Notícias

Banca de DEFESA: CANDICE LIMA CRUZ

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CANDICE LIMA CRUZ
DATA: 28/08/2019
HORA: 14:00
LOCAL: Lagarto
TÍTULO: RELAÇÃO ENTRE AS ALTERAÇÕES DO STATUS REDOX E DO DÉFICIT COGNITIVO EM PACIENTES HEMODIALÍTICOS
PALAVRAS-CHAVES: Balanço redox; cognição; hemodiálise
PÁGINAS: 111
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

A DRC é caracterizada pelo acúmulo de toxinas no organismo, deficiência de proteínas e alterações hormonais, as quais afetam o funcionamento de vários sistemas, sendo necessário a instituição do tratamento hemodialítico. Nesta condição patológica diversos fatores contribuem para o desenvolvimento de desordens neurológicas podendo ser associadas as alterações no sistema vascular, hematológico e desequilíbrio redox. Deste modo, este trabalho objetivou avaliar o impacto das alterações do status redox e dos marcadores bioquímicos e hematológicos sobre o declínio cognitivo de pacientes com DRC submetidos à hemodiálise. Trata-se de um estudo epidemiológico transversal analítico com 117 pacientes realizado em uma unidade de diálise de Aracaju-SE, sob aprovação pelo CEP/UFS (CAAE: 82115717.0.000.5546). A avaliação cognitiva foi realizada utilizando o MEEM e BBRC. Já os dados sociodemográficos e dialíticos foram obtidos através da busca ativa em prontuários. Foram coletadas amostras de sangue para a avaliação dos marcadores do status redox, bioquímicos e hematológicos. A tabulação dos dados foi realizada no Microsoft Office Excel e posteriormente transferido para o software Graph Pad Prima versão 7.0.3. A amostra foi constituída principalmente por indivíduos do sexo masculino (60,7%) com idade entre 40-59 anos (45%), de etnia parda (46,1%), casados (59,8%) e com nível fundamental completo (47,8%). Quanto ao tratamento dialítico, o SUS foi a principal fonte pagadora (59,5%), com predominância da FAV como acesso à terapia (73,5%) e tempo de tratamento entre 1 e 5 anos (53%). De acordo com o MEEM, 56,8% dos pacientes apresentaram declínio cognitivo. Embora tenha sido verificada uma correlação positiva entre os resultados do MEEM e da BBRC, através deste último foi possível identificar declínio cognitivo em 10,5% dos pacientes, nos níveis leves (50,0%), moderados (37,5%) e graves (12,5%). Observou-se que os scores da BBRC diminuem proporcionalmente com a idade, independente do tempo de HD e do sexo. Além disso, foram detectadas alterações no aprendizado, reconhecimento e memória. Verificou-se ainda a existência de uma correlação positiva entre TBRAS (plasma) e o tempo de HD, bem como deste marcador de dano lipídico com os domínios aprendizado e reconhecimento. Já com relação as defesas antioxidantes enzimáticas, encontrou-se correlação positiva entre a superóxido dismutase SOD (eritrócitos) e a memória imediata e aprendizado. Por fim, foram observadas correlações positivas entre a BBRC e os níveis de ferritina, bem como correlação negativa entre os níveis de SH total e GSH com a creatinina, além de correlação positiva entre SH total (plasma) com albumina e hemoglobina. Deste modo, os resultados obtidos indicam que os pacientes renais crônicos apresentam alterações cognitivas que podem estar relacionadas não somente com o desequilíbrio redox como também com as alteração hematológicas e bioquímicas inerentes a fisiopatologia, o qual parece agravar-se com a progressão da doença e o tempo de tratamento, do sexo dos pacientes. Assim, o declínio da qualidade de domínios cognitivos como aprendizado, reconhecimento e memória podem contribuir para a redução da qualidade de vida dos pacientes, bem como para o aumento da necessidade de suporte para o cuidado e manejo dos portadores de DRC. Logo, este estudo poderá contribuir com pesquisas futuras para o melhor entendimento dos mecanismos pelo qual o declínio cognitivo acomete os pacientes com DRC, na perspectiva de que a triagem do status redox, marcadores bioquímicos e hematológicos possam ser usados como método alternativo a triagem de desordens neurológicas


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2869627 - ADRIANA GIBARA GUIMARÃES
Interno - 3573579 - ANDRÉ SALES BARRETO
Externo ao Programa - 968.422.370-68 - LUANA HEIMFARTH
Notícia cadastrada em: 23/08/2019 11:13
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - fragata3.fragata3 v3.5.16 -r10840-e5b57c044