Notícias

Banca de DEFESA: EDILSON ARAÚJO PIRES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: EDILSON ARAÚJO PIRES
DATA: 24/07/2014
HORA: 14:30
LOCAL: A definir
TÍTULO: MAPEANDO ESTRATÉGIAS PARA INTENSIFICAR A PROTEÇÃO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL E A TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA: UMA ÓTICA DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA
PALAVRAS-CHAVES: Propriedade Intelectual; Transferência de Tecnologia; Política de inovação.
PÁGINAS: 124
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Multidisciplinar
RESUMO:

A Lei de Inovação Tecnológica estabeleceu a obrigatoriedade das Instituições de Ciência e Tecnologia (ICT) ter um Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT) para gerir sua política de inovação. A criação dos NITs resultou no crescimento constante do número de pedidos de proteção da propriedade intelectual provenientes de universidades brasileiras. Na Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), apesar existir uma Coordenação de Ciência e Inovação Tecnológica desde o início das atividades acadêmicas da Universidade em 2006 e a criação do NIT em 2007, sua política de inovação ainda não se consolidou, de forma que não existe ainda uma cultura de proteção da propriedade intelectual (PI), de transferência de tecnologia (TT) ou e uma aproximação com o setor industrial. O presente estudo, ao investigar estratégias para intensificar a PI&TT, teve como objetivo central mapear e propor estratégias para intensificar a proteção da Propriedade Intelectual e a Transferência de Tecnologia na UFRB. Dessa forma, fez-se um levantamento bibliográfico para identificar estratégias já utilizadas por outras instituições, uma pesquisa documental para identificar as estratégias da UFRB para consolidar sua política de inovação, um levantamento da produção científica e tecnológica da UFRB para elaborar indicadores dessa produção de forma a identificar seu potencial em Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação e, por fim, a aplicação de entrevistas semiestruturadas com gestores da UFRB para identificar a percepção desses gestores sobre a política de inovação da Universidade. Submetendo os dados á análise, verificou-se que a UFRB tem uma produção cientificar de 407 publicações (entre 2006 e 2012) na base de dados Web Of Science e uma produção tecnológica de 11 patentes depositadas no Instituto Nacional de Propriedade Industrial. Sobre sua política de inovação, a UFRB tenta estabelecê-la desde 2006, mas vem encontrando problemas para sua consolidação como, por exemplo, a falta de recursos humanos capacitados de PI e TT, a dificuldade de inserir uma cultura de proteção dos direitos de PI entre os acadêmicos e o distanciamento com o setor empresarial. Considerando que o número de projetos contemplados pelo Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação chegou a 56 e as defesas de dissertações, monografias e teses atingiram o número de 252 trabalhos defendidos na pós-graduação, a UFRB tem uma produtividade que ter sido protegido por direitos de PI e poderia ter resultado em muitos produtos, processos ou serviços com potencial inovador. Em, 2014, apesar de ter se criação a Coordenação de Criação e Inovação na UFRB, adicionalmente é preciso adotar outras estratégias para intensificar sua política de inovação como: a criação de uma Comissão de PI&TT; a ampliação do quadro de com capacitação em PI&TT e ações para intensificar a cultura de PI&TT entre os acadêmicos e empresas; a inclusão na graduação e na pós-graduação de discussões sobre direitos de PI e o acompanhamento dos projetos com potencial inovador.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 544.177.325-15 - CRISTINA MARIA ASSIS LOPES TAVARES DA MATA HERMIDA QUINTELLA
Interno - 1541859 - IRACEMA MACHADO DE ARAGAO GOMES
Externo à Instituição - WAGNA PILER CARVALHO DOS SANTOS
Notícia cadastrada em: 22/07/2014 17:05
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2021 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r15644-68a4915b02