonas campestris. O FEB do isolado TCDT-8, pertencente ao gênero Paenibacillus, foi utilizado para testes in vivo com culturas de couve-manteiga. A inoculação artificial de couve-manteiga com X. campestris pré-tratada com o FEB8 demonstrou que a bactéria perde a habilidade de colonizar a couve e causar a podridão negra, o que indica o potencial do uso deste isolado para proteger a couve-manteiga da infecção por X. campestris.

  • ANNIE CAROLINA ARAUJO DE OLIVEIRA
  • Morfogênese e calogênese in vitro em jenipapeiro (Genipa americana L.).
  • Data: 26/02/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A cultura de tecidos vegetais tem-se mostrado eficaz na multiplicação, conservação e produção de metabólitos secundários. O jenipapeiro (Genipa americana L.), da família Rubiaceae destaca-se pela pluralidade de usos, seja como essência florestal, produção de frutos ou na medicina tradicional. Quimicamente, essa espécie é caracterizada pela presença de iridóides. Esse trabalho foi dividido em duas partes. A primeira objetivou estudar os efeitos das concentrações de ANA (0,0; 0,2; 0,4 e 0,6 mg L-1) em combinação com 1,0 mg L-1 de BAP na morfogênese in vitro de embriões zigóticos inteiros e eixos embrionários de jenipapeiro do acesso Núcleo Bandeirante (NB). Aos 30 dias, observou-se que é possível a regeneração in vitro de jenipapeiro a partir da conversão de embriões inteiros em meio MS suplementado com 0,6 mg L-1 de ANA. O maior comprimento da parte aérea, número de folhas e de raízes foram obtidas em meio isento de ANA. O aumento progressivo na concentração de ANA induz a formação de calos compactos, principalmente no segmento eixo embrionário. A regeneração via organogênese direta não foi observada. A segunda parte do trabalho, refere-se a à dinâmica de crescimento celular de calos e análise fitoquímica de extratos de jenipapeiro. Calos foram induzidos a partir de segmentos foliar e nodal dos acessos NB, SA e SAL, aos quais foram cultivados em meio MS suplementado com 0,0; 2,0; 4,0; 6,0 e 8,0 mg L-1 de 2,4-D. Para os explantes foliares foi acrescido 1,77 mg L-1 de BAP ao meio. Os resultados obtidos indicam que é possível induzir calos a partir de segmentos foliares de jenipapeiro utilizando-se 2,0 mg L-1 de 2,4-diclorofenoxiacético (2,4-D) em combinação com 1,77 mg L-1 de BAP, para os três acessos testados. Calos produzidos a partir de segmentos nodais apresentaram respostas diferenciadas entre os acessos, sendo a concentração de 4,0 mg L-1 de 2,4-D ideal para os acessos NB e SA, e a concentração de 2,0 mg L-1 de 2,4-D, melhor para o acesso SAL. O tempo de 60 dias não foi suficiente para reconhecimento de todas as fases de crescimento para ajuste da curva, para ambos os explantes. Extratos metanoicos foram obtidos a partir dos calos e usados para análise antibacteriana e anti-oxidante.

  • BRUNO ANTONIO LEMOS DE FREITAS
  • Conhecimento local, diversidade morfo-genética como subsídios para conservação da mangaba.
  • Orientador : RENATA SILVA MANN
  • Data: 26/02/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A mangaba (Hancornia speciosa Gomes) tem ampla distribuição no Estado, ocorrendo naturalmente de Norte a Sul do litoral sergipano. Em Sergipe, esta espécie é alvo de inúmeros estudos que objetivam colher informações para sua caracterização, no entanto, é desconhecido ainda quantos de indivíduos existem e quais as características dos frutos produzidos no estado. Assim, com esse trabalho objetiva-se, identificar áreas de ocorrência de mangaba no estado em Sergipe; registrar e analisar como as populações extrativistas selecionam frutos em remanescentes florestais; identificar por meio de marcadores genéticos diferenças entre indivíduos de mangaba provenientes de áreas de coleta; avaliar a conservação das sementes e colher informações que evidenciem a espécie para uso em pesquisas de programas de melhoramento vegetal e recuperação de áreas. Em relação à ocorrência desta espécie no estado, a distribuição ocorre de maneira mais intensa no litoral onde há presença de solos mais arenosos. Observou-se decréscimo na probabilidade ao se aproximar de áreas do sertão, bioma Caatinga. Os litorais extremos de Sergipe, Indiaroba e Pacatuba apresentaram probabilidade de ocorrência muito alta, assim como as regiões de Pirambu e Japaratuba. A fim de estudar o conhecimento de catadoras de mangabas de comunidades inseridas em remanescentes florestais na seleção de frutos por meio de características morfo-fisiológicas, foram selecionadas cinco associações de catadoras de mangaba (Baixa Grande, Pontal, Porteiras, Riboleirinha e Manuel Dias) onde foi aplicada uma matriz de caracterização de frutos, em oficina. Observou-se que as catadoras de todas as associações classificam os frutos de mangaba de acordo com suas características morfológicas, a coloração. Existem diferenças estatísticas nas características morfométricas analisadas entre os frutos coletados nessas localidades. Em relação à conservação, sementes de mangaba procedentes de Baixa Grande, (Pirambu -SE) foram armazenadas em câmara fria à 10ºC em solução de polietilenoglicol 6000 com potencial osmótico -0,8 MPa e constatou-se que o armazenamento pode durar até 3 meses, com redução de 10% na germinação quando comparadas com o potencial germinativo inicial. Em relação a diversidade genética estudada, quatro populações naturais de mangaba (111 indivíduos) foram avaliados por meio de marcadores moleculares ISSR, visando fornecer informações para manejo e conservação da espécie. A população de Baixa Grande foi a que apresentou maior número de alelos observados e efetivos (1,995 e 1,6145). O número de loco polimórficos foi de 71, o que corresponde à 95,95% de polimorfismo. Há diferenças notadas na percepção de características de mangaba pelas catadoras. O processo de armazenamento de sementes é efetivo até o terceiro mês. Entre as populações naturais estudas, as de Pirambu apresentam maior proximidade genética.

  • FABIANY DE ANDRADE BRITO
  • Análise da diversidade genética em acessos de erva baleeira (Varronia curassavica Jacq.) baseada no marcador ISSR.
  • Orientador : ARIE FITZGERALD BLANK
  • Data: 26/02/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo do presente estudo foi analisar a diversidade genética dos acessos de erva-baleeira do Banco Ativo de Germoplasma de Plantas Medicinais e Aromáticas da Universidade Federal de Sergipe, através de marcadores ISSR (Inter Repetições de Sequência Simples). Foi extraído DNA de 28 indivíduos, através do método CTAB 2% com modificações. Foram testados 24 primers ISSR, entre eles 14 foram polimórficos e informativos, produzindo um total de 149 bandas amplificadas, com 97,98% de polimorfismo. O método de agrupamento da Média Aritmética Não Ponderada dividiu os acessos em dois grandes grupos, A e B. Na matriz de similaridade de Jaccard houve variação de 0,24 a 0,78, indicando média a baixa diversidade genética. Os acessos mais divergentes foram os provenientes de São Paulo/SP e Tomar do Geru/SE. Os acessos VCUR402 e VCUR403 apresentaram maior similaridade (0,78), ambos são oriundos do município de Japaratuba/SE. A Análise de Componente Principal, gerada com base nos alelos identificados, obteve variância total de 13,19% no componente primário e 9,38% no componente secundário, que foram relacionados positivamente com alguns alelos. Por meio dos marcadores ISSR, foi possível obter um perfil molecular único, além de estimar a variabilidade existente entre os acessos avaliados. Há baixos e médios índices de diversidade genética no BAG de erva baleeira da UFS, sendo importantes para conservação dessa espécie, ampliação da variabilidade e uso em programas de melhoramento.

  • MARIA HOSANA DOS SANTOS
  • Dinâmica hidrossedimentológica e recomposição florística no talude da margem direita do rio São Francisco-SE
  • Orientador : FRANCISCO SANDRO RODRIGUES HOLANDA
  • Data: 25/02/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo deste trabalho foi estudar as relações ecológicas entre as macrófitas aquáticas, a fauna associada, e sua contribuição para proteção dos taludes do rio São Francisco onde foram implantadas obras de engenharia natural. Procurou-se-se entender como a presença de macrófitas aquáticas nas margens de taludes fluviais podem minimizar os efeitos da erosão, e como obras de engenharia natural criam ambientes que favorecem ao desenvolvimento de macrófitas e outros grupos de espécies que povoam a margem do rio.

  • JOSEFA GRASIELA SILVA SANTANA
  • Diversidade genética estimada com marcadores ISSR em população natural de cambuizeiro.
  • Data: 25/02/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Pertencente à família Myrtaceae, o cambuizeiro (Myrciaria tenella O. Berg) é uma espécie nativa do Brasil. A caracterização molecular é uma das ferramentas biotecnológicas mais utilizadas para estudos de espécies potenciais, uma vez que possibilitam inferir sobre o nível de diversidade entre os indivíduos. Avaliou-se a diversidade genética de 50 indivíduos de cambuizeiro com o objetivo de definir estratégias para conservação in situ desse germoplasma. A população natural provedora do material vegetal utilizado encontra-se na Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) do Caju, pertencente ao Campo Experimental da Embrapa Tabuleiros Costeiros, no município de Itaporanga d’Ajuda, SE. Folhas jovens de cada indivíduo foram coletas para a extração de DNA e análises de PCR-ISSR (Sequência Simples Repetitivas Internas). Dos 35 iniciadores de síntese (primers) testados 10 apresentaram fragmentos informativos. O uso desses primers resultaram em 71 fragmentos com 98,3% de polimorfismo. A similaridade dos indivíduos variou entre 0,30 e 0,92, sendo os mais similares os indivíduos C13 e C17 e mais distantes os C1 e C41. Por meio do agrupamento UPGMA foi possível identificar três grupos distintos. As informações obtidas serão utilizadas em futuros trabalhos que envolvam o uso e conservação desses recursos genéticos.

  • THIAGO XAVIER CHAGAS
  • Biodegradação de toco de Eucalyptus sp. pela ação de cupins xilófagos.
  • Orientador : GENESIO TAMARA RIBEIRO
  • Data: 24/02/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • As plantações de eucalipto podem ser gerenciadas sob o regime de corte e reforma ou talhadia, sendo que após a colheita há o acúmulo de restos da cultura de difícil degradação, incluindo o toco. Este resíduo florestal pode representar um micro-habitat e recurso alimentar abundante para cupins. A identificação das espécies de cupins que ocorrem em tocos pode ser uma alternativa viável para acelerar o seu processo de degradação, auxiliando na sua remoção parcial ou total. O objetivo do estudo foi identificar espécies de cupins em tocos de Eucalyptus sp. e avaliar a sua biodegradação em áreas com dois e quatro anos de idade após o corte. O estudo foi conduzido em duas áreas, com idades pós-corte de dois e quatro anos, localizadas no município de Entre Rios, Bahia, Brasil. Os tocos foram fragmentados, com auxílio de um instrumento cortante, e os cupins coletados e depositados em tubo Falcon 15 ml, contendo álcool 80%. Os cupins foram identificados com auxílio de chave taxonômica e comparação com exemplares da coleção base do Laboratório de Entomologia Florestal, da Universidade Federal de Sergipe, e do Museu de Zoologia, da Universidade de São Paulo. Fez-se a medição do diâmetro e altura dos tocos, antes e após a sua fragmentação. Após esta medição, foi calculado o volume inicial (Vo) e o volume final (Vf) dos tocos, para determinar a sua biodegradação. Para avaliar a biodegradação de tocos entre as idades pós-corte, os dados foram analisados pelo programa SAS 9.0, usando para comparação a ANAVA. Foram coletadas sete espécies de cupins, pertencentes a quatro gêneros, da família Termitidae. Nasutitermes corniger, N. kemneri, e Amitermes amifer foram dominantes. Na análise de biodegradação dos tocos houve diferença significativa entre as idades de corte de dois e quatro anos. É possível encontrar espécies de cupins em tocos de Eucalyptus sp., sejam forragendo isoladas ou associadas com outras espécies, sendo eles capazes de biodegradar tocos de Eucalyptus sp. nas áreas com idade de dois e quatro anos pós-corte. Há uma tendência de aumento na biodegradação dos tocos em área com maior idade pós-corte, como constatado na área com quatros anos de idade.

