Notícias

Banca de DEFESA: DIEGO DA CRUZ COELHO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DIEGO DA CRUZ COELHO
DATA: 28/02/2014
HORA: 09:00
LOCAL: Sala 05 do bloco de didática VI
TÍTULO: A LEUCOPLASIA PILOSA ORAL COMO UM POSSÍVEL MARCADOR DE COMPROMETIMENTO IMUNE – ESTUDO CITOPATOLÓGICO EM PACIENTES SUBMETIDOS À TERAPIA IMUNOSSUPRESSORA
PALAVRAS-CHAVES: LEUCOPLASIA PILOSA, VÍRUS EPSTEIN-BARR, IMUNOSSUPRESSÃO
PÁGINAS: 54
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Odontologia
SUBÁREA: Clínica Odontológica
RESUMO:

A leucoplasia pilosa oral (LPO) é uma lesão epitelial não maligna que ocorre normalmente nas bordas laterais da língua, causada pelo vírus Epstein-Barr (EBV). Esta patologia é quase que exclusivamente vista em pacientes imunocomprometidos, particularmente em indivíduos infectados pelo HIV. Contudo, a LPO está relacionada com imunossupressão em geral, sendo descrita em pacientes que receberam terapia imunossupressora. O diagnóstico da LPO, na sua forma clínica ou subclínica, pode ser feito através da detecção dos efeitos citopáticos do EBV nas células epiteliais. Assim, o objetivo geral deste estudo foi avaliar a prevalência de leucoplasia pilosa oral, subclínica, em uma população de pacientes atendidos no Serviço de Reumatologia da Universidade Federal de Sergipe. Foram avaliados 40 pacientes portadores de doenças autoimunes, sob tratamento imunossupressor, recrutados a partir de demanda espontânea de uma população de pacientes regularmente atendidos no Serviço de Reumatologia do Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe. Foram realizados anamnese e exame físico intraoral e, logo após, foram realizadas duas raspagens de borda lateral da língua, uma para cada lado, seguida da confecção de dois esfregaços em lâminas de vidro convencionais para serem corados pela técnica de Papanicolaou. Posteriormente, consultado prontuário médico a fim de colher dados referentes ao diagnóstico da doença de base, tempo de diagnóstico, tipo e tempo de terapia imunossupressora e contagem leucocitária. Os esfregaços corados por Papanicolaou foram avaliados quanto às alterações nucleares representativas do efeito citopático do EBV, que representam o critério de diagnóstico citopatológico da leucoplasia pilosa oral. Foram avaliados 40 pacientes em tratamento com imunossupressores. A maioria dos pacientes examinados pertencia ao gênero feminino (70%) e a média geral de idade encontrada foi de 40,5±16,1 anos. A LPO subclínica foi observada em 52,5% dos pacientes. Assim, sugere-se a utilização do raspado bilateral da língua para diagnóstico citopatológico de LPO subclínica como ferramenta de acompanhamento clínico-laboratorial de pacientes imunossuprimidos, a fim de, em última instância, minimizar a ocorrência de doenças oportunistas através da modulação da terapia empregada.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1960776 - DEBORA DOS SANTOS TAVARES
Presidente - 1213791 - LUIZ CARLOS FERREIRA DA SILVA
Externo à Instituição - PAULO ALMEIDA JUNIOR
Notícia cadastrada em: 12/02/2014 22:23
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bemtevi1.bemtevi1 v3.5.16 -r10787-147c949b3