Notícias

Banca de DEFESA: ROSA LETÍCIA RODRIGUES DE ARAÚJO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ROSA LETÍCIA RODRIGUES DE ARAÚJO
DATA: 21/08/2017
HORA: 09:00
LOCAL: São Cristóvão
TÍTULO: Comparativo da prevalência e dos fatores de risco a doença periodontal crônica entre trabalhadores rurais e urbanos.
PALAVRAS-CHAVES: perda de inserção periodontal, profundidade de sondagem , fatores de risco, área urbana, área rural.
PÁGINAS: 60
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Odontologia
SUBÁREA: Periodontia
RESUMO:

Introdução: A doença periodontal crônica (DPC) causa lesão irreversível aos tecidos de suporte dental sendo a maior responsável pela perda dentária em adultos. Tem etiologia multifatorial e por seus efeitos não ficarem restritos a cavidade bucal vem sendo associada a efeitos sistêmicos negativos. Uma ampla variação na prevalência, severidade e extensão da doença é verificada em diferentes populações, isto é explicado por diferentes exposições à fatores de risco. Apesar do perfil periodontal no Brasil ter apresentado significante melhora nos últimos anos, ainda é notória a disparidade entre populações rurais e urbanas. Soma-se a este fato a falta de levantamentos epidemiológicos que retratem a heterogeneidade de cada grupo populacional. O conhecimento da prevalência e de fatores de risco específicos são essenciais para construção de ações preventivas efetivas na diminuição da ocorrência e severidade da DCP Objetivo: O estudo objetiva avaliar a prevalência, extensão e severidade da perda de inserção periodontal e profundidade de sondagem em adultos da área rural e urbana, bem como determinar os fatores de risco associados. Materiais e métodos: O estudo é observacional do tipo transversal, avaliando e comparando duas subpopulações. A coleta de dados foi feita através da aplicação de formulário, exame de triagem periodontal e estação de exame clínico periodontal de boca completa. Resultados: Participaram da triagem 1083 voluntários (858 da área rural e 252 da área urbana), destes, 429 preencheram os critérios de inclusão (idade mínima e número mínimo de dentes) para a realização do exame periodontal, sendo 226 (52,7%) da área rural (AR) e 203 (47,3%) na área urbana (AU). A distribuição de gênero masculino é 211 (49,2%) [72 (34,1%) na AR e 139 (65,9%) na AU] e feminino 218 (50,8%) [131 (60,1%) na PR e 87 (39,9%) na PU] (p<0,001). Os fatores de risco mais presentes na área rural foram: fumo (p<0,001), idade maior (p<0,001), gênero masculino (p<0,001), piores hábitos de higiene oral [consultas odontológicas de urgência (p<0,001), frequência de escovação (p<0,001), tipo de escova (p<0,001), substituição da escova (p<0,001), uso de fio dental (p<0,001)], 10,1% da população rural utilizavam próteses parciais removíveis. Os resultados clínicos mostram maior presença de mobilidade dental (p<0,001), profundidades de sondagem mais elevadas (p<0,001), nível de inserção clinica maiores (p<0,001) e índice maiores de placa (p<0,001), sangramento marginal (p<0,001), sangramento a sondagem (p<0,001), na área rural em comparação a urbana. A prevalência total de DPC na área rural foi de 384 (89,5%) [221 (97,8%) na AR e 163 (80,3%) na AU, (p<0,001)], a distribuição de severidade também apresentou diferença estatisticamente significante sendo mais severa na área rural (p<0,001). Conclusão: A área rural apresenta maior número de fatores de risco ao desenvolvimento da doença periodontal, resultando em uma maior prevalência e maior severidade se comparados a urbana.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1836564 - FABIANO ALVIM PEREIRA
Interno - 2127825 - CARLOS EDUARDO PALANCH REPEKE
Externo à Instituição - ALLINY DE SOUZA BASTOS
Notícia cadastrada em: 24/07/2017 10:26
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bemtevi1.bemtevi1 v3.5.16 -r12198-ed85f859cd