  • JULIANA LOPES SOUZA
  • Erythrina velutina Willd.: modelagem de distribuição potencial em Sergipe e análises de sementes como ferramentas para conservação ex situ
  • Orientador : RENATA SILVA MANN
  • Data: 24/02/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A fragmentação de florestas em promove o isolamento de populações, a perda da
    variabilidade genética das espécies nativas e a deterioração da sua capacidade de adaptação às
    mudanças climáticas. Até plantas com alta plasticidade ecológica são encontradas em situação
    de raridade nos biomas brasileiros, antes mesmo do conhecimento pleno das suas
    propriedades e potencialidades, exigindo medidas urgentes para sua conservação. No entanto,
    para estabelecimento da conservação é necessário o conhecimento sobre germinação, bem
    como da tolerância à restrição hídrica destas. Erythrina velutina Willd. é uma espécie nativa
    do estado de Sergipe nos biomas Mata Atlântica e Caatinga, estando em caráter de raridade na
    região do Baixo São Francisco. Neste contexto, objetivou-se verificar a distribuição
    geográfica de Erythrina velutina Willd. em Sergipe por meio do método de modelagem de
    distribuição geográfica potencial e identificar áreas fora das Unidades de Conservação de
    provável ocorrência para direcionar os locais para coleta de sementes, além de avaliar a
    resposta de sementes dessa espécie a restrição hídrica e ao condicionamento osmótico. Para a
    modelagem de ocorrência foram utilizados dados 395 registros de ocorrência da espécie e 38
    variáveis ambientais que foram avaliados através do programa Maxent. Com o modelo gerado
    pelo programa foram gerados mapas no programa ArcGis com a predição de ocorrência e
    contrastando com o uso local da terra. Por meio do modelo de distribuição potencial,
    identifica-se 23 municípios com maior probabilidade de ocorrência para E. velutina,
    observou-se que a maior parte das áreas está ocupada por pastagens e as formações florestais
    remanescentes altamente fragmentadas, sendo necessárias medidas para amostragem da
    diversidade e coleta de material para conservação ex situ. Para as análises de sementes, foram
    usadas sementes de duas procedências, Sergipe e Pernambuco, armazenadas desde 2012 e
    2008. As sementes foram primeiramente avaliadas por imagens de raios-X, após isso se
    determinou a qualidade inicial com a determinação da morfometria, massa de 1.000 sementes,
    germinação em papel e em areia e condutividade elétrica. Em seguida, as sementes foram
    submetidas à restrição hídrica com solução de polietilenoglicol (PEG 6000) à -0.8 MPa nos
    tempos 12, 24, 48 e 72 horas. E outra porção de sementes dos mesmos lotes foi submetida ao
    osmocondicionamento por imersão em água e em solução PEG à -0,8 MPa com aeração
    constante durante sete dias. Estimou-se %G, IVG, TMG e VMG. Não sendo observadas
    diferenças pelas imagens de raios-X, ambas as procedências apresentaram sementes cheias,
    prosseguiu-se para a avaliação da qualidade inicial. As sementes de Pernambuco, apesar de
    maiores e mais pesadas, tiveram menor germinação e vigor. Para a restrição hídrica, as
    sementes procedentes de Sergipe apresentaram incremento na germinação com o aumento do
    tempo em restrição e as de Pernambuco tiveram o maior valor de germinação com 24 h. Com
    a restrição no tempo de 72 h é possível diferenciar as duas procedências quanto ao vigor. O
    condicionamento osmótico resulta em incremento na germinação das sementes com baixo
    vigor, como as procedentes de Pernambuco com aumento de 11%.

  • FERNANDO ARAUJO DE ALMEIDA
  • Osmocondicionamento visando o controle da termoinibição em sementes de alface.
  • Orientador : RENATA SILVA MANN
  • Data: 24/02/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A alface é uma hortaliça consumida em todo o mundo, por sua vez, necessita ser cultivada em regiões que possuem diferentes condições climáticas e, quando submetidas a temperaturas elevadas as sementes podem sofrer com a termoinibição o que implica em perdas no estabelecimento do estande. Assim, o objetivo deste trabalho foi avaliar a interferência do condicionamento osmótico no controle da termoinibição de sementes de alface. Inicialmente, as sementes das cultivares Everglades e Grand Rapids foram submetidas à restrição hídrica durante 12, 24 e 48 h em papel mata-borão umedecido com 2,5 vezes seu peso em soluções de polietilenoglicol 6000 (PEG-6000) nos potenciais de 0,0; -0,6; -0,8 e -1,0 MPa visando a determinação da curva de restrição. Uma vez determinado o comportamento das sementes quanto à restrição hídrica, as sementes de ambas as cultivares foram condicionadas a - 0,8 MPa em câmara incubadora do tipo B.O.D. a 25°C sob fotoperíodo de 24 h para determinação da qualidade inicial das mesmas. Uma vez determinadas as condições iniciais para condicionamento das sementes (-0,8 MPa por 12 h) as sementes foram submetidas à diferentes temperaturas (25, 30 e 35 ºC) de germinação visando a indicação da ocorrência de superação ou não da termoinibição. As avaliações foram feitas do quarto ao sétimo dia estimando valores de porcentagem de germinação (%G) e o índice de velocidade de germinação (IVG). Quanto à curva de restrição hídrica, não houve diferença significativa para os potenciais empregados. No entanto, para o tempo os melhores valores de germinação ocorreram quando as sementes foram condicionadas por 24 h. Os maiores valores de germinação foram obtidos em temperatura de 25ºC. Para a cultivar Grand Rapids houve termoinibição à 30ºC; e para a cultivar Everglades houve germinação em todas as temperaturas. Desta forma, o condicionamento osmótico contribui para a superação da termoinibição na germinação para a cultivar Everglades, e não houve influência do condicionamento para a cultivar Grand Rapids.

  • MARCUS VINÍCIUS NORONHA DE OLIVEIRA
  • Comportamento do fogo no Refúgio de Vida Silvestre Mata do Junco, Capela, Sergipe.
  • Orientador : GENESIO TAMARA RIBEIRO
  • Data: 24/02/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Os incêndios florestais são um dos problemas ambientais mais graves do mundo atual, sendo originados, principalmente, a partir do mau uso do fogo em atividades agrícolas. Estudos comprovam que eles têm interferência direta na redução da biodiversidade e na emissão de gases de efeito estufa, além de alterar negativamente a fertilidade do solo. Isso fica ainda mais grave, quando propriedades agrícolas fazem fronteira com áreas naturais protegidas. Em Sergipe, remanescentes de Mata Atlântica dividem espaços consideráveis com monoculturas de cana-de-açúcar, nas quais, todos os anos, são realizados processos de queima controlada antes da colheita. Nesse estado, o mau manejo dessa técnica tem causado problemas como esse ano após ano. Diante disso, pesquisadores do país inteiro têm se dedicado a compreender os principais fatores que contribuem para a maior ocorrência de incêndios florestais, buscando, assim, estabelecer mecanismos de predição do comportamento do fogo e, consequentemente, estabelecer programas de prevenção mais eficientes. O presente trabalho se insere nessa perspectiva, onde foram realizados trabalhos de quantificação do material combustível superficial e de simulações de incêndios em diferentes fitofisionomias do Refúgio de Vida Silvestre Mata do Junco, Capela, Sergipe. Trata-se de uma área de relevante interesse ecológico, com aproximadamente 897 ha, sob a qual é possível encontrar espécies raras e endêmicas como o Callicebus coimbrai (macaco-guigó), ou ainda, nascentes de riachos importantes para o abastecimento da região, como as do Riacho Lagartixo, por exemplo. Dessa forma, o trabalho teve por objetivo avaliar as possíveis diferenças no comportamento do fogo nessa unidade de conservação, gerando conhecimentos importantes para a Ciência e informações úteis para a elaboração de um plano operacional de prevenção e combate aos incêndios florestais na região. Para isso, foram realizadas incursões a campo de Janeiro a Outubro de 2015, onde foram coletadas 60 amostras de material combustível superficial, de acordo com o modelo de propagação do fogo estabelecido por Rothermel (1979), em três fitofisionomias: Bambuzal, Mata Fechada e Área de Transição. Além disso, foram obtidos, também, dados referentes ao teor de umidade do material combustível e de variáveis climáticas como temperatura do ar e umidade relativa do ar. Todo esse material coletado foi devidamente etiquetado e processado em laboratório para a realização das simulações de incêndios. Os dados obtidos nesse trabalho foram armazenados em planilhas do Excel 2007 e processados em softwares estatísticos como o JMP 10.0 e de modelagem do comportamento do fogo como o Eucalyptus Fire Safety Sistem 1.0 e o Behaveplus 5.0. No total, foram coletados 117,23 Kg de material combustível úmido nos ambientes selecionados para esse estudo, com teor de umidade médio de 35,40%, o equivalente a 16,68 t/ha material combustível seco. Tanto na quantificação quanto nas simulações, as áreas de Bambuzal são as mais susceptíveis à ocorrência de incêndios florestais, sendo estes agressivos e de difícil controle. Sendo assim, espera-se que esse trabalho possa contribuir significativamente para o conhecimento de parâmetros inerentes ao comportamento do fogo e para a proteção desse importante fragmento de Mata Atlântica do estado de Sergipe.

