Notícias

Banca de DEFESA: ANA CLAUDIA SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANA CLAUDIA SANTOS
DATA: 16/08/2018
HORA: 14:00
LOCAL: Sala 01 do Bloco B – UFS, Lagarto.
TÍTULO: Avaliação de marcadores hepáticos e alcoolismo em trabalhadores rurais.
PALAVRAS-CHAVES: Alcoolismo; Biomarcadores; Transaminases; Questionário CAGE e População Rural.
PÁGINAS: 72
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

O uso abusivo do álcool promove alterações sistêmicas, principalmente no fígado,resultando em anormalidades na atividade das enzimas hepáticas. As taxas de uso deálcool podem variar de acordo a área em que a pessoa vive, com aspectos diferentesna população urbana e rural. Objetivo: Analisar a associação entre a atividade dasenzimas hepáticas (ALT/AST/GGT/FAL) e o alcoolismo em trabalhadores rurais.Metodologia: Estudo caso-controle de corte transversal, composto por 628trabalhadores rurais, da região Centro-Sul de Sergipe, ambos os gêneros, divididos emgrupo de indivíduos que não consomem bebida alcóolica e grupo de indivíduos queconsomem bebida alcóolica, classificados pelo questionário CAGE; grupo deindivíduos sem alterações nas atividades das enzimas hepáticas, e grupo de indivíduoscom alterações de ao menos 1 enzima hepática. Em todos os grupos analisou-se osparâmetros socioeconômicos e sociodemográficos e a determinação sanguínea deatividade de enzimas hepáticas. Para teste de associação das variáveis categóricas,utilizou-se o teste Qui- Quadrado. Variáveis contínuas foram expressas em média ±desvio padrão. O teste de Kolmogorov-Smirnov classificou as variáveis quanto a suadistribuição. Os testes de associação de dois grupos, para variáveis contínuas comdistribuição não-paramétrica foi utilizado o teste U de Mann Whitney. Para asvariáveis contínuas com distribuição não paramétrica para mais de 2 grupos foiutilizado o teste de Kruskal-Wallis. Em todos os testes o nível de significânciaadotado foi de p<0,05. Resultados: A amostra foi composta predominantemente porindivíduos do gênero masculino (449/71,5%) com média de idade de 43,2 ± 13,6anos. A maioria reside na zona rural (536/85,4%) e pertencem às classes sociais maisbaixas (458/72,9%). Em relação ao uso de bebidas alcoólicas, 82,5% (518) dosindivíduos relataram fazer uso de álcool, dos quais, 21,8% (137) fazem uso abusivo.Na avaliação das enzimas hepáticas, 62,4% (392) apresentam ao menos 1 enzimaalterada, destes, 82,4% (321) fazem uso de álcool. A gama GT foi o marcador maisalterado, presente em 21,5% do total da amostra, seguido por Fosfatase Alcalina(13,0%), 8,8% da AST/TGO e 8,1% da ALT/TGP. Conclusão: A maioria dostrabalhadores que apresentaram alterações nas enzimas hepáticas fazem consumo deálcool. As variáveis nível socioeconômico, o estado civil, escolaridade e cor de peleforam associadas ao uso do álcool.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2127825 - CARLOS EDUARDO PALANCH REPEKE
Presidente - 1809293 - CLAUDIA CRISTINA KAISER PINTO
Externo ao Programa - 1838841 - FERNANDO EVERY BELO XAVIER
Notícia cadastrada em: 28/07/2018 09:08
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - fragata3.fragata3 v3.5.16 -r12198-ed85f859cd