Notícias

Banca de DEFESA: MAIRAIRA TELES LEÃO E SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MAIRAIRA TELES LEÃO E SILVA
DATA: 26/02/2015
HORA: 14:00
LOCAL: Auditorio do CCBS/HU
TÍTULO: LEVANTAMENTO EPIDEMIOLÓGICO DA DOENÇA PERIODONTAL NOS TRABALHADORES RURAIS DO POLO CITRICULTOR DO ESTADO DE SERGIPE.
PALAVRAS-CHAVES: Doença periodontal crônica; População rural; Fatores de risco.
PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Odontologia
RESUMO:

A citricultura brasileira apresenta dados expressivos de importância econômica no setor agrário, apesar disto, poucos são os estudos relativos à população citrícola que, além dos fatores socioeconômicos e educacionais desfavoráveis, tem difícil acesso à saúde pública. As doenças periodontais são os agravos mais incidentes e recorrentes que acometem o sistema estomatognático em idade adulta, influenciando diretamente na qualidade de vida do trabalhador. A periodontite crônica (PC) é uma doença infecciosa degenerativa, sendo a principal causa de perda dental em adultos. A distribuição da PC não é uniforme nas populações devido a variações em diversos fatores de risco, assim o presente trabalho objetivou avaliar de forma transversal a prevalência, extensão e severidade da PC em trabalhadores rurais de 35 a 60 anos, envolvidos na cultura da laranja de Lagarto e Salgado-SE. A coleta de dados foi feita pela aplicação de questionários e exame clínico periodontal completo dos pacientes incluídos no estudo. Os pacientes foram divididos em quatro grupos, sendo GC- sem PC; GL- com PC leve; GM- com PC moderada e GS- com PC severa. Foi observado que dos 167 pacientes incluídos no estudo, 13,77% pertencia ao GC; 4,19% pertenciam ao GL; 60,48% pertenciam ao GM e 21,56% pertenciam ao GS. O gênero masculino demonstrou diferença estatisticamente significante (DES) entre os grupos, com maior frequência nos GM e GS. Foi observado maior frequência da doença nas classes socioeconômicas menos favorecidas, porém sem atingir nível de significância. Quanto aos dados de questionário geral e odontológico, observou-se que não houve diferença estatisticamente significante (DES) entre os grupos. Os percentuais de sítios de Profundidade de Sondagem (PS) tiveram DES entre os grupos nas 3 faixas de medida: até 3 mm (p<0,001), entre 4 e 5 mm (p<0,001) e acima de 6 mm (p<0,001). Os percentuais de sítios com Perda de inserção clínica (PIC) tiveram DES entre os grupos nas 3 faixas: até 2 mm (p<0,001), entre 3 e 4 mm (p<0,001) e acima de 5 mm (p<0,001). O percentual de dentes com mobilidade mostrou DES entre grupos (p=0,002), bem como faces com presença de placa (p<0,001) e sangramento marginal (p=0,002). A incidência de PC moderada a severa excede a média reportada na literatura e pode ser explicada, em parte, pela população estar vulnerável a fatores de risco externos.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ALLINY DE SOUZA BASTOS
Presidente - 1704209 - CLEVERSON LUCIANO TRENTO
Interno - 2021396 - WILTON MITSUNARI TAKESHITA
Notícia cadastrada em: 11/02/2015 16:02
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r10787-147c949b3