  • HYRLA GRAZIELLE SILVA DE ARAUJO COUTO
  • AÇÃO DO REVESTIMENTO COMESTÍVEL CONTENDO AMIDO E NISINA NA CONSERVAÇÃO DE SALADA DE FRUTAS MINIMAMENTE PROCESSADAS.
  • Orientador : MARCELO AUGUSTO GUTIERREZ CARNELOSSI
  • Data: 23/02/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo do presente trabalho foi avaliar a ação do revestimento comestível a base de amido de milho incorporado com Nisina na conservação de salda de frutas minimamente processadas. As saladas foram compostas por manga, mamão e abacaxi. Apos processamento o minimo as foram submetidas aos seguintes tratamentos: salada de frutas sem revestimento (controle); revestimento de amido de milho sem Nisina; e revestimento de amido de milho com Nisina. Todos os produtos foram acondicionadas em embalagens de tereftalato de polietileno (PET) por 12 dias a 5±1°C e 80% UR. Nos tempos 0, 3, 6, 9,12 foram realizadas análises físico-químicas de teor de sólidos solúveis, pH, acidez titulável, teor de ácido ascórbico, compostos fenólicos, carotenoides, cor, perda de massa fresca e atividade de enzimas Polifenol oxidase. Foram realizadas também análises microbiológicas como contagem de aeróbios mesófilos, bolores e leveduras, e o crescimento ou inibição de bactérias patogênicas, previamente inoculadas nas saladas de frutas minimamente processadas. As saladas de frutas tratadas com revestimento comestível e nisina apresentaram perda de massa significativamente menor, e maior teor de vitamina C quando comparadas com as amostras do tratamento controle. Frutos revestidos apresentaram tambem teores significativamente menores de sólidos solúveis e menor atividade da enzima polifenol oxidase. Não foi observada variação significativa em relação às análises pH, acidez, carotenoides e cor entre os tratamentos estudados. Foi verificado aumento na contagem de microrganismos aeróbios mesófilos em todas as amostras porém, em amostras revestidas com amido e Nisina verificou-se que população microbiana foi estatisticamente menor que nos demais tratamentos. Amostras de salada de fruta revestidas com amido de milho, apresentaram contagens significativamente menores de bolores e leveduras até o 6º dia de armazenamento. Em amostras revestidas com amido e Nisina, verificou-se redução significativa no número de células viáveis da bactéria L. monocytogenes inoculada, comportamento não verificado nas amostras dos demais tratamentos durante os 12 dias de estocagem a 5ºC. O tratamento revestimento de amido de milho e Nisina, associado a boas práticas de processamento mínimo e controle das condições de armazenamento (temperatura e umidade), foi eficiente na conservação de saladas de frutas minimamente processadas. Uma vez que não influenciou os parâmetros físico-químicos avaliados, e obteve os melhores resultados em relação a manutenção da qualidade microbiológica das saladas por até 12 dias.

  • AIRLES REGINA DA COSTA PAIXÃO
  • Ação da pectina metil esterase e do cloreto de cálcio na qualidade pós-colheita do pimentão.
  • Orientador : LUIZ FERNANDO GANASSALI DE OLIVEIRA JUNIOR
  • Data: 22/02/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Embora a cadeia produtiva do pimentão (Capsicum annuum L.) tenha uma grande importância comercial possui um grande desafio que é reduzir as perdas pós-colheita prolongando a sua vida útil. Durante a pós-colheita das hortaliças ocorrem alterações das propriedades químicas e organolépticas especialmente na textura, devido a alterações na parede celular e principalmente na lamela média. A firmeza do fruto é particularmente um atributo de qualidade importante para os consumidores. O problema encontrado na pós-colheita dessa cultura é o amolecimento excessivo que pode ocasionar um encolhimento que reduzem severamente a aceitabilidade do produto. Essa perda de firmeza da parede nos frutos de pimentoeiro torna-se porta de entrada para patógenos, como a Pectobacterium carotovorum subsp. caratovorum (Pcc) que causa uma das principais doenças na pós-colheita em pimentões, a podridão mole. A aplicação da Pectinametilesterase (PME) em conjunto com a adição de solução de cálcio poderá aumentar a firmeza dos frutos, prologando assim a sua vida útil e diminuindo o ataque do patógeno (Pectobacterium carotovorum subsp. Caratovorum). Desta forma o objetivo foi avaliar o efeito da Pectinametilesterase (PME) exógena associada ao cloreto de cálcio para o aumento de firmeza e a inibição da ação da Pectobacterium caratovorum subsp. caratovorum sobre o fruto de pimentoeiro. Os resultados foram submetidos à análise de variância (teste f) e teste de tukey a 5% de probabilidade, utilizou-se para tanto o programa estatístico Sisvar. Os frutos tiveram um aumento gradual na perda de massa em todos os tratamentos durante o armazenamento. Os resultados mostraram efeito significativo na manutenção da firmeza do fruto quando tratados com cloreto de cálcio a vácuo, já os tratamentos com infusão com água e (PME+CC) mostraram-se o menos adequado não mantendo a firmeza no pimentão ao longo do tempo. A cor foi influenciada significativamente (p≤0,05) pelos tratamentos, porém não foi significativo para o fator tempo. Houve diferença significativa para os tratamentos na variável SS e na AT, obtendo uma variação discreta de sólidos solúveis e na acidez total ao decorrer do tempo em todos os tratamentos e o pH manteve-se constante ao longo do tempo.

  • MARIA PRISCILLA CELESTINO SILVEIRA
  • Avaliação dos parâmetros ecofisiológicos e biométricos em Adenium obesum Balf. f. sob restrição hídrica associado ao filme de partícula de CaCO3.
  • Orientador : LUIZ FERNANDO GANASSALI DE OLIVEIRA JUNIOR
  • Data: 19/02/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Dentre as plantas ornamentais tropicais, a rosa-do-deserto (Adenium obesum Balf. f.) é uma espécie que apesar de ser pouco conhecida, apresenta excelentes perspectivas de crescimento de cultivo e grande potencial de exploração. Além de ser uma planta exuberante dotada de flores com vários tons de cores, esta espécie é beneficiada pela anatomia do seu caule que conta com um reservatório em que armazena água e nutrientes por períodos de estiagem ou seca prolongada, podendo ser uma alternativa para o pequeno, médio e grande produtor rural de áreas semiáridas que não constam de sistema de irrigação. Associada a essa característica anatômica desta espécie, a utilização de filme de partícula também pode ser considerada uma estratégia para minimizar os efeitos do déficit hídrico em áreas de temperaturas altas e de baixa pluviosidade, a fim de melhorar as funções fisiológicas das plantas. Assim diante do exposto, o presente estudo teve como objetivo avaliar os efeitos da restrição hídrica e ação do filme de partícula de CaCO3 em Adenium obesum associado aos parâmetros ecofisiológicos e biométricos. O experimento foi conduzido em estufa climatizada do tipo arco, situada na Universidade Federal de Sergipe localizada no município de São Cristóvão-SE. As sementes foram adquiridas por produtor comercial de São Paulo sendo plantadas inicialmente em bandeja e posteriormente transplantadas as mudas para vasos de 3 litros. Após o transplantio e período de aclimatação das plantas, os tratamentos foram submetidos a ação ou não da restrição hídrica e utilização do filme de partícula de CaCO3 à 5% de concentração, como também a sua ausência. Avaliou-se os caracteres ecofisiológicos e biométricos até a imposição da fotossíntese registrada em torno de 0, para o tratamento submetidos à restrição hídrica, sendo posteriormente hidratados e avaliados a recuperação das suas características em relação aos sem restrição. Foram avaliadas as variáveis: altura da planta (AP); números de folhas (NF), diâmetro do caule (D), nervura central (NC); teor de clorofila (TC); massa fresca e seca de folha, caule e raiz (MFF, MSF, MFC, MSC, MFR, MSR), fluorescência de clorofila a (F), fotossíntese (A), condutância (gs), transpiração (E) e déficit de pressão de vapor (DPV). Realizou-se o experimento em DIC em esquema fatorial 2x2 (plantas com restrição hídrica e sem restrição e utilização ou não do filme de partícula) em nove repetições, considerando uma planta por repetição. Demonstrou-se que o uso do filme de partícula não contribuiu para a interferência das características da espécie, ao contrário da restrição hídrica que interferiu em todas as variáveis estudadas, sendo estatisticamente inferior ao tratamento sem restrição. No entanto, devido as características anatômicas e fisiológicas da rosa-do-deserto, esta demonstrou-se resistente ao tratamento de limitação hídrica, como também apresentou uma rápida recuperação de suas funções fisiológicas e de seus indicadores de crescimento.

  • PATRICIA LIMA DE SOUZA SANTOS
  • Respostas fisiológicas do feijão-caupi submetidos a restrição hídrica e aplicação de cal virgem e carbonato de cálcio sobre as folhas.
  • Orientador : LUIZ FERNANDO GANASSALI DE OLIVEIRA JUNIOR
  • Data: 19/02/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O feijão-caupi é uma fabaceae de origem africana bastante cultivada na região norte e nordeste do Brasil, onde se destaca como principal fonte proteica para as populações carentes destas regiões, além de gerar emprego e renda. Por ser uma planta C3 e por possuir crescimento vegetativo curto, torna-se muito sensível à, a fatores essenciais como a luz, e principalmente ao uso água durante seu desenvolvimento. A radiação solar pode ser considerada um fator de grande importância para o crescimento e desenvolvimento vegetal, uma vez que influencia diretamente na fotossíntese das plantas. Portanto, o presente trabalho teve como objetivo avaliar os efeitos da restrição hídrica e a aplicação de CaO e CaCO3 nas folhas de feijão-caupi quanto à eficiência fotoquímica. O trabalho foi conduzido no campo experimental da Universidade Federal de Sergipe, no município de São Cristóvão – SE. Foram realizados os seguintes tratamentos: 1- controle 50% (reposição de 50% da evapotranspiração de referencia); 2- controle 100% (reposição de 100% da evapotranspiração); 3- suspensão de 5% de CaO + 50% da Eto; 4- suspensão de 10% de CaO + 50% da Eto; 5- suspensão de 5% de CaO + 100% da Eto; 6- suspensão de 10% de CaO + 100% de Eto; 7-suspensão de 5% CaCO3 + 50% da Eto; 8- suspensão de 10% de CaCO3 + 50% da Eto; 9- suspensão de 5% CaCO3 + 100% de Eto; 10- suspensão de 10% de CaCO3 + 100% de Eto. O delineamento experimental foi constituído por 5 (cinco) repetições, em esquema fatorial 4x2. Os resultados experimentais foram submetidos à análise de variância e as médias comparadas pelo teste de Tukey a 5% de significância. Os resultados demonstraram efeito positivo do filme de partícula sobre a eficiência do uso da luz e da água.

2015
Descrição
  • JOÃO HORACIO DANTAS ALMEIDA DE GOES
  • Atributos edáficos como indicadores de qualidade ambiental em área de reflorestamento misto.
  • Orientador : ROBERIO ANASTACIO FERREIRA
  • Data: 28/09/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A “qualidade do solo” é de grande importância para o sucesso da recuperação de áreas degradadas, pois são os solos que sustentam todo o desenvolvimento vegetal e animal. Desse modo, dentro da “qualidade do solo” é possível encontrar fatores, sejam químicos, físicos ou biológicos, que podem servir como indicadores ambientais e correlacionar o seu desenvolvimento ao desenvolvimento do ecossistema. Esses indicadores, no contexto ambiental, são parâmetros representativos, agregados e de fácil interpretação, sendo utilizados para demonstrar as principais características de uma determinada região. Diretamente ligado a esses indicadores está a relação solo-paisagem, que é a combinação das características da superfície da terra com os componentes do material de origem, através das interações entre o relevo e a distribuição dos solos. Essa interação pode provocar modificações na distribuição do solo na paisagem, na temperatura e umidade, nos processo de lixiviação e eroção e nas variações do lençol freático. Deste modo o presente trabalho tem como objetivo avaliar a influência dos processos abióticos do solo sobre o desenvolvimento das espécies implantadas, em topossequência, em um programa de recuperação ambiental na Fazenda Brandão, no município de Laranjeiras – SE, em uma região de Mata Atlântica com aproximadamente 48 ha. O experimento foi realizado através da análise de novecentas sub-amostras de solo que foram recolhidas em duas profundidades, 0-20 cm e 21-40 cm, ao longo de 30 parcelas. Foram realizadas análises químicas e físicas das amostras no Instituto Tecnologico e de Pesquisa do Estado de Sergipe. Posteriormente, os dados das análises do solo foram separados em três sítios de análise (Ombro, Média Encosta e Sopé) de acordo com a sua posição em relação ao relevo, através do teste de Tukey a 5%, comparados entre si e com os dados das análises de crescimento vegetativo das espécies encontradas dentro das 30 parcelas.

