Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MÁRIO LUÍS TAVARES MENDES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MÁRIO LUÍS TAVARES MENDES
DATA: 01/02/2017
HORA: 09:00
LOCAL: Sala 26 da Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde
TÍTULO: AVALIAÇÃO IN VITRO DA ATIVIDADE ANTIFÚNGICA DO ÓLEO DE COCO OZONIZADO
PALAVRAS-CHAVES: Estomatite sob Prótese, Ozônio, Óleo de coco
PÁGINAS: 60
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Odontologia
RESUMO:

Estomatite protética (EP) é uma patologia caracterizada pelo aspecto eritematoso, difuso ou pontilhado da mucosa palatina sob a base das próteses. A EP apresenta etiologia multifatorial, no entanto a infecção por Candida albicans é a causa mais comum. Esta lesão oral apresenta diferentes graus de severidade variando de petéquias a inflamação generalizada com hiperplasia papilar. O tratamento convencional para EP consiste na combinação de antifúngico, higiene oral e da prótese. Entretanto, é observado um aumento na resistência das leveduras aos tratamentos convencionais existentes. Desta forma, é importante o desenvolvimento de novos tratamentos para a EP. Com esse intuito, foi realizada uma avaliação in vitro da atividade antifúngica do óleo de coco ozonizado (OCO) contra isolados de Candida spp coletados de pacientes diagnosticados com EP. Foram coletados materiais biológicos da mucosa e da prótese de pacientes diagnosticados com EP. Para identificação das espécies foi utilizado o meio cromogênico Chromagar. A avaliação da atividade antifúngica foi realizada por ensaios de microdiluição pelo protocolo CLSI-M27-A3.Como substância teste foi utilizado o óleo de coco ozonizado e como controle positivo dos ensaios foi usada a nistatina. A observação da viabilidade celular foi realizada com azul de tripan e contagem na câmara de Neubauer por meio do microscópio óptico. Os testes utilizados na análise estatística foram o Kolmogorov-Sminorv, Anova com os pós-teste Dunnett’s e Linear Trend. O valor P <0,05 foi considerado significativo. 50% dos pacientes com EP foi do sexo feminino. A média de idade e desvio padrão foram de 47,5±4,5 anos e o tempo médio de uso da prótese e desvio padrão foram de 19±9 anos. No total, 15 isolados de candida foram obtidos, sendo a espécie C. albicans a mais prevalente com 47,06%, seguida de C. glabrata (23,53%), C. tropicalis (17,65%), C. krusei e outras espécies com 5,88%. A C. albicans colonizou mais a mucosa palatina e C. glabrata mais a prótese. Na avaliação da atividade fungicida do OCO, as concentrações de 5,0% (P <0,001) e 7,5% (P <0,0001) mostraram atividade fungicida contra os isolados de candida das quatro espécies obtidas dos pacientes e esta atividade foi dose dependente (P <0,0001). A atividade antifúngica do OCO sugere seu uso como fonte de compostos com potencial terapêutico no tratamento da EP. No entanto necessita-se de estudos farmacocinéticos adicionais para compreender melhor os mecanismos de ação, toxicidade, interações medicamentosas e dosagem adequada, de modo a prosseguir para estudos clínicos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2021396 - WILTON MITSUNARI TAKESHITA
Externo ao Programa - 1960770 - RICARDO LUÍS LOUZADA DA SILVA
Externo à Instituição - RODRIGO ANSELMO CAZZANIGA
Notícia cadastrada em: 30/01/2017 09:08
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - fragata3.fragata3 v3.5.16 -r10787-147c949b3