Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: LUCAS SOUZA SANTOS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LUCAS SOUZA SANTOS
DATA: 08/01/2018
HORA: 14:00
LOCAL: Departamento de Educação Física
TÍTULO: MÚLTIPLOS COMPORTAMENTOS DE RISCO À SAÚDE EM ADOLESCENTES DO NORDESTE DO BRASIL
PALAVRAS-CHAVES: Múltiplos comportamentos de riscos à saúde, Adolescentes, Fatores de risco.
PÁGINAS: 80
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Educação Física
RESUMO:

Introdução: Comportamentos de riscos à saúde (CRS) referem-se à participação em atividades que podem prejudicar a saúde física e mental dos adolescentes. Estudos mostram que estes comportamentos tendem a co-ocorrer gerando maiores agravos à saúde Objetivo: Analisar a associação de múltiplos comportamentos de riscos à saúde e fatores associados em adolescentes Métodos: Este estudo trata-se de dois levantamentos epidemiológicos com delineamento transversal, realizados em 2011 e 2016, com amostra representativa de estudantes da Rede Pública Estadual de Sergipe, composta por 7145 escolares (2011=3528; 2016=3617), com idade entre 14 e 19 anos. Os múltiplos comportamentos de riscos à saúde investigados foram: consumo de álcool, uso do tabaco, baixo consumo de frutas, nível insuficiente de atividade física (NIAF) e comportamento sedentário. Quanto a análise estatística, fez-se uso da estatística descritiva (frequência absoluta e relativa) e o qui-quadrado. No primeiro estudo recorreu-se à análise das prevalências observadas e esperadas (O/E >1) para identificar a simultaneidade dos comportamentos de riscos à saúde, assim como, a regressão de Poisson para identificar a associação de múltiplos comportamentos de riscos à saúde com fatores econômicos e demográficos. No segundo estudo utilizou a regressão logística binária bruta e ajustada. Resultados: No primeiro estudo a prevalência de múltiplos as prevalências de múltiplos comportamentos de risco à saúde aumentaram na adolescência de 2011 para 2016. As simultaneidades dos comportamentos de riscos apresentaram proporções inversas entre os sexos quando a análise foi estratificada por ano. Os múltiplos comportamentos de riscos à saúde associaram-se com turno noturno (RP= 1,04; IC95% 1,02-1,06) e renda familiar mais elevada (RP=1,05; IC95% 1,02-1,08). No segundo estudo, o percentual de adolescentes com nível insuficiente de atividade física (<300 min/semana) foi de 83% , associando-se com o sexo feminino (OR=1,90; IC95% 1,56-2,32), turno noturno (OR= 1,25; IC95% 1,00 -1,56), renda familiar até dois salários mínimos (OR=1,57; IC95% 1,17-2,11), baixa escolaridade materna (OR=1,55; IC95% 1,28-1,86), exposição à múltiplos comportamentos de riscos à saúde (2 CRS: OR= 1,76; IC95% 1,27-2,45; 3 CRS: OR=1,49; IC95% 1,00-2,20). Conclusões: Os múltiplos comportamentos de riscos à saúde aumentaram na adolescência e mostraram-se associados ao nível insuficiente de atividade física e a outros fatores demográficos e socioeconômicos. Sugerem-se ações mais abrangentes com estratégias multidisciplinares para reduzir à exposição de múltiplos comportamentos de riscos à saúde entre os jovens.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2229468 - FELIPE JOSE AIDAR MARTINS
Interno - 066.483.329-21 - DANILO RODRIGUES PEREIRA DA SILVA
Externo à Instituição - ANA PAULA LEMOS VASCONCELOS
Notícia cadastrada em: 22/12/2017 20:42
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - fragata2.fragata2 v3.5.16 -r12712-85cc87cea5