  • GREICE KELLY OLIVEIRA ANDRADE
  • Avaliação da Regeneração Natural em Área de Reflorestamento, no Município de Laranjeiras-SE.
  • Orientador : ROBERIO ANASTACIO FERREIRA
  • Data: 28/08/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A crescente exploração dos recursos naturais tem aumentado constantemente, e dessa forma

    causa perdas da diversidade de espécies, promovendo prejuízos à sustentação da vida na área

    afetada. Nessa perspectiva, inúmeras pesquisas têm sido voltadas a projetos de

    reflorestamentos, aproveitando o próprio mecanismo de recuperação da floresta como chuvas

    de sementes, bancos de sementes do solo e bancos de plântulas. A chuva de sementes é um

    processo inicial que desenvolve a dinâmica, organização e estruturação da floresta. No

    entanto, o banco de sementes é um dos fatores mais importantes para a recolonização natural

    das áreas afetadas dando início ao processo sucessional. Por meio dessa regeneração natural,

    um conjunto de indivíduos são capazes de ser recrutados para os estágios superiores. Dessa

    forma, o presente trabalho foi realizado objetivando avaliar as estratégias de estabelecimentos

    das espécies vegetais por meio da regeneração natural, numa área em reflorestamento, no

    município de Laranjeiras-SE. Foram instaladas 30 parcelas (20m x 30m), e no centro dessas

    parcelas foram instalados coletores (1m x 1m) para estimar a chuva de sementes. Para a

    caracterização do banco de sementes, foi coletada, no mês de agosto de 2014 (correspondente

    a estação chuvosa na região) e fevereiro de 2015 (estação seca), uma amostra de solo do

    centro de cada subparcela (1m x 1m), através de um gabarito metálico (25cm x 25cm) que foi

    introduzido no solo para remover uma camada de 5 cm. Na avaliação do banco de plântulas,

    foram realizadas análises de altura e diâmetro das plântulas, entre agosto de 2014 (estação

    chuvosa) e fevereiro de 2015 (estação seca), em subparcelas (1m x 1m) através de um

    gabarito desmontável de PVC. Na chuva de sementes foram encontradas 7.788 sementes, na

    qual a espécie Shinus terebinthifollius (aroeira) apresentou maior número de sementes

    coletadas, com 6.799 amostras, com frequência de 87,84% em relação as outras espécies. A

    síndrome de dispersão mais frequente foi a autocórica para as espécies Centrosema

    brasilianum, Cassia grandis e Anadenanthera colubrina a síndrome de dispersão foi

    zoocórica para as espécies Schinus terebinthifollius e Passiflora mansoi. No estudo do banco

    de sementes, foram encontradas um total de 171 sementes. Nas análises por estação chuvosa e

    seca do banco de sementes, a espécie Schinus terebinthifollius prevaleceu com maior número

    de indivíduos na estação chuvosa. Contudo, prevaleceu a espécie Fabaceae sp na estação

    seca. A distribuição das espécies por parcela foi heterogênea em ambas as estações, porém

    apresentou uma melhor distribuição no período chuvoso. No estudo do banco de plântulas,

    foram encontradas amostras pertencentes a 7 famílias e 13 espécies. A aroeira representou

    28% das espécies amostradas, em seguida, Genipa americana com 20%. A estação chuvosa

    apresentou melhor distribuição de plântulas ao longo das parcelas. O índice de regeneração

    natural total na estação chuvosa foi maior para Genipa americana nas três classes de altura,

    possuindo maior valor de importância. A estação seca obteve a aroeira como única espécie a

    estar nas três classes de regeneração natural total, possuindo o maior valor de importância.

  • ANDERSON GÓES ROCHA
  • Atividade formicida de Pogostemon cablin e sua nanoformulação sobre formigas cortadeiras
  • Orientador : LEANDRO BACCI
  • Data: 31/07/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • As formigas cortadeiras pertencentes ao gênero Atta são insetos comuns na região neotropical e importantes pragas em ambientes florestais e agrícolas. O controle das formigas tem sido feito com a utilização de inseticidas organossintéticos, por muitas vezes de forma ineficiente. Desta forma, visando gerar nova tecnologia para o manejo destas pragas, objetivou-se com este trabalho avaliar a atividade formicida do óleo essencial de Pogostemon cablin sobre as espécies de formigas cortadeiras A. opaciceps, A. sexdens e A. sexdens rubropilosa e desenvolver nanoformulação a base deste óleo essencial. O óleo essencial de P. cablin foi obtido por hidrodestilação de folhas secas e a identificação/quantificação dos compostos foi realizada por CG/EM/DIC. A nanoformulação (18%) foi realizada por agitação magnética utilizando óleo essencial de P. cablin, polioxietileno sorbitano, etanol e água. Foram realizados bioensaios de toxicidade aguda por fumigação, tempo letal e comportamental. Os estudos comportamentais envolveram bioensaios de comportamento de caminhamento em arenas totalmente tratadas e em arenas só com a metade tratada. Pequenas variações foram observadas na composição química da nanoformulação em relação ao óleo essencial de P. cablin. O óleo essencial de P. cablin e sua nanoformulação demonstraram eficiente atividade inseticida sobre as espécies A. opaciceps, A. sexdens e A. sexdens rubropilosa. As concentrações necessárias para causar 50% de mortalidade das operárias por fumigação variaram de 1,06 a 2,10 µL L-1. A sobrevivência das operárias de A. opaciceps, A. sexdens e A. sexdens rubropilosa expostas ao óleo essencial de P. cablin e sua nanoformulação foi significativamente reduzida ao longo do tempo. O óleo essencial de P. cablin e sua nanoformulação reduziram a distância percorrida e a velocidade das operárias de A. opaciceps e A. sexdens rubropilosa em arenas totalmente tratadas. Os tratamentos não afetaram o comportamento de caminhamento das operárias de A. sexdens nestes bioensaios. Já nos bioensaios com metade da arena tratada, isto é, quando o inseto tinha chance de escolha, as três espécies de formigas caminharam menos na área tratada com velocidade maior. Para A. sexdens rubropilosa este efeito foi mais pronunciado para o óleo essencial de P. cablin em relação à sua nanoformulação. As espécies A. sexdens e A. sexdens rubropilosa permaneceram a maior parte do tempo no lado não tratado pelo óleo essencial de P. cablin ou pela sua nanoformulação. Já A. opaciceps permaneceu menos tempo no lado tratado com o óleo essencial de P. cablin. Este trabalho demonstra a forte atividade formicida do óleo essencial de P. cablin e o grande potencial da nanoformulação desenvolvida para a geração de novos produtos.

  • FÁBIO LEAL SANTOS DA SILVA
  • Efeitos do estresse biótico sobre os componentes de produção, trocas gasosas e fluorescência da clorofila a em quatro variedades de cana-de-açúcar
  • Orientador : LUIZ FERNANDO GANASSALI DE OLIVEIRA JUNIOR
  • Data: 31/07/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O Brasil é o principal produtor mundial de cana-de-açúcar (Saccharum ssp.) e tal atividade encontra-se em contínua expansão no país, o que pode ser constatado devido ao aumento crescente tanto da capacidade produtiva como das áreas agrícolas destinadas à cultura. No entanto, o setor sucroenergético brasileiro vem passando por sérias dificuldades, decorrentes principalmente de uma política nacional desfavorável sendo, por isso, cada vez mais importante promover o incremento da produtividade para assegurar a rentabilidade do setor. Nesse sentido, os estudos acerca dos fatores de estresse – que podem ser entendidos como um conjunto de condições ambientais desfavoráveis que limitam o desenvolvimento da planta – são fundamentais para prevenir/reduzir as perdas em canaviais. Dentre os fatores de estresse bióticos (causados por organismos vivos) estão aqueles causados por doenças e pela mato-competição. Os sintomas decorrentes de estresses podem não ser evidentes, sendo as características fotossintéticas, como trocas gasosas e fluorescência da clorofila a, eficientes indicadores sobre as respostas das plantas às condições ambientais estressantes, ainda que essas sejam sutís. Assim, o presente estudo teve por objetivo avaliar o comportamento de quatro variedades de cana-de-açúcar submetidas aos estresses causados pela bactéria Leifsonia xyli subsp. xyli (Lxx) – agente causal da doença Raquitismo da soqueira – e pela competição com a planta infestante Brachiaria decumbens Stapf., correlacionando os dados de produção com as respostas ecofisiológicas decorrentes do estresse. Para tanto, segmentos de colmo com apenas uma gema foram plantados em bandejas plásticas e mantidos em casa de vegetação para germinação, sendo posteriormente transplantados para o campo, onde, após o desenvolvimento das plantas foram mensurados os parâmetros de produção (biométricos e tecnológicos), a fluorescência da clorofila a e as trocas gasosas de plantas sujeitas ou não aos fatores de estresse mencionados. Foi utilizado o delineamento experimental em blocos casualizados, com quatro repetições, e os esquemas de parcelas subsubdivididas para as análises ecofisiológicas e de parcelas subdivididas para as análises dos componentes de produção. As parcelas foram compostas por quatro variedades de cana-de-açúcar (CO997, RB867515, RB92579 e RB951541); as subparcelas, pela indução ou não de fatores de estresse, e as subsubparcelas (no caso das análises ecofisiológicas), por dias após o primeiro corte (160 e 260 dias). Os dados foram submetidos ao teste de normalidade de Shapiro-Wilk e posteriormente à análise de variância (ANAVA). Para a comparação das médias, foi utilizado o teste de Tukey (P ≤ 0,05) para o fator “variedades” e o teste t de Student para os demais fatores. Em relação às plantas inoculadas com Lxx, os parâmetros analisados sofreram poucas alterações em comparação às testemunhas, provavelmente porque outros fatores ambientais como nutrição do solo e disponibilidade hídrica foram favoráveis às plantas, fazendo com que a doença permanecesse assintomática. Já o estresse causado pela competição com B. decumbens foi decisivo para que houvesse comprometimento dos parâmetros ecofisiológicos com decorrente redução acentuada de produtividade. De uma maneira geral, constatou-se que a variedade RB 867515 apresentou o melhor desempenho no que diz respeito à tolerância aos fatores de estresse, enquanto a variedade CO 997 foi a mais susceptível.

