Notícias

Banca de DEFESA: JOSÉ UILIEN DE OLIVEIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOSÉ UILIEN DE OLIVEIRA
DATA: 17/02/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório do DEF
TÍTULO: EFEITO DO TREINAMENTO RESISTIDO SOBRE OS MARCADORES DE DANO TECIDUAL E ESTRESSE OXIDATIVO EM RATOS SUBMETIDOS A LESÃO CUTÂNEA
PALAVRAS-CHAVES: treinamento resistido, dano tecidual, estresse oxidativo, lesão cutânea.
PÁGINAS: 46
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Educação Física
RESUMO:

O treinamento resistido (TR) demanda contrações em conjuntos musculares específicos contra uma resistência externa, sendo um método especializado de condicionamento para aumentar a força, resistência e potência muscular. Esse tende a melhorar o quadro de lesões e patologias, e pode ser considerado como parte do plano para a cicatrização de feridas, além de melhorar o desempenho. Todavia, exercícios de alta intensidade desencadeiam eventos de isquemia e reperfusão, com produção exacerbada de espécies reativas de oxigênio (EROs), levando o organismo ao estado de estresse oxidativo (EO), causando danos moleculares e teciduais, que podem reduzir o desempenho. Nessa perspectiva, o objetivo desse estudo foi analisar os efeitos do treinamento resistido com cargas progressivas sobre os marcadores de dano tecidual e estresse oxidativo em ratos submetidos a lesão cutânea. Foram selecionados 40 ratos machos da linhagem Wistar, adultos, divididos em quatro grupos, n=10 : Controle (GC): animais que não passaram por nenhuma intervenção; Lesão Sedentário (Sham): submetido à lesão e não realizou o treinamento; Grupo treinamento + Lesão1 (G1): após a primeira semana de treinamento, feita a lesão cutânea, continuando o treinamento por mais três semanas; treinamento + Lesão 2 (G2): Inicialmente serão submetidos à lesão cutânea, e posteriormente, a um programa de treinamento de quatro semanas. O protocolo de treinamento consistiu em escalar uma escada vertical, realizado três vezes por semana, com intervalos de 48 horas entre as sessões de treinamento, durante um período de quatro semanas, seguindo uma proposta piramidal de treinamento, onde as cargas tiveram os percentuais de 50, 65 e 80% do Teste de Carga Maxima (TCM). Os animais foram submetidos à epilação por tração manual na região dorso-costalis. Após eutanásia, foram feitas analises de marcadores de estresse oxidativo (TBARS, SH e ácido úrico) e marcadores de danos teciduais (CK, LDH, ALT, AST). Para a avaliação do desempenho entre os grupos foi feito o teste ANOVA (One Way), com Post Hoc de Bonferroni. As enzimas CK, LDH, ALT e AST foram elevadas nos grupos G1 e G2 (p<0,0001) comparado com GC e Sham. Os níveis de MDA, SH no plasma, e tecidos muscular e hepático foram elevados nos grupos G1 e G2 (p<0,0001), quando comparado aos grupos GC e Sham.

As concentrações de ácido úrico também foram elevadas nos grupos G1 e G2, quando comparados aos grupos GC e Sham (p<0,0001). O treinamento com cargas progressivas em modelo piramadal crescente causou danos musculares, sericos e pro-oxidantes esperados, foi identificada uma resposta maior pelo grupo sulfridilas entre os grupos exercitados independente do momento da lesão comparado com o lesionado nao exercitado (SHAM) e o grupo controle, isso se deve a uma resposta as elevaçoes do MDA nestes mesmos grupos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2229468 - FELIPE JOSE AIDAR MARTINS
Externo à Instituição - JYMMYS LOPES DOS SANTOS
Externo à Instituição - SAMUEL BRUNO DOS SANTOS
Notícia cadastrada em: 14/02/2020 10:27
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - fragata3.fragata3 v3.5.16 -r12762-01b8f192c5