Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ANA CLAUDIA SANTOS SILVA GUIMARÃES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANA CLAUDIA SANTOS SILVA GUIMARÃES
DATA: 24/05/2018
HORA: 08:30
LOCAL: Departamento de Educação Física
TÍTULO: Atividade Física em Diferentes Contextos, Fatores Sociodemográficos e Comportamentos de Risco de Escolares do Nordeste do Brasil - 2011 e 2016
PALAVRAS-CHAVES: Domínios de Atividade Física, Adolescentes, Fatores Sociodemográficos, Comportamentos de Risco
PÁGINAS: 100
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Educação Física
RESUMO:

Introdução: O Nível Insuficiente de Atividade Física (NIAF) resultante do tempo de Lazer, das aulas de Educação Física Escolar e do modo de Deslocamento constitui fator prejudicial à saúde dos adolescentes e pode estar associado a indicadores econômicos, sociais, demográficos e comportamentais. Objetivo: Analisar a prevalência e a associação do Nível Insuficiente de Atividade Física nos domínios do Lazer, da Escola e do Deslocamento em relação à fatores sociodemográficos e de comportamentos de risco em escolares do estado de Sergipe, Brasil, 2011-2016. Método: O estudo trata-se de dois levantamentos epidemiológicos com delineamento transversal, realizados em 2011 e 2016, com amostra representativa de escolares da Rede Estadual de Ensino de Sergipe, composta por 8143 adolescentes (2011=3992; 2016=4151), com idade entre 14 e 19 anos. O instrumento utilizado foi o Global School-based Student Health Survey (GSHS). O desenvolvimento originou dois estudos, cada qual com três variáveis dependentes relativas aos domínios de NIAF, sendo o primeiro associado com características sociodemográficas, e o segundo com comportamentos de risco à saúde. Os dados foram analisados na forma de estatística descritiva, aplicação do teste do Qui-quadrado para análise inferencial e a Regressão Logística Binária Bruta e Ajustada para associação entre as variáveis. Resultados: Houve elevada prevalência dos NIAFs entre os adolescentes. No estudo 1, o NIAF no Lazer foi associado com os estudantes do sexo feminino e do 3º Ano do Ensino Médio nos dois inquéritos, e com o turno diurno e a cor da pele branca apenas no ano de 2016. Com o NIAF Escolar verificou-se associação com o sexo feminino, do turno noturno e residentes da zona urbana em ambos os anos de pesquisa; com a cor de pele branca em 2011 e os de maior nível socioeconômico em 2016. O NIAF de Deslocamento foi significativo para o turno noturno, residentes da zona rural, com mães de nível superior de escolaridade e que possuíam renda familiar acima de 2 salários mínimos no ano de 2011; em 2016 manteve-se as mesmas chances com exceção da renda da família. No estudo 2, o NIAF no Lazer apresentou associação com a exposição ao comportamento sedentário nos dois inquéritos, com o fato de não fumar tabaco em 2011, e com os não usuários de drogas e que consumiam baixas porções de frutas no ano de 2016. O NIAF Escolar foi associado com o baixo consumo de frutas e o NIAF no Deslocamento com o não uso do tabaco. Conclusão: Foi evidenciado que aspectos sociodemográficos e comportamentais interferem na predominância dos NIAFs. Sugere-se intervenções de incentivo à Atividade Física entre os jovens através de programas sociais, do ambiente familiar e da escola, bem como ações de controle e redução dos comportamentos de risco, suscitando a adesão de hábitos saudáveis.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2297369 - ROBERTO JERONIMO DOS SANTOS SILVA
Interno - 2229468 - FELIPE JOSE AIDAR MARTINS
Interno - 3004147 - DANILO RODRIGUES PEREIRA DA SILVA
Notícia cadastrada em: 14/05/2018 13:13
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - fragata4.fragata4 v3.5.16 -r12646-2c874e3307