  • JOÃO HORACIO DANTAS ALMEIDA DE GOES
  • Indicadores edáficos em topossequência em área reflorestada no município de Laranjeiras - SE
  • Orientador : ROBERIO ANASTACIO FERREIRA
  • Data: 30/07/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A “qualidade do solo” é de grande importância para o sucesso da recuperação de áreas degradadas, pois são os solos que sustentam todo o desenvolvimento vegetal e animal. Desse modo, dentro da “qualidade do solo” é possível encontrar fatores, sejam químicos, físicos ou biológicos, que podem servir como indicadores ambientais e correlacionar o seu desenvolvimento ao desenvolvimento do ecossistema. Esses indicadores, no contexto ambiental, são parâmetros representativos, agregados e de fácil interpretação, sendo utilizados para demonstrar as principais características de uma determinada região. Diretamente ligado a esses indicadores está a relação solo-paisagem, que é a combinação das características da superfície da terra com os componentes do material de origem, através das interações entre o relevo e a distribuição dos solos. Essa interação pode provocar modificações na distribuição do solo na paisagem, na temperatura e umidade, nos processo de lixiviação e eroção e nas variações do lençol freático. Deste modo o presente trabalho tem como objetivo avaliar a influência dos processos abióticos do solo sobre o desenvolvimento das espécies implantadas, em topossequência, em um programa de recuperação ambiental na Fazenda Brandão, no município de Laranjeiras – SE, em uma região de Mata Atlântica com aproximadamente 48 ha. O experimento foi realizado através da análise de novecentas sub-amostras de solo que foram recolhidas em duas profundidades, 0-20 cm e 21-40 cm, ao longo de 30 parcelas. Foram realizadas análises químicas e físicas das amostras no Instituto Tecnologico e de Pesquisa do Estado de Sergipe. Posteriormente, os dados das análises do solo foram separados em três sítios de análise (Ombro, Média Encosta e Sopé) de acordo com a sua posição em relação ao relevo, através do teste de Tukey a 5%, comparados entre si e com os dados das análises de crescimento vegetativo das espécies encontradas dentro das 30 parcelas.

  • THIAGO COELHO DE SANTANA
  • EXTRATO DE FOLHAS DO JATOBÁ (Hymenaea martiana Hayne) NA REDUÇÃO DA CARGA MICROBIANA DE Salmonela spp., Escherichia coli e Shaphylococcus aureus VISANDO A PRODUÇÃO DE QUEIJO DE COALHO COM LEITE CRU
  • Orientador : ROBERTA PEREIRA MIRANDA FERNANDES
  • Data: 30/07/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Hymenaea martiana Hayne, é uma espécie arbórea conhecida como “Jatobá” ou “Jatobá-da-mata”. É uma planta que pertence a uma espécie do gênero Hymenaea, pertencente à família: Fabaceae (alt. Leguminosae), subfamília: Caesalpinioideae e tribo: Detarieae. É uma planta típica dos biomas cerrado e caatinga, onde as plantas do gênero Hymenaea são comumente utilizadas na medicina tradicional brasileira para o tratamento de processo inflamatório, infecções bacterianas, reumatismo e anemia. Embora os estudos com extratos vegetais ainda sejam recentes, já pôde ser evidenciado que algumas plantas produzem em seu metabolismo secundário, substâncias com a capacidade de inibir a atividade de bactérias e outros micro-organismos. Um dos principais desafios da produção tradicional de alimentos é garantir a segurança dos alimentos. O leite não pasteurizado tem sido um veículo de doenças de origem alimentar ao longo da história da humanidade. O leite e produtos lácteos têm sido frequentemente implicados na intoxicação alimentar por S. aureus, E. coli e Salmonella spp. A utilização de leite cru para a produção de queijo tradicional pode ser entendido como uma prática arriscada. A avaliação do potencial antimicrobiano de substâncias presentes em extratos vegetais tem sido objeto de vários estudos. Os compostos fenólicos, alcalóides e flavonóides e os terpenos são ativos contra vírus, bactérias e fungos. Dessa forma o objetivo desse estudo foi preparar o extrato de jatobá, identificar os compostos presentes e avaliar a atividade antimicrobiana. Através da análise de CLAE-DAD, foi possível identificar a rutina como um dos compostos majoritários do extrato de folhas do jatobá e ela tem sido previamente identificada como uma das responsáveis pela atividade antibacteriana pelo seu efeito sinérgico junto às demais substâncias presentes nesse extrato. A concentração de rutina no extrato é de 25 µg/mL. A concentração bacteriana mínima (CBM) do extrato etanólico das folhas de Hymenaea martiana Hayne, mostrou atividade antimicrobiana nas cepas de Staphylococcus aureus, Escherichia coli e Salmonela spp. que foi de 125,3 µg/mL, 781,2 µg/mL e 1.562,5 µg/mL. Os testes microbianos in vivo mostrou que o extrato possui um poder bacteriostático nas cepas testadas na concentração de 102 UFC/mL. Com isso, podemos sugerir o uso do extrato como alternativa para a reduçãoda carga microbiana do leite para a produção de queijo coalho, visando à redução de DVA’s

  • GABRIELA DA SILVA ROLIM
  • FLORA APÍCOLA PARA Apis mellifera L. (HYMENOPTERA: APIDAE) EM MUNICÍPIOS SERGIPANOS
  • Orientador : GENESIO TAMARA RIBEIRO
  • Data: 15/07/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O reconhecimento da flora apícola regional é uma forma de obter informações sobre a

    dinâmica do nicho trófico da Apis mellifera, permitindo o aproveitamento de maneira

    coerente dos recursos oferecidos pela flora nativa, bem como auxiliar nas operações de

    manejo de um apiário e valorização dos produtos apícolas. O objetivo do trabalho foi

    caracterizar a flora apícola em amostras de mel e pólen em apiários de produtores de

    quatro municípios pertencentes à mesorregião do Leste Sergipano (Neópolis,

    Japaratuba, São Cristovão e Estância). Amostras de mel, pólen apícola em três colônias

    foram coletadas de Apis mellifera, além de plantas no entorno do apiário pelo período

    de 12 meses. A identificação das espécies botânicas foi realizada por comparação com o

    auxílio de lâminas de referência, preparadas com botões florais das espécies em

    floração, situadas no entorno do apiário. Exsicatas foram confeccionadas para

    identificação das espécies botânicas. As amostras de mel, pólen apícola e botões florais

    foram encaminhadas para o Laboratório de Pragas Agrícolas e Florestais/UFS, sendo

    submetidas à análise de acetólise e confeccionadas lâminas com gelatina glicerinada

    para avaliação qualitativa e quantitativa dos grãos de pólen no mel e pólen apícola. No

    entorno dos apiários foram identificadas uma média de 40,5 espécies botânicas por

    cidade, sendo as plantas das famílias Asteraceae e Fabaceae as mais representativas,

    com sete a dez espécies respectivamente. Nas amostras de pólen apícola foram

    encontradas 38 espécies botânicas, destas, a família Fabaceae apresentou maior número

    de espécies, sendo os grãos de pólen das espécies Mimosa pudica e Mimosa

    caesalpiniaefolia as mais frequentes nos municípios de Neópolis, Japaratuba e São

    Cristóvão, e no município de Estância a espécie mais frequentes foi Cocus nucifera da

    família Arecaceae. Sendo encontradas durante 10 dos 12 meses avaliados. Fabaceae

    também foi à família mais representativa nas amostras de mel analisadas, com as

    espécies Chamaecrista flexuosa, M. caesalpiniaefolia, M. pudica e M. tenuiflora, sendo

    encontradas nos quatro municípios estudados. Arecacea e Fabaceae foram às famílias

    mais importantes, frequentes e abundantes para as amostras de mel e de pólen, podendo

    ser considerada essencial para a produção polínica na área estudada. Os apicultores

    sergipanos de posse dessas informaçoes podem maximizar a produção e agregar valor

    ao produto final.

  • BRUNA MARIA SANTOS DE OLIVEIRA
  • ATIVIDADE FORMICIDA DE Aristolochia trilobata L. (Aristolochiaceae) SOBRE FORMIGAS CORTADEIRAS
  • Orientador : LEANDRO BACCI
  • Data: 27/02/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • As formigas cortadeiras dos gêneros Atta e Acromyrmex (Hymenoptera: Formicidae) são insetos comuns na região neotropical e importantes pragas em ambientes agrícolas. Estes organismos são frequentemente controlados com o uso de inseticidas organossintéticos, no entanto, este método de controle é muitas vezes ineficiente. Além de resultar na contaminação do ambiente, a utilização desordenada de inseticidas pode levar à fragmentação das colônias e no aumento do número de ninhos. Isso tem gerado uma demanda crescente na busca de alternativas de controle destas pragas que sejam ambientalmente sustentáveis. Assim, com o intuito de contribuir com novas formas de controle, objetivou-se com este trabalho avaliar a atividade formicida do óleo essencial de Aristolochia trilobata sobre as formigas cortadeiras Atta sexdens e Acromyrmex balzani. Para isso foram realizados bioensaios de toxicidade (concentração e tempo letal) do óleo essencial de A. trilobata e seus compostos majoritários. Foram estudadas duas vias de exposição (aplicação tópica e fumigação) do óleo e seus compostos majoritários e as interações sinérgicas, aditivas e antagônicas destes compostos. O óleo essencial de A. trilobata foi obtido por hidrodestilação do caule seco e a identificação/quantificação dos compostos foi realizada por GC/MS e GC/FID. Foram identificados vinte e sete compostos, sendo quatro considerados componentes majoritários: acetato e sulcatila (35,21%), limoneno (23,14%), linalol (9,53%) e p-cimeno (8,71%). O óleo essencial de A. trilobata e seus majoritários foram altamente tóxicos a A. sexdens e A. balzani por fumigação. A. balzani foi mais susceptível ao óleo essencial de A. trilobata e seus compostos majoritários. No entanto, estes compostos apresentaram efeito letal sobre A. sexdens de forma mais rápida. De forma geral, os compostos majoritários atuaram de forma sinérgica na mortalidade de A. balzani. Assim, nossos resultados mostram o grande potencial do óleo essencial de A. trilobata e seus compostos majoritários para o desenvolvimento de novos formicidas.

