Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: NAYANE CHAGAS CARVALHO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: NAYANE CHAGAS CARVALHO
DATA: 11/11/2016
HORA: 08:00
LOCAL: Sala Teórica do Departamento de Odontologia
TÍTULO: ANÁLISE DA CITOTOXICIDADE E GENOCITOXICIDADE DA ALOE VERA ASSOCIADA A MEDICAMENTO ENDODÔNTICO E FOTOBIOMODULAÇÃO A LASER
PALAVRAS-CHAVES: Aloe vera; citotoxicidade, genotoxicidade, fotobiomodulação a laser; medicamentos endodônticos
PÁGINAS: 53
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Odontologia
SUBÁREA: Materiais Odontológicos
RESUMO:

Na Endodontia, o profissional necessita conhecer a complexidade do sistema de canais radiculares, associar substâncias e medicamentos que promovam a desinfecção destes canais a fim de propiciar a reparação dos tecidos do periápice em dentes com periodontite apical e radioluscência periapical. Produtos naturais destacam-se nas pesquisas odontológicas, dentre eles, cita-se a Aloe vera, por possuir propriedades anti-inflamatórias, antimicrobianas, analgésicas e de reparação celular. Outro recurso coadjuvante na prática odontológica refere-se à Fotobiomodulação a laser (FTL), o qual possui ação analgésica, anti-inflamatória e antiedematosa. Este estudo objetiva avaliar in vitro o efeito da Aloe vera associada a medicamento de uso endodôntico combinados ou não a FTL em fibroblastos pulpares humanos FP6. Os grupos experimentais foram divididos em CTR (controle) com meio de cultura com fibroblastos; CL, apenas FTL; AA, Aloe vera com água destilada; AL, Aloe vera com água destilada e FTL; HA, hidróxido de cálcio P.A. com água destilada; HL, hidróxido de cálcio P.A. com água destilada e FTL; HAA, hidróxido de cálcio P.A. com Aloe vera e água destilada; HAL, hidróxido de cálcio P.A. com Aloe vera, água destilada e FTL. Em 24h, o grupo CL apresentou a maior média de viabilidade celular com 113,13%, e o HA mostrou menor média com 77,81% mas estimulou maior número de divisão celular. Em 48h, o grupo CL apresentou a maior média de viabilidade celular com 115,85% apesar da elevada genotoxicidade, e o HAL mostrou menor média com 90,07%. O grupo AL demonstrou maior percentual de células sobreviventes em 72h, exibindo como média 91,71% de viabilidade celular, com diferença estatística dos grupos HA e HL (p<0,05). O grupo AL foi exibiu alta genotoxicidade tendo resultados extremamente significantes quando em comparação com o grupo CTR (p<0,001) e ao grupo AA (p<0,01). Concluímos que, o tempo influencia na redução da viabilidade celular nos grupos que contêm hidróxido de cálcio (HA, HAA) e FTL (HL, HAL). No entanto, o grupo HL apresentou-se mais citotóxico, e o grupo com apenas FTL obteve maior proliferação celular.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2030378 - LUIZ RENATO PARANHOS
Presidente - 3545451 - PAULO RICARDO SAQUETE MARTINS FILHO
Interno - 002.338.955-90 - THIAGO DE SANTANA SANTOS
Notícia cadastrada em: 31/10/2016 12:03
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - fragata3.fragata3 v3.5.16 -r10787-147c949b3