Notícias

Banca de DEFESA: FLÁVIO MARTINS DO NASCIMENTO FILHO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FLÁVIO MARTINS DO NASCIMENTO FILHO
DATA: 03/08/2017
HORA: 14:30
LOCAL: POLO DE CAPACITAÇÃO -UFS SÃO CRISTOVÃO
TÍTULO: PREVALÊNCIA DE DOR LOMBAR, DESEQUILÍBRIO CORPORAL, RISCO DE QUEDAS E INCAPACIDADE FUNCIONAL EM CITRICULTORES
PALAVRAS-CHAVES: Dor lombar; Desequilíbrio Postural; Risco de Quedas; Incapacidade Funcional
PÁGINAS: 123
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
SUBÁREA: Clínica Médica
ESPECIALIDADE: Ortopedia
RESUMO:

Introdução: A Síndrome da Dor Lombar (SDL) é considerada uma das maiores causadoras de afastamentos trabalhísticos, principalmente em indivíduos com idade produtiva. No mesmo sentido, torna-se claro que esta seja uma doença de alto impacto no sistema musculoesquelético, principalmente quando ligada a fatores associados. Objetivo: Caracterizar a Síndrome da Dor Lombar e fatores de risco ocupacionais, individuais e funcionais. Metodologia: Trata-se de um estudo observacional, transversal e analítico, onde foram incluídos 322 trabalhadores rurais do gênero masculino com idade entre 18 e 59 anos expostos a agrotóxicos e os parâmetros avaliados foram: características antropométricas, sociodemográficas (estado civil, alcoolismo e tabagismo), índice álgico agudo e crônico em coluna lombar, quadril, joelho e tornozelo através da Escala Analógica da Dor (EVA) e Mapa Corporal, além de parâmetros funcionais: equilíbrio corporal através da escala de BERG (EEB), Risco de quedas: Time Up and Go teste (TUG) e funcionalidade pelo OSWESTRY (ODI). A abordagem estatística foi do tipo descritiva analítica. Em relação aos parâmetros antropométricos observou-se: idade (34,9± 8,4 anos), peso (72,9± 5,3 Kg), altura (1,69± 0,05) e IMC (24,7±1,9 Kg/m²). A maioria dos indivíduos n= 216 (67,1%) encontravam-se entre 18-39 anos e IMC adequado n= 179 (51,9%). Resultados: Em relação a prevalência da SDL: LA leve n=216 (67,1%); LC moderada n= 27 (8,4%), LCA moderada n=10 (2,1%) e LCC forte n=8 (2,5%), DQ n= 101 (31,4%), DJ n= 57 (17,7%) e DT n= 23 (7,1%) moderada, estado civil (solteiros) n= 225 (69,9%), Alcoolismo n= 193 (59,9%) e tabagismo n= 183 (56,8%) e em parâmetros funcionais observou-se: EEB “baixo desequilíbrio corporal” n=146 (45,3%), TUG “baixo risco de quedas” n= 203 (63,0%) e ODI “incapacidade funcional moderada” n= 139; (43,2%). Conclusão: O estudo mostrou que trabalhadores rurais com SDL expostos a agrotóxicos apresentam baixo desequilíbrio corporal, risco de quedas diminuído, porém incapacidade funcional moderada as atividades livres, as quais podem ser explicadas pela soma destes fatores, principalmente nos indivíduos com lombociatalgia aguda e crônica.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2693948 - MIBURGE BOLIVAR GOIS JUNIOR
Interno - 1809293 - CLAUDIA CRISTINA KAISER PINTO
Interno - 2869627 - ADRIANA GIBARA GUIMARÃES
Externo ao Programa - 2013648 - VITOR OLIVEIRA CARVALHO
Notícia cadastrada em: 03/07/2017 19:40
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - fragata3.fragata3 v3.5.16 -r12182-3b7fa45029