  • ÉRICA CARDOSO COSTA
  • EFEITO ALELOPÁTICO DE CAPIM-VETIVER (Chrysopogon zizanioides (L.) Roberty) E CAPIM-PASPALUM (Paspalum millegrana Schrad) PROVENIENTES DE TALUDE DA MARGEM DO RIO SÃO FRANCISCO
  • Orientador : FRANCISCO SANDRO RODRIGUES HOLANDA
  • Data: 26/02/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A alelopatia é um mecanismo de interação bioquímica entre vegetais, considerada uma forma de adaptação química defensiva das plantas. Neste fenômeno, biomoléculas produzidas por uma planta são liberadas para o meio ambiente e influenciam no crescimento e desenvolvimento de plantas vizinhas. A germinação de sementes e o desenvolvimento inicial de plântulas são utilizados para avaliar o efeito alelopático, sendo frequentemente usados extratos vegetais ou aleloquímicos isolados. As plantas em estudo são da espécie Chrysopogon zizanioides (L.) Roberty e Paspalum millegrana Schrad., da família Poaceae. Foram introduzidas na margem do rio São Francisco visando o aumento da coesão do solo e estabilização do talude, no entanto percebe-se que poucas espécies se desenvolvem no trecho onde o capim-vetiver foi implantado, sinalizando possíveis efeitos alelopáticos. Foi realizado também estudo com a planta nativa capim-paspalum, que apresenta potencial biotécnico para as técnicas de engenharia natural. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito alelopático das espécies Chrysopogon zizanioides (L.) Roberty e Paspalum millegrana Schrad em sementes-testes de Lactuca sativa L. Foram preparados extratos aquosos utilizando duas técnicas (maceração e infusão), a partir da matéria seca da parte aérea e da raiz em três concentrações, 1%, 3% e 5%, para as duas espécies, totalizando 25 tratamentos. Foram analisados os parâmetros físico-químicos dos extratos através do pH, condutividade elétrica (CE), açúcares solúveis totais (AST) e perfis cromatográficos. Os testes de germinação foram realizados em quadruplicada com 50 sementes para cada gerbox, seguindo as recomendações da RAS. Para cada tratamento, foi calculado o percentual de germinação (%G), o índice de velocidade de germinação (IVG), o percentual da primeira contagem de germinação (%PCG), o tempo médio de germinação (TMG), e o comprimento da parte aérea (CPA), das raízes (CR), e do eixo embrionário (CEE) das plântulas de alface. Foi utilizado o teste de médias Scott-knott a 5% de probabilidade e o delineamento utilizado foi o Inteiramente Casualizado (DIC). Os parâmetros de pH, CE e AST nos extratos se apresentaram dentro da normalidade. Foi possível perceber nos perfis cromatográficos, a existência e variabilidade em relação às concentrações e tipos de flavonoides nos tratamentos. Ocorreu uma diferença estatística entre as médias do %PCG, %G, IVG e TMG. Os menores percentuais da PCG foram obtidos com os extratos aquosos da raiz do vetiver nas três concentrações, para as duas técnicas, e com o extrato aquoso da raiz do paspalum a 1% por maceração. O menor %G e IVG foi obtido com o extrato aquoso da raiz do vetiver a 1%, seguido das concentrações de 3 e 5% e do extrato aquoso da raiz do paspalum a 1%, todos por maceração.Também ocorreu uma diferença estatística entre as médias do CPA, CR e CEE. Com relação ao controle, 5 tratamentos apresentaram menores CPA, CR e CEE, estatisticamente, no entanto os tratamentos 18, 13 e 9 apresentaram maiores CPA, CR e CEE, respectivamente. Estes resultados mostram que os tratamentos apresentaram respostas alelopáticas diferentes (inibição ou promoção).

  • DANIELLE SOBRAL CARVALHO
  • PRODUTIVIDADE DE SISTEMAS AGROFLORESTAIS EM DIFERENTES DENSIDADES ARBÓREAS
  • Orientador : GENESIO TAMARA RIBEIRO
  • Data: 26/02/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A supressão de florestas naturais e a produção de alimentos em grandes áreas passa ser uma preocupação da sociedade em especial quanto as alternativas sustentáveis de produção tanto agrícola quanto florestal. Em regiões tropicais os Sistemas Agroflorestais passa a ser uma das alternativas viáveis para atender aos princípios da sustentabilidade. Para isso se faz necessário conhecer a dinâmica de crescimento, as interações entre as espécies, as práticas silviculturais e o manejo adequado das culturas em diferentes combinações de espécies arbóreas e agrícolas, bem como em diferentes densidades de plantas. Dessa forma, o presente trabalho teve como objetivo avaliar o comportamento de quatro espécies florestais (Tectona grandis) teca; (Eucalyptus pellita); (Gliridicia sepium) gliricídia e; (Leucaena leucocephala) leucena, em diferentes espaçamentos e as possíveis interações com culturas agrícolas tradicionais (milho e feijão). O experimento foi implantado em um campo experimental, localizado na Escola Agrotécnica de Sergipe onde as espécies florestais foram plantadas no delineamento experimental do tipo Nelder propiciando diferentes espaçamentos com nove repetições para cada consórcio em espaço reduzido. A produtividade das espécies florestais e das espécies agrícolas foram avaliadas separadamente e em interação. Menor densidade de espécies arbóreas possibilitaram o desenvolvimento e produtividade tanto do milho quanto do feijão, por outro lado, as espécies arbóreas não sofreram influencia das culturas agrícolas aos três anos do plantio.

  • MARIA LÍCIA FONSECA RIBEIRO
  • Germinação de cariopses e identificação de parentais em cruzamentos de cana-de-açúcar.
  • Orientador : RENATA SILVA MANN
  • Data: 26/02/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A cana-de-açúcar (Saccharum sp.) é uma cultura de grande influência na economia brasileira, devido à utilização da sua matéria prima para a fabricação de açúcar e etanol, além do seu elevado poder energético, fonte de energia renovável. Os programas de melhoramento genético têm contribuído para a obtenção de cultivares superiores, um dos desafios destes é a produção de cariopses viáveis para o alcance de clones em cruzamentos controlados, os quais serão selecionados posteriormente. Diante disto, dois desafios precisam ser melhor estudados, em primeiro lugar comprovar a hibridação nos cruzamentos, e em segundo lugar permitir que a maioria das cariopses obtidas de cruzamentos controlados possam germinar. O objetivo geral deste trabalho foi avaliar a germinação de cariopses (cruzamento múltiplo parental) após embebição controlada; a diversidade genética de progênies (cruzamentos biparentais) de cana-de-açúcar por meio de marcadores ISSR, e validar o uso de marcadores SSR na identificação de parentais de híbridos. A germinação das cariopses de cana-de-açúcar submetidas aos tratamentos com PEG-6000 foi superior à testemunha, com isso a embebição controlada das cariopses pode ser utilizada para melhorar o desempenho da germinação e o estabelecimento de plântulas. E foi observada a presença de alelos dos parentais em seus descendentes e variabilidade genética entre os cruzamentos, sendo possível a utilização de marcadores SSR e ISSR em programas de melhoramento visando a seleção assistida e a comprovação parental de progênies superiores.

  • JANISSON BATISTA DE JESUS
  • ESTABELECIMENTO DE ESPÉCIES FLORESTAIS NATIVAS VIA SEMEADURA DIRETA NO RIO PIAUITINGA - SERGIPE
  • Orientador : ROBERIO ANASTACIO FERREIRA
  • Data: 25/02/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Diante da forma e intensidade da exploração dos recursos naturais ao longo do tempo no Brasil, resultou, como consequência, uma grande quantidade de áreas com problemas de degradação ambiental, principalmente associadas aos recursos hídricos. Assim, torna-se necessária a recuperação florestal por meio de técnicas artificiais, como a semeadura direta, a qual se destaca pela redução de custo na implementação e tem sido cada vez mais utilizada. O trabalho foi realizado com o objetivo de avaliar a emergência, sobrevivência e estabelecimento de espécies florestais nativas quanto à aplicação de tratamentos pré-germinativos nas sementes de Caesalpina leiostachya Benth., Cassia grandis L.f., Cecropia pachystachya Trec., Enterolobium contortisiliquum (Vell.) Morong e Guazuma ulmifoliaLam., em áreas de mata ciliar no rio Piauitinga, município de Lagarto-SE. Análises de qualidade fisiológica, morfológica e umidade forma previamente determinadas em laboratório. O experimento foi implantado em Delineamento em Blocos Casualidados (DBC), com quatro repetições em esquema fatorial, testando as cinco espécies com e sem dormência, sendo estas tratadas previamente em laboratório. A semeadura direta foi distribuída em 10 linhas, cada uma compondo 10 covas (30x30x30cm), em espaçamento 2,0m x 1,0m, totalizando 100 por bloco, sendo a densidade de semadura por espécie determinada por testes prévios em laboratório. Foram analisadas as porcentagens de emergência, sobrevivência das sementes, Taxa de Crescimento Relativo (TCR) para a altura e diâmetro do colo das plantas emergidas em cada tratamento, comparando ainda a influência do perfil do terreno, a textura do solo, o regime pluviométrico e dados de temperatura até os 180 dias após a semeadura. A Cecropia pachystachya não apresentou nenhum valor de emergência, sendo assim, também para os demais parâmetros avaliados. Das sementes dormentes, a Enterolobium contortisiliquum se destacou com os melhores índices de germinação com 74%, enquanto para as não dormentes a Cassia grandis obteve os maiores valores (69,25%). Quanto à sobrevivência, para as sementes sem tratamento de superação de dormência a Caesalpinia leiostachya obteve 74,14% enquanto para as sementes com tratamento a Cassia grandis apresentou 61,01%. Para as plântulas estabelecidas emergidas de sementes dormentes, aos 180 dias observou-se que a Enterolobium contortisiliquum apresentou 95% de sobrevivência, já para as sem dormência a Cassia grandis mostrou o melhor percentual (82,5%). Quanto ao crescimento das plantas em altura, a Enterolobium contortisiliquum obteve os maiores valores com (19,44cm) e sem (12,06cm) aos 180 dias, além disso a mesma espécie apresentou os maiores valores para o diâmetro com (0,31cm) e sem (0,24cm) ao final do período de estudo. Houve variação quanto à comparação dos tratamentos para cada espécie, porém estatisticamente não se verificou diferença entre as médias para os parâmetros analisados. A semeadura direta mostrou ser uma técnica viável para a área de estudo apenas para as espécies C. leiostachya, E. contortisiliquum e C. grandis utilizando sementes com e sem dormência, uma vez que a C. pachystachya não teve índice de germinação e a G. ulmifolia teve pequena germinação e ainda com baixa sobrevivência das plantas.

