Notícias

Banca de DEFESA: GISEANE MARQUES LINS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GISEANE MARQUES LINS
DATA: 22/03/2017
HORA: 14:00
LOCAL: A DEFINIR
TÍTULO: MODELO DE GESTÃO E A PROPRIEDADE INTELECTUAL: um estudo comparativo entre as incubadoras da iniciativa pública e privada em Salvador – BA
PALAVRAS-CHAVES: Propriedade Intelectual, Modelo de Gestão, CERNE, Incubadoras e Inovação.
PÁGINAS: 82
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Multidisciplinar
RESUMO:

O presente trabalho objetivou identificar e analisar o modelo de gestão adotado pelas incubadoras da cidade do Salvador, no estado da Bahia, a fim de verificar se o modelo de gestão do Centro de Referência para Apoio a Novos Empreendimentos - CERNE foi adotado como referência ou se até mesmo estão buscando a implantação da metodologia proposta. Na oportunidade, analisar as práticas voltadas para a cultura da gestão da Propriedade Intelectual, com o intuito de analisar se de fato as incubadoras baianas estão estimulando o empreendedorismo e a inovação. Trata de um estudo exploratório, por meio do desenvolvimento de múltiplos casos, mais precisamente de três incubadoras, de uma população de cinco instituições ativas na capital baiana. Logo, identifica-se a limitação de ampliação da amostra, tendo em vista as instituições não disporem de interesse e/ou tempo para auxiliar na pesquisa. Para o método proposto, utilizou-se como instrumento de coleta dos dados as entrevistas semiestruturadas com os gestores das incubadoras, ocorrida entre os meses de setembro e outubro de 2016; contemplou-se também a observação espontânea e fontes documentais, como por exemplo os portais online institucionais e os editais de incubação.Logo identificou-se que nenhuma das incubadoras adota o modelo de gestão CERNE, sobretudo a Áity Incubadora de Empresas que nasceu aderente ao modelo, mas que por conta das mudanças governamentais e enxugamento da equipe, a metodologia fica à margem. A Incubadora de Negócios ressalta o alto custo de implantação do modelo e ressalta não ter interesse. A INOVAPoli, apesar de estar desde 2014 sem as atividades de incubação, revelou a importância do modelo para o fortalecimento do empreendedorismo e inovação em todo o Estado. Em se tratando de Gestão de Ativos de Propriedade Intelectual - PI, essa gestão fica a responsabilidade de outros departamentos, das instituições vinculadas e, por isso não apresentaram os dados para verificar a contribuição da incubadora para a geração de PI no Estado. Foi realizado também um levantamento dos depósitos/registros em Propriedade Intelectual, efetuando uma análise comparativa entre Salvador, a Bahia e o Brasil. Os dados referentes a salvador e à Bahia, retratam uma baixa expressividade quando comparado com o total das outras Unidades Federativas. Conclui-se que não há um modelo de gestão estruturado. Apesar da qualificação técnica e acadêmica da equipe, uma insatisfação registrada é o baixo número de colaboradores de dedicação exclusiva às atividades da Incubadora. Um ambiente de inovação que não oferece segurança para a sua equipe, pode ser compreendido como algo negativo aos olhos das empresas em processo de incubação e graduação, gerando assim uma baixa credibilidade. Logo, o fortalecimento dos vínculos trabalhistas é necessário para a manutenção organizacional.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2076655 - DENISE SANTOS RUZENE
Presidente - 1290641 - GLAUCIO JOSE COURI MACHADO
Interno - 1637307 - ROBELIUS DE BORTOLI
Notícia cadastrada em: 20/03/2017 17:24
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2021 - UFRN - bigua3.bigua3 v3.5.16 -r15644-68a4915b02