Notícias

Banca de DEFESA: DAVI SOARES SANTOS RIBEIRO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DAVI SOARES SANTOS RIBEIRO
DATA: 22/02/2018
HORA: 15:30
LOCAL: Auditório do DEF
TÍTULO: NÍVEL DE ATIVIDADE FÍSICA E EXPOSIÇÃO AO COMPORTAMENTO SEDENTÁRIO: um estudo comparativo em escolares de Sergipe entre 2011 e 2016
PALAVRAS-CHAVES: Atividade física. Comportamento Sedentário. Adolescentes.
PÁGINAS: 64
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Educação Física
RESUMO:

Introdução: O nível insuficiente de atividade física (NIAF) e a exposição ao comportamento sedentário (ECS) são comportamentos de risco que podem prejudicar a saúde dos adolescentes. Objetivos: Identificar a prevalência do NIAF e ECS e analisar suas associações a indicadores de condição socioeconômica em escolares adolescentes no Estado de Sergipe nos anos 2011 e 2016. Métodos: O estudo trata-se de dois levantamentos epidemiológicos com delineamento transversal, realizados em 2011 e 2016, com amostra representativa de estudantes da Rede Pública Estadual de Sergipe, composta por 8.143 escolares (2011=3.992; 2016=4.151), com idade entre 14 e 19 anos. Foram investigados o NIAF e a ECS associados com indicadores de condição socioeconômica. Para a análise estatística, foi utilizada estatística descritiva e o qui-quadrado. Recorreu-se à regressão logística binária bruta e ajustada. Resultados: No primeiro estudo, a prevalência do NIAF foi de 83,1% (2011) e 83,5% (2016) e associou-se a faixa etária de 14 a 15 anos (2011= OR:1,38; IC 95%: 1,05-1,82), sexo feminino (2011= OR: 2,20; IC 95%: 1,83-2,64 / 2016= OR: 2,05; IC 95%: 1,69-2,50), adolescentes residentes na área rural (2011= OR: 1,23; IC 95%:1,01-1,50), que possuem mães analfabetas (2011= OR: 1,97/ IC 95%: 1,27-3,06) e com fonte de renda proveniente da aposentadoria (2016= OR: 1,42; IC 95%: 0,78-2,58). No segundo estudo, a prevalência de ECS foi de 46,2% (2011) e 44,8% (2016) e associou-se a faixa etária de 14 a 15 anos (2011= OR: 1,39; IC 95%: 1,12-1,72 / 2016 = OR: 1,59; IC 95%: 1,28-1,98); sexo feminino (2011= OR: 1,46; IC 95%: 1,26-1,69 / 2016 = OR: 1,23; IC 95%: 1,06-1,43), adolescentes residentes na área urbana (2011= OR: 1,22; IC 95%: 1,05-1,42 / 2016= OR: 1,48; IC 95%: 1,27-1,72), que possuem mães com ensino médio (2011= OR: 1,74; IC 95%: 1,31-2,32 / 2016= OR: 1,49; IC 95%: 1,11-2,02), com renda familiar acima de dois salários mínimos (2011= OR: 2,11; IC 95%: 1,70- 2,60 / 2016= 1,53; IC 95%: 1,19-1,97). Conclusão: Foi evidenciado o aumento na prevalência do NIAF e redução da ECS, bem com associações a características socioeconômicas em adolescentes de Sergipe-Brasil. Sugere-se intervenções nos espaços dentro e fora da escola para elevar oportunizar a reflexão e construção de estilos de vida saudáveis aos adolescentes.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 596.345.615-00 - ALDEMIR SMITH MENEZES
Interno - 3004147 - DANILO RODRIGUES PEREIRA DA SILVA
Externo à Instituição - CLESIO ANDRADE LIMA
Notícia cadastrada em: 09/02/2018 10:50
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - fragata4.fragata4 v3.5.16 -r12692-c69972fb69