  • LEILA ALBUQUERQUE RESENDE DE OLIVEIRA
  • CRIOPRESERVAÇÃO E TÉCNICAS DE INTERCÂMBIO DE EMBRIÕES ZIGÓTICOS DE ACESSOS DE COQUEIRO
  • Data: 03/02/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A criopreservação surge com uma técnica potencial para conservar a longo prazo os recursos genéticos do coqueiro principalmente pela inviabilidade do armazenamento de suas sementes. Outro aspecto a ser considerado para a cultura do coco é o intercâmbio seguro de germoplasma e a introdução por cultura de tecidos é relativamente segura, pois a própria manipulação do explante pode eliminar pragas, fungos e bactérias. Entretanto, em função da irregularidade nos rendimentos de germoplasma de coco introduzido por discos de endosperma e as altas porcentagens de contaminações devido o tempo entre a coleta, transporte e inoculação do embrião zigótico, ajustes nos protocolos devem ser alvo de estudos. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito de soluções crioprotetoras, tempos de imersão e meios de regeneração de embriões zigóticos criopreservados e avaliar o efeito de diferentes procedimentos para a embalagem e tempo de armazenamento sobre a contaminação de embriões zigóticos. Para a criopreservação foram utilizados embriões zigóticos obtidos de frutos maduros provenientes de plantas matrizes de coqueiro gigante do Brasil da Praia do Forte (GBrPF) e anão verde do Brasil de Jiqui (AVeBrJ) do Banco Ativo de Germoplasma de Coco da Embrapa Tabuleiros Costeiros. Embriões de coqueiro AveBrJ foram imersos em duas soluções crioprotetoras: C1 – meio Y3 +1,75 mol L-1 sacarose + 15% glicerol, C2 – meio Y3 + 3,33 mol L-1 glicose + 15% glicerol e, embriões de coqueiro GBrPF nas soluções: C1 - meio Y3 + 3,33 mol L-1 glicose e C2 – meio Y3 + 3,33 mol L-1 glicose + 15% glicerol, ambos os acessos permaneceram imersos por 24, 48 e 72 horas. Posteriormente os explantes foram desidratados em sílica gel por 34 (AVeBrJ) e 30 horas (GBrPF), e imersos em nitrogênio líquido a -196º C por 24 horas, após esse período foram descongelados a 38 ± 2ºC. Foi determinada a umidade dos embriões ao final da etapa de tratamentos crioprotetores e desidratação. Foi avaliada a porcentagem de sobrevivência e regeneração, após a transferência dos embriões para o meio de cultura Y3 suplementado ou não com 0,5 mmol de ácido giberélico. O pré-cultivo nas soluções crioprotetoras e os diferentes tempos de imersão não alteraram a viabilidade dos embriões. A solução crioprotetora composta por 1,75 M de sacarose e 15% de glicerol proporcionou menor umidade (12,3%) e maior sobrevivência (63,3%) aos embriões zigóticos de coco AVeBrJ criopreservados. Os embriões do acesso GBrPF alcançaram 77,8% de sobrevivência quando imersos no crioprotetor formado pelo meio Y3 + 3,33 mol L-1 glicose, porém, ambas as soluções crioprotetoras quando combinadas com o menor tempo de imersão (24 horas) podem ser recomendadas. Novos estudos devem ser conduzidos a fim de se estabelecer um meio de regeneração que promova maior porcentagem de recuperação dos embriões. Para os estudos de procedimentos de transporte e armazenamento foram utilizados embriões de coqueiro anão vermelho dos Camarões (AVC), anão amarelo da Malásia (AAM) e anão vermelho da Malásia (AVM). Foram avaliados cinco procedimentos; T1- Armazenamento do disco endosperma a 10 ± 2°C durante 5 dias; T2- Armazenamento do disco endosperma a 10 ± 2°C durante 8 dias; T3- Armazenamento do disco endosperma a 10 ± 2°C durante 12 dias (antes da excisão de embrião e a inoculação no meio de cultura Y3); T4- embrião zigótico excisado e inoculado em meio de cultura Y3 e armazenamento individualmente em Eppendorf de 5 mL e depois de 2 dias transferidos para meio de cultura Y3; T5- cinco embriões zigóticos inoculados em meio de cultura Y3 em placa de Petri e depois de 2 dias transferidos para Y3 meio de cultura. Não houve efeito significativo dos acessos e dos tratamentos na contaminação fúngica aos 30 dias após a inoculação. No entanto, para a contaminação bacteriana houve diferenças significativas entre os acessos e tratamentos. O acesso AVM apresentou contaminação bacteriana mais elevada (27%) em comparação com o AVC (11%) e AAM (5%). Os embriões zigóticos submetidos ao T4 apresentaram contaminação bacteriana menor (3,33%) em comparação com os demais.

  • OLAVO JOSÉ MARQUES FERREIRA
  • CULTIVO DE MILHO SOB SISTEMAS DE MANEJO E CULTURAS ANTECEDENTES NOS TABULEIROS COSTEIROS.
  • Orientador : GENESIO TAMARA RIBEIRO
  • Data: 29/01/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo deste estudo foi avaliar o comportamento da resistência mecânica à penetração de um Argissolo Vermelho na região de Tabuleiros Costeiros, cultivado com quatro tipos de plantas antecedentes ao milho em três sistemas de manejo do solo. As plantas utilizadas foram o Guandu (Cajanus cajan), Milheto (Pennisetum glaucum), Girassol (Heliathus annuus) e, Crotalária (Crotalaria juncea). Quando as plantas antecedentes atingiram os 120 dias foram incorporadas ao solo ou dessecadas, de acordo com o sistema de cultivo (CC – cultivo convencional, CM – cultivo mínimo e, PD – plantio direto). O milho foi cultivado com plantadeira pneumática e a colheita das espigas verdes foi realizada aos 90 dias após o plantio e tamanhos comerciais aceitáveis. Os dados de resistência mecânica foram coletados até a profundidade de 40 cm. O CC apresentou valores menores que 2,0 MPA até os 10 cm. A associação entre milheto no CM e girassol e milheto no PD são ideais para a diminuição da RMP até 20 cm. A densidade do solo foi maior em CC com guandu em antecesão.

2014
Descrição
  • JALTAIRA MONTALVÃO ETINGER DE ARAUJO
  • CARACTERIZAÇÃO QUÍMICA E ATIVIDADE LEISHMANICIDA DOS EXTRATOS HIDROETANÓLICOS DE PRÓPOLIS VERMELHA E Dalbergia ecastophyllum(Fabaceae).
  • Orientador : RICARDO SCHER
  • Data: 10/12/2014
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Os agentes etiológicos da leishmaniose são protozoários tripanossomatídeos do
    gênero leishmania, parasito intracelular obrigatório das células do sistema fagocítico
    mononuclear, com uma forma flagelada (promastigota), encontrada no tubo digestivo do inseto
    vetor e outra aflagelada intracelular (amastigota) (Ministério da saúde, 2006). Na quimioterapia
    da leishmaniose, são utilizados os antimoniais pentavalentes como fármacos de primeira escolha
    (Rath et al, 2003). Outros medicamentos tais como pentamidina e anfotericina B, têm sido
    empregados como drogas alternativas. Entretanto, estas drogas necessitam de administração
    parenteral em longo prazo e exibem efeitos secundários graves (Kayser et al, 2003). Logo, a
    elevada toxicidade, os custos e a resistência associada aos tratamentos disponíveis fazem com
    que seja crescente a busca por novas substâncias que possam ser utilizadas na terapia,
    especialmente aquelas obtidas de fontes naturais (Barret & Gilbert, 2002). O Objetivo deste
    trabalho foi avaliar o perfil químico e o efeito leishmanicida in vitro de extratos da própolis
    vermelha e Dalbergia ecastophyllum, em formas promatigotas de Leishmania chagasi e
    Leishmania amazonensis. As amostras de própolis vermelha e Dalbergia ecastophyllum foram
    coletadas na região do baixo São Francisco em Sergipe, Brasil. A caracterização química do
    estrato hidroalcoolico da própolis foi feita por Cromatografia líquida de alta eficiência em fase
    reversa (CLAE-FR). A avaliação leishmanicidada dos extratos da própolis e da D.
    ecastophyllum foi feita em promastigotas de Leishmania chagasi e Leishmania amazonensis
    utilizando o método de coloração por Alamar Blue. A citotoxicidade do extrato de própolis foi
    avaliada em macrófagos humanos da linhagem J774 utilizando o método de MTT. Pela análise
    química puderam ser identificados no extrato da própolis vermelha 6 picos: dois ácidos
    fenólicos (vanílico e ferúlico) e quatro flavonóides (Rutina, Isoliquiritigenina, Formononetina e
    Biochanina A), enquanto que no extrato de D. ecastophyllum foram identificados 4 picos: um
    ácido fenólico (vanílico) e três flavonoides (Isoliquiritigenina, Formononetina e Biochanina A).
    Quanto a avaliação da viabilidade, as ICs50 obtidas para a própolis vermelha foram: 21,54
    µg.mL-1 para L. chagasi e 11,07 µg.mL-1 para L. amazonensis. Para o extrato de D.
    ecastophyllum as ICs50 obtidas foram 70,47 µg.mL-1 para L. chagasi e 53,42 µg.mL-1 para L.
    amazonensis. A CC50 do extrato de própolis em macrófagos foi de 79,5 µg.mL-1. Tais
    resultados mostram que o extrato da própolis vermelha do Baixo São Francisco tem a D.
    ecastophyllum como origem botânica e que o mesmo apresenta potencial leishmanicida, com
    baixa toxicidade.

  • DEISE REGINA DOS SANTOS
  • Isolamento e avaliação de bactérias antagonistas a fitopatógenos e detecção de genes associados à produção de compostos bioativos
  • Data: 30/09/2014
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O solo é um ambiente estruturalmente complexo sendo apontado como um importante reservatório da diversidade microbiana. Entretanto, somente uma pequena proporção tem sido recuperada e cultivada por técnicas convencionais, tornando-se um fator limitante no que se refere ao acesso às informações genéticas e metabólicas desses micro-organismos. Bactérias do solo sintetizam uma ampla variedade de metabólitos secundários, particularmente de antimicrobianos, e em virtude da baixa culturabilidade, grande parte destes permanecem inexplorados. A atividade antagônica de um micro-organismo a partir da síntese desses compostos tem se tornado uma estratégia de seleção massal de antagonistas potenciais para o controle de fitopatógenos. Diante disso, o presente trabalho teve por objetivo ampliar a diversidade de bactérias cultiváveis do solo, bem como avaliar o potencial dos isolados quanto à atividade antagônica in vitro frente a fitopatógenos de interesse agrícola. Para isto, foram utilizados protocolos de isolamento seletivo descritos por Hayakawa et al. (1994, 1997) com modificações. Testes de antibiose qualitativos frente aos fitopatógenos fúngicos Thielaviopsis paradoxa e Plenodomus destruens foram realizados para a seleção preliminar de isolados com potencialidade antagonística. Em uma etapa posterior, foram realizados testes quantitativos com os respectivos filtrados dos isolados obtidos na seleção inicial contra os fitopatógenos fúngicos citados anteriormente e a bactéria Xanthomonas campestris. A afiliação taxonômica dos isolados antagonistas foi realizada com base nas sequências parciais do gene RNAr 16S. De 257 bactérias isoladas, quase todas pertencentes ao gênero Bacillus ou similares, 33% (84) apresentaram-se bioativas simultaneamente a ambos os fungos. Ao avaliar o efeito dos filtrados extracelulares sobre o crescimento micelial in vitro do Thielaviopsis paradoxa foi possível observar percentuais de inibição ≥80% e percentuais no intervalo entre 60-80% em relação ao controle. Em relação, a inibição do crescimento micelial do Plenodomus destruens foi possível constatar percentuais que variaram de 80 a 100%. Para a inibição do crescimento da Xanthomonas campestris as taxas de inibição variaram de 90 a 100%. Diante disso, conclui-se que o isolamento de bactérias com potencial bioativo promissor associado a experimentos em casa-de-vegetação e em campo que atestem a viabilidade do seu uso, possibilitará a obtenção de novos agentes de biocontrole.

