Notícias

Banca de DEFESA: JESSICA CARVALHO NASCIMENTO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JESSICA CARVALHO NASCIMENTO
DATA: 23/08/2019
HORA: 09:00
LOCAL: Lagarto
TÍTULO: Efetividade da aromaterapia sobre condições álgicas e do óleo de laranja doce (Citrus sinensis L.) no alívio da dor e ansiedade durante o parto
PALAVRAS-CHAVES: Gestantes; Parto normal; Dor; Óleo essencial; Aromaterapia.
PÁGINAS: 120
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

A dor é uma experiência sensorial e emocional de caráter subjetivo presente em diferentes processos fisiológico e patológicos. No parto, este é um sintoma comum, estando associado ao estado emocional da gestante. Embora existam opções terapêuticas para a redução da dor durante o trabalho de parto, muitas mulheres optam por um parto humanizado sem intervenção invasiva, tornando necessária a busca por novas estratégias que aliviem a dor. A aromaterapia corresponde à uma terapia integrativa e complementar caracterizada pela utilização de aromas constituídos por compostos bioativos voláteis, que agem modulando regiões encefálicas envolvidas no controle das emoções e da dor. Deste modo, o objetivo deste trabalho foi compilar evidências sobre o emprego da aromaterapia no alívio da dor e avaliar os efeitos do aroma de Citrus sinensis na dor e ansiedade durante o trabalho de parto. A fim de atingir parte deste objetivo, foi realizada uma revisão sistemática com metanálise de publicações sobre aromaterapia e dor seguindo a metodologia PRISMA. Foram selecionados 40 artigos demonstrando o efeito da aromaterapia em diferentes condições dolorosas, com destaque para os procedimentos assistenciais hospitalares e dor no parto. No entanto, foram observadas limitações metodológicas. Através da metanálise realizada com 16 estudos, observou-se que a aromaterapia por inalação reduz -1,75 pontos da escala visual analógica (EVA) (MD = -1,75, IC 95%: -2,34, -1,16; p < 0,01), indicando que a aromaterapia contribui para a redução da percepção dolorosa. Posteriormente, foi realizado um ensaio clínico randomizado com gestantes da maternidade Zacarias Júnior no município de Lagarto-SE, após aprovação pelo CEP/UFS (CAAE: 85796718.2.0000.5546). Para isso, os frutos de Citrus sinensis L. foram coletados e as cascas foram submetidas à extração do óleo essencial por hidrodestilação, o qual foi posteriormente avaliado quanto à composição química por cromatografia gasosa acoplada a espectrometria de massa. As gestantes foram divididas (n=42/grupo) em grupo experimental (inalação de 250 µL de óleo essencial de C. sinensis) e grupo placebo (250 µL de água destilada), e submetidas à avaliação da intensidade da dor através da EVA, ansiedade (IDATE-E), parâmetros fisiológicos (PAM, FC, FR), bem como os batimentos cardiofetais (detector sonar). A análise estatística foi realizada utilizando o programa GraphPad Prism, no qual foram realizadas as comparações entre os grupos através do teste T de Student, Mann Whitney ou Teste de Kruskal Wallis seguido de Dunn, conforme o caso, e as correlações foram estimadas através do teste de Spearman, sendo considerados significativo os resultados com p<0,05. A amostra foi constituída principalmente por gestantes entre 21 e 39 anos (79%), pardas, solteiras, multíparas de parto normal. A aromaterapia reduziu significativamente a intensidade da dor ao longo do tempo (p = 0,0411), sobretudo para as gestantes no estágio de dilatação 1 e primíparas (p = 0,0022). Além disso, a inalação do óleo essencial também promoveu redução da ansiedade (p<0,0001), apresentando correlações positivas significativas (r=0,3147; p=0,3129) com a intensidade de dor. A exposição ao aroma da laranja doce também reduziu a pressão arterial média, frequência cardíaca, frequência respiratória das gestantes e os batimentos cardiofetais (p<0,0001). A partir da compilação dos artigos sobre aromaterapia, pode-se notar que, embora aromaterapia pareça auxiliar no alívio da dor aguda, existe a iminente necessidade do aprimoramento dos estudos sobre aromaterapia, a fim de diminuir o risco de viés e aumentar o poder da sua evidência clínica. Já o estudo experimental demonstrou que o óleo essencial de C. sinensis reduz a dor e ansiedade durante o trabalho de parto, indicando as potencialidades deste tipo de intenveção e sua possível aplicabilidade nas boas práticas do trabalho de parto


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2869627 - ADRIANA GIBARA GUIMARÃES
Interno - 2127825 - CARLOS EDUARDO PALANCH REPEKE
Externo ao Programa - 2225863 - MURILO MARCHIORO
Notícia cadastrada em: 17/08/2019 22:46
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r12198-ed85f859cd