Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: CAMILA CAROLINE CARLINI

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CAMILA CAROLINE CARLINI
DATA: 16/12/2019
HORA: 14:00
LOCAL: Campus Lagarto
TÍTULO: AVALIAÇÃO DO PERFIL EPIDEMIOLÓGICO E DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DOS CASOS DE INFECÇÃO CANINA POR LEISHMANIA sp. EM LAGARTO, SERGIPE.
PALAVRAS-CHAVES: Leishmaniose visceral; calazar; epidemiologia; fatores de risco; diagnóstico.
PÁGINAS: 60
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

A leishmaniose visceral é uma doença inflamatória, crônica, que pode acometer sereshumanos, cães, gatos e outras espécies de animais. Causada por um protozoário do gêneroLeishmania sp., sua transmissão ocorre através da picada do flebótomo Lutzomialongipalpis. Considerada negligenciada pela Organização Mundial da Saúde, acometevários países do mundo, tendo mais de 90% dos casos concentrados em sete países, dentreeles o Brasil. Dentre as regiões do Brasil, a que tem maior número de casos humanosregistrados é o Nordeste. Com clima tropical úmido, essa região é propicia para odesenvolvimento do flebótomo, que é um fator de risco para a proliferação da doença.Quando avaliamos os casos de leishmaniose visceral canina no Nordeste, notamos umdéficit de informações que dificulta a avaliação precisa. Sergipe apresenta casos novos deleishmaniose visceral humana todos os anos, e poucos registros sobre a doença em cães,sendo os existentes restritos a capital, Aracaju. Buscamos com essa pesquisa realizar umarevisão sistemática para avaliar a frequência e as características da LVC no Nordestebrasileiro, e fazer um levantamento dos casos caninos na cidade de Lagarto, e com esselevantamento avaliar o perfil epidemiológico da doença na cidade, além de realizar adistribuição espacial dos casos. Para a revisão de literatura utilizamos as diretrizes doPRISMA, fazendo coletas em 9 bancos de dados, onde após exclusão das duplicatas eanalise pelos critérios de inclusão e exclusão, chegamos a um total de 60 artigos. Naliteratura vemos registros esporádicos de casos em todos os estados do Nordeste, osestados Bahia e Pernambuco possuem a maioria dessas publicações, o que pode serexplicada pela extensa pesquisa realizada nesses estados pelos projetos e programas depós-graduação de instituições públicas, além de serem os estados do Nordeste com cededa FioCruz, que também realiza pesquisas na área. Os artigos também mostram que aregião Nordeste possui fatores de risco similares entre os estados, sendo destacado osaneamento básico precário das localidades pesquisadas, presença de cães positivos noslocais, assim como cães errantes. Quando avaliado os métodos de diagnósticos utilizadosnas pesquisas, o ELISA, esteve presente em 49% dos artigos, sendo que esse método épreconizado como confirmatório pelo Ministério da Saúde. A falta de padronização das pesquisas e de estrutura das instituições é um fator prejudicial para entendimento do realestado da doença em cães na região. Para o levantamento epidemiológico na cidade deLagarto, coletamos dados de cães positivos, junto ao CCZ que possui um banco de dadoscom informações gerais que nos permitiu ir até a localidade e aplicar um questionárioepidemiológico com os tutores dos animais positivos, e marcar a localidade com GPS.Entre 2018 e o primeiro semestre de 2019, o CCZ registrou 34 cães positivos em 5localidades do município de Lagarto. Os locais visitados mostram ser áreas com criatóriosde animais próximo as casas, regiões de matas, terrenos baldios e falta de saneamentobásico. Concluímos que há um déficit em conseguir expor o perfil epidemiológico noNordeste brasileiro, entretanto ocorrem casos novos todos os anos, mostrando uma falhanos programas de controle.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 3573579 - ANDRÉ SALES BARRETO
Interno - 2394615 - EDUESLEY SANTANA SANTOS
Externo ao Programa - 2046888 - MÁRCIO BEZERRA SANTOS
Notícia cadastrada em: 16/12/2019 08:03
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - fragata3.fragata3 v3.5.16 -r10840-e5b57c044