  • CARLISSON RAMOS MELO
  • Atividade inseticida de quimiotipos de Lippia gracilis sobre Diaphania hyalinata e Cryptolestes ferrugineus
  • Orientador : LEANDRO BACCI
  • Data: 30/09/2014
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Os inseticidas organossintéticos são amplamente utilizados no controle de pragas nas lavouras e em produtos armazenados. O uso abusivo destes produtos é responsável por diversos problemas econômicos e ambientais, o que tem gerado uma demanda crescente por métodos alternativos de controle. Os óleos essenciais de plantas são uma alternativa viável ao atual manejo dado as pragas. O alecrim-de-tabuleiro Lippia gracilis Schauer é uma planta da família Verbenaceae nativa do nordeste brasileiro. Trabalhos recentes apontam que o óleo essencial de L. gracilis apresenta grande potencial para biopospecção de compostos inseticidas. Desta forma, objetivou-se neste trabalho avaliar a toxicidade do óleo essencial de L. gracilis e seus compostos majoritários, timol e carvacrol, sobre Diaphania hyalinata e Cryptolestes ferrugineus. Foram utilizados óleos essenciais dos genótipos LG-106 e LG-109 de L. gracilis e os compostos majoritários timol e carvacrol. Em todos os bioensaios os óleos essenciais, o timol e o carvacrol foram diluídos em acetona para a realização de bioensaios de dose e tempo letal. Para D. hyalinata foram realizados bioensaios via aplicação tópica com lagartas de segundo instar. Foram realizados testes de seletividade com os organismos não alvos Apis mellifera e Polybia micans. Para adultos C. ferrugineus foram realizados bioensaios via fumigação. Para D. hyalinata tanto os óleos essenciais quanto os isolados se mostram tóxicos, com DL50 = 5,9 e 4,5 mg/g para os óleos dos genótipos LG106 e LG109, enquanto que para o timol e carvacrol foram de 2,98 e 0,93 mg/g. Através das curvas de sobrevivência foi possível observar que os óleos essenciais atuam de forma rápida, causando mortalidade na metade da população em menos de 3 horas, enquanto que os monoterpenos necessitam de mais de 6 horas (Teste de Log-rank: χ2 = 300,6; gl = 2; p <0,001). Todavia, estes compostos não se mostraram seletivos aos organismos não alvos, causando mortalidades superiores a 90 % com as DL80 do inseto praga. Os óleos essenciais e os compostos majoritários se mostraram muito eficientes via fumigação para C. ferrugineus. Foram necessários apenas 20,7 e 25,1 μL/L dos óleos essenciais dos genótipos 106 e 109 para causar 50% de mortalidade à C. ferrugineus. Enquanto que para os isolados foram utilizados 12,5 e 13,2 μL/L de timol e carvacrol para causar a mesma mortalidade. A sobrevivência de C. ferrugineus exposto aos óleos essenciais e aos monoterpenos foi significativamente reduzida ao longo do tempo (Teste de Log-rank: χ2 = 265,6; gl = 2; p <0,001). O timol e o carvacrol tiveram ação mais rápida que os óleos essenciais. Foram necessárias 26,6 e 31,5 horas para causar 50% de mortalidade da população de C. ferrugineus quando expostos ao timol e carvacrol, enquanto que para os óleos foram necessários tempos superiores a 60 horas.

  • RAFAELA SANTOS DE MOURA
  • Diversidade genética e germinação de jenipapo.
  • Orientador : RENATA SILVA MANN
  • Data: 31/07/2014
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O jenipapo (Genipa americana L.) é espécie importante economicamente, e com grande potencial para exploração intensiva, no entanto, faltam informações acerca da distribuição da diversidade genética no Estado de Sergipe, e não existem relatos sobre germinação de sementes sob condições de estresse. Desta forma, o objetivo desse trabalho foi avaliar a germinação de sementes de jenipapo quanto à tolerância à restrição hídrica, salinidade e variações de temperatura; e estimar a distribuição da diversidade genética de indivíduos em seis munícipios do Estado de Sergipe. Para os estresses por restrição hídrica e salinidade, as sementes foram colocadas sobre papel de germinação embebido na proporção de 2,5 vezes o seu peso com as cinco potenciais osmóticos (com soluções de polietilenoglicol (PEG 6000) à 0, -0,1, -0,2, -0,3 e -0,4 MPa); e para o estresse salino as sementes foram submetidas à soluções de cloreto de sódio a 0, 25, 50, 100 e 200 mol m-3. Para o estresse térmico as sementes foram germinadas em cinco temperaturas (15, 25, 30, 35 e 40°C). Para avaliação da diversidade genética o DNA genômico foi extraído de folhas jovens de 76 indivíduos adultos de jenipapo, seguindo adaptação do protocolo CTAB 2%, e foi utilizado em reações de ISSR que compunham volume total de 15 µL. Quanto a germinação sob estresse, as sementes de jenipapo absorvem 0,8 gramas de água e necessitam de 168 horas de embebição para a germinação. O vigor e a germinação das sementes de jenipapo são afetados quando submetidas à restrição hídrica, salinidade e temperatura igual ou inferior a 25°C, e iguais ou superiores a 35°C. Quanto à diversidade genética houve a formação de dois grupos de indivíduos coletados nos 20 municípios, incluindo as seis regiões do Estado de Sergipe. Estes agrupamentos incluíram diferentes indivíduos, independente da procedência. De acordo com a análise de diversidade genética os indivíduos mais divergentes foram os de Pacatuba e Neopólis, pertencentes a região do Baixo São Francisco.

  • THAYS SAYNARA ALVES MENEZES DE SÁ
  • CONSERVAÇÃO IN VITRO E ACLIMATIZAÇÃO DE EPIDENDROIDEAE (ORCHIDACEAE) DO ESTADO DE SERGIPE
  • Orientador : MARIA DE FATIMA ARRIGONI BLANK
  • Data: 31/07/2014
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • As orquídeas consideradas as mais antigas entre as espécies ornamentais, são plantas herbáceas, perenes. Diversificada quanto ao tamanho, à forma dos caules e folhas e à cor das flores, agrega a estas plantas um alto valor comercial. Objetivou-se com o presente trabalho o desenvolvimento de protocolos de conservação in vitro sob crescimento lento e aclimatização de orquídeas Catasetum macrocarpum Rich. ex Kunth., Oeceoclades maculata Lindl. e Polystachya estrellensis Rchb.f. do Estado de Sergipe. Os experimentos foram conduzidos no Laboratório de Cultura de Tecidos e Melhoramento Vegetal do Departamento de Engenharia Agronômica (DEA) da Universidade Federal de Sergipe (UFS). Foram realizados dois experimento de conservação, ambos em DIC, sendo o primeiro o fatorial 3x3x2, sendo três combinações de fontes de carbono e reguladores osmóticos (20 g.L-1 de sacarose; 10 g.L-1 de sacarose + 5 g.L-1 de manitol; 10 g.L-1 de sacarose + 5 g.L-1 de sorbitol), três espécies (Catasetum macrocarpum, Oeceoclades maculata e Polystachya estrellensis) e duas temperaturas (18 e 25ºC) e o segundo o fatorial 4x3x2, sendo quatro concentrações de sais do meio MS (100%, 75%, 50%, 25% dos sais), três espécies (Catasetum macrocarpum, Oeceoclades maculata e Polystachya estrellensis) e duas temperaturas (18 e 25ºC). Para a aclimatização o experimento foi em DIC, utilizando os substratos (areia, húmus de minhoca, pó de coco e casca de pinus triturada) e duas espécies (Catasetum macrocarpum e Oeceoclades maculata). Para Catasetum macrocarpum, Oeceoclades maculata e Polystachya estrellensis podem ser conservadas in vitro pelo período de 450 dias com 25% dos sais MS à temperatura de 25ºC. Para a conservação in vitro por um período de 450 dias deve-se utilizar 20 g.L-1 de sacarose para Catasetum macrocarpum a temperatura de 25ºC. A utilização de 20 g.L-1 de sacarose a temperatura de 18ºC conserva explantes de Oeceoclades maculata e Polystachya estrellensis por no mínimo 450 dias de cultivo. A aclimatização da espécie Catasetum macrocarpum pode ser realizada utilizando o substrato areia + pó de coco + húmus de minhoca (2:2:1), apresentando resultados favoráveis para o cultivo da espécie. Para orquídeas da espécie Oeceoclades maculata o melhor substrato para aclimatização foi areia.

  • ALÉA DAYANE DANTAS DE SANTANA
  • Comportamento fenotípico e genotípico e desenvolvimento de cultivares híbridas de manjericão.
  • Orientador : MARIA DE FATIMA ARRIGONI BLANK
  • Data: 25/07/2014
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O manjericão (Ocimum basilicum L.) é uma espécie medicinal, aromática e condimentar que possui ampla variabilidade genética. Para obter informações sobre o genótipo é necessário utilizar parâmetros fenotípicos e genéticos, já que estes podem estimar o comportamento genotípico a partir do fenótipo. Dessa forma, objetivou-se com este trabalho, avaliar o comportamento fenotípico e genotípico de híbridos e cultivares de manjericão cultivados em quatro anos agrícolas e desenvolver cultivares híbridas. Foi feita análise de agrupamento das médias e também foram estimados os parâmetros componente quadrático genotípico 14Ï•g"> , variância residual 14σ2"> , coeficiente de determinação genotípico (H2), coeficiente de variação genética (CVg), coeficiente de variação ambiental (CVe), razão (CVg/CVe) e coeficiente de correlação fenotípica e genotípica (r). Foram avaliadas as variáveis massa seca de parte aérea, teor de óleo essencial, rendimento de óleo essencial, linalol, 1,8-cineol, neral, geraniale e (E)-cinamato de metila. A maior parte da variação encontrada nos caracteres é determinada pela variação genética total dos genótipos. Todos os caracteres podem ser facilmente selecionados. A seleção pode ser direcionada indiretamente para os caracteres massa seca de parte aérea, rendimento de óleo essencial, teor de neral e teor de geranial. A variabilidade genética constatada entre os genótipos determinou um desempenho químico e agronômico diferenciado. O desempenho dos híbridos Sweet Dani x Maria Bonita, Cinnamon x Maria Bonita e Sweet Dani x Cinnamon, permitiu-lhes serem distintos em novas cultivares híbridas, denominadas, ‘Vitória’, ‘Norine’ e ‘Natalina', respectivamente. O manjericão (Ocimum basilicum L.) é uma espécie medicinal, aromática e condimentar que possui ampla variabilidade genética. Para obter informações sobre o genótipo é necessário utilizar parâmetros fenotípicos e genéticos, já que estes podem estimar o comportamento genotípico a partir do fenótipo. Dessa forma, objetivou-se com este trabalho, avaliar o comportamento fenotípico e genotípico de híbridos e cultivares de manjericão cultivados em quatro anos agrícolas e desenvolver cultivares híbridas. Foi feita análise de agrupamento das médias e também foram estimados os parâmetros componente quadrático genotípico 14Ï•g"> , variância residual 14σ2"> , coeficiente de determinação genotípico (H2), coeficiente de variação genética (CVg), coeficiente de variação ambiental (CVe), razão (CVg/CVe) e coeficiente de correlação fenotípica e genotípica (r). Foram avaliadas as variáveis massa seca de parte aérea, teor de óleo essencial, rendimento de óleo essencial, linalol, 1,8-cineol, neral, geraniale e (E)-cinamato de metila. A maior parte da variação encontrada nos caracteres é determinada pela variação genética total dos genótipos. Todos os caracteres podem ser facilmente selecionados. A seleção pode ser direcionada indiretamente para os caracteres massa seca de parte aérea, rendimento de óleo essencial, teor de neral e teor de geranial. A variabilidade genética constatada entre os genótipos determinou um desempenho químico e agronômico diferenciado. O desempenho dos híbridos Sweet Dani x Maria Bonita, Cinnamon x Maria Bonita e Sweet Dani x Cinnamon, permitiu-lhes serem distintos em novas cultivares híbridas, denominadas, ‘Vitória’, ‘Norine’ e ‘Natalina', respectivamente.

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - ema1.ema1 v3.5.16 -r18160-36a7f68df5