A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: RAYLE MONTEIRO ANDRADE

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RAYLE MONTEIRO ANDRADE
DATA: 23/01/2023
HORA: 09:00
LOCAL: VIDEOCONFERENCIA
TÍTULO: QUAIS EVIDÊNCIAS ESTÃO DISPONÍVEIS SOBRE A ASSOCIAÇÃO ENTRE PERIODONTITE E COVID-19? UMA REVISÃO SISTEMÁTICA E METANÁLISE
PALAVRAS-CHAVES: COVID-19; SARS-CoV-2; Periodontite; Doença periodontal.
PÁGINAS: 20
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Odontologia
RESUMO:

Objetivo: O objetivo desta revisão sistemática e metanálise foi sintetizar as evidências disponíveis sobre a associação entre periodontite e COVID-19.

Método: Este estudo foi conduzido conforme as recomendações do Preferred Reporting Items for Systematic reviews and Meta-Analyses (PRISMA) e Meta-Analysis of Observational Studies in Epidemiology (MOOSE). Utilizando-se de uma busca estruturada, os autores procuraram estudos observacionais no PubMed, Embase, Web of Science, medRxiv e Google Scholar. Os critérios de elegibilidade foram (1) população: pacientes com COVID-19; (2) fator preditivo: periodontite; e (3) desfechos: incidência de infecção por SARS-CoV-2, presença de SARS-CoV-2 no fluido crevicular gengival, gravidade da COVID-19, necessidade de ventilação mecânica, internação em unidade de terapia intensiva (UTI) e óbito. Sempre que possível, o odds ratio (OR) com intervalo de confiança (IC) de 95% foi usado como tamanho de efeito para a associação entre periodontite e COVID-19. A certeza da evidência foi avaliada através do Grading of Recommendations Assessment, Development and Evaluation (GRADE).
Resultados: Nove estudos foram incluídos. Não foram encontradas diferenças na detecção do SARS-CoV-2 no fluido crevicular gengival de acordo com a presença de periodontite entre pacientes com COVID-19 (OR = 1,61; IC 95% 0,54 – 4,78). No entanto, foi observada uma associação entre periodontite e necessidade de ventilação mecânica em pacientes com COVID-19 (OR = 6,97; IC 95% 3,74 – 12,99), internação na UTI (OR = 4,66; IC 95% 1,92 – 11,34) e óbito (OR = 4,62; IC 95% 2,39 – 8,93). Estudos individuais sugerem uma relação dose-resposta entre a gravidade da doença periodontal e a gravidade do COVID-19.
Implicações práticas: As evidências disponíveis sugerem uma associação entre periodontite e desfechos clínicos insatisfatórios em pacientes com COVID-19. Esses achados reforçam a importância de medidas preventivas e cuidados bucais em pacientes hospitalizados com COVID-19. Sínteses de evidências futuras devem entender melhor a relação dose-resposta entre a gravidade da doença periodontal e a gravidade da COVID-19


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1977523 - DIEGO MOURA TANAJURA
Presidente - 2016129 - FLAVIA PARDO SALATA NAHSAN
Externo à Instituição - MARIA LUISA SILVEIRA SOUTO

Notícia cadastrada em: 06/01/2023 13:42
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2024 - UFRN - bigua3.bigua3 v3.5.16 -r18966-bf93dfabd7