Notícias

Banca de DEFESA: ROSANA SILVA AMARANTE

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ROSANA SILVA AMARANTE
DATA: 14/06/2017
HORA: 09:00
LOCAL: São Cristóvão
TÍTULO: Atividade antinociceptiva orofacial e anti-inflamatória do óleo essencial de Stachiys Lavandulifolia Vahl (Laminaceae) e de (-)-α-bisabolol, seu componente majoritário, em roedores.
PALAVRAS-CHAVES: Dor Facial; Inflamação; Plantas Medicinais; Sesquiterpenos; Óleos Voláteis.
PÁGINAS: 66
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

Stachys lavandulifolia Vahl (Lamiaceae) é uma planta medicinal amplamente utilizada na Turquia e na medicina popular iraniana devido às suas propriedades analgésicas e anti-inflamatórias. Diante disso, objetivou-se avaliar os efeitos antinociceptivos e anti-inflamatórios do óleo essencial de S. lavandulifolia (EOSl) e do (-)-α-bisabolol (BIS), seu principal composto, em camundongos. A análise cromatográfica do EOSl demonstrou a presença de (-)-α-bisabolol (56,4%), biciclogermacreno (5,3%), δ-cadineno (4,2%) e espatulenol (2,9%) como compostos principais. Camundongos Swiss machos foram pré-tratados com EOSl (25 ou 50 mg/kg, v.o.), BIS (25 ou 50 mg/kg, v.o.), morfina (3 mg/kg, i.p.) ou veículo (solução salina 0,9% com duas gotas de tween 80). Formalina (20μl, 2%), capsaicina (20μl, 2.5μg) ou glutamato (20μl, 25Mm) foram injetados no lábio superior direito dos camundongos. O perfil anti-inflamatório de EOSl ou BIS (50mg/kg) foi avaliado pela resposta inflamatória induzida por carragenina (2% em 0,2 mL) (modelo de pleurisia) (CEPA/UFS: 72/2015). Os dados foram expressos como média ± E.P.M. e a diferença entre os grupos foi analisada por ANOVA, uma via, com pós-teste de Tukey (p<0,05 foi considerado significativo). O tratamento com EOSl e BIS mostrou efeitos inibitórios significativos (p<0,05 ou p<0,01 ou p<0,001) em diferentes testes de nocicepção orofacial, porém o BIS demonstrou-se mais eficaz, reduzindo significativamente o comportamento nociceptivo em todos os testes, incluindo ambas as fases do teste da formalina. O efeito analgésico não está relacionado com qualquer anomalia, uma vez que os camundongos tratados com EOSl ou BIS não apresentaram alteração de desempenho na força de preensão. Além disso, EOS1 e BIS apresentaram efeito anti-inflamatório significativo (p<0,001) no modelo de pleurisia, o que parece estar relacionado a uma redução significativa (p<0,05) da citocina pró-inflamatória TNF-α no tratamento com BIS, e da IL-1β (p<0,01) no tratamento com EOS1. Nossos resultados corroboram com o uso de S. lavandulifolia na medicina tradicional como analgésico, sobretudo na dor orofacial, e anti-inflamatório, o que parece estar relacionado ao (-)-α-bisabolol, principal composto do EOSl.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2137199 - PAULA SANTOS NUNES
Interno - 2869627 - ADRIANA GIBARA GUIMARÃES
Externo ao Programa - 968.422.370-68 - LUANA HEIMFARTH
Externo ao Programa - 3571566 - JULLYANA DE SOUZA SIQUEIRA QUINTANS
Notícia cadastrada em: 01/06/2017 09:08
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bemtevi1.bemtevi1 v3.5.16 -r12182-3b7fa45029